O Diário de um Mago

O Diário de um Mago Paulo Coelho




Resenhas - O Diário de um Mago


213 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Fabio Shiva 10/10/2020

Quem ama não queima
Em 2019, quando decidi contar em livro as peripécias e causos engraçados vividos por mim e por meus companheiros da banda Imago Mortis, foi irresistível a tentação de sapecar um título-trocadilho: “Diário de um Imago” (https://www.amazon.com.br/dp/B07Z5CBTQ3). Por esse motivo, determinei-me a ler o livro do Paulo Coelho que deu origem à piada. Da mesma forma que, ao decidir fazer se passar em um único dia a história contada em “O Sincronicídio” (https://caligo.lojaintegrada.com.br/o-sincronicidio-fabio-shiva), quis ler o livro que me inspirou essa ideia, o “Ulisses” de James Joyce (http://comunidaderesenhasliterarias.blogspot.com/2013/10/ulisses-james-joyce.html). Similarmente, busquei ler todas as histórias de monstro que me caíram nas mãos enquanto estava escrevendo “Favela Gótica” (https://www.verlidelas.com/product-page/favela-g%C3%B3tica).

Contudo a leitura de Paulo Coelho não fluiu. Eu já havia lido três outros livros dele: “O Alquimista”, “As Valkírias” e “O Demônio e a Srta. Prym”, sem ter realmente gostado de nenhum. Li tentando compreender o fenômeno Paulo Coelho e, sobretudo, por ser até hoje fã das letras que ele escreveu para as músicas de Raul Seixas. Mas “O Diário de um Mago” simplesmente não desceu, e depois de algumas penosas tentativas acabei largando o livro de lado. Mesmo sem ter conseguido ler mais que vinte páginas, tive um bom aprendizado, pelo qual sou grato: descobri que assim como existe a sabedoria espiritual, existe também a esperteza espiritual. Em minha opinião, Paulo Coelho está mais para a segunda que para a primeira.

Meu livro “Diário de um Imago” está completando um ano de publicado, e já se vão muitos meses desde que parei a leitura de Paulo Coelho. Decidi abandonar oficialmente essa leitura somente agora, depois de assistir a um vídeo que marcou o final de setembro no Brasil: um casal de idosos alegremente rasgando livros de Paulo Coelho e atirando as páginas rasgadas na churrasqueira da família (https://youtu.be/16By1iOERhU). O motivo da queima dos livros: Paulo Coelho criticou o governo de Bolsonaro.

Esse vídeo me marcou profundamente, a ponto de considerá-lo um dos símbolos mais expressivos desse momento tão alucinante e alucinado que vivemos. Aqui quero mencionar apenas os dois pontos mais expressivos a que minhas reflexões me conduziram, e que ao meu ver resumem muito bem o bolsonarismo:

1) O Bolsonarismo é alimentado por uma intensa e eficiente mídia do ódio: Paulo Coelho já havia entrado na mira dos bolsonaristas ao criticar abertamente as insanidades de Bolsonaro. O estopim que fez o casal de idosos queimar os livros foi uma postagem no twitter, onde ele pede o boicote aos produtos do Brasil e ao “talibã cristão”. Acho muito improvável que o casal de idosos tenha visto a postagem original no twitter, que foi logo depois apagada. Devem sim ter visto os vídeos e postagens de ódio que aproveitaram o incidente para alimentar as bolhas do bolsonarismo.

2) O Bolsonarismo só encontra ressonância nos corações já envenenados pelo ódio: o que é mais triste e impactante no vídeo não é a queima dos livros em si, mas a excitação e euforia dos idosos ao queimar os livros. Vendo o vídeo, tive a nítida impressão de que os dois estavam realizando um sonho antigo, que finalmente encontrou uma justificativa para ser realizado. A mídia do ódio é muito bem planejada e levada a cabo com extrema eficiência, mas só funciona naqueles que já são propensos a odiar. A propaganda nazifascista de Bolsonaro não é capaz de transformar ninguém em nazista ou fascista, mas funciona que é uma beleza para fazer os nazistas e fascistas saírem do armário. Por isso é que, apesar de tudo, eu estou confiante de que atualmente vivemos um momento necessário de purgação das enfermidades emocionais de nosso país. Depois que todo o pus for colocado para fora dos corações e mentes, poderemos começar a tratar das feridas.

Quanto ao meu exemplar de “O Diário de um Mago”, será colocado à disposição no projeto P.U.L.A. (Passe Um Livro Adiante). Eu não gostei, mas outra pessoa pode gostar.

***
Contos da Era Bolsonaro - baixe o livro gratuitamente:
https://www.recantodasletras.com.br/e-livros/6871467

https://comunidaderesenhasliterarias.blogspot.com/2020/10/o-diario-de-um-mago-paulo-coelho.html


site: https://www.facebook.com/sincronicidio
comentários(0)comente



Clio 23/03/2021

Li esse livro ainda adolescente, aos doze anos. É claro que caí do cavalo com o título.

O Diário de um Mago traz a história da peregrinação de Paulo Coelho pelos Caminhos de Santiago de Compostela, na Espanha. A rota é bem conhecida pelos devotos brasileiros e mesmo pelo pessoal do ciclismo que percorre basicamente o mesmo caminho.

O texto é uma mistura de diário de viagem com considerações místicas e pequenas passagens que variam entre fábulas e folclore. Como grande amigo de Raul Seixas, é fácil reconhecer citações e colaborações apresentadas no trabalho do cantor.

Esse livro da década de 90 precede a fama galopante do autor e a infâmia que adveio sua nomeação a Academia Brasileira de Letras. Então, não tem grandes aspirações literárias, mas é um bom entretenimento e certamente interessante para quem não conhece o roteiro supracitado ou o estilo do autor.
comentários(0)comente



kassya 28/07/2009

lembrança
Assim como outros livros de Paulo Coelho, este também deixou marcas em mim. Talvez tenha sido pela epoca que eu li, adolescente... mas acredito que ter lido esses livros nesta epoca, me tornou a pessoa que sou. ler é mais que passar os olhos em centenas de letras e, entender o que esta escrito ou compreender a mensagem, e preciso torna-la util na sua vida.



"Chegamos exatamente onde precisamos chegar, porque a Mão de Deus sempre guia aquele que segue seu caminho com fé."



"O primeiro sintoma de que estamos matando nossos sonhos é a falta de tempo. As pessoas mais ocupadas têm tempo para tudo. As que nada fazem estão sempre cansadas."



"O segundo sintoma da morte de nossos sonhos são nossas certezas. Porque não queremos olhar a vida como uma grande aventura a ser vivida, passamos a nos julgar sábios no pouco que pedimos da existência. E não percebemos a imensa Alegria que está no coração de quem está lutando."



"O terceiro sintoma da morte de nossos sonhos é a Paz. A vida passa a ser uma tarde de domingo, sem nos pedir grandes coisas e sem exigir mais do que queremos dar."



"Quando renunciamos aos nossos sonhos e encontramos a paz, temos um pequeno período de tranqüilidade. Mas os sonhos mortos começam a apodrecer dentro de nós e a infestar todo o ambiente em que vivemos. O que queríamos evitar no combate, a decepção e a derrota, passa a ser o único legado de nossa covardia."



"O homem é o único ser na Natureza que tem consciência de que vai morrer. Mas mesmo sabendo que tudo irá acabar, faz da sua vida uma luta digna de um ser eterno."



"A cada momento de nossa existência temos que escolher entre um caminho e o outro. Uma simples decisão pode afetar uma pessoa para o resto da vida."

Márcia 20/10/2012minha estante
Achei linda a sua resenha.
Comecei a ler esse livro e abandonei, acho que naquela parte que ele fala de imaginar que você está morta, no caxão, foi muito forte pra mim.
Vou tentar ler novamente, dessa vez o livro inteiro.
Obrigada pela resenha.


Bia 02/05/2017minha estante
Como nem tudo é para todo mundo, os livros de Paulo Coelho tbém são assim.
Esse homem que veio da 28 dimensão de consciência, para ter uma experiência como humano e ajudar aqueles que precisam ser despertos, para assim, seguirem com seus projetos divinos na terra. Um avatar entre nós e compactado como humano...como muitos outros que já estiveram por aqui. Seus livros ajudam na expansão de consciência apenas daqueles que
desejam buscar com sinceridade, a evolução para sua vida. Por isso nem todos alcançarão seus ensinamentos.




EddeDeka 21/12/2020

Não tem nem o que comentar...
Uma leitura para terminar o ano de 2020 com um pouco mais de esperança.
comentários(0)comente



Tatiele silvað 28/04/2020

O Diário de Um Mago
Todos deveriam ir em busca de sua espada.
comentários(0)comente



Petrus 02/02/2010

Para mentes pequenas
Mais um aproveitador da inocência do vulgo. Se não considerasse uma palavra muito chula, diria que este livro é uma merda.
laura 09/04/2010minha estante
Concordo plenamente com você.


Junior 05/05/2011minha estante
Sou mais um que concorda com tuas palavras. Um embusteiro que escreve bobagens pseudo-esotéricas e pseudo-místicas é como eu defino o autor desta obra.


Rodrigo 11/11/2011minha estante
Concordo plenamente (2).
Paulo Coelho foi sorteado pelo acaso,porque não pode ser que alguém goste desse lixo literario que ele escreve.


Wesley 15/07/2012minha estante
virem escritores e escrevam coisas melhores então.


Lidia 21/09/2012minha estante
rs...achei pessoas que compartilham as mesmas opiniões sobre esse tal de Paulo Coelho!!!!


Lidia 21/09/2012minha estante
rs...achei pessoas que compartilham as mesmas opiniões sobre esse tal de Paulo Coelho!!!!


Helloise 06/02/2013minha estante
"virem escritores e escrevam coisas melhores então."

Não é porque não sabemos fazer algo que somos obrigados a engolir o que produzem de má qualidade. Bons escritores no mundo não faltam.


Nattt 30/11/2013minha estante
Honestamente, não lembro muito do livro, lembro apenas de poucas coisas e a impressão que tive dele. Me pareceu um bom livro, tendo em vista que não gosto do Paulo Coelho, não consigo passar de uma página de suas obras. Talvez pelo esoterismo, ou pseudo-esoterismo, como disse o moço Junior. Talvez eu realmente precise reler, hahaha


Diego 19/02/2015minha estante
Para gostar é preciso ter afinidade com o assunto. O diário de um mago é um livro que não é apenas para ser lido, mas sim, meditado, como todos os livros de Paulo Coelho. São obras de extrema sensibilidade e simplicidade, para quem tem humildade de leitura e que falam diretamente ao coração de quem a possui. Cada tem sua opinião sobre a obra e todas as obras desse autor. No entanto, nunca leiam um livro apenas por curiosidade ou para tirar conclusões, principalmente os de Paulo Coelho, que são livros que falam do próprio ser que somos, em sua forma mais singular. Para ler Paulo Coelho é preciso humildade, sensibilidade e coração aberto, sem qualquer tipo de preconceito.


Lucas 23/03/2016minha estante
Concordo com o Diego, só acrescento que para quem acha o Paulo Coelho um pilantra, basta apenas ler um pouco sobre sua história. Ele viveu sua Lenda pessoal toda sua vida.




Polly 07/03/2020

O Diário de um Mago: uma peregrinação interna (#101)
Atenção: como personagem e autor têm o mesmo nome, sempre que eu estiver falando de Paulo estou me referindo ao personagem, e quando falar Coelho será ao autor. Pronto, você já pode ler a impressão literária sem confusão!



Deixar leituras pela metade é ainda um dos bichinhos da vaidade de leitora que me incomoda bastante. Já deve ter dado para notar, não é? Vez ou outra eu falo aqui de um livro que eu tinha tentado antes e depois de um tempo voltei a ele para tentar de novo. O Diário de um Mago foi um desses. Quando tentei a primeira vez, abandonei-o porque ele é um livro essencialmente lento e lentidão não é algo com que milleniuns sabem lhe dar na maioria das vezes. Ainda que você seja um daqueles milleniuns que lute com unhas e dentes contra essa pressa do século XXI, o piloto automático sempre é acionado em algum momento. Inevitavelmente.

No início de 2020, achei que meu humor e o tempo estavam favoráveis a essa leitura. Reiniciei-a. Nunca tinha lido Paulo Coelho até então. E, pelo que ouvia falar, ou só era possível amá-lo até as entranhas ou só odiá-lo profundamente. Acho que eu entendi por quê. Os odiadores o acusam de autoajuda disfarçada e é, só não sei se concordo com o disfarçada. Coelho transformou essa busca pelo melhor de si mesmo em literatura, em arte, e, honestamente, não vejo problema nisso. E acho que os que o amam, amam-no justamente pelos mesmos motivos dos que o odeiam.

O Diário de um Mago mistura um pouco de ficção com realidade. Seu protagonista também se chama Paulo, que é uma pessoa versada em magia. Com a ajuda do mestre Petrus, Paulo percorre o Caminho de Santiago em busca de sua espada. Tudo o que acontece durante o livro são apenas alegorias de tudo o que Paulo quer nos contar. Os fantasmas, os desafios, os monstros, tudo o que o mago enfrenta na vida real(?) são só metáforas dos próprios fantamas e monstros internos mal resolvidos.

Aplaudo Coelho por transformar os conflitos internos e a busca por aprender a conviver com eles em arte. Sim, mesmo que você vire o nariz para a literatura de Coelho, o que ele faz é arte. Toda forma de expressão sem uma definição clara de utilidade é arte. A definição mais sucinta que já ouvi de arte é que ela não serve para nada e, dessa forma, serve para tudo.
Durante a leitura, vi-me fazendo uma pergunta que sempre evito de fazer a mim mesma (apesar de acreditar que é ela que nos ajuda a enfrentar os monstros interiores). Estamos sempre preocupados em nos perguntarmos "para onde vamos?", "onde queremos chegar?" e, na verdade, a pergunta que deveríamos sempre estar a nos fazer é "onde estamos nesse exato momento?", "é onde queremos ficar?". Só por isso já vale a pena a leitura.

Paulo aprende que "sua espada", que interpreto como sua paz interior, não está no fim do destino, mas durante todo o Caminho de Santiago. Porque tudo o que ele tem é apenas o caminho. É apenas o agora.

Não posso falar que O Diário de um Mago seja um livro que mudou a minha vida, nem que será um dos meus preferidos. Acho que prefiro filosofia à autoajuda, e a diferença entra as duas é que a primeira só te faz perguntas e espera que você invente umas tantas outras em busca das respostas, já a segunda tenta de orientar a uma resposta mais ou menos pronta. Você só tem que escolher qual é a que te satisfaz. Mas, acho que, em certa medida, o livro me fez pensar sobre minha própria existência, logo filosofar sobre ela.

Enfim, não seja hater de livros. Ele pode ser uma boa experiência para uma outra pessoa. Considere suas falhas, debata sobre elas, mas nunca impeça um livro de ser aberto. Confesso que já fiz isso. Tem algumas impressões literárias aqui das quais me envergonho. De verdade. Mas, elas ficarão aqui para me lembrar que a gente sempre tem o que melhorar.

No mais, se você for da autoajuda, pega O Diário de um Mago já. Se não for, deixa quieto e tudo certo.


site: https://madrugadaliterarialerevida.blogspot.com/2020/04/o-diario-de-um-mago-uma-peregrinacao.html
Clayton.Nunes 19/03/2020minha estante
Oi sou novo aqui...não consigo ler os livros.pode me ajudar


Cris 25/07/2020minha estante
Mas o "personagem" Paulo É O PAULO COELHO. Como assim, nomes iguais?
O livro conta a própria jornada dele pelo Caminho de Santiago. É autobiográfico.




HarryZeusa 30/09/2020

Diferente de muita gente, eu realmente gosto do jeito do Paulo de escrever, e mesmo não acreditando em Deus, as histórias dele acabam sempre me ensinado algo e me tocando de alguma forma, nem sempre isso significa que eu concorde ou que eu acredite no que ele escreve, mas eu sempre tenho uma reflexão e acabo criando uma opinião sobre certo assunto porque li o livro.

Foi bem divertido de ler e me tocou bastante, e toda a conversa sobre o Bom Combate acabou me fazendo nao desistir do meu sonho, já que o li no mesmo dia em que pensei em finalmente desisti, então acabou virando um livro muito importante para mim, mais do que já era.
comentários(0)comente



Pedro Júnior 04/06/2009

Suicídio intelectual
Escrever sobre esse livro não só é completamente ofensivo, mas me faz pensar o que tinha na cabeça quando cheguei ao final dele. Deveria ter sido deixado na prateleira onde o peguei e nunca mais me lembrado que isso existe...
Não há qualquer maneira de dizer o que quis dizer Paulo Coelho com esse entojo que ele chama de livro. E pelo que já percebi, todos os livros dele são a mesma coisa.
Não acredito como tantas pessoas foram iludidas como eu.
Sinceramente, qual foi o motivo para a viagem a Santiago de Compostela? Respondo: nenhuma. Aliás, o motivo foi a ganância por vender. Não há qualquer elemento de profundidade nessa narrativa.
Não recomendo a ninguém. Ninguém MESMO.
Pris.rocha 11/12/2009minha estante
Adorei sua resenha sintetiza a minha opinião sobre os livros de Paulo Coelho. Primeiro li O Alquimista e confesso que ele disfarça a sua ignorância literária (sabe aquela história que sabemos que já foi contada por alguém? esse é O Alquimista, um livro velho!). Então para tirar a limpo, li O Diário de um Mago e fiquei horrorizada como alguém tem coragem de escrever tamanha baboseira!!


Fernando 05/11/2012minha estante
Isso normalmente ocorre com quem não consegue escrever uma linha, nem de uma redação no ensino fundamental. Uma crítica deve ser construtiva e estar acompanhada de boas idéias, as criticas de voces não ajudam ninguém.


Pedro Júnior 06/11/2012minha estante
Muito pelo contrário, Fernando. Já escrevi algumas coisas e muitas redações, inclusive do Ens. Fundamental. Aliás, geralmente sou eu quem peço pra fazer as redações, até porque sou professor. Não conheço manual algum que obrigue a criticar uma obra propondo ideias. Geralmente as pessoas fazem isso porque querem. O que não é o meu caso. Eu não quis ter boa ideia alguma pra fazer esta crítica (sequer é uma resenha, pq nem estrutura de resenha o texto tem), apenas quis dizer exatamente o que está escrito: o livro é horrível, sem profundidade, vago e sem atrativo algum. Nota 0. Minha crítica não vai ajudar o Paulo Coelho em nada, observando-se que ele não possui Skoob e o livro já foi escrito e publicado há mais de 10 anos. ;)


Andriane 20/11/2012minha estante
Eu não aguentei ler. Antes da metade, já tinha abandonado o livro!




Carolina 20/10/2009

Achei o livro péssimo! Vulgar, estranho, exagerado... achei bizarro! MUITO BIZARRO! Não recomendo!
Eu até gosto dos livros do Paulo Coelho, mas nesse ele mandou MUITO mal!
Mila 02/06/2011minha estante
é claro que vc achou o livro péssimo porque vc não entendeu o verdadeiro significado dele isso abaca acontecendo com pessoas ignorantes em relação a conhecimento.


Fernando 05/11/2012minha estante
Isso normalmente ocorre com quem não consegue escrever uma linha, nem de uma redação no ensino fundamental. Uma crítica deve ser construtiva e estar acompanhada de boas idéias, as criticas de voces não ajudam ninguém.




Ana SPV 25/07/2020

Peregrino...
O livro conta da trajetória de Paulo Coelho em busca de sua espada.
No caminho ele aprende muito sobre o amor, a amizade, as ilusões, etc.
É um livro razoável. Não curto muito essas coisas. Mas é uma leitura rápida que te prende e se torna interessante, foi tão interessante que li ele em 3 dias.
comentários(0)comente



Gabi Pantoja 25/06/2020

Perfeito.
Li esse livro logo após terminar O alquimista ( que também é de autoria do Paulo Coelho) e digo a mesma coisa de quando li o primeiro: um dos melhores livros que já li.
Foi um livro que eu não conseguia parar de ler . Recomendo demais !
comentários(0)comente



Adriano Xavier 18/09/2020

Como sempre uma leitura impossível de largar. Aqui temos um relato incrível e bem detalhado de sua peregrinação.
comentários(0)comente



Fernanda Taniz 13/11/2020

Essa foi minha primeira experiência com o Paulo Coelho, sempre tive curiosidade de ler e descobrir sua fórmula para tanto sucesso. Me encantei do começo ao fim, um relato escrito de forma para que todos possam compreender, e isso é tão especial! Eu não sou cristã, mas não me incomodou nem um pouco sua vivência no livro sobre isso, as partes mais místicas me encantaram também. Amo viagens e trilhas, então me apaixonei mais ainda. Com toda certeza vou colecionar os livros dele.
comentários(0)comente



Gu 25/08/2009

Ainda não consigo engolir Paulo Coelho...

Cheira-me a auto-ajuda disfarçado...
Yuri 04/01/2014minha estante
É um amálgama disforme de nova era, auto-ajuda, misticismo e confissões pessoais.




213 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |