Escuridão Total Sem Estrelas

Escuridão Total Sem Estrelas Stephen King




Resenhas - Full Dark, No Stars


219 encontrados | exibindo 46 a 61
4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 |


Henrique 13/11/2015

Muito bom
O livro é composto por quatro contos que nem preciso dizer que são memoravelmente bem escritos. Não são necessariamente de terror, mas tratam do quão o comportamento humano diante de circunstâncias cotidianas da vida pode ser um horror.
Cada conto me trouxe uma sensação diferente, sobretudo o terceiro que, à princípio, não me agradou. Mas depois de um tempo percebi que o que não tinha me agradado não era o conto em si, mas o tema abordado. Esse terceiro conto é simples, linear, o mais curto de todos. Porém a mensagem que ele traz nos deixa estarrecidos. Penso que se King o tivesse escrito de outra forma, talvez essa inquietação não teria vindo à tona no meu caso. No fim das contas, o terceiro conto é o melhor. Depois vem o segundo. Cara, esse segundo é fantástico. Ele estava no topo, mas depois de refletir alguns dias, achei por bem deixar o terceiro conto primeiro lugar. O primeiro conto é bom, mas em relação aos demais fica bem em terceiro do ranking. Por último, o quarto conto fica em último lugar na minha preferência. Achei um tanto previsível e monótono em alguns momentos, em relação aos demais. Recomendo vivamente a leitura do livro!!
comentários(0)comente



May 13/11/2017

Que livro!
No final me deu uma vontade de ir até Bangor e dar um beijo na bochecha do King e agradecê-lo por escrever tão bem. E um outro beijo na Tabitha por ter salvo Carrie do lixo e o incentivado a continuar.
Um dos melhores livros que já li!!
comentários(0)comente



Carla 15/04/2015

Magnífico!
Leitura Finalizada: Escuridão Total Sem Estrelas
Autor: Stephen King
>>SEM SPOILER

UAUUU!! Vou tentar passar mais uma experiência extraordinária que tive com este autor fantástico, mestre do Terror/Suspense, Stephen King... Bom, recentemente mais uma obra foi lançada aqui no Brasil pela maravilhosa editora Suma de Letras e eu não poderia ficar de fora. Adquiri o livro Escuridão Total Sem Estrelas, que me encantou com seus 4 contos "inéditos", são eles: - 1922; - Gigante do Volante; - Extensão Justa; - Um Bom Casamento (adaptado recentemente para as telonas com o nome de A Good Marriage).

1922
Pai de família e fazendeiro, Wilf se vê em uma "encruzilhada", quando a esposa decide vender seus 100 acres (herdados do pai) para uma grande empresa de abate de porcos... Um sinistro plano pode ser a solução de tudo, mas será mesmo?
Pra mim foi o melhor... conseguiu fazer meu estômago dar umas reviradas de 360º.
Trecho do Conto: "11 de abril de 1930
Hotel Magnólia
Omaha, Nebrasca
A QUEM INTERESSAR POSSA:
Meu nome é Wilfred Leland James e esta é minha confissão. Em junho de 1922 eu matei minha esposa, Arlette Christina Winters James, e escondi o corpo em um velho poço. Meu filho, Henry Freeman James, me ajudou, embora ele não possa ser responsabilizado pelo crime porque na época tinha 14 anos. Eu o persuadi, jogando com seus medos e contendo suas objeções mais do que naturais durante dois meses. Me arrependo disso mais amargamente do que do crime, por motivos que este documento vai revelar."

Gigante do Volante
Tess é uma escritora de livros policiais, estilo Sherlock Holmes. Sempre recebe convites para palestrar, até que em um desses "encontros", ela acaba caindo em uma armadilha... Seria ela capaz de vencer o dilacerados destino cruel?
Um conto bastante interessante, que me deixou estramente angustiada.
Trecho do Conto: "Tess voltou ao estacionamento cheio de mato da loja abandonada e olhou, aborrecida, para o carro torto. Mesmo com trinta mil dólares de ferro, tração nas quatro rodas, freios a disco independentes e Tom, o TomTom falante, bastou um pedaço de madeira com prego para deixá-la na mão.
Bom, mas também todos tinham pregos, pensou ela. Em uma história de mistério — ou um filme de terror —, isso não teria sido um descuido, mas um plano. Uma armadilha, na verdade."

Extensão Justa
Streeter está a beira da morte, seu câncer já estava bem avançado e o médico havia lhe dado apenas 6 meses de vida, isso caso ele levasse a sério as sessões de químioterapia. Mas uma coisa Streeter não sabia, seu destino estava prestes a mudar, mesmo que "custasse" algumas vidas.
Uma história chocante e perturbadora.
Trecho do Conto: "Odabi entrelaçou os dedos das mãos sobre a mesa e se inclinou para a frente, parecendo, de repente, extremamente profissional.
— Eu vendo extensões — disse ele.
— Então o nome desta estrada veio bem a calhar.
— Nunca pensei dessa maneira, mas acho que você está certo. Embora, às vezes, um charuto seja apenas fumaça, e uma coincidência seja apenas uma coincidência. Todo mundo precisa de uma extensão, sr. Streeter. Se você fosse uma jovem que adora fazer compras, eu lhe ofereceria uma extensão de crédito. Se você fosse um homem com um pênis pequeno, já que às vezes a genética pode ser cruel, eu lhe ofereceria uma extensão peniana.
Streeter ficou espantado e entretido com a objetividade da coisa. Pela primeira vez em um mês — desde o diagnóstico —, ele se esqueceu de que estava sofrendo de um tipo de câncer agressivo e acelerado.
— Você só pode estar brincando."

Um Bom Casamento
Darcy tinha uma vida invejável, casada com Bob a 27 anos e mãe dedicada de dois jovens adultos, Petra (em breve se casaria) e Donnie... Tudo era impecavelmente "perfeito", até aquela noite em que fora buscar pilhas novas na garagem de sua residência.
O filme baseado nesta história (A Good Marriege) foi quase totalmente fiel ao conto, se não fosse por apenas alguns pequenos detalhes. Pra quem não viu o filme, vale a pena. Este foi lançado em 2014 nos EUA... Eu adorei!
Trecho do Conto: "Ela sabia tudo sobre ele? É claro que não. Assim como Bob também não sabia tudo sobre Darcy — que ela às vezes (principalmente em dias chuvosos ou naquelas noites em que ficava com insônia) devorava chocolates e mais chocolates, mesmo quando já estava enjoada. Ou que ela achava o novo carteiro bonitinho. Não existia isso de saber tudo sobre o outro, mas ela sentia que, após 27 anos, eles sabiam todas as coisas importantes. Era um bom casamento, um dos cerca de cinquenta por cento que continuavam sólidos depois de tanto tempo. Ela acreditava nisso com a mesma determinação que sabia que a gravidade a prenderia ao chão quando ela andasse pela calçada.
Até aquela noite na garagem."
@BecoDosLivros 29/05/2015minha estante
TrailerBook do livro: https://www.youtube.com/watch?v=m2Zge8tDK6s&list=PLjfCBSfmCna5QKc7vxrIhdWZRASvzuqS1




Gus | @escritavo 08/12/2016

Pesado
Um livro pesado de conteúdo. Os quatro contos tem uma carga tão pesada que você se sente carregado... mas ao mesmo tempo é fluido, bem escrito e te prende até a última página. Os contos são maravilhosos, meio sádicos e mórbidos (mas é do King que estamos falando né). Essa foi minha primeira experiência com contos dele, anteriormente só tinha lido os livros "inteiros" e confesso que no começo estava com um certo receio... mas agora digo que não me arrependi nada, King nunca vai decepcionar.
comentários(0)comente



Vitão 14/05/2016

Visceral!
"As histórias neste livro são chocantes. Você pode ter achado difícil lê-las em alguns momentos. Se foi o caso, posso lhe assegurar que também achei difícil escrever as histórias em alguns momentos".

Amigos, se o próprio Stephen King disse isso no posfácio desta obra, então preciso dizer que não devemos esperar nada menos do que algo visceral das quatro noveletas que compõem Escuridão Total Sem Estrelas.

Aqui o autor não se utiliza de suas tradicionais situações sobrenaturais para nos brindar com os sentimentos humanos mais perigosos como ódio, inveja, ganância e vingança, resultando em muito sangue e morte. As personagens deste livro demonstram como uma pessoa comum pode reagir a situações incomuns, e tudo o que de mais ardiloso e egoísta podem fazer para alcançarem seus objetivos, tudo descrito com muitos detalhes, marca sagrada de Stephen King, o que torna cada situação bastante verossímil.

Altamente recomendado!
comentários(0)comente



Vi Sampaio 19/10/2015

Um alívio para a depressão pós livro
Sempre gostei muito da possibilidade de o escritor se comunicar diretamente com o leitor. Utilizando uma linguagem bem informal que aproxima criador e experimentador. Enfim, finalizei "Escuridão Total Sem Estrelas". Rolou aquela depressão pós livro nossa de cada fim de leitura (passei quase uma semana para ler as últimas 30 páginas), mas o Posfácio ajuda bastante a dar uma aliviada na tensão do findar. Achei bem interessante conhecer um pouco da motivação para a criação dos contos. E que contos...
comentários(0)comente



Nath 18/10/2019

É quando falhamos, ou nos afastamos deliberadamente do desafio, que o inferno se faz.
"Tudo bem, acho que ficamos aqui embaixo na escuridão por muito tempo! Há todo um outro mundo lá em cima. Pegue minha mão, fiel leitor, e ficarei feliz em leva-lo de volta a luz do sol. Estou feliz em ir para lá, porque acredito que a maioria das pessoas é essencialmente boa. Sei que eu sou. É quanto a você que eu não tenho tanta certeza..." – Stephen King no Posfácio de Escuridão Total Sem Estrelas.

AAAAAAAAAAAA Como foi bom voltar á luz do sol! Foram muitos os momentos de Escuridão Total durante toda essa leitura e sinto como se eu finalmente chegasse ao fim de uma longa jornada no lado mais sombrio e tenebroso da psique humana.

Essa foi uma experiência quase sensorial, e em alguns momentos eu quase não consegui continuar a leitura tamanho o breu nas entrelinhas de todos os quatro contos. Mas eu continuei firme, pois confiei que no final dessa escura jornada o King traria um pouco de luz e ele trouxe, no último conto "Um Bom Casamento"! E que conto!! Essa última história foi digna de um verdadeiro plot twist, pois me arrebatou de uma forma que me deixou nocauteada por horas após a leitura.

Até então o perturbador "O Gigante do Volante" foi o meu conto favorito, mas "Um Bom Casamento" ganhou disparado como o melhor desse livro. Que história!! Nocauteada de jeito no último segundo do livro.

Em "Um Bom Casamento", como já diz o título, trata sobre um casamento de 27 anos, Um bom Casamento, um casamento de sucesso, pelo menos aparentemente... Nada poderia dar errado nesse casamento "perfeito" com boa casa, bons filhos e bons negócios; pelo menos era isso o que Darcy pensava, a esposa, até encontrar uma caixa com um conteúdo bastante perturbador escondida nas coisas do marido...

Na verdade, esse conto trata sobre a psicopatia. Um distúrbio mental patológico que é mais comum do que se imagina. Há muitos psicopatas na sociedade que não chegam nem a ser diagnosticados e há vários níveis de psicopatia também, de leve a extremamente grave, como é o caso dos famosos serial killers.

E tudo indicava que o conteúdo da caixa escondida nas coisas do marido da Darcy, escondia uma vida dupla secreta cheia de casos tenebrosos.. E o que a Darcy fez á partir daí foi simplesmente inacreditável... Um conto que eu recomendo muitíssimo para quem curte uma boa história de serial killer!

No Posfácio do livro o King relatou que teve a ideia de escrever esse conto á partir de um caso real de um famoso assassino em série americano: Dannis Rader, mais conhecido como o famoso assassino em série BTK, que estuprou e assassinou dez mulheres e crianças ao longo de dezesseis anos. Paula Rader foi a esposa desse monstro durante trinta e quatro anos, sem jamais ter desconfiado dos crimes do marido. Entretanto, muitas pessoas que a conheciam se recusaram a acreditar que ela não sabia da outra faceta monstruosa do marido. Stephen King, no entanto, acreditou na esposa e decidiu escrever esse conto.

Uma curiosidade é que esse serial killer BTK, esteve bastante em voga na última temporada da maravilhosa série da Netflix, Mindhunter. E recentemente a editora Darkside publicou um livro sobre os casos tenebrosos que ele praticou, intitulado: BTK, A máscara da Maldade. Fiquei bastante curiosa para ler esse livro.

Por fim, eu não poderia deixar de mencionar, o quão sensacional no conto foram as várias passagens brincando com a ideia do espelho ser um portal entre o mundo real e o mundo sombrio. Poucos de nós conhecemos o outro verdadeiramente, muitos de nós vislumbramos apenas o reflexo da outra pessoa.. todos vivemos atrás de espelhos..

Um livro de contos simplesmente sensacional! Todos os quatro contos foram maravilhosamente bem trabalhados dentro da temática Escura do King, e me marcaram cada um á sua maneira. Imperdível!

Meus contos/novelas favoritos:

1 – Um Bom Casamento (Favorito. Pontinho de luz na Escuridão)

2 – O Gigante do Volante (Cruelmente perturbador)

3 – 1922 (Lei do retorno)

4 – Extensão Justa (Sobre inveja. Poderia ser um pouco mais longo)
Sig 18/10/2019minha estante
Tem um filme baseado no conto Um Bom Casamento, muito bom também.


Nath 18/10/2019minha estante
Não sabia desse filme. Procurarei depois para assistir. :)


Sig 18/10/2019minha estante
Assista, depois me fala se o filme é tão bom quanto o conto, só vi o filme, não li ainda o Escuridão Total Sem Estrelas.


Nath 18/10/2019minha estante
Falo sim. Apesar de achar difícil superar o conto.. E não deixe de ler Escuridão Total, todos os contos são maravilhosos. Será difícil outro livro de contos do King superar esse.


Sig 18/10/2019minha estante
Sempre ouço falar que esse é o melhor livro de contos dele, vou ler sim, apesar de ter comprado ele no ano passado (eu acho).


Eduardo 21/10/2019minha estante
Eita, Nath! Confesso que me atiçou ainda mais essa resenha hahaha. Parabéns! Maravilhosa! Creio que começo a ler ele ainda essa semana :)


Nath 21/10/2019minha estante
Muito obrigada, Edu. Vc é um querido. :D Que bom q vc lerá o Escuridão Total, acompanharei o seu histórico para ver se a sua opinião dos contos será parecida com a minha kkkkk E uma dica, fique atento na sua leitura, há referências (easter eggs) diretas a It em um dos contos desse livro


Eduardo 23/10/2019minha estante
Confesso que tô bem curioso, Nath kkkk. Já vou começar a ler com a atenção bastante apurada haha


Nath 24/10/2019minha estante
ahahah Boa leitura, Edu. E bom estômago, vc vai precisar ahahah ;D


Eduardo 24/10/2019minha estante
Hahaha comprando meu sal de frutas. Obrigado, Nath! Boas leituras pra você também :D




Alyne 07/12/2015

Contos sobre o lado sombrio do ser humano
Escuridão Total Sem Estrelas. 4 contos instigantes, sombrios e sobre a natureza humana.
King escreve sobre como o ser humano reage as emoções que lhe são impostas: medo, abuso, raiva, egoísmo.... sentimentos que todo mundo esconde no íntimo, pois nem todo mundo está disposto a encarar a si mesmo.
Ganhador dos prêmios Bram Stoker e British Fantasy. O último conto virou filme: A Good Marriege dirigido por Peter Askin.

Sinopse: Na ausência da luz, o mundo assume formas sombrias, distorcidas, tenebrosas. Em Escuridão total sem estrelas os crimes parecem inevitáveis; as punições, insuportáveis; as cumplicidades, misteriosas. Em 1922, o agricultor Wilfred e o filho, Hank, precisam decidir do que é mais fácil abrir mão: das terras da família ou da esposa e mãe. No conto Gigante do volante, após ser estuprada por um estranho e deixada à beira da morte, Tess, uma autora de livros de mistério, elabora uma vingança que vai deixá-la cara a cara com um lado desconhecido de si mesma. Já em Extensão justa, Dave Streeter tem um câncer terminal e faz um pacto com um estranho vendedor. Mas será que para salvar a própria vida vale a pena destruir a de outra pessoa? E, em Um bom casamento, uma caixa na garagem pode dizer mais a Darcy Anderson sobre seu marido do que os vinte anos que eles passaram juntos. Os personagens dos quatro contos de Stephen King passam por momentos de escuridão total, quando não existe nada — bom senso, piedade, justiça ou estrelas — para guiá-los. Suas histórias representam o modo como lidamos com o mundo e como o mundo lida conosco. São narrativas fortes e, cada uma a seu modo, profundamente chocantes.
comentários(0)comente



Milla 05/02/2018

Ótimo livro !!
Foi meu primeiro livro de contos e eu gostei bastante, o segundo conto foi o que mais me agradou, e sinceramente, acho que o terceiro não deveria nem estar no livro, não gostei dele e muito menos de como ele termina, mas acaba que os outros três contos recompensam, são muito bons e eu curti bastante !
comentários(0)comente



Bonaldi 05/06/2018

A gente não espera menos de Stephen King,ele consegue envolver a gente em cada um dos contos e confesso que a escrita dele é um pouco difícil e massante as vezes (se você é iniciante na leitura nao opte por esse livro) vale muito a pena pela história bem detalhada.
Não sou de ler terror,mas como o King apresenta o terror é surpreendente. Bem detalhado,que deixa a nossa imaginação voar e depois tem um desfecho muito surpreendente.
comentários(0)comente



Alberto 09/04/2018

SENSACIONAL!!!
Não esperava ler o que li!
As premiações que recebeu faz jus ao livro.

Convenhamos, o SK segue uma formula de embromação (vulgo encheção de linguiça) em seus livros, o qual um livro dele de 400 páginas poderia ter menos 150 páginas que não fariam diferença alguma ao enredo da estória.

Mas com Escuridão Total Sem Estrelas, com textos abordados em forma de contos, o SK conseguiu ser direto ao ponto, sem perder tempo com coisas desnecessarias!
Seria ate ousado em dizer que o SK seria melhor um contador de contos -_- rs

Todos os 4 contos me prenderam absurdamente, apenas o Um Bom Casamento achei cansativo ate ter a revelação, mas é excelente da mesma forma.

9,5/10
comentários(0)comente



almirgon 26/06/2015

Quando o mundo fica escuro, e nem as estrelas conseguem ilumina-lo..
Escuridão total sem estrelas apresenta um estudo da mente e do comportamento humano sobre diversas situações, que possuem um fato em comum, o desejo de vingança.
Nele o mestre do terror faz uma analise de diferentes famílias com diferentes padrões de vida, nos seus 4 contos que compõe a obra.

O primeiro intitulado 1922 , retrata a historia do agricultor Wilfred e seu filho Hank que não querem abrir mão da fazenda da sua mãe(Alerte) para irem viver com ela na cidade grande, Wilfred irá persuadir ao máximo o seu filho para ficar ao seu lado e terá que tomar uma difícil decisão para poder continuar na vida do campo.

Em o Gigante do Volante, primeiro conto adaptado para a TV com o nome de Big Driver em 2014, uma famosa escritora de livros chamada Tess vai dar uma palestra em uma cidade vizinha, mas ao voltar para casa pega um atalho que irá mudar totalmente a sua vida.

O menor conto do livro intitulado Extensão Justa, apresenta ao leitor, Dave Streeter que está com um câncer terminal e no caminho de casa encontra um homem vendendo extensões, curioso Dave faz perguntas sobre o produto que o gracioso homem vende e acaba descobrindo que ele vende extensões de carro, amor e até de vida, mas para consegui-la Dave terá que fazer um pacto com o vendedor, aonde surge a pergunta, será que para salvar a própria vida vale a pena destruir a de outra pessoa?

Ultimo conto da coletânea é intitulado Um Bom Casamento, segundo conto adaptado para o cinema com o nome de A Good Marriage em 2014, uma caixa na garagem da casa de Darcy irá dizer a ela mais sobre o seu marido do que os 27 anos que passarão juntos.

Escuridão Total sem estrelas entrou facilmente para o hall dos meus livros favoritos, a analise psicológica do ser humano em diversas situações aonde a luz que há dentro de si deixa de existir faz encarar um fato de que assassinos ás vezes ajudam velhinhas a atravessarem a rua.
comentários(0)comente



Kath 19/12/2018

A escuridão da mente humana
1922

Como 2018, para mim, foi praticamente um grande capítulo de horror na minha vida, me senti dentro de um filme trash, então, nada mais justo que terminá-lo com um livro de terror que ilustra bem o pesadelo que estou vivendo e o que me aguarda a partir de 2019 com essa nova "presidência" diabólica do nosso idiota do ano.

Provável que eu não termine esse livro esse ano ainda, não sei, mas conforme for lendo os contos vou resenhando aqui, até porque eles não são nem um pouco pequenos. É quase como pequenos livros compilados em um livro só.

Minha atenção para esse livro aconteceu por causa do primeiro conto, 1922, cujo trailer vi por acaso. A coisa é que eu queria saber se ele era violento demais para que pudesse assistir depois então, descobri que o filme era baseado num conto desse livro e já fui atrás logo pra ver como era. Depois de ler Cujo eu já tinha uma ideia da escrita crua do King então lia sempre sem comer (sábia decisão).

Em 1922, Wilfred James matou sua esposa. E se você pensa que isso é um spoiler vou te dizer que ele mesmo afirma isso nas primeiras linhas do conto logo de cara. Nessa época, ele vivia com Artlete, sua esposa, e o filho do casal, Henry que era apaixonado pela filha do fazendeiro vizinho. Arlete havia herdado cem acres de terra fértil e queria vendê-las para uma empresa que lidava com matadouros de porcos, Wilf, claro, era contra. Ele queria ficar com as terras e plantar nelas para obter mais lucros, odiava a cidade mais que qualquer outra coisa e tampouco queria que seu filho crescesse naquele "lugar para idiotas" como chamava a cidade.

Assim, ele decide fazer a cabeça do filho Henry de 14 anos para, juntos, assassinarem Arlete. Lógico que o garoto reluta no começo dizendo que aquilo era errado e que ela era mãe dele, assim, Wilf continua atiçando o garoto contra a mãe e a ideia de viver na cidade até que, certa noite, após ele embebedar Arlete e ela acabar batendo em Henry após dizer algumas coisas, o garoto aceita participar do crime com o pai. Quando a mulher está desacordada por ter bebido demais, Wilf pega uma faca na cozinha e, após cobrir o rosto da esposa, corta a garganta dela. Como a ação provoca mais barulho do que o esperado, o garoto acaba passando mal e, nas tentativas nervosas de fazer a esposa parar, Wilf tenta cortá-la de novo, mas acerta tudo, menos o pescoço.
Para ler a resenha completa de 1922 acesse o link: https://myrefuge-katharynny.blogspot.com/2018/12/livro-escuridao-total-e-sem-estrelas.html

Gigante do Volante

Esse conto, ainda mais que o anterior, me deixou realmente uma péssima sensação física e psicológica. Enquanto lia ficava sempre me remetendo ao filme I'll spit on your grave, mesmo sem nunca tê-lo assistido. O conto acompanha Tessa Jean, uma jovem escritora de livros policial ao estilo Miss Marple. Uma mulher com uma vida pacata que só se preocupa com seu gato e seu futuro na velhice solitária que lhe espera. Isso até ela receber um convite para palestra em Chicopee, uma cidade mais ou menos próxima de onde mora. Mesmo tendo uma palestra já marcada para breve, como o valor oferecido é muito bom, ela acaba aceitando e é quando seu pesadelo se inicia.

Tessa não podia imaginar que seu dia tão agradável teria um fim tão trágico. Após terminar sua sessão de autógrafos, a bibliotecária insistira que ela pegasse um atalho para casa, uma vez que a estrada principal era mais longa e com um tráfego maior. A ideia de chegar em casa mais cedo e poder desfrutar da companhia do seu bichano era tentadora, de modo que Tessa acaba aceitando sem imaginar que estava prestes a cair em uma armadilha. Em determinado ponto da estrada, seu pneu fura graças a um monte de entulho na estrada. Sem saída, ela acaba parada ao lado da estrada com um estepe que não sabe trocar e um celular sem área, o carro de uma banda passa, mas não lhe presta qualquer ajuda de modo que ela fica sozinha ali tirando os entulhos da estrada até uma picape, com um homem gigante, que lhe oferece assistente.

De início, como era lógico, Tessa fica um pouco apreensiva, mas o sujeito se mostra muito cordial. Até ela descobrir vários entulhos na parte de trás do carro idênticos aos espalhados na estrada que furaram seu pneu. Contudo, a ficha cai tarde demais e, quando ela menos imagina, está com o rosto todo roxo e ensanguentado enquanto o brutamontes a violenta. Pensando que estava prestes a ser assassinada, Tessa finge de morta e, para seu horror, acorda em um bueiro com outros dois cadáveres que aparentemente estavam ali ha mais tempo. Nua, desnorteada por uma concussão e sentindo dores horríveis em todo o corpo, ela perambula por longo tempo até conseguir raciocinar o bastante para sair dali.

Após andar vários quilômetros escondendo-se ao menos sinal de um carro na estrada, ela finalmente chega a um posto de gasolina e liga para uma companhia de táis de luxo que já tinha seu número de viagens anteriores, por estar sem sua bolsa e seus brincos de diamante, roubados pelo estuprador, por sorte eles tinham seu número de cartão de crédito e poderiam descontar a corrida direto do banco. Segura em casa - mas não se sentindo assim de nenhum modo - Tessa se divide em uma investigação amadora e o medo de ser encontrada pelo monstro a força a andar com uma arma em cada cômodo da casa. Além disso, há a possibilidade cada vez mais descartada de denunciar o ocorrido à polícia, em especial pelo fato de que as mulheres no esgoto merecem ser vingadas e a próxima vítima evitada, mas a vergonha e o medo de virar notícia nos jornais a levam ao caminho da segunda alternativa: vingança.

Depois de investigar no melhor estilo das velhinhas do seu livro e debater sobre as consequências possíveis do seu ato, a escritora bola um plano minucioso que só inclui duas coisas: não ser pega e garantir que o gigante do volante nunca mais vai ser o pesadelo de nenhuma mulher.

Talvez por eu ser mulher, esse conto foi realmente difícil de ler. Eu levei dias para continuar e confesso que nem mesmo a vingança de Tessa fez eu me sentir um pouco melhor ao final, restou apenas um enjoo muito forte e uns três filmes para tirar aquilo da cabeça. Como já disse antes, a escrita de King é muito crua, de modo que as sensações dessa situação foram claramente vívidas e horríveis para a personagem e para quem a acompanha. Ele levantou, é claro, a questão da violência contra a mulher se posicionando de modo muito sutil a respeito o que achei muito pertinente porque é um tema ainda muito atual. A questão da vergonha, do descaso das autoridades que sempre culpam a vítima e nunca o agressor porque as mulheres "pedem" pra ser violentadas (o que não encaixa na minha cabeça como uma pessoa pode pensar semelhante absurdo!), além de muitos outros elementos infelizmente reais não apenas nos EUA, mas em todo o mundo. Ainda assim, foi um conto muito difícil de ler pra mim, ainda pior que seu anterior, 1922.

Extensão Justa

Nesse conto, acompanhamos Streeter, um homem de cinquenta anos que está com câncer terminal e desenganado pelos médicos. Em uma de seus últimos passeios de carro, ele acaba encontrando um homem estranho na estrada atrás do aeroporto e, curioso pela localização estranha, se aproxima da barraca improvisada para ver o que o estranho homem gorducho tem a oferecer, além de avisá-lo do seu péssimo negócio em uma área não movimentada. Mas é surpreendido por uma conversa agradável em que, com aquele estranho, consegue se abrir com mais facilidade que a própria esposa. Em poucos minutos, Streeter conta seus infortúnios e recebe uma interessante proposta, extender sua vida por mais alguns anos e sem o câncer que lhe corroi por dentro.

Claro que ele acreditou, inicialmente, que o estranho homem era um lunático, mas de repente trocar sua vida de infortúnios pela vida perfeita de seu "melhor amigo de infância" que cresceu basicamente às suas custas enquanto ele vivia uma sobrevivência sem frutos, parecia ser um ótimo negócio. Assim, sem pensar muito, Streeter admite seu ódio velado por Goodhugh durante todos aqueles anos, desde que ele lhe tomara Norma, sua então namorada, até sua bem sucedida vida com seus três filhos perfeitos enquanto Streeter permanecia na mediocridade.

Com o negócio fechado, um verdadeiro "acordo com o diabo", Streeter fica curado da sua doença terminal por um "milagre" enquanto a vida de Goodhugh começa a descer mais fundo pelo ralo, começando com a morte da sua esposa Norma vitimada por um câncer violento, até a decadência de um por um dos seus filhos até então exemplares. Enquanto Streeter usufrui de uma vida de cada vez mais prosperidade e, quanto mais ele cresce, mais o outro afunda, quanto mais ganha, mais o outro perde. Em nenhum momento ele demonstra qualquer empatia real pela péssima situação do amigo, chegando, inclusive, a um nível de falsidade que chocaria se não fosse tão comum na atualidade. Na cabeça dele, todo o infortúnio sofrido pelo outro era justo, tal qual seu proporcional sucesso, ele nunca pensou que o progresso de Goodhugh adveio do seu próprio trabalho e coragem de arriscar, mas de uma sorte que lhe fora tirada desde a época da escola.

Eu encarei esse conto de várias formas, na verdade. Pessoas que sobem pisando em outras sem a menor consideração ou respeito. Gente invejosa que faz de tudo para destruir o outro ou mesmo, de uma perspectiva mais social, o medo que os ricos tem do socialismo porque a equidade financeira tiraria deles seu status superior. Sendo bem sincera, esse conto não me surpreendeu muito, foi apenas um retrato da falsidade, inveja e errôneo senso de justiça humano narrado em uma situação na qual todos se combinam para representar um lixo presente em todas as sociedades do mundo.


Um Bom Casamento

Darcy não sabe como encarar o marido. Não depois do que encontrou na garagem.

Até então, ela vivia uma vida pacífica com um homem amoroso e fiel que ela achou conhecer, mas não importa quanto tempo passamos com uma pessoa, nós nunca a conhecemos de fato por inteiro, não é mesmo? Sim. E ela descobriu que dormiu ao lado de um estranho por mais de vinte anos.

Mas como ignorar 27 anos de um casamento sólido com dois lindos filhos bem encaminhados na vida? Mais ainda, como ignorar o fato de que seu marido pode ser um serial killer de mulheres? E como você nunca sequer desconfiou? Eram essas as perguntas na mente de Darcy que vira toda a sua vida virar de cabeça para baixo ao procurar por simples pilhas AA para o controle remoto da TV.

Seu marido, Bob, era um homem adorável, ativo na comunidade, participativo na vida dos filhos, inteligente e bom. Como ela poderia supor que ele seria, sob tudo aquilo, um monstro? Mas era impossível negar a prova bem diante dos seus olhos e assim somos levados a um conflito emocional e psicológico de uma mulher de meia idade que não sabe como reagir diante do fato de que seu marido pode ter matado 11 mulheres e uma criança.

Contudo, se por um lado a história envereda na loucura de Bob que acredita ter dupla personalidade, nós também somos levados pelos sombrios bosques de Darcy que vê-se num mundo através do espelho, uma realidade sombria que reflete a sua própria de maneira parcialmente distorcida e esse conto é mais para uma reflexão do que simboliza, de fato, o mal. Sobretudo o que é justiça e qual a maneira certa de lidar com ela? Em alguns pontos remete um pouco ao conto anterior, mas em um ponto de vista diferente. Embora não seja nem menos brutal e nem menos perturbador.

Conclusão
Como o próprio King assume no posfácio desse livro, Escuridão Total e Sem Estrelas é um mergulho no buraco negro da humanidade, de mentes perversas e de um mal que se esconde dentro de "homens de bem", muito pertinente, aliás, com a nossa realidade muito escrota e atual. Um livro escrito a nove ou dez anos atrás, mas que continua, infelizmente, tão atual, pelo simples fato de que as pessoas (ou a maioria delas pelo menos) parou de pensar e refletir sobre a realidade, parou de questionar as coisas para simplesmente aceitá-las. King tinha a intenção, e conseguiu, escrever um livro para incomodar. Pelo pouco que li dele em Cujo acho que é um traço seu. Ele escreve sobre pessoas de verdade fazendo maldades reais dentro de uma ficção que espelha a realidade. Quantos cadáveres de mulheres são enterrados todos os dias por conta de maridos egoístas ou "doentes"? Homens inescrupulosos e cruéis? Quantas vidas não são destruídas todos os dias pela inveja de pessoas que não se preocupam em passar por cima de outras para conseguir o que querem? É o mundo em que vivemos. Onde a arte interpreta e retrata a vida.

Se o livro me causou tanto mal estar é sinal que é bom (e que eu ainda sou humana, graças a Deus!), porque é esse o propósito e sabemos que a obra é boa quando o propósito é atingido. Lerei outras obras de King porque, além de ser um autor da realidade, ele sempre tem algo a nos ensinar sobre narrativa nos seus livros, principalmente no que diz respeito a criar personagens que se conectam conosco e nos levam a refletir sobre suas ações, despertam empatia em nós, nos levando a questionar o que faríamos em seu lugar. E esse conflito é muito bom. Será que matar para vingar outras pessoas é justo? Será que crescer sobre o ódio que sinto por alguém que confia quase cegamente em mim é certo? Os fins, justificam os meios? São as perguntas que mais me fiz enquanto lia esse livro e não me atrevo a recomendá-lo para quem não gosta de leituras perturbadoras ou quem não tem um psicológico "firme" e um emocional estável.
comentários(0)comente



Guynaciria 15/10/2019

Nesse livro Stephen King nos brinda com 4 de seus melhores contos, alguns deles já adaptados para o cinema.

Em 1922, temos um pai Wilfred, e o filho Hank, que decidem cometer um crime inominável pelos motivos mais banais, só que ambos terão que lidar com as terríveis consequências do que fizeram, mostrando que de fato colhemos o que plantamos.

Já em gigante ao volante, uma escritora de meia idade é convidada a dar uma palestra sobre o seu livro em uma cidadezinha afastada. O que ela nunca poderia imaginar é que por traz do convite tinha uma intensão sombria que iria alterar sua forma de ver o mundo e de se perceber enquanto mulher detentora do próprio destino.

Já em Extensão Justa, podemos observar como uma pessoa comum pode utilizar-se de meios escusos/ sobrenaturais para livrar-se de um mal que iria recair sobre ela, jogando esse encargo para um terceiro que nada tem a ver com a história, sem que nem mesmo assim se sinta culpado pelo caos que provocará na vida do próximo.

Por fim temos Um Bom Casamento, onde uma mulher descobre que seu marido, pai de seus filhos, o homem que imaginava conhecer e com quem conviveu mais de 20 anos de sua vida, é na verdade um psicopata sanguinário que não mede esforços para realizar suas fantasias tenebrosas. 

Como falei no inicio, esse é um dos melhores livros do King, e eu espero sinceramente que vocês venham a conhecer essa obra.
comentários(0)comente



Erikinha 21/05/2019

Perturbador
Então eu finalmente li esse super LIVRO

Que contos geniais que fazem jus a qualidade do King
Ele nós leva a uma viagem que ultrapassa a ganância, vingança e a mente perversa do ser humano.

1922 é sensacional, mas o Gigante do volante é Um bom casamento são fora de serie ao meu ver.
Eles tem um gingado que prende do início ao fim, é são capazes de nos deixar perturbador e pensativos.
São dois temas que me laçaram totalmente.
Extensão justa é no mínimo perturbador.
comentários(0)comente



219 encontrados | exibindo 46 a 61
4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 |