Immortales

Immortales Roxane Norris




Resenhas - Immortales


15 encontrados | exibindo 1 a 15


Milla 05/06/2015

De amiga para amiga
Existem vampiros para todos os gostos. É uma feira livre e você decide o time que vai vestir a camisa. E eu não estou aqui para influenciar ninguém, muito menos atacar a camisa dos vampiros que você decidiu honrar.
Hoje eu vim vestindo a camisa de Immortales, um livro com 654 páginas, que conta a saga de uma raça vampírica em nosso mundo.
A minha relação com Immortales não é somente de leitor, é mais que isso. Eu presenciei o nascimento dele. Quando Roxane, a autora, deu início a história, fui favorecida com trechos do livro, conforme ela escrevia. Além de ser boa autora, Roxane é uma pessoa maravilhosa e sabe como nos cativar com seus personagens encantadores.

No livro Immortales existem oito Clãs, sendo que uma família é de vampiros e as outras sete famílias de imortais. Ou seja, os imortais são vampiros sangues puro. Para dar continuidade a raça, eles devem se casar com seus consanguíneos. Ambos, vampiros e imortais, não tem a permissão de morder humanos. Há leis severas criado por um conselho. Entretanto, como em toda sociedade, as regras existem para serem quebradas, e é aí que a história começa.
Nesse mundo fantástico, você vai conhecer os guardiões Protettori, tanto imortais como vampiros, que são escolhidos para proteger as famílias.
Elise, a protagonista que narra uma parte da história, é uma imortal da família real, sangue puro. Está prometida a Victor, seu irmão. Porém, não pode fugir do amor avassalador que sente por Edmund, seu primo, que também é de família sangue puro. A história dos dois se desenrola através das páginas. Para quem gosta de romance, é um prato cheio. Eu fiquei hipnotizada pelo casal que estaria disposto a tudo para viver seu amor, até eu conhecer András, um Protettori que salva a vida de Elise.
Outro personagem importante para a história é o pirata imortal Alejandro. Por este, você, com certeza, vai se apaixonar. Ele é peça chave para os acontecimentos da história, sendo o último remanescente de seu Clã. Junto, conhecemos Ellen. Uma humana que se apaixona pelo pirata imortal.
Como visto, o romance impossível está no ar.

A história da humanidade também é descrita na obra, vários trechos históricos são representados no livro. Inclusive a revolução Francesa. Talvez seja isso que mais me encante na história, a autora criou uma raça fantástica, e a introduziu no nosso mundo, de uma maneira perfeita. Com detalhes bem pensados e ideias criativas, sem dizer originais. Acho que isso é o que mais conta em uma história, você modelar da sua forma, os personagens, principalmente quando são figuras conhecidas das crenças populares.
O que eu passei aqui não chega nem a 10% de toda a história. É preciso ler, para tomar suas próprias conclusões. Eu tive momentos de amor e ódio com os personagens, a interpretação é pessoal e intransferível. Por isso, se algo aqui lhe chamou atenção, sugiro que sacie sua curiosidade lendo o livro.

Como amiga, eu desejo a Roxane o sucesso que ela merece. É uma escritora incrível, que me fascina. Seus personagens são carismáticos, odiados, amados, desejados. Que venham os próximos livros dessa grande escritora nacional, que está conquistando seu espaço.

http://millafelacio.blogspot.com.br/2015/06/resenha-immortales.html

site: http://millafelacio.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



ELB 16/05/2014

Como um dos nossos livros favoritos... Temos três resenhas dele!

Feita pela Lala:
http://www.everylittlebook.com.br/2012/12/resenha-immortales.html

Feita pela Luiza:
http://www.everylittlebook.com.br/2013/03/resenha-immortales_1.html

Feita pela Lud:
http://www.everylittlebook.com.br/2013/03/resenha-immortales.html

site: http://www.everylittlebook.com.br
comentários(0)comente



Taby Igrejas 11/05/2013

Simples Leitora - http://simplesleitora.blogspot.com.br/
Romance e vampiros! Este é um tema que esteve na moda desde a febre de crepúsculo. Mas se você acha que Immortales é só mais uma história de vampiros está enganado... São vampiros, humanos, imortais ciganos e até piratas. Piratas?! (Você me pergunta.) Sim, piratas imortais! (Eu te respondo.) A questão é: Aí está uma salada mista que deu certo. Confesso que me surpreendi muito com o livro, não foi NADA do que eu esperava!
Ao ver Immortales pela primeira vez, a capa deixou um "ar de mistério", e tudo que é ligado a fantasia sempre me cativou. O começo da história me deixou intrigada, mas toda aquela informação em poucas páginas me deixou confusa. Mas, com o tempo, o leitor vai se envolvendo e compreendendo melhor a complexa trama.
Somos apresentados a Elise Fejéryi, uma princesa imortal, uma jovem inocente que sofre constantemente com as tentativas de abuso de seu irmão e noivo, Victor. Para sorte de Elise, sempre alguém a salvava... Fosse sua irmã Inês, seu tio ou seu primo: Edmund Ernöyi. Os clãs de imortais, para manter o sangue puro deveriam casar-se entre si, fosse com os irmãos, ou na falta destes, com os primos. Porém, Elise odiava seu irmão, repudiava-o. Em contrapartida tinha um carinho especial por Edmund que logo se transformou em uma paixão. Edmund amou Elise por anos e a protegeu de Victor, mas ainda que seus sentimentos fossem correspondidos eles não podiam ficar juntos, ela estava prometida a Victor. Os imortais tinham várias regras, tabus... Cada imortal tinha uma obrigação a ser cumprida, um dever, um destino selado.

"É certo o que estamos prestes a sofrer?"

A ousadia de Elise e Edmund foi grande, apaixonados eles contam a verdade sobre o relacionamento dos dois aos pais e sabendo que não estariam seguros ali, fogem de Victor e do Conselho. Eles sabiam que Victor não desistiria e que não perdoaria Edmund por roubar-lhe o que tanto desejava: Elise. Victor consegue poder no Conselho e faz de tudo para acabar com o relacionamento dos dois.
Em meio a fuga, temos András Valuescu, um imortal meio cigano que ajuda o casal a se refugiar. Uma pessoa com um coração puro capaz de se sacrificar por quem ama. Ele se relaciona com "Alena", a condessa de Vaslui. Sobre András prefiro não me prolongar, prefiro deixar que os leitores descubram mais sobre ele e seu papel na história! ^^

Na verdade, o livro é divido em três pontos de vista diferentes narrado por três personagens: Elise, Alejandro e Edmund. (Sendo que a Elise é a principal.) Então, nesse começo de história, vimos o Livro de Elise I, e depois seguimos para o livro dos Aramoyana, que é a história de Alejandro e Ellen.
Se o livro até aí estava bom... É aí que fica melhor!
Alejandro é o tal pirata imortal, diferente de András e Edmund ele faz um estilo um pouco mais "bad boy", digamos assim. (rs) Ele acaba se apaixonando por Ellen, uma jovem humana que é completamente diferente de qualquer "lady" que poderíamos conhecer na história. Não é preciso dizer que o amor dos dois era proibido... Ela poderia ser como qualquer outra, ser como sua irmã por exemplo, vestir-se como uma dama, tocar piano e bordar... Mas Ellen age como um menino travesso, e muitas vezes se veste como um também.

"Ela se esgueirou pelas vielas de terra batida, sujando a barra da camisola e do robe até chegar a uma pequena casa espremida entre outras de maior porte."

Eu simplesmente amei Ellen! Enquanto Elise era uma princesa, que parecia frágil e indefesa Ellen agia como um moleque! O que me fez gostar de Ellen foi o fato de ela não ser comum. Inocente? Sim. Mas mesmo não sendo a protagonista, na minha opinião ela poderia muito bem ser uma! Eu amei Alejandro e Ellen, a história deles é arrebatadora.
Mesmo que Elise ao longo da história mude em muitos aspectos, eu ainda prefiro Ellen.
"Mas que raios tinha a menina também? Por que não podia ser como as outras?"

Depois da história do pirata imortal com a humana Ellen, a autora retoma a história de Elise e por fim, a de Edmund onde podemos ver o ponto de vista dele.
Agora vejamos, os pontos negativos... Existe algum? No começo, no prólogo, como eu já havia dito, somos apresentados ao mundo de Immortales, como tudo aconteceu... Como os imortais vieram para a Terra, a história dos clãs, do Conselho, etc. Tudo isso é interessante e achei incrível, mas ao mesmo tempo fiquei com medo de não entender nada. É muita informação e eu fiquei um pouco perdida... Mas conforme você vai lendo aos poucos vai entendendo melhor. Além disso, teve Elise que depois de amar Edmund incondicionalmente, de arriscar tudo por ele me decepcionou em certo momento quando parecia ter esquecido de Edmund... Como um amor como aquele poderia terminar assim de forma tão simples? Não, é claro que eu sabia que tinha mais história pela frente... Mas Elise me irritou algumas vezes com certas atitudes. Enfim, acho que é só isso.
Eu me surpreendi com muitas coisas. Coisas que infelizmente não posso citar pois acabaria com toda a graça... Em poucas palavras, eu diria que Immortales é um livro sobre lutar contra o destino e fazer suas próprias escolhas. Elise e Victor eram irmãos e deveriam se casar assim como Edmund e Sophie que também eram irmãos e deveriam se casar. Basicamente, todos tinham obrigações por serem imortais, terem sangue real, etc. Eles deviam seguir as regras ou sofreriam as consequências. Só que eles resolveram lutar contra o destino que lhes era imposto e mudar tudo aquilo que eram contra.

Link da resenha: http://simplesleitora.blogspot.com.br/2013/05/resenha-immortales.html#more
comentários(0)comente



Ann 10/05/2013

Moda e eu



Há doze mil anos, treze clãs partiram de Sinai. Um planeta longe do Sistema Solar, seu destino: a terra que os anciões lhes prometiam. A sua Terra, ou Gaia, como os antigos da sua espécie a chamavam. E, nessa busca, houve uma batalha entre nós, e caímos aqui, junto a vocês. Buscando sobreviver em meio aos nossos erros. Esses anos todos vivemos dentro das regras de nossa sociedade e da sua; ocultos por nossos protetores, humanos ou não. Estamos entre vocês, envoltos pelas sombras dos atos de alguns, que ainda tentam dominar a humanidade através de nossa força e poder... Eu sou uma princesa e devia seguir o meu destino, mas como meus antepassados, resolvi mudá-lo...







Conta a historia de clãs vampirescos que vieram de outra lugar para terra. Eles se escondem para mandar-se em segredo.

Bom bom bom, desde pequenos a ligação entre Elise e Edmund é forte, porém ela já está prometida a outra pessoa.
Com o passar do tempo Elise fica com Edmund, casa com outro "homem". Edmund somi...
E bem para saber o que acontece só lendo.

Eu gostei bem mais da estória de antes da Elise se casar - não sou fã de trocas de casais. Porém immortales é lindo!

Recomendo - Super livro brasileiro sobrenatural.

Baci,
Blanc
comentários(0)comente



Liachristo 29/04/2013

RESENHA - Immortales - Roxane Norris - Editora Baraúna
Bom, a resenha de hoje foi difícil de fazer...
Acho que já comentei com vocês, que sempre que gosto muito de um livro, a resenha fica difícil, e nem me pergunte o porque, pois não saberei explicar.
Agora imaginem quando eu gosto muito de um livro e ainda por cima conheço a autora pessoalmente e tenho por ela um grande carinho? Ferrou de vez... kkkkkkk

Mas, já que não tem jeito e a resenha tem que sair... Vamos as minhas impressões:

O livro, conforme a própria sinopse já diz, conta a história de 13 Clãs de Imortais, que ao abandonarem seu Planeta chamado Sinai, vieram após alguns percalços aportarem aqui no nosso Planeta Terra.

Ao chegarem aqui estes Clãs de Imortais e os Vampiros, tiveram que criar regras, para que pudessem viver em harmonia entre eles e entre nós, os humanos. A principal regra em relação a eles, era se casarem entre si, ou seja entre irmãos e caso não houvesse irmãos, se casavam com os primos, para que fosse mantida a pureza da raça. Já em relação a nós, os humanos, a principal regra é que não fôssemos mordidos, e nem mesmo transformados em vampiros, para que não houvesse pânico e a convivência não se tornasse difícil.

Mas, é claro que em toda sociedade, regras são feitas para serem quebradas, e alguns vampiros desrespeitaram estas regras e morderam e transformaram humanos, criando assim um ambiente propício para a rebelião e em consequência disto a guerra.

Elise, é uma princesa, que inicia a história como uma menina indefesa, mas que no desenrolar da trama, se transformará numa mulher forte e que sabe o que quer. Ela foi prometida a seu irmão Vitor, um jovem frio e ambicioso, e que nutre por ela uma paixão doentia.
Mas, nem sempre o que é tido como certo, realmente acontece. Elise é apaixonada por Edmund, e vai lutar e passar por muitas situações difíceis por este amor...

Ellen, é uma jovem humana, filha de um Governador, mas que foi criada com muita liberdade e sem freios, e por isso parece quase ser um homem, o que muda completamente ao conhecer e se envolver com Alejandro, por quem vai nutrir um grande amor.

E é em torno destes amores de Elise e Edmund e de Alejandro e Ellen, que a história se desenvolve.

A história nos é contada sobre pontos de vistas, de personagens diferentes, dentre eles estão Elise, Alejandro e Edmund. O livro é dividido em três partes: A primeira parte traz o casal Elise e Edmund, a segunda parte traz o casal Alejandro e Ellen e a terceira e última parte retorna para o casal Elise e Edmund.

Isto em nada atrapalhou a minha leitura.
Confesso que ao iniciar o livro, achei o desenrolar da história meio lento, mas isto se faz necessário para que possamos ser introduzidos ao mundo de Immortales, que foi totalmente criado pela mente de nossa escritora.
o livro apesar de falar de Imortais e Vampiros, foi uma grata surpresa para mim. Tem toda uma maneira diferente e inovadora de nos contar a história. e eu gostei bastante. Não se parece em nada com nenhuma das histórias, sobre estes seres que eu já tenha lido antes. A autora soube criar e desenvolver muito bem sua história, e os fatos narrados sobre a Revolução Francesa, são claramente embasados em extensa pesquisa, o que dá para se observar durante a leitura.

Os personagens foram muito bem elaborados e desenvolvidos. Durante a leitura você é levado por várias emoções, e a autora consegue nos fazer viajar neste seu mundo diferente. As descrições de acontecimentos e lugares, são muito bem feitas e é fácil conseguir visualizar o que está acontecendo ou o local onde a cena se passa.

A história flui muito bem, de maneira leve e fácil, depois que você passa das primeiras partes. Eu adorei todas as passagens e a cada capítulo que terminava, ficava ansiosa pelo próximo.

Para mim, Immortales é uma linda e emocionante história de amor, muito bem contada, por uma autora deliciosamente talentosa. Valeu a pena ler e me envolver nestas 654 páginas de ação, intrigas e muito romance ...
comentários(0)comente



Fernanda 25/04/2013

Resenha: Immortales - Roxane Norris - Baraúna
Link da resenha:

http://www.segredosemlivros.com/2013/04/resenha-immortales-roxane-norris.html

Resenha: Apesar de Immortales ser extenso, foi um livro que me despertou várias emoções e mais uma vez vejo o quanto é difícil escrever uma resenha diante de uma trama maravilhosa. Roxane Norris foi ousada ao criar uma história intensa e apaixonante, rica em detalhes e particulariedades. Neste enredo, conhecemos mais sobre a história dos imortais, sobre os renegados e o conselho. Nos personagens, além dos imortais, podemos encontrar os vampiros, e o interessante é que cada um dessa espécie se porta diferente ao que deveria ser. Existem treze clãs de Imortais, estes que habitavam um planeta distante, vieram para a Terra e criaram suas próprias regras. Porém, também existem os que estão se afastando cada vez mais de seus costumes e criando consequentemente uma rebelião.

“Uma promessa feita entre nós dois fazia meu coração se comprimir no peito conforme a carruagem se aproximava da construção imponente de pedra polida; eu afinal iria revê-lo depois de tanto tempo.” Pg.27

Num ambiente controlador, surge um amor proibido. Vale destacar que a regra imposta é que os irmãos deveriam se casar entre si para poder preservar o sangue puro. Elise já estava prometida para seu irmão Victor, um imortal insensível e frio. Porém Elise já é apaixonada pelo seu primo Edmund, de outro clã, e por esse motivo, essa relação se torna fora dos padrões impostos por essa sociedade. Essa trama é envolta por surpresas, fatos marcantes e dramáticos. Elise vai passar por várias situações complicadas e que podem atrapalhar em sua jornada, sem falar que ainda entrará em cena outras pessoas que irão confundir ainda mais a vida de nossa personagem central, além de que outro casal irá passar pela mesma situação que Elise.

“É desnecessário dizer que não houve um minuto daquela noite em que não flutuei até os canteiros de lis, depois de ele ter me deixado em casa, sentindo os castanhos presos a mim até que eu sumisse de suas vistas, que não senti o gosto dele nos meus lábios e sua presença em mim, mais forte do que antes. Se havia alguma dúvida em minha mente sobre o que seria do meu futuro, agora a resposta era certa: eu estava completamente perdida e irremediavelmente ligada a Edmund.” Pg.101

Os personagens são muito bem elaborados e centrados, e o que chama mais a atenção nesta história é o modo como a autora incluiu de modo tão complexo os detalhes e acontecimentos. Sem falar que todos acabam se interligando no decorrer dos fatos, dando um ar maior de envolvimento e suspense. Preciso dizer que como existem vários livros que apresentam os vampiros, é algo que se torna extremamente difícil escrever algo inédito acerca destes seres. E levando isso em consideração, Roxane Norris mais uma vez merece destaque pela história original e dinâmica. Sem falar que é visível o quanto ela precisou se aprofundar no assunto e nos trazer uma pesquisa histórica detalhada e completa.

“- Ainda assim, se você não tivesse sido teimosa, eu ainda estaria lá – beijou-me os cabelos – na posse daqueles renegados. Obrigado.
- Eu morreria por você – sussurrei sobre a pele clara dele.
- Eu sei...,e nesse momento, isso me preocupa.” Pg.260


Apesar de conter várias páginas, o livro nos apresenta uma leitura leve e ágil, as cenas são fortes e envolventes e a cada página virada o leitor anseia por mais. Com certeza, é um livro mais que recomendado para os amantes dos seres sobrenaturais e das histórias mágicas e fantásticas.





Link da resenha:

http://www.segredosemlivros.com/2013/04/resenha-immortales-roxane-norris.html
comentários(0)comente



Luiza Cintra 28/03/2013

AMEI! AMEI! AMEI!!!!!
Esta resenha é muito especial. Posso afirmar que é uma das resenhas mais difíceis que já fiz, pois me importo muito com quem a lerá e o livro é tão maravilhoso e tão complexo que é difícil expressar toda a minha opinião em apenas um texto.


O livro Immortales, de Roxane Norris, conta a história dos treze clãs de Imortais que partiram de um planeta chamado Sinai, vieram aqui para a Terra, se estabeleceram e começaram uma nova vida, há doze mil anos atrás. Criaturas sobrenaturais, dotadas de habilidades além da compreensão humana, os chamados imortais, fizeram da Terra a sua nova casa e criaram os tabus, regras que todos os clãs devem seguir rigidamente, a fim de evitar a extinção de sua raça. Para preservar a identidade dos clãs (e se proteger contra ataques), cada clã passa um tempo hibernando e os clãs que são despertados alternam de tempos em tempos. E ainda existem os Protettori (imortais ou não) que têm a função de proteger a identidade e local de hibernação dos clãs, com o objetivo de garantir a segurança de todos.

Mas toda sociedade tem defeitos. Haviam imortais que fugiam à regra e se alimentavam de humanos, os transformando nos chamados vampiros. Uma raça impura de imortais que herda dos puros apenas a luxúria intensa e a sede de sangue. Um perigo para toda a sociedade. E eles vêm crescendo em números, exigindo fazer parte da sociedade. Há imortais traidores. Vampiros infiltrados. Uma guerra se aproxima.

A personagem principal se chama Elise. Uma imortal do clã Fejéryi, que foi prometida ao seu irmão Victor casamento, um imortal vil e mesquinho, que o tempo todo tenta abusar de sua irmã. O pior de todos os tabus. Os imortais devem se casar com seus irmãos a fim de preservar a pureza de seu sangue. Só que Elise é apaixonada por seu primo Edmund, do clã Ernöyi, o clã Real, e para consumar esse amor eles teriam que infringir a lei e arriscarem-se a manchar a honra de suas famílias. Mas os dois não desistirão e viverão esse amor a qualquer custo.

Na busca de sua felicidade, muitos empecilhos e acontecimentos inesperados parecem conspirar contra Elise e Edmund, e um destino incerto os aguarda.

E no meio do caminho há András. Um imortal do clã Valuescus, os conhecidos ciganos. Tudo vira de cabeça para baixo e a vida de todos toma um rumo nunca antes pensado. Mas não para por aí.

As reviravoltas na vida de Elise não terminaram, e o desfecho desta história guarda surpresas tanto eufóricas quanto angustiantes e outro amor impossível cruza o caminho de Elise.

Alejandro Aramayona, líder de seu clã se apaixona por uma humana e se arrisca a quebrar o maior dos tabus. Valeria Ellen o suficiente para levá-lo a cometer tal assombroso delito? Sim. O amor sempre vale a pena. Mas uma decisão que pode decidir o futuro dos dois deve ser tomada. Decisão essa que pode mudar o futuro de todos os clãs.

Os líderes dos clãs vão se reunir. As regras precisam ser revistas. Vampiros precisam ser condenados. Um amor precisa ser salvo. Mas todos não sabem as surpresas que os aguardam.

----------

Eu fiquei muito ansiosa para ler Immortales. Não sabia o que esperar, tinha medo de não gostar, por conhecermos a Roxy e ela ser uma pessoa tão fofa. Mas estou extremamente feliz em anunciar que eu mais que amei esse livro. Vou contar para vocês o porquê.

É um livro magnífico, com personagens incríveis e excelentemente elaborados. Uma trama tão complexa, e ouso afirmar que isto foi o que mais me atraiu. Tantos clãs, tantos personagens e tantos fatos interligados. É uma história daquelas que desafiam sua imaginação. Não se engane, não é apenas mais um romance, é O romance.

Não é aquele tipo de livro para se ler correndo, com pressa de descobrir o final. Immortales é daqueles livros que merecem ser lidos mais de uma vez, há muito para absorver.

Roxane Norris dá aula de Língua Portuguesa em Immortales. A narrativa é tão amarrada, tão bem escrita que é impossível não arrancar um sorriso daqueles que apreciam um bom texto. É uma obra cheia de requinte e bom gosto e ah, como eu amo bom gosto. Apenas estes fatos já me fariam ler de novo, mas os pontos altos deste livro não param por aí.

É realmente maravilhoso quando você lê um livro que transparece todo o trabalho por trás da história, todo o capricho da autora. Eu simplesmente amo livros que não apenas arremessam os fatos, mas têm todo um embasamento histórico. E nesta obra você vê isso muito bem. Toda a pesquisa feita pela Roxane, todo o empenho em enquadrar os acontecimentos nos seus devidos períodos históricos. Nesta história você encontra menções à Revolução Francesa, Napoleão, Maria Antonieta e muito mais. AAAH como eu gosto disso. Sou fã de livros inteligentes e o universo criado pela Roxy em Immortales é arrebatador, de incrível imaginação e muito bom gosto.

E ainda há todos os questionamentos e críticas à sociedade. O tempo todo os tabus são postos em discussão, o que nos leva a pensar no que realmente é importante em nossas vidas.

Os personagens são maravilhosos. Elise é uma mulher que é posta à prova todo o tempo e resiste bravamente às surpresas indesejáveis da vida, nunca abandonando o desejo de ser feliz. Edmund, seu amor de toda uma vida, é um verdadeiro príncipe, que tem defeitos como qualquer homem, mas não mede esforços para conseguir ser feliz com sua amada.

“Meus lábios nos dele e a escuridão que servia de abrigo para nossos corpos, enfeitiçados um pelo outro... Entregues ao amor que nem mesmo o tempo abreviava.”

András..... Impossível não se apaixonar por esse cigano. Um homem incrível que não posso falar mais, pois corro o risco de contar spoilers.

“Eu a amo Lise... mais do que qualquer coisa nesse mundo. Você me trouxe luz e paz quando eu já não pensava num dia de sol. Coloriu meus dias com seu sorriso, essa sua humanidade cega. Sem convenções e regras. Eu amo a mulher e a imortal que está por baixo desse rosto de menina... A princesa que enfeitou os meus sonhos todo esse tempo...”

Inês, a irmã gêmea de Elise é o contrário da irmã, super extrovertida e diz tudo que pensa. Victor, irmão e prometido de Elise, um sujeito odiável que só enxerga o próprio umbigo o e o tempo todo tenta violar sua irmã. Acha-se o seu dono apenas por ser seu noivo e faz de tudo para tornar a sua vida um inferno, prometeu nunca a deixar em paz.

Toda a parte do Alejandro e da Ellen, que é inserida no meio da história de Elise, só torna o livro mais perfeito. Tudo se encaixa e nos faz se apaixonar por esse novo casal. A ingenuidade de Ellen é o que a faz tão incrível, e seu amor por Alejandro é muito inspirador. Muito linda a história desses dois.

“Os violetas os tocaram delicadamente, primeiro só com o olhar, sentindo-lhe a inocência, a mesma que marcava o corpo sob a camisola. O corpo que o seu desejava consumir, como o amor que sentia por ela, um veneno doce em suas veias, que ele não deixava que o corrompesse, que o fizesse tomar o que não era seu. Devia apenas roubar-lhe o beijo, o tão sonhado toque que ela ofertava... queria sorver-lhe todos até o fim de sua existência e da dela, mas se conformaria se fosse apenas um. Seria o primeiro, o que ela sempre carregaria em suas lembranças."

Um romance arrebatador, repleto de cenas quentes e sensuais, capaz de tirar o fôlego de quem o lê.

“O sangue dele em minha língua ao me derramar sobre ele, nos movimentos intensos de quadris que nos consumiam. Nos sons presos na garganta, calados nos lábios um do outro, quando nos abraçamos... trêmulos. Amantes, imortais... Demônios de nós mesmos.”

Immortales é um livro que todos deveriam ler. Um romance de arrepiar, com uma escrita de muito bom gosto e requinte, cheio de personagens intrigantes, com um belo embasamento histórico e imprevisível. É impossível prever o que se lerá na página seguinte, é surpreendente, é maravilhoso.

“ No caminho da bondade também há corações escuros.... assim como no amor, nem sempre há luz.”


Leia a minha resenha em:

http://www.everylittlebook.com.br/2013/03/resenha-immortales_1.html
comentários(0)comente



Lud 01/03/2013

Immortales!
Depois de tentar organizar as emoções após terminar de ler, eu resolvi que esse livro em particular merecia uma resenha. A história merece ser lida por muitos apaixonados por livros como eu.

Devo dizer que é um livro impressionante tanto na qualidade da escrita como na riqueza de detalhes. A Roxy criou um mundo totalmente novo baseado no que eu mais gosto que é romance e vampiros.

O começo já é um mar de detalhes, onde se é explicado o mundo onde o livro se passa. A existência dos Imortais, O conselho e os Renegados.

"Não éramos todos iguais? Sim, tanto eu como você vivíamos mais que um milênio ou três, mas a guerra nunca traz benefícios, e eu conservei esse poder através de uma maldição... a maldição de sangue. E quem estaria, em sã consciência, feliz por viver preso a isso? Nós não tivemos escolha, fomos criados na tentativa de manter vivas meras crianças... Vidas. Você nunca foi menos do que eu... e eu invejo você por poder decidir seu destino. Eu estou em você e você em mim, somos parte de uma mesma natureza, alterada por aqueles que não tinham o direito de existir... "

A sociedade dos imortais é um pouco diferente da dos humanos, pelo fato do casamento entre irmãos para preservar o sangue puro dos imortais. Mas também podemos perceber os pequenos detalhes que os assemelham muito aos humanos, como os sentimentos e até mesmo as tradições.

A história é centrada em Elise e Edmund. No amor proibido dos dois, por estarem prometidos aos seus respectivos irmãos. Mas claro que isso não impede o amor entre os dois, e a saga para poderem ficar juntos no final. A historia desse casal para mim, foi uma surpresa, eu não esperava as reviravoltas, eu não esperava a separação dos dois e o András no caminho.

Confesso que amei mais o András do que o Edmund.. mas eu entendo a Roxy, entendo o que ela quis fazer, e compreendo a diferença no tipo de amor dos dois. Um amor que é aqueles únicos, para a vida inteira, e outro construído pelos pequenos detalhes, um não é melhor ou mais importante que o outro, mas sim diferente. Chorei litros pelos dois... e pelo desfecho.. afinal ela não podia ficar com os dois.


"Meus lábios nos dele e a escuridão que servia de abrigo para nossos corpos, enfeitiçados um pelo outro... Entregues ao amor que nem mesmo o tempo abreviava."


Surpreendeu-me muito ao começar ler um capítulo destinado a contar a trajetória dos Aramoyana, e o capítulo ser praticamente um livro dentro desse. A historia foi contada com tal riqueza, que era como se estivesse lendo outro livro, o do casal : Ellen e Alejandro. Veja bem, pode parece que immortales foi cortado, e outra historia colocada no meio, mas não, tudo se encaixa tão perfeitamente, você se envolve no enredo como se esse casal fossem os principais do livro.

De novo a história é linda. Um imortal apaixonado por uma humana, que quebra todas as leis de seu mundo para salvar seu filho, transformando-o em algo igual a ele. E ai está de novo a comparação com os humanos. Os imortais são mais humanos do que pensam, e a recusa no começo de Alejandro em transformar o filho em um monstro como ele, mostra que são mais conscientes aos sentimentos do que se permitem demonstrar.


"— O que me pede é um absurdo! — correu os dedos nos cabelos, de costas para Ellen. — Quer que eu viole nossas leis e dê a ele um destino infame!
— Ele é nosso filho! — protestou irritada, colocando-se com dificuldade de pé e indo até ele. — Eu daria minha vida pela dele!"


Eu gostaria de descrever mais coisas, mas eu não quero revelar mais sobre a historia. Em resumo, o livro é cheio de reviravoltas, e recheado de personagens fortes, e espero que cada um receba um livro.. huhuu.. já falei isso para a Roxy, quero um livro de cada casal que aparece no livro um.

Definitivamente um dos meus preferidos, e minha série do coração, não só porque eu conheço a Roxy e apoio os autores nacionais, mas é porque o Livro merece. Edmund e Elise merecem serem lidos e apreciados.

Roxy, fazia muito tempo que eu não lia um livro tão bem escrito, que show de língua portuguesa. E não é só isso, me surpreendi com as cenas Hots, porque estou acostumada com as cenas explicitas, e as suas foram perfeitas, descritas ao ponto de você conseguir imaginar tudo, mas sem palavras diretas. Estou em depressão pós livro, esperando pelo próximo.


"De almas sinceras à união sincera.
Nada há que impeça. Amor não é amor,
se quando encontra obstáculos se altera.
Ou vacila ao mínimo temor."


Lud.
http://www.everylittlebook.com.br
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Josy.Stoque 23/12/2012

Interessante, denso e sexy
Os imortais de Rox, como a chamo carinhosamente, são poderosos, intensos e belos. Desde as primeiras páginas fiquei presa pela sensualidade pulsante, um prato feito para qualquer pessoa que curte um trecho hot.
Adorei a Elise. Sua busca pelo amor verdadeiro, sua fuga de um pretendente frio e manipulador, sua coragem em recomeçar apesar das adversidades. É com certeza o tipo de protagonista que me inspira. Amo o Edmundo, apesar de suas fraquezas, totalmente compreensíveis. E o que seria dos homens se não tivessem defeitos e pontos fracos? Odeio o Vitor, crápula! Aff, não vou me estender para não spoilar. Adorei a história de Alejandro e Ellen.
Bem, o que eles todos tem em comum? Uma sociedade controladora, cheia de regras injustas e brechas para a traição. Edmundo e Elise, por sua alta posição social, são o centro de uma guerra fria, que ao passar dos anos se torna uma guerra física, porém realizada à espreita, fazendo pessoas desaparecerem como mágica. Clãs inteiros são dizimados, novos seres surgem a partir dos imortais. Uma nova sociedade ameaça despontar. Porém, isso fere os interesses de alguns...
Bem, chega né HAHAHA Vão ler para entender. Uma história envolvente, impossível de largar, cheia de suspense, cenas de tirar o fôlego, ação, sexo e muito amor, como não podia deixar de ser. Parabéns, Rox, seu livro é excelente. Eu amei e super recomendo.
comentários(0)comente



Lala 04/12/2012

Immortales (L)
Immortales conta a historia de dois casais, Elise e Edmund e Alejandro e Ellen. Cada um a seu jeito desafiam a sociedade em que vivem. Que sociedade? Ok, vou tentar explicar.
O livro começa com Elise e Edmund. Cada um é de um dos sete clãs sobreviventes, eles são primos.
Cada um está prometido com seu respectivo irmão. Elise deve se casar com Victor um imbecil que faz você desejar que queime no inferno, Victor não só quer Elise como também deseja governar os sete clãs. Edmund (o príncipe da raça) está prometido a sua irmã Sofie, uma menina chata e mimada mas que aprendi a aturar ao longo do livro, e em algumas partes cheguei a até a gostar. Edmund e Elise não podem ficar juntos por que devem se casar com os irmãos, para manter a raça o mais pura possível, mas e se mudarem essas leis tão chatas?
Dos sete clãs que ainda vivem, eles se revezam adormecidos. E para mudar as leis todos precisam estar despertos. Vamos acordar todos então! Tá, mas e cadê os Aramoyana? Não vou falar! Leiam para descobrir...

“Era meu o corpo dele, preso entre as minhas pernas, se perdendo no meu toque. As presas que deslizavam no meu pescoço e ferviam meu sangue, ansioso pela dor da mordida.
Sangue e prazer juntos. E ele bebia da minha inocência derramada, tomando o meu corpo em êxtase e fazendo-o tremer sob o meu.”

Alejandro é um conde que se apaixona pela filha de um governador com quem tem negócios, Ellen, uma garota humana, que gosta de se vestir de menino e correr por ai. Existe o tabu de que Imortais não podem se envolver com humanos. Esses dois lutam para viver o amor deles.

Os outros personagens desse livro me deixaram completamente apaixonada. András, um cigano sexy e encantador que me conquistou desde o primeiro instante com aqueles olhos esmeraldas. Inês, a irmã impulsiva da Elise. Augustus, irmão do Edmund. Os vilões são muito bem criados, odiei todos com todas as minhas forças, malvados até a ultima fibra de cabelo. E claro, os meus favoritos Ania e Pietro que são um excesso de fofura! O romance do András me cativou, gosto de amores que crescem, evoluem, e não que surgem do nada! Sempre torci por ele, foi com ele que ri e chorei mais durante o livro todo.

“Seus verdes nos meus castanhos e as mãos que acariciavam meus cabelos sem que eu a impedisse. Eu precisava daquilo, ao menos naquele momento, alguém que me desse carinho quando haviam me tirado tudo. Fechei meus olhos, absorvendo o toque dele.”

Então, eu gostei do livro! O que mais gostei nele foram as surpresas, as reviravoltas... Em muitos livros só de ler a sinopse já imaginamos o final, com Immortales isso não acontece! Durante todo o livro fiquei alucinada de curiosidade por que não conseguia ter uma pista do final... E foi ai a minha maior dificuldade em escrever essa resenha, não quis soltar spoiler nenhum para que vocês possam se surpreender tanto quanto eu.

Já nos agradecimentos a autora agradece a Jane Austen de quem é muito fã, e da pra notar isso, o livro tem muitas referencias da Jane, o jeito de escrever, aquele romantismo e até o titulo de alguns capítulos: Razão e sensibilidade e persuasão.
Tem umas cenas bem melosas com umas frases tipo “os seus esmeraldas nos meus castanhos” tem muita repetição disso, referente aos olhos deles... Com o tempo você se acostuma (e se for como eu começa a pensar assim).
Quando passa pra parte de Alejandro confesso que cansei e que pulei alguns parágrafos, achei muito chato e sem necessidade de incluir no livro essa parte. Mas já li umas resenhas que amaram essa parte. Ponto positivo pra Roxane que consegue agradar todos.

Achei o final digno, e de certa forma foi o que eu esperava! Muito fofo...o Pietro e a Ania? Que coisa mais fofa!! Pode escrever um livro sobre a história deles viu Roxane? Não vou achar nada ruim...

O livro é narrado em primeira pessoa e é divido em quatro partes: Elise, Alejandro, Elise parte 2 e Edmund. São 654 paginas de muito romantismo, ação, suspense, sexo e mais ainda de muita atenção e amor da autora.

Gostei do livro, e sem duvida indico e comprarei outros livros da autora. Que na Bienal de São Paulo 2012 já disse que na Bienal do Rio em 2013 vai estar lançando outro livro. Espero conseguir outro autografo dela =D


“Se isso for um sonho, milady. (...), não me acorde.
— Viverias em um sonho? (...)
— Se fosse para tê-la para sempre (...)— sim — (...)
— Então eu adoraria partilhar seu sonho. (...)
Eu era dele. Irremediavelmente dele.”
comentários(0)comente



Deise 26/11/2012

Fantástico
Um livro fantástico!
Resenha feita na Devoradora de Livros.
http://www.devoradoradelivros.com.br/2012/11/resenha-immortales-roxane-norris.html


O livro conta a historia de um amor que pode perdurar por meses, anos e séculos. Um amor entre dois casais: um casal de Immortais, um Immortal e uma humana.

Immortales são vampiros de sangue puro, são frutos de outros Immortales. Existem sete clãs de Immortales.

Os vampiros propriamente ditos são vampiros de segunda classe (impuros), fruto da transformação do humano através de um Immortal.

A sociedade é composta pelos setes clãs de Immortal e um clã de vampiros impuros. Para manter a ordem da sociedade o Conselho é formado por um líder de cada um dos sete clãs. Estes criaram regras e tabus para proteger tanto a vida dos humanos que estavam se tornando alvos fáceis e por ordem tanto nos Immortais quando nos impuros.

Um Immortal só poderia casar e ter filho com outro immortal para manter seu puro sangue, isso significa que irmã se casava com irmão, primo e prima e assim por diante. É proibido se alimentar de um humano e muito menos o transformá-lo em vampiro, esse era o grande tabu.

Os vampiros também não poderiam se alimentar de humanos e nem provar sangue dos immortales sem que esse lhe concedesse esse benefício.

Vamos lá ao ponto principal:

1º Casal:

Elise e Edmundo ambos Immortales, são primos que mantém um relacionamento escondido de todos por dois mil anos. Elise estava prometida a seu irmão Victo que a atormentava sempre e Edmund a sua irmã Sofie. Traição não era aceitável a vista do Conselho.

O plano que Edmundo formulou para que ambos ficaressem juntos mesmo fungindo de um lado ao outro do mundo, seria a gravidez de Elise, mesmo tendo que enfrentar a fúria de Victor e do conselho.

Mas por obra de Victor a história toma um rumo diferente e cada um terá que aprender a lidar com o que aconteceu no passado e seguir a vida. Entretanto nem tudo está acabado, a um fio de esperança no clã dos Aramoyana.

É um amor avassalador, delirante e possessivo.

2º Casal:

Ellen uma humana filha de um governador, não aprendeu a tocar piano e bordar com as outras meninas da sua idade, pelo contrário gostava de Espanhol e Italiano, passava o tempo lendo livros, estudando línguas e com seu amigo Joaquim.

Alejandro um Immortal, um conde e líder do clã de Aramoyana, que se apaixona por uma menina de 17 anos, com cheiro de rosa. Sua inocência, esperteza e virgindade atraíram ele de tal modo que passou a viver por três meses na mesma casa que a dama.

Ellen foge de casa e larga sua família para ficar em alto mar, com esse homem misterioso.

Igual a Elise ela também engravida, mas o desenrolar da historia é completamente diferente das duas, seu filho quase morre por causa da varíola, colocando Alejandro em uma péssima situação que transgride as leis do conselho.

Os desfechos são surpreendentes em cada história.

O livro é dividido em três partes: O Livro de Elise - Parte I, O livro de Aramoyana e O Livro de Elise – Parte II, respectivamente. As histórias sempre são contadas em primeira pessoa.

Já no final do “O Livro de Elise - Parte II” a narrativa dos fatos fica por conta de Edmundo, que faz a diferença. ^^

No livro há outros personagens fantásticos e super fofos com Inês, Amélie, Augustos, Oliver, András *.* (mais que fofo! A-p-a-x-o-n-a-d-a!) e muitos outros.

Uma leitura envolvente de fácil linguagem. A escritora tem uma forma peculiar em seu livro, consegue envolver-nos em cada cena, nos personagens, na história. As cenas mais hots ela narra não descrevendo o ato sexual e sim os sentimentos envolvidos entre os dois amantes.

Apesar de ser um livro com 650 páginas (um livrão,rs) a leitura flui facilmente, varei a madrugada durante alguns dias lendo e perdi a noção do tempo entretida com o livro.

Eu acredito que a escritora fez uma ótima viagem no tempo, com a pesquisa histórica para os leitores poderem apreciar mais a obra, já que o livro se baseia na época de Napoleão. Pessoal o livro é uma ficção.

Eu recomendo a leitura!!! Preciso dizer algo mais? Acho que não. O livro irá superar a sua expectativa.
comentários(0)comente



danilo_barbosa 18/09/2012

Suspiros e paixões imortais
Veja mais resenhas minhas no Literatura
http://literaturadecabeca.com.br

Olá, meus queridos literatos. Não tenho aparecido tanto quanto gostaria, mas não é por minha culpa... É que simplesmente não tem dado tempo de dar aquela paradinha básica em frente ao note para contar a vocês as novidades. É trabalho, revisão, responder e-mails do Literatura, falar com os colaboradores, fechar parcerias... Uma loucura, gente!

(Voltando ao foco, Danilo!) Bem, mas hoje consegui vir para cá a fim de matar um pouco a saudade de vocês e falar um pouco de um livro que achei excelente: a saga romântica Immortales, da carioca Roxane Norris!
Mas antes, para explicar melhor, vou contar a minha saga desde o começo, ok?

Conheci a Roxie (esse é meu apelido carinhoso para esta autora-sorriso) há alguns anos, durante algumas atribulações envolvendo uma editora-fantasma - Acho que muita gente aqui sabe de quem eu estou falando... Conheci um pouco da história dela na busca de um lugar para publicar o seu primeiro livro e só fui conhecê-la ao vivo, finalmente, na semana do seu lançamento, na Bienal de São Paulo este ano, no estande da Baraúna.

Bom, momentos de abraços e cumprimentos à parte, fiquei muito feliz de ganhar um exemplar do seu pequeno primeiro filho (Pequeno não sei onde. São 650 páginas!) para dar as minhas opiniões para vocês, meus amigos...

Agora vamos parar de explicação e falar dessa história cheia de romances e traições.
Bom, já vou logo esclarecendo que este é um livro de vampiros, ok? Mas, ao mesmo tempo em que esse é o assunto principal, você se esquece disso... Não entendeu? Já vou explicar.

No começo da civilização humana, uma raça chegou a Terra fugida de um planeta parecido com o nosso: Sinai. Eles viam na Terra o lugar prometido pelos seus ancestrais, onde poderiam viver em harmonia. Mas a coisa nunca acontece como pensamos.
Ao entrarem na atmosfera terrestre, o metabolismo deles se altera. Apesar de não envelhecerem, o corpo exige tanto de si que começa a perder sangue. Aí o que acontece, precisam se alimentar do danado... Olha a vampirada em cena, gente!

O livro corre em torno das famílias destinadas a governar os nossos queridos imortais. Em meio a intrigas, disputas por poder e pessoas que querem fazer a diferença em um sistema de leis que se torna defasado com o passar dos anos, nós conhecemos Elise. Ah, a doce Elise... Ela parece saída de um romance de Jane Austen: voluntariosa e ao mesmo tempo doce, nutre uma paixão secreta por Edmundo, o seu primo. Mas, infelizmente, nas leis dos Imortais, ela está prometida para casar com Victor, o seu odiado, famigerado, bastardo e cretino irmão - eles casam entre si para manter a raça incólume. Edmund é o perfeito cavalheiro - bonito, gentil e lindo demais. Só falta o cavalo branco para satisfazer o sonho de qualquer mulher romântica.

O tempo passa e seu irmão se mostra muito mais perverso do que ela imaginava. Ele tem planos não só de tê-la a qualquer custo, mas tomar o controle das famílias e ser senhor absoluto dos clãs. E, para isso, ele não hesitará em mentir, matar, dissimular e manipular as pessoas pelo seu prazer.
Enquanto isso, o coração de Elise não consegue mais esconder o que sente. Principalmente ao ver seu grande amor ser correspondido. Será que deveria se submeter a leis que não deseja cumprir. Ou jogar tudo para o alto e viver sua história, correndo o risco dela e de Edmund perderem a vida neste processo?

Gostou? E isso é só o começo? Por ser seu primeiro livro, tenho de bater palmas de pé para ela. Ela sabe conduzir a história, ambientando o leitor com precisão em uma perfeita viagem ao tempo. Conduz a gente ao clima necessário para compor as cenas, independentes de amor ou terror profundos. Tem de ser uma pessoa cuidadosa com o público para criar todo um universo, principalmente em um tema tão batido (infelizmente) como os meus queridos sanguessugas.

Como eu disse logo acima, apesar de ser sobre eles, você se esquece dos caninos afiados e da sede por sangue, quando se depara com corações apaixonados, mágoas intensas, obsessões e traições. Eles são tão cheios de intensas paixões humanas que você anseia que tudo termina bem. As desventuras do casal apaixonado nas mãos do FDP do Victor são demais. Eles encontram, se separam, outras pessoas aparecem em suas vidas, saem, mas o que sentem um pelo outro nunca arrefece.

Mas a galeria de personagens fantásticos não para por aqui. Além do Victor - que é um vilão que adoraria espancar - temos András, um cigano que faz nosso coração parar de bater; Inês, a irmã gêmea de Elise que não pensa antes de falar ou lutar pelo que quer e o segundo casal em destaque desta trama (e que conquistou minha alma de leitor): Ellen e Alejandro. Ele é o último herdeiro do clã Aramoyana, um espanhol pirata que mexe com a libido da gente. Ela é uma humana, nobre em plena época da Queda da Bastilha e é tão louca que até de homem ela finge para ficar perto dele... Juro que eles me cativaram e eu gostaria muito que a Roxane escrevesse um livro só deles - Fica o pedido no ar...

Bom, a única ressalva que ainda me resta fazer é que a autora tem um jeito diferente de descrever determinadas cenas. Naquelas horas hot, que todo mundo coloca os mínimos detalhes em pauta (tem horas que me sinto num documentário do National Geografic) ela descreve os sentimentos e desejos que envolvem e entorpecem os personagens. Adorei isso! Outra coisa é a ausência da palavra "olhos". Calma, gente, não é que ela não use. Longe disso... Mas raramente o faz. Então é muito comum "Ela viu os azuis dele nos castanhos dela." Pode parecer estranho no começo, mas você acaba se acostumando.

Chega por enquanto. Já falei demais, não acham. Tenha que deixar vocês com vontade de ler, né? Então, não percam a chance de entrarem nesse universo tão bem criado pela Roxane Norris e se apaixonar, assim como eu fiz.
comentários(0)comente



Literatura 18/09/2012

Suspiros e paixões imortais
Olá, meus queridos literatos. Não tenho aparecido tanto quanto gostaria, mas não é por minha culpa... É que simplesmente não tem dado tempo de dar aquela paradinha básica em frente ao note para contar a vocês as novidades. É trabalho, revisão, responder e-mails do Literatura, falar com os colaboradores, fechar parcerias... Uma loucura, gente!

(Voltando ao foco, Danilo!) Bem, mas hoje consegui vir para cá a fim de matar um pouco a saudade de vocês e falar um pouco de um livro que achei excelente: a saga romântica Immortales, da carioca Roxane Norris!
Mas antes, para explicar melhor, vou contar a minha saga desde o começo, ok?

Conheci a Roxie (esse é meu apelido carinhoso para esta autora-sorriso) há alguns anos, durante algumas atribulações envolvendo uma editora-fantasma - Acho que muita gente aqui sabe de quem eu estou falando... Conheci um pouco da história dela na busca de um lugar para publicar o seu primeiro livro e só fui conhecê-la ao vivo, finalmente, na semana do seu lançamento, na Bienal de São Paulo este ano, no estande da Baraúna.

Bom, momentos de abraços e cumprimentos à parte, fiquei muito feliz de ganhar um exemplar do seu pequeno primeiro filho (Pequeno não sei onde. São 650 páginas!) para dar as minhas opiniões para vocês, meus amigos...

Agora vamos parar de explicação e falar dessa história cheia de romances e traições.
Bom, já vou logo esclarecendo que este é um livro de vampiros, ok? Mas, ao mesmo tempo em que esse é o assunto principal, você se esquece disso... Não entendeu?

Acesse o Literatura e descubra:
http://bit.ly/QlkS0F
comentários(0)comente



Cat 15/09/2012

Um Livrão!!!
Todos sabem que eu gosto de livros de vampiros e para mim o mercado não está saturado. Está saturado das mesmas mesmices e da falta de noção de alguns autores, que não fazem sua lição de casa.

Ser escritor de livros vampíricos não se resume a ler Bram Stoker, Anne Rice e ver filmes do Tim Burton. Para escrever um livro do gênero é necessário fazer uma pesquisa histórica sobre o assunto. Sim, pesquisa HISTÓRICA. Porque a maioria das coisas que Anne Rice e Bram Stoker escreveram saíram de sua imaginação e foi colocado no livro apenas para vender e encher linguiça.

Adoro Anne Rice, mas que ela enche linguiça, ah, enche!
Então quando eu comecei a ler o livro Immortales da Roxane Norris e vi que ela teve um cuidado todo especial em sua pesquisa histórica, eu tive orgasmos múltiplos. Esqueça 50 Tons de Cinza e True Blood. É só me dar um livro de vampiros com uma pesquisa bem feita que eu enlouqueço. É como me jogar num quarto cercada por 20 clones do Orlando Bloom.

Bem, agora que já fiz mais uma piada infame (Isso é minha doença), vamos a trama:

"Immortales" traz a história de dois casais: Edmund e Elise, Alejandro e Ellen. Que por amor desafiam os tabus e regras de sua sociedade.

Agora vem a parte mais complicada... Explicar como essa sociedade funciona.
Enquanto você lê a história é fácil... O problema é colocar no papel. Mas vamos ver se eu consigo.

A sociedade é composta por 7 clãs imortais (Vampiros puro sangue) e 1 clã de vampiros (Impuros) Se você conhece a história do Blade, é mais ou menos parecido.

Os 7 clãs imortais devem manter seu sangue puro... Isso é os membros das famílias devem se casar entre si: Irmão com irmã e na falta deles entre primos.
Tanto vampiros quanto imortais são proibidos de morder humanos. Morder pescocinhos humanos é tabu e se alguém desobedecer é punido com a morte.

Para manter a ordem os 7 clãs e mais o clã vampiro criaram um Conselho e seu líder é escolhido mediante a uma votação, que é só realizada quando todos os clãs estão acordados e reunidos.
Os Immortais hibernam mais ou menos como em Anjos da Noite.

Mas como os humanos, eles também gostam de quebrar as regras e é aí que entram Edmund, Elise, Alejandro e Ellen.

Vamos ao casal um:

Edmund e Elise são primos e ambos estão prometidos a outro. Elise é noiva do irmão mais velho, Victor - Um sujeito inescrupuloso que se alia a Carl, líder do clã dos vampiros. Carl é o atual líder do Conselho e não está nenhum pouco feliz com a possibilidade de largar o osso. Ele está tramando secretamente para impedir a reunião.

E no meio disso tudo está Edmund e Elise. Os dois mantém um romance secreto e se forem descobertos pagarão com a vida. Mas como nem tudo é um mar de rosas, Elise fica grávida e é obrigada a fugir com Edmund e esperar que a última família - Os Aramoyana sejam acordados e enfim possam realizar a reunião e trocar as leis.

O problema é que os Aramoyana são eliminados e com isso o futuro de Elise e Edmund se torna incerto.
Não vou entrar em detalhes, pois não quero deixar spoilers.

Agora o casal dois:

Alejandro é um conde que se apaixona por uma humana. Ellen é filha de um governador. Ela deveria ser um exemplo de bom comportamento, mas ela gosta de se vestir de homem e não gosta de nada que é convencional as mulheres.

Alejandro tem negócios com o pai de Ellen e aos poucos vai se apaixonando por ela.
Assim como Elise, Ellen fica grávida e dá a luz a um menino. A criança nasce com problemas de saúde e a pedido de Ellen, Alejandro transforma a criança em vampiro.

A partir desse momento Alejandro passa a ser um transgressor e fica com a corda no pescoço.

E todos esses acontecimentos tem como pano de fundo a Revolução Francesa.

Tenho a leve impressão que a Roxane fez a mesma pesquisa que eu fiz para os meus livros.
A Revolução Francesa é como um marco. Antes dela era comum as pessoas acreditarem que seu vizinho era um vampiro e que era necessário abrir o caixão do coitado para arrancar seu coração e dar paz divina a alma do pobre.

Depois da Revolução, os vampiros migraram em peso para os romances e contos.

Immortales é um livrão - E não estou falando de suas 640 páginas.

http://catalinaterrassa.blogspot.com.br/2012/09/resenha-immortales-roxane-norris.html
comentários(0)comente



15 encontrados | exibindo 1 a 15