Olga

Olga Fernando Morais




Resenhas - Olga


109 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Renata 25/06/2020

O que dizer de um livro desses que retrata uma história tão real e comovente que para mim serviu como um exemplo de força e determinação. Só tenho a agradecer ao Fernando Morais por não ter deixado uma história dessas cair no esquecimento. Me fez refletir e muito sobre diversos assuntos e pesquisar também, fiquei indignada até que ponto vai a crueldade humana sendo que nem uma mulher grávida foi poupada da tortura. Me fez chorar em pensar no bebezinho sentindo o sofrimento da mãe. Pensei também em como é importante os direitos humanos para evitar tamanha covardia como as que são retratadas nesse livro. Enfim se você estiver interessado nesse tipo de leitura super recomendo, por mais que seja uma história que todos sabem o final mas é surpreendente.
comentários(0)comente



Luciano da Roberta 16/06/2020

A história de uma mulher e seu sonho.
Fazer uma resenha de um ícone da historiografia mundial como Olha e tentar se manter neutro, ao meu ver e quase impossível.
O autor escreve de uma forma envolvente e emocionante, biografias são leituras densas e que em alguns casos, beiram a monotonia, o que não foi o caso desta.
Nas páginas desta obra, podemos acompanhar a gênese e o desenvolvimento daquela que viria a ser o grande ícone do movimento comunista nas décadas de 30 e 40. Olga constrói sua trajetória de luta contra o regime nazista, implacável, macabro,..... ostentando as 2 (duas) características mais atacadas pelo mesmo, o fato de ser judia e comunista(anti-social).
Independente de posicionamento político, a leitura e muito importante em virtude da participação de Olga na construção da historiografia brasileira e mundial.
comentários(0)comente



Mainnã 15/06/2020

O livro conta a trajetória de Olga de forma resumida e eficaz. Li muito rápido e agora vou procurar outras fontes para aprofundar o tema
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



layenem 07/06/2020

Coração partido
Admiro que chorei em algumas partes e senti a dor da Olga a cada capítulo que passava.
comentários(0)comente



Queila.Noemi 31/05/2020

Emocionante
Muito emocionante a história desta mulher forte, que lutou sua vida toda pela liberdade, por seus ideais e que morreu de forma tão cruel.
comentários(0)comente



carvsnin 28/05/2020

oi
totalmente com vazio existencial depois de terminar esse livro. misto de apego e revolta
comentários(0)comente



Adriano.Soares 27/05/2020

Judia, comunista e revolucionária
Em tempos de grandes tentativas de igualar o projeto de emancipação social dos comunistas aos projetos de supremacia racial dos nazi-fascistas, é importante estudar e conhecer a biografia de Olga, mulher que começou a sua atividade política na Juventude Comunista na Alemanha dos anos 20 e, passando por muitas coisas, manifestações, reuniões clandestinas, trabalho político na união soviética, participação na revolução de 35, a entrega de uma judia e comunista pelo governo vargas a Gestapo de hitler, a intransigência em não colaborar com nenhuma palavra aos algozes - os nazistas -, as aulas e atividades que organizou nos campos de concentração para manter viva a
chama humanidade que existiam dentro de cada uma dessas mulheres judias, ciganas, comunistas, etc.

Um livro comovente, bonito, triste e que guarda grandes sentimentos.
comentários(0)comente



Gizele 26/05/2020

Provavelmente na mesma época que li Hiroshima, na adolescência, a leitura desta reportagem me chocou. Eu carreguei detalhes da narrativa desde então e hoje reli.
Que livro tocante e fascinante.
Tão completo e indispensável. Perturbador. Te envolve de um jeito sem volta.
Derramei muitas lágrimas.
E no meio de tanta tensão, horror e decepção, eu jamais pensei que daria uma gargalhada com uma piada nesse livro: o "merdafone".
Qual não foi minha surpresa ao constatar a figura da psiquiatra Nise da Silveira, presa no mesmo lugar que Olga. A médica virou uma GO e cuidou da gravidez. Só me fez gostar muito mais dela.
E Olga? Que mulherão! É revoltante saber o final de tudo.
Sinto muito, Olga. A intolerância ainda existe.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Renan 23/12/2019

Mulher, judia, comunista, revolucionária, valente!
Olga foi uma figura fantástica. Fernando Morais consegue em sua pesquisa traçar com detalhes toda a história de sua luta, desde a juventude comunista alemã até os planos com Prestes do Rio de Janeiro. A história do casal e a luta diante do ideal revolucionário também contracenam com uma linda história de amor dos dois, brindada com o nascimento de Anita.

Essa edição contem 2 blocos com mapas, documentos e fotos muito legais.

"Preparar-me para a morte não significa que me renda, mas sim saber fazer-lhe frente quando ela chegar!"
Renata 30/05/2020minha estante
Deve ser realmente uma história marcante ... apesar de saber o que irá acontecer ... só que lendo a gente sente os detalhes e aprende muito também...




Juninho 05/12/2019

História
o livro conta a história de Olga Benário e sua luta junto com Carlos Prestes no Brasil
comentários(0)comente



Leiturinha da Bi 19/07/2019

À sombra de Prestes?
Filha da classe média e tendo a oportunidade de estudar em bons colégios, confesso que até a casa dos 20 não havia ouvido falar em Olga.
Nutrindo especial interesse por política e, consequentemente por história, acabei por me deparar com essa figura incrível da história mundial
Foi bom conhecer mais a fundo suas origens e ?background?, entretanto, senti falta de dados mais detalhados acerca da temporada de Olga em terras brasileiras.
Pela leitura do livro o que se depreende é que Olga teria ficado meio que a sombra de Prestes, com uma função única de acompanhá-lo e protegê-lo é isso me pareceu absolutamente incompatível com tamanha personalidade
Ainda que sinta necessidade de conhecer mais a fundo essa grande mulher, vale a leitura
comentários(0)comente



Stefanie Oliveira 26/04/2019

Olga, o mártir
Confesso que suspeitei muito do conteúdo por ser escrito pelo Fernando Morais que foi deputado pelo MDB e reeleito pelo PMDB e achei que seria um livro com parcialidades. Me equivoquei, e como bem dizem, é a obra mais completa e fiel sobre a vida da militante comunista, Olga Benário.

O livro é bastante claro, repleto de dados importantes e de fontes extremamente confiáveis. É, de fato, uma obra muito fiel à realidade enfrentada pelo PC, pelo Brasil na dura "Era Vargas" e pela própria Olga, que se tornou um mártir para o comunismo no mundo e para as mulheres. É uma história completa da revolta comunista e também a história do Brasil e seu longo período de sombras pré ditadura militar.

A obra é sem dúvidas um grande feito à academia, porque é um livro de extrema qualidade, com textos bem produzidos, de pesquisa extremamente profissional que não toma lados, mostra fatos. É nítido que, apesar do trágico fim de Olga Benário que foi entregue pelo governo Vargas para a Alemanha nazi-fascista de Hitler, Olga permanece ainda tão viva nas nossas lembranças e nas lutas atuais.

O livro traz detalhes de todo o trajeto de Olga até se tornar uma militante do PC russo, a trajetória até o Brasil e a luta contra o governo repressivo de Vargas junto ao marido, que é até hoje igualmente um ícone dos movimentos sociais pela democracia, contra antissemitismo e contra o nazifascismo. Com conteúdo completo, riquíssimo, muito aprimorado e imparcial, principalmente se tratando da época em que foi desenvolvido, é também emocionante; em diversos momentos me fez repensar a história como ela é contada vulgarmente e analisar o momento crítico atual, além claro de me emocionar e me revoltar com todas as barbaridades cometidas pelo nazismo alemão visto através dos olhos de Olga e da família Prestes, inclusive de Anita.

Durante muito tempo a história de Olga foi contada como um romance, mas esse livro nos traz a realidade e a instabilidade das políticas da época. Realidade e instabilidade que até hoje carregamos duramente como débito de governos autoritários. Impossível não se emocionar com a última carta enviada por Olga ao marido e filha, e impossível principalmente não temer as ações e aproximação ideológicas da política atual com o nazi-fascismo de Hitler na Segunda Guerra Mundial. Mais do que um romance, esse é um livro de fatos históricos, de provas e de cobrança.

"Lutei pelo justo, pelo bom e pelo melhor do mundo. Prometo-te, agora, ao me despedir, que até o último instante não terão porque se envergonhar de mim.", disse Olga Benário Prestes em sua última carta ao marido e filha, frase que se tornou seu legado, inspirando o mundo.

Apesar de ser extenso, possuindo 314 páginas, não é cansativo de ler. Pelo contrário, é emocionante, excitante. Li em apenas 3 dias com angustia em mergulhar na história e entender a sua complexidade. Apesar de ter passado por ele diversas vezes nas livrarias e já visto o filme que esse mesmo livro inspirou, não tinha acontecido o meu encontro propriamente dito com o livro, não sei como perdi tanto tempo! Aconselho quem leu essa versão considerada oficial, a ler em seguida o livro "Olga Benário Prestes: Uma Comunista nos Arquivos da Gestapo" da Anita Leocádia Prestes, filha de Olga Benário, pois é um complemento com mais informações tão valiosas sobre esse mártir que se tornou a eterna Olguinha.
Arla.Cristina 02/06/2019minha estante
Voce tem o livro em pdf? estou a procura e não encontro. caso tenha entre em contato por favor!


Aidamoura 21/06/2019minha estante
Amei a resenha


Stefanie Oliveira 22/06/2019minha estante
Que bom que gostou!


Antonio.Raimundo 11/07/2020minha estante
Gostei muito da sua resenha. Meus parabéns.




Mr. Jonas 03/02/2018

Olga
Este livro relata a história de Olga Benario Prestes, judia e comunista, que foi companheira de Luís Carlos Prestes. Olga foi entregue a Hitler pelo governo Vargas, quando estava grávida de sete meses e acabou assassinada nos campos nazistas.
A obra fala sobre a vida de Olga Benário, jovem militante comunista alemã, de origem judaica, que após participar de uma ação paramilitar audaciosa, na qual libertou seu companheiro de militância e namorado Otto Braun da prisão de Moabit, Alemanha, resultando na fuga de ambos para a União Soviética, envolveu-se com o militar e político comunista brasileiro Luís Carlos Prestes. Ela foi enviada pelo Comintern ao Brasil ao lado de Prestes, para promover a revolução comunista neste país, unindo-se ao recém constituído movimento Aliança Nacional Libertadora (ANL). Na viagem de ida ao Brasil, com falsas identidades, a fachada de casal obrigava Olga e Prestes a intimidades imprevistas e eles acabam se envolvendo emocionalmente. Na chegada, Olga deslumbra-se com o Brasil e prossegue ao lado de Prestes na luta pelos ideais comunistas e contra o governo brasileiro do presidente Getúlio Vargas. Após uma tentativa fracassada de golpe político e mititar, posteriormente denominado Intentona Comunista, ambos acabam presos. Olga então descobre-se grávida de Prestes na prisão, enquanto Prestes perde a patente de capitão e inicia um período de prisão política que durará nove anos. Olga é deportada grávida pelo governo brasileiro do presidente Getúlio Vargas para a Alemanha, que se encontava então sob regime do nazismo. A criança fruto da união de Olga e Prestes, Anita Leocádia Prestes, nasceu em uma prisão na Alemanha, tendo sido posteriormente resgatada pela mãe de Prestes, Leocádia, após uma intensa campanha internacional. Olga morreu em uma câmara de gás do campo de concentração nazista de Bernburg, em fevereiro de 1942, sem saber que Anita estava desde então sã e salva com sua avó Leocádia. Estimou-se em 2005 que na reedição da Companhia das Letras o livro de Morais tinha vendido mais de 170 mil exemplares, sendo considerado um sucesso editorial.[1]
A obra também foi adaptada para o cinema em 2004 pelo cineasta Jayme Monjardim - Olga (filme).
comentários(0)comente



109 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |