Fabíola

Fabíola Cardeal Wiseman...



Resenhas - Fabiola


2 encontrados | exibindo 1 a 2


cid 03/08/2009

A necessidade do martírio
O livro narra as últimas perseguições antes do cristianismo se tornar religião oficial, e fala sobre os que preferiram morrer a negar sua fé.São Sebastião tem a sua vida e martirios narrados. É um livro comovente que faz pensar em como devia ser fervoroso o cristianismo primitivo. Mas, também nos faz pensar, se um Deus que exigisse tanto dos seus seguidores, não seria também um senhor cruel .Quanto a mim tenho certeza, que como Galileu preferiria mentir a morrer na fogueira , ou entregue às feras no circo romano. Havia uma corrente do cristianismo primitivo que pensava que o importante era viver a doutrina, não entregando a vida mas, preservando-a pelo ideal. Acredito que eram os gnosticos. Acredito que muitos seguiram este caminho.
Lígia 16/09/2017minha estante
Cid, eu tenho uma visão diferente a respeito dos mártires, e até de Deus: Para mim, Ele NÃO EXIGE nada dos seus filhos, exceto amor e que sigam o caminho que Ele indicou; Ele não é um Deus "tirano, inclemente, instável, cruel". O Antigo Testamento fala de Deus como se ele fosse tudo isso: "tua ira se derramará sobre os ímpios", etc. No meu entender, essa linguagem que parece ferver de raiva, não passa de um recurso retórico dos antigos israelitas, para tornar as regras mais rígidas.
O fato da retórica do Antigo Testamento ser tão "indignada" não é prova de que Deus seja 'cruel' ou impiedoso: tanto é que Ele deu seu Filho Unigênito para que o mundo conhecesse sua palavra. E Jesus veio para "atualizar" os velhos mandamentos. E ensina que o amor ao próximo, a Deus, a piedade, a clemência e o perdão devem ser superiores a tudo, para que sigamos o caminho certo.
Os mártires eram pessoas de fé profunda -- até hoje existem pessoas assim. Sem eles, nós não teríamos o exemplo da fé que a tudo enfrenta e nada teme, uma fé corajosa.




2 encontrados | exibindo 1 a 2