O Discurso do Rei

O Discurso do Rei Mark Logue...




Resenhas - O Discurso do Rei


37 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3


Carla 12/04/2013

Chatinho!
Eu adorei o filme O Discurso do Rei. Outro dia, estava passando na livraria vi o livro e resolvi comprar.
Quando li a apresentação já fiquei com o pé atrás, pois nele o neto de Lionel Logue (médico do rei) explica que reuniu todas as informações sobre a vida do avô para a equipe do filme. E a partir daí resolveu escrever o livro. Ou seja, o filme não foi baseado exatamente no livro. Na verdade, o autor aproveitou o gancho do filme e as informações que ele já tinha reunido para escrever uma breve biografia sobre o médico que curou o rei.
O problema é que o livro pra mim ficou extremamente amador (e muito chato!). Como se a professora pedisse de dever de casa para você contar a história de alguém da sua família.
Mas vamos ao livro!
Diferente do filme, o livro não conta somente a relação do médico com o rei e como foi o tratamento.
O livro retrata a história de Logue, a vida dele na Austrália, a sua viagem ao mundo, a sua evolução como terapeuta da fala, seu casamento, sua mudança para a Inglaterra, o nascimento dos seus filhos e o tratamento do rei. Esse último tema, lógico, é abordado mais profundamente.
O livro usou como base correspondências e os diários do rei e de Lionel. Mostrando como a relação médico e paciente evolui para uma amizade. A evolução do rei em relação ao problema da fala (que pra mim no filme nem ficou muito claro como é no livro) e sua gratidão a Logue.
O livro não é grande, é muito fácil de ler, mas confesso as vezes é bem chatinho. Tive vontade de abandonar várias vezes.
comentários(0)comente



cris.leal.12 10/09/2017

Belo relato sobre amizade...
Apesar do livro de Mark Logue e Peter Conradi apresentar um retrato bastante fiel e interessante da época, e narrar a incrível superação da gagueira do rei britânico George VI (pai da atual Rainha Elizabeth), o que realmente chama atenção é a história da amizade entre um nobre, segundo filho de Sua Majestade o rei George V, e um plebeu da colônia australiana. A princípio, esses dois homens não deveriam nem ser conhecidos, mas as suas histórias de vida, a amizade genuína e a lealdade que há entre eles, é o que, de verdade, nos emociona.

site: http://www.newsdacris.com.br/2010/04/eu-li-o-discurso-do-rei.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Gleiciane.Marques 08/12/2016

O Discurso do Rei - um reflexo de cada um de nós
Sempre quando leio procuro extrair algum ensinamento da obra em questão. Este é um dos critérios pelo qual me baseio ao julgar o valor de uma obra. Sempre penso as lições que aprendi durante a leitura. Com o discurso do rei, de Mark Logue e Peter Conradi não foi diferente. Ao narrar a dificuldade de fala do rei George VI ao longo de sua vida, bem como o papel fundamental de Lionel Logue neste trajeto fui várias vezes levadas à reflexão.
Em primeiro lugar, amei a descrição do contexto histórico da época. A minha mente formou imagens de lugares que eu sempre desejei ir e pessoas que eu ficaria encantada em conhecer. Eis um dos feitos da literatura, esta capacidade de te transportar para o mundo. Refleti sobre o comportamento e visão das pessoas daquela época.
Ponderei também sobre a família real e como eles também possuem desafios de conviverem entre si com as suas diferenças e dificuldades pessoais. Toda família tem isso.
Além disso, senti-me tocada pela descrição do rei George VI. Por meio dos extratos de seu diário, matérias de jornais e cartas pude atentar para o fato de que todas as pessoas tem obstáculos a serem enfrentados, seja da realeza ou não e o quão difícil é deixar de fazer o que você quer por um bem maior. Por isso todas as pessoas também passam em algum momento da vida.
Enfim, uma ótima leitura que reflete cada um de nós.

site: https://www.youtube.com/watch?v=REMuB7tn3J4
comentários(0)comente



Cid Roberto 09/11/2011

Terminei a leitura em 09.11.2011.

O livro é repetitivo em vários momentos, quando trata dos discursos do rei.

De relevante, fica o exemplo de dedicação e o envolvimento do terapeuta Lionel Logue, deixando transparecer que os excelentes resultados alcançados nos tratamentos eram fruto do amor dele pelo o que fazia.

Esse exemplo serve para todos nós para também adotarmos o mesmo procedimento em tudo o que fizermos.

Cid Roberto
comentários(0)comente



Flavio 30/05/2011

Como Um Homem Salvou a Monarquia Britânica
O Livro, como já se é previsto, é com certeza bem mais esclarecedor e possui mais detalhes que o filme que ganhou 4 Oscars (2011). Nele aponta a Monarquia Britânica firme com a imagem de um Rei, graças ao esforço de um homem, Lionel Logue, que desafiou as dificuldades por não ter sangue azul, mas tinha o orgulho de servir, e salvar, seu Rei.
Os diários reais, deixados pelo monarca George VI, diários de Lionel Logue, e entrevistas a norade Lionel teve como resultado essa excelente pesquisa histórica moldada em uma escrita simples e de fácil leitura.
Na evolução da fala do Rei, Logue foi essencial ao seu lado durante os seus discursos, apoiando e auxiliando e mantendo imagem do Rei sempre imponente, para que não desmontasse a qualquer sinal de sua gagueira.
Nos relatos de antepassados, como também as infâncias dos personagens principais, vemos a construção de dois homens que deixaram as diferenças sociais e burocracias impostas, entre Rei e plebeu, para fundarem uma bela e invejável amizade. Na história dos personagens foram ilustrados acontecimentos passados e que possibilitariam maior entendimento e profundidade ao lermos à obra.
Os trechos da vida de cada personagem presente na história da Monarquia Britânica, passando por momentos incomuns para os curiosos, porém servindo de excelente referência para os estudiosos da história mundial. O livro também possui imagens, além de trechos transcritos diretamente dos diários e cartas entre as famílias e seus representantes, e vários relatos pessoais.
Os autores não mostraram também as tragédias e revoltas, como também dificuldades que abrilhantam o drama existente na história. Sem ser algo romântico, nem tão pouco dramático, o livro se mantém uma linha entre os dois gêneros.
Realmente o livro é bom e nos mostra uma visão do mundo privado da realeza visto pelo olhar de um plebeu, recomendo essa leitura!
comentários(0)comente



Luiz Pereira Júnior 21/06/2017

Um chafariz de jardim...
Dizer que um livro é chato não significa muita coisa (sempre digo que "chato" é aquilo de que não gostamos). "O Discurso do Rei" é simplesmente superficial, com descrições repetitivas e altamente elogiosas ao protagonista - o que já seria de esperar de um dos autores do livro - por motivos óbvios. Além disso, não há uma descrição verdadeiramente apurada dos métodos usados pelo terapeuta da fala para a cura ou a amenização da gagueira (bem, para isso teria sido melhor comprar um livro específico) e a idealização da nobreza britânica beira o ridículo (talvez seja melhor dizer "risível"). Quanto ao título da resenha: bonito, nobre, aristocrático, mas raaaasoooo... No mais, aproveite-o para uma leitura descompromissada em um domingo anterior a uma semana estressante...
comentários(0)comente



Prof. Angélica Zanin 11/12/2014

Um rei salvo por um plebeu
Para quem gosta de história, o livro é formidável! Através desta narrativa comprovada por fragmentos de cartas, constata-se quanto humano são aqueles que detêm a nobreza e o poder. Rei George VI , frágil , inseguro, despreparado para ser o rei, uma vez que há Edward-seu irmão mais velho e herdeiro do trono e, além disto, gago. Mas a vida lhe proporciona um encontro com o australiano Lionel Logue, especialista em fala. Este homem acompanha toda a trajetória do rei, auxiliando-o em seus discursos. Especialistas da atualidade afirmam que esta ajuda foi muito mais psicológica e humana que física. É uma história única, emocionante e ainda mais incrível por ser autêntica.É possível ler em meio a narrativa fragmentos dos discursos, julgamentos, cartas e teses de pessoas de destaque da época, mas o que mais me encantou foi verificar a humanidade por trás de pessoas que se escondem sob suas couraças do poder e da nobreza.
comentários(0)comente



Tarcísio 07/12/2011

Tive o cuidado de ler o livro antes de ver o filme. Em obras como esta, para se ter uma análise isenta, creio que seja bom ter esse cuidado.

A verdade é que "O discurso do rei" é uma obra que se mostra despretensiosa. Em termos de literatura, não acrescenta nada, e nem acho que a intenção tenha sido essa. Sem dúvida alguma, podemos considerá-lo como um livro "oportunista", buscando lucros através da evidência que o filme deu ao assunto.

Em resumo, o livro trata das dificuldades de fala, principalmente a gagueira, do futuro rei britânico Gerge VI. Considerando que, em especial após ser alçado ao trono, um de seus principais papéis era fazer discursos e pronunciamentos, teve a ajuda de um terapeuta da fala que acabou virando seu amigo particular.

Mas, independente da questão da qualidade literária e dos fins comerciais, sua leitura é agradável e bastante simples. Para leitores que apreciam fatos e personagens históricos, acaba sendo bastante interessante. Algumas passagens sobre a Segunda Guerra Mundial, por exemplo, são bastante curiosas e originais mesmo para alguém que, como eu, já leu bastante sobre o tema.

É um livro curto, leitura leve e, como já comentado, sem muitas pretensões. Para quem gosta do assunto, acaba sendo um programa divertido.
comentários(0)comente



Karol Cremonini 17/04/2017

O discurso do Rei
Eu sou louca por história mundial, principalmente os assuntos que envolvem as Duas Grandes Guerras. E também sou apaixonada pela Família Real Britânica. Juntando os dois assuntos, eu fico no paraíso.

Temos aqui a história verídica de como foi para Albert, então Duque de York, superar sua gagueira, ao se ver obrigado a assumir o trono da Inglaterra e se tornar o Rei George VI (pai da atual Rainha Elizabeth II).

Desde pequeno Albert apresentava problemas na fala; não conseguia se comunicar com clareza e coesão em situações normais e muito menos quando estava sob pressão. Após muitos tratamentos inúteis ele havia praticamente desistido de tentar melhorar.

E foi assim que os caminhos do futuro Rei e de Lionel Logue, se cruzaram. Logue era um tipo de terapeuta da fala e sua ajuda foi fundamental para suavizar os problemas de fala do Rei, que passou por muitas provações, afinal, assumiu a Coroa em uma época de guerra (a Segunda, no caso) logo os discursos eram constantes.

No livro vemos a relação dos dois, que começou de forma profissional, mas evoluiu para uma sólida amizade entre um plebeu e seu Rei. Percebemos nos relatos os esforços de ambos para conseguir o melhor resultado possível.

A leitura é rápida e fluida, e pra quem gosta de história está muito mais que recomendada.

Há também uma adaptação cinematográfica, onde as atuações são impecáveis e que inclusive ganhou 4 Oscars, sendo o de melhor filme, melhor ator, melhor diretor e melhor roteiro adaptado, ou seja, IMPERDÍVEL.

Recomendo o livro e o filme. ?
comentários(0)comente



Beto 20/06/2011

Não desista...
Tenho visto muita desistência sobre este livro, porque estou participando de um site de leitores, o que me deixou intrigado, pois é um bom livro, bem escrito com uma história real, e o que me deixa triste, pois temos que ir até o fim, para podermos tirar as conclusões necessárias. Mas do livro tenho a dizer que é uma ótima história, é muito difícil ter um problema emocional, como a gagueira, ainda mais sendo o Rei da Inglaterra, aonde os discursos são inevitáveis, o desenrolar da história é envolvente, ainda nos ensina sobre a segunda guerra mundial.
comentários(0)comente



Sarah Oliveira 24/05/2011

Uma história para ler depois.
O livro é ótimo, a história é linda, porem pelo que vi do filme esperava muito mais desse livro que tinha tudo para ser um dos meus favoritos, mas acabou me decepcionando muito.
O livro me deu a nitida impressão de que o autor pegou uma carona no sucesso do filme, que alias foi um dos melhores do ano até agora. Não quero desmerecer o trabalho do autor que deve ter lutado muito para conseguir todas as informações necessárias mas depois de lê-lo acredito que poderia esperar mais para o fazer.
Um destaque especial para as imagens que foram muito bem escolhidas.
comentários(0)comente



Marcel 02/04/2013

Apesar das 3 estrelas....
Havia assistido o filme primeiro e como a maioria das vezes o livro é muito melhor, agora não foi diferente!!!

O livro fala sobre a gagueira do Rei George VI e seu tratamento com o Sr. Logue e dá detalhes sobre a vida da monarquia inglesa.

Apesar das 3 estrelas, é um livro que gostei pelos fatos narrados, porém, não mereceu a 4ª estrela. As vezes um pouco repetitivo, aparenta em outras vezes a vontade dos autores em aumentar o volume de palavras para consequentemente aumentar o número de folhas.

Mas pelas pequenas coisas contadas sobre a monarquia e a luta do Rei George contra a gagueira, fazem do livro a pena ser lido!

Eu recomendo! Boa leitura.
comentários(0)comente



Ennio 09/03/2014

Deus salve o rei... Mas que rei?
Inicialmente descrito como o relato das dificuldades do soberano George VI no que concerne à comunicação, O discurso do rei ultrapassa os limites de um relato pessoal e ganha ares de livro histórico. Relata desta forma, o panorama social no qual estava inserida a Europa - sobretudo a Inglaterra -, no período entre as duas Guerras Mundiais. Mas é a relação estabelecida entre Lionel Logue e o até então duque de York,que permeia toda a obra. Relação esta, travada inicialmente para possibilitar ao duque certa desenvoltura em seus discursos; pois como era de conhecimento geral,Bertie "sofria de problemas da fala". Tal dificuldade é acentuada com a morte do rei George V e a abdicação do trono,em menos de 1 ano, do soberano Edward VIII. Portanto, sendo o próximo na linha de sucessão, Bertie teria de enfrentar seus "fantasmas" pessoais e deixar de lado a timidez e a gagueira (algo inadmissível a um rei). É aí que se torna mais intensa a relação entre o ex-duque e Logue. Paciente e terapeuta tornam-se cada vez mais próximos e mantêm contato, sobretudo por cartas, até a morte da Sua Majestade, ocorrida em 1952. Desta maneira, este livro tem importância tanto histórica quanto descritiva, pois narra os bastidores de um dos momentos mais tensos pelo qual passou a Inglaterra.
comentários(0)comente



Lipe 09/04/2013

Um Discurso Travado
O livro começa sendo uma leitura "chata" os autores, querem expor muitos fatos da época, sendo que em certo momento, tive que parar, voltar algumas paginas e ver de quem ele estava falando, se era do pai, do filho mais velho do rei, do rei ou do próprio Bertie, tirando esse momento inicial, o livro encanta pelas passagens dos diários e cartas trocadas entre o rei e Logue. a devoção de Lionel é a de um colono do Reino Unido clássico, que segue seu rei seja onde for. o livro pra mim que tenho uma veia de historiador foi perfeito ao retratar uma época.
comentários(0)comente



37 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3