Histórias Íntimas

Histórias Íntimas Mary del Priore




Resenhas - Histórias Íntimas


59 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Gabriela 05/04/2020

Sexualidade
Um livro sobre a sexualidade desde o Brasil colônia até o século XXI. Interessante e ao mesmo tempo chocante.
comentários(0)comente



Clio 05/07/2020

Histórias Íntimas faz arte da leva de paradidáticos que enchem as nossas prateleiras... não deixe isso que te afaste! Mary Del Priore é uma historiadora de renome que faz um ótimo trabalho em fazer a História da Sexualidade mais acessível.

O livro foca primariamente na história brasileira, falando não apenas sobre práticas sexuais, mas também sobre erotismo, casamento, relações sociais, política e tudo o mais que engloba esse tema.

O livro também é rico em relatos e ilustrações, apresentando uma rica bibliografia para quem deseja se aprofundar no assunto.
comentários(0)comente



Guarilha 24/01/2014

Em 1500, Pedro Álvares Cabral e sua comitiva chegaram à terra que seria batizada de Brasil e encontraram índios, nus e limpos. Não houve excitação; não houve erotismo. Ao contrário, os portugueses os viram como “animais ingênuos”. Enquanto isso, na Europa, artistas retratavam o nu – pura arte poética, nenhuma conotação erótica.

No século XVIII, praticava-se o sexo no mato, pois dentro das casas a falta de um artigo caríssimo, a fechadura, impedia qualquer privacidade. Numa época na qual a Igreja regulava até as relações sexuais entre marido e mulher, era na missa que casais se encontravam. E lá, aproveitando a parca iluminação e os lugares bem escondidinhos, transavam.

A visão dos seios não excitava; mas a dos pezinhos, única parte feminina nua, sim. Quanto mais roupa a mulher usasse, mais interesse causaria no sexo oposto. Casais devidamente casados iam para a cama cheios de ordens da Igreja: sexo era para procriar (crescei e multiplicai). Tirar a roupa, nem pensar. Prazer? Só para os homens.

Mary Del Priore, conceituada historiadora, conta essa história, com detalhes, em seu livro. Nele, a autora revela a relação entre homens e mulheres, família e Igreja, tabus e hábitos, machismo e feminismo, fidelidade e adultério, filhos legítimos e ilegítimos, escravas e senhores.

Com linguagem fácil e esclarecedora - e por vezes irônica, “Histórias Íntimas” foi escrito por quem sabe tornar agradáveis assuntos que em outras mãos seriam chatos. O livro também conta com ilustrações divertidas, que mostram de um jeito bem humorado a evolução da nossa sexualidade e do nosso erotismo.
comentários(0)comente



Anny 08/10/2014

O livro de Mary Del Priore traça um bem embalado panorama da relação entre a sociedade brasileira e o sexo, de 1500 até os dias de hoje. Apesar de ser um livro essencialmente histórico, a leitura é fácil e fluente, fazendo com que o leitor sinta-se inteiramente integrado ao contexto que a autora traça em suas palavras.
Chama atenção a intensa pesquisa bibliográfica com a qual o livro foi construído, contendo referências de diversas publicações e autores, nacionais e estrangeiros; da Revista O Cruzeiro à Revista Veja, de Nelson Rodrigues a Tati-Quebra-Barraco, todas as citações ajudam a tecer a trama pretendida pela historiadora.
A divisão em cinco capítulos feita pela autora, começando com Da colônia ao Império e finalizando com As transformações da intimidade, também ajuda a situar o leitor no período histórico a ser descrito e resume bem a matéria a ser tratada em cada excerto do livro.
No transcorrer das 252 páginas ficou bem visível, ao menos para mim, a crítica feita à submissão feminina durante todo esse tempo. Cada conquista alcançada pelas mulheres fica bem marcada, culminando com a revolução sexual ocorrida nos anos 60, com a inserção e a disseminação no uso da pílula anticoncepcional e chegando ao século XXI, no qual muitos lares brasileiros são chefiados pela figura feminina.
Não faltam também relatos de personalidades importantes para o Brasil, como Dom Pedro I. O imperador manteve famoso caso com Domitila de Castro Canto e Mello, que após foi agraciada com o título de Marquesa de Santos; traição esta que não era escondida de ninguém da corte e resultou em alguns filhos ilegítimos.
Uma obra que vale a pena ser deleitada por aqueles que gostam da história brasileira, descrita de pontos de vista que dificilmente seriam apresentados a nós enquanto estivemos nos bancos escolares.

site: http://www.leioeu.com.br/2013/10/historias-intimas.html
comentários(0)comente



Vinícius 28/12/2015

Sensacional
O trabalho de pesquisa é impecável. Tudo devidamente citado. Mary não escreve de história para historiadores, o que é muito louvável.

O trabalho feito pela igreja e a burguesia nestes 5 séculos e pouco de Brasil para culpar o sexo e, principalmente, a mulher é de uma crueldade e eficiência absurdas. Essa culpa está presente até hoje...
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Wilton 17/05/2014

Pelo buraco da fechadura
PELO BURACO DA FECHADURA
Mary Del Priore devassou a intimidade do brasileiro. Começou a narrativa na época do Descobrimento e chegou aos nossos dias.
Sem espalhafato, munida de estatísticas e pesquisas confiáveis, cumpriu com louvor a missão proposta.
Deu especial realce ao universo feminino, retratando a evolução da mulher do papel de objeto sexual, totalmente submissa, à condição de agente, por vezes cruel, dessa sexualidade.
O livro não se reduz à revelação do pensamento da autora. Nele, há intensa pesquisa psicossociológica e consulta a extensa bibliografia.
A obra prende o leitor do início ao fim, às vezes séria e compenetrada e, em outras, irreverente e até engraçada.
comentários(0)comente



Tauan 23/09/2015

A historiadora Mary de Priore nos traz histórias sobre a sexualidade dos brasileiros através dos tempos; ela nos mostra como a sexualidade e a noção de intimidade foram mudando ao longo do tempo, influenciadas por questões políticas, econômicas e culturais, e passaram de um assunto a ser evitado a todo custo para um dos mais comentados nos dias de hoje..
O livro tem curiosidades como: quando o Brasil era a Terra de Santa Cruz, as mulheres tinham de se enfear e os homens precisavam dormir de lado, nunca de costas, porque se acreditava que a concentração de calor na região lombar excitava os órgãos sexuais.
Nos momentos de intimidade, geralmente no meio do mato, e não em casa, porque chave e fechadura eram artigos de luxo e não era possível fechar as portas aos olhares e ouvidos curiosos; as mulheres levantavam as saias e os homens abaixavam as calças e ceroulas. Tirar a roupa era proibido. E beijar na boca? Bem... sem pasta e escova de dentes, difícil (Que nojo!).
Mas como o proibido aguça mais a vontade, a instituição que mais repreendia os afoitos, ironicamente, acabou se tornando o templo da perdição. Onde as pessoas poderiam se encontrar, trocar risos e galanteios e até ter relações sexuais, sem despertar suspeitas, se não no escurinho... das igrejas? (isso era de se imaginar...)
comentários(0)comente



Adiene 26/06/2020

A sexualidade no Brasil
O livro aborda várias minucias presentes sobre a sexualidade. Vai dasde a origem, com a vinda dos portuguese ao brasil que gera a eles um espanto diante da nudez do habitantes, até a atualidade onde a nudez e o sexo são coisas naturais e de muito fácil acesso com as redes sociais. Após esta leitura posso dizer que a cultura sempre esteve tentando suprimir a mulher e isso é horrível. Agradeço por não ter que viver em uma sociedade onde a virgindade e a pureza ou falta de conhecimentos sobre o próprio corpo sejam requisitos para ser "uma mulher de bem". Não podemos aceitar tais comportamentos nos dias atuais.
comentários(0)comente



Sabrina 07/01/2018

Apesar do conteúdo ser extremamente curioso e da leitura ser agradável e fluida, a superficialidade tratada gera um vazio, o que por um lado pode ser considerado positivo, pois dá vontade de aprofundar em alguns dos temas, mas, por outro, a sensação que dá é que esse livro merecia mais páginas, sobretudo para introduzir sujeitos invisibilizados nessa obra, como os negros, que só aparecem para fazerem o contraponto senhores/escravos.
comentários(0)comente



Henrique 06/04/2015

Muito bom
Este é um livro leve, com linguagem bastante acessível e que conta parte de nossa história sob uma perspectiva muitas vezes negligenciada pela maioria dos historiadores: a sexualidade. É um livro para curiosos. A própria capa do livro indica para quem foi feito. Para além da sugestão de um "Big Brother" histórico, cabe ressaltar a mensagem de que a maneira de os brasileiros lidarem com a sexualidade própria e alheia hoje talvez não seja tão original, só revestida de nova roupagem.
comentários(0)comente



Mari 24/04/2020

Estudar sexualidade é muito importante
História íntimas faz um apanhado geral sobre a história da sexualidade no Brasil, ela fala desde o Brasil colonial até a atualidade, dessa forma, mostra como foram as mudanças de comportamentos, do sexo, da higiene e da sexualidade no Brasil.
Mary del Priore faz uma introdução geral para esse estudo, então vale a pena a leitura para começar os estudos sobre sexualidade. Ela aborda muitas informações e referências mas de forma leve e uma escrita simples que alcança a todos.
comentários(0)comente



Juliana.Cantuária 19/06/2020

Devir histórico sob os lençóis
Neste livro, Mary Del Priori desnuda a sexualidade no Brasil desde o período colonial, alcançando os tempos atuais. É um ponto de vista interessante, pois ao vislumbrar momentos anteriores ao que vivemos conseguimos compreender um pouco mais do porque somos o que somos e fazemos o que fazemos.
Interessante notar que a história da sexualidade é na verdade a história da sexualização do feminino. Desde sempre a questão sexual girou (e até hoje gira) em torno do corpo e dos elementos atribuídos ao que é feminino. De um ponto de vista mais psicanalítico observa-se que o corpo feminino e suas representações vão mudando ao longo do tempo, construindo-se (e desconstruindo-se também) novos conceitos sobre o que é sexualidade, o que é aceitável, o que é desejável e o que é imoral ou repugnante.
Temas como homossexualidade, doenças sexualmente transmissíveis, pedofilia, aborto, também são tratados, por fazerem parte do contexto, mas a autora não se aprofunda nessas questões, mantendo uma visão mais geral sobre a sexualidade.
comentários(0)comente



Graziela.Ferri 30/08/2015

Muito interessante
Ao mesmo tempo que te ensina sobre a evolução do sexo durante o tempo também te faz refletir sobre a sociedade e o indivíduo. Muito bom
comentários(0)comente



59 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4