O Palácio da Meia-noite

O Palácio da Meia-noite Zafón




Resenhas - O Palácio da Meia-Noite


157 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Camila Taís 12/09/2021

Chowbar Society
Como todos os livros do autor, a narrativa é cercada de mistérios. O livro conta a história de Ben e Sheere, irmãos gêmeos e órgãos, cujos caminhos se intercalar quando complementam 16 anos de idade. Além, há outros personagens envolvidos na trama, compondo o grupo Chowbar Society. A partir daí, todos buscam desvendar o passado dos pais de Ben e Sheere. Resumindo: a obra fala sobre amizade, fantasmas e coragem.
comentários(0)comente



Ane 05/09/2021

A história narrada por Ian se passa na Índia, mais especificamente, em Calcutá, no ano de 1932.
Através dos fatos descritos pelo narrador, os personagens principais (Ben e Sheere) e secundários: Aryami, Seth, Isobel, Michael, Siraj e Roshan, entre outros, como os personagens-lugares O Palácio da meia-noite e Jheeter's Gate , tornam-se familiares ao leitor, que embarca num misto de suspense, mistérios e aventura.
Os gêmeos Ben e Sheere ssão separados ao nascer, ainda em 1916, mas desde então são acompanhados por um espírito de vingança que enfim se materializa quando eles completam 16 e são intensamente perseguidos, sofrendo riscos altíssimos que incluem as pessoas que lhes são próximas.
É nesse contexto que o leitor fica preso na busca por um final que parece inevitavelmente perigoso e trágico.
Mas os fatos finais surpreendem e fazem valer a pena a leitura de cada página.
comentários(0)comente



Luiz 01/09/2021

Uma aventura marcante e intensa
E chegamos ao meu livro preferido da Trilogia da Névoa!
Um grupo de jovens órfãos se une para formar um clube secreto, a Chowbar Society, a fim de ter um passatempo divertido e diferente na cidade de Calcutá, Índia. Eles prometeram se ajudar e proteger. Essa promessa é colocada à prova durante os terríveis acontecimentos de maio de 1932.
Falar que a escrita de Zafón é fluida e envolvente seria chover no molhado. Então vamos pular para o que realmente me chamou mais a atenção: a dinâmica entre os órfãos. Adoro livros em que grupos de amigos são o destaque (Harry Potter faz isso com excelência), e aqui cada personagem tem seu peso, mesmo que com participações menores de alguns. A partir de certo momento da trama, o foco maior passa a ser em Ben e Sheere, porém sempre de olho nos outros integrantes da Chowbar.
O vilão é muito ameaçador, e sádico. Realmente fiquei apreensivo quando as coisas começaram a desandar pro lado dos mocinhos.
Misturando elementos sobrenaturais com aventuras juvenis, O Palácio da Meia-Noite tem aquele sabor agridoce que caracteriza a maior parte dos livros da Trilogia da Névoa. Tragédia e felicidade andam de mãos dadas aqui.
Recomendado? Sim ou com certeza?!
comentários(0)comente



cat 27/08/2021

Uma obra de arte
A verdade é que, quando comecei o livro, não fazia ideia daquilo que encontraria pela frente, sem ser o mero pressentimento de se tratar de um mistério profundo? Nunca tinha lido nenhuma obra do autor, e muito menos estava à espera duma leitura como esta, complexa e viciante até ao fim, daquelas que vale cada minuto!
Mas surpreendi-me, e digo sem medos nenhuns que foi um dos melhores livros que já li até ao momento.
Em cada detalhe, está escondido um pormenor que nos faz compreender cada vez melhor a história, e a forma como foi escrita, alicia qualquer um a ler tamanha obra de arte o mais rápido possível! Apesar de se passar numa dimensão com aspetos sobrenaturais, o livro aborda temas atuais e faz-nos pensar o quão real a história de cada personagem é, retrata de uma forma estonteante cada uma e faz parecer que já as conhecemos desde sempre. É uma leitura e tanto, impossível não dar 5 estrelas! ??????????
comentários(0)comente



Ariadne.Esqueisaro 22/08/2021

Antes de amadurecer
Como diz a nota do autor ao início, é um livro juvenil. Feito para um público adolescente antes de Zafón definir seu estilo. A característica descritiva do autor está muuuito presente, chegando a incomodar. A história é bem fantasiosa mas não chega a ser ruim. Dá pra ler mas não é imperdível
comentários(0)comente



Mbkamille 20/08/2021

Sensacional
Dois irmãos separados ao nascer, perseguidos e jurados de morte por conta do passado de seu pai.
Ben é deixado em um orfanato onde cresce e encontra em seu grupo de amigos uma família, mas aos completar 16 anos seu passado sombrio começa a vir à tona após reencontrar a irmã, que passou a vida fugindo. Juntamente com seu grupo de amigos eles decidem investigar e por um fim nessa história que os persegue, só não imaginariam as revelações e perdas que isso traria.

A escrita é muito envolvente, com uma áurea sombria e de mistério. Vemos o amor que a amizade guarda e como o fim da juventude leva as melhores pessoas, só restando as boas lembranças e a saudade.
O livro é em parte narrado por um dos integrantes do grupo e melhor amigo do Ben, e outra em terceira pessoa acompanhando cada integrante durante a história.
É minha terceira leitura deste autor e só tenho me surpreendido mais a cada livro. Apesar de fugir um pouco das minhas leituras habituais (não tem romance ksksk) eu amei demais.
comentários(0)comente



Lara.Guimaraes 09/08/2021

História maravilhosa, assim como todas as outras, que já li, do Carlos aRuiz Zafon. Adoro a escrita dele e como nos prende ao livro...
comentários(0)comente



Nati Morgan 03/08/2021

Muito triste.
Não sei como ainda não me acostumei com toda a melancolia que os livros do Zafón trazem.
E também nem vou dizer que caiu algumas lágrimas aqui, né?
Os livros do Zafón traz aquela sensação de apenas sentir e de tirar algum aprendizado da história. Ainda estou sem palavras....
comentários(0)comente



Beto | @beto_anderson 25/07/2021

Gostei
A narrativa de Zafón é muito boa. A história é interessante, mas alguns caminhos tomados achei um tanto forçado. Achei a história anterior (Príncipe de Névoa) bem melhor. Mas gostei.

site: https://www.instagram.com/beto_anderson/
comentários(0)comente



Rosy 22/07/2021

Aiii Záfon
Segundo livro da série, não conta a história direta, mas é a mesma ambientação. Nos livros do Záfon a gente fica babando na escrita, na montagem dos personagens, nas descrições que te jogam totalmente naquele mundo. Eu sou apaixonada pelas histórias dele e com essa não foi diferente. Nesse livro vemos ainda mais que a amizade é algo precioso e extremamente importante na vida de todos. E esses amigos são super unidos, estão dispostos a tudo um pelo outro e vão até o fim para que tudo fique bem. Mas será q isso é suficiente? Leiam esse livro e descubram. Eu adorei. Mal passo esperar para terminar essa trilogia.
comentários(0)comente



Andressa.Cassiana 15/07/2021

Jornada
Que experiência incrível ler essa magnífica história sobre esses dois irmãos. Zafón, teve um espírito muito aventureiro ao escrever essa trama, e é sensacional como tudo foi conduzido na medida certa. Não vejo a hora de terminar essa trilogia. Obrigada Zafón!
comentários(0)comente



Rê Silva 10/07/2021

Muito bom ,mas muito triste !!!
Uma tragédia em Calcutá em 1916, após perder a filha e o genro Chandra Chatterghee um mistério arquiteto, Aryami Bosé toma a difícil decisão de separar os netos ,um casal de gêmeos .
Pensando na proteção deles entrega o neto Ben aos cuidados de um amigo e diretor do orfanato e ficando com a neta Sheere e as duas vivem como nômades por medo.
Após 16 anos , o passado volta amedrontar Aryami , que se vê obrigada a avisar o amigo diretor do orfanato que seu neto corre perigo.
Sheere acaba conhecendo o irmão Ben e seus amigos ,6 adolescentes que criaram a sociedade secreta Chowbar Society que se reúnem à meia- noite em um prédio em ruínas que deram o nome de O Palácio da Meia-Noite .
Um ser maligno vem aterrorizar eles , o Chowbar Society se reúnem para desvendar os mistérios envolvendo um trem que foi consumido pelo fogo e toda mística que envolve Calcutá.
Cheio de mistérios, aventuras, amizade, união e muito drama ,uma leitura que te prende e comove !!!
comentários(0)comente



Victor 09/07/2021

Um pouco estranho
Mesmo sabendo que era um livro com elementos sobrenaturais, eu estava esperando algo parecido com Marina, com personagens bem trabalhados
comentários(0)comente



Manu 29/06/2021

Mais uma excelente leitura infanto-juvenil que faço de Zafón. Este, em comparação com o primeiro da "trilogia" ("O príncipe da névoa"), me chamou especial atenção por esse grupo tão singular de órfãos que, no sentimento bem "um por todos e todos por um", unem-se de forma tão genuína, em um momento que só tinham uns aos outros. Gosto muito das conexões que Zafón faz, como ele expõe tantos sentimentos, aos poucos entregando tudo e deixando o leitor se conectar com cada um dos personagens. O desfecho, desde o epílogo, foi sensacional!
comentários(0)comente



KENIA 28/06/2021

Sua experiência pode ser diferente da minha .
Por já ter lido um livro do autor e amado, esperava que isso se repetisse nesse. Porém o livro logo se mostrou cansativo e o abandonei durante um longo período.
Resolvi retomar a leitura começando do zero, e mais uma vez passado o primeiro instante em que somos apresentados ao mistério do livro, a leitura logo fica enrolada e cansativa, fazendo a empolgação se perca e só seja recuperada bem mais adiante,para logo ser perdida novamente.
Algo q também me incomodou é o fato de certas coisas que deveriam ser de conhecimento dos protagonistas da história se tornarem claros só para o leitor.
Sem falar que não senti nenhum apego pelos personagens.
comentários(0)comente



157 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR