O Poder dos Seis

O Poder dos Seis Pittacus Lore




Resenhas - O Poder dos Seis


156 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Tavares 09/12/2011

Não é segredo: se em "Eu Sou o Número Quatro" você ficou surpreendido, em "O Poder dos Seis" você ficará estupefato.

É incrível como Pittacus Lore - pseudônimo de James Frey e Jobie Hughes - cria um universo tão diferente, mas, ao mesmo tempo, tão próximo de nós. Confesso que, ao terminar de ler, estiquei minha mão e tentei usar telecinesia. Juro. Uma pena que não consegui.

No segundo livro conhecemos melhor os Números Seis e Sete. Notamos o quão sedentos de sangue os Mogadorianos estão. E, para o meu desgosto, o Número Quatro anda por caminhos errados e, nesses caminhos, sempre fazendo besteira, prejudicando outros e a si mesmo. Conhecemos melhor Lórien e os seus segredos. Várias perguntas são respondidas, novas surgem, porém ,algumas ainda são obscuras. As batalhas - que não são poucas - são muito bem descritas: sinto-me como se estivesse lá, lutando, bem ao lado deles, torcendo para que não morram ou sejam feridos.

Contudo, senti falta de uma personagem: Sarah. Muitos dizem que o romance entre Quatro e Sarah, neste livro, foi desnecessário. Discordo. Creio que foi essencial para mostrar a diferença entre ser um Lorieno e um Humano. Francamente? Esperava que Pittacus Lore cedesse mais espaço para ela, pois, tanto no primeiro livro, quanto no filme, interpretada pela atriz Dianna Agron, Sarah conseguiu raptar minha atenção.

Espero que a produção cinematográfica faça jus à excelência do livro. The Rise of Nine? Tomara que seu Legado possa ser o da velocidade da luz, pois será uma tortura esperar por você.
Nayara 31/05/2013minha estante
Acho que não há ninguém que por momento que seja não tenha tentado usar telecinesia, todos aliens frustados.




28/11/2011

Muito bom!
Esse é o segundo livro da série "Os Legados de Lorien". Estava bastante curiosa por esse livro, pois queria saber se o autor conseguiria manter o ritmo do primeiro e realmente ele consegue.
"O Poder dos Seis" continua contando a saga de John Smith (o número quatro) que agora, mais do que nunca, precisa fugir dos mogadorianos e lutar por sua vida com Seis e Sam. Paralelamente a isso, é contada a história de Sete que mora em um convento na Espanha e tenta, pela internet, achar notícia dos outros lorienos.
Assim como o "Eu Sou o Número 4", o livro te prende bastante e em cada página a ação vai aumentando e é simplesmente impossível parar de ler.
Não vou contar a história porque não gosto de "spoiler", mas o que eu posso dizer é que o livro é realmente muito bom, com ação do início ao fim. Gostei tanto que li as 320 páginas em dois dias.

Super recomendado!!!!
Angelo 30/07/2012minha estante
Concordo plenamente. O livro é sensacional, não tem como parar de ler.




Flavia 25/06/2012

Muita ação e emoção! hehehe
Em "O Poder dos Seis", Número Seis, Sam, John e seu chimæra, Bernie Kosar, fogem de Paradise após destruírem a escola toda pra poderem escapar dos outros mogadorianos que estão na captura deles e porque a polícia encontrou os vários documentos falsos que ele e Henri, que morreu durante a batalha na escola, forjavam. Como se isso não fosse o bastante, John ainda passa a ser procurado como um terrorista por causa da destruição e de sequestrar Sam. Sam não avisou pra ninguém que deu no pé com os Gardes, tudo isso pra descobrir o que raios aconteceu com seu pai! Menino desajuizado!
John vai embora com a mão no coração por estar deixando Sarah, seu "grande e único amor", mas no momento, fugir é a única coisa que ele poderia fazer pra se salvar e mantê-la em segurança também.

Esse volume dessa vez foi dividido entre a história de John e Marina, que é a Número Sete, e os capítulos se intercalam. Isso foi fantástico e até o texto pra cada um, com as letras diferentes, foi um diferencial muito bacana!
Marina e sua Cêpan, Adelina, vivem em um tipo de convento/orfanato na Espanha, e o desespero de Marina para descobrir se outros Gardes estão vivos e a ansiedade dela pra encontrá-los, faz com que ela sempre fique pesquisando e procurando por pistas de John na internet as escondidas pois ela acredita que devido as notícias que aparecem na televisão, só pode se tratar de um outro sobrevivente. Porém, ela é recriminada por Adelina, que já não deseja fazer parte da guerra por ter perdido as esperanças, tenta proibir Marina de fazer parte dessa vida pois agora estão na Terra e a única coisa que importa pra ela agora é Deus. A mulher agora é uma cristã devota e quer simplesmente enterrar o passado como se nunca tivesse acontecido! Mas Marina tem seus ideias e corre atrás do que quer e do que acredita! Marina é simplesmente demais!
Enquanto descobre seus legados sozinha, já que não pode contar com a ajuda de Adelina, Marina acaba fazendo amizade com Ella, uma menininha de uns 11 anos que desperta sua afeição. Marina acaba jurando protegê-la de qualquer mal. No final do livro, Ella revela um grande segredo!
Marina também pode contar com a ajuda de Héctor, que é conhecido como o bebum da cidade, mas que tem um ótimo coração.

A narrativa de Marina é muito calma, talvez por se tratar da introdução de sua história, enquanto a de John é ação pura por conta da fuga. Mal dá pra respirar. Parece que estamos lendo um roteiro de um filme de ação!

Um tipo de triangulo amoroso ainda começa a surgir em meio a toda essa confusão. Não sou muito fã de histórias que envolvem esse assunto, mas a forma como vai acontecendo e se desenrolando me agradou muito!

No decorrer da história, ficamos sabendo um pouco mais da história de Seis, o que é muito bacana, pois isso só me fez ficar mais fã da menina. Sam também é demais, continua melhor do que no primeiro livro!

Como tinha dito na resenha anterior, Sarah não me convenceu como namorada perfeita e eu tinha tomado antipatia dessa odiosa, e nesse livro, minhas suspeitas contra essa menina se confirmaram... Sái fora, Sarah, sua bruxa!
Entendi que aquele amor eterno que John acreditava sentir por Sarah, não passou de uma paixonite adolescente. Afinal, desde quando adolescentes sabem tudo sobre amor ou o que querem da vida nesse sentido? E John, por mais poderoso que seja, ainda é um adolescente e nada mais normal do que vivenciar essas emoções e conflitos.

Enfim, esse livro conseguiu me conquistar ainda mais do que o primeiro. Fiquei agoniada e suplicando pela continuação. Posso dizer que a aparição do Número Nove quase me fez morrer? Gente... Por menor que tenha sido sua participação, ele consegue ser mais foda que todos os personagens juntos! Preciso continuar lendo e saber da história desse menino logo meudeusdocéu!!!

Recomendo totalmente a leitura dos dois volumes e agora estou aqui, ansiosa e desesperada pela continuação que deve ser lançada esse ano, eu espero: A Ascensão dos Nove!
Já está nos meus favoritos, claro!
comentários(0)comente



Jules 23/12/2011

“O Poder dos Seis” – Pittacus Lore [www.up-brasil.com]
“O Poder dos Seis” começa num ritmo lento, porém agradável. Apresentando a jornada de John, Seis e Sam, após a batalha em Ohio. Contudo, a surpresa do livro vem com sua segunda narradora, a Número Sete – Marina – que está escondida na Espanha. Os acontecimentos vão sendo intercalados entre John e Marina, apresentando ao leitor dois cenários, deixando a leitura interessante e bastante dinâmica.

Diferentemente de “Eu Sou o Número Quatro”, este volume da série deixa o romance de John e Sara de lado para dar foco e aprofundamento no enredo sobre os lorienos e seus mistérios. Há uma carga de informação muito maior em “O Poder dos Seis” do que em seu livro antecessor. Em que personagens como Sam e Seis, ganham destaque. Seis compartilha de sua história – e trajetória – com Sam e John, revelando por onde andou e em como perdeu sua Cêpan. Assim como os ajuda a treinar e a se manterem vivos. Além de quê, um novo sentimento acaba nascendo entre John e Seis, deixando Sam um tanto desconfortável. Sam também, acaba assumindo uma posição importante para o desenrolar da estória e acaba evoluindo consideravelmente. Ele é o responsável pelos diálogos cômicos do livro, logo, acaba conquistando o leitor por seu humor e coragem.

Marina é autêntica e cativante. Conhecer sua história acaba por deixar o leitor condenscendente para com sua situação. Sozinha e amedrontada, esta personagem é forte. Ela enfrenta o que tiver pela frente e sua garra conquista o leitor.

Novos personagens são apresentados, o que só deixa mais estimulante este volume. Os últimos capítulos do livro ganham um ritmo eletrizante, deixando o leitor com uma imagem tão vívida, que é quase como se estivéssemos no campo de batalha.

O próximo livro que irá compor a série já tem título: “The Rise of Nine” e tem previsão de lançamento nos EUA no próximo ano.
Jonny 09/11/2012minha estante
Realmente o final do segundo livro deixa com uma vontade enorme de ter em mãos o terceiro volume.
Agora é esperar o lançamento aqui no Brasil




Loris 05/06/2012

O Poder dos Seis - Pittacus Lore
(Spoiler para quem não leu "Eu Sou o Número Quatro")

Em "O Poder dos Seis", Quatro, Seis e Sam fogem pelo país afora para escapar dos implacáveis mogadorianos que querem a todo custo eliminar os últimos lorienos da face da galáxia. Como se isso não bastasse, o governo americano colocou suas cabeças a prêmio, acreditando - por culpa da destruição da escola em Paradise e de centenas de documentos falsos encontrados na casa de John e seu Cêpan, Henri - que eles sejam terroristas extremamente perigosos. Bem ao estilo americano de achar que o mundo inteiro odeia os Estados Unidos. Só que Henri está morto, e John não sabe o que precisa fazer ou como encontrar as outras crianças lorienas sobreviventes.
Enquanto isso, conhecemos Marina, a número Sete, presa em um convento na Espanha, obrigada por sua própria Cêpan a permanecer escondida. Sete acredita que John Smith seja um Garde (lorieno que desenvolve Legados, ou seja, super poderes) por todas as notícias que pipocam sobre ele na Internet e quer, a todo custo, se juntar a ele.
A narrativa, então, alterna-se entre Quatro e Sete e a história vai se desenrolando no ritmo de um carro desgovernado, tão rápida que, em certas cenas, deixa o leitor desnorteado. Tanto no sentido bom quanto no ruim.

Me incomodou, enquanto eu acompanhava cena após cena de ação, a impressão constante de estar lendo um roteiro de filme, como se os livros tivessem sido escritos prontos e embalados para a grande tela. É sempre uma sucessão de acontecimentos súbitos, escritos de forma bem sucinta para dar a impressão de alta velocidade: dezenas de explosões, milhares de tiros e centenas de inimigos abatidos, isso tudo com danos quase nulos para os protagonistas.
Não que essas sequências de ação não possam ser apreciadas. São interessantes, sim, mas, existem certas imagens que foram feitas para se ver, e não para se ler.
Essa forma objetiva de narrar pode servir muito bem na hora de acelerar uma cena, porém peca nas descrições. Perdi várias partes, sem conseguir imaginar o que os personagens faziam simplesmente por não haver informações suficientes. Sei que haviam feras atacando por todos os lados, sei até o nome mog delas, mas não faço ideia de como elas sejam - não consigo visualizar, porque os autores enxugaram o que podiam e o que não podiam de palavras.

Outra coisa que me incomodou: A incompetência dos mogadorianos! Eles destruíram um planeta cheio de pessoas que possuíam super poderes que parecem saídos de uma HQ da Marvel, mas não conseguem, de jeito nenhum, dar cabo de um bando de adolescentes. Pelo amor de Deus, que tipo de soldados vocês são, que caem como se nunca tivessem pegado numa arma antes? Como é que vocês não conseguem dar UM tiro certeiro? Foi como, sei lá, um filme estilo Duro de Matar: um milhão de inimigos derrotados e o cara só sai com um nariz quebrado.

Non sense à parte, Os Legados de Lorien é uma história (de certa forma) original e com personagens carismáticos, e aqueles que não são, fazem por merecer a antipatia e a indiferença que despertam (quem leu sabe de quem eu estou falando).
Gostei da forma como os outros Gardes foram apresentados nesse livro, a forma como Seis cresceu como personagem, se tornando a minha Garde preferida, e gostei também de como termina - com aquela deixa ENORME para despertar a curiosidade e fazer o leitor correr pelo próximo volume. É, entretanto, uma leitura sem compromisso nenhum, voltada única e exclusivamente para o entretenimento fácil. Divertida, mas que não pode ser levada muito a sério.
Pedro Bender 09/08/2013minha estante
Concordo plenamente com você, eu tava até preocupado aqui lendo as resenhas e me sentindo deslocado,imaginando se só eu havia pensado desta maneira. haha


kim 22/03/2015minha estante
Cara você falou TUDO que eu sinto lendo sério kkkk




juliablack 23/11/2011

Os Legados de Lorien
O livro a cada capitulo retoma a historia do numero Quatro e aliada junto a historia da numero Sete.Ambos ainda nao se conhecem e estao enfrentado seus inimigos ao mesmo tempo que buscam localizar os outros Loreanos e seus Legados.

Não gosto muito da maneira como o autor coloca a narrativa,no entanto sem duvida alguma fiquei totalmente presa a trama.Foi quase impossivel me fazer parar de ler até chegar ao final ao seu final!
Os desdobramentos de tudo o que aconteceu no primeiro livro com o Numero Quatro e seus amigos,o aparecimento da numero Sete,nesse segundo livro, tendo sua historia contada intercalada com a do Jonh simplesmente é facinante.
Ainda por cima o aparecimento de novos personagens que trás mais ação a trama é algo curioso e que quero desvendar...
Qual será a historia Do numero Nove?Onde está seu Cepan?
E o que ocorrerá quando finalmente todos os seis sobreviventes estiverem juntos?
Tudo esta ficando cada vez mais interessante!
vou agurdar com grande curiosidade a chegada do proximo livro dessa serie.






Leonardo Drozino 25/11/2011minha estante
Pelo que entendi, o Cepan do 9 foi assassinado...


juliablack 25/11/2011minha estante
eu tambem estou presumindo isso mas fico curiosa é em saber como tudo aconteceu uma vez que o numero Nove ficou praticamente um ano nas maos do inimigo.entao o cepan foi morto em luta ou durante sua prisão.acho que me fixei um pouco nisso..hehe!


Andie20uns 29/11/2011minha estante
Tb pensei nisso... acho que foi antes... do jeito que ele é forte acho que com ajuda não teriam levado ele... chuto q foi antes ou na captura.


juliablack 02/12/2011minha estante
espero que nao demore muito pra lancarem o terceiro..


Igor RS 06/12/2011minha estante
Pelo jeito vai ter pelo menos mais uns 3 livros.
Espero que tenha um filme do "O poder dos seis" antes de sair o 3° livro, que pelo andei lendo, só deve sair no 2° semestre do ano que vem. :/


Absanttos 18/01/2012minha estante
Tomara que ninguém veja esse spoiler sobre Nove.


Absanttos 18/01/2012minha estante
Vale lembrar tbm que o livro The Rise of Nine está previsto para sair dia 21 de Agosto de 2012. Vamos trabalhar ai para traduzir tudo antes do fim de novembro.



juliablack 04/02/2012minha estante
imagino que sejam pelo menos seis livros..um para cada sobrevivente.


irão traduzir?legal.


Bárbara 05/05/2012minha estante
Eu também espero que saia o filme do livro, a história é tão fascinante que fico imaginando como conseguiriam colocar tantos detalhes.Eu estava vendo no site da editora,e parece que saiu mais um livro, mas que só é disaponível como e-book(que pena)chama-se Os Arquivos Perdidos.E eu fiquei muito curiosa com a número DEZ,eu tinha certeza que a 2ª nave tinha chegado,mas ele poderia ter colocado mais coisas sobre ela.


Giovana Bibikow 10/07/2012minha estante
bem, com certeza o Cêpan do Nove morreu, pois ele foi capaz de abrir a arca dele sozinho ^^




Paulo Elpes 16/03/2012

Surpreendente
Quando eu li o primeiro livro da série Os Legados de Lorien(em inglês Lorien Legacies) eu realmente achei que Pitaccus Lore(pseudônimo de James Frey e Jobie Hughes) não tinha muita idéia do que estava escrevendo. Em primeiro lugar por criar uma guerra praticamente perdida e sem sentido, por que nove Gardes(Lorienos dotados de Legados) jovens para lutar contra um exército de Mogs, Píkens e Kraus realmente era uma luta perdida. E também pelo fato de O Número Quatro muitas vezes se mostrar um tapado pela falta de informação que seu Cêpan(os “guardiães” e “treinadores” das Gardes) lhe fornecia. Eu somente li Eu Sou o Número Quatro por que eu conhecia muitas pessoas que leram e elogiaram muito esse livro, mas me decepcionei amargamente com aquele livro.

Eis que é lançado O Poder do Seis(em inglês The Power of Six) e minha amiga Júlia Feldens p compra, pois ela havia realmente adorado o primeiro livro da série. E adivinhe? Ela não gostou do segundo, o que me fez ficar MUITO receoso quanto à continuação da série, mas como a curiosidade fala mais alta decidi dar mais uma chance a esta série sem saber como os autores amarrariam a história do primeiro livro ao segundo.

O livro é simplesmente PERFEITO. Os autores mostraram o real motivo da perseguição dos mogs aos Lorienos(que não fica claro no primeiro livro, ou melhor, isso é um tópico não abordado pois ao final de Eu Sou o Número Quatro você realmente acha que guerra se dá pela possibilidade das Gardes voltarem para Lorien, o que é realmente sem nenhum sentido já que voltar para um planeta totalmente acabado e desprovido de recursos naturais para voltar a ativa não ajuda em nada, eles apenas passariam fome). Outra parte muito legal é que os autores realmente conseguem inserir no livro uma atmosfera de extremo perigo e tensão. A Número Sete é simplesmente a minha Garde favorita, acho que me identifiquei com ela pelo fato de ela ter de ser muito prematura, o que é um pouco voraz (outro ponto positivo do livro, como a parte em que contam como a/o número 2 foi morto/a ou como os mogs perseguiram e mataram a Cêpan da Número 6). Enfim, é isso. Novas alianças, novas Gardes, novos aliados! Nota 5 para O Poder do Seis.
comentários(0)comente



Andie20uns 29/11/2011

The rise of nine vai deporar? adianta ai Pittacus Lori!!!
Em poucas palavras e sem spoilers aqui no começo!! (pq estragaram minha história por isso)

Enfim... posso dizer que esse é menos emocional que o outro e com muito mais batalhas! (espero me apegar mais a eles com o decorrer dos livros, adoro um draminha)
Mas amei... em algumas horas "comi o livro" que agora vejo que foi uma péssima ideia pq estou com um vazio e cheia de perguntas que só daqui um ano terei respostas :(
(devia ter demorado mais no livro... rs)

O número 4 brilhou menos nesse... mas temos que considerar que o Henri demorou para treina-lo e ele é mais novo... seus legados apareceram a pouco tempo.

Os novos personagem que colocaram na história amei! não vão decepcionar... sem citar nomes mas já adoro o ultimo acrescimo... huuu espero muita coisa dele! :D

E isso ai pessoal... fiquei com milhões de duvidas, cheia de perguntas para o proximo... Já disse que gostei disso?! rs


SPOILERS
Acho que algum número pegou a caixa da Seis... e não o lado mal... fiquei pensando nisso... tentanto encontrar com ela e achando a caixa... sei lá...

bjuss


Blog MVL - Nina 02/01/2012

Minha Vida por um Livro | www.minhavidaporumlivro.com.br | Marina Moura

O segundo volume da série é bem melhor que o primeiro. Acho que sem todo aquele melodrama do relacionamento entre John e Sara,a estória finalmente evolui para o que deveria ser. Um sci-fi para jovens de tirar o fôlego. A narrativa é compartilhada entre a nova personagem, Marina – aka Número Sete – e John, em sua busca por outros lorienos sobreviventes.

Continuo não sendo grande fã de John. Acho que falta a ele o fator “herói”. Ele não é um protagonista forte, carismático. Felizmente, outros personagens da trama assumem posições de mais destaque. Sam por exemplo, se faz presente no livro porque trás um toque de humor com seus diálogos espirituosos e é um fiel amigo para John. Apesar de haver uma tensão rolando entre os dois – mas não vou entrar em detalhes – ambos superam esse pequeno conflito e permanecem lado a lado contra os mogadorianos.

Seis,que no primeiro livro é uma desconhecida,finalmente começa a contar sua própria história. Eu pessoalmente gostei muito de descobrir uma pouco mais sobre o passado da personagem, já que adorei o seu desempenho em “Eu sou o número 4”. Descobrindo o sofrimento pelo qual ela passou, pude admirar ainda mais o seu caráter. E sim, finalmente desvendamos o segredo de seu verdadeiro nome.

Gostei muito da Marina. Sua história é rica, bem construída. Acompanhá-la na Espanha é uma mudança de cenário positiva para a trama. Outro fator estimulante sobre a personagem é que ela é cheia de qualidades. Determinada, inteligente e esperta. Marina não espera sentada para que as coisas aconteçam. Ela mesma toma a rédea da situação.

O enredo se desenvolve muito em “O poder dos seis”. Há mais profundidade na estória, no passado de John,o que não existe no livro anterior. Com uma trama muito bem conduzida. Apesar de eu não ter gostado do livro anterior, esta sequência me surpreendeu de forma muito positiva. Encontrei-me tão emocionada e envolvida pela obra que sinceramente, não acho justo dar nada menos que cinco estrelas para o livro.

E o que foi aquele final? Muito-bom!
comentários(0)comente



Uill 26/08/2012

A guerra alienígena continua...
Bom, alienígenas? Aqui na Terra? Coisa mais boba em.
Ah, eu já disse que gostei? Perdoem-me. Aushaush
Você viu como foi a repercussão de EU SOU O NÚMERO QUATRO na resenha postada logo no inicio do blog (veja resenha aqui), e na resenha de OS LEGADOS DA NÚMEO SEIS (veja resenha aqui).

Na segunda fase da aventura lorica. Pittacus Lore agrupou a documentação referente à Número Sete. Outrora Brigitta, Marina e sua Cêpan, Adelina, não tiveram a melhor das vidas ao desembarcarem aqui na Terra. Adelina não teve tato necessário para usar os diamantes loricos que recebera na terra natal. Segundo se lembra Marina, sua Cêpan trocou todas – todas – as pedras preciosas por um mísero prato de comida.

Ela mora na Espanha, trancada dentro de um convento, enfrentando o dilema de agir ou esperar. Em algum momento durante a época cuja qual se vira num estado de #mendigagem, Marina acredita que Adelina perdeu a fé em Lorien e na missão dos nove. Em dado momento, elas foram acolhidas por Irmã Lúcia, uma freira severa e rabugenta, mas que abriu as portas para elas mostrando novas respostas desse mundo novo. Agora, Marina sabe que a hora de lutar se aproxima, ainda mais com as notícias sobre o possível terrorista adolescente e seu pai que destruíram um colégio e mataram cinco pessoas em Ohio, Paradise. Adolescente esse, que marina tem certeza de que é um deles. John Smith é o Número Quatro, é o sinal que ela estava esperando.

Mas acontecimentos começam a incomoda-la. Um estranho homem fica a observando pela janela. Uma nova interna consegue sua afeição. Constantes sonhos mostram uma garota de cabelo preto que tem um poder tão grande, que apesar de dar esperanças a Marina, entregam também um medo inusitado.

Marina já possui uns três ou quatro legados desenvolvidos. Um deles, respirar embaixo d’água. Marina é poderosa, mas ingênua.

É interessante o papel dela na história. Ela não tem aquele romance melado que John Smith vive ao lado de Sarah Hart, embora alimente uma forte amizade com Héctor Ricardo, o bêbado da cidade.

Por outro lado, começamos a desvendar os Segredos da Número Seis, começamos a enxergar a forma como vai se desenvolver a atração que Sam Goode tem por ela, e como será os próximos passos do trio.

Esse livro foi muito mais do que eu esperava, pois quando li Eu Sou o Número Quatro pela primeira vez, não curti muito. Então, quando li o segundo livro, vi quais foram as pretensões dos nove anciões lorienos ao lançar o feitiço sobre as crianças, e como deve ser esta missão de recuperação territorial. Percebi que quando a batalha começar, será uma batalha de verdade.
Além do fato de estarem lutando pelas próprias vidas, eles estrão lutando por Lorien e por nós. Partindo do princípio que os Mogadorianos querem nos dominar.

John Smith tem tudo pra levar o lorienos à vitória, mas é claro que a Número Seis irá ter uma parcela maior na luta. Ela é incrível, exuberante, poderosa, destemida. Ela é uma loriena de orgulho. Maren Elizabeth pode ter grandes chances de ser a líder deste grupo. Contando aí alguns adicionais que eles encontrarão pelo caminho.

Mortes virão, batalhas serão perdidas, amigos irão lhes trair, outros se perderão ao longo do caminho. Inimigos serão superados, barreiras ultrapassadas, e ele terão de enfrentar tudo isso, sendo bom ou não. Pois agora são seis gardes contra um número desconhecido de Mogadorianos e suas feras. E ainda falta encontrar o Numero Nove, a Cinco, e o Oito. E John Smith precisa desvendar os segredos por trás da segunda nave que partiu de Lorien. O que ela realmente carregava? Onde ela está? E quais são os planos de sua tripulação? Amigos ou inimigos, John quer encontra-los e decifrá-los...

TRECHO:

– Em nenhum momento pensamos que fosse uma armadilha – ela diz – Embora a ideia faça algum sentido. Na época, estávamos apenas com medo. E meu tornozelo queimava. É um pouco difícil pensar com clareza enquanto parece que o pé está sendo arrancado.
Assenti firmemente.
– Mesmo depois do medo inicial, no entanto, ainda não consideramos essa possibilidade. Nós respondemos, e foi isso que os colocou em nosso encalço. Foi uma atitude ridícula. Talvez você tenha razão, Sam. Só posso esperar que aqueles de nós que ainda estão vivos tenham ficado mais sábios.
A última frase de Seis paira no ar. Só restam seis de nós. Seis contra um número desconhecido deles. E nenhuma forma de sabermos como podemos nos encontrar. Somos a última esperança. A força dos números. O poder dos Seis. Pensar nisso faz meu coração bater duas vezes mais depressa que o normal

NÓS PRECISAMOS NOS UNIR. NÓS PRECISAMOS LUTAR E VENCER. NÓS SOMOS A ÚLTIMA DEFESA.
POIS SE NÓS PERDERMOS. TUDO ESTARÁ PERDIDO.
comentários(0)comente



Erika Cristina 15/04/2013

O Poder dos Seis - Pittacus Lore
O Poder dos Seis é a sequência do livro Eu Sou o Número Quatro, da série Os Legados de Lorien. O livro é narrado por dois Gardes: o Número Quatro, que agora é um dos fugitivos mais procurados dos EUA, juntamente com a Número Seis e seu melhor amigo Sam Goode, e pela Número Sete, uma garota de 17 anos que está escondida em um orfanato em Santa Tereza, Espanha, junto com sua cêpan Adelina.

O maior problema de Número Sete é que sua cêpan ignora tudo relacionado a Lorien, não dando o devido treinamento a Marina, a Número Sete. A história se desenrola com os poderes de Marina, seus amigos Hector e Ella, sua procura pela arca e a vontade de se juntar ao Número Quatro, nos EUA.

Enquanto isso Quatro, Seis e Sam seguem como fugitivos pelos EUA até que Quatro descobre coisas que Henri (seu falecido cêpan)havia escondido dele. Eles precisam voltar a Paradise. A história de Quatro se desenrola pela culpa de se sentir atraido pela Seis, que seu amigo Sam também gosta, pela dúvida de que Sarah Hart é realmente seu amor e como achar os outros Gardes. Algo acontece a Sam. Nove entra na jogada.

Do meu ponto de vista, o livro trouxe toda a ação que ficou presa na história de Número Quatro. Enfim as coisas foram se encaixando, mistérios foram revelados. Aprendemos mais sobre a arca lórica, quem são os outros Gardes e seus legados. E enfim: como os mogadorianos estão a solta por ai.

Tomem cuidado: ele pode está ao seu lado.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Tati oliveira 09/09/2012

John esta meio perdido após a morte de seu Cepan, mas tem Sam e seis a seu lado. Eles são fugitivos da policia, e, após descobrirem os computadores de Henri, também são acusados de terroristas. Precisam se recuperar fisicamente, se esconder da policia e dos mogodorianos, treinar e ainda tentar encontrar os outros lorianos.

Enquanto os três estão se escondendo no estados unidos, somos apresentados a uma nova personagem, Marina, a número 7, que mora à muitos anos no orfanato de um convento, na Espanha. Vive o dilema de fugir e tentar encontrar os outros, ou continuar vivendo ali, com sua Cepan que a muito deixou de acreditar em suas origens.

As duas passaram por muitas dificuldades, a mulher não soube lidar bem com a nova situação, ou simplesmente teve muito azar,mas precisou trocar todas as pedras preciosas por muito pouco, e, rapidamente, as duas estavam sem dinheiro, praticamente mendigando por um prato de comida, até chegarem na igreja, onde foram muito bem recebidas. Ficaram vivando ali, e, aos poucos, a mulher deixou de acreditar em tudo, passando a devotar sua vida a deus, esquecendo suas obrigações com a menina.

Marina acabou desenvolvendo seus legados apesar de tudo, mas não teve nenhum treinamento, tudo que sabe sobre suas origens é de antes de chegar ao convento, ou por próprio. Aproveita os computadores que o convento possui para ficar atenta ao aparecimento dos lorianos. Agora esta certa de que John Smith, que é constantemente falado, é um deles, e precisa encontra-lo, com, ou sem sua Cepan, só precisa de sua arca, e de um jeito de abrir-lá.

A história é contada tanto do ponto de vista de Marina, quanto do de John, temos assim duas historias acontecendo ao mesmo tempo, e ficamos na espera de quando eles vão se encontrar.

Esse livro possui personagens muitos mais interessantes que o anterior, somos apresentados há muitas coisas que ainda não sabíamos. É uma história que você lê rápido é não quer mais parar, percebe que tem muito mais por trás do que apenas um grupo de adolescentes despreparados tentando salvar um planeta.

Diferente do livro anterior, ao terminar fiquei pensando bastante na história, em tudo que pode vir a acontecer, e esperando ansiosamente pelo próximo. Espero que lance logo, pois não vejo a hora de ler.


http://frasesrabiscadas.blogspot.com.br/2012/09/o-poder-dos-seis.html
comentários(0)comente



156 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |