Factótum

Factótum Charles Bukowski




Resenhas - Factótum


117 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Thai 10/10/2021

por isso que você é assim meio louco, não teve amor
gosto muito do Henry Chinaski e das histórias dele, mas acho que Factotum foi a minha menos preferida. apesar do livro ser rápido e fluido com capítulos minúsculos, senti falta de um toque reflexivo do Bukowski. não sei explicar hahaha.
mas ainda assim, um bom livro
comentários(0)comente



Amy 22/09/2021

"Mas passar fome, infelizmente, não melhora a arte. Apenas a obstrui." Segundo romance do Bukowski.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Claraa 16/09/2021

Muito bom
Assim, eu peguei 50 tipos de traumas lendo porque Bukowski é extremamente direto nos livros dele , mas as reflexões existencialistas são maravilhosas
comentários(0)comente



Haulnny 15/09/2021

Nada importa, pois tudo vira bosta
Chinaski é, aparentemente, o alter ego de Bukowski e em Factótum continuamos a acompanhar a saga de sua vida (iniciada em Misto Quente). Agora jovem adulto, num Estados Unidos em plena segunda guerra mundial, Chinaski vai de emprego em emprego a procura de algum sentindo, mas já sabendo que não o encontrará.

Henry Chinaski quer viver do que escreve, mas enquanto não consegue nada nessa área ele precisa sobreviver. Sem perspectivas de vida, em parte por efeito de uma infância e adolescência conturbada, Chinaski não consegue se empenhar em nenhum emprego que arranja, pois para ele nunca vale o esforço. Tudo acaba, nada faz sentido - não por muito tempo e a vida é uma ladeira.

O niilismo sempre foi algo forte nas obras de Bukowski. E a pobreza é o cenário principal de suas histórias. Bukowski é cru e seus textos são sempre diretos, causando diversos sentimentos diferentes em quem lê. Com Factótum não é diferente. Talvez tenha sido o fundo do poço na vida de Chinaski, que sem grana, não tinha nem com o quê limpar a própria bunda. É também a primeira vez que vejo Chinaski como um tanto infantil ou deveras ingênuo em relação a algumas situações em que ele se mete.

Factótum foi o menor livro que li até agora da saga do Chinaski (comecei pelo Cartas na Rua, que cronologicamente sucede Factótum) e foi o mais fraco entre os três. Não tira seu valor. É uma leitura rápida. Uma passagem pela vida de alguém que vê que a vida para quem não é rico não vale a pena.
livia 15/09/2021minha estante
até agora esse foi o único livro que lindo bukowski e mesmo que eu tenha achado repetitivo, muitas vezes, fiquei fascinada na história e não conseguia parar de ler kkkkkk agora com vc dizendo que foi o mais fraquinho eu vou atrás dos outros pq fiquei curiosa demais


livia 15/09/2021minha estante
até agora esse foi o único livro que lindo bukowski e mesmo que eu tenha achado repetitivo, muitas vezes, fiquei fascinada na história e não conseguia parar de ler kkkkkk agora com vc dizendo que foi o mais fraquinho eu vou atrás dos outros pq fiquei curiosa demais


Haulnny 15/09/2021minha estante
Leia sim. Esse é repetitivo mesmo, porque ele fica num loop constante de ir e vir de vários empregos.




FlAvios 09/09/2021

Pesado
Bukowski: Factótum.

Aqui estou eu no segundo romance de Bukowski, acompanhando as desventuras de Henry Chinaski, em plena segunda guerra, segundo rejeitado no serviço militar, e perambulando pelo país, entre mulheres, empregos, bebidas e sua loucura habitual. Vemos aqui o quanto um ser humano miserável, pode almejar um futuro melhor, mas escolhe o fundo do poço. Então isso é uma crítica? Eu creio que não, ele é o que é. Miserável, bêbado, arrogante, extremamente inteligente, mas sem um pingo de responsabilidade. Perdido no país, sem esperança no futuro, e ciente de como a população é burra e miserável. Lembra um certo país não lembra? Só que ele estava em 1940- então parece que estamos bem piores...

Este livro não é recomendando para pessoas sensíveis, e é totalmente compressível ser odiado, ou não. Aqui temos machismo, sexismo, violência, ódio, racismo, preconceitos em geral. Temos o ser humano como ele é, não como ele expõe ser, e lembrando que os romances do Buk tem toques autobiograficos. É algo forte, intenso e que se não visto com uma ótica específica pode ser mais danoso que proveitoso, no meu caso eu gostei, pq gosto de saber como as pessoas pensam, de como suas almas são, e não como elas falsamente fingem ser.
comentários(0)comente



Johnny 05/09/2021

Regras: não há regras
"Eu era um homem que se fortalecia na solidão; ela era para mim a comida e a água dos outros homens. Cada dia sem solidão me enfraquecia. Não que me orgulhasse dela, mas dela eu dependia. A escuridão do quarto era como um dia ensolarado para mim."

Neste livro, Bukowski narra, através de Henry Chinaski, mais um período difícil de sua vida que, para sobreviver, faz de tudo um pouco por um curto período de tempo, claro! Daí o nome do livro "Factótum."

Acredito que a maioria de nós já tenha passado por uma má fase dessas, ainda mais nos dias de hoje. Mas, o que torna Bukowski único em meio a essas mazelas da vida, (na maioria das vezes por sua culpa) é a sua capacidade de quebrar regras, de ligar o [*****], e claro, seu humor ácido.
comentários(0)comente



luc 03/08/2021

li pois a menina que eu gosta era gótica e me deu esse livro

estamos namorando tem 1 ano e meio, recomendo
Joice Iris 03/08/2021minha estante


Joice Iris 03/08/2021minha estante


Joice Iris 03/08/2021minha estante
teamo




eufabiao 09/07/2021

este livro é real, impiedoso, cruel, tão ácido. justamente por mostrar a realidade como ela é: destruidora e impiedosa.
comentários(0)comente



Amanda 16/06/2021

Factotum
Ótima leitura, nessa obra de bukowski nós podemos ver as altas aventuras dele e a sua vida de boêmia, com várias aventuras que ele passa, o que é sempre nítido no livro é a sua procura e feição por mulheres, como também a bebida, mostra a vida de seu personagem que é teu alter ego em que tudo pra ele as vezes da errado ou as vezes da certo, considero um bom livro, porém pra quem não gosta de baixo palavreado não recomendo.
comentários(0)comente



Rayza 13/06/2021

Bukowski sendo Bukowski
Mais uma Pseudobiografia de Henry Chinaski, no estilo Misto-Quente;
poucas coisas me pareceram forçadas neste livro;

Costumo ler Bukowski sempre que me encontro chateada com minha própria vida; ler sobre a vida de Henry Chinaski é motivador ?
nossa vida volta a ser um paraíso.
comentários(0)comente



Leandro.Quilles 07/06/2021

Esse livro me trouxe uma visão muito real de como as coisas eram durante a segunda guerra mundial, uma realidade difícil, quase que miserável, e em meio a essa realidade nós acompanhamos um pouco da história do Henry Chinaski que é o alter ego do próprio Bukowski, nas suas experiências na busca de empregos e os problemas que seu estilo de vida causou nos empregos que conseguia, e ele nos apresenta uma obra que em muitos momentos chega a ser repulsiva, porém é incrível, bem escrita, e Bukowski tinha o dom de nos causar diversas sensações, com uma escrita crua mas com emoção, e são esses detalhes que fazem ele um grande poeta
comentários(0)comente



Barbara 25/05/2021

livro um pouco repetitivo porém genial e tranquilo
comentários(0)comente



Caroline.Sandin 22/05/2021

Não faz muito meu estilo não , se este personagem é o alter ego do autor ... meu Deus!
comentários(0)comente



Ton 14/05/2021

Um fundo do poço pode ser ainda mais embaixo
Amo os livros do Bukowski (É um que não nego).
Factótum só reafirma esse amor que tenho pelas obras dele.
E gosto porque aqui, a história e os perrengues de Henry Chinaski poderia ser de uma pessoa qualquer. Poderia ser de alguém próximo de você.
Poderia ser a SUA história....
Vamos ao contexto: Chinaski foi considerado inapto para ingressar no exército americano e ir lutar na segunda guerra mundial.
Sendo assim, acompanhamos Chinaski de rua em rua, de estado em estado, de bar em bar, de emprego em emprego tentando sobreviver.
Chinaski topa quase qualquer trampo mas não faz tanta questão em se manter.
O mesmo quadro se repete sobre as mulheres com quem ele se envolve...
Essa história não é a de um cara que tinha tudo e foi para o fundo do poço.
Também não é a história de alguém que estava no fundo do poço mas ascendeu ao topo.
Essa é a história de um cara no fundo do poço e que, não satisfeito, cavou ainda mais fundo...
comentários(0)comente



117 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR