Os Contos de Beedle, o Bardo

Os Contos de Beedle, o Bardo J.K. Rowling




Resenhas - Os Contos De Beedle, O Bardo


504 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Gabi (@literageek_) 22/03/2019

Eu como uma apaixonada pelo universo de Harry Potter, amei ter lido esse livro. Tava com ele na minha estante desde o ano passado e não sei por que demorei tanto para lê-lo.

Os contos são super leves e incríveis. Os comentários do Dumbledore são ótimos. Cheios de informações que enriquece ainda mais o nosso conhecimento sobre esse mundo. Sem falar que ele menciona fatos que não conhecíamos (eu não pelo menos kkkkk)

Super recomendo a leitura do livro, principalmente se você estiver em uma reserva literária.
comentários(0)comente



Patrícia Morais/@sistersbookaholic 21/03/2019

@sistersbookaholic
Os contos de Beedle o Bardo, reúne cinco contos, sendo eles O Bruxo e o Caldeirão Saltitante; A Fonte da Sorte; O Coração Peludo do Mago; Babbitty, a Coelha, e seu Toco Gargalhante; O Conto dos Três Irmãos. São histórias, que os bruxos leem para seus filhos antes de dormir, histórias de ninar. Que trazem grandes ensinamentos.

"As histórias de Beedle ajudaram gerações de pais bruxos a explicar este doloroso fato da vida aos seus filhinhos: a magia tanto causa dificuldades quanto as resolve."

Os contos são fluidos e dá para ler o livro em um dia. Meus contos favoritos sem dúvidas foram: A fonte da sorte e O conto dos três irmãos.

Na introdução conta que a tradução do livro foi feita por Hermione. E neste tem notas de Dumbledore. Após cada conto, temos Dumbledore dando sua opinião sobre o conto, e confesso que nas partes dele, li com a voz do Dumbledore dos filmes na cabeça.

Em algumas páginas temos lindas ilustrações que nos deixam mais inteirados à história. A edição é impecável, essa nova versão capa dura realmente é linda.

Um livro que pode ser lido tanto por um adulto quanto por uma criança. Uma leitura rápida e agradável que traz grandes ensinamentos. Que nos deixa mais integrados a este mundo mágico que muitos amam.

“Mesmo eu, Alvo Dumbledore, acharia mais fácil recusar a Capa da Invisibilidade; o que prova apenas que, esperto como sou, continuo sendo um bobalhão tão grande quanto os demais.”

site: https://www.instagram.com/sistersbookaholic/
comentários(0)comente



Thiago Acrisio 18/02/2019

Os Contos de Beedle, O Bardo - Meta de Fevereiro.
Essa leitura faz parte do Desafio literário, proposto para 2019 entre eu e minha cunhada, essas é o livro de Fevereiro.

O livro e bem curtinho, e basicamente compila 5 contos escritos por Beedle, para o mundo Bruxo, as histórias mais famosas passadas para crianças no mundo Bruxo, além disso tem os comentários do ilustre Alvo Dumbledore ao fim de cada conto, uma forma de auto explicação, eu gostei de dois A fonte da sorte, e claro O Conto dos três irmãos, que é impossível, não ler com a voz de Hermione narrando, é muito engraçado isso, ela lê para você na sua mente, kkk.
comentários(0)comente



Mayhara 12/02/2019

Leitura do mês de Fevereiro =)
Ao contrário do que ocorreu com a leitura do mês de janeiro, Os Contos de Beedle, o Bardo eu li em menos de 1 hora.

Amei saber mais sobre esse universo maravilhoso que a J.K. Rowling escreveu e me espantei com alguns detalhes que ela revelou (pelo menos pra mim foi revelação), como sobre os animagos, por exemplo. Na minha cabeça era um dom específico de uma pequena parcela de bruxos, como os ofidioglotas. Entretanto, ela nos revela que qualquer bruxo pode se tornar um, desde que estude com afinco para se tornar um. Me pergunto como e porque Sirius quis ser um.

Enfim, a escrita dela é uma delícia (nem precisava dizer isso, né?), e ajuda muito no correr das páginas. Cada conto trás uma lição e os comentários do Dumbledore são uma delícia de se ler.
comentários(0)comente



Matt 03/02/2019

Um excelente livro de contos para realizar a leitura hora ou outra, quando a ressaca literária se abate. É muito bom ter um vislumbre do mundo mágico que tanto me conquistou na infância e adolescência. Os comentários altivos e perspicazes de Alvo Dumbledore deixa tudo ainda mais nostálgico e completo. Sigo amando o conto dos Três Irmãos.
comentários(0)comente



taina.carolini. 03/02/2019

Ótimo livro, muito leve e cheio de ensinamentos e nostalgia.
Os comentários de Dumbledore dão um toque especial contextualizando os contos.

Recomendaria ??
comentários(0)comente



Paulinha 22/01/2019

Nostalgia
Conhecer esses contos que são citados na história do Harry e ainda com os comentário do Dumbledore é uma experiência tão nostálgica. Faz vc voltar aos outros livros e desejar ler tudo de novo. Te amo J.K ???
comentários(0)comente



Dielson(autor) 21/01/2019

A eterna magia de J. K. Rowling
A magia nunca morre e nem deixa de ser maravilhosa. O que J .K Rowling faz com as palavras é magia muto forte e profunda, pois todas as histórias do universo de Harry Potter encantam. Não podia ser diferente com esses contos, que revelam muita coisa não só do universo criado pela autora, mas também da própria autora. Leitura rápida e deliciosa. Destaque para as vozes de Hermione e Dumbledore que me acompanharam durante toda a leitura. Mais uma leitura que acrescenta muito. Como é bom sempre retornar a esse universo.
comentários(0)comente



Alê 22/12/2018

O conto na construção da reflexão
A obra “Os contos de Beedle, o bardo”, escrito pela autora J.K. Rowling, é
composta de cinco contos que envolvem magia, fantasia e imaginação. O livro
direcionado para crianças, faz parte da campanha “Children’s High Level Group” que
visa promover os direitos das crianças e melhorar a vida de jovens em condições
precárias. Os contos são: O bruxo e o caldeirão saltitante; A fonte da sorte; O coração
peludo do mago; Babbitty, a coelha e seu toco gargalhante; O conto dos três irmãos.
O primeiro conto retrata a história de um bruxo que possuía um cadeirão e fazia
uso da sua magia com bondade e generosidade para ajudar as pessoas. Quando faleceu,
seu filho ficou encarregado de fazer seu trabalho, no entanto, o filho tratava as pessoas
que chegavam até ele com arrogância e crueldade, não atendendo as suas necessidades.
A cada vez que isso acontecia, os sentimentos, angústias e sofrimentos passados pelas
pessoas a quem o bruxo lhes virava as costas, eram representados no caldeirão que não
o deixava em paz um só instante. Cansado do sofrimento, o jovem bruxo resolve ajudar
as pessoas necessitadas e consegue ter paz novamente. A história reflete sobre a
importância de ajudar ao próximo, ser generoso e das consequências que a vida traz
para aqueles que vivem uma vida egoísta e egocêntrica. O personagem pôde sentir na
pele as enfermidades sofridas pelo próximo.
A segunda história apresenta o trajeto de três bruxas e um cavaleiro azarado em
busca da fonte da sorte para acabar com seus problemas. Todavia, apenas uma pessoa
poderia mergulhar na fonte por ano. A bruxa Asha sofria de uma doença, Altheda tinha
sido roubada e Amata fora abandonada por um homem a quem amava profundamente.
Durante o percurso encontraram vários desafios. Asha saciou a sede de um verme com
suas lágrimas, Altheda desbloqueou o caminho do morro com seu suor e Amata jogou

todas as lembranças do seu amor no riacho, passando assim por todos os desafios que os
levaram à fonte. Ao chegarem lá, Asha estava à beira da morte e Altheda lhe fez uma
poção que curou todos os seus sintomas, logo não precisaria entrar na fonte. Althema
também se recusou a mergulhar na fonte, pois acreditava que poderia ganhar muito ouro
curando doenças como a de Asha. O riacho já tinha levado as angústias de Amata, então
só restava o cavaleiro e ele o fez. Banhou-se na fonte, sentindo-se glorioso, em seguida
pediu a mão de Amata e ela lhe concedeu. As bruxas e o cavaleiro desceram o morro
juntos, nem percebendo que as águas não possuíam encanto algum. Aqui são tratados os
valores do companheirismo e da amizade, mostrando o quanto a união pode trazer bons
resultados.
O terceiro conto fala sobre um jovem mago que via o amor como uma
humilhação, uma fraqueza e jurou para si que nunca se deixaria levar pela paixão e
recorreu às artes das trevas para garantir sua imunidade. Quando seus pais morreram, o
jovem nem se quer se lamentou. Ele avistou que seus criados manifestavam pena dele,
pois não tinha ninguém que o amasse. Indignado, começou a procurar por uma
companheira que fosse superior a todas as outras e encontrou uma donzela que atendia
as suas expectativas, mas apesar de seu coração não sentir nada, ele começou a cortejá-
la. A jovem pressentiu sua frieza e acreditava que ele não tinha coração. O mago a levou
onde estava escondido seu maior tesouro, dentro de uma caixa estava seu coração
coberto de pelos negros. A jovem abismada, implorou que ele colocasse seu coração de
volta. Ao colocar de volta percebeu que seu coração estava como de um animal e seus
instintos eram mais fortes que ele, arrancou o coração da donzela na intenção de trocar
pelo seu, no entanto, morreu com os dois corações na mão. Nesse conto é vivenciada a
tola busca pela invulnerabilidade de um jovem que acaba se tornando inumano e
insensível, não tendo conhecimento que o sentir é o que nos torna humanos e se ferir é
tão normal quanto respirar.
A quarta história retrata sobre um rei que queria ser o único a ter poderes mágicos
e começou a procurar por um instrutor de magia, contudo, somente um charlatão que
nada entendia de magia se candidatou. E ele enganava o rei exigindo riquezas em troca
dos seus ensinamentos. O rei cansado de nada aprender, pressionou o homem e o
ameaçou que se ele não conseguisse realizar mágicas diante de todo o reino, ele seria
perseguido pelos cães. O charlatão desesperado encontrou uma velha bruxa que
resolveu o ajudar e que realizaria as mágicas pelo rei. Quando o rei tentou ressuscitar

um cão e falhou, ficou indignado e o charlatão dedurou a bruxa como culpada do feitiço
não estar funcionando, ela correu e se transformou em toco, o malandro com medo de
ser entregado, caiu de joelhos confessando suas maldades e pedindo misericórdia. A
velha ameaçou o rei e ordenou que ele deixasse os bruxos em paz para não sofrer as
consequências de seus feitiços e, em seguida, ordenou que ele construísse uma estátua
em sua homenagem em cima do toco. Assim o rei o fez, e Babbitty saiu em forma de
coelha saltitando pelos jardins. No conto, é representado o quão fútil é a ganância e que
a mentira é revelada cedo ou tarde, por isso é necessário que as pessoas sejam honestas.
A última história gira em torno de três irmãos que estavam viajando por uma
estrada deserta à noite e chegam a um rio fundo demais para vadear e perigoso demais
para atravessar a nado. Surge então a morte, zangada por eles não terem se afogado, mas
não demonstra sua raiva e diz que cada irmão terá direito a um prêmio por terem sido
tão inteligentes. O primeiro pede a varinha mais poderosa do mundo, o segundo pede
por um poder capaz de ressuscitar os mortos e o terceiro, não confiando na morte, pediu
por algo que lhe permitisse sair dali sem ser perseguido por ela. A morte lhes concedeu
seus desejos e eles seguiram seu caminho. Algum tempo depois, o primeiro irmão teve
sua varinha roubada e sua garganta cortada, sendo levado pela morte. O segundo irmão
ressuscitou sua amada, mas ela não pôde se adaptar à vida, então ele se matou para
poderem ficar juntos e a morte o levou. O terceiro irmão demorou muitos anos para que
fosse encontrado, quando estava em uma idade avançada acolheu a morte como uma
velha amiga. Tratando-se de arrogância, egoísmo e humildade, o conto apresenta lições
de vida, mostrando que toda ação possui uma reação, que nossas escolhas nos definem e
que é preciso arcar com as consequências destas.
Através dos contos apresentados as crianças podem refletir sobre valores e
aprender lições de grande importância para a vida, também como fantasiar, imaginar,
criar e aprender de uma forma prazerosa, mergulhadas em uma leitura cheia de magia e
encantamento. Sendo assim, uma ótima opção a ser trabalhada entre as crianças por
abranger determinados aspectos que as ajudam a construir uma reflexão sobre cada
história de uma forma descontraída e divertida, prendendo a atenção destas para
posteriores abordagens sobre determinados temas presentes na obra.
comentários(0)comente



Bru 09/12/2018

Contos, mas não de fadas
Uma ótima leitura que traz várias lições tanto para os bruxos quanto para nós, trouxas. Adorável ler o Dumbledore dando as suas opiniões. Que saudades.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Luisa (@leiturasdaluisa) 28/11/2018

Mágico!
O livro existe como se fosse uma coletânea de contos infantis para jovens bruxos. Assim como nós crescemos lendo Cinderela, O Rei Leão e O Pequeno Príncipe, as crianças no mundo de JK leram os contos de Beedle. São contos pequenos, fantasiosos e cada um deles apresenta um assunto para reflexão mais profunda. O mais famoso no livro é o conto dos Três Irmãos, contado por Hermione, em que são apresentadas as Relíquias da Morte. Para os amantes do mundo mágico de Harry Potter (e para os que não são também), recomendo a leitura.

site: https://www.instagram.com/leiturasdaluisa/
comentários(0)comente



Rayan.Gomes 11/11/2018

Informativo
As anotações do Dumbledore revelam mais do que eu estava esperando, e os contos são simples e divertidos. O melhor do box.
comentários(0)comente



Jura 09/10/2018

Contos
Um livro com 5 contos,cada conto com uma temática "diferente" e se vc é fã de harry potter vai amar esse livro por todos os contos envolverem o mundo bruxo e comentários de um grande personagem de Harry Potter.
comentários(0)comente



Ingrid.Oliveira 21/09/2018

Amei
Tem como não amar? Não tem, né? Pq Beedle é a versão bruxa de La Fontaine.
comentários(0)comente



504 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |