Em Chamas

Em Chamas Suzanne Collins




Resenhas - Em Chamas


962 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Lucas 13/12/2011

Em Chamas, fazendo a trilogia pegar fogo!
Logo após terminar de ler o primeiro livro da trilogia, - Jogos Vorazes - pude perceber ser inundado imediatamente pela sensação de quem acabara de ler o primeiro livro de qual virá a se tornar melhor trilogia de toda minha vida.
Achando impossível um livro de silhueta humilde e edição juvenil chegar aos pés de estórias emocionantes e que marcaram e ainda marcam época - "O Senhor dos Anéis", "Harry Potter" - pude perceber que a Editora Rocco nos surpreendeu novamente.
Não conseguindo tirar a série de minha cabeça, dia após dia, não demorei para adquirir o segundo livro, "Em chamas".
Mas ao tempo em que começo a ler, logo comete-me um desespero: E se o segundo livro não for tão bom quanto o primeiro?
Afinal, só se passa neblina na mentes dos quais leram o primeiro livro da trama e imaginam como seria o segundo.
Falha minha. Em Chamas é mais do que qualquer outra coisa: SURPREENDENTE!
O que faz a tarefa de criar uma resenha para essa obra-prima dificílima, sabendo que cada detalhe pega fogo dentro do enredo.

O começo morno no livro, faz jus ao nome da primeira parte - A Fagulha - da qual começa exatamente no ponto em que Jogos Vorazes termina, tendo um começo muito menos aventureiro em relação ao mesmo ponto no livro anterior.
A primeira parte serve para situar-me novamente na estória, o que não demora muito, devido à escrita fervorosa e emocionante de Suzanne Collins que me abrange com facilidade.
Por um momento, sinto-me fraquejar: será que o novo livro traz um enredo tão diferente? Algo que fará The Hunger Games passar a ter o título de "Melhor-Trilogia-De-Toda-Minha-Vida" para "Maior-Decepção"?
Quando de repente, tão rápido quanto uma flecha de Katniss Everdeen, a segunda parte da magnífica obra me acerta.

"O Massacre", permite-nos conhecer mais sobre a vida dos que já estavam presentes em nossa leitura e os que ainda surgirão - obrigado por essa oportunidade Suzanne. Muitas coisas mudam na vida da "Garota Em Chamas" tendo agora que tomar decisões únicas e críticas sabendo que qualquer erro seu pode significar um grande desastre. Profundo e efervescente, a segunda parte transforma "A Fagulha" em uma fogueira aconchegante e anciã, incutido-nos magníficas sugestões do que ainda está por vir. Falha minha outra vez. Nada do que eu poderia imaginar se iguala ao verdadeiro choque do que está por vir.

Perplexidade total. Pude sentir enrijecer-me imediatamente. Ou meus olhos peças pregando-me estão, ou Collins conseguiu superar a si própria fornecendo-nos uma proposta muito conhecida para os quais já leram o primeiro livro da saga.
"O inimigo" mostra tudo aquilo que mais queremos ver desde que abrimos pela primeira vez a capa de Catching Fire - guardem bem minhas palavras - fazendo-nos animais doentes pelo próximo movimento de cada personagem ali presentes.
Quando estamos completamente excitados no ápice da estória, uma bomba explode - literalmente - e me vejo novamente dentro de algo tão maravilhosamente alucinante que cabe-me não acreditar que tudo isso se encontra em um livro só. Porém tudo isso tem um final - 413 páginas para ser mais exato -, e vejo então que a ultima página já se fora.

Acontece que me vejo sedento pelo terceiro e ultimo livro desse magnífico mundo fictício porém que é extremamente real em minha mente a ponto de querer mais e mais e mais.

Foi aí então que aquele meu pontinho de desespero sobre "Em Chamas" não conseguir ser tão bom quanto "Jogos Vorazes" se esvai completamente e tenho a certeza que além de igualmente bom, é melhor.
Cabe-me agora, mais do que qualquer coisa dar uma opinião literária que se possível, daria a todos nesse mundo: Leiam esta maravilhosa trilogia, pois acreditem, além do primeiro livro ser voraz, o segundo fica em chamas!
Foxx 13/12/2011minha estante
nossa, muito boa a crítica, fiquei até com vontade de ler... ah é eu já estava com vontade de ler, e agora fiquei com mais vontade ainda VALEU -2bj \o/


Sabrina 13/12/2011minha estante
Poxa, gostei bastante muito bom :3


Maurício 13/12/2011minha estante
Já me falaram bem da trilogia, agora fiquei com mais vontade ainda de ler.


Flá 07/01/2012minha estante
Muito boa a crítica, parabéns. Acabei de ler "Em chamas" e achei maravilhoso!!!


Vale 02/02/2012minha estante
Me sento exatamente como você ,mas graças a essa critica eu me animei próximo passo ler o livro.


Gabi 09/02/2012minha estante
Cara, sua resenha tá mt louca!!!!!!!!


Lidi 26/02/2012minha estante
Lucas, minha amiga Gabii(essa q comentou ai em baixo)ela vivia falando de Jogos Vorazes e eu sinceramente achava um saco, agora q eu li a sua resenha, cara, juro pra vc to Loouuca pra ler essa trilogia, vc realmente sabe usar as palavras a seu favor e incentivar os outros a ler, Parabéns gostei muito, e tbm acho q vc devia fazer um blog de resenhas suas, vc teria sucesso!Bjos, Lidi.;]


Nana Dottling 11/03/2012minha estante
Você disse tudo que eu penso,sem tirar nenhuma palavra e nem por mais nenhuma. Suzanne Collins está se superando e agora estou louca pra ler o 3º e último livro...


Mariane 18/03/2012minha estante
muito boa a resenha senti tudo isso e mais quando li, surpresas, medo e desafios tudo nesse livro . Um dos melhores


Thiago 25/03/2012minha estante
Lucas parabens pela resenha, perfeita, nota 11 pra vc (assim como a Katniss)rsrs.
Nao tiro uma palavra do q vc disse, foi a melhor serie que ja li.


Thiara 27/03/2012minha estante
Eu acabei de ler o primeiro livro e estou contando os dias para chegar o fim do mês, quero comprar o dois para poder ler logo, adorei sua resenha!


Amélia 28/03/2012minha estante
Estava com medo do segundo não ser tão bom quanto o primeiro, ainda bem que li sua resenha agora vou correndo comprar o segundo!
Parabéns pela resenha.


Esther 01/04/2012minha estante
Meu Deus do Céu.
Nossa vc escreve super bem, de verdade.
O pior é que o meu Em Chamas so chega dia 13 e vc me deixou com mais vontade ainda.
Nossa vc escreveu tanta coisa que pensei que ia ter um monte de spoilers mas eu n achei quase nada.
A melhor série de todas (isso porque eu so li o primeiro...)


Amanda 10/04/2012minha estante
Acho que vc tem um jeito Peeta de escrever a sua resenha! haha
Acabei de ler "Em Chamas", infelizmente tive a maldita ideia de emprestar "Esperança" para minha irmã que mora em outra cidade e só verei ela daqui a três semanas... E é ai que me vejo fazendo o download do livro pq não conseguirei esperar um dia para ler, quanto mais três semanas.. haha


Mateus 12/04/2012minha estante
Nossa...Tantos livros que quero ler, nem sei por onde começar, aí vejo essa trilogia, o que me leva a querer ler tudo isso, logo!...Muito bom a sua resenha!


Ricardo Andrade 15/04/2012minha estante
não gostei muito do primeiro, opnião proria, mas não é um livro ruim tambem. da para ler, muito melhor do que outras melações que não quero nem citar nome.


Tamy 16/04/2012minha estante
Simplesmente amei o primeiro (Jogos Vorazes) recomendo a todos, e estou amando o segundo (Em Chamas) *-*, não vejo a hora de começar o terceiro (A Esperança) comprei a trilogia, porque eu sabia que ia amar, e não ia aguentar esperar eu terminar de ler um para comprar o outro *-*

"magnífico mundo fictício porém que é extremamente real em minha mente a ponto de querer mais e mais e mais." tirou palavras da minha boca!!


Karem Braga 18/04/2012minha estante
Nossa amei a Resenha! E este livro é mesmo em Chamas!


Karina 30/04/2012minha estante
Nossa você escreve super bem! Estava em dúvida sobre comprar ou não "Em Chamas",mas depois de ter lido essa resenha, pude confirmar com certeza de preciso urgentemente adquirir essa joia que parece ser esse livro


Manú 07/06/2012minha estante
Ok, você disse exatamente tudo. TUDO MESMO. Fiquei sabendo dessa triologia por uma amiga, e contada ela me pareceu confusa... Então, deixei pra lá. Quando lançou o filme, me interessei e fui ver... Fiquei confusa por não entender ao certo porque os Jogos Vorazes existiam. Me restava então comprar o livro. E comprei logo a triologia toda de uma vez, e me encantei de primeira por cada personagem, por cada aventura ali passada.
Concordo com tudo que diz, e tive o mesmo desespero de acabar me decepcionando com o segundo livro. Fiquei com uma pulga atrás da orelha, e a mesma pergunta ficava me rondando.. " Impossível que consiga superar o primeiro" e E então.. CABUM, todo aquele medo some e da lugar a uma "sede" de ler cada vez mais e mais pra descobrir como terminará esse livro maravilhoso. Impossível criticar alguma coisa, é simplesmente viciante e não tem como não ler. Sem dúvidas, a melhor triologia de todas.


Mosby 01/07/2012minha estante
você disse tudo, literalmente tudo o que esse livro te faze pensar.

Uma trilogia simplesmente magnifica.


Julia 07/07/2012minha estante
Estou lendo 'Em Chamas' e realmente penso exatamento tudo isso que você escrevu. A propósito, você escreve super bem.


Mey 18/07/2012minha estante
Putz! Você escreve muito bem
Estava desanimada com "Em Chamas", mas depois de ler sua resenha fiquei maravilhada


Aly-El 24/07/2012minha estante
Essa Trilogia é otima, engoli os três livros em três dias... Maravilhosos... ainda estou com eles na cabeça, amo o Peeta!


Marisa 28/08/2012minha estante
Realmente a história é muito boa e envolvente. não consigo parar de ler um segundo, e nos tempos em que não posso lê-lo, não paro de pensar. É claro que para mim, apesar de incrível, essa trilogia nunca será igualada a Harry Potter (até porque HP é inigualável). Adorei o que você escreveu e concordo plenamente que Em Chamas é maravilhoso.


Deamonts 29/10/2012minha estante
Também pensei a mesma coisa coisa quando terminei de ler Jogos Vorazes, e digo com toda certeza, Em Chamas é um dos melhores livros que já li na minha vida. Vale muito a pena a leitura da trilogia inteira.


Nayara 14/12/2012minha estante
Nossa acabo de ler jogos vorazes, não fiquei muito animada para ler "em chamas" mas depois de ler essa sua resenha ,estou muito animada ,essa vai ser uma das melhores sequencias que eu já li ...como diz Stephenie Meyer sempre fico pensando depois de ler ...maravilhoso


Marianna 31/12/2012minha estante
Você tem toda razão.Os JOgos vorazes(The Hunger Games)mudou minha vida completamente.
Tinha visto o filme primeiro,achei incrivel,depois pedi meu pai de aniversario e ele acbou me dando toda a Trilogia.Achei incrivel todos eles,o melhor pra mim é o Em Chamas(Cathching Fire)Achei perfeito,e é lá que a gente consegue perceber melhor o quanto Katniss é apaixonada por Peeta, e não por Gale.
Eu só tenho que agradecer a Suzanne Collins por ter dado a todos nós essa maravilhosa Trilogia.
E nas palavras da minha mãe:"Meu Deus,como você tá viciada nisso!"hahaha


Petsabé 15/01/2013minha estante
Concordo! O livro é sensacional! Sem dúvida o melhor!


Ju 24/01/2013minha estante
Eu acho que esse é o melhor livro da trilogia. Love it


Letícia 14/02/2013minha estante
Adorei a resenha, é exatamente isso: o primeiro é voraz, o segundo é em chamas. O segundo me pareceu perfeito em tanto mas tantos sentidos... O primeiro introduz o mundo, prepara o terreno; o segundo taca fogo! Os personagens mexem mais com a gente, as cenas nos fazem surtar, informações novas, ação, revolta, desespero... ah, o livro é histérico! Ainda não li o 3, mas posso dizer que gosto mais de Em Chamas do que Jogos Vorazes, com certeza!


Silvia 11/11/2013minha estante
Sua resenha despertou ainda mais minha curiosidade *u*


Isabela 27/11/2013minha estante
Magníficas suas observações e resenha! Parabéns! Com certeza, Jogos Vorazes estão no rol de melhores sagas, ao lado das já citadas por você!




F. Pierantoni 24/04/2012

Em Chamas
Finalmente, o segundo livro da série Jogos Vorazes (Editora Rocco) aporta no Brasil. Foi uma espera árdua, mas enfim podemos acompanhar Katniss e companhia na sequência da história que, para mim, veio a ser a melhor série de ficção desde que Harry Potter conquistou nossos corações, uma década atrás. Como se sairá Em Chamas perante o reflexo impecável de Jogos Vorazes? Como manter o ritmo da série depois dos Jogos? É hora de descobrir.

O volume dois começa de onde parou o primeiro. Nas últimas páginas de Jogos Vorazes, Katniss percebera que o fim dos Jogos não significava sua segurança. Nem de longe. Sua batalha para sobreviver não está para terminar e as perspectivas não são nada boas. Seu desempenho no reality show gerou efeitos incalculáveis em Panem e há pressões por todos os lados. Rumores de uma rebelião começam a se espalhar como fogo e Katniss parece ser a única capaz de findá-los – ou aumentá-los.

A princípio, eu não sabia como esse livro funcionaria. Os Jogos foram parte tão importante do livro um que, com o término da edição envolvendo Katniss, tinha receio de que a trama fraquejasse sem sua espinha dorsal. Esse temor, porém, mostrou-se completamente infundado. Mais uma vez, a história flui de forma poderosa, ágil e profundamente emotiva. Os Jogos Vorazes se mostram ser apenas a ponta do iceberg e Katniss, mesmo fora da arena, é desejada morta pela Capital. Ao mesmo tempo, ela precisa cuidar não só de si mesma, mas também de seus entes queridos, lutando debilmente para filtrá-los de todos os perigos trazidos por sua posição de símbolo de uma rebelião.

Suzanne Collins segue genial e sua trama é tão imersiva quanto antes. As surpresas continuam a nos atingir como flechas e, uma delas, é absolutamente inesperada. Num primeiro instante, cheguei a sentir-me traído e enganado pela autora, mas, logo, essa mágoa se transformou em admiração. Ao fim da obra, depois de aturdir-me com seu impactante gancho final – que gancho! –, meu desejo persiste: espero, algum dia, ser capaz de escrever tão bem quanto Collins.

Tal qual Jogos Vorazes, Catching Fire é uma obra-prima. Minha identificação com o volume um ainda me faz preferi-lo, mas este segundo título é certamente do mesmo nível do primeiro. Ou seja: maravilhoso.

Sobre a edição brasileira, cabem algumas notas. A tradução de Jogos Vorazes teve muitos acertos – a permanência dos nomes oficiais dos personagens e a própria tradução do título, muito melhor do que o original (os portugueses ficaram com Os Jogos da Fome). Todavia, erros graves também aconteceram, como traduzir o pássaro fictício mockingjay por tordo (um pássaro que já existe!), e a tradução do apelido Katniss “Girl on Fire” para Katniss “A Garota Quente”.

Em Em Chamas, o abominável tordo continua, mas leitores apreciarão a aparição de Katniss “A Garota Em Chamas”, assim como alguns toques curiosos de brasilidade, como uma ocasião em que Katniss ganha pães de queijo como presente. Não obstante, observei pelo menos um caso de eufemização da violência, quando o tradutor traduziu o que seria “lutando para manter seus intestinos para dentro corpo” para, simplesmente, “apertando seus ferimentos”. Além disso, a sinopse na orelha do livro é péssima, pois consegue não só estragar o final do livro um (a sinopse americana infelizmente também o faz), mas também estragar o grande barato desse livro dois. Então, termino essa resenha implorando para aqueles prestes a comprar Em Chamas que o façam sem perder tempo, mas que não olhem para a sinopse até o virar da última página.

--

Gostou da resenha? Quem sabe você também goste do meu livro.
Descubra novos mundos em O Diário Rubro.

http://odiariorubro.com

site: Conheça o livro e leia os primeiros capítulos
Bruno 07/06/2011minha estante
Fico frustrado com essas traduções D':


daany eimori 09/10/2011minha estante
". Num primeiro instante, cheguei a sentir-me traído e enganado pela autora, mas, logo, essa mágoa se transformou em admiração." Exatamente o que eu senti! haha. E coitados dos portugueses lendo "O jogo da fome". x)


Priscila Nonato 24/04/2012minha estante
sua resenha esta muito boa e o livro "Em Chamas" vei muiiiiiiito bom, PERFEITOO essa autora é incrivel ja entrou na minha lista de favoritas, só espero naum ficar frustada com "A Esperança" (já que todos estão dizendo que foi um final ruim para uma ideia tão boa )!"Jogos da Fome" kkkk q rídiculo chega tira a vontade de ler da pessoa !


Juh 16/07/2012minha estante
Nossa, amei a resenha, transmitiu o que realmente sentimos sobre o livro quando lemos, enfim a história fez com que devorasse cada página do livro e fazer com que amasse mais o enredo!!!!


Letícia 14/02/2013minha estante
Me adoro por só ter lido a sinopse agora quando vim marcar lido e escrever minha resenha. Porque, realmente, a sinopse ACABA com o livro, conta uma coisa que acontece MUITO pra frente.


Patricia 14/11/2013minha estante
Ótima resenha. Parabéns!!! Estou APAIXONADA por essa trilogia. Se já havia gostado de Jogos Vorazes (o li em 10 dias), Em Chamas me levou ao delírio (o li em 4 dias). Suzanne Collins é MARAVILHOSA!!!




Andhromeda 11/03/2012

Impossível ler só uma vez
“-Quer dizer então que estamos todos nos dirigindo para o grande desconhecido, não é? – pergunta ele, olhando para mim.

-Não. –digo. –Não mais.

-Você analisou as fraquezas desse plano, não analisou queridinha? –pergunta ele. –Alguma ideia nova?

-Quero começar um levante.

Haymitch apenas ri.”

Até tentei ler outra coisa, mas depois de re-devorar Hunger Games não aguentei, e aqui está a resenha de Em Chamas, continuação de Jogos Vorazes. Outra re-releitura muito proveitosa.

A primeira coisa que me veio a cabeça depois de fechar Em Chamas foi: Collins, sua danada, você já tinha TUDO em mente antes de sequer começar a escrever JV, né? Porque chega a ser absurdo como tudo se encaixa com perfeição, sem nem chegar perto do clichê ou de ‘favas contadas’.

Para vocês terem uma ideia da diferença que isso faz, é só prestar atenção aos livros do Harry Potter...

“Deus, lá vem ela de novo com HP...”

Sério! Não estou comparando, ok? Mas essa linha de raciocínio leva ao que falei na resenha de JV a respeito de treinar sua leitura. Perceber as diferenças entre um autor que adiciona detalhes que se encaixam com o que aconteceu, e autores que deixam o gancho para um detalhe que só vai aparecer lá na frente. Não estou dizendo que um é certo e outro é errado, não!! Tudo depende da qualidade do autor... Às vezes um autor medíocre pode sair ‘inflando’ a estória de coisinhas de tal maneira que você vai pensar: “Oi?, vocês está tirando tudo isso da cartola, querido?” ou então deixar tantas indicações do que vai acontecer que a gente fica tipo “Não me diga.”

Mais uma vez, isso vai da qualidade do autor (uma mistura de talento e comprometimento) e é bacana nós percebermos isso durante a leitura, nos torna críticos conscientes. Leitores de verdade.

Assim como quem ficou tenso com o final de JV (in other words: TODO MUNDO) eu não sabia o que Collins pretendia, já que Katniss havia saído viva da Arena. Por um lado, tinha uma pálida ideia de que a coisa seria bem mais voltada para a política, afinal Peeta sobreviveu também. Afinal, dificilmente a Capital deixaria aquilo barato. Por outro, sabia que haveria ainda um terceiro livro, o que tornaria ainda mais delicado o equilíbrio de uma estória que nos prendesse tanto quanto sua predecessora.

Aí que entra a grande sacada. O Presidente Snow deixou muy claro que a culpa de qualquer insurgência contra a Capital é de Katniss, já que foi ela quem ofereceu as amoras venenosas à Peeta. Foi ela a Eva do paraíso de Panem.

Falando em Eva, um pequeno adendo: onde está a religião em Jogos Vorazes? Katniss fala 'Deus' algumas vezes mas, naquele futuro, a religião (qualquer que seja) não tem voz nem vulto. Bem, é só somar dois mais dois para perceber o que Collins quis dizer com isso.

Retomando: o Presidente Snow manda Kat se virar para convencer Panem de que o que foi feito foi por amor, não rebeldia. Ou seja, ela e Peeta vão ser para sempre o casal mais apaixonado do país. Casar e tudo o mais. Ou então a Capital vai matar todos aqueles que a garota ama, a começar por seu amigo Gale.

Não funciona. Um país à beira de um colapso não precisava de muito mais que uma fagulha para pegar fogo de vez, e a fagulha já tinha se espalhado com aquelas amoras. Os Distritos já se saturaram.

É ai que Katniss revolve jogar tudo pro alto e lutar contra a Capital, ela pretende comandar um levante.

Prevendo algo do tipo, Snow se adianta.

"Você subestima meu poder."

Como dá pra notar pela sinopse, Kat é forçada a lutar novamente. Num golpe muito astuto, o Presidente Snow decreta que – No aniversário de setenta e cinco anos, para que os rebeldes não se esqueçam de que até mesmo o mais forte dentre eles não pode superar o poder da Capital, o tributo masculino e o tributo feminino serão coletados a partir do rol de vitoriosos vivos.

Ou seja, em comemoração a 75ª edição dos Jogos, Katniss, a única vitoriosa viva do distrito 12 será obrigada a voltar para a arena. Viver tudo aquilo de novo. Com Peeta.

OMG
Do hit: É verdade, por que Katniss?! POR QUE VOCÊ É TRAUMATIZADA?!!

Well, apesar de adorar o que Collins fez, não consegui deixar de reparar na coisa que, muito provavelmente, foi o motivo por Em Chamas ser meu livro menos querido da trilogia: ele parece uma ponte entre o primeiro e o terceiro.

Tirando as tensões óbvias da trama, Em Chamas parece que está o tempo todo nos preparando para o que vem em seguida, não para o que está acontecendo ali, naquele momento. Entendem?

Estou me preparando emocionalmente para reler A Esperança, espero trazer uma impressão clara para vocês logo, logo.

desigusson.wordpress.com

P.S.: Caso você esteja se perguntando por que eu não disse nada a respeito do triangulo amoroso Kat - Peeta - Gale... é porque para mim sempre foi claro que a Katniss nunca esteve apaixonada por Gale. Ela só estava puta da vida por ser obrigada a casar com Peeta (por quem ela obviamente estava apaixonada, do jeito dela) e só enxergava Gale como a outra opção. Um jeito de não fazer o que estavam mandando.
Andreza 02/08/2013minha estante
Finalmente alguém que concorda que sim, a Katniss estava apaixonada pelo Peeta, do jeito dela, é claro.


Kelly 11/12/2013minha estante
Discordo completamente e para mim Em Chamas é o melhor livro da trilogia. Jogos Vorazes é a introdução da história e Esperança tem tanta informação que chega a confundir, parece que ela colocou todo num livro só apenas por ser "a moda" fazer trilogias.
Quanto aos sentimentos amorosos dela, não vi indícios de que ela seria apaixonada desde sempre por Peeta. E nem pro Gale também. Parece mais que ela não estava nem aí pra coisa nenhuma.


Camila 29/12/2013minha estante
Não acho que o mundo futurista criado não possua religião, se foi isso o que você quis dizer. Ou, no mínimo, não é ateu (tanto que a Katniss menciona Deus algumas vezes). Acho que a opção em não tocar no assunto "religião" foi feita pelo fato de esse assunto gerar tantas polêmicas, o que poderia afastar leitores; assim como a narrativa é rasa em sentimentos, para que não ficássemos chocados com a mente traumatizada de Katniss, o que também seria polêmico.




Daniela Tiemi 25/11/2011

Spoiler somente para quem não leu o primeiro livro "Jogos Vorazes"!
Quando terminei de ler o primeiro livro da trilogia chamado "Jogos Vorazes" (The Hunger Games) tive aquela sensação desesperadora de ansiedade pelo próximo livro, e agora que finalmente pude ler a sequência "Em chamas" (Catching Fire) esta mesma sensação me assoma. Preciso desesperadamente do próximo e último livro "Mockingjay". Além, é claro, da terrível depressão pós-livro que sempre surge quando finalizo a leitura de uma obra que gosto demais!
Estes sentimentos vem à tona porque há vários elementos na obra que eu adoro: a narrativa de Suzanne Collins é envolvente - é fácil adentrar a história e esquecer completamente do mundo -, dá o tom certo de dramaticidade a trama e faz dos conflitos psicólogicos de Katniss muito verossímeis. Eu adoro o enrendo que traz uma bagagem crítica à sociedade e adoro como podemos fazer um reflexão disto, afinal quem disse que não se pode mudar as regras do jogo? Quem disse que temos que simplesmente aceitar? Quem disse que não há outros caminhos e que não há esperança? Eu ainda não finalizei a trilogia, mas tenho esperanças por Panem. Em um gesto simples e corajoso, Katniss transforma Panem, dá esperança a população cansada, maltrada, ferida - de todas formas - dos distritos e cria, inconscientemente, uma rebelião. Sendo o seu tordo usado nos Jogos o símbolo desta revolução.
O desfecho do enrendo é eletrizante. Seu final é chocante e totalmente inesperado! E, como eu já disse, me deixou doente pela continuação!

"Só quero passar todos os minutos possíveis do resto da minha vida com você". Peeta (p. 258)

Por fim, há o romance. O triângulo amoroso que divide os leitores em "Team Peeta" e "Team Gale". Sou "Team Peeta" assumida! E devo dizer que ele, neste livro, está ainda mais e mais apaixonante. Eu realmente espero não me decepcionar no fim desta trilogia. E, se há algo que me irritou um pouco durante a leitura é a indecisão de Katniss. Também acreditei que conheceria melhor Gale, e não foi o que aconteceu.
Devo avisá-los que este segundo livro possui um ritmo diferente do primeiro. A obra que é dividida em três partes: "A fagulha", "O massacre" e "O inimigo", só terá ação após a terceira parte. Até lá, o ritmo é tanto morno quando comparado ao "Jogos Vorazes". Mas ainda assim, devorei o livro, não consegui largá-lo um minuto sequer, pois é simplesmente viciante! Esta trilogia faz parte dos meus favoritos e eu super recomendo!

" - Ninguém realmente precisa de mim - diz ele, e não há nenhuma autocomiseração na voz dele. (...) Percebo que apenas uma pessoa ficará irreversivelmente devastada pela morte de Peeta. Eu.
- Eu preciso - digo. - Eu preciso de você. (...) Então, antes que ele possa falar, paro os lábios dele com um beijo." (p. 373)
ysa 14/06/2011minha estante
Nossa! O que mais eu posso dizer depois de ler isso? Você disse tudo que eu queria e ainda mais. Até a "depressão pós leitura" me devastou quando terminei de ler "Em chamas". A esperança de ter uma Panem melhor para todos, é a chama que queima no coração de todos que leem esse livro, entao, quando eu acabei de ler e vi que ainda não estava nem perto do fim da história... :O

Confesso que no primeiro livro eu torcia por Gale e "Catnip". Mas, como vc disse, Peeta está apaixonante nesse livro.

Ps: ah, eu ganhei o livro de presente. tinha presente melhor? naaaooo . ^^


Gabi 27/08/2011minha estante
Também sou Team Peeta assumida! E, menina, não tinha pego estas frases MARAVILHOSAS que você colocou na sua resenha! Você praticamente falou por mim!
Parabéns pela linda resenha!


Anita 23/11/2011minha estante
Adoro essa frase que você sitou no final. rsrs Team Peeta tb...muito embora, o Gale fique tão ais ausente que fica dificil ser mais a favor dele né? rs


Pri 26/03/2012minha estante
Gente neste livro já ficou claro que a Katniss ama o Peeta o jeito que ela tá sempre tentando salvar a vida dele e nesta cena já diz tudo pois o beijo que ela deu nele não foi encenação, ela pode até a amar o Gale mais de uma forma fraternal, pois ela sempre pode contar com ele mais amar mesmo ela ama e sem dúvida o PEETAAAAAA!


Karem Braga 18/04/2012minha estante
Gostei muito da resenha! Você abordou todos os temas importantes para mim. E concordo com a Pri, fica evidente que ela ama o Peeta no Em chamas, porém ela ainda não sabe rs. Também tantas coisas com a qual ela tem que se preocupar que fica difícil saber...

Também amo as frase que você citou!







Amanda Azevedo 17/02/2012

Contém spoiler's do livro ANTERIOR: Jogos Vorazes

Posso dizer que é comum encontrar livros que nos surpreendem, livros que nos encantem, livros que nos conquistem... Mas é raro — e é isso que faz toda a graça existir — encontrar livros que nos tire o sono, que nos conquiste de um jeito que descrevendo pode parecer exagero, mas não é. Muito pelo contrário, estou sentada há horas tentando encontrar as palavras ideais para escrever essa resenha, e acabo de perceber que, eu poderia ficar dias tentando encontrar as tais palavras que ainda assim, não as encontraria. Descrever sentimentos... Tem coisa mais complicada?

Em Chamas, segundo título da trilogia Jogos Vorazes, me marcou tanto quanto o primeiro livro da série. É surreal a forma como nos apaixonamos pelos personagens; sofremos com eles, vibramos. Vivi momentos durante a leitura de agonia intensa, desespero! O coração bate mais forte, o medo toma conta, lágrimas escorrem... Ah! Como eu disse, é muito difícil descrever sentimentos.

O livro é um “vulcão” de acontecimentos, durante todo o tempo alguma coisa está acontecendo com os personagens — e consequentemente com você —. Sentimos de tudo; de alegria a tristeza, de aflição a alívio... Ódio mortal por alguns personagens e amor incondicional por outros. A ligação entre leitor-personagens é tão forte, que uma vontade freqüente que tive durante a leitura era entrar no livro e arriscar a minha pele por eles.

Fazendo um breve apanhando sobre o livro. Pra começar preciso dizer que a escolha do título — Em Chamas — não poderia ter sido melhor. Devido ao final dos Jogos — no primeiro livro — onde a Katniss salvou a vida do Peeta e ambos saíram vivos da arena. O modo como Katniss o protegeu da morte fez com que a Capital entendesse aquilo como um ato de rebelião e vários outros moradores dos distritos também viram ali, a chance de uma mudança. E como todos sabem, em governos autoritários, mudanças remetem a revoluções, daí a forte ligação com o título EM CHAMAS. Porque nos distritos, as coisas estavam literalmente, pegando fogo.

Nessa nova leva Katniss não tem que se preocupar somente com sua vida e a de Peeta, mas sim com a de todos que ela ama, afinal, as ameaças da Capital, são uma constante. Isso deixa o livro cheio de momentos de tensão! O que é ótimo, você devora páginas e mais páginas e não se dá conta disso. Não vou me estender muito aqui, eu não acabaria com a graça do livro. Mas tenham uma coisa em mente, LEIAM!

Em relação aos personagens, Katniss continua sendo fantástica, ela não faz o estilo mocinha. É decidida, corajosa... Única. O Peeta é e sempre será meu personagem favorito, ele é o grande responsável pela maioria das minhas lágrimas e pelos meus maiores suspiros. Gale não me agrada tanto quanto agrada a muitos outros fãs da série, pra mim ele é super apagado, não foi marcante nem no primeiro nem no segundo livro. Haymitch é um grosseirão cativante, impossível não gostar dele. Fora o Cinna, a Prim... E novos personagens que ganham vida e/ou mais importância. Como o Presidente Snow, por exemplo. Não vou me estender muito relatando sobre os personagens, vocês tem que conhecê-los pessoalmente. Leiam, é leitura boa garantida.

Acho até desnecessário dizer que RECOMENDO a série. A Suzanne Collins fez bonito em Jogos Vorazes e não decepcionou com o segundo volume, Em Chamas. Bom, é isso, vou ficando por aqui ansiosa e com o coração apertado aguardando o terceiro e último livro: A Esperança, que tem lançamento previsto para o mês que vem. Aguenta coração!


Amanda — Lendo & Comentando
Visite: lendoecomentando.blogspot.com
Izabella Viana 18/06/2012minha estante
Muito boa a sua resenha! E eu totalmente entendo quando você diz que é muito difícil descrever os sentimentos, porque nossa, esse livro nos proporciona muitos. Me sentia vivendo a história deles, a dor deles, as tristezas e as alegrias (que eram raras). Tinha horas, principalmente no final, que eu não conseguia parar de ler. Era uma leitura compulsiva, coração batendo forte, ansiosa demais para saber o que ia acontecer.

Também me apeguei muito ao Haymitch e ao Cinna. No primeiro livro a gente pensa que eles são simples personagens secundários, mas em Em Chamas percebemos o quanto eles são importantes e especiais.

Não vejo a hora de começar A Esperança =)


Amanda Azevedo 19/06/2012minha estante
Oi, Izabella!

Obrigada pelo comentário! E fico feliz que tenha gostado da resenha. :) Realmente o Haymitch e o Cinna são ótimos personagens. Me apeguei muito a eles também. Ainda não li A Esperança, estou ansiosa, nervosa e receosa! hehe, sei de algumas coisas que vão acontecer que não gostei muito. :( Mas espero gostar do final da trilogia.

Beijos e boas leituras! ^^


Isa - LidoLendo 21/11/2012minha estante
Oi Amandinha! É a Isa do LidoLendo! :o) Muito boa sua resenha, apesar de eu discordar em vários pontos, em relação ao livro, claro! Vou gravar o video da trilogia completa essa semana! No geral, gostei da série, mas mesmo assim, é bem complicado fazer resenhas sobre livros tão amados, mas vamos ver o que vai dar! Beijinho da ISA!




Arthur 23/05/2012

The Hunger Games é uma fagulha perto do que é Catching Fire
Assim como com The Hunger Games, a minha ansiedade para com Catching Fire se deu a partir dos comentários dos que já haviam lido o segundo livro da trilogia distópica criada por Suzanne Collins. Isso poderia ter causado a mesma sensação que eu tive quando li The Hunger Games, a de uma sutil decepção. Entretanto, todos os elogios que diziam que Catching Fire era ainda melhor do que o livro anterior se tornaram verdadeiros. E foi Catching Fire que colocou The Hunger Games entre as minhas dez séries favoritas.

Depois da improvável e inusitada vitória de Katniss Everdeen e Peeta Mellark nos úlimos Jogos Vorazes, algo parece ter mudado para sempre em Panem. Aqui e ali, distúrbios e agitações nos distritors dão sinais de que uma revolta é iminente. Katniss e Peeta, representantes do paupérrimo Distrito 12, não apenas venceram os Jogos, mas ridicularizaram o governo e conseguiram fazer todos – incluindo o próprio Peeta – acreditarem que são um casal apaixonado. A confusão na cabeça de Katniss não é menor do que a das ruas. Em meio ao turbilhão, ela pensa cada vez mais em seu melhor amigo, o jovem caçador Gale, mas é obrigada a fingir que o romance com Peeta é real. Já o governo parece especialmente preocupado com a influência que os dois adolecentes vitoriosos – transformados em verdadeiros ídolos nacionais – podem ter na população. Por isso, existem planos especiais para mantê-los sob controle, mesmo que isso signifique forçá-los a lutar novamente.

O melhor de Catching Fire é a sensação de tensão que o livro passa. Depois do que aconteceu no final de The Hunger Games, Katniss e Peeta são vistos com olhos suspeitos pelo governo de Panem. A garota percebe que o seu ato final em The Hunger Games teve uma repercussão impressionante nos distritos e preocupante para os poderosos de Panem. O próprio presidente do país, Coriolanus Snow, trata de deixar claro, antes que se inicie a Turnê da Vitória, que é melhor que ela apague a fagulha que acendeu nos distritos ou todos aqueles que lhe são próximos sofrerão gravemente. A entrada do presidente Snow na série, que agora aparece em pessoa, traz um ar mais sombrio (não tanto, calma) e político à trilogia. Sem dúvida, as cenas com Snow estão entre as mais fantásticas do livro!

A primeira parte do livro trata de mostrar a Turnê da Vitória, um evento em que o vencedor (no caso da 74ª edição dos Jogos Vorazes, os vencedores) visita os distritos e a Capital. Como em The Hunger Games, em Catching Fire Suzanne Collins deixa a sua crítica, desta vez acentuando na questão das disparidades entre a qualidade de vida nos distritos e na Capital, em sintonia com o que atualmente (na verdade, sempre) acontece no mundo: poucos têm tudo, muitos têm nada. Além disso, a autora continua sua crítica ao formato dos reality shows e à tirania de governos, como o que acontece em uma das cenas mais lindas e trágicas da série, quando Katniss e Peeta visitam o Distrito 11.

As duas partes seguintes são sobre o Massacre Quaternário, uma edição especial dos Jogos Vorazes que acontece a cada vinte e cinco anos e reúne não tributos, mas vencedores de edições passadas. Mas é claro que Katniss e Peeta são obrigados a voltar à arena e lutar mais uma vez por suas vidas. Confesso que achei essa volta aos Jogos muito repetitiva, uma enrolação. Mas ao menos ela serve para dar um gás ao livro - que tem um ritmo lento na primeira parte -, conhecer novos (e ótimos) personagens, como o Finnick, e consolidar a importânica de Katniss na rebelião contra a Capital que começa a tomar forma nos distritos.

O final de Catching Fire é ainda melhor do que o de The Hunger Games. Fiquei mais do que ansioso para ler o último livro da trilogia, Mockingjay, mas evitei esperar muito dele porque é o livro com as opiniões mais diversas e diferentes da série. De qualquer forma, como já disse, Catching Fire superou o primeiro livro e colocou a série na minha lista de favoritos.
comentários(0)comente



Pam Gonçalves 05/07/2011

Ainda consegue surpreender
www.garotait.com.br
________________________________
O final de Jogos Vorazes foi impactante e deixou muitas dúvidas. O que a Capital faria com o casal que os desafiou? Como poderia conter e fazer com que tudo isso não estimule ninguém a ir contra eles?

Katniss agora era uma campeã dos jogos, por isso se mudou para uma casa linda e confortável. Sua família não passa mais fome e não é mais obrigada a caçar e vender ilegalmente o que conseguia. Pela primeira vez poderia desfrutar do que é ser uma adolescente, mas para ela isso não era legal. Gale continua em sua vida árdua, ao contrário de Peeta, que nunca precisou passar necessidade e agora está melhor ainda.

Na frente das câmeras ela ainda precisa sustentar seu romance com Peeta, não é mais uma forma de sobrevivência nos Jogos, mas para a vida fora da arena. Não são os tributos que querem mata-la, é a Capital que está ameaçando-a.

Infelizmente uma coisa me decepcionou nesse livro: a Katniss. O início é muito cansativo por causa dela. Se no livro passado ela se lamentava por causa da sua vida dura no distrito, dessa vez ela se lamenta por sua vida boa. Sério, tá difícil de agradar essa garota, hein? Eu sei que ela se sente triste porque não quer viver tão bem enquanto várias pessoas que ela conhece passam necessidade, mas a ponto de reclamar de tudo?

E agarrei um ódio pelo Gale enorme! Garoto chato! Não deixa a Katniss em paz, e me fez lembrar de um outro chato chamado Jacob. E seus constantes e irritantes pedidos de provas de amor, e joguinhos insuportáveis para ter a Katniss para ele. Ele adora estragar tudo, tudo! Enquanto o Peeta é um sonho. Ele a deixa livre para escolher, mas ao mesmo tempo está lá dizendo que ele não é bobo. Que tudo tem um limite apesar de tudo e que não vai aceitar ser um brinquedinho.

Então voltamos a Katniss, ela perdeu grandes pontos de astúcia e inteligência. Aparentemente ela não consegue mais pensar sem dar um grande show de infantilidade. Tanto é que os próprios personagens sabem que ela nunca pode saber de todo o plano senão tem uma grande chance de estragar tudo.

Deixo aqui minhas homenagens ao Cinna, que conseguiu ser um dos destaques desse livro. Para quem não se lembra, ele é o estilista. E ele é incrível, e… não posso contar nada sem soltar um baita spoiler. E fiquei desapontada com a escolha do ator para a adaptação cinematográfica. Uma pena.

E mais uma vez a resenha ficou enorme. O livro vale muito a pena. Esquecendo a Katniss e seus chiliques desnecessários ele supera Jogos Vorazes.

Para aqueles que já leram e anseiam pelo terceiro e último livro da série, os rumores estão fortes para a publicação dele até o final do ano. Vamos torcer!
comentários(0)comente



nessacardoso 19/06/2011

Releitura de Jogos Vorazes?
Spoiler pra quem ainda não leu o primeiro volume da trilogia.

Eu sei que vão me negativar até a alma, mas fazer o que, né?
Então, o livro começa a todo vapor, realmente muito bom. Os sentimentos de Katniss e Peeta estão a flor da pele, graças a toda pressão da Capital após o famoso episódio das amoras envenenadas. O que para Katniss serviu como um meio de salvar sua vida e de seu suposto namorado, caiu com uma certa dose de acidez e revolta aos olhos da Capital. Nesse livro nos aprofundamos ainda mais no mundo mesquinho em que a soberania vive e toda crueldade e ambição mostrada nos faz pensar e lamentar por tanta injustiça.

Spoiler de Em Chamas.

Eu poderia imaginar tudo, tudo mesmo, menos o que aconteceu. Se o objetivo da Suzanne era nos surpreender, parabéns, ela conseguiu. Mandar os tributos novamente para arena? Será?
Falando de um modo geral, ficou bom, mas ao meu ver a Suzanne quis entrar na onda de Jogos Vorazes. 'Opa, deu certo? Então é nesse caminho que eu vou.' Ok, seguir a mesma linha de raciocínio até vai, porém por mais que os tributos não fossem os mesmos, por mais que o ambiente em que a história se desenvolveu seja completamente diferente, me senti relendo Jogos Vorazes. Arena, Capital, tributos, morte. Essa é a sequencia de Jogos Vorazes e infelizmente é a mesma de Em Chamas. Tantas coisas para explorar, e fomos parar na mesma praia? É um caso para se refletir.

Jogos Vorazes é um livro excelente, e por esse motivo eu esperava mais de Em Chamas. Anyway, a história ainda não acabou, estou muito ansiosa pelo próximo e último.
Camila 23/06/2011minha estante
Thank you! Finalmente alguém concorda comigo! Realmente, com tantas coisas novas para explorar, com revoluções acontecendo e tudo mais, não fez sentido a volta para a arena. Queria muito ter sabido o que estava acontecendo com os distritos, as revoltas e tals, e ao invés disso fiquei vendo Katniss na praia de novo. Não adianta, por mais que a autora tenha dado aquela explicação malfeita no final, ainda pareceu sem sentido essa volta à arena.


João Pedro 17/07/2011minha estante
Também achei que não foi muito legal mandar os vitoriosos para a arena. Muito embora eu tenha adorado o livro, achei que Suzanne Collins poderia sim ter explorado o outro lado da história.


Cíntia Mara 08/01/2012minha estante
COMENTÁRIO COM SPOILER

Eu achei o livro fantástico e, pra mim, o fato deles voltarem à arena só tornou as coisas mais empolgantes.

Mas, lendo seu comentário, sou obrigada a pensar que talvez fosse melhor se ela tivesse seguido por outro caminho. Acho que a narrativa em primeira pessoa atrapalhou um pouco nesse caso. Sem contar o fato de já sabermos que Katniss fica viva no final.

Ainda assim, o livro virou um favorito. Depois que chega a notícia do Massacre, não consegui fazer mais nada enquanto não terminei e depois ainda fiquei meio que em choque com tudo aquilo. Estou até com medo de ler A Esperança.


Debora_beyer 02/01/2014minha estante
Concordo! Pra falar a verdade, daí em diante eu achei que a história vai perdendo força até acabar bem meia boca.
Decepção... =(




Livia 17/09/2012

Em chamar, realmente pegando fogo"
Eu adorei em chamas, realmente só fiquei confusa no final, pois parecia de Collins tentou colocar tudo de uma vez só na história e eu acabei não entendendo muita coisa. Fora isso foi um livro fantástico
comentários(0)comente



Lu 29/06/2011

Eu demorei um tempão para poder pensar numa resenha adequada para o "Em Chamas", segundo volume da trilogia "Jogos Vorazes". Para mim, era difícil colocar em palavras a experiência de ler esse livro. Eu o adorei, mas não pelas razões que eu gostei de, por exemplo, Julieta.

Quero dizer, os três elementos básicos que eu procuro avaliar quando escrevo uma resenha: narrativa, personagens e história são ótimos. Mas eu nunca definiria a história como bonita ou comovente. O "Em Chamas" aprofunda a aspereza e crueldade dos "Jogos Vorazes". E é por isso que ele é muito acima da média de qq livro "parecido com Crepúsculo" do mercado.

Porque ele fala de morte, de fome, de miséria, de sobrevivência e esperança. Eu jamais definiria o "Em Chamas" como belo, mas eu acho que esse livro é especial por não subestimar o público a que ele se destina e por fazer as pessoas pensarem um pouco. E isso sem ser chato. A ação e o suspense seguem o leitor o tempo todo, numa narrativa hipnotizante.

Eu até parei de implicar com a Katniss. Não que ela tenha virado um doce de coco nesse segundo livro, mas pelo menos, não a xinguei nenhuma vez. O que já é um avanço.

Já disse que adoro o Peeta?

Um livro excelente, que me deixou ansiosíssima pra ler o próximo. Seria um lindo lançamento pro Natal, hein, ROCCO?#ficaadica.

Recomendo!

Joice (Jojo) 30/06/2011minha estante
Ah, Lu, também AMEI "Em Chamas"! Estou quicando pra saber quando a Rocco lançará o último.

E também ADOORO o Peeta!


Rose 11/07/2011minha estante
Acho que não vou conseguir add a minha lista de leituras deste ano, mas no px ano serei obrigada a ler este livro!


Rose 19/10/2011minha estante
Então, ia ler apenas no px ano, mas nõ resisti e encomendei ele, acho que na px semana já deve ta chegando aqui em casa. Parece que va sair um filme dele no px ano. :)




Marcos 01/05/2013

Muito Interessante
Não é atoa que muitas pessoas gostam de jogos vorazes. Confesso que no inicio nao me interessei muito,mas depois quando vi melhor a estoria com outros olhos percebi uns fatos interessantes. exemplo

Muitas pessoas que viram o filme ou leram o livro, algumas criticaram dizendo q era idiota pq as pessoas eram más e ficavam assistindo matança pela TV e tal, falando q o futuro assim era ridiculo e tal. Porém Suzanne Collins foi bem inteligente, por que o que é jogos vorazes ??

Se voces prestarem a atenção, jogos vorazes é simplesmente o Coliseu do futuro. Onde a cidade principal do filme seria como se fosse Roma antiga.

Temos uma arena de matança onde os jogos são bem populares e as pessoas adoram ir ver e assistir umas matando a outra. Temos uma cidade rica dominante e que manda em todas as outras. Como se fosse Roma. Temos o imperador que manda em tudo, comanda os jogos e adora matança e odeia a população pobre. assim como Cesar antigamente em Roma tambem temos isso no filme e no livro.... temos pessoas insaciáveis ´para ver sangue, ver lutas. Temos pessoas lutando contra animais colocados no jogo justamente para ataca-los e nada mais. Exatamente como era em Roma. Onde os animais eram postos pra atacar os gladiadores.

Temos patrocinadores exatamente como havia em Roma. o gladiador mais famoso e que tinha mais vitorias, ganha escudo mais forte, ganhava elmo, ganhava espada melhor e conforme sua fama crescia ele ganhava coisas. resumindo é exatamente igual jogos de matança onde o imperador criava situação para ver quem iria ganhar, enquanto divertia a população com as lutas, e assim como em roma as pessoas queriam ver sangue, e ficavam muito chateada quando o gladiador nao matava seu oponente debilitado no chão.

ou seja se a humanidade nao der uma melhorada o que nos impede de realmente ser no futuro como eramos antigamente ?, ja vemos tanta matança por ai, onde nao nos incomoda mas como antes. Antigamente na epoca de nossos avós e bisavós ver um corpo no chão, era algo chocante, hj em dia tem lugares onde isso é quase uma rotina. até chegarmos num futuro pós guerra onde ver as pessoas morrendo não será mais um choque e sim uma diversão. enfim é isso ai. e pra finalizar eu recomendo leiamm o livro.. e vejam o filme :)
comentários(0)comente



Nathalia 16/04/2013

Muito além do "clássico"
Aproveitando a onda (com o teaser trailer saindo e tudo mais), resolvi fazer uma resenha para "Em Chamas" segundo livro da trilogia de Jogos Vorazes e, de longe, meu preferido.

Só pra começar, não entendo as pessoas que são absolutamente contra essa série. Ou que dizem que é so uma carnificina sem sentido que tem por pano de fundo um - nem um pouco original - triângulo amoroso. Já peço desculpas por antecedência se vc é um desses, mas NAO É POSSIVEL que alguem que realmente tenha lido os livros diga tamanho absurdo. Ok, beleza, o triângulo amoroso está realmente lá, mas CARNIFICINA SEM SENTIDO?? A série tem toda uma perspectiva política e social implícita que realmente nos faz (ou pelo menos ME faz) repensar nossos conceitos! Se algumas pessoas nao enxergam isso, o problema definitivamente é com elas, nao com os livros.

Desculpem mas simplesmente não podemos deixar as injustiças passarem despercebidas. Pronto, ja desabafei.

Chegando agora no ponto principal da questão, que no caso é o livro "Em Chamas", posso usar uma palavra (ou várias) para defini-lo, escolha ente: ----> Incrível
----> Excepcional
----> Um Dos Melhores Livros Que Eu Já Li!

Nele a nossa querida autora Suzanne Collins escreve basicamente no mesmo estilo que no volume anterior, com o livro sendo narrado do ponto de vista de Katniss Everdeen. O grande diferencial de "Em Chamas" em relação a "Jogos Vorazes" é que desta vez a Katniss realmente passa grande parte do livro interagindo com pessoas, o conflito emocional se aguça e assim passamos a conhecer melhor Prim, Haymitich, Cinna, muitos novos personagens (como a família de Gale e trabalhadores do Prego) e, é claro, Gale e Peeta.
Sendo (pelo menos para mim) a melhor heroína da história dos livros, Katniss agora não tem que lutar somente com outros tributos, mas com a própria Capital. E de fato, como (dã!) o título anuncia, a coisa ta pegando fogo! Os acontecimentos centrais do livro vem em consequencia do "episódio das amoras" que desencadeou um movimento reacionário nos distritos, acontecimento tão serio, que, pasmem (ou nao, se vc nao for uma pessoa facilmente impressionável..), a Kat é visitada pelo proprio presidente Snow.

Enfim,Suzanne Collins consegue fazer algo que muitos tentam e muito poucos conseguem: através de uma trama baseada em um "clássico" triangulo amoroso, ela mantém os leitores (MUITO!) ligados ao livro e ainda assim está longe de produzir somente um romance alienante. Ao mesmo tempo que prende os leitores no conflito emocional, não perde o foco e produz o levantamento de questões polêmicas - que incluem, principalmente, uma crítica BEM severa às futilidades da sociedade atual - despertando em quem lê, senso crítico e interesse pelos problemas, nao somente da sociedade atual, mas tambem da que irá se formar no futuro.

Basicamente, um livro excelente e recomendado para todas as idades!



Foi mal galera, mas eu tenho que escrever: Eu amo o Peeta, quem nao ama??? - mas sim, vcs podem discordar dessa parte ;)


Thall 10/05/2012

Não sei dizer se achei este melhor que o primeiro, no fim acho que acabou sendo do mesmo nível.

*Pontos positivos:

O ritmo do livro continua bacana, a narrativa é bem estruturada.

Finnick e Johanna são dois novos personagens bem legais.

*Pontos negativos:

Eu acho a Katniss chata e irritante, e por ela ser o personagem principal do livro isso as vezes incomoda.

O livro é previsível, eu saquei de cara muita coisa que ia acontecer mais pra frente, mas talvez pro público alvo não seja assim tão prevísivel, embora eu ache que se eu tivesse 16 anos sacaria as coisas da mesma forma.

comentários(0)comente



Yuri Hollanda 27/01/2012

Nem tão "Em Chamas" assim.
Infelizmente não posso dizer que EM CHAMAS é tão bom quando o seu antecessor, JOGOS VORAZES.
Pra ser claro eu vou direto ao ponto: 60% do livro, são acontecimentos
muito pequenos, e que realmente, são fatos que contribuem para a história mas que depois que você se acostuma com o ritmo de Jogos Vorazes, o que você espera de EM CHAMAS é que seja tão agitado quanto, quando na verdade é muito cansativo.

Depois que Katniss entra na Arena, o livro começa a ficar bom, mas o que prejudica, é que a autora usou o mesmo tema: Os Jogos.
É muito bem escrito, história genial, isso todos já sabem... mas o fato é que não consigo enxergar a adaptação do livro. Não tem uma parte importante, impactante, aquela que te faz esperar loucamente pelo filme.
Finalmente, a impressão que tive de EM CHAMAS, é que tive que ler 400 páginas para ser recompensado pela última frase, que sim,é uma reviravolta tremenda na história da saga.

Finalizando, o livro é bom, tem seus prós e contras, mas infelizmente, a maioria é contra.
comentários(0)comente



Mi Giacomini 12/06/2012

AVISO: Resenha sobre toda a trilogia.

A sinopse

“Que a sorte esteja sempre ao seu favor” – Jogos Vorazes

Em um mundo futurístico em que a humanidade sofreu com eventos catastróficos, os países como conhecemos deixaram de existir. Onde hoje é a América do Norte, fundou-se uma nova nação intitulada Panem. Ela é formada por 13 distritos e uma capital governante. Cada distrito é responsável por fornecer um elemento fundamental para suprir as necessidades da Capital, carne, carvão, ferramentas, e etc. Assim, as pessoas que moram na capital do país são ricas, esbanjam riquezas, comida, extravagâncias, enquanto que, nos distritos a população vive na miséria, passam fome, sendo subjugados por governantes tiranos e leis injustas e cruéis.

Contra tudo isso o distrito 13 resolve se rebelar, porém sem sucesso (Para saber exatamente o que aconteceu é necessário ler o último livro, há), e o 13 é destruído. E para afirmar a supremacia da Capital e o poder do Governo sobre todos os povos de Panem e reprimi-los para que uma nova revolução não aconteça, cria-se uma espécie de reality show, que acontece uma vez por ano, chamado de Jogos Vorazes.

Nele, crianças e adolescentes, entre 12 e 18 anos, são sorteados – Uma menina e um menino de cada um dos 12 distritos restantes- e jogados em uma arena tecnológica para lutarem até a morte. Somente um deles pode sair de lá. Só pode haver um sobrevivente. E tudo isso é exibido em tempo real em todos os televisores, obrigando, assim, todo o país a assistir a luta pela sobrevivência dos 12 adolescentes.

Enquanto na Capital os Jogos são tidos pelas pessoas como um programa de televisão capaz de proporcionar entretenimento e momentos de diversão (What?), em Distritos como 1, o 2 e o 3, tudo é visto como uma espécie de obrigação que poderá proporcionar a um vencedor riquezas e glória. Para os distritos restantes, os Jogos Vorazes são vistos como realmente são: Cruéis.

"Matar ou morrer. Não há escolha. Na arena, o mais capaz vence. Os Jogos Vorazes continuam." – Em Chamas

-

Katniss Everdeen é uma garota do Distrito 12, o mais miserável dos distritos, que após a morte do pai, viu-se obrigada a caçar na floresta para alimentar a mãe e a irmã mais nova Prim. Aos 16 anos de idade ela é a responsável pela família, e sua maior preocupação é a segurança e a vida de sua irmãzinha. Seus dias resumem-se em ir caçar ao lado de seu melhor amigo Gale, para garantir uma um pouco de alimento. Mas não é sempre que Katniss consegue acertar algum animal com suas flechadas, e quando isso acontece, só resta-lhe voltar para casa e torcer para que sua mãe e sua irmã tenham conseguido vender alguma coisa ou para que ela consiga realizar alguma troca no Hob. Se nada funcionar, o que às vezes acontece, não há mais nada a se fazer a não ser resistir à fome e rezar para que nos próximos dias haja o que comer.

Porém, tudo isso muda quando chega o dia da Colheita e o nome de Prim é sorteado para participar da 74º edição dos Jogos Vorazes. Incapaz de permitir que sua doce irmã vá para a arena, Katniss se voluntaria para ir ao lugar dela. Um ar de comoção toma o 12 e Katniss é levada ao palco, mas antes que ela consiga assimilar qualquer coisa é sorteado o segundo nome da Colheita: Peeta Mellark, o filho do padeiro, o garoto que certa vez ajudou Katniss, e por quem ela será eternamente grata. Assim, os Tributos que lutarão até a morte, representando o Distrito 12 no 74º Jogos Vorazes, são Katniss e Peeta.

Os personagens

"Meu espírito. Isso é uma novidade. Não sei exatamente o que significa, mas indica que eu sou uma lutadora. De uma maneira mais ou menos corajosa. Não sou sempre antipática. Tudo bem, Não saio por ái amando todo mundo que encontro pelo caminho, meus sorrisos não aparecem com facilidade, mas me importo com as pessoas." – Jogos Vorazes

Jogos Vorazes possui inúmeros personagens, todos ótimos, cada qual com seus defeitos e qualidades, cada um com sua devida importância na estória. Cada um deles te ensina alguma coisa. Com eles eu aprendi:
A ser corajosa como a Katniss; A ser integra como o Peeta; A ser questionadora como o Gale; A ser gentil como Prim e Rue; A ser engraçada como o Finnick; A ser autoastral como a Effie; Entre tantos outros. Mas, acima de tudo aprendi a ser forte como cada um dos personagens desse livro.

Katniss - A protagonista, a Garota em Chamas, o Mockingjay, a irmã protetora, cabeça dura, egoísta, pessimista, caçadora, arqueira, corajosa, forte, vitoriosa.

Peeta – O garoto do pão, o conquistador, padeiro, pintor, bondoso, gentil, integro, destemido, forte, otimista, superior, cativante, vitorioso.

Esses são os dois personagens principais, meus dois preferidos, Katniss e Peeta, Peeta e Katniss. Eles foram fortes, eles enfrentaram a tudo, eles sobreviveram. Ambos caíram, ambos perderam as esperanças, ambos sofreram, mas os dois se levantaram, os dois encontraram motivos pelos quais continuar lutando, os dois venceram. Personagens de personalidade tão diferentes, ambos, porém, instigantes. É impossível não sentir a dor de Katniss. É impossível não se encantar com Peeta.

Assim, como é impossível não se irritar com Gale, não rir das bebedeiras de Haymitch e do sarcasmo de Johanna, não sentir nojo e raiva de Snow e ódio de Coin.

O romance

“É isso que você e eu fazemos. Protegemos cada um o outro” – A esperança (Mockingjay)

Sim há romance. Porém, ele e toda a estória do triangulo amoroso entre Katniss, Peeta e Gale, fica em segundo plano. Os Jogos e o efeito deles sobre os tributos são colocados em primeiro lugar. O que não nos impede de torcer pelos casais que gostamos. E nem nos derreter pelos momentos fofos. Eu, por exemplo, torci para o Peeta ficar com a Katniss desde o começo.

Os Jogos

24 adolescente. 12 distritos. 1 vencedor.

Cruéis. Essa é a palavra que pode definir os Jogos. Talvez não tão sanguinários quanto eu imaginava, mas sem dúvida cruéis. Tão cruel quanto pode ser ver crianças lutando para sobreviver. E isso é uma das coisas que mais choca em Jogos Vorazes. Neste livro, ao contrário do que normamente acontece em filmes, livros e afins, crianças morrem, o tempo todo. Morrem de forma violenta.

O filme

Matem-me de quiserem, mas eu gostei do filme. Claro que faltaram coisas, como em qualquer adaptação. E outras ficaram erradas. Mas eu achei que foi feito um bom trabalho ali. Tanto pelo diretor, quanto por Jennifer, Josh e os demais atores.
Mas se tiver que escolher, é claro que escolho o livro.

As criticas

Jogos Vorazes está repleto de críticas e mensagens.

Critica a sociedade capitalista que preza somente o lucro e os bens materiais, deixando de lado o bem viver do ser humano. Enquanto, poucos vivem luxuosamente, a maioria da população passa fome (Título original: The Hunger Games, em tradução livre para o português, Os Jogos da Fome).

Critica a sociedade do espetáculo, que preza a aparência (Deixandod e lado a beleza interior), que dita moda, os padrões, que age de acordo com que a mídia e maioria pregam, atendo-se a formas de entretenimento que visam mostrar o que esta em alta, os ideais das classes dominantes, alienando, assim, a população através do que é ‘cool’, dos reality shows, etc.

Critica aos governos corruptos e tiranos que, ao invés de pregar o bem-estar da população, pregam o seu bem-estar próprio.
Critica a guerra. E a meu ver, critica a própria população que está à mercê de tudo isso e não faz nada para mudar.

E todas estas coisas ruins que estão presentes no mundo de Jogos Vorazes, fazem parte de nosso mundo também. Vivemos em uma sociedade capitalista, que preza ao lucro, o espetáculo, e não o ser humano. Talvez não estejamos em uma situação tão extremada como nos livros da série, mas se nada for mudado, se nada for feito para impedir, chegaremos lá. E o futuro da humanidade será jogos vorazes. E, em minha opinião, essa é a maior mensagem que o livro nos passa: Mudança. Tente mudar, para que nós não cheguemos aquilo. Tente mudar para que as coisas não piorem. Apenas, mude.

As considerações

"Mas há muitos outros jogos piores para se jogar" – A esperança (Mockingjay)

Com Jogos Vorazes, Em Chamas e Mockingjay, eu ri, chorei, senti ódio, dor, me apaixonei, senti tristeza, angústia, esperança. Eu senti cada uma das emoções dos personagens. Eu senti tudo o que Katniss Everdeen sentiu. E não sei dizer se gostei. Ao ler as últimas palavras de Mockingjay eu não sabia se havia gostado ou odiado, após refletir um pouco cheguei à conclusão de que eu amei e ao mesmo tempo odiei. Eu amei, pois, sem dúvida, foi uma das melhoras estórias que eu já li, foi um livro completo, eu amei. Mas eu simplesmente odiei o fato de ter acabado. Odiei a dor que eu senti, odiei o fato de eu ficar sem reação, sem saber o que fazer, odiei o turbilhão de emoções que eu senti. Odiei me sentir incapaz. Pois, é isso que Jogos Vorazes te provoca.

Quando eu acabei de ler, foi como se um pedaço de mim tivesse sido arrancado, como se faltasse algo, como se a dor dos personagens fossem me perseguir para sempre. Eu chorei. Eu chorei, porque tudo que eu conseguia sentir era angústia. Não pelo fim do livro, mas porque é isso que Jogos Vorazes te faz sentir, porque você sente a dor da Katniss. Houve momentos em que eu simplesmente quis entrar nos livros e acabar com tudo, porque os personagens já não aguentavam mais, e eu também.

Certa vez, vi em uma resenha de uma menina aqui mesmo no Skoob dizendo que “Jogos Vorazes te destrói”. Ela estava certa. E esta foi uma das melhores definições de Jogos Vorazes que eu já vi. Não me lembro do nome dela. Na verdade, caso você, autora desta afirmação, esteja lendo isso, gostaria que deixasse um comentário se identificando. Dou a você os créditos pela melhor constatação sobre os livros que já vi. “Jogos Vorazes te destrói”. Ele te despedaça, te faz se sentir angustiado e incapaz. Mas, apesar de eu ter odiado essa sensação, ela não é ruim. Ela é necessária. Pois, só assim você é capaz de compreender a mensagem. Porque só assim você vai perceber o quão ruim é tudo. E ai você sente vontade de começar uma revolução. HAHAHA

Jogos Vorazes fala sobre pobreza. Jogos Vorazes fala sobre morte. Jogos Vorazes fala sobre guerra. Jogos Vorazes fala sobre fome. Mas, acima de tudo fala sobre o efeito que cada uma destas coisas causa no ser humano. Como se senti, age e pensa o ser humano ao ser confrontado com as situações mais adversas e como fica seu psicológico ao final de tudo.

Esse livro mostrou que não existe uma definição certa do que é o bem e o mal, o bom e o ruim, o certo e o errado. Personagens que são mocinhos, ‘caras do bem’, tomaram decisões duvidosas e nem um pouco dignas. Levando-nos a questionar, muitas vezes, quem ali é realmente ruim, aquele que nos é apresentado como vilão ou aquele que diz lutar por algo melhor, que diz servir de exemplo para a população. Aquele que mata ou aquele que vê o outro matando e não faz nada para impedir? Envolvendo-os em toda a complexidade que é uma pessoa.

Ele nos joga na cara uma guerra, e nos faz ver que a melhor das revoluções, aquela causa que é a mais certa pela qual lutar, torna-se errada quando inocentes começam a morrer. O melhor de todos os ideais se transforma no pior deles, quando para chegar ao objetivo é necessário destruir uma vida.

Então o que se fazer? O que é certo? O certo é a paz. Como alcança-la? Eu não sei.

Jogos Vorazes mostra também, que não importa o quão ruim uma situação possa ser ela pode piorar. E, de fato, ela vai piorar. Mas, é necessário seguir em frente, afinal de contas a vida continua. É preciso tentar ser feliz, e eventualmente coisas boas acontecerão e dias melhores virão.

Não sei dizer se Jogos Vorazes é feliz ou triste. Há um pouco de tudo. O que eu sei com toda a certeza é que toda a trilogia é perfeita.
Jogos Vorazes é uma das melhores séries de livros que já li.

“A promessa de que a vida pode continuar, não importa quão ruim foram
as nossas perdas. Isso pode ser bom novamente” – A esperança (Mockingjay)
comentários(0)comente



962 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |