A Chave para Rondo

A Chave para Rondo Emily Rodda




Resenhas - A Chave Para Rondo


10 encontrados | exibindo 1 a 10


Milena.Oliveira 30/06/2020

Amei essa historia. Ja quero ir pra Rondo
Historia cheia de surpresas, referências aos nossos contos de fadas, magia, amizade....adorei o mundo de Rondo
Ja quero ler o próximo livro
comentários(0)comente



Nat 06/03/2015

“A vida de Leo Zifkak mudou para sempre no dia em que ele se tornou dono da caixa de música.”

Ele não sabia disso, é claro. Mas se sentiu muito especial quando herdou a caixa de música que já era um tesouro da família Langlander. A antiga dona da caixa de música, a tia-avó de Leo, todo ano oferecia um chá para a família, quando dava a corda três vezes, abria a tampa e a música começava a tocar. Ela sempre seguia a regra de girar a chave só três vezes, seguindo a orientação do tio Henrique, e por Leo ter a mesma índole do tio (de fazer tudo de acordo com as regras), ele herdou a caixa de música. Quando Mimi Langlander, a prima antisocial de Leo, vai passar uma temporada em sua casa, ela acaba girando a chave três vezes, trazendo para o mundo deles uma feiticeira, a Rainha Azul, que rapta o cãozinho de Mimi. Decidida a buscar o animalzinho, ela decide entrar no mundo da caixa e Leo acaba indo junto. No mundo de Rondo, eles passam por muitas aventuras, fazem alguns amigos e percebem que sua família está muito mais envolvida nos acontecimentos de Rondo do que eles jamais poderiam imaginar.

Eu sempre tive curiosidade para ler esse livro. A capa me chamou atenção e quando eu soube que a autora era a Emily Rodda, fiquei mais curiosa ainda. Adorei a leitura porque a narrativa é leve, o livro é simples, com capítulos curtos e muitos diálogos, e a trama deixa você ansiosa para descobrir em que tipo de situações Leo e Mimi vão se envolver em Rondo e se eles vão conseguir derrotar o mal que assola o lugar. O ponto alto do livro é que no mundo de Rondo existe um mesclagem de elementos e personagens dos contos de fadas com os de Rondo. Outra coisa que gostei foi a ilustração da capa e a diagramação primorosa da editora Fundamento. Não vejo a hora de começar a sequência. Livro mais que recomendado.

site: http://ofantasticomundodaleitura.blogspot.com.br/2015/03/a-chave-para-rondo-de-emily-rodda-dl-do.html
comentários(0)comente



Valentina 14/01/2015

Surpreendente
Pedi esse livro para a minha vó no meu aniversário de 10 anos mas quando comecei o livro parei quase na metade, o vocabulário continha algumas palavras que eu não conhecia e quem não são muito usados nos tempos atuais. Isso me fez abandonar o livro. Então no final de 2014 senti uma vontade enorme de lê-lo. Reli até chegar onde tinha parado da primeira vez. Rondo pra mim é uma segunda Nárnia, repleta de criaturas fantásticas, guerras, a Rainha também muito cruel, e com crianças que descobriam esse mundo por acaso. O que me incomodou um pouco foi que o livro é extremamente detalhado e isso fez minha leitura ser mais lenta. Ainda me chateia que ele não tenha sido adaptado para o cinema, Essa história é muito cativante, eu me envolvi tanto com os personagens que quando fechei o livro hoje de manhã fiquei com um aperto no coração, saudades. Ao dar uma primeira olhada na sinopse e descobrir que é um infanto-juvenil você pode pensar que é uma história previsível e água com açúcar mas não é não. Todos que gostam de aventura e fantasia vão gostar desse livro. Completamente impressionante, do meio para o final acontecem muitas reviravoltas e o leitor não sabe mais em quem confiar e quem está falando a verdade. O final me surpreendeu muito. Estou doida pelo O Mago de Rondo. Boa leitura!
comentários(0)comente



Pablo 11/05/2014

Não tem muito o que falar sobre o livro, é uma história normal de fantasia, onde o algo de inesperado acontece e que no final tudo se resolve.

Mas ainda assim, é uma ótima história e que foi um prazer de ler, com certeza recomendo.
comentários(0)comente



Fillipe Gontijo 09/03/2013

A viagem é mais importante do que o destino.
"A Chave para Rondo" é o primeiro livro da nova série de fantasia da autora Emily Roda, da série Deltora Quest. Embora seja cativante, o livro conta com um enredo central relativamente comum, em se tratando de fantasia. Dois primos (Leo Zifkak e Mimi Langlander) descobrem um mundo mágico, chamado Rondo, preso em uma inocente caixinha de música, herdada por Leo de sua excêntrica tia. Há uma série de regras que o dono dessa caixinha precisa seguir e quando os primos desobedecem uma delas, algo improvável acontece. Uma feiticeira azul e dissimulada salta de dentro da caixinha e rapta o inseparável amigo de Mimi, seu cãozinho Brutus. Decidida a resgatar seu bichinho, Mimi acaba por entrar no mundo da caixinha, levando seu temeroso primo consigo. Lá, envolvem-se em uma série de desventuras e conhecem várias figuras pitorescas que os incluem em uma previsível luta compra o mal que assola aquele lugar.

Apesar de ser um universo fantástico incrível, Rondo acaba perdendo força por constituir-se de um entrelaçamento de elementos de contos de fadas clássicos. Fórmula em alta atualmente que, nesse caso, acaba por diluir o brilho e o gosto especial de Rondo. No início da leitura, me surpreendi com o que havia em Rondo e cheguei a associá-lo ao incrível mundo de Oz. Não há semelhanças sólidas entre eles, mas vejo uma consonância entre alguns elementos bizarros de Rondo e os de Oz. Rondo não precisava de sua ligação com os contos de fadas clássicos para ser mágico. Seus elementos originais são bons o suficiente para se sustentarem sem se apoiar tão diretamente nos clássicos.

Diante dessa reconstrução e mescla dos contos de fadas, vale chamar a atenção para a reformulação de alguns personagens, como é o caso da porca Berta. A porca de guarda é inesquecível, com seu ego gigantesco e certa inocência que derrete qualquer coração. Vale lembrar também de dois tipos de seres que habitam Rondo: os floquinhos e os salpicos. São elementos secundários da história, mas que não deixam de serem divertidos e de atribuírem um brilho especial à trama.

Em relação à escrita, o livro é bastante simples. Os capítulos são curtos e cheios de ação. Há muitos diálogos e os esporádicos trechos descritivos são curtos, mas satisfatórios. O livro é composto por uma narrativa direta que é permeada por alguns pensamentos do protagonista. Talvez, alguns trechos poderiam ter sido melhor trabalhados, com intenção de cativar ou mesmo intrigar o leitor com mais eficiência. O texto não é justo com a mágica de Rondo. Aos olhos do leitor e ao longo do texto, há uma sensação de que Rondo é maior e mais encantador do que as palavras da autora são capazes de nos fazer enxergar. Quando o livro acaba, desejamos conhecer mais da mágica de Rondo e que seja realmente mais mágico.

Leia mais resenhas do "Entre as orelhas": http://www.asorelhas.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Delly 23/01/2013

Algo entre Nárnia e o filme Jumandi

Leo Zifkak sempre foi o tipo de garoto em que todos confiam: sério, responsável e com um grande senso de responsabilidade; na escola ele tinha as melhores notas; e ele nunca desobedece às regras. Então é claro que ele era a primeira opção para a sua Tia-avó Bete deixar uma caixinha de música que vinha acompanhada das seguintes instruções...

Importante!
Gire a chave apenas três vezes
Nunca gire a chave enquanto a música estiver tocando
Nunca asegure a caixa enquanto a música estiver tocando
Nunca feche a tampa ante da música acabar

A caixa de música estava em poder da sua família há anos. Os pais de tia Bete deram para o irmão mais velho dela, Jorge Langlander; e depois que esse último desapareceu (fugindo da polícia), a caixa foi parar nas mãos de Henrique Langlander - o irmão adorado por tia Bete e com o qual Leo sempre é dito como muito parecido, para sua total frustração.

Tia Bete estava completamente certa ao pensar que Leo jamais quebraria nenhuma das regras pregadas no funda ca caixa, mas as regras tivessem sido seguidas esse livro não existiria.

Então, se Leo não quebrou as regras, mas as regras foram quebradas, está faltando um personagem por aqui. Ou melhor, uma personagem: Mimi Langlander. A filha da prima da mãe de Leo. Ninguém da família ía muito com a cara da garota, o que não é para menos: a garota é a pessoa mais esquisita e metida que ele já teve o desprazer de conhecer; além de ser uma criatura muito intrometida.

Com a morte de tia Bete os pais de Mimi vão para uma segunda lua de mel na Grécia e não tinha ninguém para ficar com a garota, a não ser Suzana - a mãe de Leo. O pai dele até que tenta convencê-la do contrário, mas ela sabe que realmente a prima não tem mais a quem recorrer para ficar com a garota.

Desde a primeira vez que Mimi foi à casa da tia Bete e que viu a caixinha de música tocando, causou encrenca: a música parava de tocar antes de terminar! Seria preciso girar a chave apenas mais uma vez para que a música tocasse até o fim. A bondosa tia Bete ficou escandalizada, mas contornou - ou tentou contornar, a garota de forma simpática lendo as regrinhas embaixo da caixa.

É claro que Mimi Langlander não se deu por vencida, mas sua mãe foi rápida e tirou-a de lá com a desculpa de que estava na hora de ir embora. E a primeira oportunidade que ela teve de girar a chave da caixa de música quatro vezes na casa de Leo ela o fez. Leo ficou muito zangado. Só que algo estranho aconteceu. Da caixa de música saíram duas borboleta azuis!

Os dois voltam a girar a chave mais quatro vezes e dessa vez saem ainda mais borboletas. Então eles comentem um erro: giram a chave seis vezes. Se quatro giros eram o suficientes para borboletas e ratos saírem da pintura, seis fora o suficiente para uma pessoa sair. Não uma pessoa qualquer, mas a própria Rainha Azul.


Continue lendo: [http://atravesdanevoa.blogspot.com.br/2013/01/resenha-chave-de-rondo-emily-rodda.html]
comentários(0)comente



Clara Beatriz 19/03/2012

http://maravilhosomundodetinta.blogspot.com.br/2012/03/resenha-chave-para-rondo-emily-rodda.html
comentários(0)comente



Quemlefazfilme 27/09/2011

A Chave para Rondo por www.quemlefazseufilme.com.br
A Chave Para Rondo
Título Original : The Key to Rondo
Emily Rodda
Editora Fundamento

Respirou fundo. "Está bem", pensou. " Você diz que aquelas borboletas saíram da caixa de música. Sem considerar o fato de que isso é impossível, por que elas não fizeram isso antes ? Alguma vez você viu borboletas azuis voando pela casa da tia Bete ? Não ! Havia borboletas no seu quarto ontem ?
Não ! Então, por que elas de repente apareceram hoje ? "
" Porque hoje elas tiveram a oportunidade de aparecer. Porque hoje, pela primeira vez nos últimos oitenta anos, a chave da caixa de música foi girada quatro vezes em vez de três. "

Talvez Tia Bete acreditasse que assim como ela, Leo levaria as regras a sério. E realmente era essa a sua intenção, mas a prima Mimi com seu inseparável cãozinho Brutus, estava hospedada na casa de Leo e não levava as regras muito a sério. Ela não precisou de muito tempo para provar para Leo que ele poderia girar a chave mais de três vezes que nada aconteceria.

O que nenhum dos dois poderia imaginar era o que aquela caixinha de música toda decorada e encantadora poderia esconder por trás daquelas regras, chaves e melodias.

Leo e Mimi terão que descobrir os perigos desse novo mundo, aprender em quem confiar para chegar até o cãozinho Brutus e entender a estranha ligação dos Langlander com aquele lugar.

Emily Rodda, depois do grande sucesso da série Deltora Quest, cria um universo mágico chamado Rondo. A começar por incríveis borboletas azuis, passando por Salpicos que mais parecem biscoitos ladrões de comida e vilões realmente ardilosos, somos apresentados a uma trama cheia de inimigos e descobertas inacreditáveis.

Como quem lê faz seu filme, eu amo me sentir criança novamente. E é aqui na coluna Kids que normalmente isso acontece.
Em A Chave de Rondo, a conexão acontece logo nas primeiras páginas. Um estilo certeiro de escrita acompanhado do enredo que nos leva ao mundo onde tudo pode acontecer e borboletas encantadoras distribuídas estratégicamente nas páginas do exemplar, são brindes extras que a leitura proporciona.
Ver os olhinhos dos filhos brilhando, sofrendo e rindo com a pata maluca, a porca de guarda e trolls sem dentes, realmente não tem preço.

A Chave Para Rondo é uma deliciosa aventura fantástica capaz que unir jovens e adultos na grande viagem que é a leitura.

*** Leia a resenha completa em :
http://www.quemlefazseufilme.com.br/2011/09/chave-para-rondo.html
comentários(0)comente



Ju Oliveira 06/09/2011

O menino Leo, herdou de sua família uma Caixa de Música, que já estava na família a muitos anos. Uma caixa comum, mas com algumas regras curiosas: Girar a chave apenas três vezes, nunca girar a chave enquanto a música estiver tocando, nunca segurar a caixa enquanto a música estiver tocando e nunca fechar a caixa antes da música acabar.

Leo, como bom menino, nunca teve a intenção de quebrar essas regras. E foi exatamente isso o que fez sua prima Mimi. E então, coisas muito estranhas começam a acontecer. Alguns desenhos da caixa de música criaram vida e sairam da caixa diretamente para o quarto de Leo. Foi assim então, aberto o portal para Rondo, um mundo mágico contido na caixa de música.

Quando a maléfica Rainha Azul sai de dentro da caixa e sequestra o cãozinho de Mimi, ela não tem outra opção a não ser seguir a Rainha Azul para tentar recuperar seu amado cãozinho. Leo, mesmo a contragosto resolve seguir sua prima. E então, tem início a maior aventura de suas vidas.

Chegando à Terra mágica de Rondo, eles ficam ficam completamente fascinados com tudo o que vêem. Tudo o que Leo via desenhado na sua caixa de música tem vida própria em Rondo. Animais falantes, pequenas fadas e grandes monstros. Eles acabam fazendo alguns bons amigos lá, como a porca falante e vaidosa Bertha e o humilde casal Joca e Polyana. E também alguns perigosos inimigos que estão atrás deles a mando da perigosa Rainha Azul.

Em sua fantástica jornada em busca de Brutus, o cãozinho de Mimi, os primos acabam descobrindo que não é por acaso que eles foram parar em Rondo. Descobrem que há muitos segredos que foram escondidos por várias gerações de sua família. E eles irão até o fim para desvendar todo esse mistério e reaver o cãozinho.

Gostei muito da história dos primos Leo e Mimi. Com capítulos curtos e empolgantes, esse é o primeiro livro de uma série. Durante a leitura, ficava imaginando o livro como um filme, bem ao estilo História sem Fim e Ponte para Terabítia. A leitura é bem infantil, apesar do livro ser grande, mais de 300 páginas. Com certeza será um ótimo presente para a criança que já está mais familiarizada com a leitura. Agora que terminei, vou fazer meu filhote de 10 anos ler. Tenho certeza que ele vai amar essa aventura. Recomendo!

http://juoliveira.com/cantinho/a-chave-para-rondo/
comentários(0)comente



Susu 27/06/2011

Relendo...
Estou relendo porque, além de ter gostado bastante quando li pela primeira vez, faz tempo que li e quero ler O Mago de Rondo (o qual comprei quando chegou nas livrarias)com toda a história bem fresquinha na minha cabeça!!!
Super recomendo este livro e estou super ansiosa para ler a sequência!!!
Raí 28/06/2011minha estante
Oi, a sequencia do livro a chave para rondo é o mago de rondo?? qual é o primeiro livro?? pois, eu tinha pesquisado na net, e naum vinha dizendo qual era o nome da serie


Susu 29/06/2011minha estante
Isso mesmo! O primeiro livro é a Chave para Rondo e o segundo é o Mago de Rondo...




10 encontrados | exibindo 1 a 10