Os Tambores de Outono - Parte 1

Os Tambores de Outono - Parte 1 Diana Gabaldon




Resenhas - Os Tambores de Outono - 1ª Parte


38 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Aletheia (@almaletrada) 20/09/2017

Depois de toda a adrenalina presente em Voyager, livro 3 da série, temos uma narrativa mais lenta, mostrando a nova forma com que Jamie e Claire passam a se relacionar. O amor ainda continua presente, mas arestas criadas em 20 anos de separação precisam ser aparadas, coisas relacionadas ao passado solitário de ambos precisam ser esclarecidas. Agora, em uma América selvagem, precisam recomeçar e reconstruir tudo o que foi perdido na Escócia. Jamie fica sabendo que sua tia Jocasta (irmã da sua mãe, de Colum e Dougal) tem uma propriedade chamada River Run e parte em busca do seu paradeiro. No percurso salvam Stephen Bonnet do enforcamento, um homem que se tornará um pesadelo para os Frasers. Ao chegar em River Run se chocam com a realidade da escravidão presente nas colônias inglesas. Acompanhados de Ian e Fergus, passam um tempo ajudando tia Jocasta na fazenda, até ela cogitar transformar Jamie em seu herdeiro. Jamie recusa por não concordar em ter escravos e sua tia, usando a influência que possui apresentá Jamie ao governador da Carolina do Norte. Tryon lhe oferece terras em troca de lealdade à coroa inglesa e, mesmo não sendo protestante, Jamie aceita. Partindo para o local que eles batizam de cordilheira dos Fraser. A dificuldade agora é conseguir moradores para desbravar aquela área, começando do zero. Brianna e Roger, ainda no século VC, ganham importância e passamos a conhecer mais dos herdeiros Fraser e MacKenzie. Com saudade da mãe, Bree tenta acompanhar a vida dos pais no passado através de documentos e faz uma chocante descoberta que trará grandes aventuras na parte 2 desse livro.
comentários(0)comente



AmadosLivros 14/08/2017

"- Você não vai me deixar? - perguntei por fim. - Não vai morrer?
Ele balançou a cabeça e apertou minha mão com força.
- Você é minha coragem, assim como eu sou sua consciência - sussurrou ele. - Você é meu coração, e eu, sua compaixão. Sozinhos, não somos inteiros. Você não sabe disso, Sassenach?"

"Os Tambores do Outono Parte I" é a primeira parte do quarto volume da série Outlander. Precedido de O Resgate no Mar, o quarto livro vai nos contar como Claire e Jamie Fraser, o casal protagonista lindo e maravilhoso, começam a construir suas vidas juntos nas colônias da América do Norte do século XVIII, mais precisamente em 1767. Ao mesmo tempo, em 1969, vamos saber como a filha do casal, Brianna Randall, está se sentindo com a partida da mãe, a descoberta do verdadeiro pai e o início do primeiro amor por Roger Wakefield, filho adotivo do Reverendo Wakefield e descendente do clã MacKenzie.

É meio complicado resenhar essa série sem soltar alguns spoilers dos livros anteriores. A própria sinopse dos livros já contam detalhes dos seus predecessores. Mas vou tentar diminuir o máximo que puder. Para quem quiser conhecer um pouco mais dos anteriores antes de saber sobre Os Tambores do Outono, deixo as resenhas de A Viajante do Tempo, A Libélula no Âmbar, O Resgate no Mar Parte I e O Resgate no Mar Parte II.

Em O Resgate no Mar vimos como Claire descobriu o paradeiro de Jamie, depois dos 20 anos que ficaram separados, e resolveu voltar ao passado para se encontrar com ele e finalmente terem o seu final feliz. Coitada, mal sabia ela que esse final feliz ainda está longe de acontecer. Os dois acabam por viajar para as Índias Ocidentais (as ilhas do Caribe, atualmente) no Novo Mundo, com a finalidade de resgatarem seu sobrinho Ian que fora sequestrado por um navio pirata. Depois de muitos perrengues tanto em alto mar quanto em terra firme, o casal finalmente recupera o sobrinho e acabam naufragando (sim, naufragando, a "sorte" desses dois é incrível) na costa da Carolina do Norte.

Lá, decidem por ficar na colônia americana em vez de retornar para a Escócia, e tentar construir um novo lar para eles, além de redescobrir como conviverem juntos, afinal, foram 20 anos separados. O amor nunca deixou de existir, mas a convivência e a confiança precisa se restabelecer. Com a ajuda de uma tia de Jamie, Jocasta Cameron - irmã dos MacKenzie - o casal, o sonhador sobrinho Ian e seu fiel escudeiro Rollo (uma mistura de cão e lobo), o filho adotivo Fergus, e o amigo Duncan, tentam sobreviver nesse Novo Mundo cheio de aventuras, de animais selvagens, de nativos lutando pelas suas vidas e suas terras, de negros sendo escravizados e torturados, de europeus com sede de riqueza e fortuna desbravando essa selva braba e passando por cima de quem precisar passar.

"Jamie pegou minha mão direita, passando o polegar devagar pela aliança prateada de casamento. - Talvez, um dia, eu possa cobri-la com rendas e joias - disse ele suavemente. - Nunca consegui lhe dar muita coisa, exceto esta aliança de prata e as pérolas da minha mãe.
- Você me deu muito mais do que isso - disse. Envolvi seu polegar com meus dedos e apertei. - Brianna, para começar."

Enquanto isso, em 1969, vemos Brianna e Roger começarem sua história de amor. Um começo um tanto quanto conturbado, pois a moça está sofrendo: acabou de se separar da mãe, Claire, que voltou ao passado para ficar com seu grande amor, Jamie, seu verdadeiro pai e que ela acabou de descobrir que existia, logo depois de perder o homem que a criou como filha, Frank Randall, primeiro marido da mãe. Quanto vai e vem não é mesmo? Eu também ficaria maluca com tanta informação. Brianna sente-se culpada por querer saber mais sobre o verdadeiro pai, achando que isso fere a memória do homem que a criou. Tem medo de se apaixonar por Roger e logo depois conhecer outra pessoa, como aconteceu com sua mãe, que um dia havia amado Frank, mas depois que conheceu Jamie, esse amor deixou de existir, sendo capaz de abandonar tudo por ele. Porém Roger tem certeza de seus sentimentos e pretende lutar pelo coração da garota, luta essa que não será nada fácil, principalmente depois que ela descobre uma informação nada agradável sobre seus pais no século XVIII.

Preciso confessar que senti falta de alguma coisa nessa primeira parte do livro. Não me entenda mal, assim como todos os outros, eu adorei. Mas faltou alguma coisa nele que me prendesse tanto quanto os anteriores. Espero que a segunda parte tenha essa pitada a mais que faltou na primeira. O livro tem sim ação, aventuras e problemas - esse casal tem um imã para perigos que vou te contar - mas acho que faltou acontecer mais dessas coisas como nos anteriores. Não sei se é por causa da divisão do livro em partes 1 e 2, deixando a parte 2 com mais aventuras para nos surpreender. Eu não tenho nada contra a divisão, até porque é melhor ler um livro com 500 páginas (o que já é muito) do que um livro com quase 1000 páginas, como foi com A Libélula no Âmbar. Espero que a Arqueiro não atrase o lançamento da segunda parte, prevista para maio, estou aguardando ansiosíssima para ler a continuação! Enquanto isso, já temos a segunda temporada da adaptação de Outlander para TV que já lançou dois episódios arrasadores. Boa leitura!

site: http://amadoslivros.blogspot.com.br/2016/04/livro-os-tambores-do-outono-parte-i.html
comentários(0)comente



Taisa 28/07/2017

Ahh gente sei lá! Que livro esquisito.

Gostei? Lógico que sim, acho praticamente uma missão impossível não gostar de alguma coisa em que James Fraser está envolvido, mas sinceramente tive alguns probleminhas aqui.

Vai ter spoilezinho de O Resgate no Mar.

Eu fico as vezes pensando como seria o reencontro perfeito, não sei vocês mas eu achei meio chinfrin o grande reencontro da Clare e o Jamie. Mas como seria a perfeição? Na vida real esses reencontros não devem ser tão dramáticos e epopeicos, imagino que o casal da vida real dariam aquele tipo de beijo meio desesperado onde os dois vão pro lado direito, nariz tromba com nariz, é dentada no beiço e falta de assunto por não saber o que falar, o rosto vermelho como um pimentão.....sim certamente na vida real o negócio é meio constrangedor, por isso eu amo os livros, nessa cenas românticas tudo dá certo, paramos para perceber que paramos de respirar, que lá vem um ventinho sudoeste que deixara os cabelos mais esvoaçantes e charmosos, tem todo aquele negoócio de ponta da língua molhando os lábios e não sei mais o que, só sei que os autores conseguem dividir cinco segundos em umas duas horas, tamanho os detalhes.

Então somando essas variáveis da vida real com todo o rococó da ficção relevei um pouco esse reencontro. Mas gente, sério. Bem sério. Aqui também há um super encontro e esse daqui não consegui relevar, foi meia boca com todas as meias prováveis. De tantos meios para isso acontecer ela fez de uma forma tão sem graça, esse era para ser o ponto alto do livro, e pior ainda, ele foi o ponto alto do livro. Foi o mais baixo ponto alto do livro.....hahahahhahahahahahahahhaha
Mas enfim, já foi, vamos viver com isso.

E não era só isso, senti falta daquela emoção, tinham tantas partes que poderiam ter sido agoniantes, emocionantes e tantos outros “antes” mas ..... não. Na verdade era assim, começava uma cena e pá ela cortava e já ia para outra, daí eu ficava einnn, voltava relia e ok, não entendi nada mas ela deve se explicar mais pra frente, daí la depois de umas 200 paginas ela revelava e assim foi em alguns momentos. Até mesmo revelando mistérios do livro anterior.

Senti falta de uns perrengues também, no livro anterior tufo foi tãaaao dificil, na verdade DOIS livros enormes para descrever as dificuldades da época e neste daqui em uma parte praticamente já estava tudo resolvido. Como assim????

Resumindo, eu gostava mais quando a Clare e o Jamie eram o foco principal e ponto, mas fazer o que né? Temos que crescer, saber que os problemas são outros e aceitar algumas coisas. Mas gostei de muita coisa também, a narrativa descritiva dela é maravilhosa, se antes me sentia nas terras Altas, agora me sinto na Cordilheira dos Fraser, são os cheiros, as texturas, cultura, cada movimento tão ricamente detalhado que é difícil não ser imersa naturalmente.

Sinto que daqui para frente não haverá um livro mais da série que irá superar os primeiros, mas mesmo assim mantenho meu interesse, adoro essa família, esse casal, esse homem! Não sei o que o futuro nos reserva, mas se nada mais der certo bora voltar para as pedras!

site: leiturasdataisa.blogspot.com.br
aleitora 28/07/2017minha estante
Adorei a resenha Taisa


Taisa 28/07/2017minha estante
Obrigada!! ;)


Samy 02/08/2017minha estante
??????


Aletheia (@almaletrada) 05/08/2017minha estante
Linda resenha.


Samy 05/08/2017minha estante
Muito bom !!




Carol 23/07/2017

Outlander também conhecida como a saga que desperta o amor no meu coração.
Impossível não se perder dentro desse livro!
Uma das minhas partes favoritas foi a Claire conversando com um crânio - pensar em Hamlet foi um impulso natural da minha pessoa.
Consegui conhecer um pouco mais um pestinha chamado Ian e ele ganhou um espaço especial no meu coração.
O que dizer sobre Jocasta? Apenas que as características condizem com o seu clã; "charmosa, porém dissimulada".
Fiquei o livro inteiro tensa, apesar de esquecer momentaneamente da minha tensão devido a alguns acontecimentos não tão perturbadores.
A reação da amiga da Brianna quando conheceu o Roger me representou. Sinceramente, me imaginei tendo a mesma reação quando conhecesse um escocês.
Um desejo louco despertado no finalzinho desse livro é de como eu gostaria que a Claire e o John se tornasse amigos.
comentários(0)comente



LOHS 06/06/2017

A preparação para a parte 2
Começo essa resenha avisando que como falarei sobre a primeira parte do quarto volume da série Outlander, obviamente, poderá conter spoilers das edições anteriores (A Viajante no Tempo, A Libélula no Âmbar, O Resgate no Mar - parte I e O Resgate no Mar - parte II).

Os Tambores de Outono, assim como o livro anterior (O Resgate no Mar) e provavelmente todos os próximos títulos da série Outlander, será dividido em duas partes.
Neste primeiro tomo, encontramos novamente com Claire e Jamie Fraser finalmente juntos na América em 1767. Embora Claire tenha reencontrado seu amado, ela sente muita falta da filha dos dois, Brianna que ficou no século XX.

Junto com o casal, estão Ian, o sobrinho deles, e o fiel Fergus, que deixou a esposa Marsali grávida na Jamaica até ter certeza que era seguro levá-la para América.
O grupo tem como destino um local chamado River Run, em algum ponto acima do rio de Wilmington, onde vive o tio de Jamie, Hector Cameron. Mas a viagem da Georgia até o destino final não será nada fácil.

No meio do trajeto, Jamie salvará a vida do irlandês Stephen Bonnet da forca. Só que Bonnet não se importará com isso na hora de roubar toda a fortuna do grupo e fugir, deixando Jamie e Claire novamente na miséria. E já aviso que Bonnet fará muito pior na segunda parte história, então se preparem!

Enfim, quando finalmente chegam a River Run, Jamie e Claire descobrem que o tio Hector morreu e quem comanda a fazenda é sua tia viúva, Jocasta Cameron. Mesmo cega e com certa idade, Jocasta continua comandando os negócios da fazenda com a ajuda de seu escravo-mordomo.
A chegada do sobrinho à fazenda, faz com Jocasta pense seriamente em torná-lo seu herdeiro oficial.

Mas tanto Jamie como Claire não conseguem conviver com a ideia de serem donos de escravos. Por isso que o casal acha a proposta do governador Tryon, de oferecer terras selvagens na Carolina do Norte, extremamente tentadora. Mesmo sabendo que a Guerra da Independência Americana está próxima de estourar.

Em mais uma pequena aventura, James encontra montanhas que muito se assemelham a sua saudosa Escócia e o casal decide formar ali a Cordilheira dos Fraser. Só que para isso Jamie precisará de homens que aceitem trabalhar em troca de um pedaço de terra, além de ter que construir tudo do zero.
O fiel Fergus, agora com a esposa Marsali e o filho Germaine, será uma das maiores ajudas a James nesse momento.

Para aumentar o drama da sobrevivência em uma América selvagem, James e Claire receberão visitas muito importantes e um surto de sarampo irá preocupar toda a região, desde os imigrantes aos índios nativos.

Já em 1969, Brianna está tentando seguir sua vida, a faculdade e o relacionamento não definido com Roger Wakefield - que está na Inglaterra. Mas a saudade da mãe e do padrasto são cada vez maiores. E a curiosidade sobre seu pai biológico, James Fraser, é cada vez maior.

Brianna, com a ajuda de Roger em outro continente, começa a pesquisar documentos históricos para tentar descobrir um pouco mais sobre o destino de seus pais no século XVIII.
Só que tudo muda quando Roger encontra uma notícia antiga sobre um incêndio na Cordilheira dos Fraser que matou o casal James e Claire Fraser. Roger decide não contar nada a Brianna por acreditar que ela tentaria voltar no tempo para salvar os pais. Só que o problema é que sua namorada começa a agir de uma forma muito estranha e sem explicação.

"-Você é minha coragem, assim como eu sou sua consciência - sussurrou ele. - Você é meu coração, e eu, sua compaixão. Sozinhos, não somos inteiros. Você não sabe disso, Sassenach?"
Jamie Fraser, p. 340

Os Tambores do Outono, parte I, será a introdução para toda ação que virá no segundo tomo desta história incrível. Mesmo sendo uma narrativa introdutória, a leitura flui deliciosamente pelas páginas. Diana Gabaldon tem um dom de prender o leitor até a última página ao criar pequenos arcos com aventuras diferentes, que terão papéis muito relevantes no futuro dos personagens.

Nesse volume, a autora nos mostra o novo relacionamento de Claire e Jamie que se amam, mas que ainda necessitam aceitar algumas partes do passado solitário de cada um. Juntos, eles passarão por muitas dificuldades, mas ao menos estarão juntos. Finalmente!

Ao mesmo tempo, temos um vislumbre melhor do jovem casal Brianna e Roger, separados pela distância e por alguns segredos não ditos. Os dois terão um papel importantíssimo na continuidade da história na próxima parte da narrativa. Aguardem!

Para finalizar, a primeira parte de Os Tambores de Outono é tão boa quanto qualquer outro livro da série Outlander, que continua sendo uma das minhas favoritas. Caso não tenha lido ainda, por favor, vá pegar esse livro. Com certeza não terá arrependimentos! ;)

site: http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/2017/02/os-tambores-do-outono-parte-i-outlander.html
comentários(0)comente



Rascunho com Café 03/05/2017

Uma nova fase para Jamie e Claire
Finalmente o quarto livro da série Outlander foi lançado, e agora com uma novidade: pela Editora Arqueiro. Nada que mereça a preocupação do leitor, afinal a Saída de Emergência era um selo fantasia da Arqueiro, portanto, podem respirar aliviados, o projeto gráfico foi mantido, garantindo nossa coleção na estante intacta.

Depois de tanta emoção e aventura em “Resgate no Mar” (resenha aqui), nós temos um livro mais calmo. Jamie e Claire planejam se estabelecer nas Américas, assim nos deparamos com a construção de um tempo de esperança para o casal: onde Claire sonha em viver em um lar ao lado de seu marido; enquanto Jamie, finalmente tem a oportunidade ser o senhor de suas terras.

Mas veja bem, a história é mais calma que a anterior, mas não é monótona, estamos falando de uma América inexplorada do século XVIII e claro, de Diana Gabaldon, e ela nunca nos deixa totalmente sossegados. Jamie e Claire enfrentam perigos sim, mas é o dia a dia deles na nova terra que vamos conhecer, com direito a situações do cotidiano, como Jamie consertando telhado e Claire enfrentando uma porca enfurecida parindo seus rebentos em plena despensa.

O cenário da história é riquíssimo: Escravos trabalhando em fazendas, índios nativos americanos em conflito com colonos, fora os perigos de um território virgem. Há muitos percalços para nosso casal preferido enfrentar, mas acima de tudo isso, dois assuntos que tiram o sono dos leitores e respectivamente de Claire e Brianna: Aquele túmulo de Jamie Fraser na Escócia e uma notícia de jornal com a informação de uma tragédia (Diana sendo Diana). Respostas abertas para a segunda parte do quarto livro.

Ainda temos na história o acréscimo da tia de Jamie, Jocasta, um personagem muito interessante que vive nas Américas e um pouco mais do relacionamento de Brianna e Roger, personagens de outro arco que vivem nos anos 1960 e possuem um capítulo realmente adorável com a descrição da chegada do homem na lua.

Portanto, depois de tantas emoções em “Resgate no mar”, é ótimo um pouco de relativo descanso em “Os tambores de Outono”.

site: http://www.rascunhocomcafe.com/2016/04/os-tambores-de-outono-uma-nova-fase.html#.WQnuAxMrLIU
comentários(0)comente



day 14/03/2017

maravilhoso!!
Neste livro a história de Claire e Jaime ,se passa nas Américas.
Ao chegarem nos EUA ,depois de muita provação no oceano,enfim ,chegam no novo mundo onde Jamie irá conhecer a irmã de sua mãe Jocasta.
Jocasta ,logo se encanta pelo sobrinho e pela Claire ,e aposta neles para tocaram seus negócios,já que ela tem certa idade,e não enxerga.
Porém,Jamie ,tem outros planos,ser dono de seu próprio chão,e sendo assim ,eles partem para as montanhas e se estabelecem em um lugar remoto perto dos índios ,que ele batiza como Cordilheira dos Fraser , e pouco a pouco vai ser tornando um líder influente.
O amor entre eles,só aumenta! Claire começa a retomar suas atividades como médica ,e ganha simpatia de muitas pessoas das montanhas.
"Ele me abraçou com mais força.-Eu disse quando nos casamos,que sempre cuidaria de você ,não?-Jamie me puxou para mais perto,apoiando minha cabeça na curva do seu ombro.-Eu dei três coisas a você naquele dia-disse ele baixinho.-meu nome,minha família e a proteção do meu corpo.
Você sempre terá essas coisas Sassenach,enquanto nós dois vivermos .
Não importa onde estejamos .Não permitirei que você passe fome nem frio. Nunca,em tempo algum ,permitirei que algo machuque você."
página 336


Ainda ,neste livro,também acompanhamos a saga de Brianna com a perda da mãe,desde o dia que Claire voltou para o passado.
Brianna ,também começa a se apaixonar por Roger ,e ele por ela,e uma grande história de amor vem pela frente.
Mais um novo casal na nossa saga!!
Enquanto isso na cordilheira dos Fraser ,Lord John ,reaparece e com ele traz o filho de Jamie ...
É bastante emocionante ,depois de tanto tempo ,jaime ver seu filho.
O livro ,tem muita fatos verídicos ,das colonizações das Américas e combates com os índios.
Mais uma coisa acontece...Roger no futuro,encontra uma notícia da morte de Jamie e Claire em um incêndio ...
E isso ,pode muda toda a história...
Será que se pode mudar o passado?
Enquanto isso,vou suspirando com amor de Jamie e Claire

"-Enquanto meu corpo viver,e o seu...seremos um só-sussurou.
Seus dedos me tocaram,cabelos,queixo ,pescoço e seios, e eu ouvi sua respiração e o senti sólido sob minhas mãos.Então ,deitei a cabeça em seu ombro,a força dele me sustentando ,as palavras profundas e suaves em seu peito.
- E quando meu corpo deixar de viver,minha alma ainda será sua.
Claire ,eu juro pela minha fé no céu,não serei afastado de você."

site: http://escreverdayse.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Vanessa Vieira 13/03/2017

Os Tambores do Outono Parte 1 - Diana Gabaldon
Em Os Tambores de Outono Parte 1, primeira parte do quarto volume da série Outlander, de Diana Gabaldon, acompanhamos as aventuras de Claire e Jamie na América e temos em paralelo a história de Brianna e Roger que se desenrola no final da década de 60. Ao contrário do volume anterior, desta vez não nos deparamos com muitas surpresas e novidades, apesar da trama alcançar um novo ápice com as participações ativas de Brianna e Roger. Senti que neste livro o objetivo de Diana foi introduzir novos personagens na história e nos narrar alguns detalhes sobre a América colonial, principalmente no que se refere à escravidão.

Após tomar a árdua decisão de deixar a filha no século XX e viajar no tempo para reencontrar Jamie, o seu grande amor, Claire Randall se depara com mais um desafio: estabelecer raízes na América colonial do século XVIII ao lado do seu amado guerreiro escocês. O casal parte rumo à Carolina do Norte para firmar o seu novo lar e contam com a ajuda de Jocasta Cameron, tia de Jamie e dona de uma grande propriedade na região.


Em 1969. Brianna Randall se une ao jovem professor de história Roger Wakefield - descendente do clã Mackenzie - com o objetivo de encontrar respostas sobre sua origem e informações sobre Jamie Fraser, o pai biológico que a moça nunca conheceu.

Em meio às buscas, eles descobrem vestígios sobre um incêndio envolvendo os pais de Brianna. Roger sabe que não pode lhe contar isso, pois ela faria de tudo para evitar o desastre, retornando até mesmo no tempo para salvá-los. Porém, Brianna também tem ciência de tal descoberta e resolve não compartilhá-la, pois sabe que o historiador tentaria impedi-la de todos os modos possíveis.

Os Tambores de Outono Parte 1 se mostrou um livro interessante, enérgico e norteado de intrigas e detalhes históricos. Apesar de não nos trazer tantas novidades e surpresas quanto no volume anterior, acompanhamos mais uma vez toda a força e o fulgor do amor de Claire e Jamie e a luta implacável e corajosa da filha do casal com o objetivo de mudar o destino e salvá-los. Narrado em primeira e terceira pessoa por Claire, a história conta com um embasamento histórico rico e detalhado e mostra toda a força e a desenvoltura de seus personagens.

Claire continua sendo uma mulher forte, guerreira e corajosa. Sua destreza e senso de justiça se aguçam cada vez mais e é muito gratificante acompanhar toda a sua importância e papel na trama de Outlander. Seu romance com Jamie acontece a todo vapor e fiquei encantada ao presenciar a personagem declamando literatura inglesa para o seu amado, especialmente Shelley. Brianna mostrou que o sangue que corre em suas veias é realmente de um highlander e não poupa esforços na tentativa de proteger os seus pais, se delineando uma jovem determinada e cheia de confiança. Seu romance com Roger é dotado de uma beleza peculiar e gostei de acompanhar a química do casal.

"Os fantasmas passam por nós e através de nós o tempo todo, escondendo-se no futuro. Ao olharmos no espelho, vemos a sombra de outros rostos olhando para trás no decorrer dos anos; vemos a silhueta da lembrança, sólida numa entrada vazia. Por sangue e por escolha, criamos nossos fantasmas; nós nos assombramos."

Jamie nos agracia com a sua imagem de guerreiro forte e implacável e com todo o seu amor e cuidado para com Claire. Ele enfrenta tudo e a todos para proteger sua amada, com uma força voraz e muita determinação. A estadia na América colonial e os seus costumes não se mostram nada fáceis para ele, mas com a ajuda de sua tia Jocasta Cameron, ele consegue se estabelecer e conhecer um pouco mais sobre o mundo americano, além de se horrorizar com a cruel e implacável escravidão. Roger surge de forma tímida na história, mas é visível todo o amor e afeto que ele sente por Brianna. Sua inteligência e perspicácia o levam longe e acredito que nos próximos volumes teremos muitas surpresas emocionantes envolvendo este personagem.

"Você é minha coragem, assim como eu sou sua consciência. Você é meu coração, e eu, sua compaixão. Sozinhos, não somos inteiros."

Em suma, Os Tambores de Outono Parte 1 nos apresenta um apanhado histórico rico e detalhado, além de ter introduzido com destreza Brianna e Roger na história e pincelado a importância dos dois no desfecho da saga. Os personagens continuam vibrantes e cativantes e Jamie - apesar de ter me decepcionado um pouco com suas atitudes e decisões no volume anterior -, se mostra cada vez mais irresistível e apaixonante. A capa é muito bonita e segue o mesmo padrão das anteriores e a diagramação está ótima, com fonte em bom tamanho e revisão de qualidade. Recomendo ☺

site: http://www.newsnessa.com/2017/03/resenha-os-tambores-do-outono-parte-1.html
comentários(0)comente



Ale 02/02/2017

Outlander no Estante da Ale
Mais uma resenha em parceria com a linda Editora Arqueiro, dessa vez o livro 4, parte 1: "Outlander - Os Tambores do Outono", mas fiquem tranquilos que não terá nenhum spoiler. Tomei o máximo de cuidado para apenas contar o que achei da leitura e não dar detalhes da obra.

Importante apresentar os personagens principais para quem ainda não conhece Outlander, não é? Claire é uma viajante do tempo que após a Segunda Guerra Mundial vai parar na Escócia do século XVIII, ou seja, ao meio de confrontos políticos e religiosos conhece Jamie, um típico escocês sexy, fortão e perseguido pelos soldados ingleses.

É... O que não falta é história nessa série de livros. A autora Diana Gabaldon escreve mais um volume da série com o poder de criar plots paralelos e reais que prendem sua atenção. Este livro especificamente se passa na América, então podemos observar como foi a colonização dos índios e como os europeus se comportavam perante a escravidão, porém não é deixado de lado o romântismo e o espírito aventureiro. Tem um pouco de tudo! O enredo é extremamente rico em detalhes, porém não é cansativo. Acho muito interessante como nossos personagens já conhecidos se encaixam na história verídica. Diana tem um trabalho gigantesco de pesquisa e o resultado foi mais um excelente capítulo dessa saga.

Destaque para alguns personagens específicos: Jocasta Cameron foi uma senhora bem peculiar que conseguiu minha admiração. Porém, quem ganhou meu coração foi Brianna e Roger. Esse livro, tem partes narradas em 1767 e 1970 e confesso não esperava gostar tanto do que acontece nos anos 70, fui surpreendida!

Ah! Queria falar um pouco sobre o que eu senti na reta final. Eu até comentei com a minha mãe que eu realmente senti o que a Claire sentiu e foi tão 'real' que eu fui dormir chateada com o Jamie. Parecia que ele tinha feito aquilo comigo, sabe? Foi uma experiência bem completa e ainda espero um pedido de desculpas oficial, hein Jamie? --'

Acho que já passei um pouco do meu amor por essa série.. Falei até demais, mas não me canso de elogiar o trabalho da Diana e dizer que depois de ler Outlander, você se torna outra pessoa. É um livro tão apaixonante e intenso que merece ser apreciado e divulgado. Obrigada se você está lendo até aqui, rs. E não esqueça de deixar um comentário com o que acha dessa saga, hein?

site: http://estante-da-ale.blogspot.com.br/
day 02/03/2017minha estante
Tua resenha é maravilhosa!! Tô começando hoje esse livro.


Ale 03/03/2017minha estante
Obrigada Day! Fico muito muito muito feliz com isso!!!




ELB 31/01/2017

Every Little Book
As resenhas dos outros livros da série Outlander você pode encontrar AQUI. Essa resenha pode conter alguns spoilers dos outros livros.


Li o livro 3 da série Outlander divido em duas partes, com um intervalo de meses entre essas partes. Não gostei da experiência, a história ficou 'quebrada', e alguns detalhes me escaparam, já escrita da Diana é muito rica, e extremamente bem costurada, coisas pequenas que ocorrem no começo do livro geralmente ganham grande importância no decorrer da história. Achei melhor não repetir a experiência. Decidi esperar as duas partes saírem e então lê-las e resenhá-las de uma vez, afinal é um livro só.

E gente, que livro foi esse?!?

A série Outlander, como vocês puderem perceber se leram as resenhas anteriores, está entre as minhas favoritas de todos os tempos. A intensidade e a riqueza dessa narrativa me conquistaram no primeiro livro, e eu continuo me surpreendendo em como tudo aumenta a cada continuação.

A história se expandiu muito, já não é mais apenas sobre a Claire e o Jamie. O livro começa com dois arcos distintos: Claire e Jamie no século XVIII, e Brianna e Roger no século XX.

Claire e Jamie estão na América agora, desbravando o Novo Mundo e tentando construir uma vida nova. É um cenário completamente novo, muito mais selvagem que a Escócia, lugar onde tudo começou, com uma gama completamente nova de conflitos, e novos personagens: temos escravos, imigrantes tentando ganhar a vida e, é claro, índios nativo americanos. No entanto, mesmo nesse ambiente praticamente hostil, esses dois se saem muito bem. Ao longo do livro, Jamie constrói um assentamento na Carolina Do Norte, a Cordilheira Fraser, e vai se tornando um homem influente.

O outro arco segue a perspectiva de Roger e Brianna, ela tentando superar a 'perda' da mãe e o começo do relacionamento entre os dois. Confesso que gostei muito do arco, até ficava meio ansiosa pelos capítulos deles. Adoro as partes românticas e as declarações épicas que acontecem entre Claire e Jamie, mas esse novo casal tão apaixonante me conquistou. A trajetória desses dois foi tão tocante e épica quanto a dos pais de Bree.

" - Eu... Amo... Você. - Disse ela entre dentes. - Entendeu?
-Sim, entendi. - Segurou o rosto dela muito delicadamente e a puxou para baixo. Ela acompanhou, os braços tremendo, cedendo.
- Tem certeza? - perguntou ele.
- Sim. O que nós vamos fazer? - perguntou ela, e começou a chorar.
- Nós. - Ela dissera nós. Dissera ter certeza.
Roger estava deitado na terra da rua, machucado, sujo, faminto, com uma mulher tremendo e chorando contra seu peito, batendo no peito dele de vez em quando com o punho pequeno. Ele nunca se sentira mais feliz na vida."

Acredito que o ponto alto do livro tenha sido o encontro de Brianna e Jamie. Foram muitos sentimentos e emoções conflitantes da parte dos dois, e algumas lágrimas da parte da leitora aqui. Uma cena inusitada e linda em sua simplicidade. Era um momento muito esperado pelos leitores da série e Diana não decepcionou.

No geral, o livro foi tão emocionante e intenso quanto os anteriores. Intenso. Está aí a palavra que define toda a narrativa construída por Diana Gabaldon, ela realmente nos leva a outra época, nos faz rir e chorar, nos envolve fazendo um uso magnânimo das palavras. Os novos personagens que foram apresentados durante o livro são bem construídos e complexos, temos sentimentos profundos por eles, amor por alguns e ódio por outros, e os conflitos continuam surpreendentes e agonizantes, ninguém consegue apertar mais meu pobre coraçãozinho do que essa mulher. Mais um belo livro dessa série incrível.

A única coisa que tenho a apontar, é que a editora Arqueiro adquiriu essa série que era publicada anteriormente pela Saída De Emergência, e ao fazer isso decidiu fazer uso de outro tradutor. Na nova tradução de Os Tambores do Outono encontramos desde alguns erros simples, que não deveriam ter passado na revisão, até alguns erros graves na tradução de provérbios e a criações de anacronismos. Mas tirando as falhas na tradução, o livro continua impecável, e a história continua rica.

site: http://www.everylittlebook.com.br/2016/06/resenha-os-tambores-do-outono-parte-1-e.html
comentários(0)comente



Larissa Gomes 29/10/2016

Dois romances em um
Nesse livro descobrimos que Diana consegue fazer a gente torcer pelas histórias de amor, e não apenas por Jamie e Claire. A história de Brianna e Roger e construida e ,sem perceber, o leitor começa a torcer pelo casal. Mas, a tentativa de mostrar um segundo casal fez com que o casal principal ficasse de lado, meio que sem movimento na história, e nesse ponto, Diana errou monstruosamente. Claire e Jamie devem ser sempre as estrelas, afinal, a gente ler os livros por causa deles não?
comentários(0)comente



Nathy 13/09/2016

Outlander: Os Tambores do Outono (Parte I) – Diana Gabaldon – #Resenha
Eu gosto bastante dessa série de livros. Inclusive estou curtindo muito a adaptação na tv. Que já está na sua segunda temporada. Estava muito empolgada esperando a continuação da história. Já estava preparando o coração para o sofrimento. Porque algo sempre tem que acontecer com a Claire e o Jamie. Não conseguem ser felizes todos os momentos. Isso é bom porque gera aquela tensão no decorrer do livro. Porém, essa primeira parte não conseguiu me envolver tanto. Parecia que a história não estava caminhando para nenhum lugar. Era apenas os dois vivendo o seu dia a dia. E não foi muito interessante para a minha pessoa.

Em Outlander: Os Tambores do Outono Claire e Jamie estão tentando se estabelecer na América. Querendo deixar todo aquele passado sofrido para trás. Começar uma nova vida. Para isso contam com a ajuda de Jocasta Cameron – tia de Jamie. Que não se encontravam por muitos anos. Enquanto, Jamie tem seus planos em mente. Jocasta tem outros que podem colocar novamente a vida do rapaz em perigo. Ainda mais nesse novo mundo. Para Claire a situação é ainda mais complicada. Mesmo estando feliz ao lado do homem que ama. Sente uma saudade imensa de sua filha. Brianna ficou no futuro. A saudade que sente de sua filha é muito grande. O que ela não sabe é que Brianna se sente da mesma forma. Por isso busca consolo nos livros e na história. Isso até descobrir Roger descobrir que seus pais podem morrer em um incêndio. Deixando o rapaz confuso sobre o que deve fazer. Contar para a mulher que roubou seu coração e vê-la sofrer. Ou apagar para sempre os indícios dos dois na história.

A escrita da autora é muito boa. Por mais que descreva cada passo dos personagens não deixa cansativo. Acaba envolvendo o leitor de uma maneira maravilhosa. Instigando a saber o que mais pode acontecer. Quando finalizei a leitura fiquei com aquela sensação de vazio. Precisando muito saber o que mais eles vão aprontar. Se terá um final feliz ou se vou me acabar em lágrimas. Ainda mais porque tem muitos outros livros. A narrativa é feita em primeira pessoa nos momentos que está focado em Claire e Jamie. E em terceira pessoa quando está focando em Brianna e Roger. Gostei muito disso porque assim não ficava confusa nos momentos da história. Se tudo fosse em primeira pessoa ia achar que tudo era a Claire de algum jeito.

Eu senti, de uma vez, muito vulnerável e ainda totalmente segura. Mas sempre me senti assim com Jamie Fraser.

Continuo gostando muito do jeito da Claire. Ela aparenta ser uma mulher fria e tudo mais. Porém, eu acho que ela tem um coração enorme. Sempre preocupada com as pessoas ao seu redor. Mesmo com aquelas que não gosta. Ajudando a salvar a vida daqueles que precisam. Uma mulher muito determinada e forte. Tem seus problemas com a época por causa de onde veio. O que é totalmente compreensível. Tinha amigos negros que podiam fazer o que desejar em uma época. E na outra são tratados como animais. Compreendo totalmente a sua revolta. Gosto do modo como enfrenta os costumes deles. Inclusive o Jamie quando quer controlar a sua vida. Entende que ele apenas quer protegê-la. No entanto, é uma mulher independente.

Continue lendo a resenha no link abaixo:

site: http://www.oblogdamari.com/2016/04/outlander-o-resgate-no-mar-parte-i-diana-gabaldon-resenha-2.html
comentários(0)comente



eneida 05/09/2016

Este volume tem tabém muita aventura, em excesso eu diria, mas ainda sim muito envolvente. E o final, com a viagem da filha que quer conhecer o pai. O próximo promete ser mais emocionante, e não é à toa que eu já comecei!
comentários(0)comente



Carol 02/09/2016

Após resgatarem o jovem Ian de sua captora, Jamie e Claire, chegam as Colonias, um lugar que lhes parece a oportunidade de um futuro feliz. Assim seguem rumo a Carolina do Norte, onde reside Jocasta Cameron, tia de Jamie e uma mulher cheia de mistérios. A oportunidade de se instalarem em um local onde poderia construir um futuro para sua esposa e sua família, é um tanto quanto tentadora para James Fraser.

Eu sou apaixonada pela Escócia e adoro os momentos passados nas Terras Altas, mas a oportunidade de conhecer melhor novas terras e uma nova cultura foi incrível.

O EUA no século XVIII, a América Colonial, é uma terra um tanto desconhecida, cheia de histórias sobre os índios selvagens e animais perigosos, uma nova aventura para esse casal que ultrapassa qualquer dificuldade. Eu simplesmente amei demais essa história! Assim como os livros anteriores é cheio de reviravoltas mas sempre com momentos descontraídos e divertidos, além dos momentos românticos que são cada vez mais lindos e emocionantes.

Como eu havia mencionado na resenha do terceiro livro, é muito evidente na narrativa o quanto os personagens principais amadurecem e as diferenças deles de vinte anos antes é muito perceptível, e alguém ainda comentou que no próximo livro isso seria mais evidente e eu concordo com o comentário.

Em Tambores do Outono, os Frasers estão em um ambiente totalmente desconhecido e hostil e precisam aprender juntos como lidar com as adversidades, agora não apenas eles, mas toda uma comunidade que deles depende. Como sempre Claire e Jamie parecem atrair desastres, mas juntos eles conseguem sobreviver a muitas coisas, além de também encontrarem suporte em pessoas totalmente diferentes de si e fazem amizades com pessoas de culturas totalmente distintas das que estão acostumados.

A narrativa é em primeira pessoa pelo ponto de vista de Claire, assim como nos livros anteriores, e apenas em alguns capítulos, quando Claire não está presente, como é o caso dos capítulos sobre Brianna e Roger, ou quando Jamie está longe, que a narrativa muda para terceira pessoa. Mas é sempre bom ler a história pelo ponto de vista da Claire, uma personagem surpreendente e perceptiva, o que torna a leitura mais fluida e cativante pela riqueza de detalhes.

Para quem já acompanha a saga é imperdível, para quem nunca leu, não sabe o que está perdendo, apesar de ser livros extensos a história é tão cativante que o tamanho nem incomoda. Por ser um livro dividido em duas partes, possui um final abrupto, e não vejo a hora de começar a ler o Parte 2, então aconselho a começar a ler já tendo ambos na estante.

A edição está impecável como sempre, a revisão está muito bem feita, não achei nenhum erro durante a leitura. A diagramação ótima e essa capa é linda! Acho que essa é a minha capa favorita até o momento, todas são lindas, mas essa me cativou, adorei os tons. A cada livro o amor só aumenta.

site: http://aventurandosenoslivros.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Fernanda 10/06/2016

Os Tambores de Outono - Parte 1
Resenha no blog

site: http://www.segredosemlivros.com/2016/06/resenha-os-tambores-do-outono-parte-1.html
comentários(0)comente



38 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3