A Grande Caçada

A Grande Caçada Robert Jordan




Resenhas - A Grande Caçada


55 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Lelê 22/08/2020

Encantada com esse universo
Nesse segundo livro da série, temos um vislumbre bem maior do riquíssimo universo de Jordan. Conhecemos novas etnias e culturas, descobrimos mais a respeito do complexo sistema de magia, e seus inumeros desdobramentos; e acompanhamos o amadurecimento dos personagens mais jovens, enquanto conhecemos um pouco mais os personagens mais velhos. O ritmo de leitura desse segundo livro é muito melhor do que o primeiro, com mais ação e diálogos importantes.
O ponto negativo desse livro, na minha opinião, são as "adolescentices" de alguns personagens, principalmente as femininas, preocupadas demais com quem vai ficar com o personagem principal em momentos inoportunos. Embora os personagens sejam mesmo muito jovens e esse seja um comportamento esperado, não é o tipo que funcione para mim, mas pode não incomodar outras pessoas.
comentários(0)comente



Hugo.Romano 15/08/2020

Absurdo de bom
Estou em êxtase com essa história. Não quero parar de ler, Robert é um mestre da escrita e um gênio a la Tolkien na criação de seu mundo.
Já estou ansioso para o próximo livro.
Espero que a publicação da série se mantenha no Brasil.
comentários(0)comente



Wellington 02/08/2020

Esse rolê foi extenso
Um bom livro. Considero até melhor que o anterior. Possui algumas adições interessantes que expande a mitologia da saga. (Alguém pode considerar o que vem a seguir um spoiler, mas não considero): Pra que aqueles parágrafos de quarteto amoroso? No decorrer do livro isso me incomodou um pouco, mas no final foi muito exagerado, esses diálogos sobre quem vai casar com quem me matam, pqp.
Joee 05/09/2020minha estante
Tô achando um cú isso de " quem vai casar com quem," mas tirando isso, o livro é muito bom




Jonathan.Queiroz 25/07/2020

Ótima continuação
Muito superior ao primeiro livro. Em A Grande Caçada, nós vemos uma verdadeira evolução dos personagens principais, conhecemos novos núcleos muito interessantes que aprofundam bastante esse mundo criado pelo autor e percebemos a capacidade do Robert Jordan de escrever uma história verdadeiramente épica! Mal posso esperar pra pegar o próximo volume!
comentários(0)comente



Raul 20/07/2020

A grande caçada
Robert Jordan cada vez mais expande esse universo rico de a roda do tempo, a sequência traz uma história com um objetivo claro desde o inicio mas chega no fim do livro e surpreende com um final épico e que deixa com vontade de ler o proximo logo.
Bart 21/07/2020minha estante
???????? Ôh massa!! Mt bom saber isso!!




Sods 15/06/2020

A Caçada Foi Longa e Recompensadora
Logo no começo do livro eu pensei que ele ia seguir como o primeiro, que tem um constante vai e volta de capítulos totalmente entediantes a capítulos extremamente intrigantes, mas passados os primeiros três fui provado errado. Todas as minhas expectativas eram completamente quebradas constantemente a partir dai, pois coisas que eu pensei que só ocorreriam mais pra frente na série estavam acontecendo logo de cara, e o crescimento do protagonista que imaginei que ia ser mais devagar e entediante foi tudo, exceto isso.

Aqui conhecemos muito mais do mundo, dos costumes e do sistema mágico. O Primeiro livro nem consegue arranhar a profundidade que a "magia" tem nesse universo, e o segundo nos da uma grande amostra do que ele realmente é, e pelo o que eu saiba ainda tem muito mais para ser desvendado.

Apesar de os twists serem um pouco previsíveis, se você realmente prestar atenção em alguns detalhes e falas, eu não parava de ficar impressionado com a sagacidade que Robert Jordan teve ao escrever essa história. Até mesmo os capítulos que pareciam mais "dispensáveis" se mostraram relevantes ao final do livro, e meus amigos, que final.

Lendo as ultimas 100 páginas eu pensava constantemente que nada ia se resolver, que várias pontas iam ficar soltas para serem amarradas no livro seguinte, porém estava muito enganado. O Final desse livro foi tão empolgante e recompensador que me encontrei dando tapas nele enquanto lia o final, e até depois de terminá-lo. Foi tudo o que eu não esperava quando comecei a ler, mas foi tudo o que eu queria.

Claro, alguns aspectos da escrita de Robert Jordan que as pessoas mais reclamam estão aqui, como a repetição e redundância quando ele descreve algo, ou até como ele escreve os combates. Aqui ele apenas nomeia formas de espada, sem nenhuma descrição, cabendo a você imaginar como a luta discorre apenas pelo nome dos "golpes". Porém isso não foi um problema para mim.

Não tenho palavras para descrever o quanto gostei desse livro, e fico mais empolgado em continuar com a série, sabendo que dos primeiros livros o 2° nem é considerado o melhor. Eu simplesmente me encontro estasiado com os imensos blocos de possibilidades dos próximos 12 livros, e louco para continuar a lê-los.
comentários(0)comente



julia 14/06/2020

Resenha: A Grande Caçada
Gostei de A Grande Caçada mais do que esperava! O ritmo é mais acelerado do que no livro anterior e eu já conhecia os personagens--consegui acompanhar melhor a história. O livro tem muuuito tensão e luta e um bom desenvolvimento dos personagens. Algumas partes são frustrantes e eu sei que o Rand vai continuar me estressando nos próximos livros.
comentários(0)comente



Emanoeli 05/06/2020

Começando o próximo!
Achei o primeiro livro meio parado. Este segundo também foi meio parado até mais ou menos a metade. Depois a leitura começou a fluir. Talvez eu que não estivese mais acostumada a ler uma série de fantasia tão densa... Fazia um tempo que eu não lia esse estilo. A história está ficando muito boa, já vou começar o próximo!
comentários(0)comente



Flávio 21/05/2020

Excelente!
Incrível continuação. Mal terminei de ler já queria iniciar o terceiro livro.
comentários(0)comente



Marcos Ogre 06/05/2020

A Grande Caçada, de Robert Jordan
Eu comecei a ler fantasia há tantos anos quanto eu comecei a ler. Era um ponto de encontro interessante entre as minhas ideias e de uma forma de me entreter, porque eu sempre fantasiei muito sozinho - até demais, realmente. Mas eu guardava essas criações na minha própria cabeça, e tardou bastante até que eu as expusesse. Mas, se não tardou mais, foi muito graças aos livros de fantasia.

No entanto, depois de uns dez anos de leitura, algumas coisas começam a "perder a magia", digamos assim. Ler demasiados livros de fantasia me mostrou diversos pontos em que eles se conversavam, e, eu não estando atualizado necessariamente do que acabava de sair, não tinha um bom parâmetro de quando essas convenções da fantasia tinham começado e quando pararam. Confesso que, dessa forma, livros com essa ambientação me pareceram um tanto desgastados.

A Roda do Tempo, nesta minha nova "fase" como leitor, surgiu como As Crônicas de Gelo e Fogo surgiu em tempos anteriores. Foi revigorante. Agora, tendo uma visão mais ampla no contexto histórico que envolve o gênero, e estando ciente de que essa série foi importantíssima para livros posteriores, a obra até ganha um espaço mais especial no meu coração.

Digo isso porque li o primeiro livro há um tempo e não escrevi nada a respeito. Eu não ando escrevendo nada a respeito de nada. Mas foi uma experiência incrível, que só se prolongou neste segundo volume.

Robert Jordan era um escritor muito sagaz, isso é perceptível. A Roda do Tempo traz uma mitologia muito inteligente e detalhada, demonstrando um zelo grandioso com o compromisso de tornar seu mundo algo crível dentro do que se entende pelo fantástico. Isso, inclusive, se estende também no que diz respeito aos fatores culturais, à construção das locações, vestimentas, tudo. Apropriando-se de muitas coisas do mundo real, resignificando-as, e criando outras tantas, A Roda do Tempo deslumbra nesse quesito.

Uma preocupação tão intensa com tais elementos, poderia deixar de lado uma construção mais detalhada das personagens, mas isso não acontece aqui. As personagens, muito bem apresentadas no livro anterior, são mais aprofundadas, e suas camadas de descobrimento são plausíveis e interessantes. O que me leva a uma pequena crítica negativa é a escolha de Rand Al'Thor novamente como protagonista neste segundo volume. Justamente por termos um contato mais intenso com tais personagens, foi um pouco cansativo acompanhar alguém tão sem carisma e perspectiva.

~Parabéns, Jordan, você me convenceu de que ele é insuportável. Estou ansioso para a sua melhora como indivíduo, porque já está bom o suficiente~

Outro ponto positivo, dentro dessa questão da exploração de personagens, é como algumas figuras secundárias ganham maior espaço nesta continuação. Egwene e Nynaeve protagonizam alguns dos melhores capítulos, em vezes com leveza e humor, em outras com força e determinação.

As sequências de ação novamente são muito bem descritas, embora um tanto espaçadas. Ao todo, o livro tem mais de 700 páginas, e, mesmo sendo menor que o anterior, o ritmo acaba sofrendo com isso. Eu entendo, e espero que isso seja a preparação de terreno para livros mais dinâmicos mais pra frente. Isso porque, novamente, embora o final traga uma belíssima sequência de capítulos grandiosos de perder o fôlego, o caminho para eles é longo demais. É entediante? Eu não diria isso. Mas diria, sim, que poderia ser um pouco mais rápido.


A Roda do Tempo tem sido um ótimo respiro pra mim. Um respiro de leituras pesadas, e, talvez, de uma realidade que toma muito espaço nos meus pensamentos. É bom respirar, e este é um ótimo livro.
comentários(0)comente



dulcegdorta 05/05/2020

Por enquanto ainda estou gostando, menos do final desse, mas continuarei a saga
comentários(0)comente



Matheus 01/05/2020

Maravilhoso
A fantasia que Robert Jordan cria é algo tão excepcional que só nos mostra, mais de uma vez, a grandiosidade da sua mente. Continuação direta do primeiro livro, apresenta mais ação e explicações sobre o mundo criado que só aumenta a vontade do leitor de continuar a leitra da série.
comentários(0)comente



Prof.GOD 13/04/2020

Sem reclamações.
Nesse volume a sensação que fica é de melhoria que compromete pouco, como ir até um restaurante comprar feijoada e receber exatamente isso. Não inova e nem desagrada, cumpre com o objetivo de divertir e desenvolver a história e isso para uma série de muitos livros está de bom tamanho.
comentários(0)comente



Roberto_22 13/03/2020

A Roda do Tempo Livro 2 - A Grande Caçada
"Nunca servirei a você, Pai das Mentiras. Em mil vidas, nunca servi. Sei disso. Tenho certeza. Venha. É hora de morrer."
Vamos lá, comecei a ler esse livro em Janeiro (e deveria ter terminado em Janeiro), mas por N motivos só vim conseguir terminar esse mês. Vi muitos comentários que esse livro era melhor que o primeiro, eu discordo, no primeiro livro vemos o grupo que se forma e que partem para uma jornada, já no segundo livro esse grupo se separa, o que eu já esperava é claro, mas eu não gostei muito o fato de que o autor não focou muito no desenrolar da história de Egwane e Nynaeve na Torre Branca, só mais no final que elas tiveram mais destaque. Senti falta também de Moirane, mal apareceu na história. O livro deu mais destaque as aventuras de Rand, teve alguns capítulos que foram um pouco monótonos tenho que admitir. Enfim, chegando no final quando eles recuperam a.. (não posso dizer pq é spoiler) mostra uma luta um tanto rápido o que me decepcionou um pouco, mas quando chega nas últimas páginas que aparecem os guerreiros.. (spoiler) para ajudar Rand e cia, e a luta de Rand contra o Tenebroso, foi de arrepiar. Nynaeve melhor personagem feminina dessa série, ajudou suas companheiras e mitou demais, espero q no próximo livro o autor foque mais nela. Por fim, querendo ou não, Rand tem que tomar uma decisão, de salvar o mundo ou não fazer nada, não tem mais par onde correr.
Confesso que fiquei bastante ansioso para começar a ler o livro 3, mas como tô com muito livro na frente, ficará só pro ano que vem, enfim, recomendo A Roda do Tempo, um dos melhores livros de fantasia que já li na vida!!!
Rafa-Dono 13/03/2020minha estante
Um dos comentários que li é que as lutas não são o forte da série mesmo.
Pelo que entendi do que comentam, me parece com mangás como Saint Seiya/Cavaleiros do Zodíaco ou Rurouni Kenshin/Samurai X: as lutas são mais "verbais", com o povo discutindo moral e motivações por um tempo, e, na hora de resolver, usam um golpe ou uma técnica com nome pouco explicativo e sem muita descrição, que termina tudo.
Ou seja, é o Galaxian Explosion, ou o Ama-Kakeru-Ryuu-no-Hirameki. Tem a explosão de uma galáxia MESMO nesse golpe, ou aquilo é exagero alegórico? O golpe final e de nome enorme do Hiten Mitsurugi é mesmo só um saque com o pé esquerdo à frente ao invés do direito?
Não que eu me importe. Gosto muito dos dois mangás e dessa "fórmula". E por mais que goste, prefira a ação mais eufórica e descritiva de mangás como Bleach ou Naruto (e corta, e pula, e desvia, e carrega, e dispara, e...), tenho minhas dúvidas se funcionaria bem no formato de livro, onde tudo é pura descrição. Pelo menos ainda não li um que fizesse isso suficientemente bem (eu pretendo tentar quando finalmente conseguir escrever).




Samuel - IG @ModernoLiteral 12/03/2020

E a saga continua...
Gente, se vocês gostaram do primeiro livro, esse segundo está incrível ? Não se importem com a grande quantidade de paginas (+700). A leitura, no total, é bem prazerosa
comentários(0)comente



55 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4