A Viajante do Tempo

A Viajante do Tempo Diana Gabaldon




Resenhas - A Viajante do Tempo


266 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Carol M 20/05/2017

Na minha opinião é um livro rico em todos os sentidos.
Conheci a saga através da série de TV, sim eu cometi o deslize de deixar essa maravilha passar despercebida pelos meus olhos e lamento muito por isso, porque realmente odeio ler o livro depois que ele já foi adaptado. Porém, o que falar do livro? EU AMEI muito muito!!

Na minha opinião é um livro rico em todos os sentidos. A narrativa é maravilhosa, os personagens são extremamente intensos, existiu um trabalho de pesquisa profundo envolvendo os dois momentos históricos presentes no livro, e tudo isso é bem nítido aos nossos olhos e nossa imaginação.

Diana Gabaldon é uma autora completa! Definitivamente não faltou nada na narrativa dela, temos uma personagem feminina extremamente forte, inteligente, criativa, engraçada, adulta! Chega desse papinho de menina inocente, Claire é uma mulher adulta, com desejos, atitudes e pensamento de uma mulher segura. Frank seu marido em 1945 é um cara sério, intenso e apaixonado, infelizmente não vemos muito dele nesse primeiro livro, mas ele é a peça chave na vida de Claire.

E o que falar de Jamie? AAAAAAH EU AMO ESSE MOCINHO!!!!! Primeira vez que isso acontece de cara, e eu preciso dizer, ainda bem que escolhi esperar hahahah. Jamie é mais novo que Claire (e eu amei isso), ele é meio bobo, inocente, mas não se engane. Ele é extremamente maduro, comprometido, corajoso e se tiver que passar por cima dos outros para garantir a segurança dos que ama definitivamente ele vai fazê-lo. O que mais me encantou no personagem foi que apesar de ser o herói também desempenha o papel de vítima, mas definitivamente não é de ficar de mimimi ou blábláblá, ele tem atitude.

Deixei Black Jack Randall por último porque simplesmente eu odeio e amo esse personagem. Ele definitivamente é o mau em pessoa, ninguém pode negar, nem defender suas atitudes. Contudo, o sofrimento psicológico que ele passa por questões culturais da época faz você entender o porquê ele agir daquela maneira, mas não significa que vamos perdoar suas maldades não é mesmo?

Depois de rasgar elogios, porque dei 4? Simples o livro é imenso!!! Pesado demais para ler em qualquer lugar, até mesmo em casa. Muitas vezes eu parava de ler porque não aguentada segurar. Acredito que a editora fez de tudo para deixa-lo mais leve, até as folhas são mega fininhas, mas mesmo assim continuou pesado!

Para mais resenhas, Link abaixo

site: www.blogcontracapa.com.br
comentários(0)comente



Gabriel 20/05/2017

Pretendo ler o próximo...
Em um lugar onde todos os homens são feios, gordos e deficientes o Jamie é o único '' Homão da Poha '' kkkkkkkk o cara é alto, forte, inteligente, dotado, fala uns 10 idiomas, fiel, corajoso e etc kkkkkk todas qualidades existentes, enquanto todos os outros homens que aparecem são cheios dos defeitos kkkkkk
comentários(0)comente



Book.Obsession 15/05/2017

Resenha feita pela Camila de Moraes para o blog Book Obsession
Eu já tinha amado a série quando assisti há uns meses atrás, mas como filme ou seriado nunca se compara a uma obra literária tive que pegar para ler.
E que bom que insisti, pois a leitura agregou e muito pontos que não são mencionados na série.

A história se passa no ano de 1945, quando após um período de guerras, Claire Beauchamp, uma enfermeira que estava de serviço, retorna para casa e reencontra seu esposo e professor universitário/historiador Frank Randall.
Agora, ambos após um longo tempo separados, vão em busca de lazer, mas também aproveitam a cidade de Inverness para pesquisas sobre a linhagem de Randall e Claire passa mais tempo estudando botânica e conhecendo espécies de plantas para desenvolver remédios e curas para doenças.

A cidade está comemorando um feriado importante e Frank aproveita para convidar a esposa para bisbilhotarem a noite, um ritual que acontecerá em Craigh na Dun, o famoso círculo de pedras. Eles passam a noite toda observando as bruxas em seu ritual e após saírem, Claire se depara com umas flores na qual ela decide retornar no dia seguinte para obter mais informações. E aí tudo muda na vida desse casal.

Claire encosta na pedra e acaba sendo transportada para o ano de 1743.
Atordoada, ainda sem entender que tinha realizado essa viajem no tempo, observa o local. Sozinha em um tempo, onde os costumes eram bem diferentes, a vulnerabilidade pode trazer muitas complicações, principalmente para uma inglesa que está na Escócia em meio a conflitos e prestes a conhecer um dos piores pesadelos daquela época, o temível Jack Randall.

"Você é sangue do meu sangue e ossos dos meus ossos. Dou-lhe meu corpo, para que nós sejamos um só. Dou-lhe meu espirito, até o fim de nossas vidas."


Por ser enfermeira, Claire terá a oportunidade de ajudar o clã dos Mackenzie e o belo rapaz, Jamie, que ao longo da narrativa desperta nesta mulher sentimentos antes desconhecidos.
O romance do escocês e sua Sassenach, nos envolve a medida que vai sendo construído e com o rumo que a autora deu até os momentos finais da trama, que ficou impressionante. Deixando com gosto de quero mais.

"A voz dos meus pensamentos parecia a de tio Lamb. Minha família e tudo que eu conheci como amor quando era criança. Um homem que nunca me falara de amor, que nunca precisara, porque eu sabia que ele me amava, tão certo como eu sabia que estava viva. Porque onde todo o amor existe, não há necessidade de palavras. É tudo. É imortal. E se basta."


A viajante do tempo é o primeiro livro da série Outlander, com 800 páginas e uma capa belíssima em cores e conta com elementos certos para prender o leitor.
A sorte é que temos ainda muitos volumes dessa maravilhosa série, que está sendo publicada aqui no Brasil pela Editora Arqueiro.

Com cenas bem detalhadas, uma gama de cultura, história local e costumes em tempos diferentes, ação e muitas disputas também são um dos ingredientes que nos fascinam, bem como uma boa dose de romance e química entre os personagens principais e os secundários.

Ficou impossível não me encantar com Jamie, o ruivo mais cobiçado, mas também não teve como não ficar com pena de Frank e não vejo a hora de saber mais o que a autora Diana Gabaldon vai aprontar no próximo livro A libélula no âmbar para nossos personagens.

site: http://bookobsessionresenhas.blogspot.com.br/2017/05/resenha-viajante-do-tempo-outlander-1.html
comentários(0)comente



Ray Corrêa 09/05/2017

A palavra é Surpreendente.
Comecei esse livro com grandes expectativas, eu tinha assistido a série e amava de paixão.
Fiquei extremamente satisfeita com o começo do livro e devorava 100 páginas com uma velocidade enorme. A narrativa é bem detalhada e nos situa muito tempo no tempo histórico que nos encontramos. Tanto em 1945 quanto depois, quando a Claire viaja no tempo para 1743.
A personalidade da Claire me agradou muito, sua forma sarcástica, orgulhosa, eficiente e imponente de ser. O humor dela também é sensacional. Eu achei que ela lidou muito bem com o fato de ter sido jogada em um mundo totalmente diferente daquele que veio, ela se adaptou da melhor forma que pôde, ainda mais com tantas diferenças culturais.
Ela é inteligente e corajosa, e é sempre legal ver personagens femininas fortes assim.
O Jamie também me encantou a seu modo, apesar de eu ressentir algumas atitudes dele.
A gente supostamente entende as diferenças culturais e as limitações e crenças da época, mas mesmo assim, tem coisas que não descem.

É interessante o fato de que a viagem no tempo em si, passa a ser um problema tão pequeno perto de todas as outras coisas que acontecem, que a gente nem se importa de isso não ser explicado. A trama cresce tanto, são tantas aventuras e a estória se desvia por tantos caminhos que no final a gente vai vivendo a estória junto com a Claire sabe? Um problema de cada vez, um dia de cada vez. Sem pensar muito no quadro geral porque é um tanto avassalador. E para ter o poder de fazer isso conosco, com leitores que estão por fora e tendo uma visão mais distante de tudo, nos envolver assim... é um dom incrível. Por isso eu amei a escrita e amei a forma como ela nos prendeu na estória a ponto de não conseguirmos parar de ler para tentar descobrir qual é a solução que vão encontrar para o problema, ao mesmo tempo em que ficamos tensos esperando a próxima complicação aparecer.

O que me incomodou, e me impediu de dar 5 estrelas para o livro, foi algo que aconteceu mais para o final do livro. Eu fui pega totalmente de surpresa e não esperava por aquilo de jeito nenhum. Acho que valia uma espécie de trigger warning.
Não é fácil ler nenhum tipo de abuso, e olha, foi muito difícil ler aquilo. Pelo menos pra mim. Foi descrito de forma tão intensa e prolongado por tanto tempo que eu pensei até em parar de ler porque estava me fazendo mal. Eu sinto uma facilidade muito grande em me envolver com os sentimentos dos personagens, isso funciona tão intensamente pra mim que era quase como se fosse comigo.
E no fundo, achei um tanto desnecessário para o quadro geral, aquilo poderia ter sido trabalhado de outra forma.
Mas isso não apaga todas as outras centenas de páginas sensacionais que eu tinha lido, portanto, eu curti bastante o livro mas ele me pegou de surpresa no final, e geralmente eu aprecio uma boa surpresa.. só que não rolou pra mim.

É normal que a gente encontre certos problemas nos livros que lemos, temos que ter essa consciência, mas de qualquer forma pretendo continuar a ler a série assim que eu achar uma promoção, porque os livros são caros. E com certeza, eu vou começar o livro já com um pé atrás.
comentários(0)comente



Nina 26/04/2017

Uma história grandiosa
Em um período pós-guerra, em 1945, a enfermeira Claire e seu marido o historiador Frank Randall estão juntos novamente após seis anos separados em decorrência da guerra. Desfrutando da paz e sossego, e até mesmo de uma segunda lua de mel, os dois estão em Inverness, desfrutando de um merecido descanso.

Eles fazem alguns passeios e descobrem alguns fatos interessantíssimos sobre a linhagem dos Randall, mas, como uma boa enfermeira e interesses em botânica, Claire se aventura sozinha até o círculo de pedras onde viu uma linda flor que gostaria de apanhar para seu estoque.

E é ai, por assim dizer, que a aventura realmente começa. Lançada através de sabe-se-lá-o-que, Claire desfalece e acorda no mesmo lugar, mas um barulho de conflito entre pessoas a lança para longe do círculo de pedras. Aos poucos, e com vários acontecimentos intercalados, ela descobre, mas não se convence, que foi para em algum outro lugar do tempo. No passado. E assim inicia-se sua desventura para conseguir voltar para casa e permanecer viva no meio dos bárbaros escoceses de 1743.

Começo dizendo que a autora contou muita história em 800 páginas. A escrita é bem detalhada, mas nada, ou quase nada, parece ser desnecessário para a que história transcorra e seja bem entendida. Eu me apaixonei e senti raiva durante toda a leitura. Misturado com momentos de alegria e paz com reviravoltas turbulentas para as quais muitas vezes eu não estava preparada, o desenrolar da história é muito bem feito e cuidadoso. Senti certa repugnância por vários momentos, até mesmo pelo mocinho escocês, por seus costumes bárbaros e muitas vezes falta de tato (eu mesma em algumas horas preferiria fugir e morrer a ter que olhar por mais um segundo para a cara de Jamie), mas no fundo eu entendi todo o contexto, a época e costumes e creio que sem eles e sem tantas reviravoltas a obra seria leviana e não teria atraído tantos leitores quanto atraiu.

"Parecia inconcebível, mas todas as evidências indicavam que eu estava em algum lugar onde os costumes e a política do final do século XVIII ainda vigoravam [...]"

A personalidade de Jamie é forte e do tipo cabeça dura, mas também tem seus momentos de ‘amorzinho’ o que me fez amar e odiar o personagem a todo momento, ele é tipo o ‘príncipe encantado’ que aparece nas horas mais oportunas, mas por vezes poderia ser confundido com o ogro do pântano.

"- Sim, acredito em você, Sassenach. Mas teria sido muito mais fácil se você fosse apenas uma bruxa."

Claire, a protagonista e narradora da história é super hilária, ela tem umas tiradas ótimas e bem humoradas mesmo quando sua vida esta por um fio. Com seus conhecimentos em enfermagem do século XX acaba atraindo várias pessoas por ser uma boa curandeira, mas também desperta a desconfiança daqueles que acreditam em bruxas e a tratam como tal. Alguns poucos momentos também senti raiva da Claire, mas pensando bem agora, ela é uma personagem muito humana, sendo assim, não poderia ser perfeita e apresentar as melhores soluções todas as vezes que precisava.

"-Eu disse: Senhor, se nunca tive coragem em minha vida antes, que eu a tenha agora. Permita que eu seja corajoso o suficiente para não cair de joelhos e implorar-lhe que fique."

Existem vários personagens secundários importantes durante a trama de Outlander e alguns que são importantes só em certos momentos, mas cada qual deixa suas marcas durante a leitura. O que faz toda a aventura ser inesquecível e mesmo depois de 800 páginas, ainda me fez querer mais e ficar triste por ter que me despedir, mesmo que por pouco tempo, de toda a trama, dos personagens e das lindas paisagens da Escócia.

site: http://vicioseliteratura.blogspot.com.br/2017/04/eu-li-outlander-viajante-no-tempo.html
comentários(0)comente



Quezia 26/04/2017

Outlander-A Viajante do Tempo
Gente , que livro foi esse?
Terminou o livro e eu fiquei , tipo : - Por que eu já não comprei a coleção inteira ? (Porque sou pobre kkkkkk), enfim , me vi presa do início ao fim , sem conseguir ler nenhum outro livro ao mesmo tempo , pois só queria saber de Claire e Jamie.
Tinha medo de enfrentar aquele casal comum da maioria das estórias, com muita enrolação ou que logo estão juntos em um passe de mágica. Mas não , esses dois tiveram uma pequena história antes do romance ir em frente. Ah,eles se amam sim , mas sem muito melodrama. Achei tudo na medida , e não só na parte do romance, o desenrolar dos acontecimentos e dos fatos é muito bem narrado, tudo descrito na hora certa e sem se tornar enfadonho. Livro grande , mas quando chega o fim , a gente acha que foi pouco. Hehe
Pathy Gonçalves 30/04/2017minha estante
Esse livro tem muitas partes de sexo? Você acha que uma pessoa de 12 anos poderia ler normalmente?


Quezia 01/05/2017minha estante
Não indicaria para alguém de 12 anos , considero uma leitura um pouco "pesada" para idade. ?


Pathy Gonçalves 01/05/2017minha estante
Ok obrigada.


Pathy Gonçalves 01/05/2017minha estante
Você recomendaria para quantos anos?


Quezia 02/05/2017minha estante
Acredito que a indicação deve ser para maiores de 18 anos.


Pathy Gonçalves 03/05/2017minha estante
Ah obrigada




Mais Clube 31/03/2017

A história da série começa em Inverness, no ano de 1945, onde Claire Randall viajou em uma segunda lua de mel com o marido, Frank Randall. Em uma noite, os dois presenciam um ritual antigo em um círculo de pedras chamado Craigh na Dun e ambos voltam empolgados para casa, porém Claire não consegue esquecer daquele lugar e retorna ao círculo de pedras. Ao encostar em uma das pedras, ela é transportada 200 anos antes do seu tempo, onde os escoceses estão praticamente em guerra com os ingleses. Neste novo tempo, ela tem de lidar com os costumes, com a desconfiança das pessoas, afinal ela é uma Sassenach (estrangeira), e também com um novo amor.

Vou ser sincera: só conheci esta série depois de ganhar o segundo volume, A Libélula no Âmbar, de cortesia do Skoob. Só depois de um tempo, consegui o primeiro volume, A Viajante do Tempo. Eu sempre quis ler uma história em que o protagonista viajasse no tempo, e este livro me proporcionou isso. Claire é aquele tipo de protagonista que “mostra para que veio”. Ela é forte, determinada, luta pelo que acredita e não permite que nenhum homem venha pisar nela. Até ela conhecer Jamie Fraser. Jamie é aquele herói que sofre bastante, mas não deixa de se erguer e ir à luta. E faz de tudo pela Claire, ao ponto de abrir mão de sua vida por ela. Vale destacar também o Jack Randall, antepassado do ex-marido da Claire, Frank, e o próprio demônio em pessoa.
O livro é todo narrado pela Claire, e muito bem escrito por sinal, apesar de não ter destacado um pouco mais o gaélico, idioma dos escoceses da época. Há algumas referências da Claire em relação a seu tempo que devem ser observadas. E o destaque maior do livro, com toda a certeza, é o Jamie. Apesar das 800 páginas, A Viajante do Tempo tem tudo aquilo que é necessário em uma boa história: personagens bem construídos, um quê de magia e mistério, muita química entre Claire e Jamie, o contexto histórico bem trabalhado e alguns conflitos morais e políticos. A maneira como os personagens principais se provocam nos mais inusitados momentos levaram algumas boas risadas minhas, bem como alguns suspiros em certas partes. Um grande livro (literalmente) que super recomendo para quem quiser viajar no tempo.

site: http://maisclube.com.br/2015/10/resenha-outlander-a-viajante-do-tempo.html
comentários(0)comente



thais.moore 27/03/2017

Genial !
É de uma genialidade sem tamanho a Diana Gabaldon.
Que maestria e que riqueza de detalhes, esse livro me prendeu do início ao fim.
A leitura em primeira pessoa te faz sentir na pele tudo que a Claire sente. Personagens muito bem construídos. O romance de Claire e Jaime é coisa linda de se ler, a descrição das cenas de amor dos dois são perfeitas . Não deixando de citar o temível Black Jack Randall ( asqueroso aff)
Super recomendo a leitura .
Partiu livro 2 ..... ( confesso que estou com medo do livro 2 kkkkk)
comentários(0)comente



Bya 26/03/2017

No fim da Segunda Guerra Mundial (1945), a enfermeira Claire Randall volta para os braços do marido, passando por uma segunda lua de mel em nas Ilhas Britânicas. Durante a viagem, ela intrigada pela história local e sua destemida curiosidade vai em direção a um antigo círculo de pedras. Dias depois, quando resolve retornar ao local, algo inexplicável acontece: de repente se vê no ano de 1743.
Porém percebe que foi direto para o passado por forças incompreensíveis, Claire precisa enfrentar toda a vida social e moral da época que podem ameaçar a sua vida.
Quando conhece Jamie, um guerreiro escocês, sente-se cada vez mais dividida entre seus amores e entre seu passado e presente ou será entre seu presente e seu passado. Ela procura seu lugar na época em que seu coração a guiará nos percausos e brutalidade da realidade.
comentários(0)comente



Dienifer.Zamunel 22/03/2017

Que livro incrível!!!!
Que livro, que história e o que dizer dos personagens. Ainda em transe com essa primeira parte.
Incrivelmente bem escrito, com uma narrativa fácil e apaixonante do começo ao fim. Com um detalhamento impecável e cenas descritas maravilhosamente bem.
Considero um dos melhores livros que já li.
Ansiosa para ler os próximos volumes e ver o desenrolar do amor, das aventuras e obstáculos no caminho de Claire e Jaime.
comentários(0)comente



GabsConatti 20/03/2017

Claire, uma mulher que vive no ano de 1945, casada, ficou longe do marido cerca de 6 anos, pois ambos estavam servindo ao exercíto. Quando a guerra acabou, para retomarem a intimidade, eles resolveram fazer uma segunda lua de mel na Escócia e é quando, por um acaso do destino, Claire é transportada para o Século XIII, onde conhece Jamie, um cara que vai mudar sua vida.

Se você está procurando um romance água com açúcar, algo que você consegue ler rápido, sem se ater aos detalhes, sinto lhe informar mas esse não é o livro que você está procurando.

Outlander é um romance adulto, cheio de adversidades, aventuras, mistérios que vai te deixar com o coração na mão a cada capítulo. Profundamente envolvente, é um romance intrigante que você não quer parar de ler, que te fará sonhar com os personagens e dificilmente conseguirá esquece-los quando a última página chegar.

Como eu disse, não é um livro fácil de se ler, os pontos positivos são, sem dúvidas, os diálogos entre os personagens ; do fato você conhecer um pouco sobre a história real dá Escócia e o seu modo de vida, e PRINCIPALMENTE, o amor que a Claire e o Jamie constroem no decorrer da história. São pequenas as possibilidades de você não amar o Jamie, de você não suspirar com as coisas LINDAS que ele fala para a Claire, de você não se apaixonar por ele junto com ela. O coração dele é tão lindo, tão honrado, tão cheio de amor e vontade de proteger aqueles que ele ama. Além disso, gosto de algumas, poucas, mas necessárias referências bíblicas que deixam a história ainda mais surpreendente.

O ponto negativo do livro é, sem sombra de dúvidas, a extensão dos capítulos, um deles tem mais de 80 páginas, o que para mim fica um pouco cansativo. Outro ponto, que ao MEU VER, é negativo, é o excesso de descrição de locais, pessoas entre outras coisas, que com certeza acrescentam alguma páginas aos capítulos. É uma opinião minha, pois realmente não gosto de livros escritos assim.

Apesar disso, dei 5 estrelas para Outlander justamente pela riqueza de detalhes. Diana Gabaldon, conseguiu criar um universo paralelo com perfeição de detalhes importantes para a história. Portanto, estou louca para ler os próximos e acompanhar um pouco mais sobre a história desses dois apaixonados.
comentários(0)comente



Lurdes 18/03/2017

O mesmo caso de sempre quando vejo um livro recebendo elogios demais, fico empolgada e decido lê-lo: Expectativas sendo abruptamente frustradas.
thais.moore 21/03/2017minha estante
Poxa sério? Eu tô gostando tanto


Lurdes 21/03/2017minha estante
Ele é um livro bom, mas não TÃO bom quanto achei que seria


thais.moore 22/03/2017minha estante
A sim .... entendi...




Ju Miranda 16/03/2017

Apaixonada por Outlander!!
Em Outlander: A Viajante do Tempo, conhecemos Claire, uma inglesa de 27 anos que serviu como enfermeira durante a Segunda Guerra Mundial. Após o fim da Guerra, em 1945, Claire viaja, junto com seu marido, a Inverness, nas Ilhas Britânicas para uma segunda lua de mel. Durante a viagem Claire é atraída para um antigo círculo de pedras, onde testemunha rituais misteriosos. Alguns dias depois, Claire volta para o círculo de pedras e inexplicavelmente é transportada para o ano de 1743 numa Escócia muito violenta, na pré-revolução jacobita. Nessa jornada, Claire enfrenta perigos e dificuldades e conhece Jaime Fraser, um jovem guerreiro escocês.
A partir daí a história deslancha e me vi presa ao livro cada vez mais. Além de Claire, umas das personagens mais forte que tive o prazer de conhecer, Diana nos apresenta personagens incríveis e uma história cheia de detalhes.
E o que falar de Jamie...? Jamie é simplesmente..., Jamie... Ele se tornou um dos meus personagens favoritos. Ele é encantador e apaixonante.
“Rezei durante todo o caminho ladeira a cima ontem - disse ele baixinho. - Não para que você ficasse, não achava isso certo. Rezei para ser forte o suficiente para deixá-la ir embora. - Balançou a cabeça, ainda fitando a colina, uma expressão sonhadora nos olhos. - Eu disse: "Senhor, se nunca tive coragem em minha vida antes, que eu a tenha agora. Permita que eu seja corajoso o suficiente para não cair de joelhos e implorar-lhe que fique.” - Jamie
A história de Claire e Jamie é tão linda que me fez suspirar muito durante a leitura.
Conheci a história a partir do seriado, que fora adaptado dos livros de Outlander, e devorei as duas temporadas em alguns dias de tão apaixonada que fiquei. O seriado é incrível e tive que ir atrás dos livros. Consegui me apaixonar ainda mais. O livro possui 800 páginas, mas a história é tão gostosa de ler, que a hora que você vê, já está no final e muito ansiosa para o próximo livro.
Estou louca para adquirir todos os livros e tê-los na minha estante. Indico muuuuito o livro e o seriado também. Ainda não comecei o segundo livro, mas como assisti a segunda temporada, estou quase indo para o terceiro livro de tanta ansiedade, mas irei me controlar e começar o segundo primeiro rsrs.
Vale lembrar que os livros de Outlander são indicados para maiores de 18 anos !!
Espero que se apaixonem tanto quanto eu.
comentários(0)comente



Thalia 15/03/2017

Em 1945, Claire Randall aproveita a sua segunda lua de mel com seu marido em Inverness. Durante a viagem, ela encontra um antigo círculo de pedras no qual testemunha um ritual misterioso. Alguns dias depois ela retorna ao local e acaba sendo transportada para o ano de 1743. E nessa jornada ela conhece Jamie. Claire nunca fica irritante nesse livro, ela é uma personagem tão esperta, sabe toda a história sobre a escócia e é uma personagem tão forte. Oh, Jamie o que falar dele... só sei que ele é incrível e é fascinante ver ele crescer ao longo da leitura e descobrir mais sobre a sua história. Jamie e Claire estão em um relacionamento na história. E isso não é um spoiler. O que eu mais amei no relacionamento deles é que não acontece de repente, eles não olham um para o outro e se apaixonam. Normalmente, na maioria dos livros o romance é insta love e nesse livro demora algumas páginas. Enfim, Diana Gabaldon tem uma escrita única e é fascinante que quanto mais você lê, mais você quer ler. Quando dei por mim já tinha acabado o livro.
comentários(0)comente



Edna 15/03/2017

Mi.mi.mi
A viajante no tempo, como o nome sugere é um romance atemporal que tem inicio quando a segunda guerra termina e Claire a única narradora do Romance que é uma enfermeira casada com um jovem historiador, vão passar uma temporada nas Terras Altas na Escócia.
E ao procurar plantas Claire subindo uma montanha que é um lugar místico próximo ao Lago Ness, se vê em uma fenda atemporal cuja descoberta se dá quando ela se vê em um cenário 200 anos atrás.
.

A narrativa se inicia tensa, melhora umas 100 páginas e novamente entramos em um labirinto de inúmeras páginas cansativas. Melhorando quando tem inicio a narrativa do casamento arranjado entre Claire e Jamie que pertence a um Clã, e que após ter sido salva na clareira onde ela se encontrou após a transição para a vida passada e estava em uma situação de mera exposição e nada segura, considerada pelas suas roupas atuais que nada mais eram que roupas íntimas em outro tempo, como se fosse uma prostituta., e suspeita de ser uma espiã dos ingleses e/ou dos franceses, a princípio por um Inglês muito sórdido Randall um homem que no passado havia surrado o nosso Jovem Jamie cujas cicatrizes poderiam ser notadas para sempre nas costas do rapaz, e nesta situação é salva pelos Mackenzie o Clã pertencente ao Jovem Jamie, que a adotam (sequestram) levando-a a um castelo sede do Clã dos Mackenzie. Durante sua estadia no castelo, bolam um plano para tirarem o poder da sucessão do jovem Jamie, o qual consideram rival, que casado com Claire cuja origem indeterminada, , jamais poderia ocupar um posto de senhora Mackenzie e assim armam o casamento.
.

A narrativa decai muito após um desfecho brilhante para um dos conflitos do enredo, o casamento arranjado, o posterior segredo do Jamie, foram resoluções muito engenhosas e divertidas que conseguem segurar o leitor fazendo com queira cada vez mais se aprofundar e com o casamento a autora decide fazer uma narrativa sexual explícita a cada duas páginas, que acaba com a história pelo aprofundamento erótico-contemplativos que poderia ter sido evitado essas partes e as deixado a encargo da imaginação do leitor, mas o que agrada boa parte das leitoras, respeito o gosto literário de cada um, e não lamento o fato de poder ter lido três histórias fascinantes, e sim agradeço por ter tido oportunidade de conhecer mais esse estilo clássicos históricos em uma versão sofisticada e bem mais apimentado.
.

Muito chato porque montei uma expectativa alta em relação a essa leitura que a muito tempo queria e fiquei tremendamente decepcionada, esperava mais do livro, pois amo as fantasias atemporais, principalmente quando narram pormenores dos locais onde acontecem. 3/5
comentários(0)comente



266 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |