A Viajante do Tempo

A Viajante do Tempo Diana Gabaldon




Resenhas - A Viajante do Tempo


281 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Aletheia (@almaletrada) 15/09/2017

No primeiro livro da série Outlander somos introduzidos a um universo de lendas e costumes da Escócia. Frank e Claire acabaram de retornar da segunda guerra mundial e tentam resgatar um casamento que ficou suspenso por 6 anos. Em uma segunda lua-de-mel, viajam para Inverness nas Highlands escocesas. Enquanto Frank, que é historiador, especialista em genealogia, tenta construir seu passado, Claire é apresentada, pelo reverendo Wakefield e a sra. Graham, ao universo de lendas e superstições da comunidade local. Numa madrugada, Frank e Claire vão a Craigh na Dun e presenciam um ritual ancestral de origem celta. Sem acreditar em nada disso ela volta ao círculo de pedras procurar plantas e ervas para suas próprias pesquisas e ali viaja para uma Inverness de 200 anos antes. Sem entender nada e desorientada pela viagem no tempo, é atacada por um soldado inglês, Black Jack Randall (ancestral do Frank) a cara do seu marido, que tenta estuprá-la. Salva por um grupo de escoceses é levada ao castelo Leoch, onde irá desenvolver suas artes de curandeira. Começam então grandes aventuras e confusões em um tempo que ela desconhece completamente. Aqui começa um triângulo amoroso, já que ela se vê obrigada a casar com um escocês para não ser entregue ao homem que tentou usar violência contra ela: BJR. Acusada de bruxaria escapa da morte salva por seu novo marido: Jamie Fraser. Na fuga retornam a Lallybroch, lugar e lar onde Jamie é o senhor das terras. Numa emboscada armada por um conhecido dos Frasers, Jamie é capturado e levado à prisão de Wenthworth. Novas aventuras se sucedem e Claire tem que resgatar seu marido das garras de Black Jack, que o violentou e sodomizou enquanto estava preso, causando um trauma quase irreversível. Esse livro termina com o embarque deles para a França, fugindo de um rastro de confusões deixado na Escócia. Diana Gabaldon consegue nos prender do início ao fim em uma estória/história eletrizante e cheia de reviravoltas.
comentários(0)comente



Nayara 09/09/2017

Simplesmente incrível

O livro me prendeu do começo ao fim, até as partes consideradas mais maçantes me faziam ansiar por mais. O casamento praticamente forçado entre Claire e Jaime abriu espaço para um romance ardente entre os dois, desenvolvido em pouco tempo, mas com tamanha intensidade!
A força e coragem de Claire, a bondade e decência de Jaime... o sofrimento de ambos causado pelo afastamento (e não só por isso), fazem com que o leitor sinta o mesmo que os personagens. E faz com que haja uma torcida para que tudo ocorra bem.
E o livro apresenta além de um cenário místico, um cenário histórico, que eu não conhecia, tratando da Revolução Jacobita, na qual os personagens se envolvem diretamente.

Super recomendo!
Gih 10/09/2017minha estante
aii meu deusss!!! seu comentário me deixou ainda mais ansiosa para comprar esse livro!!! sz




Tamires 02/09/2017

Maravilhoso!
Extremamente bem escrito, cativante em todos os momentos. Conseguiu me prender do início ao fim.
Gih 10/09/2017minha estante
eu querooo muito ler.. e com certeza esse comentário me fez ter certeza que irei compra-lo!!!! sz




Thais 24/08/2017

Não sei se me apaixonei mais pela história ou pela maneira como a Diana a escreve. Livro fantástico, vale cada uma das linhas.
comentários(0)comente



Bruna 09/08/2017

Resenha: A Viajante do Tempo
O meu primeiro contato com a série Outlander (ela tá disponível na Netflix, não perca tempo e vai logo assistir) foi incrível, com uma trama bem envolvente e com ótimos personagens foi impossível não gostar de Outlander, eu passei a amar essa série desde o primeiro episódio. E depois de terminar assistir as duas temporadas eu resolvi dar uma chance para os livros, e assim como a série acabei me encantando completamente pela história criada por Diana Grabaldon.

"Em 1945, no final da Segunda Guerra Mundial, a enfermeira Claire Randall volta para os braços do marido, com quem desfruta uma segunda lua de mel em Inverness, nas Ilhas Britânicas. Durante a viagem, ela é atraída para um antigo círculo de pedras, no qual testemunha rituais misteriosos. Dias depois, quando resolve retornar ao local, algo inexplicável acontece: de repente se vê no ano de 1743, numa Escócia violenta e dominada por clãs guerreiros. Tão logo percebe que foi arrastada para o passado por forças que não compreende, Claire precisa enfrentar intrigas e perigos que podem ameaçar a sua vida e partir o seu coração. Ao conhecer Jamie, um jovem guerreiro das Terras Altas, sente-se cada vez mais dividida entre a fidelidade ao marido e o desejo pelo escocês. Será ela capaz de resistir a uma paixão arrebatadora e regressar ao presente?"

Escócia, 1945

A Segunda Guerra Mundial foi um período difícil para muitas pessoas, não? Para a destemina enfermeira Claire Beauchamp, esse foi um período em que passou afastada de seu marido Frank Randall de modo que ele parecesse um completo estranho para ela. Para poderem se reconectar depois de passar tantos anos longes um do outro nada melhor do que uma segunda lua de mel, essa parece à oportunidade para Claire e Frank retornarem com a vida que levavam antigamente, quem sabe até mesmo uma oportunidade para formar uma família.

Eles vão para Inverness, uma cidadezinha que fica na Escócia. Além de ser um bom local para uma segunda lua de mel, também é a oportunidade perfeita para Frank poder pesquisar um pouco mais sobre sua linhagem. Por ser um historiador ele possuía um grande interesse e curiosidade em saber sobre seus antepassados. Enquanto Frank fica ocupado para descobrir mais sobre Jack Randall, também conhecido como "Black Jack" — um de seus parentes que era bastante conhecido naquelas localidades por meado de 1730 —, Claire passa o seu tempo estudando botânica — o seu novo hobbie — e conhecendo novas espécies de plantas.

"Você esquece a sua vida após um tempo. Coisas que lhe são queridas são como um colar de pérolas. Corte-o e elas se espalham pelo chão, indo para cantos escuros, não sendo mais encontradas. Então você segue em frente. E um dia acaba esquecendo como as pérolas eram."

Acontece que em Inverness está se comemorando um feriado importante, de modo que Frank resolve ir com sua esposa observar, ou melhor, bisbilhotar, um ritual druida que iria acontecer em Craigh na Dun, o famoso círculo de pedras. Ao observar aquelas mulheres fazendo tal ritual, Claire imediatamente sentiu que não deveria estar ali. Era como se houvesse uma fonte poderosa de magia ali e ela e seu marido não eram dignos de observar tal ritual, afinal de contas ambos eram forasteiros.

Contudo, o que Claire não podia imaginar era que ao retornar a Craigh na Dun no dia seguinte para obter mais informações sobre uma flor sua vida iria mudar completamente. Ela mal imaginava que estava prestes a embarcar em uma viagem.

Escócia, 1743

"Parecia inconcebível, mas todas as evidências indicavam que eu estava em um lugar onde os costumes e a política do final do século XVIII ainda vigoravam. Eu teria imaginado que tudo não passava de algum tipo de espetáculo à fantasia, se não fosse pelos ferimentos do jovem a quem chamam de Jamie."

Ao encostar na pedra, Claire é transportada para o ano de 1743. Atordoada sem saber o que tinha acontecido, nem mesmo tendo noção da viagem temporal, ela se vê sozinha naquela confusão. Claire até tenta retornar para o local onde tinha estacionado o seu carro, mas é uma tentativa em vão. E como se não fosse o bastante ela acaba se envolvendo em um conflito entre os escoceses e os ingleses, além de se deparar com o temível Jack Randall.

Em um só dia ela fez uma viagem temporal para o passado, quase foi assassinada e estuprada. A sorte de Claire é quando ela se depara com alguns homens do clã McKenzie, ganhando um abrigo no castelo Leoch. Sua habilidade como enfermeira permite que ela possa ajudar as pessoas, incluindo Jamie, um guerreiro das Terras Altas.

"— Ah, sim, Sassenach — respondeu ele, um pouco melancolicamente. — Eu sou seu senhor... e você é minha senhora. Parece que não posso possuir sua alma sem perder a minha."

Para se adaptar a essa noca época, Claire vai precisar se esforçar e se lembrar constantemente que não está mais no ano de 1945. Sem contar que a Escócia, em 1743, ela corria um grande perigo por ser uma inglesa em meio a um conflito entre os ingleses e os escoceses. Sendo assim, retornar para sua casa e para Frank parece ser algo cada vez mais difícil, até mesmo levando em conta que é preciso lutar contra atração que tem por Jaime.

A primeira coisa que eu percebi lendo "A Viajante do Tempo" foi como a série estava fiel ao livro, e para qualquer leitor não há nada melhor do que ver um filme ou série que seja fiel a obra (nem preciso dizer que nesse quesito a adaptação de Percy Jackson foi um desastre completo). Desde os pequenos detalhes até os maiores estavam perfeitos, e enquanto lia não podia deixar de pensar no Sam Heughan e na Caitriona Balfe que deram vida ao Jamie e à Claire.

Simplesmente me apaixonei por esse universo criado por Diana Grabaldon. Com uma escrita extremamente detalhada pude imaginar com facilidade os locais, isso tornou a narrativa ainda mais rica. Se você gosta de romances de época não pode deixar de ler "A Viajante do Tempo", assim como os outros volumes da série. Você vai se envolver pela história do livro, pelo romance entre Claire e Jamie, esse livro é simplesmente irresistível! Uma vez que se começa a ler não dá mais vontade de parar.

site: http://escritorawhovian.blogspot.com.br/2017/08/resenha-viajante-do-tempo-outlander-1.html
comentários(0)comente



Li Castro 08/08/2017

DESAFIO LITERÁRIO DIMINUINDO A PILHA 2017 - AGOSTO - ROMANCE HISTÓRICO
Sinopse: "Em 1945, no final da Segunda Guerra Mundial, a enfermeira Claire Randall volta para os braços do marido, com quem desfruta uma segunda lua de mel em Inverness, nas Ilhas Britânicas. Durante a viagem, ela é atraída para um antigo círculo de pedras, no qual testemunha rituais misteriosos. Dias depois, quando resolve retornar ao local, algo inexplicável acontece: de repente se vê no ano de 1743, numa Escócia violenta e dominada por clãs guerreiros.
Tão logo percebe que foi arrastada para o passado por forças que não compreende, Claire precisa enfrentar intrigas e perigos que podem ameaçar a sua vida e partir o seu coração. Ao conhecer Jamie, um jovem guerreiro escocês, sente-se cada vez mais dividida entre a fidelidade ao marido e o desejo. Será ela capaz de resistir a uma paixão arrebatadora e regressar ao presente?"

Eu não sabia o que ler esse mês, acabei escolhendo esse depois de procurar umas dicas na internet.
Sou uma pessoa sensível ao sofrimento, seja lá de qual tipo for e com qual espécie. Mas tem algumas formas que me perturbam mais que outras. Evito de todas as formas ler sobre elas.
Achei o livro ótimo até o casamento (entendedores entenderão), depois descambou para algo que eu achei que seria só mais um romance (histórico) erótico, que acho sacal, mas voltou para o ritmo, e me deixou perturbadíssima nos capítulos finais! Pulei quase um capítulo inteiro para ver se conseguia terminar o livro, fiquei tentada a passar uns dias sem ler, mas decidi terminar logo. Acho que só um livro bem escrito para deixar a gente consternado com alguma coisa.
Enfim, eu preferia não ter lido o livro, vou passar dias sofrendo. Rs.
Fora isso, a ideia de voltar no tempo não parece tão tentadora se a gente não tem noção de onde vai cair, né? É estranha essa coisa do passado e do presente acontecerem simultaneamente. Na minha cabeça, o presente que Claire deixou para trás ficou congelado, achei que se ela voltasse, seria a mesma hora que foi. Acho horrível a ideia, é que nem pensar em reencarnação ou vida após a morte, você acha que morreu e acabou, mas as coisas continuam acontecendo em outra realidade! Credo! Gosto da ideia não.
comentários(0)comente



Marcia 20/07/2017

claire e jaime
Uma mistura de ficçao , amor , intrigas , açao e lutas e sexo . O resgate do amor puro que luta contra as adversidades e controi ao longo do tempo uma vida baseada na cumplicidade e
confiança um no outro e no sentimento que os nutre .
comentários(0)comente



Deh 13/07/2017

Meu podre coração, arrebatado!!!!
“Amar força uma pessoa a fazer sua escolha. Você faz coisas que nunca imaginou que poderia fazer antes.”

Cheguei ao fim de mais um livro maravilhoso. Confesso que li bem devagar, saboreando cada trecho, cada página... E bem, são 800 páginas...HAHAHA!!!!


A estória de Viajante do tempo, o primeiro livro da série Outlander, nos apresenta Claire, uma jovem enfermeira, forte e destemida ( minha preferidinha, confesso). Vê seus planos irem por agua abaixo, quando numa viagem de segunda lua de mel, junto ao seu esposo Frank, algo misterioso e mágico lhe acontece. Fazendo-a viajar por 200 anos antes de seu tempo, colocando-a numa terra diferente, com pessoas estranhas e hostis. Nessa viagem louca, Claire conhece o lindo e charmoso escocês Jaime Fraser, um rapaz gentil e corajoso. A qual se torna por força maior seu esposo. Com isso, começa a grande trajetória desses personagens maravilhosos. Nos mostrando um mundo incrível, nos trazendo uma cultura que não conhecíamos, um tempo que ficava apenas nos livros. O livro não se trata somente de romance, claro que tem, mas é muito mais do que o simples romance de Claire e James. Abordam vários temas incríveis, históricos e políticos. Cada capítulo uma nova descoberta, cada página uma vontade louca de saber mais.

Com uma escrita bem construída, Diana Gabaldon nós faz viajar por suas palavras. Amei a forma como ela aborda a estória, sua forma descritiva não é nem um pouco cansativa, muito pelo contrário, nos dá mais clareza para o que deseja mostrar. Além de nós trazer personagens marcantes e reais, como os highlanders e toda a sua fascinante história.
Me arrependo por ter demorado muito a ler esse livro, é mágico, como poucos que encontramos, esse arrebatou meu pobre coração... :)

Agora, partir para o segundo...
comentários(0)comente



Duda 10/07/2017

Outlander - A Viajante Do Tempo, de Diana Gabaldon
Claire Beauchamp é uma enfermeira que acaba de retornar para casa depois de anos servindo na Segunda Guerra Mundial; ao reencontrar seu marido Frank Randall, um professor universitário e historiador que também estava servindo na guerra, eles decidem fazer uma viagem para as terras altas da Escócia, numa espécie de segunda lua de mel.

O destino escolhido é a cidade de Inverness, onde além de aproveitarem seu tempo juntos, Franck vai em busca de saber mais sobre seus antepassados, enquanto Claire faz pesquisas sobre botânica e novas espécies de plantas para desenvolver remédios.

Ao chegarem ao local, ficam sabendo que a cidade está comemorando um feriado importante, eles então ficam curiosos e vão ao local indicado à noite e presenciam um ritual em Craigh na Dun, um famoso círculo de pedras. Eles passam a noite toda observando-o; na volta para casa, Claire vê umas flores diferentes e decide retornar no dia seguinte para observa-las melhor.

Ao retornar, enquanto está entretida com as plantas, ela acaba se apoiando em uma das pedras e é teletransportada para o ano de 1743. A partir daí sua vida muda de uma forma totalmente inesperada, principalmente depois de seu caminho cruzar o de um jovem chamado James Fraser.

Resenha Completa Em:

site: http://internautanerd.blogspot.com.br/2017/07/outlander-de-diana-gabaldon.html
comentários(0)comente



Meu Vicio em Livros 07/07/2017

Muito bom!!!
Percebe-se que a autora fez uma pesquisa cuidadosa para dar vida a cada acontecimento, cada herói e vilão e eu fiquei me perguntando o quanto isto deve ter sido trabalhoso. A criação de todo o cenário é impressionante, principalmente quando a gente lê e vê as cenas da série ao mesmo tempo como eu fiz, ou apenas vê as imagens na internet sabendo do que se trata a história escrita. Eu li imaginando exatamente estes atores como os protagonistas, para mim casou perfeitamente tudo isto.
LEIA A RESENHA COMPLETA NO LINK: http://www.meuvicioemlivros.com/2017/07/resenha-viajante-do-tempo-serie.html

site: http://www.meuvicioemlivros.com/2017/07/resenha-viajante-do-tempo-serie.html
comentários(0)comente



Eduarda | @romanceerotic 30/06/2017

Outlander #1
Que livro MARAVILHOSO! Essa é uma leitura que te envolve completamente na história do inicio ao fim. Outlander é um livro que é altamente comentado no meio literário pela sua riqueza na escrita. Definitivamente Diana Gabaldon é alguém para se aplaudir e admirar. Realmente não tenho palavras para montar essa resenha, o livro é tão maravilhoso que me deixa completamente boba só de pensar, mas enfim...


Nesse livro nós somos apresentados a Claire Randall, uma enfermeira inglesa que após a segunda guerra mundial ela e o seu marido, Frank Randall, decidiram viajar para Inverness para comemorar a sua segunda lua de mel. Só que a nossa mocinha não esperava que durante a sua visita ao círculo de pedras Craigh na Dun ela acabasse viajando no tempo para 200 anos antes, em 1743 na Escócia. A partir daí você já pode imaginar a confusão que a Claire sentiu ao viver algo assim, então agora ela deverá aprender a uma época diferente da sua em vários aspectos, como costumes, modos e vestimentas. Como Claire tem sabedoria com ervas medicinais e todas essas coisas graças o seu trabalho como enfermeira, ela acaba sendo denominada como uma bruxa e então um grupo de escoceses a leva como refém já que querem respostas sobre quem ela realmente é.

Durante esse tempo, Claire conhece o jovem Jamie Fraser, um escocês ruivo, maravilhoso e sonho de consumo de todas. Não é difícil de imaginar que nossa mocinha fica completamente dividida entre dois homens: Seu marido, Frank, e o novo homem em sua atual vida, Jamie.
Claire vive diversas aventuras e situações completamente fora de seu conforto. Ela não foi feita para viver em 1743, mas as circunstâncias não lhe dão opção. Agora, ela é daquela época e deve viver como tal. Ao lado de Jamie ela descobre um novo mundo e aprende a ser parte dele.

Claire é uma mulher forte, independente, inteligente e tem um pouco de sangue quente que deixa os homens loucos.

Jamie é aquele moço que faz as meninas suspirarem: corajoso, bonito, forte, atencioso, cavalheiro... Obvio que nem sempre é perfeito, ele tem suas falhas, mas para ficar ao lado de Claire e fazê-la feliz, ele faz algumas mudanças. Eu posso ter me apaixonado mais por ele por causa disso, admito.
Diana Gabaldon me fez ficar interessada por história, vocês sabem o quão difícil é isso? Nas aulas de história se não tinha guerra eu não queria nem saber, mas incrivelmente, ao ler esse livro eu quis saber mais sobre costumes e todo o resto, principalmente sobre como era à vida das mulheres naquela época. Outlander é uma obra que te prende do inicio ao fim, essa resenha não descreve nem mesmo um terço da grandeza que é esse livro, são vários acontecimentos ao longo da história que nunca te deixam entediada, na verdade, te deixa com mais vontade ainda de ler.

Acho meio difícil eu não recomendar esse livro para todos. Tem pessoas que logo se assustam com o número de páginas, isso não foi um impedimento para mim já que realmente amo longas leituras, mas se você estiver com o pé atrás por causa disso: não fique! Você irá se encantar com o livro e nem vai ligar para esse número.

Leia esse livro, se apaixonem. Se tiverem dúvida de que irão gostar, vejam a série que é baseada na obra, Outlander. É incrível e tenho certeza que vocês irão amar!

Resenha com Quotes no: http://romanceerotic.blogspot.com.br/2017/06/resenha-outlander-viajante-do-tempo.html#comment-form

site: http://romanceerotic.blogspot.com.br/2017/06/resenha-outlander-viajante-do-tempo.html#comment-form
comentários(0)comente



Anne 28/06/2017

Tentando decidir se rio ou choro.
Meu Deus! Quanta imensidão em tão poucas páginas. Estou simplesmente apaixonada pela escrita da Diana! Apaixonada pela Escócia! E ansiosa para saber mais sobre Claire e Jamie. Esse é livro é complexo e maravilhoso de uma forma tão simples e cálida que chega a ser difícil falar sobre ele. Não é só romance, não é só ficcção científica, não é só ficção histórica. É tudo isso e mais um pouco da realidade humana e seus possíveis caminhos ao longo da história tendo como fundo uma terra tão maravilhosa, acontecimentos de importância grandiosa e um amor que começou em uma noite chuvosa. Ou talvez antes disso.
Não, você não vai descobrir a razão dela ter viajado no tempo e ter ido parar justamente naquela época. Justamente com alguém tão maravilhoso e com tudo aquilo que ela nem sabia que ela precisava. No decorrer da história, o fato dela ter viajado no tempo é o que menos importa. Todo o resto simplesmente ofusca esse elemento tão... indispensável.
É impossível não amar cada um dos personagens apresentados e guardá-los com todo carinho. É impossível não odiar Randall. É impossível não sentir a imensidão do amor descrita nessas páginas. É impossível não aventurar-se e desejar estar simplesmente em um dia chuvoso na Escócia acompanhando tudo isso de perto.
Pronta para o próximo.
comentários(0)comente



Rafahh 18/06/2017

Romântico, macabro, excitante
Nunca fui muito fã de livros de romance. Na maioria das vezes são relatos fracos de personagens rasos, com aqueles enredos clichês, coisa que você pode ver facilmente numa novela das seis. Totalmente desestimulante e tediante, mas definitivamente não é este o caso.
Outlander é uma história daquelas com um pouco de tudo. Sangue, prisões e torturas, mas também romance e poesia. Sim, a autora sabe escrever bem e nos prende e surpreende tanto nas cenas de violência quanto nas de romance. Uma história adulta e inteligente, com personagens realistas e complexos, o que é difícil de se encontrar em um livro adulto atualmente. Não basta explorar apenas a vida a dois (ou três?) de uma maneira interessante, é preciso também levar em consideração aspectos históricos, que aborda tabus e choques culturais para dar riqueza à experiência literária. Eu amei, e com certeza recomendo para quem gosta desse tipo de leitura.
Camila.Alves 18/06/2017minha estante
undefined




Michelle Trevisani 17/06/2017

Apaixonante
Olá gentemmm! Tudo legal por aí? Hoje a resenha que trago aqui é de um livro que roubou meu coração: Outlander, A viajante do tempo, de Diana Gabaldon, que foi republicado aqui no Brasil pela editora Arqueiro. A primeira edição do livro data de 1991, então ele já não é tão novinho assim. Mas parece que o livro passou a ter mais notoriedade depois do lançamento da série que leva o mesmo nome e que é praticamente uma encenação do que vamos encontrar no livro, realmente bem fiel.

Os livros são uma série, e já foram publicados no Brasil oito deles (como a editora Arqueiro está republicando, faltam alguns livros para serem republicados por eles). Os livros são: Livro 1 - A Viajante do Tempo (1991); Livro 2 - A Libélula no Âmbar (1992); Livro 3 - O Resgate no Mar (1993); Livro 4 - Os Tambores de Outono (1996); Livro 5 - A Cruz de Fogo (2001); Livro 6 - Um Sopro de Neve e Cinzas (2005); Livro 7 - Ecos do Futuro (2009); Livro 8 - Escrito com o Sangue do Meu Próprio Coração (2015).

Eu conheci o livro através da série. Eu já tinha visto várias publicações nas redes sociais dos livros, mas nunca tinha pegado um deles para ler. Quando me indicaram a série já que ela foi liberada na Netflix, resolvi dar uma chance. E eu me APAIXONEI PELA SÉRIE! Ela é intensa. Super intensa. E assistir a série me levou a ter curiosidade de ler os livros, uma para saber o que acontece (por enquanto foram publicadas apenas 2 temporadas, que correspondem ao primeiro e ao segundo livro) e outra porque gostei bastante da proposta da história, então vamos lá enfrentar uns calhamaços de 800 páginas! kkk pois é amiguinhos, o primeiro livro tem 800 páginas! hahah

Mesmo que eu já tenha assistido a primeira e a segunda temporada, resolvi começar minha leitura pelo primeiro livro. E olha, devo confessar que a série se baseou super no livro. Tem vários trechos iguais, inclusive até falas iguais, o que me deixou bastante contente. É legal quando vemos uma adaptação que foi fiel ao que lemos (no meu caso foi ao contrário hahah, mas agora vou tentar ler os livros antes de publicarem o restante da série).

O livro vai nos apresentar a história de Claire Randall, uma enfermeira que depois de passar alguns anos trabalhando como socorrista na Segunda Guerra Mundial, vê seu futuro em paz quando esta termina e volta aos braços do marido que pouco viu em 8 anos de casados. Para celebrar esse novo início os dois resolvem passar uma temporada na Escócia, como uma segunda lua de mel, mais precisamente na cidade de Inverness, nas Ilhas Britânicas. A cidade é toda misteriosa. Lá o esposo de Claire, Frank Randall também tem histórias de antepassados seus, e como bom historiador, resolve aproveitar o passeio para descobrir mais de si mesmo. Os dois são engolidos por histórias das mais bizarras que são passadas de geração em geração pela pequena cidadezinha de Inverness. Acabam também por assistir um ritual antigo, feito por mulheres em um antigo círculo de pedra, uma dança envolvente e rítmica, que desperta certa curiosidade em Claire.

Leia o restante da resenha no meu blog>>

site: http://meulivrodocelivro.blogspot.com.br/2017/06/resenha-outlander-viajante-do-tempo-de.html
comentários(0)comente



Sr dos Livros 09/06/2017

Uma aventura em cada página!
Série: Outlander
Claire e seu marido Frank Randall foram separados pela II Guerra Mundial logo após o casamento. Claire serviu como enfermeira durante todo esse período e agora que a guerra acabou ela e Frank viajaram para se reconectar. O destino, as Terras Altas, Escócia 1945.
Enquanto Frank, um historiador, se ocupa com muitas visitas para aprender mais sobre o local e sobre seus ancestrais escoceses, Claire se interessa por botânica. Em um de seus passeios eles visitam um local chamado Graig Na Dum, um ponto turístico formado por colunas de pedras dispostas em formato circular. Eles assistem a um ritual Druida (povo Celta considerado meio bruxo), mas o que mais chama a atenção de Claire é uma flor escondida entre as pedras. Ela decide voltar no dia seguinte para recolher amostras da flor e estuda-la.
O que a Claire não contava era que quando encostasse em uma dessas pedras ela fosse transportada para o mesmo local em 1743. Claire atravessa uma fenda do tempo e se vê no meio de uma batalha entre Dragões (guarda inglesa) e escoceses e é capturada por Black Jack Randall, isso mesmo Randall, um ancestral de seu marido. Ele desconfia que ela seja espiã ou prostituta (dada as vestimentas que Claire estava, incomuns para o século XVIII). Confusa pela semelhança entre ele e seu marido Frank Claire não consegue assimilar que voltou no tempo. E essa é só a ponta do enorme iceberg que é essa história.

RESENHA COMPLETA NO BLOG

site: http://wp.me/p7PjBd-Gb
comentários(0)comente



281 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |