Olga

Olga Fernando Morais




Resenhas - Olga


109 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


BáCamargo 07/08/2009

OLGA...
Achei o começo do livro um tanto confuso, cheguei até a abandoná-lo uma vez, mas depois de um tempo decidi começar a leitura outra vez e fui até o final, com lágrimas nos olhos!
Ao ler este livro podemos perceber e até, quem sabe, nos envergonharmos diante de uma mulher tão corajosa por seus ideais. Quantas coisas absurdas vemos passar diante dos nossos olhos ( principalmente na política) e o que NÓS fizemos?...ABSOLUTAMENTE NADA!
Personalidades como Olga não devem ficar simplesmente na história, devem ficar como exemplos a serem seguidos.
Bruna 28/07/2011minha estante
Ler esse livro me fez, claro, admirar Olga por seus ideais e garra. Mas principalmente me trouxe um medo misturado com vergonha, da falta de pessoas assim diante dos problemas políticos atuais!


Andre 19/07/2018minha estante
Você é uma imbecil! ESSE LIVRO É UMA FRAUDE! Getúlio foi um herói, tinha que ter exterminado essa raça como pinochet fez. Vagabunda, judia e comunista que nunca morreu em câmaras de gás. Idiotas adoram acreditar em mentiras ou gente mau caráter mesmo, melhor dizendo.


Andréia 03/10/2018minha estante
André vc é muito retardado cara. Sinceramente respeite a opinião dos outros e enfie suas ofensas no cu mermão. Sua opinião não é única pra vc querer enfiar goela abaixo. Embora que se sua opinião for esse desserviço que vc postou aqui pode ser recolher a sua insignificancia tá.


Ludi 10/02/2020minha estante
Também assistir ao filme, é ao mesmo tempo muita coragem para uma mulher e também triste. Não sou de chorar por filmes dramáticos, mas esse derramou lágrimas dos meus olhos... recomendo que assistim




Marcos Soares 11/01/2013

Olga - A biografia de uma lenda!
Em seu livro "Olga", o jornalista mineiro Fernando Morais nos apresenta os fatos envolvendo a comunista judia alemã de uma forma simples e surpreendente, cativando o leitor a cada fato apresentado. Morais nos leva desde as primeiras atividades de Olga na Juventude Comunista na Alemanha até os últimos dias de Olga no campo de concentração de Ravensbrück. De fato, analisar a coragem e o amor que Olga tinha por seus objetivos é emocionante. A forma como se empenhou em divulgar mesmo que "clandestinamente" os ideias marxistas aprendidos tanto na biblioteca de seu pai, o advogado Leo Benário, como com seu namorado, o comunista Otto Braun, prende a atenção do leitor de forma a vivenciar os fatos em sua imaginação. De forma ousada, Olga, após se deparar com Otto preso em Moabit, na Alemanha, esquematiza um plano de fuga para o namorado. A partir deste momento, sua carreira na URSS e o encontro com Luís Carlos Prestes estão definitivamente prontos a acontecer.
O empenho de ambos e "livrar a prole" trabalhista do governo fascista os leva à América do Sul, Brasil, para que assim a Revolução Comunista venha a acontecer. Morais nesse meio tempo, nos leva até o romance entre Olga e Prestes, o quê justifica o cuidado extremo que Olga tinha em proteger a vida de Prestes com sua própria existência. Os mais diversos personagens nos levam a complexidade dos fatos. Nomes tão conhecidos como Jorge Amado, Rodolfo Ghiold, Pablo Neruda(embora apresentado somente no final de 1945), como Graciliano Ramos, nos despertam curiosidade e apreciação por uma obra tão detalhada. De fato, nada se escapa na forma como Morais nos expõem os fatos sem brechas para o esquecimento.
A Ditadura brasileira imposta por Getúlio Vargas e Filinto Muller, faz o leitor comover-se de forma a observar as atrocidades da época em nosso país, onde a simpatia pelo governo de Adolf Hitler se torna evidentes. A Revolução no Brasil é infelizmente frustrada, sendo que muitos estudantes, trabalhadores, intelectuais e militares acabam nas prisões do Rio de Janeiro e São Paulo, onde passam pelas mais terríveis formas de torturas para que assim, o governo Vargas pudesse obter informações acerca dos envolvidos até se chegar a Luís Carlos Prestes. Após a prisão de Olga e Prestes, com o tempo, é anunciada a gravidez de Olga, o que não fragiliza o governo ditatorial a excluir a expulsão de Olga do país para ser entregue, injustamente, nas mãos do governo de Hitler, presa nos porões da Gestapo.
A vida de Olga nos campos de concentração nos traz lições de vida, a superação e a força como ela encarava os problemas faz-nos refletir nas mínimas dificuldades que venhamos a passar hoje. Mesmo diante do medo, das torturas e do frio, Olga transmitira a sua filha Anita um calor maternal que a fez recriar a felicidade já não mais existente nos dias presa nos porões da Gestapo. É inevitável a emoção do desfecho da vida de Olga, o amor por sua filha Anita e seu marido, Prestes. E mesmo não as tendo conhecido, a forma como se doa com zelo por sua sogra Leocádia Prestes e sua cunhada, Lígia Prestes.
Olga é um livro indispensável para qualquer pessoa, tanto para se entender as atrocidades da Ditadura Militar em nosso país, como para conhecer a vida de uma lenda, cá descrita por Fernando Morais.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Syl 02/06/2010

Boa pesquisa
Boa pesquisa, mas deixa muitas lacunas e imprecisões históricas.
comentários(0)comente



Luciano da Roberta 16/06/2020

A história de uma mulher e seu sonho.
Fazer uma resenha de um ícone da historiografia mundial como Olha e tentar se manter neutro, ao meu ver e quase impossível.
O autor escreve de uma forma envolvente e emocionante, biografias são leituras densas e que em alguns casos, beiram a monotonia, o que não foi o caso desta.
Nas páginas desta obra, podemos acompanhar a gênese e o desenvolvimento daquela que viria a ser o grande ícone do movimento comunista nas décadas de 30 e 40. Olga constrói sua trajetória de luta contra o regime nazista, implacável, macabro,..... ostentando as 2 (duas) características mais atacadas pelo mesmo, o fato de ser judia e comunista(anti-social).
Independente de posicionamento político, a leitura e muito importante em virtude da participação de Olga na construção da historiografia brasileira e mundial.
comentários(0)comente



Kellen 24/05/2009

Excelente livro!
A história é de arrepiar os cabelos em alguns trechos do livro, principalmente nas descrições de torturas que alguns comunistas e judeus foram submetidos. Esse livro serviu para confirmar a idéia que eu nutro pela política: ela é suja e não importa de qual lado - comunista ou fascista. Dá nojo do ilustre presidente Getúlio Vargas, do maluco Hitler e de outros mais. O que eu concluo disso tudo é que os altos dirigentes das nações esquecem que antes de alguém ser comunista, fascista ou alemão, judeu, etc, todos são seres humanos... e estão todos fadados ao mesmo fim... não tem jeito. Resumindo, gostei muito muito do livro, pois o autor me fez verificar que eu realmente fiz a escolha certa: me envolver de corpo e alma com política, JAMAIS! Pois há sempre alguém para deturpar os bons ideais e derramar sangue inocente simplesmente para ver a sua ideologia predominar. Lamentável!.
gianrubio 05/08/2012minha estante
Excelente analise Kellen, compartilho com voce a mesma opinião, o problema não está na política ou modelo social, e sim no ser humano.




Mainnã 15/06/2020

O livro conta a trajetória de Olga de forma resumida e eficaz. Li muito rápido e agora vou procurar outras fontes para aprofundar o tema
comentários(0)comente



Aline Memória 07/07/2009

Uma grande mulher
Um livro pesado na narrativa por conter muitos nomes, datas, cargos; mas é o que se espera de uma biografia.
Ótimo para conhecer mais a história de Olga, um grande exemplo para todas as mulheres.
comentários(0)comente



Renata 25/06/2020

O que dizer de um livro desses que retrata uma história tão real e comovente que para mim serviu como um exemplo de força e determinação. Só tenho a agradecer ao Fernando Morais por não ter deixado uma história dessas cair no esquecimento. Me fez refletir e muito sobre diversos assuntos e pesquisar também, fiquei indignada até que ponto vai a crueldade humana sendo que nem uma mulher grávida foi poupada da tortura. Me fez chorar em pensar no bebezinho sentindo o sofrimento da mãe. Pensei também em como é importante os direitos humanos para evitar tamanha covardia como as que são retratadas nesse livro. Enfim se você estiver interessado nesse tipo de leitura super recomendo, por mais que seja uma história que todos sabem o final mas é surpreendente.
comentários(0)comente



carvsnin 28/05/2020

oi
totalmente com vazio existencial depois de terminar esse livro. misto de apego e revolta
comentários(0)comente



Pedro Cortat 03/02/2015

Logo no começo o autor reclama dos documentos comunistas brasileiros por terem tratado Olga como somente mulher do Prestes, mas o próprio, na primeira parte fala tanto do Prestes que você fica com a impressão que o papel dela é só esse mesmo, apesar dos flashes de atividade comunista narrados nessa parte o destino e história do Prestes são predominantes.
Do meio ao fim, você percebe que é impossível te preparar para todo o sofrimento e drama da vida de Olga sem compor também com a história de Prestes, desse modo sua história não é de uma simples esposa do líder comunista, mas de uma mulher corajosa, independente e que acreditava em seus ideais, e que mesmo constantemente desafiada pela realidade permanecia resiliente. Em certa parte, Preste some e se torna uma sombra, um remetente, uma memória para se apegar. Ainda que fundamental para Olga, é apenas coadjuvante nessa história. Nesse momento vemos a verdadeira preciosidade, narrada em história, não os autos comunistas, ou o romance, mas a de uma mulher que mesmo diante de uma máquina, um sistema tão complexo, e tão gigantesco, que esmagaria qualquer um, conseguiu permanecer leal a si mesma. Não simpatizo com líderes totalitaristas, sejam eles nacionalistas como Hitler e Getúlio ou comunistas como Stálin, por isso não aplaudo completamente as atividades comunistas narradas ou não como sendo exatamente libertação, mas ainda sim dá uma empolgação e vontade de agir de desafiar o sistema ao ler nas páginas desse livro o amor e dedicação que Olga reservava aos seus ideais.
comentários(0)comente



Bruna 15/03/2013

Excepcional.
Não empresto, não dou, não vendo e nem troco. Esse é o meu livro favorito, o mais emocionante e lindo do mundo. Olga Benário, guerrilheira, judia, entregue covardemente para a Alemanha, pelo então presidente do Brasil, Getúlio Vargas. Muito emocionante e viciante.
comentários(0)comente



Verônica. 31/05/2009

Sem palavras. Maravilhoso!
comentários(0)comente



Raquel Lima 26/12/2009

Não sei o porquê...
Mas não consegui terminar a leitura...e olha que comecei a ler há muito tempo, antes do filme, que também não terminei...Não tenho muito argumento, simplesmente, não me despertou. Apesar dos problemas vividos na época, fico em dúvida entre o quanto é romance e o quanto é realidade...E entre uma realidade romanceada, prefiro um romance puro. Não gosto do gênero jornalistico/romance.
comentários(0)comente



Tete 24/10/2012

Extraordinária e Perseverante
Conheci Olga através do filme e me apaixonei pela história dela, mas como sempre gostei mais dos livros do que dos filme, não pude resistir.

O livro é incrível, mostra uma mulher inteligente e que luta pelos seus ideais. Olga começa cedo a sua militância pelo partido comunista, e desde o começo já surpreende com o seu comprometimento com o trabalho pelo Partido Comunista.

É incrível ver o que Olga passou pela vida e mesmo assim morreu com esperanças de reencontrar a filha e o marido. A forma como Fernando Morais escreveu foi incrível, mesmo sabendo o desfecho da história, eu acabei torcendo para que as coisas acontecessem diferente.

A impossível não ficar indignada com o descaso com as leis brasileiras, que até hoje só servem para garantir o interesse de quem está no poder. Eu conhecia um pouco da história de Vargas, o que colei na escola, mas depois de ler esse livro fiquei com uma raiva incrível dele e, de Prestes, acho que eu nunca apoiaria o homem que mandou a esposa para a morte.

É um livro recomendadíssimo, muito bom e emociante.
comentários(0)comente



109 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |