O Casarão

O Casarão Vicente Reckziegel




Resenhas - O Casarão


14 encontrados | exibindo 1 a 14


Livretando 31/01/2014

Resenha: O casarão
Rafael, Rodrigo, Jonas e Felipe. Quatro amigos que moram na pacata cidade de Estrela, Rio Grande do Sul. Jonas, após ouvir a conversa de seus avós com uma amiga descobre que ali bem próximo existe uma casa que esconde muitos mistérios, então ele decide “repassar” a informação aos seus amigos.

O quarteto fantástico – forma como eram chamados – resolvem fazer uma visita a esse lugar, incrédulos de que pudesse ser mal assombrado. Quando avistam o casarão, sentem que há algo estranho com aquele lugar. Decidem entrar, sem sucesso. Voltam para suas casas. Mas a partir daquela visita, suas vidas nunca mais seriam as mesmas. Pesadelos começaram a lhes atormentar e vozes os desafiam a voltar e ver o que existia naquele lugar: “Hei, vamos garoto. Você não está com medo, está?”.

Movidos pela curiosidade (será?) os amigos resolvem voltar e finalmente entram, ali dentro eles sentem uma sensação antes nunca experimentada por nenhum. Sentem-se em paz, protegidos, sentem-se acolhidos.

As visitas ao casarão tornam-se parte da rotina dos garotos, uma força inexplicável os atrai para lá, aquele era agora o refúgio do quarteto. Mas mortes repentinas começam a acontecer com os familiares dos amigos de forma sucessiva. A partir daí mistérios começam a cercar a história nos deixando da expectativa de chegar ao final do livro e desvendar tais enigmas.

Esse foi o segundo livro do gênero que li, o primeiro (Cinco Crianças), como todos devem saber, não me agradou muito, mas não foi assim com “O Casarão”. A narrativa de
Reckziegel me agradou bastante, achei a leitura tranquila e muito satisfatória, li em apenas um dia. Gostei da história do livro, parece com aqueles filmes de terror onde nada sai do jeito que nós queremos, do jeito em que estamos habituados.

Já havia me deparado com um conto do Vicente no livro “Jogos Criminais”, o que honestamente não me agradou tanto quanto seu livro solo. Aguardarei ansiosamente por uma possível futura publicação do autor. Aos amigos leitores, indico sim a leitura, muito boa.

site: http://livretando.blogspot.com.br/2011/06/resenha-o-casarao.html
comentários(0)comente



Lili 26/01/2012

O Casarão é um livro bem fininho, com 142 páginas, porém muito bem escrito. É um livro que alterna muitas descrições e vários diálogos. Trata-se da aventura de 4 adolescentes na idade de 14, 15 anos e como eles lidam com suas vidas na cidade de Estrela. Lá há um casarão abandonado e mal-assombrado e é nesse local que acontece a aventura que mudará a vida dos 4 jovens para sempre.


Olha, eu fiquei com muito medo ao ler esse livro. Realmente o autor conseguiu transmitir um suspense e um terror como se eu estivesse assistindo a um filme. Não é um livro para se ler antes de dormir! Eu li e acabei tendo pesadelos com o livro! Mas é uma história muito bem escrita e os personagens são bem definidos! Além do que a história te prende do começo ao fim, porque só no final é que é desvendado o segredo do casarão!


Recomendo para todos que gostam de uma boa história de suspense! Leiam que não vão se arrepender!

E se quiserem ler mais resenhas acessem: http://leiturasdeeliane.blogspot.com
comentários(0)comente



M. Scheibler 01/12/2011

Um enredo em primeira pessoa relatando as aventuras de uma turma de 4 amigos numa pequena cidade do interior. Suas vidas eram normais até que fatos estranhos começam a acontecer após conhecerem um casarão abandonado e, segundo a lenda, amaldiçoado.

O texto torna-se melancólico e assombroso com o decorrer da trama. Os detalhes da história macabra são mostrados sem medo, nos deixando totalmente ligados e acompanhando cada passo dessa obra. É tudo muito envolvente e prende nossa atenção.

Para quem tem o coração fraco, recomendo não ler. Aos demais, desfrutem desse trabalho maravilhoso do gaúcho Vicente Reckziegel. Um ótimo caso de suspense e terror.
comentários(0)comente



Yvis Tomazini 15/11/2011

Vicente Reckziegel já inicia o texto nos envolvendo em uma acolhedora nostalgia. A voz em primeira pessoa começa apresentando os quatro personagens principais. Sendo, obviamente, o narrador um daqueles quatro amigos. A espontaneidade que um ofende o outro para em seguida fazer uma piada, torna aquelas relações bastante criveis e orgânicas. O ‘Quarteto Fantástico’, no auge dos seus quatorze anos, vive aquele tempestuoso e (prazeroso ao se lembrar) momento de amadurecimento. A infância se foi, mas a vida adulta ainda é uma miragem na distância. Os quatro garotos são bem distintos um do outro, e muito provavelmente o leitor vai se identificar com um deles, ou imaginar o rosto de seus amigos ali.

Não que eu tenha feito isso.

Ok, admito, foi um pouco inevitável.

Mas é aí que mora o perigo. Aquela sensação de conforto e segurança vai derretendo ao decorrer das páginas, e então percebemos a que o livro veio.

E então você perceberá que é tarde demais. Uma porta se fechou atrás de você. O único caminho a seguir é avante. Você quer terminar o livro.




O livro aposta na curiosidade que ele gera. Ao pegá-lo, notará que a sinopse quase nada revela a respeito da trama. Tudo que se sabe é que quatro garotos vão meter o nariz, onde não lhes foi chamado. E que algo vai acontecer.

Mas...

Algo, “ o que?”. (Entenderam?)

É mérito também da narrativa fluida, que o livro consiga administrar esta curiosidade que ele gerou. Eu não me desapontei. Ao contrário disso, me surpreendi com a atmosfera próxima ao final MUITO diferente daquela mostrada da apresentação.

Bom... mas, como já dizia a frase do dia do Orkut: “Quem fala muito, dá bom dia a cavalo.”

Pararei por aqui antes que revele mais do que devia.


Só me resta aconselhar a leitura de "O Casarão" e parabenizar o autor Vicente Reckziegel. (É muito reconfortante ver um autor da minha geração fazendo seu trabalho bem feito.)

comentários(0)comente



Lady 17/08/2011

Peguei O Casarão numa troca com o autor Vicente Reckziegel. Confesso que não tinha muitas expectativas sobre o livro antes de lê-lo. Afinal, quanto de terror pode realmente existir em menos de 150 páginas?
Me enganei. O livro me prendeu logo nos primeiros passos dos quatro adolescentes idiotas rumo ao desconhecido. Cada passo mais perto, era uma acelerada de coração. O Vicente soube muito bem criar e lidar com o suspense que o livro exigia, e tirando uns poucos momentos de divagações desnecessárias do nosso personagem principal (Rafael) que interrompem o ritmo do livro num ponto ou outro, o suspense se mantém até a última página - principalmente na última página. Os personagens são totalmente diferentes entre si, cada um único e fácil de se identificar, e nenhum deles foge ao que a gente espera durante a trama. E se o meu maior receio era que o final fosse ser alguma coisa sem graça, também paguei minha língua; o merecido desfecho macabro das aventuras no Casarão foi perfeito e bem vindo, embora um pouco rápido na minha opinião, e a última página era exatamente aquilo que eu estava esperando. Só não vou contar o que é porque senão perdeu a graça. Mas leiam, porque vale super a pena! Um bom thriller nacional pra conferir :)
comentários(0)comente

Yvis Tomazini 18/11/2011minha estante
"...primeiros passos dos quatro adolescentes idiotas..." hauahu

Eu tbm curti pacas o livro.




Fabio Brust 24/07/2011

"O Casarão", de Vicente Reckziegel
"O Casarão" é o primeiro livro autoral publicado por Vicente Reckziegel, e conta a história de quatro amigos, Rafael (que é o narrador), Roberto, Felipe e Jonas, em relação a um suposto casarão mal-assombrado na cidade de Estrela, no Rio Grande do Sul. A história começa sem grandes introduções, com Jonas contando que havia descoberto a existência do casarão em uma estrada de chão batido que ligava a cidade ao interior. Eles sentem que o lugar tem algo de misterioso, e o livro conta todas as explorações que eles fazem a respeito, além de tudo que acontece em relação ao casarão.

Quando vi o livro pela primeira vez, confesso que não o levei muito a sério. É um livro pequeno, com apenas 140 páginas, e uma capa que não dá muito a entender o clima relativamente sombrio que permeia a narrativa. Também achei que o fato de a história não ser realmente introduzida poderia prejudicá-la. Ledo engano.

Quem sabe o próprio fato de a história já começar com acontecimentos tenha me fisgado de verdade. Achei que as poucas páginas poderiam fazer com que o livro fosse contado muito rapidamente, mas também me enganei nesse sentido. A história dá tudo de si e agrada. Muito.

Os acontecimentos nela narrados a princípio me lembraram do filme "A Casa Monstro". Há um local amaldiçoado e há "crianças" (no livro de Vicente, são adolescentes já com 14 anos) que buscam compreender o que se passa nesse misterioso lugar. Por mais que eu tenha gostado do filme, sempre achei que ele precisava de um pouco mais de obscuridade, e deveria ser transformado em uma tragédia. "O Casarão" é um livro que atende a esse meu desejo. É um livro que começa simples e pacato, mas que vai aumentando de intensidade e causa momentos de grande temor no leitor, ou, pelo menos, uma agonia esquisita. Parece que todo o livro se arma para alcançar o clímax final, muito bom, por sinal. A tensão vai aumentando e explode em momentos sinistros e aterrorizantes.

Essa é uma ótima história para qualquer pessoa que já tenha tido uma casa mal-assombrada em sua infância, e também às que não tiveram. Casas mal-assombradas existem em todos os lados. Ou, pelo menos, casas que supostamente são mal-assombradas. Eu também tive uma dessas em minha infância (e imagino que Vicente deve ter tido uma, também - talvez uma casa exatamente igual à que narrou em seu livro, levando-se em conta que ele mora na cidade em que a história se passa), e ler um livro que conta histórias desse tom, envolvendo algo tão emblemático, é fantástico.

Talvez dois pontos que poderiam ser melhorados no livro são a mulher chamada Abigail e as origens do casarão. Apesar de tudo que acontece, não há um real motivo para que as coisas acontecessem, além do fato de haver algo diabólico presente na casa. Abigail poderia acrescentar principalmente nesse sentido. Seria a velha senhora que sabe muitas coisas sobre o lugar e instrui Rafael, o narrador e protagonista, a respeito dos perigos que nele existem. Talvez, também, se pudesse dar uma emoção ainda maior ao clímax, que ficou ligeiramente superficial em momentos como a queda de Joana de uma escada e, em específico, o que acontece com Jonas.

Os personagens são bem construídos, e cada um deles tem um papel específico na história - além de praticamente todos interpretarem os estereótipos de uma escola e os adolescentes prestes a saírem do ensino fundamental. De uma forma ou de outra, é uma história que também envolve nostalgia, com preocupações e acontecimentos que preocupam a todos nesses momentos de suas vidas. A escolha de protagonistas nessa faixa etária não poderia ser mais feliz. A narrativa, também, é ótima e convence inteiramente. Narrado em primeira pessoa, o livro é capaz de passar ao leitor emoções que não conseguiriam ser transmitidas se ele fosse contado em terceira. Mais um ponto positivo à obra.

Por fim, resta dizer que todo o livro é ótimo e, se há o que ser melhorado, são pontos que não influem tão diretamente assim em seu andamento. É uma pena que eu só tenha conseguido conhecer o livro através do autor. "O Casarão" é ótimo, e merecia, com toda a certeza, ser conhecido por todos que já passaram pela infância e por pelo menos uma casa abandonada, e toda a aura que elas são capazes de ter. E tenho certeza que essas pessoas não são poucas...
comentários(0)comente



Jazz 21/07/2011

Atenção aos avisos
Meu primeiro contato com O Casarão foi pelo skoob procurando livros novos para ler, e logo em seguida o Vicente me convidou para participar do book tour, fiquei muito feliz com a oportunidade pois o livro tinha chamado muito a minha atenção.
Começando pela capa, ela é bem simples, representa um portão bem grande de madeira e como hoje em dia as capas são bem elaboradas, quando aparece alguma simples assim nos chama a atenção, afinal, o livro não precisa chamar a atenção pela capa, pois todo o conteúdo dele é fantástico e nos leva para situações completamente inusitadas.
A história se passa por alguns meses de vida de alguns adolescentes de 14 anos que se consideram o quarteto fantástico, fazendo alusão aos personagens de quadrinhos.
Logo no começo do livro eles descobrem que existe um casarão nos subúrbios da pequena cidade onde moram e ficam curiosos, ainda mais sabendo que já teve até um abaixo assinado para demolir aquela casa considerada maldita por muitos.
Como qualquer adolescente eles ignoram todos os avisos que não param de passar pela cabeça deles e vão descobrir o que pode ter de tão misterioso em uma casa e que com certeza assombrações não existem.
Depois de conhecer a casa eles não percebem o quanto que aquela simples construção pode fazer nas suas vidas, ou até mesmo percebem, mas continuam ignorando os avisos.
Todo o livro é cheio de suspense e ação, quase não temos tempo para respirar e ficamos sem vontade de fechar o livro, eu me apaixonei tanto pela história que li ele em um único dia sem conseguir parar.
Esse é o primeiro livro do Vicente mas já conseguimos perceber o grande sucesso que esse escritor pode ter, não consegui achar um único erro de edição e a história é muito bem costurada e elaborada.
Com certeza se ele escrever algum outro livro eu vou querer ler, mas antes de tudo leiam O Casarão que as chances de se arrepender são pequenas, um ótimo livro para deixar todos com vontade de berrar aos personagens o que eles devem fazer e se sentir ignorado.
comentários(0)comente



Aline Gasparini 08/07/2011

O Casarão por Vicente Reckziegel
Faz um tempinho que não aparece uma resenha por aqui, confesso que não sei o que esta acontecendo, acho que estou com um bloqueio mental ou algo do tipo 'Haha. Não ando conseguindo ler muito coisa, para ser sincera não ando lendo praticamente nada, e também estou entrando em semana de provas, mil coisas para fazer e bla bla bla, mas daqui a pouco tudo vai se normalizar, pelo menus é o que eu espero.

Vamos ao que interessa, A RESENHA. Quando o Vicente me propôs participar do Book Tour nem sabia do que o livro se tratava, mas resolvi participar mesmo assim. E é essa parte que eu mais gosto, pois não criei expectativas e acabei me surpreendendo muito. A cada obra de autor nacional que leio, me maravilho mais e mais.

O Casarão conta a estória de quatro amigos inseparáveis, moradores da cidade de Estrela (mesma cidade do autor), cansados com a vida monótona de sempre, afinal em pequenas cidades do interior as opções de lazer e diversão são bem escassas, sou a prova viva disso 'Haha.

Tudo se passa em 1989. O livro é narrado por um garoto de 14 anos, chamado Rafael. Já de cara o nosso jovem narrador nos apresenta seus três amigos que serão peças essenciais no decorrer da narrativa. São eles, Felipe, o mais rico entre eles, no entanto não tinha muito sorte nas questões familiares. Roberto, que era considerado o mais bonito do quarteto, seus pais eram dono do mercadinho do outro lado da cidade. E Jonas que além de feio só falava palavrão, perdeu os pais ainda quando era bebe e foi criado pelos avós maternos, religiosos "fanáticos", que não aceitavam visitas em casa, a não ser de pessoas da igreja.

E foi em uma dessas visitas que Jonas descobriu uma coisa que mudaria a vida de todos para sempre. Segundo os visitantes havia uma velha casa no interior do pequeno município de Estrela e coisas horríveis haviam acontecido lá, pessoas entravam e nunca mais saiam.

A principio Roberto, Felipe e Rafael ficaram com um pé atras. Porém não havia melhor maneira de descobrir se isso era realmente verdade, tirando tudo a limpo e foi isso que fizeram. Até o momento tudo isso são atitudes tipicas de adolescentes, porém ambos não sabiam com quem ou talvez mesmo até o que estavam se metendo. Será que ser curioso demais é realmente vantajoso ? Essa é uma pergunta que sem dúvidas fica no ar.

Bom, acho que não posso contar mais que isso, se não vou acabar estragando o mistério, realmente gostei muito do livro, até então nunca tinha lido nada sobre casarões amaldiçoados e nem nada do tipo, mas já de primeira adorei.

A estória que o Vicente criou te prende completamente, afinal o enredo é totalmente imprevisível e a trama bem construída. Enfim, super recomendo, leiam O Casarão.

Book is life
http://bookislife.blogspot.com/
comentários(0)comente



Amanda Reznor 03/06/2011

Entre!
No começo, pela expectativa que o autor deixa no ar, pensei que, se a história não começasse a se desenvolver de forma a sanar minha curiosidade sanguinária, que eu iria amaldiçoar o casarão (rs).

Porém, Vicente Reckziegel sabe alimentar o suspense de forma a satisfazer gradualmente os nossos desejos mórbidos, e O Casarão se torna uma leitura que nos prende até o final, com críticas imbuídas no texto e um terror perfeito para os que curtem histórias paranormais com finais realistas e nada bonzinhos.

Seja curioso você também!

As portas estão abertas para os descrentes...

Permita-se aventurar pelos assombrosos andares d'O Casarão!
comentários(0)comente



Breno Rodrigues 03/06/2011

O Casarão
Rafael, Rodrigo, Jonas e Felipe. Quatro amigos que moram na pacata cidade de Estrela, Rio Grande do Sul. Jonas, após ouvir a conversa de seus avós com uma amiga descobre que ali bem próximo existe uma casa que esconde muitos mistérios, então ele decide “repassar” a informação aos seus amigos.

O quarteto fantástico – forma como eram chamados – resolvem fazer uma visita a esse lugar, incrédulos de que pudesse ser mal assombrado. Quando avistam o casarão, sentem que há algo estranho com aquele lugar. Decidem entrar, sem sucesso. Voltam para suas casas. Mas a partir daquela visita, suas vidas nunca mais seriam as mesmas. Pesadelos começaram a lhes atormentar e vozes os desafiam a voltar e ver o que existia naquele lugar: “Hei, vamos garoto. Você não está com medo, está?”.

Confira o restante da resenha em http://livretando.blogspot.com/2011/06/resenha-o-casarao.html

Abraços ;D
comentários(0)comente



prandi 17/05/2011

Presença sinistra
Em O Casarão, Vicente Reckziegel resgata, com muita qualidade, um ramo que marcou muito os livros e filmes de terror do passado e que andava meio abandonado: o das casas e mansões amaldiçoadas, sobre as quais paira uma energia demoníaca e uma presença sinistra.

Quatro adolescentes, levados pela curiosidade, visitam o casarão, onde se deixam contaminar por uma energia maligna que influenciará seus atos pelo resto de seus dias, distorcendo suas mentes e levando-os a uma terrível tragédia, que se anuncia ao longo de todo o livro.

Num clima inquietante que me lembra o livro Terror em Amityville, embora amenizado pelo fato de os protagonistas serem pouco mais que crianças, Reckziegel proporciona a atmosfera perfeita para os amantes da literatura de terror.
comentários(0)comente



Kellen 11/05/2011

O Casarão
Fui apresentada ao livro de Vicente Reckziegel através de um book tour é mais um promovido pelo próprio autor. Instantaneamente aquele ar de suspense que o livro sugere me deixou muito curiosa e louca para devorar suas páginas. Bom, não as devorei, li um pouco mais devagar do que pretendia, mas tive uma leitura muito prazerosa e repleta de medo, como deve ser.

O cenário é a cidade de Estrela, no Rio Grande do Sul. Os personagens principais são quatro adolescentes (Rafael, Felipe, Jonas e Roberto), que são acometidos por um mal muito recorrente nos dias de hoje – e arrisco dizer, desde sempre –: a curiosidade. A trama se desenvolve ao redor de um grande mistério, a lenda de um casarão mal-assombrado em um local mais afastado da cidade.

Quando que um grupo de adolescentes, em uma cidade pequena, sem muito para se fazer, não se empolga com uma notícia dessas? Um lugar totalmente novo a ser explorado e tão cheio de incertezas. Logo que ficam sabendo da existência do casarão, notícia ouvida por Jonas através de seus avôs, os quatro pegam suas bicicletas para averiguar o local. E mesmo sem saber dão início a uma série de eventos inesperados e ruins, bem ruins. O casarão possui poder sobre eles, os faz desejar estar lá dentro e começa a mudá-los, para pior é claro. Mas a consequência disso você só vai saber se ler.

A narrativa ocorre hora em primeira pessoa com Rafael contando a estória, hora em terceira pessoa, com um narrador de fora. O livro tem 142 páginas e uma letrinha bem pequena, que me atrapalhou um pouco na leitura, isso que eu uso óculos ou será que é porque eu uso óculos? Encontrei também alguns errinhos de edição, como falta de acento em algumas palavras, mas nada que me tirasse tanto a atenção da trama em geral. A capa me conquistou, é simples, porém bonita e cai bem com o “recheio” do livro.

"É difícil crescer. Mais complicado ainda entender as mudanças que vem com esse crescimento. Uma nova visão do mundo, onde a inocência aos poucos desaparece ao longe. Apenas uma enevoada visão que fica no passado. Página 75"

Gostei muito do livro, da proposta, do enredo, dos personagens muito bem criados e apresentados, então, fica mais do que indicado. Afinal, é trabalho de um escritor daqui e sou da opinião que devemos cada vez mais apoiar as boas obras escritas por eles.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



ana paula 14/02/2011

Muito suspense...
Há muito não lia livro de suspense e terror. A surpresa veio com "O Casarão". A temática, embora juvenil, agradaria a todos os simpatizantes de livros do gênero. A narrativa é feita em primeira pessoa, por um jovem sobrevivente, Rafael. Jovens, aventureiros e inconsequentes, quatro garotos resolvem explorar um velho casarão, cujas estórias remetem a um sinistro passado. Não temem o desconhecido e muito menos as consequências de seus atos. Contudo, uma desagradável surpresa pode modificar o destino dos exploradores...
Recomendo a leitura, pois além de intrigante, conseguiu envolver-me.
comentários(0)comente



14 encontrados | exibindo 1 a 14