Como Viver Eternamente

Como Viver Eternamente Sally Nicholls




Resenhas - Como Viver Eternamente


150 encontrados | exibindo 91 a 106
1 | 2 | 3 | 7 | 8 | 9 | 10


Rayane 03/05/2010

sem duvida é um sxelente livro!
Adorei o livro do inicio ao fim ...
É muito interessante como uma criança com apenas 11 anos de idade se lida com a doença.
É uma liçao para que todos possan ver a vida de um lado bom ... msm quando se é dificil de se ver ...
Acabei de ler o livro com lagrimas nos olhos ... é muito emocionante !
comentários(0)comente



Thaila.Mary 25/07/2019

Já leu um livro e pensou: Livro tú quer acabar comigo? Pois é, é isso que eu senti ao terminar "Como viver eternamente."

O livro conta a história de Sam narrada em primeira pessoa. Sam é um garoto de 11 anos que tem câncer terminal (leucemia linfoblástica aguda) ou como ele prefere dizer... glóbulos esferoidais. E antes que você pense que esse livro é um livro sobre câncer está enganado. Sam começa a escrever um livro sobre sua vida, uma coletânea de histórias, fotos, perguntas e fatos.

Sam conhece seu amigo Félix no hospital. Félix tem 13 anos e também tem câncer. Juntos decidem realizar alguns desejos antes de morrer escritos por Sam.
Sam conta neste livro como ele lida com a doença. Ele não fala sobre a morte, mas sobre a vida e como aproveitar cada minuto e em como o câncer não é o fim de tudo. Não é um livro que foca só na doença mas como ela é tratada por várias pessoas. Sam dizia que não queria que fosse algo triste até o fim de sua morte e o tempo todo. Ele faz planos pra antes e depois de sua morte e sem pensar no quão triste possa ser, ao contrário disso, ele nos deixa perceber que toda morte deveria ser assim porque algumas coisas são perfeitas do início ao fim. ?
comentários(0)comente



SahRosa 30/04/2014

Resenha exclusiva do blog Da Imaginação à Escrita. Plágio é crime!
Sam é um garoto de onze anos e possui leucemia. Suas idas e vindas da quimioterapia já o deixaram muito fraco, ele faz um novo tratamento, mas sabe que não terá muito tempo de vida. Seu melhor amigo Felix também tem câncer, juntos, eles se aventuram com aulas divertidas e realizando a lista de desejos que escrevem. Em uma das suas atividades, é proposto que os meninos escrevam sobre si mesmos, Sam fica entusiasmado e decide escrever um livro que conte sua história, seus desejos, fatos e aventuras.

Assim como qualquer criança, Sam tem perguntas que ele quer respostas, todas as suas dúvidas são relatadas em seu livro, assim como várias passagens divertidas e emocionantes que ele vive a cada dia. Seus sonhos e suas vontades são escritos e acima de tudo, ele mostra seus sentimentos e convívio com as pessoas a sua volta.

Como viver eternamente é assim, um livro tocante do início ao fim. Com personagens comoventes e cenas de levar as lágrimas. Sally escreveu um enredo tão vivido e bonito, mas mais que isto, Como viver eternamente é um livro que mostra a felicidade em pequenas coisas. A escrita da autora é tão dinâmica, gostosa e simples, que rapidamente me envolvi com sua obra. Sua linguagem é profunda e ao mesmo tempo cativante. As páginas vão sendo viradas e você nem percebe o quanto leu e quando se dá conta, as lágrimas lhe enchem os olhos e o livro está finalizado, revelando assim um grande envolvimento com a leitura.

Narrado em primeira pessoa por Sam, somos tocados por sua história, sem dúvidas, este é um livro que deve ser lido por todos, afinal, não é apenas um drama, ou um enredo triste, Como viver eternamente é um marco de alegrias, desejos, amor e fé. Uma obra linda, que merece um lugar especial, pois é tão marcante, que você não vai querer largar.

A Geração editorial está de parabéns pelo trabalho maravilhoso com o livro; A capa está fabulosa, os detalhes internos e a escolha da fonte foram ótimos, as folhas são amareladas e a revisão está perfeita. Como viver eternamente é uma leitura delicada e encantadora, que viverá para sempre, notável por sua rica emoção que é transmitida.


site: http://www.daimaginacaoaescrita.com/
comentários(0)comente



Luciano Otaciano 01/11/2016

O livro é estupendo!
Ao iniciar a leitura fui positivamente surpreendido logo nas primeiras páginas do opúsculo pois a autora teve uma sensibilidade fora do comum. Este foi o primeiro livro da autora e devo dizer que ela acertou em cheio pois seu livro é comovente. Está bem, o livro é simples e direto mas cheio de riqueza e de sentimentos que o tornam único e especial para quem o lê.

Conhecemos Sam, um menino de onze anos que tem leucemia e ele sabe que vai morrer em razão da doença. Isso é inevitável e ele tem pouco tempo de vida já que todos os tratamentos que fez para combater o câncer foram em vão e não surtiram efeito, apenas prolongaram o seu sofrimento. Ele tem aulas particulares em casa e em uma dessas aulas é estimulado a escrever um pouco sobre si. Porém, se empolga e acaba escrevendo um livro em forma de diário onde conta acontecimentos do seu cotidiano, seus sonhos e suas tantas perguntas sem respostas.

Falando sobre os personagens da obra:

Além de Sam, conhecemos também Felix, o seu melhor amigo que também sofre com o câncer. Juntos eles vivem suas aventuras e Felix ajuda Sam a realizar seus sonhos, ambos percebem que nada é impossível, que eles podem ser e realizar tudo o que quiserem. Neste livro não consegui definir meu personagem preferido pois ambos são fantásticos. Sendo assim, fico com os dois. Não teve jeito, gente, a história é incrível, vocês têm que ler o livro. Alguns outros personagens compõem a obra de forma coesa.

Falando sobre a leitura do livro:

A escrita da autora é simples como a de um menino e, exatamente por esse motivo, o livro pode ser lido de maneira muito ágil. Contudo, não podemos deixar nos levar pela leveza infantil do romance, já que Sam é um menino que apronta como qualquer outra criança de sua idade. A sombra da doença ainda paira em sua mente ao ponto de fazê-lo questionar tudo o que sabemos e dizemos a respeito da morte. E nesse ínterim, de forma bela e tocante, ele vai aprendendo a viver seus dias limitados a realizar seus sonhos, mesmo aqueles que realmente são impossíveis, e incitar os que estão ao seu redor a darem valor à vida e às suas pequenas e insubstituíveis alegrias.

O que eu achei mais bonito na história é que, mesmo doente e sabendo tão pouco ou quase nada da vida, ele dá um verdadeiro show ao nos ensinar a agarrar as oportunidades — porque se não fazermos, elas nunca são perdidas como muitos pensam —, a lutar pelo que queremos e a amar de forma incondicional. Em suma, ele transforma os que estão ao redor, tanto dentro quanto fora do livro, e não pela pena gerada por sua condição mas pela naturalidade com a qual ele lida com a situação. Posso dizer que mesmo na dor o livro é belo. Entretanto, apesar dos sorrisos que Sam arranca, essa história tem sim o seu lado obscuro e dolorido, como as frustrações, as recaídas, as perdas e a dura realidade por trás do olhar compreensivo desse menino protagonista, afinal, o fato de ele saber que vai morrer e lidar razoavelmente bem com isso, não diminui a dor dessa compreensão. Ainda assim não espere um livro no estilo dramalhão, a obra de Sally Nicholls é muito fácil de se ler, tem uma mensagem bonita e traz uma reflexão valorosa e verdadeira que, em nenhum momento, tem a intensão de chocar e emocionar ao extremo seus leitores. E confesso que fiquei fascinado com isso. Sendo assim, só posso dizer que esse foi um livro leve e de leitura rápida, mas também bonito e extremamente tocante. O tipo de história que encanta por ter uma bela mensagem, mas principalmente por proporcionar isso ao leitor de uma maneira direta e simples.

Meu quote favorito:

Gente, foi muito difícil escolher um quote preferido nesse livro; o livro tem muitos quotes maravilhosos porém não ficarei em cima do muro, escolhi esse:

''TEM A VER COM COISAS VELHAS QUE MORREM E COISAS NOVAS QUE NASCEM. Velhas estrelas formando novas. Folhas mortas se transformando em plantinhas. Pode ser algo que morre ou pode ser algo que nasce. Depende do ângulo que se escolhe.''

Finalização:

A capa e diagramação do livro me agradaram bastante, aliás, a diagramação do livro está simplesmente perfeita. As folhas são amareladas, fato que não prejudica a leitura, somente ajuda, e o tamanho da fonte é legível, um excelente trabalho da editora. Parabéns pelo trabalho realizado com esse livro. Este é um opúsculo que fala sobre perda, dor e morte, mas também fala de amizade, os elos do amor e da família, sonhos e o poder da vida, vida esta que é tão rara, tão bela e tão simples. A vida pela qual passamos tão depressa e que o menino Sam aprendeu em sua tenra idade, a dar um valor inestimável. Sendo assim, não posso dar menos de 5 estrelas. Se eu pudesse daria milhões de estrelas. O que eu posso e irei fazer é favoritá-lo, e o farei com minha alma leve e revigorada depois de lê-lo.

site: leootaciano.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Abel Coelho 22/09/2011

Não se enganem com o nome do livro, não é auto-ajuda. É um livro sobre a vida, tanto nos seus momentos bons quanto ruins. Todos vão se apaixonar por Sam, o protagonista. Ele tem onze anos, coleciona histórias e fatos fantásticos para seu livro, com seu amigo Felix, e tem leucemia. É uma leitura que eu recomendo. Ela é fácil, porém encantadora.

Pamela, 3°ano "C" Vespertino.
comentários(0)comente



silastorres 27/12/2010

emocionante.
no inicio tive um certo preconceito. achava que era livro de auto-ajuda pelo título, depois achei que era algo muito leve, com narrativa leve, vocabulário leve e história leve. foi onde me desviei da verdade, pois o livro é REALMENTE LEVE de se ler, e fácil e rápido, mas a história, e o modo como essa facilidade o envolve são PERFEITOS. ótimo livro.

MUITO bom mesmo.
comentários(0)comente



Natália 22/07/2014

“Quando você estiver lendo isso, provavelmente já estarei morto”
O livro se trata de um diário, cheio de listas e recortes, numa narrativa (em primeira pessoa) de Sam, um menino de 11 anos, com leucemia sem cura, que está a “espera da morte”.

É uma leitura fácil, gostosa, dinâmica e cativante. A narrativa não é apelativa ao drama ou a doença. Eu devorei o livro em questão de algumas poucas horas, logo que chegou a minha casa.

É divertido e emocionante, principalmente pelo amigo de Sam, Félix. Esse também tem um cancer terminal, mas está sempre tentando aproveitar a vida ao máximo, sem se render a doença.

A cada página, uma emoção diferente que nos faz questionar a vida, e o que andamos fazendo da nossa própria.

Logo no começo Sam diz “Quando você estiver lendo isso, provavelmente já estarei morto”, portanto já sabemos o que esperar do final, mas toda a trajetória é envolvente e emocionante, cheia de surpresas.
É um livro para não se tirar conclusões precipitadas... não julgar pelo título, nem pela capa, e nem pelo que se ouve dizer. Você vai se surpreender.

E, também temos a versão cinematográfica do livro. O filme foi lançado em 2010, com o título de "Viver para sempre", em português.
Os direitos do livro “Como Viver Eternamente”, de Sally Nicholls, foram adquiridos pela produtora Life and Soul.

Resenha publicada no blog "Livros com bolinhos"

site: http://livroscombolinhos.blogspot.com.br/2014/07/resenha-como-viver-eternamente.html
comentários(0)comente



César 15/12/2009

Um dos melhores que li até hoje
É uma mistura de sensações ao ler este livro, dá risadas, fica com raiva, chora, comove.
Mostra como a vida e a morte é encarado do ponto de vista d um garoto e servindo como lição de vida para muitos.

Um livro recomendadíssimo!!
comentários(0)comente



João 02/09/2014

Cada minuto realmente conta!!!
Livro muito bom, simples e emocionante! Realmente vivemos tudo junto com o Sam, todas as suas dúvidas, questionamentos e conquistas. Personagens super carismáticos tendo como destaque o melhor amigo Félix. Nos últimos capítulos confesso que fiquei torcendo pra não acabar. Super recomendo!
comentários(0)comente



Joy 15/01/2016

Inocente e puramente lindo
Um livro super lindo de se ler, com uma escrita tão pura e inocente. É daqueles livros para nos fazer lembrar do que vale a pena na vida.
comentários(0)comente



Bruno Freitas 04/05/2015

Rápido e ligeiro
O romance Como Viver Eternamente é super agradável de ler! A leitura te envolve completamente e quando você se dá por si, a história já está na reta final.

Como Viver Eternamente foi lançado em 2008 no Brasil pela Geração Editorial e é o romance de estreia da simpática e aclamada escritora Sally Nicholls. O enredo narra a história de Sam, um garoto de apenas 11 anos, que gosta de colecionar histórias e fato fantásticos e é portador de leucemia.

O livro é narrado em primeira pessoa pelo personagem principal Sam e foge da melancolia, o que torna a história interessante. Sam sabe que tem poucos meses de vida e a meta é aproveitar cada minuto. A cada página do livro, o leitor entra no mundo de Sam e acaba se divertindo com o dia a dia do garoto.

O livro tem 232 páginas, é divido em curtos capítulos, as letras são bem espaçadas, tem ilustrações, listas feitas por Sam e conta com uma diagramação diferente e descontraída. Tudo isto aliado a linguagem de um garoto de 11 anos (a autora cumpriu muito bem este papel) ajuda na agilidade e na compreensão do enredo, assim, Como Viver Eternamente pode ser lido em pouquíssimas horas.

Ahhh... O livro é ideal para os pré-adolescentes e adolescentes que gostam de ler ou que ainda não tem o hábito da leitura. Super recomendado!

site: http://livroeprosa.blogspot.com.br/2015/05/resenha-como-viver-eternamente.html
comentários(0)comente



Rafa 01/05/2014

Resenha - Como Viver Eternamente - Sally Nicholls
A primeira impressão que tive ao ler as primeiras páginas de Como Viver Eternamente se denota na sensibilidade por trás da história do personagem principal. Sam é um garoto doce e bom, gosta de descobrir coisas novas (de preferência coisas objetivas), estuda em casa juntamente com seu melhor amigo Félix, escreve listas, tem uma irmã mais nova chamada Bella, gosta de fazer perguntas sem respostas (perguntas que ninguém pode responder), ele tem apenas 11 anos e como tal a narrativa em 1ª pessoa discorre conforme a mente dele nos guia. Esta é a história de Sam, talvez você se pergunte por que valeria a pena ler esse livro... Eu simplesmente digo que vale!

Já que você já conheceu um pouco de Sam, agora podemos passar pela parte dramática do livro. Ele tem leucemia, um tipo de câncer que geralmente tem cura, ele sofre com isso... não quero prolongar nesta parte porque sei que muita gente não quer spoilers. Ao passar dos capítulos, percebemos a inocência de como Sam trata seu câncer, é de cortar o coração. Sam contar com sua família, o pessoal da clínica, sua professora, seu melhor amigo Felix e às vezes desabafa consigo mesmo.

É um livro muito fácil de ler, tem apenas 232 páginas, muitas ilustrações, folhas e mais folhas com listas do que Sam gostaria de fazer, algumas perguntas aleatórias que Sam provavelmente gostaria de verificar a resposta, mas não as tem. Suas listas eram um meio de verbalizar o que gostaria de fazer, seus sonhos, seus desejos, de aproveitar o máximo de seus dias, até porque cada minuto conta, a coragem ganha força e os sonhos se tornam realidade. As notas de referência pareciam mais um parágrafo da história, Sam explicava o significado como se fosse parte da próxima linha.

As citações nas listas marcam ainda mais a narrativa, as emoções florescem na medida que Sam demonstra seus desejos, ele se expressa como se fosse tudo normal, como se não houvesse perdas, não houvesse doença, como se tudo fosse mil maravilhas, mas mesmo assim ele se perguntava o motivo de Deus ter que fazer aquilo com as crianças doentes... Ele tinha várias respostas, Felix o ajudava sempre, mas nem sempre gostava das dele.

A família de Sam não consegue lidar muito bem com a doença dele. O pai o ignorava às vezes, a mãe já não gostava de tocar no assunto. Então Sam tenta se refugiar em seu quarto escrevendo seu diário (seu livro, sua história). Lá ele conta como conheceu Félix, as diversões que eles aprontaram na clínica, entre outras histórias divertidas...

Sally Nichols me surpreende nessa narrativa tão mágica. É óbvio que lenços são muito bem-vindos nas páginas finais do livro, mas quem imaginaria que eu iria usar logo nas primeiras páginas? Eu usei! É fato que muita gente vive como Sam, e Como Viver Eternamente me emocionou muito, pois eu regia com seus sentimentos e tudo aquilo me pareceu muito real, fui envolvido completamente.

É um livro muito triste, no qual nós paramos para refletir sobre a vida, e me pergunto: o que é fundamental para mim, quanto tempo tenho para amar? As emoções afloram incontrolavelmente e se você não se segurar não vai conseguir terminar de ler sem manchar o livro. Com toda certeza eu recomendo, afinal eu favoritei 5 estrelas e quero ler de novo! ♥

site: http://www.leiturasvivas.com/2014/05/resenha-como-viver-eternamente-sally.html#more
comentários(0)comente



Camila Márcia 13/06/2014

Emocionante, devastador, delicado e inesquecível!
Como Viver Eternamente é a história de Sam, uma criança de 11 anos que tem câncer e sabe que irá morrer. Sam começa a escrever um livro sobre sua vida, sonhos e o que gostaria de realizar antes de sua morte. O livro escrito por Nicholls nada mais é do que o livro que está sendo escrito por Sam.
De forma delicada ficamos conhecendo a família de Sam: sua mãe uma mulher sentimental e forte que tenta lidar com a doença do filho; seu pai um homem que vive em negação, para ele Sam está cada vez melhor e se nega a aceitar que um dia não o terá mais ao seu lado; Bella a irmão caçula que ao mesmo tempo em que ama o irmão, revolta-se pelo fato dele ter mais "direito" que ela e poder fazer as coisas que quer e ela não: como não ir a escola.
Também conhecemos Felix, o melhor amigo de Sam. Felix tem 13 anos e os dois se conheceram no hospital em um dos tratamentos em que faziam: Felix também está morrendo. Sam também apresenta seus avós e a família de Felix. Felix e Sam fazem de tudo para realizarem todos os itens da lista de desejos a serem realizados antes da morte, pois o tempo urge.
Como Viver Eternamente é um livro engraçado e muito sensível: é um retrato palpável das perguntas e questionamentos que uma criança tem diante de sua morte iminente, dúvidas e medos, mas, sobretudo, a tentativa de aproveitar cada minuto de vida que escorre por seus dedos.
Sam é doce e um exemplo de filho e amigo, quando Felix morre ele simplesmente fica arrasado e leva o leitor pela mesma trilha. É impossível não se entristecer com a morte de um grande amigo, principalmente quando a amizade era algo que dava cor aos seus dias. O leitor é capaz de sentir a dor se Sam e consequentemente seus medos. Para aqueles que já perderam alguém para essa doença será praticamente impossível conter as lágrimas. Simplesmente Sally Nicholls escreveu um livro em que somos induzidos a sentir todas as palavras.
Sei que ACEDE é o livro top de adolescente com câncer e que é quase impossível encontrar alguém que não o tenha lido, mas Como Viver Ternamente é uma história que muita gente que leu A Culpa é das Estrelas pode pensar ser algo genérico, mas não, ACEDE foi publicado em 2012 enquanto Como Viver Eternamente foi publicado em 2007, ou seja, a originalidade e a delicadeza presente nesse livro são incontestáveis. Atrevo-me a dizer que ri e chorei bem mais lendo Como Viver Eternamente do que quando li ACEDE.
Não obstante, devo reconhecer que cada livro toca leitores de determinadas formas, portanto, não podemos e nem temos o direito de compará-los. Minha real intenção é motivar a leitura de Como Viver Eternamente, é uma história fantástica que, com certeza, quem gostou de ACEDE irá amar, mas não julguem um melhor que o outro antes de conhecer suas respectivas histórias: sintam e depois formem suas opiniões.
Em suma, amei Como Viver Eternamente e me emocionei muito: histórias de adultos e adolescentes com câncer temos aos montes, mas e histórias de crianças com câncer? Ponto para a escritora Sally que desenvolveu uma narrativa tocante e emocionante sobre o sentimento de uma criança que, certamente, é comum quando se tem câncer, mas que é demasiado duro e triste ver e sentir.
Minha dica é: leia Como Viver Eternamente quando realmente tiver tempo, porque ao virar a primeira página é quase impossível largá-lo antes do final da história, apesar de ter 232 páginas a leitura flui de forma tão mágica que em algumas horas você perceberá que já terminou a leitura e traz lágrimas nos olhos, portanto, não esqueça de se abastecer com lencinhos, provavelmente irá precisar.

Camila Márcia

site: http://www.delivroemlivro.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Ka 04/09/2015

Lições do Sam. . .
Sam ama fatos. Ele é curioso sobre óvnis, filmes de terror, fantasmas, ciências e como é beijar uma garota. Como ele tem leucemia, ele quer saber fatos sobre a morte. Sam precisa de respostas das perguntas que ninguém quer responder.
‘’ Como Viver Eternamente”, é o primeiro romance de uma extraordinária e talentosa jovem autora. Engraçado e honesto, este é um livro poderoso e comovente, que você não pode deixar de ler.
A autora tem apenas 23 anos e embora seja seu primeiro livro, ele está sendo lançado em 19 países, dirigido a crianças, adolescentes e adultos.
O livro durante as suas narrativas apresenta listas sobre fatos que o personagem julga ser importante (ali já ganhou meu amor, fato sobre mim eu faço lista pra tudo, até listo o que precisa ser listado).

O assunto é tão delicado quanto impactante, mostra o quanto uma situação pode aproximar, afastar e tornar pessoas tão diferentes amigas ...você já sabe qual será o final da história, mas isso não a torna menos dolorida!

Porque eu gosto de histórias triste? Eu não gosto de histórias triste, eu gosto de histórias que me lembram a sorte que eu tenho e que constantemente eu devo agradecer por isso!
A história nos envolve de um jeito que as páginas vão passando e de repente começa o aperto no coração porque você não quer que acabe; espero que todos em algum momento da vida percebam que não importa o quais sejam os obstáculos que nos separam de grandes feitos (mesmo que sejam grandes só para nós mesmos) desejo que todos possam sentir o que provavelmente o Sam sentiu no dirigível!

Queria poder gritar pro mundo : Leiaaaam esse livro!
comentários(0)comente



Jakelline 17/07/2014

Este livro é realmente maravilhoso!
É uma história muito linda, apesar de triste. Sendo contada em primeira pessoa,a leitura é muito rápida e assim temos a sensibilidade de acompanharmos os últimos momentos de uma criança com câncer!
Com seu olhar inocente e encantador, o personagem nos mostra como é importante realizarmos nossos sonhos e aproveitarmos cada momento com aqueles que amamos. A felicidade pode ser encontrada em cada detalhe!!

Esta é uma leitura recomendada à todos.
comentários(0)comente



150 encontrados | exibindo 91 a 106
1 | 2 | 3 | 7 | 8 | 9 | 10