Minha Vida Fora dos Trilhos

Minha Vida Fora dos Trilhos Clare Vanderpool




Resenhas - Moon Over Manifest


42 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


La Oliphant 01/06/2018

Eu, literalmente, acabei de ler Minha Vida Fora dos Trilhos e, eu preciso escrever essa resenha enquanto a história ainda está bem fresca na minha cabeça. O que dizer? Minha primeira leitura de Clare Vanderpool foi muito mais complicada do que eu estava esperando. Não vou dizer que foi uma experiência ruim, mas com certeza não entrou para o hall de melhores livros que eu já li na minha vida. Com um enredo arrastado e cheio de informações vagas que não conseguem prender a atenção do leitor, Minha Vida Fora dos Trilhos é um livro com uma proposta interessante, mas que não entrega o que promete ao longo das páginas.

Lançado pela Darkside Books, Minha Vida Fora dos Trilhos é o segundo livro da autora publicado em terras brasileiras. O young adult vai contar a história de Abilene, uma garotinha que é enviada pelo pai para passar o verão na cidade de Manifest, com um “conhecido” dele. E o que era apenas para ser um verão normal em um lugar diferente, acaba se transformando em uma grande aventura quando Abilene entra uma caixa contendo diversas cartas e uma referência a um possível espião vivendo entre eles. O que ela não esperava era que a busca pelo tal espião fosse revelar a ela muito mais do que ela estava buscando.

A primeira coisa que se nota no enredo de Minha Vida Fora dos Trilhos é que, apesar de toda a conotação de mistério que é colocada em cima da história, não existe realmente um mistério. E, por isso, a leitura simplesmente não caminha conforme as expectativas do leitor. A escrita da Clare Vanderpool te instiga a procurar por uma aventura, a se envolver com os personagens, a tentar entender os porquês de tudo o que é mostrado ao longo da leitura, porém a autora não entrega nenhuma dessas coisas. O enredo não tem profundidade assim como os seus personagens, nos deixando preso no marasmo que é cada página do livro.

O livro pode ser uma boa leitura para algumas pessoas, não nego. Acredito que aqueles que se aventuraram em Em Algum Lugar Nas Estrelas, certamente vão achar este livro tão bom quanto o primeiro. E talvez seja, caso você goste de uma leitura que não apresenta muitos desafios ao leitor. Agora, se você está começando Minha Vida Fora dos Trilhos com altas expectativas e esperando por um enredo que vai fazer seu coração palpitar, eu sugiro que faça uma pausa, conte até dez e depois recomece a leitura com os pés no chão, sabendo que existe uma grande chance de você se decepcionar.

Minha Vida Fora dos Trilhos não vai muito além da busca de uma garota por um suposto espião e uma vidente contadora de histórias que realmente sabe como prender a atenção de uma criança. Com capítulos arrastados e um enredo que nunca parece chegar a lugar algum, não espere se envolver com os personagens ou conhecer mais da história da própria Abilene. Esse livro não é sobre ela. Não é sobre muito coisa que você vai achar que é e, quando realmente por sobre alguma coisa, ele vai acabar e você vai ser deixado no breu da frustração com a dúvida de ter ou não realmente entendido a história.

A autora pecou bastante na falta de ambientação das duas linhas temporais que são trabalhadas em Minha Vida Fora dos Trilhos. Nós temos a história da Abilene que se passa durante a grande depressão e, nós temos a história contada pela vidente que se passa durante a primeira guerra mundial. Dois períodos históricos muito importantes que eu acredito que foram abordados de forma bastante superficial, tendo muito pouca influência no desenvolvimento da história em si.

Mas eu não vou ser tão crítica com o que eu descobrir ser, o livro de estreia da Clare Vanderpool. Sua escrita é interessante e soa como uma poesia muito bem construída. Mas ela se perde um pouco na quantidade de floreios, nos detalhes desnecessários e esquece que a narrativa precisa caminhar e que o leitor anseia por algo que o faça querer chegar no próximo capítulo, ou até mesmo, na próxima página. O enredo não foi bem organizado, informações necessárias não foram colocadas, os outros ângulos da narrativa não foram explorados e, por fim, ficamos apenas com os fatos que temos e o fim.

Coloquei Minha Vida Fora dos Trilhos de volta na estante com o desejo de ter conhecido mais sobre Manifest, sobre a vida das pessoas daquela cidade e sobre a nossa heroína e o relacionamento com o seu pai, que foi a parte do livro que eu mais ansiei em ler, mas me foi negada pela autora. Acredito que até mesmo os personagens secundários como Shady e Hattie Mae, deixaram sua marca em mim, mesmo que eu não tenha menor ideia de quem eles sejam realmente. Faltou background, falou diálogos mais profundos e histórias contadas em primeira pessoa e não em terceira.

Eu não duvido que Clare Vanderpool seja uma escritora maravilhosa. Eu gosto da forma que ela escolhe suas palavras, são sonoras, se encaixam bem no enredo, mesmo que não levem o leitor para lugar algum. Eu comecei a leitura de Minha Vida Fora dos Trilhos esperando viver uma grande aventura ao lado da personagem principal do livro, mas não sei dizer se ela mesma viveu essa aventura. Faltaram muitas coisas nesse livro que eu espero encontrar na minha próxima leitura da autora, quando eu me recuperar dessa ressaca literária de um livro que não chegou nem perto de ser o que eu esperava.

site: https://www.laoliphant.com.br/resenhas/resenha-minha-vida-fora-trilhos-clare-vanderpool
comentários(0)comente



Paula.Martuchelli 10/05/2018

Bonitinho, mas falta algo...
Considerando minhas experiências anteriores com livros da darkside, esperava que esse livro fosse similar ao " a guerra que salvou a minha vida", por exemplo, na qual temos uma criança narrando uma história mas sem se tratar de um livro infantil, tendo temática densa e pano de fundo histórico bem construído e amarrado à história. Porém, para mim, " minha vida fora dos trilhos" se aproxima demais de um livro infantil: história bonitinha, porém bobinha e sem graça, simplesmente não consegui me conectar a ela!
A maior parte do livro acompanhamos 3 crianças entediadas em férias escolares em uma aventura de investigação que, em alguns momentos, se mescla com uma história do passado (esta sim, um pouquinho mais interessante, mas que não é aprofundada o suficiente e quando começa a ficar boa, a história volta para as crianças no presente); os cortes na história talvez tenham sido prejudiciais para me conectar a ela, pois quando começava a engatar e gostar, a história mudava de tempo; o pano de fundo histórico do presente e do passado também é pouco explorado,não contribuindo para apimentar a história. Resumindo: Bem sessão da tarde mesmo.
Nas últimas 50 páginas a trama começa a ficar um pouco mais agitada e interessante ( talvez porque a história do passado seja mais explorada nesse final) e temos um desfecho bem bonitinho até e com uma moral da história graciosa mas que não foi suficiente, a meu ver, para fazer valer a trama fraquinha.
comentários(0)comente



Eddie.Erikson 02/05/2018

Um ótimo livro. E pra completar com uma das lindas capas da Darkside. Mas quem quer conhecer o melhor trabalho da autora, recomendo Em algum lugar nas estrelas. Foi o motivo de comprar mais essa obra.
comentários(0)comente



Roseane 27/04/2018

?Quem sonharia que alguém pode amar sem ser esmagado por esse peso??
comentários(0)comente



Luan 20/04/2018

Reflexivo, o livro é uma deixa que contribui o leitor a colocar a vida nos eixos
Minha vida fora dos trilhos é um livro bastante simples com uma premissa que não traz nada de tão inovador, mas que conquista seus méritos na "moral da história". O livro de Kimberly Brubaker Bradley é sobre cada pessoa descobrir a que lugar pertence, descobrir suas raízes, revisitar o passado para seguir com o futuro. E dentro deste objetivo, sem dúvida a autora obteve seu êxito, embora o desenvolvimento da obra tenha afetado um pouco o todo.

Minha vida fora dos trilhos conta a história de Abilene Tucker, de 12 anos, que cresceu ao lado do pai, Gideon, um homem que trabalha na construção de trilhos de trem. Mas em determinando momento, quando a menina se machuca – sem gravidade – o pai muda seu comportamento e pouco tempo depois decide enviar a filha para Manifest, no Kansas, um lugar que ele viveu a infância anos antes. Na nova cidade, Abilene vai precisar se acostumar às novas pessoas, mas viverá ao mesmo tempo uma aventura tentando descobrir sobre o passado do pai, dos moradores e de dois personagens especiais que ela descobre ao ver uma caixa com recordações de muitos anos atrás.

A premissa do livro é bem simples para aqueles que lerem apenas a sinopse. Pode até não chamar a atenção. No entanto, a obra cresce no leitor pela história contada pela autora. O problema, contudo, reside no desenvolvido construído por Kimberly. A cadência dele, isso é, a evolução da contação da história não tem um ritmo que me agradou. Contado em capítulos intercalados entre presente e passado, o livro apresenta duas histórias - a nova vida de Abilene e o passado de Manifest. E as duas só têm êxito na reta final, quando fazem o todo valer a pena.

O problema para foi que as histórias afetivas nas duas versões de tempo não tiveram "carisma" justamente pelos cortes abruptos sem um ápice em cada momento que eram contadas. Isso só ocorreu de fato pouco depois da metade do livro, quando finalmente pude me conectar de verdade à história. Mas o livro não é de todo ruim. Tirando isso, há vários aspectos positivos. Os personagens criados pela autora são cativantes. A escrita e os diálogos são precisos e delicados, como a história pede. A reta final traz uma mensagem tão poderosa que é impossível o leitor não ficar conectado e se sentir representado de alguma forma ali.

Kimberly trouxe em Minha vida fora dos trilhos uma fórmula muito parecida daquela de Em algum lugar das estrelas – na verdade, foi ao contrário, já que lá fora "Minha vida..." Foi publicado antes e "Em algum lugar..." Só depois. Mas o que quero dizer é que ambos têm uma estrutura parecida, com protagonistas crianças que vivem a aventura de descobertas em meio ao lúdico e ao mistério. O trabalho da DarkSide Books é incrível. Talvez um dos maios bonitos que a editora fez. Isso só para premiar merecidamente a belíssima história que a autora construiu.
comentários(0)comente



Stefany.Balbino 17/04/2018

Envolvente...
Fofo, envolvente, misterioso e divertido.
Clare vanderpool é exelente em fazer o leitor flutuar pela leitura.
Recomendo muito!
comentários(0)comente



Gabi Ferrari 29/03/2018

Um dos melhores que li da Darkside, o final é lindo e da uma baita lição legal!!
comentários(0)comente



Jaque | Maluca dos livros 02/03/2018

Resenha Minha vida fora dos trilhos
Abilene é uma menina de doze anos que acaba de chegar a pequena cidade, chamada Manifest, no Kansas.

Ao chegar na cidade, Abilene encontra uma caixa de charutos, cheia de cartas, objetos e lembranças que ela não sabe a quem pertence, mas acredita ser do seu pai. Procurando respostas sobre a caixa, a menina acaba conhecendo a vidente da cidade, que no início ela acredita ser apenas mais uma farsa, mas ela acaba quebrando um vaso da vidente, Srta Sadie, e para pagar pelo dano a vidente propõe a menina que trabalhe para ela por um tempo.

Quando começa a trabalhar para aquela senhora, ela começa a contar histórias para a menina, que começa a entender que a vidente na verdade, está contando a verdadeira história por detrás de caixa de charutos, sem que precisasse pedir. Mesmo que não acreditasse nos dons da vidente, a menina passou a acreditar que na verdade, ela tinha o dom de ver o passado. E aos poucos vai descobrindo sua ligação com toda a história por detrás da caixa de charutos.

"Se existe mesmo algum universal, e eu não estava preparada para jogar todos os meus pela janela, é que existe poder numa história. E se alguém é suficientemente bondoso para inventar uma história para deixar você comer um biscoito de gengibre, você acredita nessa história e saboreia até a última migalha"



A história é ambientada em duas épocas, a primeira narrada pela Abilene em 1936, durante a grande depressão, e a segunda é narrada também pela menina, e a Srta. Sadie, relatando alguns acontecimentos que ocorreram com os amigos Ned e Jinx, entre 1917 e 1918 na primeira guerra mundial. A medida em que a história foi se desenrolando percebi o quanto tinha me apegado a protagonista e todo seu anseio por saber de toda a história.

" Eu tinha necessidade de ouvir a sua história, e ela tinha a mesma necessidade de conta-la. Era como se a história fosse o único bálsamo a proporcionar conforto."

Abilene Tucker, é uma protagonista muito inteligente e cativante que foi muito bem trabalhada pela autora, assim como alguns personagens secundários que a autora também soube desenvolver com êxito. Eu adoro livros cheios de fatos históricos, e "Minha vida fora dos trilhos" está cheio deles, e para mim, todo este trabalho de pesquisa que a autora teve para coloca-los na história a tornou mais real, e ainda mais emocionante.

"Minha vida fora dos trilhos" é o segundo livro da autora Clare Vanderpool, publicado aqui no Brasil, pela Darkside Books. Porém é meu primeiro contato com a autora e eu realmente fiquei apaixonada pela escrita da autora. A edição publicada pela editora também está linda, a diagramação, e o espaçamento entre as palavras são razoáveis e os capítulos são curtos. Porém eu li bem devagar saboreando cada página deste emocionante livro, que eu recomendo muito!

Resenha na íntegra no blog Maluca dos livros
comentários(0)comente



Mariana.Novaes 01/03/2018

Um livro sensível...
Não chorei, nem acho q é um livro pra chorar. Mas é um livro delicado por ser visto na ótica de uma criança. É dinâmico e fácil de ler. Recomendo a leitura.
Gui 16/05/2018minha estante
Nossa eu chorei baldes no final com a história da Srta húngara !


Mariana.Novaes 26/06/2018minha estante
Kkkkkk...pra me fazer chorar é um pouquinho difícil




Ludy 21/02/2018

Manifest
Minha vida fora dos trilhos - Clare Vanderpool.
322 páginas/Editora Darkside.


Embarque em uma aventura repleta de mistérios com Abilene, e descubra os segredos e aventuras de Jinx.

Abilene é uma menina de 12 anos, cresceu com o pai pelos trilhos e cidades, sem ter um lugar fixo. Gideon é tudo o que ela tem, mas quando ele manda a menina para passar o verão em Manifest, cidade do Kansas onde ele também viveu, ela acredita que está perdendo o pai.

Em Manifest, Abilene vai morar com Shady, e é lá, na casa que é uma igreja bar que ela encontra uma velha caixa cheia de cartas e alguns pertences.
As cartas pertencem a Ned e são endereçadas a Jinx; mas o que Abilene quer saber é onde o pai se encaixa na história de Manifest.

Manifestar - verbo. Revelar, dar-se a conhecer.
Mas tudo que vemos são segredos, mistérios, um passado que há muito não é contado.

Até que ela vai parar na casa da Perdição, onde mora a vidente srta. Sadie.
Ela não quer saber do passado nem do futuro, ela só quer saber do pai e o porquê dele deixá-la lá.

"Quando há sofrimento, procuramos um motivo. E é mais fácil encontrar esse motivo dentro de si mesmo."

Minha vida fora dos trilhos contém duas aventuras: Abilene e suas amigas em busca de um espião, tentando descobrir os significados que estão na caixa, ao mesmo tempo que srta. Sadie vai contando uma aventura do passado; como Jinx chegou na cidade e foi conquistando todos com sua arte da distração.

O início foi um pouco cansativo, são poucos diálogos. Mas a medida que a história foi se desenrolando, me vi envolvida na vida desses jovens que buscam apenas uma coisa: Um lar.
E vemos a aventura de uma cidade inteira em busca de liberdade, mesmo que ter esperança seja perigoso.

Mais uma vez Clare escreveu uma história que nos conquista aos poucos, com crianças cheias de luz, carisma e amor.

"Quem sonharia que alguém pode amar sem ser esmagado por esse peso?"

Permita que Abilene te leve para uma volta em 1936, e que conte uma história que aconteceu em 1918.
Permita-se manifestar, e se emocionar com suas revelações.

#Bookstagram #resenhaemalgumlugar #MinhaVidaForaDosTrilhos #Darkside #Darklove 📚💖

site: @emalgumlugarnoslivros
comentários(0)comente



Thaís. 13/02/2018

Resenha - Minha Vida Fora dos Trilhos
Minha Vida Fora dos Trilhos é o romance de estréia da autora Clare Vanderpool, a mesma autora de Em Algum Lugar nas Estrelas, que eu já li e fiz resenha no blog. Por ter me encantado com a escrita da Clare e as aventuras de Jacky e Early, eu fiquei curiosa para descobrir o que me esperaria nesse exemplar. É o segundo livro dela publicado pela Darkside Books no selo DarkLove.

''Quem sonharia que alguém pode amar sem ser esmagado por esse peso?''

O livro conta a história de Abilene Tucker, uma menina de apenas doze anos que vive com seu pai de cidade em cidade entre viagens de trem. Até que um dia, ele decide mandá-la para Manifest, uma pequena cidade onde passará as férias de verão. A menina chega curiosa e se sentindo meio deslocada naquela cidade nova, mas logo fará amizades. Ela passa a morar durante esse período na casa de um velho conhecido de seu pai e descobre uma caixinha de charutos com alguns objetos antigos, que faz Abilene querer saber qual relação isso tem com a história daquele local. Curiosa por si só, contará com a ajuda de suas novas amizades, para resolver esse e outros mistérios que a intrigam.

"Para mim, aquelas coisas eram como tesouros de um museu, objetos que uma pessoa podia estudar para aprender sobre outro tempo e os indivíduos que nele viveram."

Minha Vida Fora dos Trilhos mistura passado e presente de uma forma ímpar. O leitor sente vontade de descobrir mais sobre os flashbacks e quando vê, já está entretido nas duas linhas de história. É um dos únicos livros desse formato que não se tornou maçante para mim. A linha de tempo da história é apresentada com as consequências da Grande Depressão de 1930, que seria o presente narrado por Abilene e também o início da Primeira Guerra Mundial, no passado e que outro personagem conta. Ao final do livro, a autora esclarece em uma nota o que é real e o que é ficção.

A diagramação de Minha Vida Fora dos Trilhos não poderia ser mais encantadora: páginas amarelas, fonte para uma boa leitura, inclusive com diferenciação de tamanho entre os flashs de passado e presente, o que ajuda o leitor a não se perder. Além da diferenciação de fonte entre as diferentes partes da história, temos uma narração fluída e com capítulos curtos, estimulando a leitura. O exemplar é em capa dura, com ilustrações do mapa de Kansas, ferrovias e partes de recorte de jornal da época de 1918.

''Quando há sofrimento, procuramos um motivo. E é mais fácil encontrar esse motivo dentro de si mesmo.''

Como eu já li o outro livro da autora, notam-se algumas ideias semelhantes, mas posso dizer que as duas histórias tomam rumos diferentes e igualmente bons. A escrita da Clare é maravilhosa e ela sempre tenta deixar uma lição no final de cada livro. O poder da amizade e das relações familiares foi o que mais ficou em evidência em Minha Vida Fora dos Trilhos. Esse é um livro que apesar da atmosfera de guerra, deixa a sensação de alegria a cada capítulo concluído.

Como eu já li o outro livro da autora, notam-se algumas ideias semelhantes, mas posso dizer que as duas histórias tomam rumos diferentes e igualmente bons. A escrita da Clare é maravilhosa e ela sempre tenta deixar uma lição no final de cada livro. O poder da amizade e das relações familiares foi o que mais ficou em evidência em Minha Vida Fora dos Trilhos. Esse é um livro que apesar da atmosfera de guerra, deixa a sensação de alegria a cada capítulo concluído.

Como eu já li o outro livro da autora, notam-se algumas ideias semelhantes, mas posso dizer que as duas histórias tomam rumos diferentes e igualmente bons. A escrita da Clare é maravilhosa e ela sempre tenta deixar uma lição no final de cada livro. O poder da amizade e das relações familiares foi o que mais ficou em evidência em Minha Vida Fora dos Trilhos. Esse é um livro que apesar da atmosfera de guerra, deixa a sensação de alegria a cada capítulo concluído.

Foi sem dúvidas uma leitura bem aproveitada, fluída e de um encanto enorme. Ter a narração de Abilene me deu um quentinho no peito, uma sensação de doçura e leveza já que me deixei levar pela narradora que ainda carrega a inocência da infância. A forma como cada relação é apresentada me fez torcer e querer entrar dentro do livro para ficar amiga dos personagens. A autora soube interligar todos os laços da história e tudo se encaixou no final. E eu terminei essa leitura de forma maravilhosa que só comprova o quanto me encantei por Minha Vida Fora dos Trilhos: sorrindo.



site: http://www.janeladesorrisos.com/minha-vida-fora-dos-trilhos/
comentários(0)comente



Aricia 12/01/2018

ENCANTADOR
Abilene é uma menina esperta que vive com seu pai, Gideon, pelas rodovias da cidade enquanto ele busca um serviço ali e acolá. Certo dia ela machuca o joelho e pega uma estranha infecção, Gideon que era um cara falante e contador de histórias passa a ficar um pouco mais calado, até que decide enviar a filha para passar uma temporada em outra cidade, sob os cuidados do pastor Shady Howard em Manifest.

Aquela é uma cidadela pacata e que parece parada no tempo. Um belo dia Abilene encontra uma caixa com diversos objetos aleatórios dentro e várias cartas datadas de 1917. Nelas, Ned e Jinx se correspondiam e citaram um espião conhecido como cascavél. Abilene, encantada com o teor das cartas, e suas amigas, decidem que desmascarariam o espião e começam a buscar por ele. Essa investigação faz com que elas saiam em busca de verdadeiros tesouros e o desfecho é de marejar os olhos, de aquecer a alma. É de suspirar e dizer ao final do livro que valeu a pena.

Quando a pequena perde sua bússola, o objeto estimado e que a ligava ao seu pai, descobre que ela está na casa da vidente e que para recuperá-la vai precisar trabalhar para ela. Aqui podemos ler mais sobre a história da cidade, intercalando entre momentos do passado e do futuro que se misturam e completam de uma forma que eu nunca vi nenhum autor conseguiu fazer. Todos os personagens tem o seu lugar e nenhuma história fica incompleta ou sem ser "desvendada" e isso torna o livro único!
comentários(0)comente



LT 09/01/2018

Com forte indicação para ler algo da autora e acompanhando o que falaram sobre outro livro dela, que eu olhava no site e ficava admirando, Em algum lugar na estrelas, decidi durante a blackfriday de 2017 comprar os dois livros da autora. E, nesse inicio de ano, li Minha vida fora dos trilhos e AMEI!

Vem comigo ler a resenha...

[RESENHA]

Abilene é uma menina esperta que vive com seu pai, Gideon, pelas rodovias da cidade enquanto ele busca um serviço ali e acolá. Certo dia ela machuca o joelho e pega uma estranha infecção, Gideon que era um cara falante e contador de histórias passa a ficar um pouco mais calado, até que decide enviar a filha para passar uma temporada em outra cidade, sob os cuidados do pastor Shady Howard em Manifest.

Aquela é uma cidadela pacata e que parece parada no tempo. Um belo dia Abilene encontra uma caixa com diversos objetos aleatórios dentro e várias cartas datadas de 1917. Nelas, Ned e Jinx se correspondiam e citaram um espião conhecido como cascavél. Abilene, encantada com o teor das cartas, e suas amigas, decidem que desmascarariam o espião e começam a buscar por ele. Essa investigação faz com que elas saiam em busca de verdadeiros tesouros e o desfecho é de marejar os olhos, de aquecer a alma. É de suspirar e dizer ao final do livro que valeu a pena.

Quando a pequena perde sua bússola, o objeto estimado e que a ligava ao seu pai, descobre que ela está na casa da vidente e que para recuperá-la vai precisar trabalhar para ela. Aqui podemos ler mais sobre a história da cidade, intercalando entre momentos do passado e do futuro que se misturam e completam de uma forma que eu nunca vi nenhum autor conseguiu fazer. Todos os personagens tem o seu lugar e nenhuma história fica incompleta ou sem ser "desvendada" e isso torna o livro único!

[QUOTE] Era interessante... notar o que mudou e o que continuava igual, porém, por alguma razão essa histórias me deixava muito triste e irritada... Todo mundo era dono de um pedaço da história daqui, mas ninguém falava do meu pai... - Trecho da página 221. [...]

É interessante ver que durante a narração da história da cidade e de sua população, Abilene precisa salvar a história de sua família e mais interessante ainda é ver uma menina de 12 anos amadurecer, como pessoa, como ser humano.

[SOBRE O LIVRO]

O livro tem em seu desenho a forma de uma caixa de charutos, o que é bem em conta, já que os tesouros são encontrados ali dentro durante a narrativa.

Ao final do livro, lemos uma carta de Claire dizendo que sua história mistura ficção com realidade, que Manifest é inspirada em Frontnac no Kansas, ela fala sobre o trem dos órfãos, a lei seca com o comércio clandestino do álcool que tem importância no enredo. Tudo é voltado para as ferrovias.

A cada virar de páginas você imagina que uma locomotiva vai sair de dentro do livro.

A diagramação é linda, na verdade a DarkSide faz um trabalho excepcional em seus livros.

Tem um postal lindo dentro do livro, além dos vários recortes de jornal que encontramos durante a leitura, os nomes dos personagens espalhados como anúncios de jornal. Tudo perfeitamente planejado e muito bem executado.

Resenhista: Aricia Aguiar.

site: http://livrosetalgroup.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Kelly 05/01/2018

Minha Vida Fora dos Trilhos
Abilene é uma garota curiosa e aprendeu desde cedo como é cuidar de si mesma. Seu pai, Gideon, trabalha em uma estrada de ferro em Iowa, por isso, quase sempre está ocupado, mas a menina adora suas historias sobre os tempos passados. No entanto, foi quando ela machucou os joelhos e ficou de cama por alguns dias que ele percebeu o quanto estava distante da filha e resolveu mandá-la para Manifest, uma pacata cidade do Kansas da qual viveu boa parte da infância. Abilene, então, pegou suas poucas coisas, juntamente com alguns recortes de jornais velhos e uma bússola antiga do pai, e partiu para longe em um trem, para morar por um tempo com um antigo amigo de Gideon.

Tudo que Abilene sabia sobre Manifest estava descrito nas colunas de Hattie Mae e nas histórias que Gideon gostava de lhe contar. Por isso, quando chegou ao local e conheceu Shady, o pastor que cuidaria dela na temporada de verão, assim como uma casa um tanto quanto sombria com letreiros que formavam a palavras PERDIÇÃO, a menina se viu perdida entre os pensamentos que alimentava toda vez que ouvia uma nova história. Então, quando descobriu uma antiga casa da árvore e uma caixa de charutos escondida, Abilene começou a entender melhor os fatos e os habitantes da região.

A caixa de charutos continha um mapa, uma rolha, um anzol, uma chave bonita, um dólar de prata e uma bonequinha de madeira do tamanho de um dedal, juntamente com inúmeras cartas que marcaram a trajetória de Ned e Jinx, dois amigos que foram separados pela guerra e que mantinham contato por meio de cartões postais. Em uma dessas cartas, Abilene ficou sabendo sobre O Cascavel e não contou tempo para começar a investigar sobre quem poderia ser. Para resolver o mistério, a menina contou com o auxílio de Ruthanne e Lettie, duas garotas da escola que deveriam ajudar a forasteira a escrever uma história para a Irmã Redempta.

Assim, as três começaram a procurar pistas que poderiam levá-las a um poço de respostas, mas tudo que Abilene encontrou foi problema. Em sua tamanha curiosidade, ela quebra um artigo valioso da Srta. Sadie, a vidente que mora na casa escura e sem vida com o portão da perdição, e perde sua bússola de ouro. Para quitar a dívida e receber de volta seu objeto precioso, a menina aceita trabalhar para a mulher. Mas é assim que Abilene fica sabendo sobre a vida de Jinx.

Minha Vida fora dos Trilhos é de uma narrativa simples e detalhista, exatamente como Clare gosta de nos apresentar. A escrita da autora é leve e foca em todos os pensamentos da personagem principal, trazendo à tona a sensação de descobrir o mundo pela primeira vez. Os capítulos são curtos e separados pelos lugares que Abilene visita, pelas histórias que a Srta. Sadie conta e pelos recortes dos jornais que a menina carrega ou encontra na redação com Hattie Mae. Confesso que a leitura de alguns capítulos acabaram se arrastando para mim, já que as histórias contadas são intensas, mas percebo que isso só fez o livro se tornar ainda mais rico em conteúdo.

Os personagens da obra foram criados com perfeição e todos carregam suas características únicas, mas admito que senti falta de mais detalhes sobre o pai de Abilene, mesmo que ele seja citado a todo momento. Acho que a autora poderia ter explorado um pouco mais a partida da menina, pois a história começa com ela já no trem, indo para Manifest, o que faz o leitor ficar um tanto quanto perdido, buscando alternativas para compreender o que acontece com Gideon ou com sua escolha de mandá-la para longe. No entanto, mesmo com essa falha, pude me identificar diversas vezes com os pensamentos ou sentimentos da menina.

site: http://www.caligrafando-te.com
comentários(0)comente



The 14/12/2017

Manifest: Uma Cidade com Passado
Abilene levava a vida na estrada com seu pai, no entanto, após um episódio o mesmo envia a filha para Manifest, uma pequena cidade no Kansas, para, teoricamente passar o verão, lá a menina acha na casa onde se hospeda uma caixa de objetos, e começa a desvendar seus mistérios junto com amigas que faz, aos poucos Abilene escutando histórias de uma senhora e recortes de jornais vai juntando pedaços de um grande cenário, e acaba encontrando também uma parte de sua própria história e porque acabou na cidadezinha.
Em mais uma linda edição da caveira, reencontrei com Clare Vanderpool em mais uma de suas histórias, e confesso que gostei mais dela do que Em Algum Lugar nas Estrelas, mas ambas tem uma atmosfera próxima para o leitor.
Uma história recheada de ligações interessantes para te fazer entrar de cabeça nesse universo.
comentários(0)comente



42 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3