O Duque e Eu

O Duque e Eu Julia Quinn




Resenhas - O Duque e Eu


761 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Cris Paiva 29/05/2013

O Gago mais lindo do mundo!
Em 2011 saiu a versão do livro O Duque e eu, publicada pela falecida Nova Cultural e foi um dos últimos livros publicados pela editora. Agora, em 2013 saiu a versão publicada pela Arqueiro. Eu não senti muita diferença nas duas edições, mas a versão da Arqueiro tem, com certeza, a melhor tradução, o que traz uma riqueza de detalhes maior para a obra. E também senti que pequenos pedaços da historia foram resumidos na versão da Nova Cultural, mas no geral é basicamente a mesmíssima história. E a resenha, vai continuar a mesma da primeira versão! Kkkkkk

* * * * *

Esse foi um daqueles livros que eu fiquei brava com Skoob por não ter uma categoria extra para livros Especiais. Eles deviam ter uma prateleira de honra ou algo assim.

Simon, que agora é duque, sofreu muito na infância com a rejeição do pai, por conta de sua gagueira. Ele superou o seu problema na pura força de vontade, e com a morte do pai volta para Londres para reassumir seu lugar na sociedade.

Logo de cara ele encontra a mocinha, que esta tentando se livra de um admirador idiota e inconveniente e fica caidinho por ela. A mocinha também fica caidinha por ele. Só que ela é irmã de seu melhor amigo, e o Simon jurou nunca se casar e nem ter filhos para punir o seu odiado pai com fim da linhagem que o velho tanto amava.

Só que a mocinha tem outras ideias: ela quer se casar com o Simon e encher a casa de filhos. Pelo menos oito!!!

O Simon tem graves problema com a sua gagueira, acha que se as pessoas souberem disso vão despreza-lo, ou pior, ter peninha dele. Ele controla muito bem seu problema, mas a mocinha tem o dom de tirá-lo do sério, ele perde o controle e começa a gaguejar de uma maneira pra lá de fofa!!! E é nesse momento que ele mostra toda a sua fragilidade e insegurança. Ele ama a Daphne com todas as forças, mas ainda esta preso pelo ódio por seu pai e não sabe como resolver essa questão sem perder seu grande amor no processo.

Tem de tudo nesse livro: família intrometida, irmãos impossíveis, fofocas maldosas. A mãe da mocinha é uma figura, ela leva os 8 filhos na rédea curta e se precisar pegar as orelhas de seus filhos crescidos no meio do povo, ela não faz de rogada! E o casal é a coisa mais linda que eu já li. Os dois são engraçados, românticos e feitos um para o outro.
É um daqueles romances que enche os olhos e o coração.
Cristine 13/05/2011minha estante
acabei de ver o discurso do rei, que tem cenas de gagueira super angustiante. então senti mais ainda as cenas do mocinho - esse um entra na galeria de mocinhos fofos!!


Flá 13/05/2011minha estante
meu-Deus-do-céu...logo que eu li a resenha de vcs, corri pra livraria rapidinho e comprei esse livro! não vejo a hora de ler! simplesmente aaaamo esse tipo de historia!!!!=)


CarlaC 14/05/2011minha estante
Sempre fico curiosa acerca dos livrinhos que vc classifica com 5 estrelas. Esse já foi para a lista. :)


Gisele Melo 14/05/2011minha estante
Eu não sei falar se foi mesmo ou não resumido pela NC,pois só li no original mas como eu adoooro os Bridgertons eu sou suspeita p falar. Julia Quinn é uma das minhas autoras preferidas e eu espero que a NC publique todos os 7 livros restantes da série e com o minimo de cortes possiveis! E eu super recomendo a série!! Certeza de muitos risos e suspiros!


CarlaC 14/05/2011minha estante
Eu entendo as meninas mas, como se costuma dizer "o que os olhos não vêem o coração não sente". rsrs Se a gente não sabe que foi mutilado e desconhece a história no original a gente avalia o que leu e muitas vezes, mesmo com cortes, os livros são ótimos! :P


ALEXIS KINROSS 21/05/2011minha estante
Ai que bom. To terminando de ler e me perguntando onde a CN cravou a faca dos cortes.Ainda bem que não fizeram isso.To adorando!


Jayane 27/05/2011minha estante
Vou ler neste final de semana.pela resenha vai ser um maximo.


CarlaC 15/06/2011minha estante
Tô louca atrás desse livro...


ilmabr 18/06/2011minha estante
Cris eu adorei este livro, era tudo e mais um pouco do que me falaram!


Jullya 23/06/2011minha estante
Cris , obrigada pela dica :D


Dayane 02/08/2011minha estante
hummm, eu li num sábado chuvoso, e adorei! Mas sabe porque não dei mais estrelas? Me apaixonei pelo Anthony... achei ele tãoooooo fofo, sempre defendendo a honra da irmã. Vou procurar o livro dele!


Gabriela Santos 20/04/2013minha estante
^^


Maria Luiza 02/05/2013minha estante
Adorei, baixei um resumo com as primeiras paginas e depois que acabou fiquei doida atras do livro..kk
Realmente Simon é incrivel, mas não ganha do Anthony, jamais..
recomendo, é uma ótima leitura e os outros livro também, agora lendo o do Colin.


Gabriela 06/05/2013minha estante
adorei! essa história!só pela sua resenha me apaixonei pelo duque! quero muito ler, fiquei curiosa


Danielle 28/05/2013minha estante
Lindo demais! Perfeito! Superou todas as minhas expectativas! Ideal para as românticas de nascença feito eu! rsrs


hassdc 10/06/2013minha estante
Muito legal você ter comentado a diferença das edições!


Georgina Maria 12/06/2013minha estante
Daphneeeeeeeeeeeeee... gente me apaixonei tanto que sai como louca a caça dos demais. Infelizmente ainda não foram publicados no Brasil mas em alguns sites existem traduções livres para baixar. Já li O Visconde que me amava.. ADOREI.. hj acabei de ler Te Dou meu coração. AMEI também.
Nossa nem sei dizer qual é o melhor. Até agora os 3 são ótimos.
Com certeza assim que lançarem o restante da coleção comprarei. Só espero que não demore muito.


Ana Paula 06/10/2013minha estante
Ótima resenha, parabéns..
Muito bom livro. Os personagens centrais são bastante engraçados. Simon é apaixonante, educado, carismático e muito sedutor. Não tem como não se apaixonar por ele. Até sua gagueira o deixa lindo. E a Daphne muito inteligente, carismática e engraçada. O único porém do livro é que a escritora Julia Quinn por ser considerada nossa querida Jane Auten contemporânea (Confesso que só por isso comprei o livro) faltou um pouco mais de preservação da intimidade do casal, pois para uma estória que é considerado de época, algumas cenas não precisavam ser tão divulgadas. E neste conceito Jane Austen é perfeita... Tirando essas partes o livro foi muito bom. (Jane Austen Forever)


Jeisa 10/01/2014minha estante
Realmente Simon é o gago mais lindo do mundo! Mas preciso confessar que Dafne entrou para as minhas mocinhas favoritas!


Carla 29/03/2014minha estante
Vou começar a ler hoje!


Tha 09/04/2014minha estante
Esse é, na minha opinião, o maior romance da história! Eu já li O Duque & Eu e O Visconde Que Me Amava (sobre o Anthony, quem ainda não o leu e amou o Anthony leia já!), e o próximo (Um Perfeito Cavalheiro) eu só li o prólogo e o primeiro capítulo dele mas estou super ansiosa! Vai ter um evento na minha cidade e UPC estará num dos livros sorteados, espero que ganhe ele se não minha mãe terá que comprá-lo a força! Hahaha
Mas sério, eu amei MUITO esse livro, bem diferente de tudo que li. O romance deles é maravilhoso, o humor cortante e a gagueira do Simon... tudo o torna um livro especial, o mais especial que li. O Visconde Que Me Amava também foi um livro ótimo, mas, na minha opinião, não supera O Duque & Eu e acho que nenhum outro o superará.
A Daphne e o Simon me marcaram profundamente, eu posso dizer que se eu morresse e não tivesse lido esse livro não morreria feliz.
Super recomendo a leitura! O MELHOR LIVRO QUE EU JÁ LI!!!!


Giselle 21/04/2014minha estante
É um livro incrivel. Daphne e Simon tem uma quimica logo de cara, cada dialogo deles é cheio de paixão, sarcasmo, ironia, intimidade. Tenho os 3 primeiros livros da serie e por enqunto só li o Duque e Eu e amei. Estou ansiosa pra ler os outros. A familia Bridgerton é muito legal. Para os amantes de romances de época é uma boa pedida e nao vão se arrepender.


Diandra 18/08/2014minha estante
Adorei a resenha Cris Paiva!


Nana 20/02/2015minha estante
Eu ganhei de aniversáriooo e estou simplesmente amando esse livro. com certeza lerei os outros. Nunca gostei tanto de um livro como esse...
Fiuei completamente apaixonada!


Edna 08/04/2015minha estante
O gago do meu coração, amei ele, ao ponto de detestar os irmãos de Daphne.


Lili 26/05/2015minha estante
Todos os filhos e genros sao maravilhosos!excelentes maridos,mas eu sou apaixonada pelo Anthony,eu acho ele demais!Um rapaz que aos dezoito anos se ve de repente na condicao de chefe da familia,ajudando uma mae viuva gravida e tendo de casar as irmas,manter a fortuna e ainda constituir familia,ele e o maximo!Mas o Simon tambem e maravilhoso,queria os dois como maridos,o Benedict,Colin,Philip,Michae,lGareth e Gregory como amantesKKKKKK


Mônica B. Lopes 15/02/2016minha estante
Acabei de ler essa maravilha! Tô muito feliz..


Faby Dallas 11/11/2016minha estante
O livro esta na íntegra (surpresa) pois a falecida 'NC' tinha o péssimo hábito de mutilar TODOS OS LIVROS.
Eu tenho e li as duas versões e amo demais todos os livros da família, pena que algumas pessoas não tenham intendido quando chama ela de Jane Austen MODERNA....


Flavinha.Lemos 27/07/2017minha estante
Confesso que tenho um certo receio de ler livros que todas as pessoas são loucamente apaixonadas (costumo chamar de livros modinha). Mas sou apaixonada por história, por romances de época, e , um dia, por curiosidade, acabei pegando O Duque e eu pra ler, meio que pra saber o porquê de tanta gente gostar da Julia Quinn. Li em um dia. Me apaixonei pela história e estou curiosa pra saber mais sobre essa família!!! Já no segundo livro da série!!




Queria Estar Lendo 29/07/2013

Só mais um - O Duque e eu
Resenha: O Duque e eu
Link oficial da resenha: http://tinyurl.com/oygm2at

Como todos já devem ter percebido, este livro é um romance histórico. Ou como é comumente chamado, um romance de banca. Sou muito fã deste gênero de leitura, na verdade gosto de quase todos os livros com conotação erótica, e é a estes livros que costumo recorrer quando sofro de ressaca literária. Caso você esteja se perguntando o por quê, eu respondo: normalmente este tipo de livro costuma te proporcionar uma leitura leve, engraçada, e como não poderia faltar, quente.

O Duque e Eu é o primeiro livro da série Os Bridgertons, uma série que narrará em cada livro a história de um dos oito irmãos Bridgertons, e tem como personagem principal Daphne, a quarta irmã na linha de nascimento, e a mais velha das garotas. Daphne é de uma beleza comum e pouco arrebatadora, mas é sua personalidade que a distingue das demais. Enquanto as outras garotas tendem a apavorar os homens ao seu redor, Daphne é compreensiva e gentil com todos, o que acaba fazendo com que eles não a vejam como uma pretendente, mas sim como uma simples amiga. Para piorar a situação sua mãe não para de pressioná-la para que arrume logo um marido, até mesmo uma lista de candidatos ela lhe deu!, mas os candidatos que aparecem não são nada promissores. Daphne precisa achar um pretendente logo, antes que se veja obrigada a escolher entre as péssimas opções que se apresentaram, para que possa casar-se e iniciar a família a qual tanto deseja.

Do outro lado deste romance temos Simon Basset, um solteirão convicto, que acaba de assumir o título de Duque após a morte de seu pai. Simon acaba de voltar a Londres depois de anos viajando e decide comparecer ao baile de Lady Danbury, mesmo após o aviso do amigo Anthony Bridgerton de que não o fizesse, e é lá que ele conhece Daphne, em uma situação um tanto quanto irreverente: em uma tentativa de livrar-se de um pretendente indesejado, e um tanto quanto alcoolizado, Daphne golpeia o infeliz com um soco que acaba o deixando nocauteado, e resta a Simon ajudá-la a contornar a situação.

Ocorre que nos poucos instantes em que permaneceram ali, confabulando, o Duque de Hastings sentiu uma atração quase que irrefreável pela moça desconhecida, até perceber que se tratava da irmã de seu melhor amigo, Anthony. Simon não poderia desonrar a irmã do amigo, por mais tentadora que ela fosse, então o ideal seria afastar esses pensamentos impróprios de sua mente o mais rápido possível. Mas era quase impossível esquecer de Daphne, ou ao menos deixar de compará-la a todas as outra garotas, quando mães se aproximavam como aves de rapina caçando uma presa e carregando filhas e mais filhas a tiracolo. Pobre Simon, mal havia retornado a Londres e já virara o maior e mais cobiçado partido da cidade.

Tentando livrar-se das matronas, cada vez mais ávidas para casá-lo com suas filhas, Simon propõe a Daphne um acordo um tanto quanto inusitado: ele fingirá que lhe faz a corte, o que acalmará os ânimos das mães das garotas solteiras, e também abrirá os olhos dos outros homens sobre Daphne, fazendo com que a vejam como uma mulher desejável e não apenas como uma amiga. O plano parece ter tudo para dar certo, ao menos para Daph, mas o que acontece com este acordo quando o amor falar mais alto que a razão? Nada muito bom pode sair disso, não é mesmo?

Não vou me estender além disso sobre a história, quem quiser saber mais vai ter de ler o livro. Julia Quinn acertou muito com a história, confesso que não seguiu o padrão que eu esperava. Simon é um personagem muito interessante, nada muito fora do padrão dos livros deste gênero, mas que é interessante ver como seus atos realmente são justificados pela sua história, e não apenas por serem necessário para o bom prosseguimento do livro. Julia deu uma história muito boa para nosso querido Simon, e a explora desde o início, o que possibilita uma melhor compreensão do personagem. Daphne é uma personagem comum, mas agradável, e acho difícil alguém ter ressalvas sobre ela. Uma personagem muito interessante da história também é Lady Whistledown, colunista da "Revista de Sociedade de Lady Whistledown", um folhetim responsável pelas maiores e melhores fofocas sobre a sociedade londrina. Ninguém sabe quem ela é, mas ela parece saber de tudo sobre todos. Lady Whistledown é quase uma Gossip Girl da Londres do século XIX.

Recomendo a leitura de O Duque e Eu, é um livro pequeno e que vai lhe divertir muito, garanto. Tenho algumas ressalvas quanto a alguns acontecimentos do final, que eu creio poderiam ter sido melhor trabalhados, mas é um livro muito bom no geral. Leiam, leiam e leiam. E depois venham comentar comigo!

____________________________________

Gostou da resenha, quer mais? Então acesse o blog 'Só mais um' e venha viver este vício conosco! :)

Esta resenha foi feita por Eduarda Henker, membro do blog 'Só mais um', e a reprodução integral ou parcial da mesma é proibida. Plágio é crime.

Só mais um
http://migre.me/akZTi
Rayanne A. 22/08/2014minha estante
'Sou muito fã deste gênero de leitura, na verdade gosto de quase todos os livros com conotação erótica, e é a estes livros que costumo recorrer quando sofro de ressaca literária. Caso você esteja se perguntando o por quê, eu respondo: normalmente este tipo de livro costuma te proporcionar uma leitura leve, engraçada, e como não poderia faltar, quente.' Me senti descrita aqui. hehe
E de um modo geral, apoio sua opinião. Ótima resenha! :)




Nanda 24/12/2014

Não era o que eu esperava
Li tantas vezes que "Julia Quinn é a nova Jane Austen" que achei que ia me deparar com algo no nível de Orgulho e Preconceito, mas sonho meu!

Comecei lendo tão ferozmente, que em certo momento dei de cara com a parede e percebi que o livro estava muito aquém do que eu esperava.
A autora me irritou profundamente com a sua mania chata de exagerar o sentimento de agressividade dos seus personagens, por exemplo: contei mais de 25 vezes em que alguém falou ou pensou "Vou matar ele(a)!", de uma forma desnecessária e sem deixar transparecer aquele tom de brincadeira que usamos quando realmente falamos isso, ou se fazendo entender que, no fundo, "matar" não é a real intenção.
Além disso, parece que em certo ponto tudo vira só sexo e… só sexo mesmo ¬¬

A sensação que eu tive foi de que a Julia Quinn teve uma grande ideia, mas se perdeu um pouco. Poderia ter sido melhor!

O ponto alto de toda a série Os Bridgertons fica com as fabulosas Crônicas da Lady Whistledown no início de cada capítulo e o mistério sobre quem realmente é a pessoa por trás do pseudônimo. E também com Colin Bridgerton, terceiro irmão Bridgerton, Deus da beleza e do bom humor.

Já li o livro subsequente da série (O Visconde que me amava) e vi quase uma repetição exata de O Duque e Eu! Que só valeu pela presença de Colin-lindo e mais dicas sobre Lady Whistledown.

Só digo uma última coisa: se o livro sobre Colin Bridgerton (quarto na sequencia) me decepcionar, abandono a série após ele!
Denise 02/02/2015minha estante
Gostei da sua resenha :) ainda estou na metade, mas já estou decepcionada.
É bem evidente que falta vocabulário para essa escritora, já que ela repete muito as palavras. Sério, vou ficar com trauma da palavra "libertino".
Sem falar nas reações sempre muito previsíveis
Os personagens não me cativaram, com exceção do Colin. Também me apaixonei por ele ? Sem dúvida o melhor personagem


Nanda 04/02/2015minha estante
kkkkkkk, exatamente, Denise.


Bianca Maria 09/05/2015minha estante
Concordo plenamente com tudo o que você disse. Parece que adivinhou o que eu estava pensando, kkkkk.


Cris 07/06/2016minha estante
Foi o que senti acabando de ler: esperava pra coisa. Eu não gosto de ler resenha antes, mas está estampado na capa que a Quinn é a Jane Austen de hj em dia. Tem algum Romance de época dela que não fique nesse mesmo tom de O Dique s eu? Gostaria de saber. Cansada de ler livros que prometem e não cumprem.


Nanda 17/09/2016minha estante
Cris, até agora os únicos livros da autora que li foram os desta série, os 5 primeiros. Posso dizer que alguns são melhores que outros, mas o aspecto geral de todas as histórias é o mesmo. Pretendo concluir a série, e até desenvolvi um apego pela família Bridgerton, de forma que o ambiente ainda me entretem. Mas sempre tenho aquela sensação de que faltou alguma coisa a mais, e de que outras poderiam ter sido tiradas para trazer mais qualidade à trama.
Pelo que leio por aí todos os livros da Julia Quinn seguem o mesmo estilo... Não tenho pretenção se acompanhar outros títulos da autora além dos desta série.


Dak 09/11/2018minha estante
Concordo com tudo em gênero, número e grau! MENOS COM UMA COISA: O livro 2 é MUITO diferente do livro 1, o livro 2 é mais plausível, tem mil vezes mais interação entre os personagens, acontecem mais coisas durante a história que tornam o plot mais divertido, enfim, não acho que nada se pareça com o livro 1, de cabo a rabo, principalmente a relação dos personagens. Isso sem falar que os problemas são muito mais bem trabalhados no livro 2, coisa que o livro 1 ficou a desejar demais.

Além da questão de "querer estrangular" alguém o tempo inteiro, tem a questão do "fui criada com 3 irmãos" que também é mega repetitiva. Sem falar que tudo acontece de repente, sem nenhum embasamento, o que muito estranho e ficou mal explorado.




Paty 07/10/2013

Gente, é pouco coração pra tanto amor. Eu recomendo que você leia esse romance.
Numa narrativa bem desenvolvida e cativante, Júlia Quinn nos transporta para o século XIX, época dos bailes, vestidos volumosos, rendas e babados, jardins bucólicos, casarões, mocinhas ansiosas para serem desposadas...conseguimos idealizar claramente um cenário inglês.

O duque de Hastings ansiava por um filho; a duquesa já havia engravidado 5 vezes e foi infeliz em toda as gestações.
Quando o duque já não tinha mais esperanças de deixar um herdeiro, a duquesa engravidou novamente. Foi então tomada todas as providências para que ela fosse bem acompanhada e fizesse um repouso absoluto.
E assim nasceu finalmente seu tão esperado filho, aquele que herdaria o seu ducado. A duquesa não resistiu e morreu logo após o parto.
Simon Basset seria então, futuramente, o novo duque de Hastings, tendo esse título como um 'fardo maldito'.

Somos apresentados a família Bridgertons através de um jornal sensacionalista(uma espécie de gossip girl - a misteriosa e sigilosa Lady Whistledown).
Os Bridgertons são uma família da alta sociedade, na qual Daphne e mais 7 irmãos fazem parte. Anthony é o irmão mais velho de Daphne, e melhor amigo Simon. É o irmão de participação mais ativa nesse livro, mas os outros também tem uma constante presença.

Simon teve uma infância difícil com a rejeição do pai que não o aceitava por ele ser gago , e o julgava um idiota. Ele foi criado pelas amas, se esforçou para superar seu problema, até que saiu viajando os quatro cantos do mundo, tudo para evitar qualquer contato ou notícia sobre o pai. O pai lhe causou um trauma de tamanha proporção que só de lembrar ele já sentia a língua pesada, e a dificuldade de falar retornava. Ele carrega mágoas por ter sido desprezado.
Mas ele retorna a Londres quando seu pai morre para tomar posse de seu título.
Simon é um homem rico, influente, poderoso, 'lindo de morrer', 'o exemplar perfeito da virilidade inglesa', sendo assim muito cobiçado, mas não quer saber de casamento, e ele tem seus motivos....quer saber qual? Só lendo o livro.

Daphne sempre desejou se casar, formar uma família tão grande quanto a sua, animada, feliz e barulhenta, cuidar dos filhos e do marido. Mas desde que entrou na idade de ser cortejada, os homens a veem apenas como amiga ou os que se interessam por ela são velhos demais.

Quando Simon e Daphne se conhecem por acaso num baile, sentimentos estranhos e controversos começam a rondar a mente do rapaz que é totalmente avesso a ideia de casamento.
Após ser advertido por Anthony sobre o assédio das mães casamenteiras, Simon sugere a Daphne o seguinte: fingir que está cortejando ela, dessa forma ele não só afastará as mães desesperadas em casar suas filhas, mas também atrairá a atenção de outros homens para Daphne...e ela aceita.
Mas Anthony não gosta nem um pouco de ver o amigo cortejando sua irmã, ele conhece todo o passado libertino do duque e sabe de sua promessa de nunca se casar.

Será que esse plano realmente vai trazer algum resultado? E quais serão as consequências?

A escrita de Julia é bem simples e sucinta, com diálogos diretos e divertidos. Os personagens são bem construídos, e o cenário nos conduz a Londres.
Daphne é uma menina bem audaciosa, ousada, irônica, e sabe o que quer.
Simon é o galã, o cavaleiro, gentil, bonitão, considerado o libertino, sendo que, na verdade, grande parte dessa fama ele recebeu injustamente.
Esse é o primeiro livro da série que tratará de cada um dos irmãos da família Bridgertons, são eles em ordem cronológica: Anthony, Benedict, Colin, Daphne, Eloise, Francesca, Gregory e Hyacinth( notaram que a organização dos nomes é feita por ordem alfabética rsrsrs, pois é, coisa da super mãe e viscondessa Violet).
Um ponto que merece ser falado aqui é sobre a participação dos irmãos, gostei bastante da forma como Julia apresentou, fazendo uma interação frequente, sentimos realmente a família, suas particularidades, não foi apenas uma pincelada.

Outro ponto incrível é o fato de voltarmos no tempo, e ver os costumes e os valores. Para as mulheres da época, casar-se era importantíssimo, era tudo o que elas tinham, era tudo ao que elas se dedicavam, se ocupavam e se preocupavam...gente, tipo assim, adoro viajar nessas histórias que se passam em outros séculos, aprender e conhecer sobre essa fase que as mulheres viveram, mas não consigo me imaginar uma mulher ociosa, não ter o direito de trabalhar, e opinar, e interferir, e agir por conta própria....ui, nossa, vou parar aqui rsrsrs, porque a mente foi longe.
Me encantei pelo romance de Julia Quinn, estou super ansiosa pelos próximos lançamentos, quero todos na minha estante.

site: http://www.leiturasdapaty.com.br/2013/06/resenha-o-duque-e-eu.html
Priscila 24/03/2014minha estante
Sou apaixonada por esse livro desde a capa!!
Ansiosa para ler e me apaixonar também!!
Beijos!
prisciladc1984@hotmail.com


Milena 29/03/2014minha estante
Gosto muito de romance histórico e esse parece ser ótimo, fiquei bastante interessada em ler!


Jois Duarte 01/04/2014minha estante
Tenho a versão de banca publicada pela falecida Nova Cultural e qdo descobri que a Arqueiro tbm publicaria, mas numa versão mais completa, resolvi esperar e não me arrependi *________*


DomDom 09/04/2014minha estante
Tenho lido apenas resenhas positivas em relação a essa série. Ainda não tive oportunidade de ler nenhum desses romances históricos que estão sendo lançados atualmente, mas tenho vontade. Gostei bastante dessa trama, me parece ser bem legal. Gosto também de narrativas mais leves, e creio que essa é uma das características da Julia Quinn. Espero ter a oportunidade de conhecer essa família muito em breve.


Lari 09/04/2014minha estante
Não sou muito fã de romance de época, mas esse livro está me deixando doida, parece ser maravilhoso, quero muito conhecer a história de Simon, imagino que não deva ser nada fácil e também acredito que a história dele com Daphne deve ser linda, enfim, adorei a resenha. Beijos :*


Fran 13/04/2014minha estante
Oi Paty!

Já li suas resenhas dos outros dois livros lançados dessa série e afirmo que um parece mais encantador que os outros. Também gosto de viajar para outras épocas, mas nunca iria querer viver nelas. A vida das mulheres era terrível, ainda que nesses romances a gente morra encantada. Adorei a história de Simon e mesmo estando na cara o que vai acontecer adorei a premissa.

Beijos


Belle 15/04/2014minha estante
Otimo livro,quando li a resenha,me interessei muito,quero muito ganhar esse livro......


Dani 17/04/2014minha estante
Gosto muito de livros que nos permitem voltar e conhecer costumes antigos e este livro parece ser ótimo para isso. Tenho muita vontade de ler os livros dessa série, o enredo deste volume me interessou bastante, gostei de saber que os diálogos são divertidos e a escrita da autora é simples, a leitura deve fluir muito e parece ser um lindo romance, fiquei curiosa! :)




spoiler visualizar
Aline 19/12/2017minha estante
Parabéns pela resenha, muito direta e sincera. Tinha curiosidade a cerca desses livros, já que são bem famosinhos, mas depois desse balde de água fria jamais tocarei em qualquer exemplar.
Infelizmente, pelo que me contam, o gênero do romance de época é cheio dessas coisas intragáveis. Só um ou outro que se salva. (pior ainda quando você problematiza essas questões e vê inúmeras outras pessoas AMANDO esses livros, dá uma revolta daquelas)


Gabrieli Gudniak 21/12/2017minha estante
Sim, não entendo como tantas pessoas amaram esse livro.


Fany 19/01/2018minha estante
Finalmente eu encontrei a sua resenha! Eu não consigo entender como as pessoas AMAM um livro que na minha opinião, foi tão repugnante de ler!


Gabrieli Gudniak 19/01/2018minha estante
É bom ver que existem mais pessoas que perceberam os problemas desse livro, mds, será que ninguém se importa que o mocinho do casal principal foi estuprado? Será que acham isso okay? Realmente, repugnante.


Larissa.Cunha 19/02/2018minha estante
Amei a resenha, estava procurando alguém que tivesse visto esses mesmos pontos no livro. Sinceramente, eu gostei porque foi um livro envolvente no início mas depois tudo virou um completo escândalo.


Gabrieli Gudniak 02/04/2018minha estante
Sim, o começo foi até okay, o esperado de um livro de romance de época, mas todo o resto foi... Errado.


julia 22/04/2018minha estante
Sim!!!!
Eu lia essas cenas totalmente incomodada???? Tipo o que???
E ela ainda acha que está certa!
Tem algumas coisas legais do livro, porem nada vale a pertubação que ele me causou nessas cenas, horrivel.
Espero que todos leiam isso e se toquem do nojo q estao lendo.


penguinsoo 26/04/2018minha estante
Eu acabei de chegar nessa dita cena do Duque bêbado e fiquei extremamente indignada. Além de tudo que se apresentou anteriormente. Estava ainda mais indignada por ler tantas pessoas considerando isso banal. Então é muito bom encontrar pessoas que pensam o mesmo que eu e que eu não estou sozinha com esse pensamento.


Gabrieli Gudniak 14/06/2018minha estante
Os comentários de vocês são realmente um alívio, eu fiquei assustada ao ver que ninguém mais estava falando sobre os problemas desse livro.


Dak 09/11/2018minha estante
Acho que a cena da briga deles que vc mostrou, é uma das coisas louváveis do livro. E explico: a cena mostrou o pensamento machista da época, o qual a mocinha foi bem simplista na resolução através do óbvio: "Não. E ponto final", apesar de ter sido passiva o livro inteiro, nessa parte ela cortou a onda dele no ato de forma muito madura e prática, foi um banho de água fria total que ele não esperava. E pelo lidar deles após essa parte, vemos que foi efetivo e que ele aprendeu que aquilo era errado.
Mas não acho que a Daphne fez chantagem de "Sem filhos, sem sexo", na minha percepção ela estava mal pela mentira do Simon de que não PODERIA ter filhos e resolveu trocar de quarto, ficar no canto dela e isso eu acho que seria normal. E ela passou o que? Só uns dois dias longe? Acho que não configura chantagem.

De resto achei a metade final do livro chatinha, e o começo repetitivo, infelizmente. :(


Eloysa 13/12/2018minha estante
Também achei muito problemático! Não sei como esse livro faz tanto sucesso nos dias de hoje! Amei a resenha.


Leitora Florida (Carol) 06/06/2019minha estante
Amém!!! Finalmente alguém sensato em relação a esse livro! Sinceridade não deveria nem estar em circulação por aí! É como você disse cheio de problemas e que talvez não acho que seja saudável para a adolescente e pré adolescentes, que Sao o público que mais lêem esses livros




Re__cavalcante 10/12/2013

Pecou FEIO quem comparou esta escritora com Jane Austen.
tatiane 23/12/2013minha estante
e percou feio quem ligou para essas comparações,e começou o livro com isso na cabeça, quando não tem nada a ver... pelo amor, meio tosco isso que vc fez, ne? é uma comparação tão ridicula, que eu achei graça, e pior ainda é uma pessoa que começa um livro com isso na cabeça... Autores diferentes, espocas extremamente diferentes em que cada livro foi escrito... Ou todos os romances de epoca que vc começa, vc compara a autora com Jane Austen? fala serio


Re__cavalcante 24/12/2013minha estante
Mas não fui eu quem comparou, é simplesmente a primeira coisa que você vê quando olha a resenha do livro:

"Julia Quinn é a nossa Jane Austen contemporânea."

Então, sim, eu comecei a ler o livro guiada por este pensamento. E fui completamente enganada.


Nanda 24/12/2014minha estante
Concordo completamente! Eu realmente esperava que o livro abordasse coisas que seriam impróprias para o período em que Jane Austen escreveu seus romances, e que nisso já haveria uma diferença, mas foi muito além disso. Em nada a narrativa me recordou a de Jane.

Forçaram a barra com essa comparação!


Cris 07/06/2016minha estante
Decepcionante mesmo.


De 12/10/2016minha estante
Jane Austen é uma escritora, isso é literaura vendável, de banca, rasteirinha...




Silmara F. 17/02/2016

Previsível
Eu conheci O Duque e Eu através das redes sociais e me pareceu um livro muito famoso e bom, uma vez que só tinha lido críticas positivas. Procurei a sinopse e me deparei com uma história de época, onde mostrava as dificuldades do romance entre Daphne e Simon. Não contarei mais detalhes sobre a história pois um resumo é facilmente encontrado da internet, então só basta saber que os protagonistas decidem fingir que estão interessados um no outro para conseguir vantagens na sociedade: o duque ficaria longe das mães querendo apresentar as filhas solteiras e Daphne teria o olhar dos homens solteiros para ela (já que você ser alvo de atenção de um duque lindo deva significar que és muito importante).

Expresso agora a minha opinião: comecei a ler com uma boa expectativa, esperando um bom livro, e de fato fiquei muito satisfeita nas primeiras páginas. O prólogo me apaixonou e acreditei que a história seria maravilhosa, pois mostrava um pouco da difícil infância de Simon Basset e suas dificuldades. Daphne foi apresentada posteriormente e eu vi que tinha ali uma pitada de Elizabeth Bennet (não sabia que as pessoas ousavam comparar Julia Quinn a Jane Austen quando li).

Com o passar das páginas fui vendo uma história recheada de clichês – o que tentei perdoar porque os fãs de romance costumam gostar disso. Mas com o tempo minha paciência foi diminuindo. Eu não gostava de certas atitudes de Simon, a perspectiva “mocinha inocente que tem homens viris a protegendo” foi ficando difícil de engolir e nada de inovador aparecia. Serei sincera em outro ponto: sério que todas as mulheres solteiras descritas são insuportáveis e só a Daphne é a única inteligente e tolerável? Fiquei com essa impressão determinadas horas.

Aliás, Daphne não me convenceu como "a exceção que comprova a regra".

Já para o final eu estava com raiva dos personagens, e não mais gostando deles. Não sei especificar em que ponto determinado começou essa reviravolta de “bom livro” para “só mais um na pilha de romances de banca” (provavelmente no primeiro encontro de Daphne e Simon no corredor, onde lembro que revirei os olhos por ser tão previsível).

Logo no final, no começo do último capítulo, vi a seguinte frase que me faz ficar chateada: “É uma verdade universal que qualquer homem casado dono de uma enorme fortuna deve desejar um herdeiro”. Sério? Sério mesmo? Orgulho e Preconceito, oi? E eu ficaria pulando de felicidade com a “adaptação do quote” da frase de Jane Austen se eu tivesse gostado de Julia Quinn, mas quando descobri que estão comparando as duas, a única reação eu tive foi bater com a mão na testa e ficar um minuto paralisada. Não, gente, não. Fico satisfeita ao perceber que muita gente discorda dessa comparação tosca, entretanto.

“Poxa, Silmara, você odeia esse livro”. É claro que não. Esse livro ficou para mim exatamente pelo o que ele é: ajuda a matar o tempo na viagem de ônibus até algum lugar. Mas, sinceramente, vocês conseguem encontrar melhores para passar as horas.
Aline Memória 10/03/2016minha estante
Que bom que eu não fui a única a ter essa impressão de que faltava algo nesse livro, considerando o graande número de resenhas positivas.


Cris 07/06/2016minha estante
Eu pensei em como estava previsível e essa citação do final detonou de vez a boa impressão do início. Não tem nada de mais nessa história.




ibasto 02/01/2016

Não gostei
Não entendi o motivo dos romances de Jane Austen serem comparados aos de Julia Quinn (O Duque e eu,pelo menos, o único que li). Eles não tem nada em comum. Jane Austen apesar do seu enredo possuir romance, não é só isso, é um retrato e crítica a sociedade inglesa da época.

O Duque e eu se restringe muito ao relacionamento da mocinha, Daphne, com o Duque de Hastings. Nada mais que isso. A primeira metade do livro é massante, muito enrolado. Na segunda parte, começa um dramalhão mexicano apimentado. O enredo é fraco, os diálogos são pobres e muitas vezes beirando para o ridículo e ao cafona. Típico romance de banca de revista.
Dandy 04/02/2016minha estante
Acho que sou uma das poucas pessoas que concorda com você por aqui rsrsrs


Silmara F. 16/02/2016minha estante
Concordo plenamente! Que livro fraco, clichê e previsível!


Eliandra 22/05/2016minha estante
Eu não sou nenhuma crítica de romances de época nem nada, nem romances eu tenho lido ultimamente e por isso comecei esse livro. Li tantas coisas boas sobre ele que achei que ia adorar, mas foi totalmente o contrário. No começo eu até gostei, apesar de não ter ficado super entusiasmada para continuar lendo, mas lá pro meio eu já tava era com vontade de largar.
Acho que sou do contra, nem vou tentar mais ler livros queridinhos rs


Cris 07/06/2016minha estante
É uma comparação bem infundada essa. Mulher só se humilhando, o contexto só de enfeite, clichês e clichês... Tudo raso. Fiquei decepcionada depois de tanto ouvir falar desse livro.


De 12/10/2016minha estante
Comparar Julia Quinn a Jane Austen é um disparate. Tentei, fiz força, mas não consegui terminar. Achei o livro ruim, mal escrito, fraco, maçante, repetitivo, com cenas eróticas bobas. Prefiro ler os os livros da Biblioteca das Moças, M.Delly, Elinor Glynn, tem mais conteúdo. Decepcionante, e não consigo entender esse sucesso todo. Salve Jane Austen, Charlotte Bronte, Elizabeth Gaskell, verdadeiras escritoras...




spoiler visualizar
comentários(0)comente



Emi 01/10/2014

O Duque e Eu
Criei grandes expectativas sobre esse livro devido aos comentários em blogs, resenhas e opiniões que eu li. Mas fiquei com a sensação de "deixou a desejar". A história começa divertida e temos a impressão de que o enredo vai se enroscar todo no decorrer da trama para nos deixar loucas de ansiedade.De fato, existe uma problemática, como qualquer outro romance, mas não me convenceu de todo.
Honestamente, o duque é problemático demais e a paixão dele por ela demora muito para acontecer.Eu senti que o livro perdeu o ritmo lá pela metade e o romance foi unilateral, apenas a Daphne parece gostar dele de verdade. Gente, ela teve que implorar para ele casar-se com ela e no final ele escolhe morrer à se casar. (Pelo amor né?). Os argumentos usados para impedir o duelo entre ele e o irmão que quer lavar a honra da irmã, são fracos e ainda assim ela se humilha demais. Não bastasse isso, já casada, a mocinha se aproveita de uma situação deplorável para engravidar (nada romântico) e depois ele a abandona com duas semanas de casados e fica dois meses desaparecido, sem dar notícias e sem dar a mínima pra ela.
Então retorna SUPER MEGA APAIXONADO e ela o perdoa por tudo fazendo juras de amor eterno. (Aff). Realmente, não é dos piores, mas não ficou no meu TOP 10 de jeito nenhum.
Felipe 22/12/2014minha estante
Estava procurando por uma resenha aqui que comentasse algo que eu também achei. Eu gostei razoavelmente do livro, um pouco divertido e tal, mas achei muito pouco romântico, apesar das juras de amor eterno. Achei uma história feia de amor. Daphne se humilha pra caramba, força várias barras (meio que um estupro. Imagina se ela que tivesse bebido), faz greve de sexo... Achei um pouco problemático. Gostei da escrita da autora, espero que os outros livros façam mais jus ao gênero e tenham mais romance.


Emi 26/12/2014minha estante
Felipe, os outros livros são bem melhores. Vale a pena ler. O que eu mais gostei foi "Para Sir. Phillip, com amor" que é a história da Eloise, "Um perfeito cavalheiro" também é bem romântico e foram os meus dois favoritos.




spoiler visualizar
Cris Paiva 08/06/2011minha estante
O livro é delicioso, vc lê sonhando com as cenas. Realmente esse tipo de livro faz falta na vida da gente...


Gabriela Santos 20/04/2013minha estante
^-^




Adri Ramalho 11/05/2011

O Duque e Euuuuuuuuuuuu.
Sabem que eu achei o livro muito lindinho?

O Duque, apesar de seus traumas, se mostrou bem resolvido. Horas gritava, horas ficava bêbado e quando naaada dava certo ele gaguejava e saia batendo os pés.

Viu? Tranquilo e fácil assim.

A mocinha também é bem resolvida, quando ele não escutava a voz a razão ela se trancava no quarto, falava de outras coisas ou tascava-lhe um murro bem no grão do zóio, ahhhh, isso sim!

Ela por pouco não tem o mesmo sobrenome que o meu!!!!!!!!!!!!

Mas, quem eu mais gostei foi da irmãzinha da mocinha, aquela sim é que uma menina de verdade: joga ervilha, sai correndo, bate nos irmãos e ainda se propõe a se casar com o futuro cunhado. Essa menina promete!

Ó, prestetenção! Porque? Porque????????? Eles não abriram as porras das cartas???

Eu queria ler junto!

Vou te contar, nhein.

Cristine 12/05/2011minha estante
somos duas!!
fiquei p. da vida qndo vi que ele não ia ler as benditas.
e amei qndo a irmã caçula pede que se ele não for casar com a irmã que espere por ela - muito fofo.


Jennifer Castro 13/05/2011minha estante
Somos tres!!
Fiquei morrendo de curiosidades pra saber o que as cartas diziam.
A irmazinha da mocinha é otima!Essa realmente promete!kkkkk


Adri Ramalho 18/05/2011minha estante
Oi meninas, já me disseram que o segundo livro é muito legal e o do Colin tbm.
Espero que eles não deixem nada sem abrir prá eu não ficar roendo as unhas de nervoso.
Bjs




spoiler visualizar
Andrea 17/09/2013minha estante
Eu acabei de ler o livro e fiquei revoltadíssima com essa cena também!!! Achei que seria a única. Eu já não gostei do casamento, achei que a Daff se humilhou muito e daí me vem essa. Nem quero mais ler os outros livros.




ntampinha 31/07/2015

Tem seus pontos negativos, mas gostei do romance...
Peguei o livro emprestado com uma colega de faculdade e apesar dela me recomendar com tanto afinco, confesso que gostei em partes, mas também me desagradei em partes...

Achei que a tentativa de Julia em ambientar a história numa época mais antiga foi meio falha, não pela forma de escrever da autora, mas pela maneira com que ela compôs os personagens... A escrita moderna ajudou na hora da leitura, deixando tudo mais fluente e fácil de entender, mas achei que os modos de Daphne não se parecem em nada com uma dama inglesa de 1813, sendo que qualquer um sabe que a sociedade naquela época era um tanto machista e conservadora.

Vou ser sincera: não gosto de ler conteúdo erótico, mas deixei isso passar para poder aproveitar um pouco o livro que me foi emprestado e para que eu não precisasse devolve-lo “intocado”. Então, julgando a história como um todo, achei o romance bem interessante, com algumas explosões de conflitos muuuuito legais que realmente me deixaram curiosa para conferir o capítulo seguinte.

Outro ponto negativo do livro é a velocidade com que os acontecimentos acontecem, O Duque e Eu possui ótimos eventos, mas que passam rápido demais para serem aproveitados; não dá para aproveitar a adrenalina do momento, pois ele some tão rápido quanto aparece. A impressão que tive, era de que tinha muita coisa para acontecer até que o casal ficasse finalmente junto e por isso, essas coisas precisavam acontecer depressa.

Entretanto, apesar de eu estar apontando coisas negativas aqui, se eu dissesse que não gostei do romance, estaria mentindo descaradamente. Apesar dos pontos citados acima e de não me interessar por conteúdos +18, eu gostei das brigas, do conflito do duque em diversos momentos, do barraco envolvendo os irmãos de Daphne e das mudanças de convicção de Simon – mesmo que tenham acontecido rápido demais; a história tem sim os seus pontos interessantes e legais, só não foram explorados com tanto empenho.

>>> Opinião Final: Bom romance, os personagens não possuem uma boa caracterização da época e a construção do enredo ficou estranha e corrida em todos os sentidos, mas ainda assim é um romance interessante de se ler. Recomendo para maiores de idade.
Kah 03/08/2015minha estante
Olá Nat, adorei a sua resenha pois senti a mesma coisa. Achei que o desenrolar da historia corrido demais como você disse. Parabéns ótima resenha.


ntampinha 18/09/2015minha estante
O livro poderia ser um pouco maior né!? Para não ser tão corrido... Eu não iria ligar hahaha. Queria muito ter visto a passagem do romance de mentirinha para um romance de verdade, quando e como aconteceu, teria sido interessante :)




Gabrielle | @gabrielleverni 09/01/2014

Um Romance de Tirar o Fôlego
Julia Quinn surpreendeu com o primeiro livro da série Os Bridgertons. "O Duque e Eu" é uma história para rir e chorar, amar e sentir raiva. É um romance de duas faces, sendo uma delas o amor genuíno, e a outra, a paixão ardententemente desesperada.


LONDRES 1813:

A família Bridgerton - que conta com a viscondesa (viúva) e oito filhos - é largamente conhecida por sua integridade legítima: todos possuem a mesma estrutura corpórea e os mesmos cabelos castanhos.

Um dos indivíduos da prole é Daphne Bridgerton - uma moça que já tem idade para se casar, mas nenhum dos pretendentes é de seu agrado (uns têm idade demasiado avançada, outros são muito jovens, ou por fim, não têm inteligência nem títulos para merecê-la). Todavia, a vida de Daphne estava fadada a mudar.

Simon Basset, o duque - petulante - de Hastings acabara de voltar à Londres, depois de 6 anos de viagem pela Europa; e embora fosse o marido dos sonhos para todas as solteiras da cidade, Simon não pretendia se casar. Nunca. Mas, as circunstâncias passam a ser outras quando encontra Daphne Bridgerton - irmã de Anthony, seu melhor amigo - detentora de uma personalidade forte e própria - característica que agradou o duque mais o que ele gostaria de admitir.

"Ele ficou sem ar. Até então ela estivera oculta nas sombras, e tudo o que ele havia conseguido discernir da aparência dela tinham sido seus cabelos fartos e escuros. Mas agora, quando ela levantou a cabeça para encará-lo, ele constatou que tinha olhos grandes, também escuros, e a boca mais larga e exuberante que ele já vira. Seu rosto em formato de coração não era bonito segundo os padrões da sociedade, mas alguma coisa nele o deixou sem fôlego."

Foi aí, então, que Simon trouxe uma ideia. Uma ideia que o manteria longe das mães desesperadas por um casório. Uma ideia que faria chover pretendentes aos pés de Daphne. A ideia de Simon era fingir que cortejava a Srta. Bridgerton. No entanto, o que ambos não podiam prever era que o fingimento não passava de um disfarce de seus verdadeiros sentimentos, e, a cada dia que passavam juntos, a paixão que crescia dentro deles tornava-se cada vez mais insuportável.

Sem saber como proceder, Daphne vai descobrir que o maior de seus problemas não é lidar com o amor que nutre pelo duque. Ainda tinha que enfrentar o ciúme homícida de seu irmão Anthony, e, principalmente, a promessa interior de Simon - a de que nunca se casaria.

"Ele não poderia tê-la naquela noite - nunca poderia tê-la - e precisava fazer aquele toque durar uma vida inteira."

O duque de Hastings por sua vez, vê-se dividido entre o que sente por Daphne e entre as mágoas e traumas de seu passado, as quais o impedem de viver feliz com a mulher que mais ama.

"- Não faça isso, Daphne."
"Os dedos dele se afrouxaram um pouco no pulso dela, mas continuaram segurando, enquanto ela a puxava para junto de si e em direção a uma cerca viva alta e muito bem podada. Então sussurrou seu nome e tocou em seu rosto.
Os olhos dela se fecharam e os lábios de entreabriram.
E, no fim, foi inevitável."
comentários(0)comente



761 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |