Cerimônia Mortal

Cerimônia Mortal J. D. Robb




Resenhas - Cerimônia Mortal


45 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3


Camila 30/07/2009

Cerimônia Mortal
Novamente J.D.Robb nos oferece uma história incrível. Dessa vez o cenário é o universo das ciências ocultas e Eve Dallas tem que enfrentar seus preconceitos para encontrar um assassino. Peabody está cada dia mais confiante e Roarke, obviamente, cada dia mais charmoso e misterioso. As bruxas estão soltas!!
comentários(0)comente



Márcia 27/06/2009

Não gostei muito da espectativa que o livro passa para o público para depois simplesmente virar um caso como outro qualquer... Achei meio estranho um romance policial com tema de bruxaria... mas estava começando a me envolver na historia e realmente acreditar.. quando me torna um caso normal de dinheiro... Não gostei tanto quanto dos outros não..
Craig 15/08/2009minha estante
É o livro deve ser frustrante


Frannie Black 23/12/2009minha estante
Concordo com vc...


Barbara 13/12/2018minha estante
Mas a história à todo instante dá indícios claros de que um dos grupos de religiosos era uma farsa que só queria lucrar, é uma questão de prestar atenção. O discurso da Dra. Mira na metade do livro também serve de indicativo e esclarece o assunto das religiões pra quem não sabia nada sobre, como a Eve.




Vivis 22/01/2021

Um pouco de sobrenatural na vida Mortal de Eve
?- Eu compreendo. - Não estou com o meu galhinho de proteção, senão eu o emprestaria para você...?

Olha eu gostei bastante do livro, até mais ou menos o final, quando alguns fatos me desagradaram, principalmente envolvendo Eve cometer alguns abusos de poder policial (como sempre nos livros dela ela é cheia de hipocrisia!)

Contudo, ainda é um livro com narrativa fluida e empolgante
Aqui temos Eve tendo que investigar um caso que faz ela ir de frente com todo o carinho ceticismo pessoal e certo preconceitos!

A trama é bem amarrada e foi divertido ler.

Também, trás momentos muito importante do casal que estão ainda aprendendo a ser um casal!
comentários(0)comente



Nabia 17/03/2020

Esse universo é um vício, scrr! Confesso que em alguns momentos da história meu coração ficou bem pequenininho, percebi que não serviria pra exercer a função de Eve e Peabody.
comentários(0)comente



Lizianesg 21/09/2012

Cerimônia Mortal
Mais uma resenha dessa série da Nora Roberts que eu estou adorando. Estou encantada com a criatividade e a riqueza de detalhes que ela expõe.

Eve Dallas dessa vez se vê em meio a uma trama que envolve magia, bruxaria, sacrifícios não somente de animais, mas humanos, drogas e sexo.

A tenente está acostumada a encarar a morte, mas quando isso ocorre com um colega da polícia todos acham diferente.

“Dez anos trabalhando como policial não a haviam endurecido com relação a isso. Uma década na força policial de Nova York não a fez aceitá-la. Quando via a morte frente a frente, seus olhos exibiam o tom frio de um guerreiro.” Pág. 7

Uma desconfiança de que a morte do policial Wojinski não foi natural coloca Eve em uma trama diabólica.

“- O senhor suspeita de que ele tenha tomado uma overdose ou se matado – ela balançou a cabeça para os lados. – Naõ, não é possível, isso está errado!” Pág. 31

Quando ela consegue chegar perto de alguma pista concreta, logo outro assassinato acontece fazendo com que ela volte à estaca zero.

Ela não consegue acreditar que certas superstições ainda existam e que Roarke acredite em algumas.

“Eve não acreditava nessas coisas – magia negra ou magia branca. Mas estava disposta a aceitar que outros acreditavam. E mais inclinada ainda a imaginar que havia gente por aí usando esse tipo de fé maldirecionado, a fim de explorar e tirar vantagens.” Pág. 38

“– Estamos falando de bruxas e adoradores do diabo. Qual é, Roarke, já estamos em outro milênio... satanistas, pelo amor de Deus! – Tirou o cabelo da frente do rosto. – O que esse pessoal acha que poderia conseguir do diabo, se ele existisse e eles conseguissem chamar a sua atenção?” Pág. 39

A principal suspeita Selina, se diz uma servidora do diabo.

“- Sou uma grande sacerdotisa, devotada ao Senhor das Trevas. Somos uma legião de seguidores e tenho poderes que a fariam chorar de dor.” Pág. 91

A história mostra também o relacionamento de Eve com Feeney seu colega e como ela se sente quando tem que deixá-lo fora do caso.

“Não era trabalho, avaliou ele, o que colocara aquela infelicidade dolorosa nos olhos dela.” Pág. 237

“Eve ama você, e o amor é um sentimento que não surge com muita facilidade para ela. É difícil para ela sentir afeto, e mais difícil ainda demonstrar. Uma parte dela talvez esteja sempre preparada para receber um golpe, uma traição qualquer. Você é que vem sendo o pai dela há dez anos, Feeney. Ela não merecia ser destruída por dentro mais uma vez.” Pág. 244

O passado dela volta à tona, em algumas passagens do livro ela se lembra de quando era violentada pelo seu pai.

“Entrou em pânico. Estava com as mãos amarradas. Ele muitas vezes amarrava as mãos dela em criança. Prendia-a na cama e tapava-lhe a boca com a mão para abafar seus gritos quando a estuprava.” Pág. 379

Claro que não posso esquecer as cenas engraçadas, pelo menos quando estava lendo não tive como não rir.

“Ela estava com um botão de rosa tatuado na bunda, e não ficou nem um pouco satisfeita com isso. Em pé, nua, Eve ajustou o espelho triplo do banheiro até conseguir dar uma boa olhada.
- Acho que vou mandar prender Trina por causa disso – murmurou.
- Sob que acusação? Decorar o traseiro de uma policial sem autorização? – sugeriu Roarke, ao entrar. – Reprodução criminosa de uma imagem flora?” Pág. 329

Ela se vê cada dia mais encantada e segura para demonstrar o seu amor por Roarke e ele está cada vez mais envolvido em sua vida profissional.

“Ele já a vira trabalhar antes, observara e admirara a sua eficiência. Apreciara a área delimitada e completamente focada que ela criava em torno dos mortos. Roarke se perguntou se ela chegava a compreender o porquê de agir daquela forma, ou como conseguia, ao examinar com objetividade um corpo sem vida e violentamente assassinado, ver através do pesar que assombrava os próprios olhos.” Pág. 203

“- Eu amo você – murmurou ela. – Amo tanto que me sinto uma idiota por causa disso.
Dando um suspiro, deixou-se acomodar junto dele, fechou os olhos e se obrigou a esvaziar a mente.
Ao seu lado, Roarke sorria no escuro.
Ele jamais dormia antes dela.” Pág. 214

“Uma armação desde o princípio, pensou Eve, nada além de uma fraude, um golpe produzido com sofisticação, visando unicamente ao lucro.” Pág. 383

Como sempre a capa do livro já dá pistas de algum elemento importante na trama e nessa capa temos a figura de um Athame, que é um punhal utilizado em rituais de magia.

Espero que tenham gostado da resenha!!
comentários(0)comente



Nanda 01/08/2010

A cada livro da série que leio, me encanto mais com Roarke. Ele é, sem dúvida, um dos homens que mamãe ficaria satisfeita em ter como genro, rs. Eve é uma mulher de sorte! O amor que ele sente por ela é algo único. A adaptação de Eve ao casamento e ao fato de amá-lo rende ótimas cenas. E se eles já viviam na cama antes de casa, agora então...

O caso... De todos os casos até agora esse me pareceu ser o mais difícil para Eve lidar. Não apenas por se tratar do mundo sobrenatural, mas também por trazer a tona tudo o que viver quando era criança. Porém, a nossa tentente preferida conseguiu passar por tudo e fazer a justiça valer. Ah, claro, ela só não conseguiu escapar das garras de Mavis e Trina, saindo do salão com uma tatuagem no traseiro. Roarke adorou!!
comentários(0)comente



julia 12/06/2020

Resenha: Cerimônia Mortal
Gatilho para: estupro, incesto, abuso físico, uso não consensual de drogas.

Meu favorito da série até agora! Eu amei o quão assustador ele foi e como os mistérios e os assassinatos chegaram mais perto da Eve e do Roarke. Algumas cenas foram bem emocionantes e Robb fez um trabalho maravilhoso ao mostrar a dificuldade que algunas personagens tinham com certas situações. Esse livro foi um pouco mais violente que os outros e o assassino foi revelado bem cedo, mas eu ainda amei como tudo de desenvolveu.

Eu admito que fiquei bem frustrada com a atitude da Eve com relação a magia e como ela diminuiu a crença de alguns personagens, mas eu reconheço que essa era uma falha dela. A Peabody confrontando ela sobre isso foi uma das minhas coisas favoritas. O final veio de uma maneira bem abrupta, como se as consequências de tudo que aconteceu estivessem sumido, mas eu ainda gostei muito desse livro!
comentários(0)comente



Te 07/08/2010

Excelente como sempre, muito impolgante, adorei a forma como aborda o tema sobre as crenças e a falta de escrupulos de alguns, que se escondem atras delas para satisfazer a propria vontade.
comentários(0)comente



Glaucy 26/03/2011

Sei que sempre que falo da Série Mortal, sou repetitiva, mas não há como negar: a Série Mortal é viciante, emocionante, empolgante e apaixonante... sou fã e não nego!

Cerimônia Mortal, o 5º livro da Saga, é um mix de crenças: Magia Negra x Magia Branca... a "fé" num ser cruel promove uma série de crimes hediondos, no entanto, tal crença nada mais é que a busca do prazer pela dor, sexo e dinheiro em nome de um ser mal e sádico.

Eve tem que solucionar um caso que envolve os assassinatos de um antigo (e bom) policial e sua neta - envolvida com seitas satânicas e Wicca, dentre outras mortes que aparecem no caminho.

Roarke, “o lobo” (e o amor de sua vida) possui um papel fundamental na investigação, assim como Peabody, com sua intuição e crença, auxilia nossa protagonista na busca incansável de um assassino lunático e bárbaro...

Nossa tenente revive medos e dores há muito adormecidos, confrontando seus ideais e pondo amizades e amores a prova.

Enfim, como diz a maluquinha da Mavis, Cerimônia Mortal é "mais que demais!".

Recomendo!


*************************************


Lido em março de 2011
comentários(0)comente



Jessica 19/07/2012

Mais viciante que chocolate
A série mortal é uma das minhas favoritas e Cerimônia mortal veio pra não me deixar esquecer disso.
Eu considero a J.D. Robb uma genia pelo fato de ela conseguir misturar personagens principais fodões, futurismo, romance e erotismo em uma série policial. E como se essa mistura não fosse bom o bastante para ela, ela resolveu colocar mais um ingrediente: o miticismo. É isso aí, os assassinatos estão interligados com a wicca e o satanismo, o que fez desse livro mais interessante ainda.
Uma das coisas que eu mais gosto nessa série é que ela é intrigante e cheia de mistérios, e a cada volume que eu leio aumenta algumas perguntas na minha coleção. Eu fico cada vez mais intrigada pra saber: Qual o nome completo do Roarke? E o de batismo da Eve? Se mãe dela ainda está viva, elas vão se reencontrar? O casal vai ter filhos? Quando é que a Peabody vai desencalhar?
O mais interessante ainda que que apesar de a autora não responder essas perguntas diretamente, ela nos dá pequenas migalhas, pistas, de algumas dessas coisas que podem acontecer.
Esse livro foi cheio que surpresinhas, coisas que eu tava super curiosa pra ver, como o Roarke perdendo o controle e a Eve chorona e apavorada. Fora que parecia que ela tava de TPM nesse livro: ela briga com duas pessoas chegadas dela.
Amei Cerimônia mortal, não sei se todo mundo é como eu que com coleções muito grandes, tenho medo de me decepcionar com a qualidade dos livros. Mas, se acontece isso na série mortal, não é nesse volume. Pra mim, ele é mais que demais!
comentários(0)comente



Ana 23/05/2020

Cerimônia Mortal
É uma série que me cativa, mesmo sendo, em tese, previsível. Está mais voltada ao laço que eu tenho com a história que envolve eu começar a ler essa série do que propriamente a história dos livros.
comentários(0)comente



PolyFlores 01/02/2010

Muito bom...
Mantendo o ritmo dos livros anteriores, Eve se encontra diante de uma situação complexa, envolvendo cultos satânicos, onde tem pouco tempo para resolver um caso e evitar novas mortes.
Ótimo!
comentários(0)comente



Nathia 19/03/2021

Incrível!
Sem dúvidas, Nora Roberts consegue envolver seus leitores.
Esse livro é fantástico, e coloca em cheque todas as intuições, expectativas a respeito do desenrolar da história.
comentários(0)comente



Bia 28/03/2020

Não dei 5 estrelas para Cerimônia Mortal por exatamente esse motivo: Eve me irritou pra caramba! Ela estava insuportável nesse livro. Super arrogante. Destratou todo mundo que teve a ousadia de descordar dela. Eve, praticamente, fez chacota da crença dos outros. A visão dela de mundo é lei e ponto. Mas no geral, o enredo foi bem interessante e, nesse caso, desde o início já se sabia quem era o criminoso, só faltavam as provas.
comentários(0)comente



45 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3