Como Viver Eternamente

Como Viver Eternamente Sally Nicholls




Resenhas - Como Viver Eternamente


150 encontrados | exibindo 61 a 76
1 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10


Adriana 06/12/2018

Apaixonante
Mesmo trite ( óbvio) mas tão lindo que vc se apaixona...
Que livro gostoso de ler
Impossível não se apaixonar
comentários(0)comente



Mari 03/07/2014

Resenha: Como Viver Eternamente
Quando a história, assim como o livro inteiro, te encanta e te surpreende de uma maneira inigualável, fica difícil de falar sobre ele.

Como expressar em uma resenha tudo aquilo que o livro me trouxe?

Tamanhas emoções que nem eu mesma conseguiria explicar!

"Como viver eternamente' é um livro que me marcou e que vai viver eternamente na minha memória, porque de uma forma tão doce, romântica e divertida tocou o fundo do meu coração.

Sam é um garoto de onze anos e que têm câncer, sabe que vai morrer... mas não se deixa abalar. Junto com seu amigo Félix, Sam vai em busca de realizar seus últimos desejos.

É impossível não se apaixonar pelos dois, que mesmo passando por momentos difficiles não esquecem de sonhar e de viver.

Quando você começa a leitura não quer parar, até porque a narrativa é bem leve, com capítulos curtos e bem dinâmicos. Um livro pra se ler em um dia. Mas também um livro pra se ler com calma e ir absorvendo cada detalhe, cada mensagem bem devagarzinho... e no final deixar a emoção falar mais alto.

Aprendi com o Sam que a vida é maior que qualquer problema e que não há nada nesse mundo que nos empeça de sonhar e de ir em busca da realização.

Não preciso dizer que a leitura desse livro está mais do que recomendadíssima né?!

Beijos e até a próxima!!

site: http://insaciavelmenteapaixonada.blogspot.com.br/2014/05/resenha-como-viver-eternamente.html
comentários(0)comente



mr_reedies 15/05/2011

Livro bom
Achei esse livro bom, mas não passou disso. O que aconteceu? Eu o li cheio de expectativas, acreditando que haveria um interessante roteiro ao se tratar de um menino de 11 anos que sabe que vai morrer, entretanto, não foi o que aconteceu. A linguagem é simples de forma proposital, já que é o garoto quem escreve, entretanto, a história é tão simples quanto, não te deixa com ansiedade de nada.

Quer dizer, o menino pode até ter um objetivo, mas, pelo menos pra mim, senti que isso não foi tratado com tanta importância na história. Os outros personagens, tão importantes para que a história funcionasse como um todo, não tiveram importância, profundidade, assim como o protagonistas.

Enfim, é um livro para se emocionar, mas, pelo menos pra mim, falou empenho.
comentários(0)comente



Guida! 29/07/2009

É um livro lindo, que mostra que deveriamos aproveitar bem e fazer coisas boas com o tempo de vida que temos... Que podemos fazer tudo, como disse Felix
comentários(0)comente



Mayara 03/03/2016

Daquele livro que você precisa ler
Quando recebi Como Viver Eternamente, da Sally Nicholls, enviado gentilmente pela Geração Editorial, eu não estava com clima para ler um livro que me levasse às lágrimas. Como eu sabia que o livro tinha alto potencial emotivo? A editora mandou um pacote de lenços de papel junto (aliás, obrigada, usei todos).

Deixei para ler num dia em que estivesse mais aberta a esse tipo de leitura, mas a curiosidade foi maior e, voltando de uma aula de frevo, comecei a ler no longo percurso de ônibus pra casa. A primeira coisa que digo sobre o livro é: não precisa estar com o “humor” certo para lê-lo. Ele te cativa nas primeiras páginas.

Como Viver Eternamente conta a estória de Sam, um garoto de 11 anos que tem leucemia e decide fazer um livro contando suas últimas experiências. A despeito do tema pesado, o livro é uma leitura muito interessante, que, inclusive, me fez rir várias vezes ao longo de suas páginas, oscilando entre a risada, a pena, a tristeza e as lágrimas. Quase uma montanha russa emocional, mas, garanto, vale muito a pena.

Através dos olhos de Sam, conhecemos o sensacional e altamente divertido Felix (um garoto que também vai morrer, adora rock e quer muito ir ver novamente um show do Green Day); seus pais, sua irmã e a reação destes à sua doença (que varia, de pessoa pra pessoa); sua professora, a Sra. Willis (que tem ideias ótimas para aulas), seu médico e sua rotina com muitos remédios e vai-e-vem da sua doença. Sam é um garoto doce, curioso, divertido. É ao mesmo tempo maduro frente à realidade de que tem poucos meses de vida, e inocente e curioso como o menino de 11 anos que é; e essa dicotomia torna o livro ainda mais interessante.

Apesar de saber que vai morrer, Sam não se abala com isso, continua positivo, alegre, entusiasmado (embora tenha justificáveis momentos de raiva). Por sugestão da Sra. Willis, ele escreve várias listas (“Cinco Fatos a meu respeito”, “Coisas que quero fazer”, “O que fazer quando alguém morre”, entre outras), além de relatar fatos curiosos, sua rotina, as coisas malucas que Felix o leva a fazer, e a dolorosa série de “perguntas que ninguém responde” (uma delas partiu meu coração em pedaços). É esse conjunto de textos que forma o livro.

O livro tem 230 páginas que passam voando. Algumas contêm desenhos, páginas de caderno, bilhetes, pedaços de papel. É uma leitura maravilhosa, e eu, que sempre tenho mil palavras e sinônimos rondando a minha cabeça, me vi restrita a repetir insistentemente a mesma frase quando ia falar sobre Como Viver Eternamente para alguém: “Ele é lindo, e você precisa lê-lo!”.

E é esse o recado que deixo pra você.

Leia-o.

Apaixone-se por ele, chore, sorria, termine a leitura com a alma mais leve e mais tranquila.

Vai valer a pena.
comentários(0)comente



Fernanda 10/05/2014

[Resenha] Como Viver Eternamente - Sally Nicholls (Ed. Geração).
Este livro é tão maravilhoso que li apenas em algumas horas.

A história se passa com o adolescente Sam e seu melhor amigo Félix. Ambos portadores de câncer. Podemos pensar que deviam ser as pessoas mais tristes do mundo por saberem que estão com os dias contados. #sóquenão. São as mais felizes e positivas que poderíamos imaginar. Mas, quando Félix vai embora (digamos assim), Sam procura viver intensamente tudo o que pode. Sim meus amigos, adrenalina pura. Mas, o mais importante é que ele ama sua família acima de qualquer coisa.

Sam matriculou-se num desses cursos para aprender de tudo e passar o tempo. Nas aulas é incentivado a escrever sua história e a partir daí somos transportados para seu mundo, seus pensamentos e sentimentos. O que nos faz sentir que estamos próximos dele, vivendo suas alegrias e tristezas.

O livro é leve e sensível apesar do conteúdo ser um tanto pesado! Para os mais sentimentais, o pacote de lencinhos terá boa serventia.

Durante a leitura, me peguei pensando sobre os questionamentos do Sam. É bom quando o livro nos faz refletir. O grande ensinamento que o livro traz é como você reage espiritualmente em relação à doença. Não, não penso que Deus seja mal. Acredito apenas que devemos carregar a nossa cruz, afinal cada um tem a sua. Sempre estamos aprendendo ou ensinando algo importante sobre a vida para quem está ao nosso lado, para quando formos embora essas pessoas saibam lidar melhor com nossa ausência.


No livro se lê a respeito da vida e dos sonhos dos quais a mortes não pode roubar. Temos aqui um garoto que realizou seus sonhos antes do fim. Amou e viveu tudo que um adolescente procurar viver. Fumar um cigarro, beijar uma garota e tomar uma dose de álcool.

Fê :*


site: http://fernandabizerra.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Gabrielle 05/06/2014

Blog ABCD dos Livros
Você sabe de onde viemos? Fato: viemos das estrelas.

Esse não é um livro sobre morte e sim sobre a vida.
É contado por Sam, um menino de 11 anos que tem leucemia.
Sam vive com seus pais, sua irmã mais nova Bella e com seu gato de estimação.
Conheceu Felix, seu melhor amigo, ainda quando frequentava a clínica.
Eles não vão mais para a escola, agora tem aulas particulares com a Sr. Willis.
Certo dia, com muito tédio, a Sr. Willis sugeriu que os meninos escrevesse um livro sobre a vida deles. Sam amou a ideia, e desde então não parou de escrever.
Felix e Sam
Mas ao contrário de Sam, Felix escreveu apenas duas linhas e disse que já estava ótimo!
Em seu livro, Sam fez várias listas. Como sonhos a serem realizados, e tentava sempre achar perguntas que ninguém respondia.
Sam adora colecionar histórias e fatos. E coloca muito isso em seu livro.
Sempre tentando ajudar (ou atrapalhar) a escrever seu livro, Felix sempre dava sua opinião.
Além de seu livro, Sam vai contando seu dia a dia.
Sua mãe é sempre muito preocupada, qualquer coisa já é motivo para se desesperar. Toda hora perguntando se ele está se sentindo bem, se precisa de alguma coisa, nunca deixa ele se esforçar.
Já seu pai é o oposto. Sempre muito calado e trabalhando, não dá opinião em nada e detesta falar sobre a doença de seu filho.
Sua irmã caçula está sempre se metendo onde não é chamada, mas apesar disso o ama incondicionalmente.
Com o passar dos dias, Felix vai ajudando seu melhor amigo a realizar todos os seus sonhos.
Como bater o recorde mais bobo que existe até ver o mundo lá de cima, como se estivesse em um foguete.
E como mais que nunca, eles se aproximam, apesar de serem muito próximos.
Felix é o que motivava Sam a viver, é a alegria dele, e para Felix, Sam é tudo.
Já que só tem um ao outro.
Mas, certo dia Sam recebe uma péssima notícia.
E isso o destrói por dentro.
Sabendo que seus remédios não vão poder curá-lo totalmente, Sam decide abrir mão de todos e deixa de ir a clínica.
Ele quer viver seus últimos dias livre de tudo isso.
Com sua situação piorando, seu pai, que sempre foi calado e nunca tinha tempo para ele, se aproximou.
Fez em dias o que nunca fez em um ano, pois o medo de perder seu filho era grande.
Mas Sam, não tinha medo de morrer.
E no fim de tudo, ele conseguiu realizar todos os seus desejos.

Antes de mais nada, eu gostaria de dizer uma coisa: se você não quer chorar, então não leia esse livro!
Eu mesma chorei do início ao fim e usei todos os lencinhos que a Geração Editorial me enviou.
Esse livro, sem querer, entrou na minha lista de favoritos. Ele mexeu demais com os meus sentimentos.
É um livro de auto ajuda, por mais que esteja na categoria romance.
Ele te faz refletir. Você para e pensa: Enquanto eu tenho saúde, e vejo tudo preto e branco, tudo é chato, tedioso. Sam, com leucemia, tentava sempre ver o mundo de outro jeito.
Em pouco meses, Sam realizou todos os seus desejos, e nós que temos " a vida toda" pela frente, não temos forças para realizar nenhum.
Porém, apesar de termos muito o que viver, não sabemos o amanhã.
Podemos muito bem não acordar. E Sam vivia como se não tivesse o amanhã.
Ele lembra um pouco A Culpa é das Estrelas, mas são histórias totalmente diferentes, e se a história te comoveu, leia Como Viver Eternamente.
Fiquei sabendo ontem, que tem o filme também. Ainda não vi, mas logo menos vou procurar para baixar e tenho certeza que vou chorar muito também!

site: http://abcddolivro.blogspot.com.br/2014/05/resenha-como-viver-eternamente.html
comentários(0)comente



Literatura 03/05/2014

A dor de se despedir
Como retratar um tema tão triste como a morte de uma criança sem se debulhar em lágrimas? É só seguir o exemplo de Sally Nicholls em Como viver eternamente (Geração Editorial, 232 páginas). Através de suas páginas cheias de encantamento e dor, conhecemos a história de Sam, que com apenas 11 anos convive com a leucemia em estado terminal. Por meio dos relatos e de um diário com suas experiências, ele mostra o seu dia a dia, relacionamento com a família, o amigo Felix e os desejos que sonha em realizar antes de morrer.

Lançado originalmente em 2007, este é um livro envolvente. Não por mostrar o dia a dia de um doente terminal, não por mostrar os últimos dias de uma criança e a dor da família prestes à perdê-lo, mas sim por expô-lo sem alegorias, com as falas simples de uma criança. Através das palavras de Sam, vemos uma pequena pessoa cuja vida cheia de esperanças é rompida pela doença, onde dia após dia as esperanças são minadas e o tempo, impiedoso, corre implacável, diminuindo as vontades, aumentando as dores e a necessidade de viver o amor de todos enquanto pode.

Mais parecido com um livro de recortes do que uma história linear, Como viver eternamente mexeu com minhas emoções de leitor, tirando-me o fôlego e as palavras. Recordei-me de quando era criança e todos os dias, na ida e na volta da escola, passava em frente a casa de uma menina que estava com leucemia. Era nossa amiguinha do bairro e, quando dava a hora escolar, logo no final da sua doença, ela corria a janela e nos olhava cheia de saudade, com uma tristeza tão infinda e madura nos olhos, sem os cabelos loiros que antes tinha, por causa da quimioterapia. Ficava ali, olhando a molecada ir e voltar, até quando pode… Ela se foi, mas a lembrança daquele olhar silencioso nos fitando todos os dias ainda me acompanha agora adulto. E a história de Sam conseguiu traduzi sem sombra de dúvida esse olhar e os sentimentos ocultos em seu significado.

Veja resenha completa no site:

site: http://www.literaturadecabeca.com.br/resenhas/resenha-como-viver-eternamente-a-dor-de-se-despedir/#.U2T-XfldX-s
comentários(0)comente



Allan 22/05/2016

Li o livro todo chorando... Isso não é ruim!
Não sei o que comentar na verdade. É um livro delicioso!
O Sam nos cativa do início ao fim e poucas vezes alguém na vida vai te fazer tão bem quanto ele vai te fazer.
Passei o livro todo chorando sim. Apreensivo! Mas tudo bem...
Passei o livro todo chamando a Bella de Ella, afinal este é o verdadeiro nome dela.

Como crítica, só tenho algumas ressalvas por palavras que uma criança de 11 anos não usaria. E o problema de tradução de trocarem o nome da irmã do Sam.
Pessoalmente, me fez chorar demais, mas chorar faz bem. Não é um livro de ler, mas de sentir.
comentários(0)comente



Leandro Araújo 08/09/2015

Lindo e emocionante.
Li esse livro em 4 horas e depois fiquei pensativo. É um livro lindo, tocante mesmo tendo um tema triste. Eu amei, chorei um dos melhores livros que li na minha vida...
comentários(0)comente



Kaka Cardoso 04/09/2012

Valoriza A vida
Este livro conta a história de um menino em faze terminal, que tem leucemia, e mostra a vontade de viver, a busca que o menino tem em fazer todas as coisas que quer, em um curta espaço de tempo, é um livro que faz nós seres humanos saudáveis, enxergar que não damos o valor necessário a nossa saúde, e que acima de qualquer coisa devemos nos sentir felizes por sermos saudáveis e ainda cuidar cada vez mais de nossa saúde. Ainda mostra a importância que tem a família nos momentos difíceis, mostra como a pessoa doente apega-se a sua família no momento da doença.É um ótimo livro, apesar da linguagem simples, e também bem por isto é um bom livro, porque se faz acessível a todos.
comentários(0)comente



Gabriella Gallo 16/06/2015

Resenha de Como Viver Eternamente.
Em Como Viver Eternamente nos deparamos com uma história tocante do início ao fim, como a própria sinopse diz, o nosso querido protagonista é Sam, um menino de onze anos que tem leucemia em fase terminal.

Sam, é um menino doce e amável e como qualquer criança, ele é totalmente curioso sobre a vida e está sempre em busca de respostas para perguntas que tem dúvidas ou que simplesmente não são respondidas.

O livro é narrado em primeira pessoa, ou seja, pelo Sam, e nele vai contar diversas histórias em que ele e seu amigo Felix, que também tem câncer, passaram juntos, onde realizaram todos os sonhos de Sam e o mais legal é que ele conta tudo isso em uma especie de livro que a professora de ambos deu a ideia de fazerem, então lá encontramos muitas coisas que fazem com que nos aproximemos ainda mais do Sam, como seus pensamentos, várias listas sobre o que ele gosta, seus sonhos e claro suas perguntas.

Eu simplesmente me apaixonei pelo Sam, assim como me apaixonei pelo Felix, enquanto Sam tem um humor mais bem humorado e mais doce o Felix tem aquele tipo humor ácido, mas a autora em nenhum momento deixou os personagens secundários de fundo, todos tiveram seus destaques e suas importâncias, tanto o Felix, quanto a família de Sam, a professora, a enfermeira, todos os personagens, sem exceção foram muito bem elaborados e mesmo tendo um livro que aborda um tema tão difícil, que é o câncer, os personagens conseguem dar uma leveza incrível na leitura.

O que mais me tocou no livro foi que ele não é apenas uma história que se trata de drama e tristezas, por tem o foco na doença de Sam, mas sim como a vida pode ser bonita e maravilhosa nas pequenas coisas, nas pequenas conquistas do nosso dia a dia e que o amor, a esperança e os sonhos são sim agentes transformadores em nossas vidas.

Como Viver Eternamente, foi um livro que realmente me tocou, me fez rir, me fez chorar, tive milhares de sentimentos lendo e amo quando um livro faz isso comigo, pois é simplesmente incrível e ele parece grossinho, mas li em menos de cinco horas, de tão fantástico e simples que é a história, é uma leitura leve e passa realmente uma lição de moral no final de tudo, te faz questionar realmente o que é a vida, principalmente quando Sam coloca suas perguntas no ar e para mim, nada melhor do que um livro que depois de terminá-lo, você parar e ficar questionando e pensando em tudo o que acontece na vida.

Eu realmente recomendo esse livro para todos, para aqueles que querem um livro rápido, para aqueles que querem rir, para aqueles que querem chorar, para aqueles que querer se emocionar, para todos mesmo, tenho certeza de que o Sam assim como tocou o meu coração, irá tocar o de todos que lerem.

🌺 Página 19

“Morrer é a coisa mais boba de todas. Ninguém lhe conta nada. Você faz perguntas, e eles tossem e mudam de assunto.”

site: reinodaspalavras.com.br
comentários(0)comente



Dislene 28/08/2016

Esse livro conta a história de Sam, um menino de 11 anos com leucemia. Com essa frase pode até pensar que se trara de mais um livro que fala sobre câncer, mas aí que está o engano. Apesar da doença do personagem, o livro fala sobre a vida.
Sam tem um amigo Felix tem aula em casa e em uma dessas aulas a professora dá a ideia de escrevem um livro sobre a vida dele e Sam entra de cabeça nisso. Então ele começa a escrever um livro contando sobre o seu dia a dia e além disso com listas como do que gostaria de fazer:
-Descer a escada rolante de subir, ou subir a escada rolante de descer.
-Quebrar muitos recordes mundiais.
-Pilotar um dirigível.
-Ver um fantasma.
- Ser adolescente..
E perguntas que ninguém sabe responder:
Por que Deus faz as crianças ficarem doentes?
Então o livro mostra ele realizar cada uma dessas etapas e sua relação com a família, seus pais e sua irmã mais nova; aceitação da morte de alguém próximo e a sua própria morte.
O livro é lindo, nos mostra com delicadeza esse lado da morte que muitos não gostam de pensar, que devemos aproveitar a vida enquanto podemos e que a maior limitação entre o que você e o que você quer é você mesmo. Que sempre devemos correr atrás do que queremos. E tudo isso na visão de uma criança.
Apesar de não ter chorado, esse livro me impactou tantas vezes que nesses momentos eu tive que fechar o livro para poder pensar e absorver o que eu estava lendo. Um livro de rápida, gostosa e fácil leitura que indico para todos. Todos deveriam ler um livro nessa temática pelo menos uma vez.
comentários(0)comente



Gabi 21/10/2012

Sam impressionou-me com sua felicidade e amor pela vida, apesar de falar tantas vezes sobre a morte... A linda história de amizade com Felix faz com que seja impossível não chorar! Um final surpreendente e lindo. 'Algumas coisas são perfeitas do inicio ao fim.' Perfeito!
comentários(0)comente



150 encontrados | exibindo 61 a 76
1 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10