Um grito de amor do centro do mundo

Um grito de amor do centro do mundo Kyoichi Katayama




Resenhas - Um grito de amor do centro do mundo


37 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3


Lima Neto 02/03/2011

muito bom livro. suave, sutil, delicado, como só a literatura oriental (japonesa principalmente) é capaz de produzir.
a história é muito simples e ouso até dizer que é "batida", mas que justamente por ser tão comum, por ser tão próxima de nós, sempre nos comove: a história de um amor, lindo, e que é tragicamente interrompido, e uma das pessoas se vê perdido, num mundo sem a pessoa amada. até aí, tudo bem, tudo muito comum, seria apenas mais um livro sobre o mesmo tema, com o mesmo enredo, início meio e fim. mas em "Um grito de amor do centro do mundo" o autor soube dar um toque de inocência e delicadeza que muitas vezes falta a esse tipo de história. ele soube conduzir a história de uma forma tal que o leitor não consegue larga-lo e ao mesmo tempo tem "pena" quando percebe que o livro está chegando ao fim.
livro muito bem escrito, escrito com sensibilidade tal que é impossível o leitor não se ver completamente envolvido por ela.
comentários(0)comente



Paula 13/02/2011

Romeu e Julieta moderno
Um grito de amor do centro do mundo é o primeiro livro do escritor japonês Kyoichi Katayama traduzido para o português. O livro é um dos mais lidos no Japão, com mais de 3,5 milhões de exemplares vendidos. Foi adaptado para o cinema e para uma série de TV, além de ter se tornado um mangá de sucesso no Japão.

Essa é uma história de amor adolescente, uma releitura de Romeu e Julieta, mas contada com a sutileza característica dos orientais. Acho que é típico dos escritores japoneses narrarem a história como se pintassem um quadro, sendo delicado nos detalhes, para por fim criar uma imagem poética, onde o silêncio sempre diz mais que as palavras. Por isso, não podemos esperar grandes "arroubos" nesse livro.

Um grito de amor do centro do mundo traz essa sutileza dos japoneses para contar uma história de amor sem final feliz, final esse que ficamos sabendo antes mesmo de conhecer a história de Aki e Sakutarô. A princípio achei que essa inversão de trazer o final para o início do livro quebraria um pouco da emoção de viver no decorrer das páginas essa história de amor, o que de fato não deixa de acontecer um pouco, mas acho que independente de qual seja o final, a gente nunca se cansa de ouvir histórias de amor.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Marcela Kühn 15/02/2011

Por que?
Para ser um grande livro de amor, alguém precisa morrer e sofrer?
Achei um livro forçado, daqueles bem bunda mole.
comentários(0)comente



Silvio 09/01/2012

Romance acima da média
Um grito de amor no centro do mundo é um romance adolescente acima da média por fugir totalmente dos roteiros batidos e das comédias românticas. Trata de forma sensível o primeiro amor de dois jovens que, bem ao gosto dos japoneses, é temperado pela tragédia. Talvez por isso a referência tão direta a Romeu e Julieta.

comentários(0)comente



Grazi 04/05/2012

Simplesmente perfeito! Antes de ler o livro eu já havia lido o mangá "Socrates in love", que relata a mesma história de uma forma bem resumida. Para quem gosta da literatura ocidental, onde na maioria das vezes o final é triste, esse livro é um prato cheio. Enfim, me emocionei bastante e recomendo a todos ^^
comentários(0)comente



Kleber 14/01/2014

Melodrama exagerado recheado de clichês
Esse livro de Kyoichi Katayama é um romance água com açúcar para adolescentes facilmente impressionáveis, um "dorama" em forma de livro, sentimentaloide ao extremo, fenômeno literário Deus sabe como! Clichês e mais clichês até cansar...

A propósito, um dos livros mais previsíveis que já li. A partir do ponto que você lê o fim da estória (que é o começo do livro), já dá para deduzir tudo que vai acontecer, e adivinhe só: acontece mesmo! E tenta emocionar com as situações as mais forçadas possíveis, aquela comoção à força que mais causa incômodo do que toca.

Não, não, a literatura japonesa é muito mais do que isso. Se colocar na balança, esse livro inteiro não vale nem as 10 primeiras páginas de Norwegian Wood do Murakami.
Ed 04/11/2016minha estante
Murakami é um mestre *--*




Livrada! 15/03/2011

Nada demais
Não é um livro desagradável de ler, mas é forçadasso, meloso, sem valor literário nenhum. Típica literatura de aeroporto, dessas que você lê só pra passar o tempo. O livro não vai te agregar nada, mas, se você gosta de filmes de romance em que uma das pessoas tem câncer e morre, esse livro é pra você.
Jen. 17/03/2011minha estante
acredito que o comentário não precisava ser tão ofensivo as pessoas que gostam de romance. :/


Kleber 14/01/2014minha estante
Jen, essa é a mesma coisa que dizer que comentários elogiosos demais são ofensivos a quem não gostou! Ninguém questiona elogios, só críticas, por quê? O livro é fraquíssimo mesmo.




Núbia Esther 20/05/2011

Com o título original de Sekai no chushin de ai wo sakebu, Um grito de amor do centro do mundo é o primeiro título do autor (que iniciou sua carreira literária em 1986) a ser traduzido e publicado no Brasil. O tema abordado no livro já foi utilizado à exaustão em tantas outras obras literárias e cinematográficas: uma história de amor que será interrompida bruscamente por uma tragédia, quem já leu Love Story ou Um Amor Para Recordar sabe do que estou falando. Então, quer dizer que é só mais um livro sobre isso e não traz nada de novidade? Não é bem assim, ainda que o enredo siga a velha fórmula explicitada acima, a beleza da história está em acompanhar o desenrolar da relação entre os personagens e as memórias do protagonista.

“Tudo aconteceu num intervalo de quatro meses; praticamente o de uma única estação do ano. Foi nesse curto espaço de tempo que uma garota desapareceu desse mundo. Se considerarmos que existem seis bilhões de habitantes, certamente sua perda é insignificante. Mas não estou com esses seis bilhões. Estou num lugar em que uma única morte extinguiu todos os meus sentimentos. Estou num lugar assim. E nesse lugar sou aquele que não vê, não ouve e não sente mais nada…”


Sakutarô e Aki conheceram-se na sexta série, quando por um acaso do destino vieram a cair na mesma sala. Inicialmente eram só amigos, mas essa amizade com o passar do tempo floresceu e descobriram-se apaixonados um pelo outro. Porém, o destino quis brincar com o amor desses dois. Aki descobre estar muito doente, Sakutarô tem que ser forte por ele e por ela. Forte para agüentar a iminente perda e forte para não deixar que Aki parta desse mundo em meio à infelicidade.

O livro cativa pela narrativa poética que Katayama conseguiu imprimir em sua obra, a passagem que citei acima é só uma de tantas outras passagens repletas de poesia, melancólicas, mas belas e sem cair na pieguice. O fato de a história ser desenvolvida à luz da cultura oriental, também garante um ar todo especial a obra, seja em relação ao envolvimento dos jovens protagonistas, os diálogos sobre metafísica de Aki e Sakutarô e deste com seu avô, além de alguns fatos sobre a cultura japonesa até mesmo com direito a várias referências à obras nipônicas no decorrer da história.

Katayama também preferiu não seguir uma linearidade temporal em sua narrativa. Mas, como a história nos é contada por Sakutarô e ela nada mais é do que suas lembranças, a linearidade não faz falta e até contribui para enfatizar a busca pela memória que se esvai e pelas lembranças que não são possíveis reviver. Recomendo para aqueles que não se sentem incomodados em ler histórias que transpiram sentimentos, ainda que sejam apenas os sentimentos de dois adolescentes.

[Blablabla Aleatório] - http://feanari.wordpress.com/2011/05/20/um-grito-de-amor-do-centro-do-mundo-kyoichi-katayama/
comentários(0)comente



Douglas 06/03/2013

Adorei inúmeras lições que o livro traz!!
Esse é o livro mais vendido na história do Japão, e é um dos melhores (senão o melhor) livro que já li na minha vida. Belo, simples e de fazer qualquer um chorar, Sekachu (como é conhecido no Japão) é uma daquelas histórias que você carrega para toda a vida. Em minha opinião é um livro obrigatório para quem gosta do gênero e da literatura japonesa.
comentários(0)comente



Catia.Belasco 14/03/2021

Não faço idéia de quanto tempo tenho esse livro. Anos, mais de uma década , talvez.
Foi a primeira vez que o li.
Relata um amor puro, genuíno e a tristeza da perda.
O que mais me comoveu , nem foi o relacionamento dos protagonistas, mas sim a relação do Sakutarô e o avô dele. Me fez lembrar do meu pai.
Bom livro.
comentários(0)comente



Andréia Sk 05/03/2011

Romance adolescente
Katayama descreve com muita sutileza um romance sem fronteiras ao tratar do que significa o amor, em qualquer idade, pois apesar da pouca idade dos personagens principais, o relacionamento de Sakutarô com seu avô vai revelando nuances que afetam os sentimentos mais íntimos de todos. Amor, vergonha, culpa, desejo... tudo se mistura e já não se sabe mais o que é certo e o que não é.
Pessoalmente o que mais chamou a atenção foram as interferências literárias citadas ao longo do romance e talvez quem não esteja acostumado com esse universo poderá não compreender algumas nuances.
Mas apesar disso, é uma obra de peso, pois tem uma leitura fácil e nos faz refletir sobre nossos próprios sentimentos.
comentários(0)comente



Thami 25/04/2011

Sim, é um bom livro.
A leitura é fácil e desde o inicio já se sabe o final tragico. É tipicamente um romance/drama japonês onde o final comove.
Pois é, oriental sabe fazer drama.

Mas confesso que sofri decepções. Tinha grandes expectativas para esse livro. Vi, já há algum tempo, o dorama que foi baseado nele e cheguei na conclusão que o dorama enfatiza mais os detalhas. E geralmente é o contrario, não?
Embora a história seja a mesma acho que o que me fez ficar comovida com o livro acabou sendo a lembrança da série.

Mesmo assim eu recomendo. Claro, não agrada todos os gostos, mas acho que vale a pena tentar.
Rodrigo 25/03/2014minha estante
Concordo, oriental sabe fazer drama. A diferença é que são dramas de extrema qualidade. Esse livro será minha próxima leitura. Estou tentando ler o máximo de livros da Ásia oriental traduzidos para PT-BR. Ótima resenha ;)




Micaela Borges 28/03/2011

É a história de um amor puro, singelo e marcado pela dor da perda.

Lendo ele senti a dor do sakuchan por perder seu grande amor e anos depois ele volta para a cidade natal é muito triste mesmo.

Por isso que nunca podemos deixar de fazer ou dizer alguma coisa para a pessoa que você ama pois talvez amanhã você pode não estar com ela.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



37 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3