Questões do Coração

Questões do Coração Emily Giffin




Resenhas - Questões do Coração


292 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Vanessa Meiser 20/05/2011

Intenso.
É assim que descrevo este livro.
Um história muito bem escrita e elaborada, digna de muitas estrelinhas de avaliação, onde cada personagem se encaixa perfeitamente no lugar onde está. Mas preciso dizer, foi um dos livros mais perturbadores que lembro de já ter lido até hoje. É angustiante quando nos damos conta do quanto nossa vida, nossa felicidade e paz interior fica vulnerável à medida em que entregamos nosso coração nas mãos de outra pessoa e transferimos todo o significado dos nossos dias para esta pessoa e, de uma maneira ou de outra acabamos nos decepcionando com aquele (aquela) que anteriormente julgávamos ser digno de nossa total confiança.
Essa realidade dos relacionamentos nos dias de hoje chega a ser chocante, pois ainda acreditamos (e queremos acreditar em conto de fadas apesar de termos cada dia mais provas de que conto de fadas não existe (agora nem mais nos livros....).
Bom, não sei se me fiz entender bem nesta minha resenha, apenas quis dizer que o livro é bem atual, que traduz o presente momento entre os casais de hoje, mas de maneira nenhuma eu quis dizer que não gostei do livro, pelo contrário, eu gostei muito desta história, na verdade ela me consumiu, eu aproveitei cada minutinho de folga no meu dia a dia para correr e pegar o livro pra ler, não sosseguei enquanto não terminei, até por que, você não consegue saber o desfecho da trama até que chega ao último capítulo.
Fascinante.
Eu aconselho a todas (e todos) que leiam e garanto que será impossível largá-lo sem antes chegar à última página. Garanto!!!!!!!
rafaellamv 02/03/2012minha estante
Estou quase na metade do livro e estou ficando angustiada pq acho q ele vai trair a Tessa... agora c sua resenha tenho quase certeza... mas como vc mesma disse além disso ser mt queremos mt acreditar nos contos de fada que ouvimos desde sempre!!!! =/


CACAU TOSTES 01/05/2012minha estante
Estou com o livro em mãos.Não vejo o momento de começar a ler.Depois de ler sua resenha fiquei mais ansiosa.
Parabéns!


Agny 18/06/2012minha estante
você descreveu exatamente o que eu senti ao ler logo na primeira palavra: Intenso.


Vanessa Meiser 19/06/2012minha estante
Pessoal, esta resenha está muito crua, com certeza eu não consegui expressar todo o meu sentimento em relação ao livro que é ótimo, um dos melhores que já li, recomendo de olhos fechados para quem está procurando uma história realmente boa e perturbadora.


Jossiney Barret 26/08/2012minha estante
Ainda estou lendo, mas concordo com a Vanessa/Balaio, é assim mesmo, a angústia das mulheres é bem nosso mundo real. Depois que terminar a leitura, darei meu parecer final.


Luana 27/08/2012minha estante
Eu não sabia quem era a mocinha da história, pra quem eu torcia de verdade!
Mas eu acho que por isso é que é tão parecido com a vida real... Recomendo!


Sissy 05/07/2013minha estante
Nossa!! Fiquei curiosíssima para ler...Já para a listinha dos desejados!! rssss


Deh ~* 06/07/2013minha estante
Traduziu exatamente o que senti! Chegou uma parte em que eu simplesmente não conseguia ler as partes da Valerie sem sentir raiva (e angustia). mas é incrível... uma escrita fantástica e bem elaborada!


Marina 07/07/2013minha estante
Sinceramente é bem isso, eu estou nos últimos capítulos e simplesmente passei o domingo inteiro o lendo, não consigo parar, sério D: e com certeza ficarei dias pensando sobre a história desse livro. Até agora excelente, ainda falta terminar de ler as últimas partes *-*


Ana 07/08/2013minha estante
Eu me decepcionei nas primeiras páginas, mas depois disse que não iria desistir dele, peguei de volta e passei a madrugada lendo, apesar de ter me deixado inquieta e sentindo essa falta dos contos de fadas, é mesmo um livro muito bom.


Samilar 03/09/2014minha estante
Concordo com você, a história é ótima, bem escrita, e com um enredo fantástico. Eu confesso que odiei a Valerie e o Nick com todas as minhas forças e que adorei o final. Amei como a Tessa foi superior a eles dois, por ter perdoado, por ter dado uma segunda chance, e principalmente por ter mantido sua dignidade e seu caráter, eu com certeza admiro uma mulher assim. Em resumo, livro maravilhoso, história incrível. Super recomendo.


Letícia 15/03/2017minha estante
Quando li esse livro, desde o começo eu presumia o que ele faria, não tem como,mas em nenhum momento odiei qualquer um dos três. Simplesmente entendemos todos eles, que eles buscavam sua felicidade e que erraram sim, mas tinha sentimento em tudo. Alias a Emily Giffin é uma das autoras que mais adoro, ela sabe abordar o cotidiano


Vera 29/05/2019minha estante
Será que só eu estou do lado da Valerie Andersson?




Bianca 16/05/2011

Mais uma resenha do http://redomadecristal.com.br
Às vezes, descubro-me querendo ler um livro só ao conhecer seu título e capa. "Questões do Coração", de Emily Giffin, foi um desses casos. Não li nem a sinopse e já queria muito ler. É claro que a autora é sinônimo de uma boa história e isso colaborou e muito para a minha urgência.

Assim que li as primeiras páginas, soube que me emocionaria e que seria marcada pela história, mas não imaginei que ficaria sem ação em muitos momentos e que seria jogada para dentro do livro e teria vontade de fazer parte da história para poder influenciá-la de alguma forma.

Foi a leitura mais tensa e intensa que já fiz em toda a minha vida.

Acredito que esta será uma das resenhas mais difíceis que fiz. Talvez ainda não tenha digerido a história o suficiente para falar sobre ela.

Como disse acima, não havia lido nem a sinopse, então não sabia do que se tratava. Comecei a ler e a cada capítulo era envolvida pela história.

O livro é narrado de duas formas: Em primeira pessoa, por Tessa e em terceira, do ponto de vista de Valerie. Duas mulheres que não se conhecem, mas que terão suas vidas interligadas.

"Pego no sono sem saber a resposta. Sem saber, no entanto, se essa será a noite da qual me lembrarei para sempre." Tessa

"Ela concordou novamente, acreditando e confiando no médico. E só então, pela primeira vez em muito tempo, as lágrimas afloraram de seus olhos." Valerie

Tessa e Valerie são duas mulheres completamente diferentes e, ao mesmo tempo, parecidas. Tessa vive uma fase ruim. Está com problemas no casamento, mas custa a admitir até para si mesma. Está deprimida por ter deixado seu emprego para cuidar apenas das crianças, apesar de ter sido por iniciativa própria. Valerie vive isolada emocionalmente de mundo. Deixou todas as suas expectativas de lado, tanto no campo da amizade, quanto do amor. É mãe solteira e vive por seu filho. Não tem amigos e se confidencia apenas com seu irmão, Jason.

Um acidente ligará suas vidas e as marcará para sempre.

Pensei muito sobre o que escrever e decidi que não soltarei spoiler de forma alguma. E, acreditem, é muito difícil falar desse livro, sem contar um pequeno detalhe sobre ele.

O mundo das duas protagonistas é completamente diferente, para não dizer oposto. Apesar de terem suas vidas ligadas por uma ação, elas se comportarão de maneira diferentes. São dois lados de uma mesma moeda.

Acredito que a intenção da autora ao escrever esse livro foi que refletíssemos sobre uma situação tão comum e os diversos modos de reagir a ela.

Não é uma história em que se possa dizer que algo é preto ou branco, na verdade, passamos o livro inteiro mergulhados num intenso cinza. Nada é exato ou definido.

É uma história que fará o leitor refletir, mergulhar e se perder nela. Em alguns momentos chorei como se estivesse passando pela situação dos personagens. Em outros, me irritei e queria poder dizer chacoalhar uma delas para que ela reagisse.

As questões dos coração dos personagens passam a ser as questões do coração do leitor. O livro é um teste. É como se Emily Giffin quisesse saber o que faríamos naquela situação, como se quisesse mostrar que jamais devemos dizer que nunca faremos algo. Afinal, quem somos nós para conhecer algo que não vivemos? E, ainda que tenhamos vivido, não temos como saber as respostas para as questões do coração do outro. A nossa vida inteira nos molda para reagirmos de uma certa forma a um evento e centenas de variáveis podem mudar tudo.

Ao terminar a leitura, não soube o que pensar. Tenho minhas impressões sobre o que faria se estivesse no lugar de Tessa, Valerie ou Nick, mas a verdade é que há respostas que só sabemos no momento que passamos por uma situação.

Mesmo tendo minha opinião formada, não consegui condenar a nenhum dos personagens. A vida é cinza. É a única certeza que tudo o passei até hoje me mostrou.

A sociedade dirá que Tessa tinha razão, mas não sei. De onde vejo, ela permitiu que sua vida chegasse onde chegou. Na verdade, é o que penso sobre todos os personagens. Alguns eventos lhes foram impostos pela vida e eles caminharam ou se deixaram levar pelos outros.

Este livro não é um Chick-Lit ou qualquer outro tipo de leitura mais leve. É tenso e intenso em medidas iguais. É dramático. Acredito que nenhum leitor passará por ele sem se fazer perguntas. E, talvez, não encontre nenhuma resposta.

Não há heróis ou vilões em "Questões do Coração", há apenas homens, mulheres e a vida real.

OBS: É importante dizer que esse livro conta spoilers de "O Noivo da Minha Melhor Amiga", da mesma autora. Uma das personagens é irmã de Dex, o noivo em questão. Acredito que Dex foi colocado intencionalmente pela autora, que, talvez, tenha nos enviado um recado nas entrelinhas: "Será que você condenará agora aquilo que tanto aplaudiu antes?" É incrível como uma mesma ação pode ter interpretações e aceitações tão distintas. A lição que aprendi? Tudo é questão de ponto de vista e do momento que vivemos.
*Rô Bernas 19/05/2011minha estante
Amei este livro e amei sua resenha...e concordo plenamente com o status de tenso e intenso que vc deu ao livro!!!


clube d resenha 23/07/2011minha estante
Foi exatamente o que eu pensei sobre o Dex estar no livro também ! Eram outras circunstâncias ,porém a mesma ação. O livro é incrível e muito mais intenso do que eu pensei que seria , me surpreendeu muito. Adorei a resenha !


Flávia Vechi 26/07/2011minha estante
Amei sua resenha e estou adorando o livro e também tinha feito a mesma ligação entre o caso de Dex


LissBella 12/09/2011minha estante
Adorei sua resenha... Parabéns!!!


Ana 09/04/2012minha estante
Quero muito ler esse livro! Amei sua resenha, me incentivou a querer mais o livro, com certeza vou comprar.




Amanda Azevedo 17/02/2012

"As pessoas que você mais ama, são as mais difíceis de manter por perto."

Emily Giffin é uma das autoras mais comentadas nesses últimos tempos. Questões do Coração é o primeiro livro que leio da autora, e confesso que valeu a pena. O livro trás uma estória linda e emocionante que nos permite analisar os mesmos acontecimentos através de pontos de vista diferentes.

Tessa é uma mãe dedicada que abandonou o trabalho para dar atenção integral à sua família. Ela é casada com um dos cirurgiões mais respeitados da cidade, Nick, com quem tem dois filhos, Ruby e Frank. Valerie é uma renomada advogada e mãe solteira de um garotinho encantador chamado Charlie. A narrativa é dividida entre essas duas personagens, e à medida que a estória vai passando nos sentimos ligados a essas duas famílias.

Tessa e Valerie vivem na mesma cidade mas não se conheciam. O que vai unir essas famílias é o triste acidente que Charlie, filho de Valerie, sofre. E Nick, marido de Tessa, é o médico que cuidará dele. A partir daí a narrativa se desenvolve.

O fato de o livro ser narrado por duas personagens, faz com que tenhamos uma visão ampla da situação. E não foi possível, pelo menos pra mim, criar uma relação de amor com uma personagem, e de ódio com outra. Durante toda a leitura digamos que eu fiquei em cima do muro.

O livro trás dramas da vida real, que estamos sujeitos a enfrentar a qualquer momento. Então é de se esperar que nos coloquemos no lugar das personagens. E é inevitável deixar de pensar o que faríamos caso estivéssemos na pele de uma dessas mulheres. É aquele tipo de situação onde geralmente temos duas escolhas, e o fato que torna essas decisões tão difíceis é que elas são capazes de mudar o rumo de nossas vidas por completo... e para sempre.

Questões do Coração é uma leitura simplesmente apaixonante e indispensável para aqueles que gostam de um bom romance. Ele não é um livro que vai lhe arrancar lágrimas, mas te fará, talvez, rever alguns conceitos. E pensar nas tantas atitudes que as vezes tomamos por vergonha. E nas vezes que fazemos algo que não queremos, nem gostamos para sermos bem vistos pelas pessoas que nos rodeiam.


Amanda — Lendo & Comentando
Visite: lendoecomentando.blogspot.com
22/10/2011minha estante
fiquei com uma vontade enorme de ler o livro!!!


Amanda Azevedo 14/11/2011minha estante
Leia sim, flor! É um livro com dramas adultos, se você curte livros assim, tem tudo pra gostar dele! \o/
Beijos.




*Rô Bernas 21/05/2011

Deliciosamente Intenso
Pense num livro que vc não consegue torcer por um dos personagens justamente por sentir afinidade por todos e pelas situações vividas?

Cada capítulo é sobre uma protagonista. Acaba o capítulo de Tessa, começa o de Valerie e assim vai até o final do livro. A cada final de capítulo a sede de saber qual o próximo passo, faz com que a leitura flua sem nenhuma dificuldade e é muito difícil parar de ler.(li em duas noites)

A gente entra na história como se fosse nossa...é muito real, gente! Sabe aquelas histórias que pode muito bem ter acontecido com alguém muito próximo ou até mesmo com você? Em uma das histórias, mesmo sendo uma situação que a nossa sociedade condena, muitas vezes me vi torcendo para que acontecesse, mas depois parava e analisava o outro lado e o conflito na minha cabeça estava criado...definitivamente não consegui me definir por uma ou outra situação e fui assim até o final do livro... e mais, terminei sem saber se era mesmo assim que eu gostaria que a história acabasse.

Amei o livro e se pudesse ele teria mais e mais páginas, mas confesso que ainda não sei se gostei do final escolhido pela autora...se estivesse em um lado com certeza amaria, mas se estivesse do outro lado...definitivamente não!

Vale muito a pena ler este livro...é mesmo uma "questão do coração".
Léia Viana 19/07/2011minha estante
Eu estava tentada a ler este livro, agora consegui me decidir, vou lê-lo assim que possível!


Douglas 10/09/2011minha estante
"Um história muito bem escrita e bem elaborada!"


Mari 14/02/2013minha estante
Sua resenha é exatamente o que eu penso do livro. É real mesmo, por isso gostei.


sonia 25/04/2013minha estante
interessante, prende a atenção do leitor, e é bem humana a história.


Heidi Gisele Borges 27/05/2014minha estante
Oxe, fiquei ainda mais curiosa! Adoro essas histórias que nos fazem torcer por um, detestar outro... Vai pra lista! rs


*Rô Bernas 27/05/2014minha estante
Hehehe...tomara que você curta! =D




Lou 28/04/2012

O livro "Questões do Coração" é um básico clichê da literatura.Todos os comentarios por ser um livro inovador e reflexivo podem ser retirados.Não sei onde pode ser inovador um livro onde a protagonista sofre alguns problemas familiares e tem de refletir o quanto o seu marido a trai.....Muito muito ruim. Acho que essa historia deve ter acontecido com essa autora q em meu pensar,é frustada,e esta resolveu relatar o quanto foi corna.
Raquel Lima 07/05/2012minha estante
Concordo, plenamente. Pura perda de tempo. Muito ruim mesmo.


Daniele 21/07/2012minha estante
Concordo plenamente, terrível este livro.


O poder das pal 17/10/2012minha estante
True!
Um dos piores livros que já li. Só finalizei porque odeio deixar livros pela metade.
Um clichê sem graça. Chifre, perdão, vidinha enfadonha... E todos viverão "IN"...felizes?!!!!


Rosângela 06/03/2013minha estante
Não ficou claro se Tessa perdoou o marido por amor ou por medo de perder o estatus de mulher casada, o conforto dos filhos, além do medo de que Valerie assumisse seu lugar caso ela optasse pela separação. Achei o final da história mal desenvolvido.


Edna 06/04/2015minha estante
Vixe! rss.




Brena 12/04/2013

Agora, se me dê licença, estou comprando uma fantasia do Darth Vader.
Valerie Anderson e Tessa Russo são mulheres completamente diferentes em suas histórias de vidas e tem um amor incondicional pelos seus filhos.
Enquanto Tessa escolheu largar sua carreira profissional para se dedicar aos dois filhos pequenos e seu marido Nick Russo (cirurgião pediátrico) se dedicando fielmente e inteiramente a família, Valerie a muito tempo decidiu não amar mais nenhum homem depois que o pai de seu filho Charlie a deixou só (sem ao menos saber que tinha um filho), e nem construir nenhum vínculo de amizades a não ser com seu irmão Jason assim educou da melhor maneira que pôde Charlie e ao mesmo tempo terminando a faculdade e trabalhando como advogada, até que em uma festa de aniversário de um amigo de Charlie faz com que os caminhos dessas mulheres se entrelacem.
Uma leitura fácil mais no final achei um pouco maçante de ler, e discordando um pouco do final além de parece que faltava um capítulo sobre Valerie, além de Charlie e Frank, Jason foi um dos personagem mais apaixonante.
Um romance bastante clichê.
Marcella 15/11/2014minha estante
ameeei o Jason tb




Cecília 02/01/2013

Meu caso com esse livro foi do amor ao ódio. Por vezes minha vontade foi de joga-lo pela janela e nunca mais voltar a ver; por outras eu simplesmente não conseguia parar a leitura!
Recomendo para aqueles de coração forte, caso contrário preparem-se...

Fazendo um pequeno resumo, o livro é dividido em capítulos de Tessa e Valerie, duas mulheres completamente diferentes com vidas completamente diferentes. Tessa é casada com um renomado médico, Nick Russo, casamento que resultou em dois filhos, Ruby e Frank. Tessa largou seu emprego como professora universitária para cuidar melhor dos filhos e do marido pois sentia que estava perdendo muita coisa enquanto estava fora de casa. Já Valerie é uma mãe solteira que criou Charlie sozinha após ser abandonada por seu antigo caso, é advogada, muito bem-sucedida e independende.

Suas vidas se cruzam em uma noite onde uma tragédia atinge Valerie e seu filho... a partir dai tudo vira uma grande bagunça. Para mim a autora exagerou demais no drama, muito chororô para o meu gosto. Não me identifiquei com Valerie de jeito nenhum apesar de ela ser a vítima da história, e em vários momentos quis acreditar que tudo o que ela estava sentido fosse realmente amor e não carência, afeto e gratidão por Nick. Fiquei torcendo para Tessa a todo momento, e meus olhos cheguaram até a se encher de lágrimas em alguns trechos. Apenas Charlie ganhou minha simpatia! Como não se encantar por esse garotinho?


Emily Giffin foi bem boazinha em relação ao desfecho, mas fiquei feliz! Eu estava torcendo por Tessa não estava? Então...
Apesar de tudo recomendo a leitura, é rápida e bem simples.
Letícia 10/12/2015minha estante
Minha torcida foi pra Tessa o livro todo também. Não consigo entender como alguém consegue simpatizar com Valerie.

Muito boa resenha!


Hadassa Batista 24/08/2016minha estante
Pulei as partes da Valerie, não consegui. Sentia vontade de vomitar!!!




Jessi 15/09/2011

IMPERDÍVEL!
Questões do coração.

Nunca tinha lido nada de ‘Emily Giff’ mas eu realmente me surpreendi. Não somente pelo contexto principal... Traição. É um assunto digamos que... Triste. Mas é um assunto que devemos sempre falar. Não só em fatos reais, devemos ter também na ‘ficção’. Sempre que pensamos em livros de romances nos vem a cabeça: ‘Vão ter ‘n’ conflitos, ‘n’ desencontros, mas no final, tudo vai dar certo’. Que conflitos são esses, afinal? Nunca colocam de uma forma que faça com que o leitor se identifique. Nunca escolhem, exatamente, a questão principal, que hoje em dia já é normal, nem banalizada é mais.
O fato é o seguinte... Tem a traição ‘física’ e a traição ‘sentimental’ como é colocado no livro. Eu, particularmente, não perdoaria nem uma, nem a outra. Mas entendo PERFEITAMENTE as razões de Tess. Não acho que seja totalmente errado, pelo menos os motivos que levaram Nick a fazer o que fez. Achei a posição de Valerie excepcional. Mas apesar de todos os conflitos, que deixa eu comentar... Fizeram-me ficar agoniada para ler as paginas seguintes, ocorreu tudo bem, tudo certo, da forma certa.
Pode ser que no final tenha decepcionado, pras pessoas que pensam como eu. Que pensam que a traição é uma forma errada de acontecimentos perante a um relacionamento. Que não se pode ter ‘outra ação física a dois, sem um dos lados’. E que por mais que a pessoa tente sempre culpar o outro, ele mesmo é culpado também, na maioria das vezes.

ADOREI o livro, me fez pensar bastante, e refletir bastante sobre o perdão. Recomendo sim, pra todos lerem. Pois é um livro que nos faz enxergar as coisas que as vezes fingimos não enxergar, por medo de encarar. Nota 5!
Alan Ventura 15/09/2011minha estante
E você me dizendo que não sabia escrever!?!?! rs rs Suas palavras despertam o interesse em ler a obra, eu mesmo fiquei muito curioso pra saber quais foram os motivos que levaram Nick a fazer o que fez e também pra entender as razões da Tess. Acho que vou ter que ler. Interessante sua frase também: "E que por mais que a pessoa tente sempre culpar o outro, ele mesmo é culpado também, na maioria das vezes." Parabéns Jessi, você começou muito bem, espero que essa seja a primeira de uma série de resenhas maravilhosas de sua autoria. Beijos.


Jessi 15/09/2011minha estante
Opa, errei ali no nome. Esqueci duas letrinhas... EMILY GIFFIN* Super me corrigindo, hihihihi.


Kéziah Raiol 17/09/2011minha estante
Nossa, eu fiquei com vontade de ler o livro depois de uma resenha dessa :D


Evelyn Ruani 03/10/2011minha estante
Estou com esse livro para ler no final do ano, parte de um desafio literário que participo! Estou louca pra ler, com sua resenha, fiquei com mais vontade ainda! Bjos




Raquel Lima 04/05/2012

Clichê !!!!
Estava em uma fase de clássicos e uma amiga quis que lesse este livro para uma leitura menos tensa...mas confesso que troquei a tensão de uma analise existencialista pelo total desprezo e chatice extrema... Uma mulher casada , a amante, o bonitão marido e traidor, filhos do casamento , blá, blá... Roteiro daquelas revistinhas Bianca, Sabrina, Julia ...Perda de tempo!
Daniele 21/07/2012minha estante
Concordo plenamente:)


Victoria 01/06/2013minha estante
kkkkkkkk 'roteiro de revistinhas Bianca, Sabrina, Julia' kkkkk ri muito




Fernanda Souza 19/11/2011

Emocionante
Devo confessar inicialmente, que não foi a sinopse que me agradou e me atraiu para ler esse livro, mas a seguinte frase na capa: As pessoas que você ama, são as mais difíceis de se manter por perto. A frase me chocou inicialmente e depois me fez refletir, até que conclui que era a mais pura verdade. Quer um exemplo claro? Os pais tem um amor inexplicável por seus filhos, mas nem sempre podem estar para impedir que algum mal aconteça e nem estarão a vida inteira 24 horas em volta deles.
O livro todo é narrado pelos dois aspectos da situação, o de Tessa e o de Valerie. Confesso que eu não consegui odiar nenhuma das duas, mesmo sabendo seus erros pois são muito humanas e pessoas que poderiam com certeza estar no meu círculo de amigos e família. São duas histórias imensamente diferentes e as duas merecem a compreensão do leitor, mas em determinada altura pude definir a minha personagem favorita, Valerie. Motivo? Simplesmente pela força dela em cada momento difícil que passa, pelo seu equilíbrio mesmo que forçado diante das pessoas e pelo amor imenso com que ela trata seu filho Charlie.
Não que Tessa não cuide de seus filhos, mas a sua insegurança irrita um pouco, às vezes parece mimada e inconsequente e parece se importar mais com a opinião dos outros do que consigo mesma. Para a minha felicidade, nos últimos capítulos ela pareceu amadurecer, já que me identifiquei muito com ela em alguns instantes no inicio do livro.
Tessa é uma professora que abandona sua carreira para se dedicar mais ao marido e aos filhos, enquanto Valerie é mãe solteira e teve que cuidar desde sempre sozinha de seu filho, contando com a ajuda de seu irmão e sua mãe. A vida das duas se cruza quando o filho de Valeria se torna paciente de Nick, marido de Tessa, um cirurgião plástico famoso e muito bom no que faz. Nick se envolve com o drama de Charlie, o que se estende para sua mãe Valerie, e a partir daí, a vida de todos é modificada pelo rumo dos acontecimentos, inclusive a vida de Charlie.
A história é muito bem construída pela autora e, sinceramente, chegou um ponto que eu já achava que aquilo era muito real que alguém tinha vivenciado aquilo e a autora havia registrado para aproveitar a história. Recomendo muito esse livro principalmente as pessoas mais maduras por que tem questões abordadas que é preciso maturidade para compreender, mas acho que pode agradar adolescentes também, é uma história linda e com um final completamente inesperado e que com certeza cada pessoa que ler toma um tipo de conclusão diferenciada, afinal fala dos sentimentos e, geralmente, cada um tem sua opinião sobre isso.

Postada em: http://leitoraincomum.blogspot.com/2011/11/resenha-questoes-do-coracao.html
comentários(0)comente



Nathália 20/05/2011

Sinceramente, acho que o máximo que deveríamos saber para começar a leitura desse livro é o que diz na sinopse, qualquer coisa a mais poderia estragar a história!

E por isso mesmo o livro me surpreendeu. Não tinha lido nada além da sinopse e por ela não dava para imaginar qual era realmente o ponto central. Só imaginei que por algum motivo as personagens se conheceriam e não me permiti especular os motivos.

Como a sinopse diz, temos duas personagens principais e cada capítulo é narrado por uma delas. Achei curioso o fato dos capítulos de Tessa serem narrados em 1ª pessoa e os de Valerie em 3ª. Não que isso seja ruim ou atrapalhe a história, só achei diferente!

Esse foi o primeiro livro que li de Emily Giffin e gostei bastante do seu jeito de escrever. Os personagens são muito realistas, humanos e cheios de imperfeições, e tudo acontece de forma tão natural que é impossível você não acreditar na história! E talvez por vermos os dois lados de tudo, não tem como você tomar partido de ninguém. Eu diria que o livro não tem um vilão! Temos personagens humanos, com sentimentos reais, que cometem erros. E o livro faz a gente pensar...

Não quero falar muito para não estragar a leitura de ninguém. O que posso dizer é que a história me surpreendeu e a narrativa da autora é muito verossímil. Os sentimentos dos personagens são muito bem descritos e tão coerentes que acho que daria pra você se imaginar em qualquer um dos papéis facilmente.

Só que alguma coisa me incomodou durante a leitura. Talvez o tema não tenha me agradado tanto. Não sei! Ainda não sei bem o que achei do livro...

O livro é bom, mas é ruim essa sensação de não torcer mais por uma personagem que por outra. Se era o final que eu esperava? O final que eu preferia? Realmente não sei!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Dani Marjorie 28/09/2017minha estante
Nossa! Gostei muito de sua resenha, traduz um pouco do que pensei quando li esse livro. Sempre quis poder comentar com alguém sobre ele, mas nunca li nada que me encorajasse até sua resenha.

Me identifiquei com a Tessa, claro, porque também sou casada, mãe, e deixei meu trabalho para me dedicar a família. E não me arrependo, foi a melhor decisão para minha família, e um dia as crianças crescem e vão embora, então temos que aproveitar enquanto podemos. Tenho sorte do meu marido pensar igual a mim e valorizar minha decisão.

Eu entendi porque a Valerie acabou se apaixonando pelo Nick, mesmo que eu concorde com você que ela merecia algo melhor que ele, mas era ele que estava lá no momento frágil dela e aconteceu.

Mas não entendi porque o Nick se apaixonou pela Valerie. Foi só porque ela trabalhava e a esposa não? Foi pela beleza? Pelo filho dela? Foi tudo isso junto? Não sei. Não consegui entender.

Em nenhum momento achei que a Tessa estava deixando a desejar, ela estava tentando se encaixar na vida de dona de casa, que apesar de pensarem que é fácil, não é. Ela era compreensiva com o trabalho dele e queria incluir ele nas decisões sobre os filhos. Talvez esse tenha sido o erro dela então, não sei.

O que me deixou mais triste foi o final. O Nick encontra a Valerie, diz que a ama e que talvez sempre vá amar, mas que não pode ficar com ela para não perder a carreira e menciona de leve os filhos e o casamento, depois vai para esposa diz que pensava que amava a Valerie (ou seja, mentiu) e que quer outra chance. Ele não voltou porque de verdade se arrependeu, ele voltou porque a única maneira de manter o emprego e a carreira era ficar com a Tessa. Isso acabou comigo. Isso não consegui engolir. Para mim ele mostrou como é egoísta, ele magoou duas boas mulheres, e não tomou a decisão baseado nelas, só em si mesmo.

Tem uma cena que ele trocou de sair com os próprios filhos no hallowen para sair com o da Valerie. Ele não foi na escola pelos próprios filhos, mas foi pelo da Valerie. Ele não queria mais sua esposa dona de casa de tempo integral, não queria mais os filhos, estava apaixonado por outra e queria outra família, então deveria ter ficado com a Valerie.

Senti uma pena tão grande da Tessa, porque ela vai continuar casada com um homem traidor, que talvez sempre seja apaixonado por outra mulher e que valoriza mais o filho de outra mulher que os próprios é egoísta e valoriza mais o trabalho que a própria família.

Fiquei feliz pela Valerie, que mesmo pela atitude errada em ter um caso com um homem casado, vai ter chance de seguir em frente e ser feliz, tendo alguém que queira só ela e a valorize.

Enfim, desabafei!
Eu gostei do livro, é tema forte que não gosta, mas que acontece o tempo todo. Meus pais mesmo se separaram por traição.

Só não gostei do final, no meu ponto de vista o Nick saiu ganhando, sendo ele que começou toda a confusão e dor, mesmo que ele tenha sofrido também, se abriu mão de quem amava.
Pra mim o final bom seria, ele ficar com a Valerie e enfrentar o que seja e ser feliz, ou se arrepender do que fez, pedir perdão e torcer para mulher dar uma segunda chance.

Obrigada por sua resenha!


Geovanats 29/07/2018minha estante
SPOILER!!!!!

Eu sempre acho interessante outros pontos de vista e gosto de ouvir outras opniões, mas fiz uma leitura totalmente diferente da Valerie. Achei ela uma mulher fraca, carente, egoista, totalmente imatura. Ela se envolve com um homem casado que nunca prometeu nada a ela (o relacionamento dura da data do acidente no inicio de outubro e termina cerca de duas semanas antes do natal, ou seja, 2 meses) É certo que ele declara um amor com palavras bonitas, mas totalmente vazias. eles não se conheciam, não existe amor em dois meses e poucos encontros. Existe paixão, um encantamento, tesão. e pior ela envolve o filho nisso, deixava o filho ligar para o médico e criar a dependência junto com ela. Porque a criança não teve um pai por culpa dela, nem mesmo um pai ausente, não importa se o pai biológico traiu a valerie, o mundo não gira em torno dela, era sobre charlie, a vida dele, seu pai, ele tinha direito a ter um pai, mesmo que ruim. Por que ela não foi para um motel com o médico? me desculpe, ela foi uma péssima mãe, não se afundou sozinha, levou uma criança de seis anos junto. A Valerie precisa se tratar, o que ela fez é um ciclo vicioso, só teve relacionamentos ruins porque ela somente escolhe relacionamentos ruins, isso não vai mudar. Ela não foi enganada em nenhum momento, ela se enganou sozinha e vai continuar assim. A vida dela será uma eterna repetição disso, até que ela mude seu comportamento, o que parece ter um vislumbre com uma suposta ligação para o pai verdadeiro do charlie.

Quanto ao Nick, como não temos o ponto de vista dele, achei toda a explicação dele após a declaração para Valerie muito convincente. Ele nunca amou a Valerie. Na verdade ele a usou porque estava em crise, entediado, não sentia mais a emoção dos primeiros encontros com a esposa e queria isso de novo e vendo aquela mãe e filho carentes de afeto ele se sentiu o super herói amado que queria. Se o Nick realmente sentisse a metade do amor que ele declarou para Valerie, ele teria largado a Tessa para ficar com a Valerie, com certeza. Isso ocorre todo o dia.

Quando o Nick conversa com a Tessa e diz que após confessar tudo e olhar nos olhos da esposa ele se deu conta de tudo, foi muito coerente, porque foi só ali que ele sentiu medo, até então a Tessa era a certeza absoluta, e agora não era mais. Antes a Tessa estava insegura, agora era ele. Ali ele viu o que era importante, embora ele já tivesse tomado sua decisão muito antes. Ele diz para Tessa que não importavam os motivos da traição, e que ele achava que nem existiam motivos mais os motivos, ou seja, era passageiro, foi impulsivo.

Um ponto do livro que achei muito interessante e importante foi que a Tessa deixou muito claro que iria procurar a Valerie porque queria saber se o Nick tinha dito que a amava ou que não amava a Tessa, e se qualquer uma das duas hipóteses houvesse ocorrido não existiria perdão.
Nós sabemos que ele disse que amava a Valerie, mas a Valerie diz que não, e isso determina o final do livro...
E depois Valerie se questiona sobre a conversa com Tessa e sobre essa questão se o Nick teria dito que a amava ou não e pensa que ela não mentiu negando, porque o suposto amor foi uma fantasia nascida da necessidade e do desejo.

Estranho falar em machismo ao comparar o valor dessas duas mulheres, uma que conhecendo um homem superficialmente em menos de 2 meses, o coloca acima da felicidade de seu filho, faz tudo que o Nick quer, sempre a disposição, chega a sair correndo do trabalho até para levar o fora, concordou com tudo, sonhou acordada, não foi capaz de romper com um homem casado com filhos pq precisava de um homem e a outra, casada há sete anos, com muito mais a perder, sabendo que seu marido a traiu, iria terminar com seu casamento, com sua família para ter uma vida digna.

Enfim, o Nick amava a Tessa, estava entediado e teve a oportunidade perfeita para trair e traiu. Usou a Valerie, embora tenha se convencido que não, porque ele não queria ser um traidor, canalha, afinal ele era o herói, e precisou quase perder tudo para acordar.
A valerie precisava de alguém para falar umas verdades para ela e ver se ela acordava ou então ir para uma terapia, porque ali não foi um erro, é uma sucessão enorme de erros!!!!! pobre do filho!!!

É um livro bom, que dá ressaca, em mim foi uma ressaca amarga, porque não é um livro romântico, ele é real, todo mundo reconhece esses personagens em alguém ou em si mesmo!!





Erika Oliveira 17/02/2014

Adorei o livro mostra a diferença entre amor e paixão.Realmente esse livro mexeu muito comigo.
comentários(0)comente



Luanna Correia 08/04/2014

Intenso!!!
Quase o abandonei... mas fui além, insistir e persistir na história e confesso que não fiquei decepcionada, apesar do tema não ser nada agradável... a traição.
Foi uma leitura cativante, muitos leitores irão se identificar, outros, não aprovarão as atitudes dos personagens nas mais diversas situações.
No entanto declaro que as vezes fiquei decepcionada e ao mesmo tempo impressionada com as biografias, mas entendi e compreendi ambas. Enfim, o enredo excepcional!
comentários(0)comente



Thay Gomez 13/07/2011

QUESTÕES DO CORAÇÃO...E CAMINHOS OBSCUROS DO AMOR
***
Sempre que fico sabendo de alguém que passou por uma tragédia, não penso no acidente ou no diagnóstico, nem mesmo no choque inicial ou no posterior sofrimento. Em vez disso, encontro-me recriando os momentos corriqueiros que antecedem a tragédia... Momentos que passaram despercebidos e que, provavelmente, seriam esquecidos se não fossem os eventos que se seguiram. As lembranças anteriores à tragédia. (P. 9)
***

Como Emily Giffin consegue nos fazer chorar em menos de 25 páginas?
É um mistério, mas ela tem este poder. Nos primeiros capítulos, você se encanta com a escrita suave e madura de alguém que viveu muitos anos além da sua idade real. Muitos podem se assustar com o tamanho do livro – são 440 páginas! – mas esta é a primeira surpresa: a velocidade de leitura. Bebi dezenas de páginas em questão de horas, porque o texto é simples, de fácil compreensão, super envolvente e verdadeiro.

A autora fala conosco através das páginas, enquanto a história flutua entre o amor e a amizade, as implicações de confundir ambos e misturar outros sentimentos, deixando um questionamento percorrer o texto com a suavidade de um floco de neve: Quem manda no coração? Eis a questão.
Giffin é uma mestra na arte de identificação com o leitor.

***
Ela não se lembrava de já ter visto neve, até mesmo uns poucos flocos, no mês de outubro. Mas isso poderia ser o tipo de coisa que geralmente não percebemos quando estamos de um lado para o outro, correndo para resolver as coisas. (P. 88)
***

Tessa Russo
Mulher de um grande cirurgião pediátrico, com quem tem dois filhos – o fofo Frank e a primogênita Ruby, de 4 anos, uma garota incapaz de ser esquecida ou ignorada, por conta de sua "atitude de 14". Tess deixou a carreira para se dedicar à casa e aos filhos, acabando por se envolver mais com as damas da sua comunidade. Para todos que a veem da porta para fora, ela tem o casamento perfeito... Uma vida de sonhos.

Valerie Anderson
Advogada, mãe solteira do doce Charlie, que não conhece o pai. Val exibe uma figura forte, foi mãe e pai de seu baby e desistiu de encontrar o amor e mesmo a confiança em quaisquer pessoas que não fossem de sua família - as únicas que ficaram ao seu lado na dificuldade.

Ambas moram em Boston, mas jamais se conheceram. Um simples telefonema na hora do jantar transforma as suas vidas de forma que nada será como antes.

***
Ela investigou o banco de trás do carro antes de destravar a porta, algo que já fazia havia anos, desde que um adolescente de sua cidade natal fora sequestrado no estacionamento de um shopping... Nesta noite, porém, o banco de trás do carro de Valerie não estava assustador, mas sim comum e sem graça. É o lado bom da história, ela pensou, quando um medo maior se concretiza, os medos menores perdem a importância. (P. 123)
***

O livro traz, com sinceridade e imparcialidade, a hipocrisia das convenções sociais, a dificuldade de enfrentar seus piores medos – sem poder fugir deles. E não importa o que você pensa encontrar durante a leitura deste livro: ele vai te surpreender. Os personagens são imprevisíveis e a autora tem uma compreensão particular das pequenas coisas do dia a dia; ela mostra com sensibilidade as consequências de coisas que fazemos e que só percebemos como uma grande besteira quando é tarde demais.

É uma leitura viciante, mas é inegável... É indignante! Sentimos raiva, paixão, amor e ódio pelo rumo que as coisas tomam, na história, pela forma como as pessoas sucumbem às próprias fraquezas. Através da narração de pontos de vista intercalados, Emily nos faz ficar dos dois lados da história, apresentando um panorama imparcial da essência humana, que ela parece compreender tão bem.

Ela te fornece o que é necessário para que decida, deixa para o leitor a missão de separar o certo do errado. Mas existe mesmo um lado de casa coisa? Como lidar com as inúmeras implicações de cada decisão que se toma na vida? De que lado você vai ficar?

***
Ela sabia disso melhor que a maioria das pessoas, mas mesmo assim ainda se surpreendia com isso, admirada com o fato de que a simples passagem dos dias podia agir como uma mágica gradual.
O tempo cura todas as feridas. (P. 425)
***

O livro não terminou como esperei, mas gostei da conclusão. Tem drama na medida certa para nos fazer continuar lendo e descobrir o que acontece no final. Constantemente, você se coloca na posição de protagonista, mas quem realmente protagoniza esta história? Na minha mente, existe uma única resposta plausível: o próprio leitor.

PALAVRAS NOVAS

Alcova = quarto de dormir sem janelas / quarto de mulher
Boçal = estúpido, ignorante
Cardigã = casaco de malha sem gola
Caril = condimento em pó indiano, amarelo / molho feito dele
Cecear = proninciar S, Z, C e X apoiando os dentes na ponta da língua
Circunspecto = procede com OU denota seriedade, reserva, dignidade, discrição
Complacente = benevolente, condescendente
Fiduciário = que depende de OU revela confiança
Hedonismo = tendência a considerar que o prazer individual e imediato é a finalidade da vida
Idílico = de amor poético e suave
Ilhós = orifício por onde se enfia fio ou cordão
Indelével = que não se pode delir, apagar, desvanecer
Inócuo = inofensivo
Miríade = Grande, indeterminada quantidade de algo
Moção = proposta em assembleia sobre o estudo de uma questão ou incidente
Pajem = babá
Panaceia = remédio eficaz para qualquer mal, físico ou moral
Vime = vara do vimeiro, flexível
Voleio = (tênis) rebater a bola sem deixá-la cair no chão.
comentários(0)comente



292 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |