ERIK

ERIK Rosane Fantin




Resenhas - ERIK


6 encontrados | exibindo 1 a 6


Rose 25/05/2012

Acredito que a maioria das pessoas já conhece de ler ou de ouvir falar o famoso romance "O Fantasma da Ópera". Pois é, a autora Rosane Fantin que é fã desta história, criou uma continuação a partir do acidente causado por Erik em sua revolta por ser trocado por seu grande amor.
Em fuga e profundamente ferido tanto fisicamente como emocionalmente, Erik procura ajuda com sua amiga Annie Giry e sua filha Meg, que o acolhem e cuidam de suas feridas. Pelo menos até a visita policial, então para não colocar suas amigas em perigo, Erik parte em sua jornada.
Depois de alguns percalços, ela acaba fincando sociedade com Paul, um ourives que o acolhe e ajuda. Deste encontro nasce uma amizade e uma sociedade. Tudo ia muito bem até Erik encontrar um cartaz onde é oferecido uma recompensa por quem souber notícias do "fantasma da ópera". Novamente acuado, ele decide se abrir com seu amigo Paul, e este tem uma ideia para salvar Erik de uma vez por todas de seu passado.
Com o plano em andamento, Erik conhece Catherine, a irmã de seu amigo Paul, e sua vida renasce de verdade.
Em uma história de amor, perdão e amizade, a autora consegue nos fazer entender por que esta história é tão famosa. Uma leitura fácil e rápida e acima de tudo, muito bem criada e feita.
comentários(0)comente



Cesar 20/01/2012

Um lugar ao sol para Erik
Apesar de ter buscado, explicitamente, inspiração em “O Fantasma da Ópera”, Rosane consegue nessa obra imprimir as suas características pessoais de grande romancista. Tendo como ponto de partida o trágico destino do protagonista Erik no livro original, a autora brinda-nos com uma bela e empolgante história, onde misturam-se elementos literários que, de imediato, cativam a atenção do leitor. Numa linguagem clara e acessível, ela nos conduz por uma trama pontilhada de mistério, aventura e romance, despertando-nos, inevitavelmente, à compaixão por um ser marginalizado. Da mesma forma, o valor das verdadeiras amizades é elevado a um alto patamar nesse trabalho que, na minha opinião, devido a grande fluidez e clareza textual, ajuda a desmistificar a leitura entre uma geração ainda tão avessa a ela.
Certamente, uma das melhores e prazerosas narrativas que li em 2011. Entretenimento garantido, que me fez desejar conhecer as outras obras da autora
comentários(0)comente

Rosane Fantin 22/01/2012minha estante
César! Fiquei muito feliz com a tua resenha. Bem sabes o quanto é importante para nós autores uma análise tão positiva como a que fizeste aqui. Muitíssimo obrigada!
Um abraço!
Rosane Fantin


NADJA 22/01/2012minha estante
Concordo totalmente com tudo que o César falou sobre "Erik", sou suspeita pois amo esse livro,mas apesar ou por causa disso sei o quanto ele é maravilhoso, assim como os outros livros da Rosane. Você merece tudo isso e mais amiga!




Fall Ventura 05/01/2012

Erik de Rosane Fantin - Resenha do Sweet Pimenta
Erik começa com a fuga de um homem ferido emocional e fisicamente, depois que foi preterido pela mulher a quem tanto amava, um amor tão intenso que beirava a obsessão e, em meio a um ataque de fúria que acaba causando um incêndio na Ópera de Paris, onde vivia desde criança.
Essa história está parecendo familiar?? Para mim ela é mais que isso.. é uma das histórias que mais me encantam.. O Fantasma da Ópera, romance clássico do francês Gaston Leroux.

Mesmo sem nunca ter lido o livro, eu já conhecia, pois ela é apresentada também em filmes ( Gerard Butler seu lindoooo!! *-*) e ópera além de ter uma trilha sonora muito marcante!!!

Erik é fruto da admiração da Rosane Fantin pela história.. É um final alternativo para o meu lindo/encantador/misterioso/"tudebaum"! Anjo da Música, onde ele sobrevive e foge para outro país e uma outra vida onde ele é resgatado, salvo e descobre o valor de uma amizade, e através dessa amizade descobre que pode começar de novo, e que pode amar outra vez! Ele tem a chance de construir uma nova vida.

Confira a resenha na integra no Sweet Pimenta
http://asweetpimenta.blogspot.com
comentários(0)comente

Rosane Fantin 22/01/2012minha estante
Adorei a tua resenha, Fal! Muito obrigada! A tua opiniao é muito importante para mim.
Beijos!
Rosane




Eli 26/12/2011

É difícil não gostar da estória do Fantasma da Ópera. Um homem com um defeito de nascença, que toma para si uma pupila, querendo torná-la uma grande cantora lírica. Essa longa convivência entre ambos, acaba fazendo um sentimento surgir, mas não o mesmo para o Fantasma e para Christine: ele se apaixona por ela, enquanto Christine sente gratidão e conforto, pois ele substituíra a figura do pai que havia falecido a pouco. O desenrolar dessa estória e conhecido por muitos, e não há quem não quisesse que o Fantasma conseguisse fugir do grande incêndio que ele havia causado e tivesse uma chance de redenção.

O livro de Rosane Fantin fala sobre perdão e novas chances. Fala sobre como o ser humano pode se arrepender verdadeiramente de seus erros, e de como devemos estar prontos para perdoar...

Confesso que sempre tive uma certa queda pelo Fantasma. Aliás, quem não teve? A maioria das minhas amigas, fãs alucinadas do Gerard Butler, se derretiam toda vez que aquela máscara dava o ar de sua graça no filme. Mas antes mesmo do Gerard ser o protagonista dessa estória, eu já suspirava por ele. Sempre me senti atraída por personagens marcados por algo além de suas vontades, que lutam para sentirem algo mais do que rancor e raiva. Assim é Erik. Tendo que conviver com um defeito de nascença que faz com que as pessoas se afastem dele, o personagem foi forjado para demonstrar seus sentimentos ao máximo, não tendo um filtro moral que o fizesse perceber o quanto era sufocante ter alguém "amando" como ele amava, sem limites e sem inibições morais. O mesmo acontecia com o seu ódio: ele o levava até as últimas consequências, sem perceber que o objeto de seu amor (no caso, Christine) era a mais atingida por esse sentimento.

Eric não é o "moçinho" clássico dos romances românticos que lemos. Ele tem uma moral diferente da dos personagens convencionais que estamos acostumados a ler. O mundo que o rege não é o mesmo que Edmund Dante de o "Conde de Monte Cristo", que busca se vingar de seus algozes, ou Jean Valjan de "Os Miseráveis", que busca a redenção de seus pecados, através da ajuda que dá a Cossete e sua mãe. Erik tem como motivação o desprezo que sente pela humanidade como um todo; humanidade essa que lhe virou as costas por causa de um defeito físico. Quando abre uma rara exceção, e deixa que alguém entre em seu mundo particular, tudo desmorona, causando assim um caos difícil de ser organizado.


O livro de Rosane Fantin se inicia quando o mundo de Erik fora destruído (não vou dar mais spolleirs, pois quem ainda não conhece a trama que envolve o Fantasma, pode vir a ter curiosidade). Fugindo dos seus algozes, acaba procurando uma antiga amiga, Mme Giry, que o ajuda em meio a sua fuga. Saindo da França e indo parar na Inglaterra, Erik acaba recebendo a ajuda de um desconhecido, que lhe estende a mão sem querer nada em troca. O jovem ourives Paul o acolhe em sua casa, e

Erik inicia dessa maneira a sua redenção. Desenhando jóias, Erik consegue extravasar de alguma forma sua veia artística, ajudando assim a enriquecer seu novo amigo. Tendo a sua nova vida ameaçada pela possibilidade de seus "inimigos" continuarem sua procura, Erik e Paul começam a elaborar um plano para despistar de uma vez por todas aqueles que o procuram, para dar mais segurança na nova vida do antigo Fantasma. Em meio a esses novos acontecimentos, Erik conhece a irmã caçula de seu agora sócio, a jovem Catherine, que lhe trará um nova chance para amar.

O que posso dizer sobre o livro? Rosane Fantin me parece ser uma romântica incurável, e deu ao Fantasma uma nova vida. O que me incomodou um pouco foi a falta de surpresas ao longo da trama. Tudo estava perfeitamente amarrado, sem grandes sobressaltos. A nova chance de Erik não teve nenhuma real reviravolta, que pudesse nos dar aquela angústia que faz o leitor se surpreender. É um romance previsível, o que não quer dizer que seja ruim. É um livro morno, que pode deixar os fãs do "Fantasma" um pouco decepcionados. Mas vale a pena pelo romance "florzinha" que se desenrola entre Erik e a irmã de seu sócio.
Mas não leia só a minha resenha, por favor. Outras blogueiras já resenharam, e tantas outras ainda resenharão. Então, é aguardar e conferir...

Acompanhem o Book Tour do blog amigo "Doce Encanto", da fofa Rapha (http://rapha-doceencanto.blogspot.com/). Lá você encontra também inúmeras novidades sobre lançamentos nacionais e internacionais, além dos sorteios que são sempre maravilhosos...
comentários(0)comente

Rosane Fantin 22/01/2012minha estante
Oi, Elimar! Gostaria de, antes de mais nada, te agradecer pela participação no booktour da Doce Encanto e pela tua resenha sincera e bem feita de meu livro. O Erik foi o primeiro romance que escrevi e nele me empenhei principalmente na pesquisa histórica, costumes de época, trajetos percorridos pelo fantasma em sua fuga e outros detalhes, como deves ter percebido durante a leitura. Em meu romantismo incurável, como bem percebeste, quis dar uma nova chance ao nosso amado Phantom, dando-lhe um novo amor (Catherine), o que pode decepcionar muitas das pessoas que torciam pela reconciliação dele com a Christine.
Assim como tu, tb sou grande fã do ator Gerard Butler e, obviamente, ele foi minha inspiração para descrever o meu Erik.
Muito obrigada pela tua atenção.
Beijo!
Rosane Fantin
http://romancesaovento.blogspot.com




RUDY 02/08/2011

RESENHA E MINHA OPINIÃO
RESENHA: Uma vez mais rejeitado por Christine que o troca por Raoul, Visconde de Caghny, Erik toca fogo nas instalações do teatro, onde vivia nos subterrâneos... Em sua fuga para os esgotos, uma das vigas de madeira, chamuscada de fogo, cai nas suas costas e o queima em profundidade. Se arrastando e com a polícia em seu encalço, resolve pedir ajuda a sua amiga Annie Giry e sua filha Meg.
Annie o acolhe e trata de sua ferida, entretanto, a visita inesperada da polícia na casa da amiga o faz decidir partir, para não prejudicá-la. Resolve ir para o interior da França, rouba um cavalo e parte em sua dolorosa jornada. Ao final de três dias chega a Bolouge febril e com a ferida necessitando de limpeza. Resolve ir para Inglaterra. É apresentado ao irmão do dono da hospedaria que atravessaria o rio com carga suspeita e resolve levar Erik.
Erik chega a Dover após 3km de longa caminhada, sentindo-se mal, com calafrios e sentindo o corpo queimar de febre. As pernas fraquejavam e acaba caindo na rua, onde levam sua bolsa; sorte que havia escondido o dinheiro retirado do banco por Annie. É socorrido por Paul que o leva para casa e cuida de seus ferimentos.
Paul é ourives, entretanto sem muita criatividade para criar peças. Após sua recuperação, Erik resolve mostrar alguns de seus desenhos para novas jóias e Paul acata as idéias de Erik, nasce aí uma sociedade de sucesso. Paul finalmente vê a possibilidade de trazer Catherine, sua irmã, para morar perto dele.
Erik começa a viver uma nova vida e quase se esquece de seu passado, até ver um cartaz que oferecia uma recompensa a quem desse notícias ‘do fantasma’,na delegacia da cidade. Chega aflito na casa de Paul e acaba revelando parte de seu passado assustador. Paul tem uma idéia fantástica para ‘enterrar’ de vez a vida e o passado de Erik...
Após colocar o plano em prática, resolvem se mudar para Londres, ampliando a joalheira e levando Catherine para morar com eles.

MINHA OPINIÃO: O livro realmente é muito interessante. Escrito em primeira pessoa por todos os protagonistas do livro, mostra as diversas visões pessoais que cada personagem tem. O mais interessante são as lutas pessoais travadas por Erik para superar um passado cruel e a aparência deformada, não aceita pelas pessoas (infelizmente). Mostra que mesmo se passando no século XIX, o romance ainda é bem atual. Aprendi que ainda existem pessoas desinteressadas, que cultivam o perdão e o amor em seus corações.
A única coisa que me incomodou no livro foi a previsibilidade do final que não trouxe muitas expectativas. E o mais interessante é que toda a trama é ‘redondinha’, sem arestas a serem aparadas e sem nenhum ponto obscuro. Me chamou atenção também os diálogos rápidos, sem parágrafos extensos, o que facilita a leitura. Parabéns! Recomendadíssimo!
NOTA: 4,8/5,0
comentários(0)comente



Rapha 25/07/2011

Erik no blog Doce Encanto
Para ler a resenha na íntegra, acesse:http://rapha-doceencanto.blogspot.com/2011/05/erik-rosane-fantin.html

"Quem aí é apaixonado pelo clássico de Gaston Leroux, O Fantasma da Ópera?
É não tem como não se emocionar com esta incrível obra.

Porém mesmo que você não conheça a estória, poderá ler Erik sem grandes problemas. Atenção: sem "grandes" problemas, mas aconselho você a pelo menos assistir ao filme, antes de começar a leitura.

Erik, é uma estória a parte, inspirada neste grande clássico, mas com grandes particularidades.

O livro começa a partir da fuga de Erik, o fantasma, durante o incêndio provocado por ele mesmo no grande teatro.

Erik, em meio a fuga, é ferido, sendo que não vê outra saída a não ser ir atras de Mme. Giry para pedir ajuda, o que ela faz sem pensar duas vezes.
Porém logo a polícia vai até a casa dela, e apesar não conseguirem encontrar Erik, ficam intrigados, pois os vizinhos viram uma figura suspeita rondar a casa.
Pensando em proteger Mme. Giry e sua filha para que não sejam suspeitas, Erik decide fugir novamente, mas agora para outro país, e é o que faz.
Com muita dificuldade, Erik encontra forças para chegar à Inglaterra. É lá que encontra seu mais novo amigo, Paul, o 1º em anos que lhe dá uma chance sem ligar para sua aparência física.[...]"

comentários(0)comente



6 encontrados | exibindo 1 a 6