As Suas Lembranças São Minhas

As Suas Lembranças São Minhas Cecelia Ahern




Resenhas - As Suas Lembranças São Minhas


22 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Naty 10/01/2011

www.meninadabahia.com.br



'Sinto mãos velhas e enrugadas apertando as minhas, e sua intensidade e familiaridade me forçam a abrir os olhos. A luz penetra e vislumbro seu rosto, um olhar que não quero ver novamente. Ele se agarra ao seu bebê. Sei que perdi o meu. Não posso deixá-lo perder o dele. Ao tomar minha decisão, já começo a sofrer. Aterrissei agora, a aterrissagem da minha vida. Meu coração ainda bate.
Mesmo partido, ele ainda funciona.'
pg. 9


Joyce acaba de perder seu bebê. Depois de anos tentando engravidar, depois da alegria da descoberta... a dor da perda. E quando uma tragédia acontece, geralmente nunca é um ato isolado, com ela vem um tsunami de infortúnios.

Sem filho, sem marido, sem emprego, sem casa, sem mãe... Resta a Joyce chorar, chorar pelo que nunca teve, pelo que poderia ter tido... Chorar pela morte da mãe, anos antes, que não estava ao seu lado, agora, quando mais precisava... Chorar pelo pai, que esquecia as memórias, mas que estava sempre presente para ela.

Passando pelo limbo da morte, Joyce recebe uma transfusão de sangue. E é quando toda a sua vida muda, literalmente, num piscar de olhos.

Justin é americano, atualmente mora em Londres. Depois do divórcio se mudou para a mesma cidade da ex, para ficar perto da filha. Professor conceituado, é convidado a dar uma série de palestras numa universidade em Dublin.

Inteligente, cético, morre de medo de agulhas. Não gosta de doar sangue. Acredita que ao doar a pessoa que recebeu seu sangue tem o dever moral de lhe agradecer eternamente por ter lhe salvado a vida. Pequenos agrados como uma cesta de muffins, lavagens de roupas, ingressos para a ópera, e tudo mais que ele desejar.

Instigado pela filha e pela bela médica, participa de um programa de doação e descobre que foi a coisa mais verdadeiramente espontânea que fez em muito tempo. Sentiu alívio, prazer, felicidade.

Joyce está cansada, precisa enfrentar um lar vazio e à venda... enfrentar o vazio do resto de sua vida. Mas a nova Joyce quer cortar os cabelos. Isso mesmo, cortar os cabelos!

Justin precisa cortar a franja e... hum, um salão à vista. É lá que ele cortará os cabelos.

Joyce e Justin, um olhar, um arrepio. Sensações de déjà vu e déjà senti se apoderam deles. De onde se conhecem? Melhor, de onde se reconhecem?

Com início dramático, As suas lembranças são minhas, de Cecelia Ahern (Rocco, 352 páginas, R$ 48,50), é um livro arrepiante. Comovente ao extremo, como costumam ser as histórias de Ahern, é uma história para ler e sentir. Chorei quando Joyce perdeu o bebê, quando retornou para um lar vazio, com seu desespero ao imaginar o pai morto.

E seu pai, então? Mesmo nunca ter andado de avião, por medo, quando Joyce tem uma súbita vontade de ir à Londres, ele se benze e a acompanha. Quando é barrado por guardas armados, que o consideram um velhinho altamente suspeito, seu discurso de apelo fez os funcionários, do aeroporto, chorarem e eu também!

'Minha Joyce tem andado por uma estrada esburacada. Ela perdeu seu bebezinho semanas atrás, veja só. Tentou durante anos ter um bebê com um rapaz que joga tênis com um shortinho branco e as coisas finalmente pareciam estar ótimas, mas ela teve um acidente, caiu, veja você, e perdeu o pequenino. Perdeu um pouco dela também, para ser honesto com o senhor. Perdeu o marido, também na semana passada, mas não tenha pena dela por isso. Ela perdeu algo, isso é certo, mas veja, ela ganhou alguma coisa que nunca teve antes. Não sei dizer exatamente o que é, mas seja o que for, não acho que seja algo tão ruim. No geral as coisas não estão dando certo para ela e, é claro, que tipo de pai eu seria deixando-a ir nesse estado? Ela está sem emprego, sem bebê, sem marido, sem mãe e em breve sem casa, e se ela quer ir à Londres descansar, mesmo que na última hora, com toda certeza tem o direito de ir sem que ninguém a impeça de fazer o que quer.
Aqui está, fique com a minha bendita boina. Minha Joyce quer ir para Londres e os senhores devem deixá-la. Ela é uma boa menina, nunca fez nada de errado em toda sua vida. Não tem nada nesse momento além de mim e essa viagem, pelo que posso perceber. Aqui está, fique com ela. Se tiver que ir sem minha boina, sem meus sapatos, sem meu cinto e meu casaco, muito bem, não tem problema, mas minha Joyce não vai para Londres sem mim.'
pg. 162


As suas lembranças são minhas não é um livro triste, como P.S. Eu te amo, mas um livro sobre esperanças e sonhos. Um romance de conto de fadas, onde acreditar na magia do impossível é a base para a felicidade. E como Justin/Joyce recomendam: Pefer et obdura; dolor hic tibi proderit lim (Seja paciente e forte; um dia essa dor lhe será útil).

O final é digno de todo belo romance e... melhor parar por aqui, antes que eu conte a melhor parte da história, rs.

Ahern costuma dizer que todo dia é mágico, o que me fez lembrar da música Beautiful, que diz num trecho: Todos os dias são tão maravilhosos, e de repente, fica difícil respirar. De vez em quando, eu me sinto insegura. Com toda a dor, eu me sinto envergonhada... palavras não podem me abalar.

A vida é mágica. Mas ninguém nunca disse que viver seria fácil.

Recomendo!!!!!

P.S.: Espero que vire filme.
P.P.S.: Prefiro o nome original do livro: Thanks for the memories.
Dominique 27/02/2011minha estante
Aff. Não deveria ter lido sua resenha, fiquei com vontade de correr e comprar o livro. Rsrs! Li semana passada AQUI É O MELHOR LUGAR e amei. Acredito que com esse livro tb será assim...


Rose 30/04/2011minha estante
Depois da tua resenha, fiquei doida para ler o livro...




Monique 07/03/2021

Chato, moroso e cansativo
Como todos que a Cecelia Ahern, geralmente. Apesar de eu sempre esperar isso dos ingleses, a Irlanda também não deixa a desejar, pelo menos, a Cecelia.
A história é uma viagem! Viagem viajada.
Ate agora eu fico pensando como ela conseguiu ir tão longe para pensar neste tipo de enredo.
Faltava pouco menos de 80 páginas e os excessos ficaram piores, intratáveis e eu desisti.

Absurdos que o bom senso custa acreditar e a razão é cética demais para aceitar.
Livros de romance são meio traumáticos.
comentários(0)comente



Paula 14/03/2011

Até que ponto uma transfusão de sangue é um simples acaso ou uma peça do destino ?!
Até que ponto depois de você receber uma doação de sangue, você ter lembranças que não são suas, vontades que não são suas são realmente realidade ?!
Não sei.
Só sei que a autora construiu uma história divertidíssima desse modo.
Joyce vê sua vida desmoronar com a perda de seu bebê... Após o acidente ela toma coragem pra terminar seu casamento que há tempos não andava bem e começa a se deparar com um homem que chama sua atenção por achar que o conhece “ de algum lugar”. A partir daí começa a sentir desejos e vontades que não pertenciam antes da transfusão de sangue.
Joyce que é vegetariana passa a ser uma devoradora de carnes... rs
O Destino dá um empurrãozinho na vida de Joyce e Justin... E quando o destino não é o suficiente para unir esses dois corações, Joyce faz de tudo para ser notada e para conquistar Justin.
comentários(0)comente

Nanda Claret 30/04/2011minha estante
Muito boa sua resenha Paula!
Mas como eu sou muito curiosa...hihihih >
No final eles ficam juntos ou não??
Obrigada!




Danni 18/06/2012

Sem graça O.o
Toda vez que leio o livro dessa autora, eu penso, esse vai melhorar.
Mas a cada um deles a frustração é a mesma.
O que falta?
Sempre o mesmo: romance!
Não encontro isso em seus livros.Nesse muito menos.
O ponto forte de As Suas Lembranças São Minhas, nem foi de Joyce e Justin e sim do amor entre e pai e filha.Henry o pai roubou a todas as cenas e nos faz dar gargalhadas. Mas não espere muito desse livro...

"Tenho 1.67m,cabelos comprimento médio que chegam a meus ombros.A cor dos meus cabelos fica no meio, entre loiro e castanho.Sou o tipo de pessoa mediana.Não sou gorda,não sou super magra;exercito-me duas vezes por semana,corro um pouco,ando um pouco,nado um pouco.Nada em excesso, nada insuficiente.Não sou obcecada,viciada em nada.Não sou extrovertida,nem tímida,mas pouco dos dois,dependendo do meu humor,dependendo da ocasião.Nunca exagero em nada e gosto da maioria das coisas que faço.Raramente fico entendiada e poucas vezes me lamento.Quando bebo fico alegre,não o adoro.Sou bonita,não sou estonteante,também não sou feia;não espere muito,também não vou desapontar demais.Nunca estou emocionada demais ou de menis,geralmente estou bem.Sou normal.Nada espetacular mas algumas vezes especial.Olho no espelho e vejo esta pessoa mediana.Um pouco cansada,um pouco triste, mas não derrubada." pág57
comentários(0)comente



; Lili 03/06/2011

Esperava bem mais...
Não é que a história seja ruim, a história do livro é muito boa, mas eu estava tão ansiosa para lê-lo, imaginava uma linda história de amor, que acabei um pouquinho frustrada.

A história de Joyce e Justin é bonitinha, mas não é tão mágica e comovente. Quem me comoveu na verdade foi o pai de Joyce, pois ele é um fofo. Amei o personagem. Mas, mesmo assim, enrolei muito para terminar o livro.


comentários(0)comente



@leituratodososdias 02/12/2019

As suas lembranças são minhas

Autora: Cecilia Ahern
Editora: Rocco

Não doe sangue se não quiser, pouco me importa. Mas lembre-se, se o fizer, uma agulha pequenina não irá matá-lo. Na verdade, o contrário pode acontecer, ela pode salvar a vida de alguém.

Quero aproveitar o tema do livro para perguntar: Você é doador de sangue? Se não, que tal começar agora, aproveite esse final de ano para salvar vidas, será o melhor presente que você pode oferecer a alguém!

O livro é da mesma autora de P.S Eu te amo. A leitura em si é boa, só achei que demorou um pouco para tudo acontecer, não desenrolava logo sabe? Porém dei muitas gargalhadas com o pai de Joyce, uma figura.

Após perder seu bebê em um acidente, Joyce recebe uma transfusão de sangue, ao sair do hospital já começa a sentir-se diferente, como se fosse outra pessoa, adquirindo um gosto inusitado por carne, sendo que sempre foi vegetariana, sabe latim e italiano do nada e surpreende com um conhecimento em histórias e artes. Como se não bastasse, enfrenta uma separação e volta a morar com o pai viúvo.

Do outro lado temos o Justin, recém divorciado, leciona arquitetura em uma universidade Irlandesa e morre de medo de agulha. Durante uma palestra que ele assiste, é convencido a doar sangue por uma médica muito atraente.

Durante a leitura vamos acompanhando as coincidências que acontecem com os dois personagens, a forma como estão conectados e principalmente os desencontros, que deixa nós leitores muito aflitos. O final, é muito delicado e sereno e muito real, nada de mimi e mesmo assim é fofo.

Não há um caminho reto para ir aonde se quer ir.

É isso meus leitores, já conhecia o livro? beijinhos e até a próxima.
comentários(0)comente



Nana 01/11/2010

Justin mora na Inglaterra e vai para a Irlanda dar palestras sobre história da arte em uma universidade. Lá conhece uma médica que o convence a participar de uma campanha de doação de sangue.
Joyce, mora na Irlanda e estava grávida de 04 meses quando caiu da escada e perdeu o bebê. Foi hospitalizada e precisou de transfusão de sangue. Após sua recuperação, separou-se do marido e foi morar com o pai (Henry) . Um senhor idoso, de 75 anos, muito fofo e divertido.
Joyce e Justin encontram-se pela primeira vez em um salão de beleza quando foram cortar os cabelos e assim que se veem, sentem uma conexão um com o outro que não sabem explicar.
A partir daí, a vida dos personagens vai se entrelaçando. Joyce começa a ter lembranças de locais que nunca visitou, de pessoas que nunca viu e um conhecimento de arquitetura que nunca estudou.
A estória é bem gostosinha de ler. No começo não me empolgou muito, mas da metade em diante, melhorou bastante e não consegui largar até chegar ao final.
A relação de Joyce com o pai é bonita, divertida e foram os melhores momentos da leitura na minha opinião.
Henry ,o pai de Joyce, apesar de não ser o personagem principal, é o mais carismático e mais marcante da estória.
Este não foi o melhor livro que li desta escritora, mas mesmo assim valeu a pena a leitura como passatempo!

Eu daria nota 3 até a metade e 4 pelo restante. Como não tem 3,5 avalio com 4 estrelas pois a Cecelia Ahern merece!



comentários(0)comente



Carla 12/12/2010

Mais um sucesso de Cecilia Ahern
Mais uma vez Cecilia conseguiu prender minha atenção com uma história encantadora e cheia de humor! Quase engoli o livro de tão curiosa que eu fiquei...para mim um bom livro é aquele em que a gente não vê quantas páginas já leu, quantas ainda faltam..., mas é aquele que quando chega ao final ainda ficamos procurando mais para ler! Foi extamanete esse o sentimento que eu tive desse livro! O pai da da Joyce consegue roubar muitas cenas e o livro tem muito mais humor que os outros livros da autora. Não cheguei a chorar, mas me emocionei em muitas partes...
Recomendo!
comentários(0)comente



Sam 17/07/2011

Minha primeira impressão sobre "As suas lembranças são minhas" era que ele provavelmente seria uma daquelas histórias onde eu iria chorar rios de lágrimas, afinal é da mesma autora do sucesso "P.S Eu te amo", a irlandesa Cecelia Ahern, logo eu esperava fortes emoções. Porém essas expectativas não se concretizaram, não que o livro não tenha sua carga emocional, mais ele não chegou nem perto de me levar aos prantos.

A história segue contanto a vida de dois personagens, Joyce que enfrenta um difícil momento de sua vida depois de perder o bebê e se separar de seu já fracassado casamento, ela volta a morar com seu pai viúvo e Justin um professor de arquitetura que deixa a América para lecionar na Irlanda e assim ficar mais perto de sua filha que vive na Inglaterra. Qual a conexão entre eles?

Acontece que quando Joyce perdeu seu bebê, ela teve muita perda de sangue e precisou ser realizada uma transfusão, e então ela recebe o sangue doado por Justin, a partir daí ela começa a ter flashes de lembranças e memórias que não são dela, começa inexplicavelmente a entender de arquitetura e a falar latim e italiano. Enfim junto com o sangue de Justin vieram também suas lembranças, memórias e conhecimentos agora Joyce sente como se conhecesse a fundo essa pessoa sem saber como isso pode estar acontecendo.

Eu sei que lendo a sinopse assim parece se tratar de uma história bem surreal e estranha, porém ela funciona muito bem, a autora consegue criar uma narrativa despretensiosa mais ao mesmo tempo envolvente. A grande sacada do livro é que depois que Joyce e Justin se encontram pela primeira vez por puro acaso (ou não) e ambos sentem uma estranha conexão, é impossível não virar cada página esperando que eles se encontrem novamente, e a cada encontro e desencontro eles chegam mais perto de juntar o quebra-cabeça e descobrir toda a coisa da transfusão.

Cont... http://up-book.blogspot.com/
comentários(0)comente



Driza 01/08/2011

Uma história maravilhosa. Quase como um conto de fadas moderno e excepcional.

Pensei que o tema era drama (haja visto o histórico de outras obras da autora), mas que nada. É um livro em que a gente se diverte e torce por seus personagens até não poder mais.

Joyce tem seus motivos para derramar muitas lágrimas, mas ela é forte e surpreendente. E, cheia de atitude! Justin corre atrás do que quer e não mede esforços. Desculpe a simplicidade da palavra, mas nada o descreve melhor do que fofo. Isso! Ele é um fofo. Esta certo que a doutora Sarah não acha isso e que sua ex-mulher Jennifer tem ganas de fazê-lo sumir da face da terra, mas Justin sabe enternecer e conquistar um coração como ninguém.

Na trama, a dupla J & J, fica ligado por algo excepcional, ao que o título do livro faz referência: Joyce começa a ter lembranças do passado de Justin e, o mais surpreendente, adquire os conhecimentos dele, tais como falar outras línguas e saber demais sobre arte e arquitetura. E, até que eles descubram por que isso vem acontecendo, muitas páginas de descrições incríveis vão rolar.

Justin é o principal fofo da história, mas ele não é o único. O idoso pai de Joyce cativa demais. Ele acrescenta humor e emoção à história. Acredito que quem ainda tem seu paizinho aqui na terra vai se emocionar e rever algumas atitudes.

Cecelia Ahern é incrível! Tão jovem e tão capaz me mexer com os sentimentos da gente. Nota 10 para ela sua obra!
comentários(0)comente



Gabriela Dunham 21/08/2011

Tenho que dizer, o livro me surpreendeu. A história é original, já que não é todo livro por aí que fala de alguém que através de uma transfusão começa a sentir as lembranças e emoções de outras pessoas, não é ?
O próprio jeito que a autora foi contando a história me surpreendeu e cativou. Ficava tentando adivinhar coisas e a maioria errei bem feio, rs (:
Resumindo, achei uma história gostosa e bem escrita e dificilmente você se arrependerá de ter lido
comentários(0)comente



Ju 12/05/2012

Livro excelente, a história consegue prendê-lo do começo ao fim. Cheia de sentimentos e, ao mesmo tempo, muito divertida, principalmente as interações entre Joyce e seu pai, Henry, que é um "velhinho" engraçado demais.
Vale a pena ler!
comentários(0)comente



Nice 04/03/2014

Emocionante!
Depois de ter lido Cinquenta Tons de Cinza, que eu odiei, foi uma grata surpresa. Livro delicado, bem cuidado, muito bonito. A autora é altamente sensível e a leitura nos transmite leveza e tranquilidade. Amei esse livro, só não pontuei com nota cinco porque PS. Eu Te Amo foi muito melhor e acho que a autora poderia ter mantido a qualidade.
comentários(0)comente



carolina.trigo. 08/07/2017

As Suas Lembranças São Minhas
Acho que vocês já estão acostumados a todo ano ver uma resenha de algum livro da Cecelia Ahern aqui no blog, né? E esse ano, além desse, ainda lerei mais um livro dela, então não cansem, rsrsrs.
Eu AMO essa mulher! Ela escreve super bem e deveria ter mais reconhecimento - pelo menos aqui no Brasil...
Já li 5 livros dela e decidi que iria ler os mais antigos também - aqueles não tão famosos e esse foi o primeiro dessa leva: "As Suas Lembranças São Minhas" Editora Rocco.
Esse é mais um romance, mas é impressionante como ela tem uma capacidade extraordinária de até mesmo nos seus romances, colocar uma mensagem de superação, transmitir momentos difíceis que as pessoas passam no seu dia-a-dia brilhantemente.
Ela já escreveu sobre a perda de uma pessoa amada e a sua superação; sobre o futuro e as dúvidas que ele traz; como não reparamos no próximo e podemos nos surpreender com elas; sobre não darmos a devida atenção a nós próprios e como isso pode ser prejudicial; e por fim, sobre nos encontrarmos e não mudarmos a nossa personalidade por questões banais como o dinheiro. Nesse ela vai escrever sobre a perda de um filho e quão dramático pode ser essa dor, sobre o quão difícil é ficar grávida para muitas mulheres. Sobre como o divórcio é algo difícil para ambos, mas que muitas vezes ele é necessário!
Apesar de ter romance nele, ele é uma parte bem pequena da história. A história começa com Joyce acordando no hospital logo após perder o seu bebê num acidente nos últimos meses de gravidez, depois de muitos anos tentando ficar grávida. Do outro lado, temos o estadunidense Justin, que depois de se separar da sua esposa, mudou-se para a Irlanda para lecionar arquitetura em uma faculdade de lá. E assim fica próximo da filha, que mora em Londres.
Mas o que une essas duas pessoas tão diferentes? Num dia em que estava na faculdade, uma médica o convence a doar sangue. E então que esse sangue foi o utilizado para salvar a vida de Joyce. Porém, não foi só a vida que esse sangue salvou, mas também mudou a pessoa: antes vegetariana, Joyce agora adquire um gosto inusitado por carne; recita versos em latim de cor, sendo que antes não sabia falar uma palavra dessa língua; e surpreende a todos com um vasto domínio da história da arte e de arquitetura. E a partir daí, a história vai se desenrolar com encontros e desencontros.
Enfim, a história como sempre é muito bem escrita pela Cecelia e é brilhante como todos os outros livros dela. O personagem do Justin algumas é bem chato, mas ele vai melhorando. Na minha opinião, o foco é na Joyce mesmo, e a construção dela é muito interessante.
Achei muito interessante o fato do momento em que ela é salva, ela começar a ter ideias iguais ao do Justin, no mesmo momento. Por exemplo, logo no começo ela decidi cortar o cabelo, e ele também. E então rola o primeiro encontro deles, no cabeleireiro. Essa construção que a Cecelia fez de no momento em que o Justin salva ela, eles constroem uma ligação é MUITO interessante. Ela já me ganhou aí!
Por fim, o final é super bonitinho e perfeito para a história. A Cecelia não fica durante a história criando romance do nada, isso demora para acontecer. E quando acontece é do jeito certo!
Mais um livro dela lido, mais uma história que AMEI. Perfeita! Se você que está lendo esta resenha, ainda não leu nada dela, dê uma chance. Pois ela escreve muito bem! Hoje com certeza, ela é uma das minhas autora preferidas! E preciso ir para Irlanda, para conhecer esse país que parece ser tão bonito.

site: http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com.br/2017/06/resenha-as-suas-lembrancas-sao-minhas.html
comentários(0)comente



22 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2