O Vermelho e o Negro

O Vermelho e o Negro Stendhal




Resenhas - O Vermelho e o Negro


148 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


va 08/08/2020

A ambição de um jovem
O vermelho e o negro é daqueles livros que nem os personagens em si nem a história estão em segundo plano. Um é premente ao outro, o que Stendhal mostra aqui não são os acontecimentos, mas o que eles fazem nos personagens.

A obra se passa no século XIX, durante a Restauração, e conta a vida de Julian Sorel, um jovem e pobre camponês, que possui talento e inteligência e é movido por uma forte ambição, orgulho e desejo de ascensão social. Jovem crítico aos costumes e valores da época, denuncia a hipocrisia e, no entanto, se vê entrelaçado à ela pela trama.

Além disso, nosso protagonista tem como herói a figura de Napoleão, e muitas vezes se espelha nele e enxerga o passado como prazer de reconstituição.

Os personagens são paradoxais em uma época cheia de contradições e valores incertos. Nesse contexto, acompanhamos as várias nuances de Julian Sorel e as mudanças que os acontecimentos de sua vida operam no caráter nele.
Márcia 08/08/2020minha estante
Eu amo este livro, ainda sinto o quanto ele me abalou mesmo após 16 anos da primeira vez que li. O final é perfeito e extremamente satisfatório.


va 08/08/2020minha estante
simm, eu amo no final a mudança pela qual os pensamentos do julian passam, é quando ele percebe o que é realmente importante




@olivronaestante_ 29/07/2020

Herói de quê?!
O livro se passa na França do século XIX e acompanha ?nosso herói? Julien Sorel em sua jornada rumo a ?glória?. Julien é um jovem que não se encaixa nos padrões, nem de sua família, nem da sociedade e nem nenhum. Julien tem o belo exemplo de seu ídolo Napoleão Bonaparte, que veio do nada e se tornou uma pessoa gloriosa, antes de cair, como era bem comum naquela época. Então com a motivação de ?se ele conseguiu, eu também consigo? Julien vai! E começa galgar uma posição dessa sociedade podre que ele nem suporta. Naquela época não existia meios de ascender socialmente, a não ser pelo exército ou pelo clero (O Vermelho e o Negro). Como não estava acontecendo nenhuma guerra, (porém rolava muita tensão entre as classes), o exercito não era uma opção, então Julien se infiltra no clero onde surgem oportunidades e ele muito esperto, aproveita todas. O que ele quer?! Ninguém sabe e nem ele.

O narrador é onipresente, onisciente, debochado e tem umas tiradas sensacionais! Com uma narrativa rápida porém as vezes confusa, quando se passa, sem aviso, da cabeça de um personagem para o outro, tudo num monólogo interno. Muitos desses monólogos internos transcorrem páginas e páginas durante umas neuras, umas angústias do tipo: ?ela não olhou pra mim essa noite, será que não gosta mais de mim??. Stendhal é cristalino na descrição dos sentimentos (essa frase peguei de uma matéria). Me peguei muitas vezes assentindo com a cabeça perante essas descrições por concordar plenamente que é assim mesmo que nos sentimos às vezes. Entrar na mente desses personagens também é muito interessante porque vemos as grandes porcarias que eles achavam que eram e as futilidades com as quais se preocupavam e esses pensamentos são reflexos da época e Stendhal critica tudo e todos!

Julien é um dos melhores personagens da literatura. Cheio de camadas, frustrações e esperanças. Tudo em meio a uma sensação de não pertencimento. Na minha opinião, Julien Sorel é acima de tudo um garoto ingênuo e incompreendido.

Se eu pudesse dar dois conselhos sobre e esse livro, seriam: LEIA! E escolha bem sua edição! Opte por uma boa tradução e uma edição com fortuna crítica, você vai precisar se contextualizar. Essa leitura vale cada centavo do seu investimento. Minha edição é muito ruim e acho que estragou um pouco minha experiência.
comentários(0)comente



Lilian 28/06/2020

Realmente um clássico...é o tipo de livro que precisa ser lido na vida....
comentários(0)comente



Carol 14/06/2020

Sorel é um pau no cu que não sabe o que quer
Curti muito o fato de Sorel detestar a burguesia mas sinceramente o cara num sabe o que quer no amor. Vá fazer terapia, meu filho.
Caio 16/06/2020minha estante
Puta merda, você consegue me emprestar isso depois?




Null and void 11/06/2020

Romântico
Achei a leitura um pouco maçante, mas o tempo e a história de Julien são muito bem construídos. Os amores são dramáticos e leais. Stendhal me rendeu um curto poema sobre uma palavra nova no meu vocabulário.
comentários(0)comente



ricardomarçal 26/05/2020

Julien Sorel é um jovem talentoso e ressentido que pretende alcançar a grandeza a exemplo de seu ídolo, Bonaparte. Ele oscila entre o cálculo - iludindo-se quanto a acomodar suas "conquistas" amorosas à "estratégia" - e a crença em sua superioridade e predestinação, colocando-se cada vez mais em rota de colisão com a própria autoimagem.
comentários(0)comente



Michele 22/05/2020

Crônica do século XIX
A história de Julien se enlaça com a história da França e da Europa nesses tempos tempestuosos (1830) de modo que muitas vertentes políticas, castas sociais e até mesmo subdivisões de crenças dentro do clero dividem as pessoas, forçando-as a se unir ou se separar daqueles que tendem a lhe ser prejudiciais ou amistosos.
A obra é considerada pioneira no realismo e narra o período de vida de Julien Sorel dos seus 18 aos 23 anos, revelando, seus talentos, sua personalidade peculiar, suas paixões, dilemas etc.
A caracterização psicológica dos personagens é levada ao extremo. Por meio de um narrador onisciente o leitor tem acesso aos pensamentos (dilemas, tomadas de decisões, anseios, equívocos etc) de cada um dos personagens.
O amor difere dos romances tradicionais principalmente pela falta de idealização dos personagens (heróis) que não possuem caráteres perfeitos. Julien é muito mais um anti-herói e as suas amadas também são cheias de fraquezas (sim, a história possui duas mulheres que serão alvo das paixões de Julien e ele alvo de suas paixões). Outra questão é o quanto esses amores se apresentam de forma incoerente com o padrão tradicional. A primeira amada Sra. De Rênal é uma mulher casada e a segunda Srta. De La Mole, apesar de esteticamente perfeita e socialmente bem colocada, possui uma natureza complicada e se entrega ao seu amado sem os enlaces matrimoniais.
O fato de acompanharmos dois amores na vida de um personagem (Stendhal dizia ter sido o primeiro a fazer uso de duas heroínas) leva-nos a observar algo pouco explorado na literatura (especialmente neste período) que é o “segundo amor”. Com a Sra. de Rênal, Julien tem as descobertas do seu primeiro amor, ele é ainda um menino quando a conhece e precisa passar uma noite com seu amigo (que no caso tem uma conversa com ele sobre mulheres) para saber o fim que deve dar a esse sentimento que o perturba, enquanto com a Srta. de La Mole, o segundo amor, ele compara desde o início com a sua amada anterior e em sua primeira noite juntos ele sente o vazio dos amores de Paris e precisa lutar pela conquista porque Mathilde o vê apenas como um rapaz diferente que serve para quebrar sua rotina e logo se arrepende de ter se entregue a ele.
Tudo isso e mais o fato de termos um protagonista que vem da camada mais pobre da sociedade da sua época em confronto com as outras camadas, levantando todas as possibilidades de preconceito e injustiças, tornou essa obra uma das minhas leituras preferidas não apenas deste ano como também entre todas as minhas experiências literárias.


site: https://www.youtube.com/channel/UCAiU90oAhhCvJ-7ZKCdzzkg
comentários(0)comente



Marcos 14/05/2020

Impressionante a infiltração do autor no espírito de Julien, que pensa assim como nós. Cheio de dúvidas e aflições com os próprios sentimentos e sonhos.
comentários(0)comente



Kira 27/04/2020

Bom mas enfadonho
Não achei uma história incrível mas apenas um fiel e interessante relato da França do século XIX e a busca incessante de Julien por um lugar na aristocracia que o fez ser uma pessoa ainda mais desprezível.
comentários(0)comente



Fábio 19/04/2020

A mentalidade da França em 1930
Gostei bastante do livro. É um clássico que sempre me chamou a atenção por ser considerado percursor do romance realista e psicológico. Quem gostou do estilo de Madame Bovary vai gostar da maneira de como a história e os personagens são retratados por Stendhal. É um mergulho na mente e na época da França durante o período da restauração, um período de conservação da monarquia e do clero após a queda de Napoleão. Desse modo, o embate de valores e objetivos das personagens são bastantes interessante, mesmo em uma trama simples sobre a ambição de um jovem camponês chamado Julien Sorel.
comentários(0)comente



Fabiana 17/04/2020

Julien Sorel, um dos personagens de que menos gostei e, na verdade, não estava gostando do livro também. Contudo, a reviravolta no enredo foi uma baita surpresa. O final é fantástico (se é que posso classificá-lo assim). Vale a leitura, afinal os verdadeiros clássicos o são por isso mesmo. Além disso, as representações dos significados enigmáticos do título da obra são para pensar. Gostei bastante.
comentários(0)comente



MICHELLY OLIVEIRA 11/04/2020

Difícil
Adoro livros clássicos mas esse quase pensei em abandonar. Da metade pro fim é que fica interessante. Terminei sem saber se realmente captei a história.
comentários(0)comente



Rodrigo 10/04/2020

Ganância X Amor
Sonhos, vontades, desejos, ganância, amor, tesão, inveja, arrependimento e inúmeros outros sentimentos fizeram de Julien, um jovem francês de 22 anos, uma das personagens mais instigantes da literatura mundial.
Quanta intensidade em uma história que me despertou todo o assombro de sentimentos.
Da mesma maneira, sinto-me totalmente encantado com tão bela narrativa que tem nas personagens sra. de Rênal e Mathilde uma excelência de sentimentos, levando-me do amor ao ódio em questão de linhas.
Sem dúvida, uma das melhores leituras da vida!
comentários(0)comente



Caesar 30/03/2020

Vermelho e o negro
Excelente romance, porém denso.
comentários(0)comente



Srta.Jay 18/03/2020

Clássico da literatura mundial, o livro conta a história de Julien Sorel e a história está situada na França pós napoleônica.
A leitura é densa, chegando a ser cansativa às vezes.
Nos capítulos finais a leitura fica mais interessante, pois aumenta a curiosidade do destino final de Julien.
comentários(0)comente



148 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |