Carrie, a Estranha

Carrie, a Estranha Stephen King
Stephen King




Resenhas - Carrie, A Estranha


524 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


@Marlonbsan 23/03/2020

Carrie, a Estranha
A adolescente, Carrietta White, não leva a vida comum como a dos outros de sua idade, muito por conta de sua mãe, que a impede, devido a sua devoção religiosa. Já no colégio, os ?colegas? a perseguem e atormentam. Mas Carrie possui um segredo, objetos próximos a ela costumam se mexer de forma nada natural.

O livro é narrado, na maior parte, em terceira pessoa, trazendo relatos, entrevistas, reportagens, trechos de livros (criados para dar contexto narrativo), que montam a história e o que aconteceu com Carrie em parte da sua vida e mais especificamente no baile de formatura e o seu desfecho. A leitura é fluida, King já demonstrava o que viria a ser sua escrita posterior que pesa na prolixidade, porém nesse livro ele não se aprofundou tanto nesse ponto. Mas mesmo assim, a forma como é montada e contada a história fica um pouco confusa e não cativa muito.

Carrie é uma personagem que sofre muito, tanto pela sua criação, com uma mãe extremamente religiosa que não a instrui sobre seu corpo e o fato de ser mulher, quanto pelos seus ?colegas? de escola que a tratam de forma lamentável. O que a motiva a tomar as atitudes narradas.

O toque sobrenatural referente à telecinesia é explicado através de trechos de um livro (fictício) que explora o assunto e é interessante como foi abordado, King desde o começo demonstrava uma criatividade fora do comum. No geral, traz uma importante lição relacionada ao bullying e a forma de tratar as pessoas.
comentários(0)comente



Bill 29/07/2010

Justiça!
Não considero este livro um livro de terror, nada há que produza medo, mas revolta, porém, sim.

Alguns dos abusos sofridos pela Carrie, eu próprio já os sofri e se eu tivesse seus poderes (ou qualquer outra pessoa) teria feito o mesmo que ela fez, tenho certeza disso.

O que é justiça?

O que é vingança?

Quando é um e quando é outro?

Na paz e conforto de nossos lares julgamos a vingança como um crime, mas na pele de um vingador, seria vingança ou justiça em nossas mentes?

Pra mim (sei que serei criticado), Carrie fez justiça contra uma cidade desprovida de valores reais, com uma máscara de bondade, enfim, hipócrita.

Existem várias formas de crimes, existem várias formas de morte. Carrie foi assassinada e violada em sua dignidade em todos os dias de sua vida, repetidamente e de diversas formas diferentes.

Seu opressor tinha muitos rostos e muitas personalidades. O que fez foi legítima defesa, apenas isso.
Kelly SB 14/10/2010minha estante
UAU!!
Super resenha!! Adorei!
Não chegui a ler Carrie, a Estranha, mas já assisti ao filme, que mesmo bem mal produzido [ok, me critiquem], talvez por ser bem antigo, despertou em mim esse mesmo sentimento, de justiça. Também não vi nada de terror no filme, talvez pela produção, lá vou eu de novo rs, mas tem uma boa história. Quem sabe eu leia o livro algum dia. =D


Jeferson 11/11/2012minha estante
O mais interessante é que tem horas em que dá vontade de entrar no livro só para dar umas bofetadas em alguns personagens! O sentimento de injustiça aumenta com o passar das páginas!O livro é perfeito, sua resenha tbm!


Bill 11/11/2012minha estante
Obrigado Jeferson!


Daniela 15/03/2014minha estante
Adorei sua resenha e esse livro é incrível.


Bill 15/03/2014minha estante
Obrigado Daniela.


Larissa 06/01/2015minha estante
Então, seguindo seu pensamento, toda cidade merece sua Carrie.


Bill 01/04/2016minha estante
Merece?? Por quê?


Jake 08/02/2020minha estante
Como faz pra ler gente? Eu n to conseguindo kkkkk




Aline 25/11/2010

Estranha é a tua Mãe!
Querida Mamãe S. (minha mãe),

Obrigada por ter concedido a mim a liberdade comedida das adolescentes felizes e ter me dado uns tapas só quando eu mereci. Amém.
comentários(0)comente



Gláucia 10/10/2010

Cuidado!
Atenção! Àqueles que são praticantes do "bullying" nas escolas ou em qualquer outro local, aconselho a leitura desse pequeno (e grande) livro. Repensem sua atitude frente àquele(a) estranho(a) colega.

Quanto ao título, ou subtítulo em português, já que o original é apenas Carrie: ESTRANHA É A SUA MÃE! Literalmente. Desafio qualquer um a ser normal com uma mãe daquela.
Pedro 10/10/2010minha estante
Pois é... Se eu fosse um desses que humilham os outros apenas por serem diferentes e lesse esse livro, pensaria duas ou três vezes antes de repeti-las.


Jow 18/10/2010minha estante
Belíssima visão do problema!
Sua resenha enfoca de uma maneira simples, as problematizações do livro.




Duda 01/07/2020

Carrie, a Estranha
Essa história é a prova viva de que o livro sempre será melhor que o filme rsrs. Fazendo uma breve comparação, o livro em si é muito mais cru com os detalhes da historia, há coisas bem mais pesadas que não refletem na essência do filme. Uma das provas é que a Carrie do livro é muito mais estranha. Já conhecia a história, mas foi interessante saber a fundo dela, vale a pena a leitura e gostei da experiência. O livro tem uma certa dinâmica que não sou fã, por isso a demora dele ser concluído... No fim esse é o título que menos gostei do Stephen...
comentários(0)comente



Kei 18/12/2009

Eu não diria estranha.
Datado de 1974, Carrie ('Carrie, a estranha' somente aqui no Brasil) foi o primeiro (informação inexatada) romance de Stephen King, e que segundo ele, tem um 'surpreendente poder de machucar e horrorizar' (Trecho retirado da Wikipedia). Talvez, esse poder esteja tão presente pela quantidade de realidade crua e aplicável ao dia-a-dia de centenas de jovens.

Sofrendo de alguns problemas de ordem fisiológica, criada sob a pseudo-proteção de uma mãe com religiosidade além do simples fanatismo e alvo de constantes atos de bullying no colégio, desde a idade mais tenra, é natural imaginar que Carrie, de certa forma, encaixe-se no estereótipo de uma pessoa 'estranha'. A estranheza, todavia, é tão natural quanto a estranheza que verificamos em pessoas mais tímidas no cotidiano das nossas escolas. Carrie é o que eu gostaria de chamar de vítima da sociedade.

O diferencial da garota, porém, é apresentar o suposto 'gene TC', referente a poderes paranormais que serão, adiante, conhecidos como telecinése.

Some os fatores constantes do segundo parágrafo com o diferencial referenciado no terceiro, e verá que o resultado não será tão surpreendente assim. Provavelmente explicará o motivo que leva 'Carrie, a estranha' a ser um livro de apenas 140 páginas.

Ainda assim, Carrie é tão normal quanto muitos de nós, e o livro tratará de mostrar isso. Tratará de mostrar que Carrie era uma garota com sentimentos e desejos, assim como qualquer um de nós, assim como tratará de mostrar que, assim como todos nós, Carrie também sofre com muitos problemas, e de certa forma, tratá de 'justificar' tudo o que ocorreu naquela noite. Tudo com o poder do efeito dominó.

Por fim, cabe ressaltar apenas que Carrie tem várias 'peculiaridades' narrativas características do jeito King de escrever. Pensamentos mesclados a descrições de forma clara, mas confusa. Pensamentos como eles são, sem vírgulas, pontos ou marcaços. Pensamentos puros. Também, é contado em duas formas: sobre o ponto de vista dos personagens, e sobre o ponto de vista de diversos relatórios fictícios que embasam a leitura. É especialmente interessante de se ler graças ao último aspecto, dá um cru toque de realidade a todo o acontecido.

Pessoalmente, eu acreditaria que Carrieta White existiu no nosso mundo, em determinado momento. Se isso dependesse apenas do livro.
comentários(0)comente



Lívia 13/06/2020

O primeiro do mestre.
Carrie, a Estranha foi a primeira obra publicada de S.K., mas o 7° livro que leio dele. Neste mês de junho teve início um projeto de leitura conjunta de todas as suas obras em ordem cronológica e decidi participar, creio que se não fosse por isso, não teria lido Carrie nesse momento e perderia ainda mais tempo deixando de ler um ótimo livro.

Tive um pouquinho de dificuldade no comecinho para engatar a leitura, mas depois que me situei melhor nos acontecimentos, o livro cresceu muito em meu conceito, senti uma empatia muito grande por Carrie e por todas as situações que ela estava passando, é um livro que aborda em sua grande maioria o bullying sofrido pela menina e o fanatismo religioso que a mãe dela possui.
Nunca assisti às adaptações do livro e acho que isso me ajudou muito a gostar ainda mais da história.

Considero um ótimo livro para quem quer começar a ler King, em Carrie podemos ver muitos dos elementos únicos da escrita do mestre que o acompanham em todos os seus livros.

"Sinto muito mamãe mas não consigo sentir muito."

site: Resenha disponível também no Instagram: https://www.instagram.com/p/CBbOY7ClFk9/?igshid=1tpt5bc5nhxtb
comentários(0)comente



Alê 29/05/2020

O primeiro Stephen King
Há muito tempo, ensaio ler uma obra de Stephen King. Encontramos várias sugestões por qual delas começar, enfim, optei por seu primeiro livro.

Carrie, a Estranha é uma obra que tem uma narrativa com a prosa que narra a vida de Carrie no presente e artigos que dialogam com fatos descritos ao longo de todo livro.

Embora seja o único livro que li do autor até o momento, acredito que seja uma boa entrada para o universo do Mestre King.
Elton.Martins 29/05/2020minha estante
Se aceita sugestões.

Recomendo demais 'O Iluminado' e 'Doutor Sono', que é a continuação do primeiro.

'A coisa' é muito bom também, apesar de esperar um pouco mais do final.

'Escuridão total' é bom também. São 4 histórias diferentes... Leitura rápida.

Por último, o Misery. Bom também, mas confesso que esperava um pouco mais.




Haru 05/06/2020

Segundo livro do King que leio e só quero ler mais e mais livros dele.

Agora quanto ao livro... Eu nunca assisti o filme e nem sabia do que se tratava a estória de Carrie além do que todos sabem do lance de cair coisa em cima dela e quebrar tudo. Confesso que esperava mais do livro, imaginei que aconteceria muitas outras coisas mas basicamente o livro se atém nos poderes dela sendo descobertos (ou aprimorados) após a puberdade e o baile. Acho que como eu não sabia nada sobre, imaginei que teriam mais acontecimentos.

E preciso dizer que para mim o maior terror mesmo do livro foi a mãe da Carrie. Que pessoa horrível! De resto não dá medo não e é bem de boa de ler, para quem tá querendo começar a ler livros de terror e não tem coragem, super indico! Sangue e mortes ocorrem mas não é de apavorar!
comentários(0)comente



Eder 08/10/2013

Carrie, A Estranha - Stephen King
Sempre tive curiosidade de ler a novela que consagrou Stephen King, Carrie, a Estranha. Afinal, há toda uma lenda em torno desta. Diz-se que King terminou de escrever, mas não gostou e acabou jogando no lixo. Sua esposa encontrou o manuscrito, leu, gostou e fez com que King levasse aos editores [lendo On Writing, recentemente, fiquei sabendo que isso realmente aconteceu, mas ele apenas houvera iniciado a história e não concluído, como eu escrevi. King transcorre sobre, no capítulo 28.]. O livro se tornou o primeiro grande sucesso do autor.

O livro é dividido em três partes. A primeira, Brincando com Sangue, apresenta a personagem título, mostrando fatos sinistros sobre a sua criação, e como ela era tratada pelos colegas de sua escola. Narra também o atormentador caso no vestiário do ginásio, ponto de partida dos eventos que se sucederiam. Ao fim da primeira, já é possível prever boa parte do que vai acontecer. A segunda, Noite do Baile, narra os eventos da véspera do baile de formatura, o baile em si, e os posteriores acontecimentos a este. A terceira, Os Escombros, nada mais é do que trechos extraídos de cartas, reportagens e documentos, com alguns comentários a respeito de Carrie, e do fenômeno TC - telecinesia.

A narrativa em terceira pessoa é intercalada com trechos de supostas reportagens e livros acerca do tal ocorrido. Graças a isso, o livro se torna previsível, porém, isso não prejudica a qualidade da obra. Pelo contrário, funciona muito bem, já que dá um ar de verossimilhança à escrita. A principal temática do livro é o sentimento e a reação do ser humano diante da humilhação e das zombarias, seja de quem sofre com isso, como quem inflige. Carrie, a Estranha é um livro que traz adolescentes como principais vilões, e torna-se uma imitação da vida real, afinal, muitas pessoas jovens em sua maioria já se voltaram de maneira violenta e homicida contra os que lhe fizeram sofrer algum tipo de humilhação.

Mesmo sendo uma novela do início da carreira de King, Carrie, a Estranha, é um livro muito bom, e já traz uma das principais características do mestre: a perturbadora capacidade de descrever os sentimentos (incluindo os mais pecaminosos) humanos. Neste livro, Stephen King expõe, com muita precisão, os sentimentos de todo adolescente com problemas de socialização durante o colégio. Primeiro aquela vontade de ser como os demais, ser uma pessoa normal, ser aceito. Logo depois a percepção que nunca conseguirá ser como os outros. Os risos que ferem a alma como cacos de vidro, que tiram o sono. A desconfiança, que os transformam em espécies de animais acuados. Em seguida, vem o desprezo... E o ódio. A raiva que fervilha por dentro. A vontade de ter poderes para punir aqueles que se divertem às suas custas é inebriante. O anseio doentio de esmagar as pessoas que os humilharam, para vê-las sofrer, se tornando inevitável. Para quem enfrentou esses sentimentos em alguma fase da vida é impossível não se condoer por Carrie.

É lamentável saber que ainda hoje, o modo como Carrie era tratada por seus colegas e sua mãe é uma verdade para muitas pessoas. Mais triste ainda, é ter a certeza que muitas dessas pessoas gostariam de ter os poderes conferidos a Carrie no livro. Alguns inclusive buscaram esse poder em armas de fogo, o que inevitavelmente resultou em tragédias. Com isso, mesmo tendo sido publicado pela primeira vez em 1974, Carrie, a Estranha ainda é muito atual, e explica muita coisa acerca de recentes tragédias em escolas e universidades no mundo.

[editada em out/2013, após leitura do capítulo 28 de On Writing.]
comentários(0)comente



Phelipe Guilherme Maciel 15/12/2016

Stephen King é vanguardista desde sempre. Ele tem o dom de passar lições de amor em meio ao caos.
Bullying. Esse termo começou a ser utilizado no mundo em 1999, por causa do Massacre de Columbine High School. Este foi o primeiro livro publicado por Stephen King, mas não o primeiro de sua carreira. Na introdução de Os Livros de Bachman, ele conta que havia escrito outros 5 livros antes de Carrie, mas o importante é termos em mente que o livro foi escrito em 1974, 25 anos antes do massacre que gerou o termo Bullying.

Muito já se disse sobre Carrie, pois o icônico livro é um dos clássicos máximos do rei do horror. Por isso, esquecerei o enredo. Quero falar de outras coisas, mas primeiro quero falar logo do "enredo". Sim, se você não conhece o enredo de Carrie, por favor, não leia resenhas. não veja reviews. não assista aos filmes. Tenha uma experiência pura ao ler o livro. Veja bem, não sou PURISTA, mas este livro revela o quanto Stephen King foi genial desde o início da Carreira.

Em Carrie, o próprio livro revela que a grande merda vai acontecer. o Spoiler acaba por acontecer por volta da página 100. Isso é irrelevante. Todos sabem que Carrie fará algo horroroso. Mas Stephen King faz do livro um conto documentado, uma análise dos livros que analisaram o caso de carrie. Há livro científico, livro de sobrevivente do massacre, livro da aluna que gerou o início de tudo isso. Claro, tudo isso saiu da cabeça de Stephen King. Os momentos do livro que não são "documentais", é como se fossem flashbacks, com diversos pontos de vista diferentes...

Há o ponto de vista de Sue, de Chris, de Carrie, de Tommy.... Os flashbacks são das memórias de quem realmente viveu aquele instante. Portanto, não espere que Carrie seja a protagonista do livro. Ela é o ASSUNTO do livro.

Isso é maravilhoso! Ler este livro sem saber o final, te dá a experiência de ver as implicações do ocorrido sendo contados por sobreviventes, por artigos de jornal, por livros de especialistas no assunto. E os flashbacks, que contam o ocorrido pela memória de quem viveu.

Genial.

Outra coisa, remete ao que falei no inicio da resenha: O Vanguardismo de Stephen King. Ele conta que escreveu Carrie porque era assombrado pelo espírito de 2 jovens que estudaram com ele e faleceram ainda na adolescência, e sofriam o tal bullying na escola. Como diz Stephen, não faziam parte de grupo nenhum. Tinham o odor que expulsava invariavelmente as outras crianças delas. Falar sobre a violência de crianças contra crianças, numa época em que isso não tinha grande relevância, é magnífico. Palmas para ele.

Fanatismo religioso: A mãe de Carrie, Margaret White, uma cristã doentiamente fundamentalista, tem uma personalidade vingativa e estranha, e, no passar dos anos, educou a jovem Carrie com uma varinha de aço e fazendo ameaças de condenação. O comportamento abusivo mental e emocional de Margaret, tem ocasionalmente se cruzado também com abuso psíquico. Se seu DEUS não fala de amor. de aceitar o outro. de viver em paz... TROQUE DE DEUS, Camarada.

Um pequeno livro de 200 páginas que ecoa nos dias de hoje ainda atual. Precisamos falar sobre Carrie. Precisamos falar sobre Bullying. Precisamos falar sobre Religiosidade excessiva. Precisamos falar sobre OUVIR NOSSOS FILHOS. Tantas situações como estas podem ser evitadas. Não é necessário telecinese pa
Resenhando Com Luke ® 19/12/2016minha estante
Sensacional sua Resenha


Phelipe Guilherme Maciel 20/12/2016minha estante
Obrigado, mestre! :D


Alana 30/01/2017minha estante
Ai, que resenha maravilhosa!!! Foi o primeiro livro do King que eu li! Acho que já esta na hora rele-lo e descobrir as novas impressões que ele pode me causar, depois de tantos anos. Amei a leitura na época, mas quero ler com a ótica da Alana de agora...


Phelipe Guilherme Maciel 30/01/2017minha estante
Alana, é verdade, os livros nos trazem coisas novas cada vez que lemos, e com certeza com a maturidade adquirida em todos esses anos desde a leitura anterior, você tirará tanta coisa boa do livro, eu aconselho a releitura ;D


Michele 19/12/2017minha estante
Que resenha Maravilhosa!


Phelipe Guilherme Maciel 02/01/2018minha estante
Michele, obrigado pelo elogio. Esse livro é realmente inspirador e nos deixa fascinados.




Samantha 18/03/2020

Esse livro é muito atual, pois vemos uma garota que sofre bullying na escola e como isso impacta na sua vida
comentários(0)comente



Marcos 29/12/2014

*Apesar de ser a primeira obra publicada do King, ele consegue mostrar nesse livro de poucas páginas o seu enorme talento.
Carrie é uma adolescente que tem uma vida bastante conturbada e vive em total isolamento graças aos “cuidados maternos” que interferem na vida da garota. Além de ser vitima de Bullying no colégio, Carrie tem que lidar com o fanatismo religioso de sua mãe que acredita que tudo na vida é pecado e isso é passado para a garota de forma cruel. O que aparentemente ninguém sabe é que a garota tem um dom incomum, o que vai ser destrinchado no livro ,desde a sua primeira manifestação , até o fatídico Baile de Formatura. Não vou entrar nos detalhes do livro para não dar Spoilers,e acredito que muita gente se não conhece o livro deve conhecer pelo menos os filmes ( as três adaptações).
A primeira obra do King é espetacular, a sua narrativa além de ser criativa não é cansativa. Ele não utiliza uma linguagem prolixa. Os meios utilizados pelo autor para escrever sua obra faz com que a ficção pareça realidade, o que é surpreendente. Além disso seus personagens são bem construídos. O autor nessa obra não é muito descritivo, ele é bem direto ao ponto. Não vá atrás desse livro na esperança de encontrar TERROR, pois Carrie é um terror mais psicológico do que sobrenatural, é uma obra que literalmente mexe com a nossa mente, e isso é característica própria dos livros do King.
Enfim, Carrie,a estranha é uma baita obra criada pelo S.King. Através desse seu livro de estréia que ele alcançou esse sucesso todo que tem hoje. Vale muito a pena ler essa obra do mestre do horror e correr para ler seus outros títulos também porque realmente é um autor que merece todo mérito que tem hoje.
marciia.anthonya 29/12/2014minha estante
Todo mundo que conheço que já leu esse livro diz que é bom... Vou ler pra conferir
Gostei da resenha


Marcos 30/12/2014minha estante
Leia, vale muito a pena! :)




Luiz Amaro 08/04/2020

VOCÊ ATÉ PODE NÃO GOSTAR DE KING, PORÉM, VOCÊ ESTÁ ERRADO(A)
A primeira obra do Mestre King. Um livro de 1974 que ainda é reconhecido e aclamado por muitos hoje em dia.

Porém, conheço algumas pessoas que não gostaram deste livro, críticas embasadas principalmente quanto a narrativa do autor, são argumentos como ?ah, é a primeira obra dele né, o King ainda estava verde?. Ou então, ?ah, achei a narrativa amarrada, não me apeguei aos personagens?

Na minha opinião, a primeira crítica é clichê. É fácil atacar alguém pela primeira obra, fundando seu argumento em inexperiência. Lógico que o King não é 100% perfeito, aliás, ninguém é. Porém, atacar a primeira obra dessa forma é baixo. No segundo ponto também não concordo, é claro que os personagens não foram criados para serem aclamados, pelo contrário, eles são fdp para a história fazer sentido, não teria lógica a mãe, os colegas de escola ou até mesmo a Carrie ter o apego do público, senão a história não faria sentido, não é mesmo?

Estou longe de acreditar que Carrie não tenha defeitos, ou então, que seja o melhor livro do King. A minha crítica fica para a diagramação do livro, que não possui quebra por capítulos, o livro é composto de três partes, sendo as duas primeiras com 100 pág (cada) de texto corrido, isso cansou um pouco minha leitura. Quanto a história nada a reclamar, um dos maiores clássicos do terror.
May 08/04/2020minha estante
Meu escritor favorito.


Luiz Amaro 08/04/2020minha estante
@May nosso ??




524 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |