Quando Cai o Raio

Quando Cai o Raio Meg Cabot




Resenhas - Quando Cai o Raio


78 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6


primeira viagem 12/04/2019

Quando cai o raio
Livro: Quando cai o raio
Autora: Meg Cabot
Editora: Galera Editora
Gênero; Ficção
Li o 1 volume da série
Ano de lançamento 2001
Páginas 270

Jéssica Mastroni, uma adolescente de Dezesseis anos durona e pouco popular estava voltando da escola com sua amiga Ruth a pé, quando uma tempestade começou, e apesar de terem tentado se proteger da chuva e raios Jéssica é atingida por um raio.
A princípio ela não sente nada anormal, não estava se sentindo mal, não tinha nenhuma marca ou machucado, nem estava chamuscada, mas, no dia seguinte quando acordou ela sabia onde estavam as crianças desaparecidos da foto na caixa de leite.
Ela começou a ligar para o Disque Desaparecidos diariamente e passar os endereços dessas crianças, porém, a frequência das ligações e os corretos paradeiros acabaram por despertar a curiosidade dos agentes do FBI.
A proposta do FBI era levar Jéssica para a Base Militar Crane e fazer com que ela descobrisse os esconderijos dos criminosos mais procurados. A adolescente queria viver a sua vida normal perto de seus familiares e amigos, mas, logo a mídia descobriu aonde era sua casa e começaram a pertubar sua família.
A fim de proteger sua família Jéssica aceita a proposta, porém, logo percebe que está em uma grande enrascada, ela não tinha certeza de que aquelas pessoas haviam realmente cometido os crimes ou era apenas um inimigo do estado e se ela entregasse uma pessoa inocente, não queria ser a responsável.
Além disso, Jéssica está apaixonada por Rob Wikkins, o Bad Boy da detenção motoqueiro, aventureiro e uma verdadeira perdição para qualquer garota de Dezesseis anos, Rob também vai tentar ajudá-la a fugir dessa grande confussão.

Comentários: É uma história envolvente, cheia de aventuras, concerteza vou continuar lendo a série, mas, acho que se eu tivesse lido na minha adolescência teria curtido mais.
comentários(0)comente



Julinha do @LeituraDaSemanaOficial 06/02/2019

Meg sendo Meg
" Dando o pontapé inicial das nossas leituras da Semana Especial Meg Cabot - Série Desaparecidos com o primeiro livro da série : Quando o Raio Cai.
E começando TB o #dl2019igsirmãos com um livro de capa roxa.
.
Sabe aquelas adolescentes descoladas, que ficam dando risadinhas com as amigas enquanto os caras fatos passam? Pois é, Jessica Mastriani não tem nada disso.
Ela não usa cabelos e roupas da moda, nem fica com o grupinho de amigas falando dos rapazes. Para isso acontecer seria necessário primeiro ter um grupo de amigas, o que ela definitivamente não tem. Sua única amiga é a Ruth, e para Jess já está de bom tamanho.
.
Por falar em Ruth, como a própria Jéssica diria, foi tudo culpa dela. O fato de ser atingida por um raio. O fato de após ser atingida conseguir encontrar pessoas desaparecidas. E, com certeza, o fato de sua vida ficar uma loucura por conta disso.
.
Para quem não conhece a escrita da Meg Cabot , ela é repleta de tiradas e comédia .
E no caso de Jess , uma boa dose de ironia.
.
Pelo fato de não ser uma garota cheia de frescuras ( e de até dar uns bons socos em quem a tira do sério - é só fazer algum comentário tosco sobre seu irmão Douglas que tentou suicídio algum tempo atrás ) não quer dizer que a personagem não possua as mesmas questões que qualquer outra jovem.
Ela se encanta com o cara mais velho com quem divide a detenção todos os dias após as aulas ( afinal Rob é gato e dirige uma moto! ), como também curte sua família ( mesmo implicando com os dois irmãos mais velhos ).
Ou seja, uma garota comum.
Mas isso foi antes do raio.
.
Quando descobre seu novo dom em achar pessoas ( se é que isso pode ser dom... ) , Jessica acaba metendo os pés pelas mãos e aprende que nem todos os perdidos querem ser encontrados...
.
Sou suspeita para falar da autora, mas em Quando O Raio Cai @officialmegcabot volta a cativar com sua escrita ágil, com personagens pelos quais torcermos! ( Jess S2 Rob )
E principalmente, nos faz pensar: o quanto um simples momento pode mudar tudo , num flash ( viu o que eu fiz?? Kkkk) "

*Resenha original do IG @leituradasemanaoficial *
comentários(0)comente



Vih Maddox @estante_maddox 02/02/2018

Um raio não cai duas vezes no mesmo lugar, certo?
Mandaram que ela escrevesse um relato em primeira pessoa contando tudo o que aconteceu e lógico que ela não poderia esconder que foi tudo culpa de Ruth, sua melhor amiga.

O livro conta a história de Jessica Matriani que em um dia como qualquer outro foi voltar para casa andando para perder uns quilinhos e acaba sendo atingida por um raio.
Ela acha somente uma marca de entrada e nenhuma de saída, como se tudo isso não fosse estranho o suficiente no dia seguinte ela acorda sabendo onde estão as duas crianças desaparecidas cuja foto foi colocada na caixa de leite.
Pensando que seria o certo Jessica começa a ligar para o disque desaparecidos e conta onde estão as crianças, ela continua fazendo isso até que dois agentes do FBI aparecem na escola para conversar com ela e nisso começa uma grande aventura...

Esse livro me surpreendeu um pouco por ser meio "infantil", mas eu gostei por ser algo diferente e mal vejo a hora de ler os outros da série.

https://www.instagram.com/p/BetWvzmlVII

site: https://www.instagram.com/p/BetWvzmlVII/?taken-by=estante_maddox
comentários(0)comente



Cris 06/08/2017

Muito bom
Leitura leve, fácil...gostoso de ler. História nada clichê, engraçada com gostinho de quero mais.
comentários(0)comente



Rafael 21/06/2017

Quando cai o raio, isso só pode significar problemas.
Como gostei bastante dos dois primeiros volumes de A Mediadora, decidi dar uma chance à série Desaparecidos, pois achei a premissa interessante e inovadora. Infelizmente, não foi uma experiência totalmente positiva.

A história é realmente inovadora, mas a achei bem infantil - e não de um jeito positivo como A Mediadora. Apesar de ser um livro curto, demorei mais de uma semana para finalizá-lo, porque sentia a sensação de que nada acontecia na história, principalmente no começo - depois que Sean aparece, temos uma leve melhorada no plot principal, mas ainda assim continuou abaixo do que eu esperava.

Agora sobre os personagens, adorei a maioria, principalmente Jessica. É fácil se identificar e torcer por ela, mas muitas vezes a achei extremamente parecida com Suzannah, de A Mediadora. Não é algo ruim, afinal é muito bom ver personagens fortes, mas acredito que Meg poderia ter acrescentado algumas características que diferenciassem mais as duas. Rob também é um bom personagem, por isso torcermos por seu relacionamento com Jess dar certo. O único personagem que me causou raiva foi a mãe de Jess. É uma mulher controlado e interesseira, e só toma decisões ridículas e que nos causa aversão à ela.

No geral, achei apenas regular e apesar de o final me deixar com uma pequena curiosidade para a sequência, acredito que não lerei, pois o fim desse primeiro volume deixa uma sensação de história finalizada - e os livros da Meg são sempre mega caros, o que me deixa com medo de pagar caro por algo que posso não gostar. Ainda assim, é um livro rápido e quem gostou de A Mediadora (ou procura um livro sem maiores compromissos), pode vir a curtir a leitura.

site: http://crushforbooks.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Monique.Batista 15/12/2016

"Eles querem que eu escreva.Estão chamando isso de minha declaração."
Jessica Mastriani era uma adolescente completamente comum. Claro, tirando as 7 semanas de detenção, e o irmão esquizofrênico, uma melhor amiga com 167 de Q.I e o fato de ela ter sido eletrocutada por um raio. Mas tirando estas bobeiras ela é completa e totalmente normal!
Ok, tudo bem. Eu retiro oque eu disse! Jessica ate poderia ser normal se SÓ TIVESSE AQUELAS características. Mais o problema aconteceu na noite do raio. Ao invés do raio entrar e sair como em toda pessoa normal (toda pessoal normal que é eletrocutada por um raio, então não são muitas), na Jessica o raio permanece dentro dela. Então isso da a Jessica alguns poderes "especiais". Ela pode achar qualquer pessoa que olhar a foto! Por exemplo eu mostrei para a Jess uma foto do Obama. Na manhã seguinte quando ela acordar ela vai saber exatamente onde ele esta!
Esse livro é narrado em primeira mão da Jessica. Ele é a declaração feita por Jessica sobre como ela conseguiu os poderes.
Eu verdadeiramente me apaixonei por esse livro! Devorei todas as paginas em 4 horas!!! Recomendo muito!
P.S: Aqui esta o link para ler em PDF
https://docs.google.com/file/d/0BxT2NpK6dQeOa2tOQWF5eVBDcE0/view

site: https://docs.google.com/file/d/0BxT2NpK6dQeOa2tOQWF5eVBDcE0/view
comentários(0)comente



Steff 03/02/2016

Quando Cai o Raio – Meg Cabot
Por mais que eu ache que a Jess explicou muito bem a história na sinopse, irei me esforçar para complementar tudo o que ela disse. Jessica Mastriani tem 15 anos, está no segundo ano do Ensino Médio e tem uma melhor amiga chamada Ruth (a culpada de tudo). Voltando da escola em um dia chuvoso em que havia raios e muita tempestade, Jess é atingida por um raio. Sim, um raio. Daqueles que cai do céu e faz muito estrago, sabe? Então, desses mesmo. O estranho é que se isso acontecesse com qualquer outra pessoa seria morte instantânea, mas com ela não: nem um arranhão, nem um buraco de saída, nem um simples hematoma. O que aconteceu foi o seguinte: ela começou a encontrar crianças desaparecidas!

Não que ela sempre soubesse onde todas essas crianças estavam, claro que não. Bastava ela ver a foto de uma criança que estava desaparecida, dormir e bum! o endereço aparecia imediatamente em sua cabeça. Se você pensar como eu também vai achar que não tem problema nenhum nisso, que na verdade é até bom que essas crianças sejam encontradas e as pessoas ruins presas. Só que há pessoas que não pensam assim, até porque é meio suspeito ter alguém ligando todos os dias para dar informações de crianças que há anos sumiram e que todos já achavam que já estavam mortas. E é aí que os agentes federais entram, deixando tudo mais bagunçado do que já estava antes.

Por que esse é um dos meus livros favoritos? Eu não sei responder. Mas sabe quando você se sente bem lendo algo? Como se fosse um amigo que tivesse contando a história para você? Então, essa é a resposta. A Jess é incrível, engraçada, inteligente, irônica e eu simplesmente amo personagens assim. Me identifiquei muito com ela (menos com o cabelo dela, porque cabelo longo é vida), me senti muito próxima dela. Sem falar que a leitura é super gostosa, muito leve, aquele livro que você lê em um dia no máximo e sofre no final porque acabou. Eu tenho vontade de abraçar a Meg por ter escrito algo tão maravilhoso, tão adolescente, tão a nossa cara. Como já falei, eu recomendo esse livro para quem gosta de fantasia adolescente, quem quer rir e se apaixonar por uma história. Esse é o primeiro de quatro livros, a saga Desaparecidos. Os nomes são: Quando Cai o Raio, Codinome Cassandra, Esconderijo Perfeito e Santuário.

site: https://smudoliterario.wordpress.com/
comentários(0)comente



Ani 18/11/2015

Jessica Maestrini é uma adolescente normal, com um família normal e uma vida normal. Só que tudo ao contrário. Jess é um pouco estressada e gosta de defender seus amigos e parentes, só que não é de uma maneira comum. Ela parte pra cima mesmo!! É a única menina da família e tem dois irmãos: Mike, que é um nerd e foi aprovado na Harvard e Douglas que sofre de esquizofrenia. Por causa desse segundo irmão, Jess aprendeu a dar socos nos lugares certos, afinal alguém precisava tomar uma atitude e defender.




Ruth era sua única melhor amiga e as duas viviam juntas e claro, Jess sempre defendia a amiga quando alguém a diminuía por causa do excesso de peso. Foi em uma dessas que ela acabou parando – novamente – na detenção e teve que sair uma hora depois do horário. Ruth que já dirigia, foi buscar a amiga na escola, Jess jurava que por causa da tempestade que estava preste a cair, Ruth iria dirigindo, mas a amiga estava tão complexada com seu peso que resolveu ir caminhando. Durante o caminho, elas encontram Rob que também estava na detenção com Jess e ele oferece uma carona, ela não aceita para acompanhar a amiga e acabam tendo que esperar debaixo de uma arquibanda até a chuva de granizo passar um pouco.

"O problema de Ruth é que ela é simplesmente uma garota grande. Todas as dietas radicais do mundo não vão mudar isso. Ela só precisa aceitar isso e se aceitar, e ficar calma. Assim ela vai arrumar um namorado com certeza."




Acontece que a arquibancada era metálica e Jess é atingida por um raio e sua vida começa a mudar a partir daí.
E isso é o máximo que posso contar da história. O livro é narrado em primeira pessoa, por Jess e tem aquela magia da Meg de te fazer sentir como a personagem do livro. Jessica é mal humorada e tem tiradas rápidas e durante o enredo vai crescendo e se mostrando mais do uma adolescente, até por causa das decisões que ela precisa tomar.
A parte física da obra mantém um padrão Galera Record. Folhas amareladas fonte agradável e a capa é até bem simples, mas condiz com o enredo. A narrativa do livro é bem fluida e como são poucas páginas, você consegue ler em poucas horas, os capítulos são curtinhos também, então é rápido.




Quando Cai o Raio é o primeiro livro da série Desaparecidos e já temos os quatro primeiros volumes disponíveis e o quinto ainda aguarda tradução.
Aconselho a leitura para quem está procurando um livro com um enredo empolgante de leitura rápida que te faça rir bastante. Mesmo sendo série, vale a pena se aventurar.

Ps: Já comecei a ler o segundo livro da série, o Codinome Cassandra. E a Meg já curtiu isso.

site: http://www.entrechocolatesemusicas.com/2015/11/quando-cai-o-raio-meg-cabot.html
comentários(0)comente



KeylaPontes 28/09/2015

"Sim, claro, eu tinha sido tocada pelo dedo de Deus mesmo. A pergunta era: qual dedo?"
Jess é uma adolescente de 16 anos. Um dia ao voltar de um dos castigos, a sua amiga Ruth tem a brilhante ideia de ir caminhando para casa afim de perder algumas calorias. Porém, no meio do caminho começa uma tempestade e elas vão se esconder em uma cobertura de metal mesmo sabendo que é perigoso por atrair raios. Até que: Um raio cai na arquibancada e a atinge. E Jess não sente nada.

Ao ir para casa conta o que aconteceu, mas ninguém acredita nela já que não há nem uma marca no seu corpo. Bem. Uma marca de saída do raio pelo menos.

No outro dia acorda tendo duas certezas: Uma que não tinha morrido e outra que saiba onde estavam Sean O'Hanahan e Olivia Maria D'Amato. Duas pessoas que ela nem ao menos conhecia. Jess vai com bad boy Rob ate um dos locais e encontra Sean. Assim então, dia após dia ela liga para o 0800 de crianças desaparecidas e conta onde elas estão.

Ate que, uma dupla de agentes do FBI aparecem na sua escola para descobrir como ela sabe dos paradeiros.

E agora? Jess parece ter se metido em uma confusão maior do que as que costuma me meter. Será que vão acreditar na sua história?

Acontece que sim. E Jess de uma adolescente encrenqueira da escola vira a "Tocada pelo dedo de Deus" é a partir dai ela vai se meter em encrenca atras de encrenca junto com o pequeno Sean, o menino que Jess "ajuda" e que acabou o metendo em apuros e agora precisa tirá-lo dessa. gente! Esse livro é demais! Confesso que tenho uma verdadeira relação de amor e ódio com a Meg Cabot. Existem livros dela que eu amo e também livros que eu odeio. Eu nunca sei o que esperar e por isso acabo evitando a autora por muitas vezes. Porém, "Quando Cai o Raio" é muito bom!

Engraçado sem ser infantil ou caricato. Sobre a protagonista, eu gostei demais dela. Rob o motoqueiro "caipira" é um adendo e tanto! Os dois formam um casal bem delicinha de se acompanhar. E Sean? Ah amei!

Este é o 1º de uma serie chamada "Desaparecidos". A serie é composta por 5 livros e aqui no Brasil 4 livros já foram publicados pela Editora Record já quero todos!

"Sim, claro, eu tinha sido tocada pelo dedo de Deus mesmo. A pergunta era: qual dedo?"

Ps. E COMO não amar um livro que cita Arquivo X e amorzinho Mulder/Scully?

Resenha completa em:

site: http://keylinhastureads.blogspot.com.br/2015/09/resenha-quando-cai-o-raio-meg-cabot.html
comentários(0)comente



biancalarissesjr 11/09/2015

Quando Cai o Raio
Conta a história de Jéssica Mastriani uma adolescente de 16 anos geniosa que vivi com seus pais e seus dois irmãos. Sua melhor amiga e vizinha se chama Ruth que e a causa dos grandes problemas que a Jess sem mete.
Jess é uma garota durona e pouco popular na escola pelo fato de se meter em muitas brigas para defender sua melhor amiga Ruth ou seu irmão mais velho, o que a leva a ficar de detenção depois da aula onde ela conhece o Rob. Depois de mais um dia de detenção por defendera Ruth de um comentário ofensivo por causa do seu peso, sua amiga decide que elas precisam fazer uma caminhada abrigando ela rejeitar a carona do Rob. O que ela não contava e que fosse atingida por um raio.
Uma menina ''tocada pelo dedo de Deus'' se mete numa baita encrenca ao ajudar o 1-800-ONDE-TÁ-VOCÊ.
comentários(0)comente



Bianquinha 22/08/2015

Quando Cai o Raio - Apaixonadas por Livros
Meg Cabot nos conta a história de Jéssica, uma adolescente de 16 anos, desencanada que vive com seus pais e irmãos, toca flauta e tem uma melhor amiga chamada Ruth e as duas fazem parte da orquestra da escola.

No começo da leitura pensei que seria mais um livro bobo sobre a menina que se apaixona pelo bad boy da escola, mas no decorrer da narrativa me deparei com uma história leve, engraçada onde por diversas vezes acabei em gargalhadas com as tiradas de Jess, pois ela é uma garota que não liga para a sua aparência e que não hesita em partir para a briga para defender seus irmãos e amigos, mesmo sendo do tipo mignon ela consegue dar conta das brigas em que se mete e por isso está sempre na detenção, mas ela não conta isso aos pais, para não preocupa-los, ainda mais depois que seu irmão Doug surtou na faculdade e foi diagnosticado como esquizofrênico.

Um dia enquanto volta a pé da escola, começa a chover e ela e Ruth se escondem embaixo da arquibancada no campo de futebol quando é atingida por um raio, ela não dá muita importância ao fato e volta normalmente para casa depois que a chuva acaba, quando vai fazer um lanche e lê a caixa de leite com crianças desaparecidas e nesse momento tudo muda em sua vida.

Meg Cabot é diva em qualquer tipo de história que se propõe a escrever e em Quando Cai o Raio ela soube dosar muito bem os elementos da história, que mesmo com um tema um pouco pesado ela soube deixar a narrativa leve e muito divertida, que prende do início ao fim.

Recomendo o livro a todas as idades e para quem esteja precisando de dar boas gargalhadas.

site: http://www.apaixonadasporlivros.com.br/quando-cai-o-raio-de-meg-cabot-semana-de-resenhas-record-3/
comentários(0)comente



Amanda 01/03/2015

Quando Cai o Raio
Meg Cabot é uma das minhas escritoras favoritas, então eu posso ser um pouco tendenciosa nessa resenha. Mas depois de ler uns vinte livros dela, e ter amado todos, é difícil não ser.

O livro, em forma de “declaração”, é narrado pela Jessica, ou “garota do raio”. Que é uma personagem ao estilo Suze Simon (A Mediadora – Meg Cabot). Durona, decidida e até um pouco muito agressiva. O que contrasta com sua paixão e talento pela flauta, um instrumento “delicado”.

Ela não era exatamente a pessoa mais popular da escola. Mas sempre tinha bons motivos para sair batendo nas pessoas e até mesmo para ficar em detenção por todo o semestre, ou quase. Defender o seu irmão mais velho e sua amiga que estava acima do peso eram dois desses motivos. Numa tentativa de perder peso e deixar de ouvir piadinhas, Ruth “obriga” Jess a voltar da detenção andando. Justamente no dia com uma tempestade terrível. Assim, Jess não teve só que dizer não ao convite de carona de Rob, um menino bonito que ela conheceu na detenção e que tinha uma moto, como acabou sendo atingida por um raio.

Nos EUA é comum colocar fotos de crianças perdidas nas caixas de leite. No dia seguinte a tempestade ela sabia onde estavam duas dessas crianças. Apesar de toda a boa vontade em ligar para o “dique-desaparecidos” isso só acarreta mais confusão para a vida da “menina tocada pelo dedo de Deus”.
O livro é cheio de reviravoltas e referencias a filmes e músicas. Como é comum com tudo que a Meg escreve, dei altas gargalhadas com as confusões e piadas. É impossível não gostar dos personagens. São bem construídos, humanos e divertidíssimos. Parecem até...
Continue lendo no blog.

site: http://cariocasdaclara.blogspot.com.br/2015/02/resenha-quando-cai-o-raio.html
comentários(0)comente



AmadosLivros 22/11/2014

Resenha no blog Amados Livros
Não deixe de conferir nossa opinião sobre este livro no nosso blog! E lá também tem muitos outros livros legais! Dê uma passadinha lá! ;D
Link no final da postagem! ;]

site: http://amadoslivros.blogspot.com.br/2014/10/livro-quando-cai-o-raio-desaparecidos.html
comentários(0)comente



Aline Memória 12/11/2014

Quando Cai O Raio é o tipo de romance da Meg Cabot que eu gosto de ler, com uma protagonista forte – e não abestada, como a Mia ou a Lizzie de A Rainha da Fofoca – e uma história diferente. Tem aqueles típicos toques típicos de livros adolescentes, como uma melhor amiga legal e um cara bonito que, no caso, é no estilo bad boy, motoqueiro e que sempre está nas aulas de detenção.

Com tudo isso, acho que é um livro que vale a pena, e embora a princípio eu não quisesse ler por ser mais uma série, vou tentar acompanhar a série principalmente por causa de Jessica, que é uma personagem bem interessante, que tenta aparentar durona (como a Suzannah da Mediadora, uma das minhas favoritas com quem a achei muito parecida) mas que no fundo se preocupa com os outros, seja com seu irmão esquizofrênico que tentou se matar, seja com um garoto desaparecido que ela “salva” (ou pensa salvar) com seus recém-adquiridos poderes de achar pessoas desaparecidas, após ser achada por um raio.

Esse seu poder logo atrai o governo, que pensa em como seria útil poder achar criminosos procurados ou soldados desaparecidos... assim, Jessica logo a passa a ser um precioso instrumento para as Forças Armadas.

É um livro que se lê super rápido, e parece até ter um final, mas deixa em aberto a continuação, apesar de não ser exatamente uma trama com pontas soltas. Ainda assim, me entreteve o suficiente para ir atrás das continuações.
comentários(0)comente



Jéssica 11/08/2014

Ainda bem que o raio não cai duas vezes no mesmo lugar...Certo?
Descobri essa série de livros esse ano e vi em algumas resenhas que a maioria comparava ele com A Mediadora (que eu amo!), ou seja, comprei todos os lançados de uma vez. E como é Meg Cabot, a leitura é fluida e divertida e não demorou muito até eu terminar os três.

Jess Mastriani é uma garota de 16 anos que vive em detenção por arrumar confusão no colégio, assim como a Suzannah em A Mediadora, ela não leva desaforo pra casa e costuma resolver seus problemas à base de socos e agressões. Mas ela até gosta de ir às detenções, onde mais ela sentaria perto de Rob, o motoqueiro mais gato da escola? E assim como Suze, ela também tem um dom, mas as semelhanças param por aí.

É tudo culpa de Ruth. Se não fosse sua amiga faze-la ir para casa a pé em meio a uma tempestade, ela não teria sido atingida por raio e sua vida continuaria normal. Após ser atingida pelo raio Jess ganha um dom, toda vez que ela dorme ela acorda sabendo o endereço exato da onde se encontram as crianças desaparecidas das fotos da caixa de leite. Isso seria uma coisa boa se não fosse o FBI ir atrás dela por isso. A partir daí as confusões só aumentam e a vida de Jess jamais será a mesma.

"(...) Agora sou foragida da justiça, tenho de ajudar um dos meninos que foram encontrados e ainda preciso disfarçar o quanto o motoqueiro da sala de detenção mexe comigo..."

Esse é um livro de introdução ao dom da Jess e como ela lida com isso depois disso. Enfim, eu gostei bastante do livro, e ainda mais dos que vierem depois!

site: http://reviewiing.blogspot.com.br/2014/08/resenha-desaparecidos-quando-cai-o-raio.html
comentários(0)comente



78 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6