O Vermelho e o Negro

O Vermelho e o Negro Stendhal




Resenhas - O Vermelho e o Negro


117 encontrados | exibindo 46 a 61
1 | 2 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8


Joy 11/10/2016

Um romance incrível, com um protagonista cativante e cheio de sutilezas humanas. Se for destacar algo que não curti, foi a construção das duas personagens femininas principais, malucas demais pro meu gosto, mas isso não desabona a obra em nada, apenas traz um toque de absurdo a tudo.
comentários(0)comente



carolina.trigo. 04/10/2016

O Vermelho e o Negro
O livro da vez é "O Vermelho e o Negro", do Stendhal, um romance considerado o mais significativo do século XIX na França.
Demorei para ler e demorei para fazer resenha por ser um livro com uma linguagem mais difícil e um tema que necessita de maior atenção.
A história se passa em volta de Julian Sorel, um anti-herói romântico, filho de um carpinteiro que sonha com uma vida melhor, gloriosa. Julian era muito inteligente, acima da média e estudava Teologia, chegando a decorar a Bíblia em latim! Além de trocar qualquer coisa por um livro clássico

site: http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com.br/2015/06/sugestoes-lidas-o-vermelho-e-o-negro.html
comentários(0)comente



Érika 03/10/2016

O Vermelho e o Negro
Por não ser muito o meu estilo de leitura e por estar há muito tempo sem ler, confesso que de início foi um livro que pouco me cativou. Talvez, aos poucos, eu tenha me adaptado ao estilo de leitura, ou o livro tenha se tornado mais interessante.
Eis que considero um bom livro para o meu retorno ao universo literário. Com um final que foge ao esperado (nos dias de hoje) e um enredo onde o protagonista nem sempre é o "mocinho", é uma história que mostra a importância do status e o efeito dos escândalos na alta sociedade.
comentários(0)comente



kunstkato 13/09/2016

Um excelente começo...
Por ser um livro escrito no séc XIX, achei bem mais fácil de ler do que imaginava.
Um protagonista revoltado com suas condições atuais buscando, a qualquer custo, viver na aristocracia francesa.
Envolvente, sedutor e inteligente, Julien Sorel sabe onde quer chegar e passa por cima de seus sentimentos. Conquista inúmeros inimigos no caminho.
Tem um final arrebatador.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Victor Vale 25/08/2016

Excelente livro que mergulha na mente do personagem Julien Sorel, um ambicioso homem a frente de seu tempo que demonstra claro entusiasmo a Revolução Francesa.
Livro de transição entre o romantismo, como demonstrado na primeira parte e no final da segunda parte do livro, e realismo. em toda obra onde a ambição e o uso das faculdades psíquicas são sobrepostas ao romantismo.
Uma obra indiscutivelmente necessária.
comentários(0)comente



Tais.Tcheis 22/08/2016

Difícil e incerto
Eu comecei a ler o livro e confesso que não gostei muito. Achei o palavreado bem chato e de difícil interpretação. Fiquei com essa sensação durante todo o primeiro livro. Foi no segundo que comecei a gostar e a entender. Percebi que o erro foi meu desde o início. É preciso lembrar que esse é um livro escrito em 1830 na França. A sociedade e os pensamentos da época diferem muito de hoje. As questões psicológicas são diferentes do que temos hoje. Quando finalmente aceitei isso consegui apreciar mais o livro.
comentários(0)comente



Mauricélia 12/08/2016

O vermelho e o negro
Narra a vida de Julien Sorel, jovem que quer a qualquer custo conseguir ser da aristocracia. Jovem pobre, não mede esforços para ser um emergente.
O narrador é onisciente e dessa forma também descreve a França e a sociedade da época, em seus costumes e preconceitos.
comentários(0)comente



diogofaria 29/07/2016

Diálogo interior
Esse livro me trouxe de volta ao mundo da literatura. Há muito tempo não vinha lendo livros fora do meu estudo e trabalho.

Foi reconfortante e envolvente.

O diálogo interior apresentado pelo narrador nos faz entrar realmente na história...
comentários(0)comente



Gustavo 28/07/2016

Um clássico para ser lido
O vermelho e o negro de Henri-Marie Beyle conhecido como Stendhal, é um clássico da literatura mundial publicado em 1830. A ação ocorre na França na época da Restauração napoleônica e antes da Revolução de 1830. Julien, o protagonista, é filho de marceneiro, apaixonado por Bonaparte (mas leva esse amor escondido dentro de ti), e faz de tudo para ser rico e ter ascensão social.

Sua história ocorre em 3 partes: Primeiro, o amor com Sra de Renal. Segundo, sua ida ao seminário, opta pela carreira eclesiástica. Terceira, o romance com Senhora de la more.
É um livro que entra no aprofundamento de bases psicológicas e veremos sua ascensão como seu declínio.

Por ser tão egocêntrico e hipócrita, se afoga na suas próprias ambições e não consegue se desvincular delas. Um ótimo livro, digo, indispensável para quem é leitor, livrólatra, bibliófilo por assim dizer. A todos que pretendem ter um currículo literário suntuoso, não deixem de ler ''O vermelho e o negro'' de Stendhal.
comentários(0)comente



Lieje Gouveia 23/07/2016

O vermelho e o negro
Um clássico da literatura francesa. Cenas da sociedade da província, os valores da época. Cenas da sociedade parisiense e toda a superficialidade das relações da época. O personagem Julien Sorel,jovem ambicioso tenta romper a solidez das castas. A aristocracia em decadência, os industriais e comerciantes em ascensão, tudo isso é mostrado de forma encantadora na obra magistral de Sthendal. O relato dos sentimentos de orgulho, desprezo e a grande influência da igreja e sua importância na corte, com o fundo das batalhas de Napoleão Bonaparte, os liberais e os monarquistas. Maravilha da literatura. Adorei.
comentários(0)comente



cristiano 05/06/2016

A fantástica saga de Julien (e de certa forma, da humanidade)
Um dos livros mais incríveis e fortes que já li. A história te chama, e enquanto não acabar é impossível ficar longe.

Julien, inteligente e ambicioso, tem um sério problema em 1830: ser filho de marceneiro, pobre e da província. A importância das castas sociais é uma realidade na França pós-Napoleônica. ( E Stendhal lembra sempre de escancarar a mesquinhez e futilidade da sociedade de Paris).
Sem rodeios, o autor mostra a ascensão financeira de Julien, sua paixão por uma mulher casada -aqui também fica claro os dilemas pessoais quando o assunto é o amor-, sua rápida passagem pelo seminário, onde mostra seu valor intelectual, mas também revela sua vontade de poder e status. E sua ida para Paris, onde enfrenta preconceito por ser subalterno na Mansão dos La Mole. Sobrenome que vai subjulga-lo ate o fim. Mathilde La Mole, uma especie de Natacha (de Guerra e Paz) que vive com Julien páginas dignas de Orgulho e Preconceito.

No final nos restar perguntar: Julien estava certo? Foi longe demais ou lutou pelos seus ideais? a Sociedade é correta? O poder e aparência, valem mais que a consciência?
comentários(0)comente



Debb Cabral 04/04/2016

O Gato leu: O Vermelho e o Negro
As mais de 600 páginas do livro passam de maneira rápida. Apesar da história não ter grandes reviravoltas e se centrar nos desafios diários do jovem, a leitura flui muito fácil. Acho que o grande mérito disso está no fato que sabemos como cada personagem pensa, é interessante em uma mesma cena ver os diversos pontos de vista, além de um narrador que comenta e opina sobre os acontecimentos e os personagens. Sthendal, consegue escrever um livro muito real e crível, pois mesmo Julien, nosso herói, tem desvios de caráter, ambição e orgulho exacerbados.

site: Leia mais em: http://gatoqueflutua.com.br/2016/04/04/o-gato-leu-o-vermelho-e-o-negro/
comentários(0)comente



MCTS 23/03/2016

A Ambição e seus Limites
O enredo do livro desenrola-se em um contexto histórico específico: a restauração na França, isto é o período logo após a derrota de Napoleão que abarca os anos de 1814 até 1830. Trata-se de um período de ressurgimento do conservadorismo baseado na implantação de uma monarquia constitucional (rei Luis XVIII) e na retomada da influência da igreja católica.
A obra acompanha o percurso atribulado do personagem Julien Sorel. Apesar de nascido em condições sociais adversas - filho de família de origem camponesa e cujo pai é dono de uma serraria - alimenta o projeto de enriquecimento e ascensão social. Frente às escassas opções para alguém com sua origem em uma sociedade aristocrática e enrijecida, Julien opta pela carreira eclesiástica como atalho para alcançar seu fim.
O percurso de Julien ao tentar cumprir seu projeto de vida nos é descrito pelo autor em três fases. A primeira corresponde ao seu envolvimento com a família do sr. Rênal - prefeito da cidadezinha fictícia de Verrières, que o contrata para ser preceptor de seus filhos. A segunda transcorre no seminário de Besançon onde Julien ingressa a fim de preparar-se para seguir a carreira eclesiástica. A terceira transcorre em Paris para onde segue Julien a fim de trabalhar como secretário do Marquês de La Mole.
Embora inteligente e dedicado a incorporar o padrão de comportamento e etiquetas aristocráticos, Julien, em cada uma dessas três diferentes etapas, depara-se reiteradamente com o obstáculo de sua origem social ao tentar levar adiante seu projeto de ascensão. Ressentido por perceber a chance escassa de vir a ser aceito como um igual no seio da aristocracia e enredado em romances atribulados com mulheres situadas em um patamar social superior ao seu o enredo evolui para um desfecho muito diverso do pretendido pelo nosso personagem.
Stendhal, além de demonstrar a força da sociedade aristocrática em limitar o potencial e as qualidades de Julien - jovem, ambicioso e inteligente - nos oferece um retrato rico e envolvente de um período de transição histórica onde uma aristocracia ainda dominante emprega seus esforços em preservar seus privilégios e refrear a ascensão de uma burguesia emergente. Leitura mais do que recomendável!!!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



117 encontrados | exibindo 46 a 61
1 | 2 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8