Zona Morta (Dead Zone)

Zona Morta (Dead Zone) Stephen King




Resenhas - Zona Morta


86 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6


Mateus 15/08/2010

Quando li meu primeiro livro do Stephen King, Carrie, fiquei fascinado com seu modo de escrever. Ele conduz a narrativa de um jeito ímpar, que nenhum outro autor consegue fazer igual. Muitas pessoas abandonam seus livros por achá-los sem sentido e estranhos, mas são exatamente essas duas características que levaram Stephen King a ser o maior gênio da literatura sobrenatural e o fizeram ser conhecido como "O Mestre do Terror".

Muitos autores começam suas carreiras com um livro totalmente inovador, levando a um grande sucesso literário. Mas depois de escritos outros livros, percebemos que o autor escreve todos do mesmo modo, sem variar as histórias e fazendo com que todos os livros sejam praticamente iguais. Depois de um tempo, isso acaba cansando. Já Stephen King não. Embora eu tenha lido mais de dez livros seus, todos continuam sendo sensacionais e diferentes entre si. Cada um tem uma característica que o faz se diferenciar e se destacar um do outro. Cada um é único e inédito ao seu modo, e nunca irei me cansar de ler seus livros.

Posso dizer que A Zona Morta é o mais incrível e sensacional livro deste célebre autor. A história é totalmente eletrizante, quando se começa a ler, as páginas o prendem do início ao fim. É difícil resistir a personagens tão carismáticos e quase reais. Um ponto totalmente inovador nesta obra de King é que, ao contrário da maioria de seus livros com personagens paranormais, o personagem principal é um telepata nacionalmente conhecido. Na maioria de seus outros livros, como Carrie, A Incendiária, O Apanhador de Sonhos, dentre diversos outros, os personagens com poderes sobrenaturais são sempre encobertados e não são conhecidos pelas pessoas.

O livro conta a história de Johnny Smith, um homem aparentemente normal, mas que de vez em quando tem marés de sorte e consegue adivinhar certas coisas. Quando sofre um acidente de carro, entra em coma e fica nesse estado por quase cinco anos. Ao acordar, uma parte do seu cérebro se mostra inativa, e Johnny a chama de Zona Morta. E após despertar do coma, um estranho dom também é despertado: ao encostar em alguma pessoa ou algum objeto, é capaz de dizer diversas coisas, como seu passado, presente ou futuro. E a partir disso, sua vida vai mudar drasticamente. Este será um dom ou uma maldição?

Conduzida genialmente, a história constantemente dá reviravoltas, saltos e desvios. O suspense e a ação são predominantes, e as coisas mudam o tempo todo. Meu coração subia à boca em quase todas as páginas, e me sentia com um frio na barriga constantemente. Como em todos os seus livros, Stephen King faz com que este não seja apenas mais um livrinho com um rótulo. Ele consegue misturar ação, aventura, humor e romance, tornando-o uma mescla assombrosa. Posso dizer sem a menos dúvida que A Zona Morta é um dos melhores livros do King, e um dos melhores que livros que li na vida. Se King já não fosse meu autor preferido há muito tempo, estaria se tornando agora após esse fenomenal livro.
Carlos 17/05/2013minha estante
nunca achei nenhum livro dele sem sentido...discordo nesse ponto, fora isso, achei uma grande resenha.


Mateus 17/05/2013minha estante
Também nunca achei sem sentido, mas já vi algumas pessoas associando a característica aos livros do King. Essas pessoas sim não fazem sentido, hehe.


17/06/2013minha estante
Querido Matheus,passeando no skoob, entrei numa página qualquer e o acaso me levou agora a ler sua resenha sobre "Zona Morta " de Stephen king.Li e adorei.Mais um livro pra minha lista.Parabéns!Ótima resenha, bjos!


Heloka 23/02/2015minha estante
Olá Mateus, comecei a ler King agora, e A Zona Morta foi meu segundo livro dele (o primeiro foi Sob a Redoma), achei sua resenha incrível, não poderia descrever melhor o que senti enquanto lia essa obra prima.... Confesso que esse livro mexeu comigo, eu lia com um misto de ansiedade e euforia que nunca experimentei ao ler alguma coisa... e também foi o único livro na minha vida, que eu chorei quando terminei de ler.. incrível, envolvente e perturbador.. King esta sem dúvidas no primeiro lugar dos meus autores favoritos...


Pri 13/09/2016minha estante
Amei sua resenha Mateus! Ainda estou "descobrindo" King. Li Carrie e me apaixonei. Com certeza esse vai para a minha lista de leitura. Abraço!




Jow 29/09/2011

Iridescent - Linkin Park
Parece estranho acreditar que o mundo vem girando há milhares de anos, acho que isso foi deixando a gente alucinado, tonto, nauseado, porque nós fazemos as coisas como que para se livrar de um peso inexistente, talvez com as voltas que o mundo dá, ele acabe jogando nossa consciência no espaço, onde a roda do Ka gira ininterruptamente, onde os sonhos extraviados vão parar, e por ali reinaria meu deus, com seus olhos, seus ás, sua tez, e uma cama onde a noite sonhasse comigo, talvez... Fran Kotipelto

No milagre da vida o sobrenatural tem o seu lugar! E o mais irônico é que as interpretações sobre aquilo que se identifica como algo sobrenatural estão inteiramente ligadas a nossa percepção do que é real. É comum acreditarmos que a morte é algo místico e sem explicação. Mas, será que a vida também não o é?! Nossa percepção de mundo e de tudo aquilo que se faz presente naquilo que chamamos de vida, está inteiramente ligado a nossa mente. É essa máquina inteiramente desconhecida que produz os mais bizarros acontecimentos e nos proporciona todas as sensações para que a nossa condição de existência seja algo lendariamente singular.

É trabalhando os mistérios da mente que o grande Stephen King desenvolve mais uma obra magistral. Mas, em minha opinião, esta é uma obra particularmente perturbadora, que nos abre um verdadeiro leque de possibilidades e interpretações sobre a espetacular história de Jonny Smith. Um homem comum que sofre um acidente automotivo que o deixa em coma, que o faz perder consideráveis sete anos de sua vida, mas que desperta, em Jonny, uma curiosa sensibilidade para prever os acontecimentos passados, presentes e futuros relacionados à vida de uma pessoa. A sensibilidade com que King narra essa história é especialmente particular. Temos um livro que engloba várias camadas de pensamentos sobre um único ser humano, mas que desperta questionamentos vitais sobre a existência humana em muitos aspectos.

Embalando todo esse contexto, King entrega uma narrativa espetacular, cadenciada, empolgante. É um dos raros livros do autor em que ele é objetivo e sucinto naquilo que ele propõe contar. As personagens são extremamente bem desenvolvidas, desde Jonny e os seus conflitos existenciais, passando por Sarah que é um dos melhores personagens femininos criados por King, possuindo participações extremamente pensadas e importantes para o desenvolvimento da história, além dos pais de Jonny que são um show à parte nos momentos em que os conflitos familiares tomam proporções gigantescas. E por fim, temos Greg Stillson, um inescrupuloso candidato a deputado que possuí um modo operante bastante primitivo para realizar os seus desejos, e que vai jogar nas mãos de Jonny a decisão mais difícil de sua vida, algo que poderá mudar definitivamente o rumo da humanidade.

É neste universo múltiplo e ao mesmo tempo singular que A Zona Morta discute as mais diversas questões atreladas ao pensamento sobre a existência humana, sobre o destino e as possibilidades que a vida pode proporcionar a alguém, sobre a existência de Deus ou de algum Ser Superior, e sobre as possibilidades que o amor poderia construir. Aqui, o amor é algo que perpassa a realidade física e temporal! King constrói uma definição belíssima para o maior sentimento que o homem é capaz de sentir, definindo-o como um sentimento capaz de transformar pessoas e mundos, capaz de contornar as maiores barreiras impostas pelo destino, e encontrar um consolo mesmo quando um fato único muda a vida de uma pessoa para sempre. Sendo assim, não é nenhuma loucura eleger A Zona Morta como um dos melhores livros já escritos por King.
Alan Ventura 01/10/2011minha estante
Acho que precisou demorar um pouco, para que pudesse ficar pronta com tanta maestria.Resenha como sempre maravilhosa, e essa citação da Fran no começo é uma das coisas mais bonitas que eu já li na vida (sem saudosismo nenhum). Meus parabéns ao King pelo excelente livro, meus parabéns a Fran que escreveu algo muito belo e por fim, meus parabéns a você Jow, que a cada resenha vem se superando e mostrando que é um gênio dessa arte. Abraço.


Fran Kotipelto 01/10/2011minha estante
Olha que privilégio, ter uma frase minha inclusa no texto de um dos maiores resenhistas do skoob. Lindas palavras como sempre dear Jow. Sempre escrevendo um show! Parabéns.




João 26/10/2011

Excelente !
Falar de livros de Stephen King é sempre um prazer
pra quem gosta de livros dele..A Zona Morta é um livro
fantastico.. é a segunda vez que leio esse livro..da primeira vez
que li fiquei meio decepcionado pois so tinha lido livros do King
que falavam de sobrenatural..entao ao ver que esse livro não tratava dos temas a que eu estava acostumado não apreciei a livro ...dessa vez pude aproveitar melhor a leitura desse livro fantastico..tem uma historia diferente,me prendeu a atençao do começo ao fim,os personagens
são muito bem estruturados e voce mergulha no livro..achei o final meio triste mas vale apena cada pagina do livro..assim como todos os livros ha partes que são meio cansativas mas King é King então sem comentarios..é um livro que vale a pena ter em casa pra se ler varias vezes!

comentários(0)comente



Paulo Alvez 24/02/2012

Sensacional!!!
Acabo de ler o livro e realmente estou sem palavras para descrever o quanto estou emocionado e apegado ao Jhonny Smith. Um personagem extremamente cativante e envolvido em uma história com inumeras conexões. Talvez depois que meus olhos deixarem de lacrimejar eu consiga expressar todo meu carinho por essa obra.
Silvia 16/10/2012minha estante
É ótimo quando um livro, faz isso com a gente, nos deixam mudos, de tão bom a narrativa.




Flávio 03/08/2011

"Zona Morta", de Stephen King, conta a história de John Smith, um rapaz normal, que tinha namorada, emprego, era independente e feliz. Mas, de repente, tudo vira de cabeça para baixo, quando um acidente de carro faz com que fique em coma por quatro anos. Quando acorda, descobre que sua agora ex-namorada casou-se e que teria uma vida diferenciada por tudo o que perdeu nos últimos anos. Mas eis que, ao tocar um médico, descobre que tem o poder de ver o passado e o futuro das pessoas. Apesar de tentar fugir desse novo dom, em dado momento toca em um homem chamado Greg Stillson, descobrindo que com o tempo ele se tornará presidente dos Estados Unidos e desencadeará uma terrível guerra. Sabendo disso, a vida de Johnny se transforma em uma verdadeira luta para evitar que Stillson chegue ao poder.

A premissa é bem interessante, mas quando pensamos que as coisas vão tomar um rumo interessante, o livro se perde e torna-se extremamente cansativo. São páginas e mais páginas descrevendo o cenário político dos Estados Unidos do passado e do presente, o que chega a irritar em certos momentos. Não foram poucas as vezes em que pensei em abandonar.

No final das contas, "Zona Morta" acaba sendo razoável. Não é nenhum clássico ou um dos melhores do autor. Sua trama interessante e seus personagens bem construídos são um ponto a favor. O contra, como já falei, são as páginas e mais páginas de pura enrolação. O livro tinha tudo para ser um ótimo thriller, mas infelizmente não foi dessa vez. Para quem deseja conhecer o autor, sugiro obras mais intensas, como "A Coisa", "O Iluminado" e "Angústia".

Jerome 25/06/2011minha estante
King faz uso de um inteligente artifício, que é aproximar o leitor da obra e dos personagens por meio da brilhante escrita altamente dedicada ao tempo, e justamente por isso, dá ao leitor um convite para entrar na obra, que por sua vez é escrita com um imensa ligação com a realidade, sem pressa nem exagero, para King apenas importa o arte, e como uma certa vez ouví falar: ''não há pressa para a arte.''. Além de tudo por vezes o próprio autor dá pistas dq vai acontecer em um momento futuro da trama, dando ao leitor uma tremenda vontade de saber uq irá realmente ocorrer. É um romance sobre o homem e o efeito de suas atitudes na sociedade. Uma leitura mais dedicada faz o leitor refletir melhor sobre essa obra do mestre King.

Flw!




André 12/03/2011

Impossível, mas verdadeiro.
O mestre King se supera na combinação do incrivelmente cativante e carismático John Smith, com a zona sombria de sua mente que passa aos poucos a se infiltrar em sua vida de forma angustiante.
Além da critica ao fanatismo religioso já vista em seu primeiro livro "Carrie, a estranha", aqui King mostra como o político com face mais simpática pode esconder um monstro sanguinário por trás da máscara, no que acredito ser uma simetria perfeita entre o protagonista e antagonista da história. Smith com sua bondade e carisma sinceros sobrepondo o "lado negro" e paranormal de sua mente(que geralmente é o que o povo vê), enquanto Stillson sempre com sua ganância inescrupulosa e cruel sobrepondo seu carisma e simpatia(que igualmente é o que o povo geralmente encherga erroneamente).
Porém acho que foi um pecado terrível escrever na sinopse algo que é revelado, com um toque que seria perfeito de suspense, nas ultimas páginas do livro... O que de forma alguma faz com que a leitura não valha a pena já que mesmo com o spoiler da sinopse acredito que seja o melhor livro do King que já li.
comentários(0)comente



Isaa 10/04/2012

leitura compulsiva.
Todos nos fazemos o que podemos, e isso tem de ser bom o bastante... e se não é bom o bastante, temos de continuar fazendo. Nada jamais é perdido... Não ha nada que não possa ser encontrado.


E como sempre SK nos envolve com sua impecável narrativa.
Silvia 16/10/2012minha estante
Legal :)




L.T.R. Stocco 07/07/2015

Bom, mas cansativo
A trama é até interessante, mas neste livro o autor se estendeu tanto em todas as partes que ele se torna cansativo. Mais uma vez fui levada a acreditar que King deve sofrer de enxaquecas, pois Jonny tem as suas ao usar o poder mental. A parte que trata do período de coma e da convalescença de Jonny enquanto se recupera é massacrante, e não consegue prender o leitor da mesma forma que outros livros também de King. Além disso, os poderes de Jonny são muito parecidos com o de vários outros personagens de Stephen King, e eu o associei imediatamente a Andy McGee, de A INCENDIÁRIA. A namorada de Jonny, que acaba reaparecendo para um breve flash-back e em quem a história se foca no início, acaba não tendo nenhum papel relevante na história, diferente da mãe fanática religiosa, que faz um pedido a Jonny em seu leito de morte, e que o acompanha pelo resto da vida.
Zona Morta tem uma história legal, mas é bem cansativo de ler. Há outros livros deste autor bem melhores; no entanto, o final compensa a lentidão da linguagem, e dá ao próprio leitor a sensação de dever cumprido.


site: pargaia.blogspot.com.br; www.bhardo.net
comentários(0)comente



Pedro 25/12/2014

Stephen King
Filho de uma mulher extremamente religiosa e um pai doce que trabalha em construções, Jonny Smith, é um professor universitário na cidade de Cleave Mills no Maine e namora a colega de trabalho Sarah.
Wheel of Fortune
Tudo começa quando na véspera do Halloween, ambos vão para uma feira comemorar a noite das bruxas. Com pouco dinheiro eles conseguem se divertir nos brinquedos do parque, e já no finalzinho, quando ambos estão indo para casa, John é atraído pelo mediador de uma maquina chamada "Roda da Fortuna", e resolve gastar as poucas moedas que sobraram no jogo, no entanto, ele não esperava que em todos os palpites ele fosse acertar. Durante as jogadas, Sara passa mal e pede para ir embora. E é aí que as coisas se sucedem, John a acomoda na casa dela, e pede um taxi para a sua casa. Durante a viagem ele sofre um acidente que causa traumatismo craniano e o deixa em coma por quatro anos.

Passado os quatro anos, Jhony acorda em uma novo mundo com um cenário bastante diferente do que antes do acidente. Sarah se casará e já era mãe de um bebe, o cenário politico havia mudado
sua mãe estava cada vez mais religiosa e em busca de ir ao encontro de Deus, ele havia perdido o emprego e durante o coma, seu pai havia rezado para que ele morresse e acabasse com o sofrimento.
Mas ao acordar, não é só o mundo ao seu redor que está diferente, mas ele também, sem perceber jhony acordou com um poder capaz de revelar algo relevante de uma pessoa com um simples toque, e é a partir daí que as maiores mudanças começam a acontecer para ele.

Todos nós sabemos que quatro anos é bastante tempo. Acontecimentos são intensos, e as mudanças constantes, num piscar de olhos já estamos diante de uma tecnologia diferente, uma noticia nova. Agora imagine para alguém que passou quatro anos numa cama apagado como deve ser para ele acordar e se deparar com varias mudança. É isso o que acontece com ele. Além de está desatualizado, John está também "enferrujado" e possivelmente poderá ter perdido a capacidade de andar.

Zona Morta é o quarto livro do Stephen King lançado aqui no Brasil primeiramente pelo Grupo Editorial Record (ano de 1979), e foi nessa edição que fiz a minha leitura, aliás, minha primeira leitura do King, vale salientar.

Com personagens fortemente construídos, o autor conta a história de uma forma contagiante e surpreendente. É como se estivéssemos degustando um prato e que de tão bom não queremos que acabe, mas o autor não nos deixa demorar na leitura, pois ele joga elementos que instigam a curiosidade do leitor, deixando assim uma sede maior por informações que nos fazem chegar rapidamente ao desfecho de Zona Morta. Mas não espere muito do final, apesar de ter umas cenas bem eletrizantes, muitas coisas esperadas para acontecer surpreende o leitor não acontecendo, e por mais que eu tenha entendido a forma como se fechou essa história, me deixa triste o fato de não ter terminado como eu queria, o que não quer dizer que não possa agradar a outro leitor.

Para finalizar, posso dizer que estou muito satisfeito em ter começado a ler o mestre com esse livro, pois não me decepcionei e só pela escrita que o autor tem podemos notar que sua vasta obra tem muito a nos oferecer.

site: decaranasletras.blogspot.com.br/2014/12/resenha-47-zona-morta-stephen-king.html
comentários(0)comente



Samuel Simões 22/03/2015

TOPP!
Pra resumir em poucas palavras,achei a história muito original e a forma como o autor conduz a história me deixou muito intrigado! Curti demais a leitura e os personagens marcantes deste livro que pra mim está no meu top 10 do SK!
comentários(0)comente



Tsuyuri 08/04/2009

Um livro muito bom, envolvente, o que será que John tem? Farsante? Sorte? Dadica ou Maldição? Como todos sabem Stephen King arrasa nesse livro!
bardo 14/11/2010minha estante
De fato é um dos melhores dele, já li umas 4 vezes heheehe




@geovanibitt 01/08/2011

50 estrelas!
Simplesmente chorei no final. Uma das melhores obras que já li.
comentários(0)comente



Breno 09/01/2009

Apesar de não ser um dos melhores livros de King, The Dead Zone é bem construído e possui elementos que prendem o leitor que, por sua vez, só entenderá 100% o desfecho da história nas últimas páginas.
Jerome 25/06/2011minha estante
Discordo. A Zona Morta n é só um dos melhores do King como tb é um dos livros mais corajosos e artísticos que o mundo do horror ofereceu. O desfecho n possui nada de complexo, é aquilo lá, basta o leitor aceitar.
Uma obra sobre desilusões e sobre o efeito do homem na sociedade. Literatura verdadeira q n é uma mera estrutura de entretenimento, é arte.




Sidney Matias 18/04/2013

Excelente!!!!!! A Zona Morta - Stephen King
Publicado em 1979, A Zona Morta é uma das obras mais notáveis de Stephen King, que nos apresenta um livro de ficção marcante, completo e emocionante, somado a um excelente conjunto de personagens cativantes em um cenário muito bem constituído. Resultando em uma referência no mundo literário.
Confesso que A Zona Morta não estava na minha lista de prioridades para leitura de Stephen King, porém já havia recebido boas indicações de amigos, até que fui presenteado com este incrível livro, e me arrependo de não ter lido antes, esta que é uma das mais cultuadas obras do mestre do suspense e terror.
Jhonny Smith, um simples professor em Cleaves Mills, possuía uma vida normal, estava em um início de romance com Sarah, e algo mágico envolvia o casal, possuíam uma química que a muito tempo eles não sentiam. O presente deles era sempre regado de bons momentos.
Até que uma eventualidade do destino muda o rumo de tudo...
Desacreditado da medicina, família, amigos e até mesmo de sua namorada Sara, com exceção de Vera sua Mãe, que já vivia entre a beira da loucura, entre uma paranóia religiosa, fim dos tempos e seres de outros planetas. Jhonny Smith desperta após 5 anos em estado de coma, e não há indícios de sequelas, exceto uma região do cérebro danificada denominada pelos médicos de A Zona Morta, porém ela abriga muito mais do que memórias apagadas, e devido a esta lesão Jhonny desenvolve o poder de prever o futuro, assim como também um pesado fardo de condenação.

Após vários eventos e lampejos de paranormalidade que influenciaram diretamente a vida de todos ao seu redor, ora decepcionando ora sendo herói, odiado e amado, evitado por centenas, e procurado por milhares de pessoas que desejavam que Jhonny utilizasse seus poderes para sanar seus problemas.
Uma vida muito conturbada, e totalmente fora dos planos do nosso protagonista que teve cinco anos subtraído de sua vida, e desejava uma vida normal.
Mas os problemas não eram suficientes até conhecer Greg Stillson, uma figura inescrupulosa candidato a deputado, Jhonny sofre uma gama de horríveis visões após esse contato, visões estas que trazia Greg Stillson a Presidência dos Estados Unidos e desencadearia em uma guerra nuclear, e via toda a nação mergulhada em uma tragédia sem limites.
Transtornado, perturbado, e perseguido por pensamentos malévolos de Greg Stillson, Jhonny Smith entra em um dilema, seguir sua vida e sofrer em silêncio, mesmo sabendo das consequências se o traçado de Greg se cumprisse, ou matá-lo em uma busca alucinada.
A Zona Morta é uma leitura fácil, com um ritmo muito bem construído, leitura obrigatória, um belo exemplo de uma obra, aonde todos os elementos se encaixam perfeitamente, Casa de Livro recomenda.


Título: A Zona Morta
Título original: The Dead Zone
Autor: Stephen King
Páginas: 611
Editora: Ponto de Leitura

Boa Leitura

Sidney Matias


"Todos nós fazemos o que podemos, e isso tem de ser bom o bastante… e se não é bom o bastante, temos de continuar fazendo. Nada jamais é perdido… Não há nada que não possa ser encontrado."
comentários(0)comente



Ana Paula Frazã 16/07/2010

O melhor de Stephen King.
O meu preferido, completo e com muita história.
comentários(0)comente



86 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6