A guardiã da minha irmã

A guardiã da minha irmã Jodi Picoult




Resenhas - A Guardiã da Minha Irmã


81 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6


Robson.Andre 17/09/2019

Assisti o filme primeiro , por isso, achava que sabia o final, entretanto estava erroneamente enganado.
comentários(0)comente



SSandes 28/03/2019

Acho que enlouquece...
Me sinto confusa com tudo o que aconteceu, mas tentarei organizar meus pensamentos:

Quando li a sinopse imaginei que seria uma história super piedosa, do tipo "olhem para mim, eu tenho câncer, agora sintam pena". Enfim, quando iniciei a leitura, me peguei sendo supreendida pela Ana (13 anos), que inicia a narrativa de forma tão decidida, depois ela se transformou num misto de confusão e "nao sei o que to fazendo" que ne desanimou.

Na metade da história sentir que a autora havia mudado muito o rumo da história, desviando demais da principal questão, contando fatos desnecessários e aprofundando demais sobre o passados de personagens secundarios.

Mas o final, o final foi pertubador para mim, confuso até. Fugiu totalmente da lógica, mudou completamente o destino óbvio que se seguiria, que deveria seguir, na minha opinião. Fugiu totalmente do assunto câncer, vai além da doença, vai além de amar um filho, vai além da proteção e qualidade de vida.

Depois de muito pensar e refletir, acredito ter conseguido compreender o que levou a autora a ter tomado tal atitude...ainda que nao me tenha agradado.

Ps: eu concluir o livro, a versão em pdf em que eu li, vai até a pagina 362 mesmo.
Paula Tamires 28/03/2019minha estante
Vou ser sincera com vc, eu sempre compro livros dessa autora (já comprei duas vezes esse ??) e comprei outros dois,porém sempre me desfaco deles,sei que parece estranho,mas toda vez que eu me ânimo pra dar uma chance a ela e prometo pra mim mesma que agora vou ler,acabo largando na leitura,pq conheço a fama dela de livros intensos e com finais e historias diferentes,talvez um dia tento dar uma chance pra ela de novo,fiz isso com Stephen King e deu certo ;)


SSandes 28/03/2019minha estante
Cara....o final foi tão tenso pra mim que eu nem sei se posso recomendar. É sim um final diferente e até confuso. Os sentimentos que me vieram quando li ainda fervilham dentro de mim....por isso nem sei o que te falar. Se dá uma chance ou se continua se mantendo bem longe disso...


Paula Tamires 28/03/2019minha estante
Acho que vou esperar mais um pouco então pra ler
Amei a resenha :)


SSandes 29/03/2019minha estante
É, se vc ja teve vários livros dela e sempre ocorre de vc acabar desfazer deles é pq talvez nao cheja esse o momento....




Simone de Cássia 20/02/2019

Gente, que trem mais triste!!! O final é um vale de lágrimas... Foi meu primeiro contato com a autora e já sabia que ela é a "queridinha" de muita gente. Como costumo andar na contra mão, pisei leve, mas realmente a Jodi tem o dom: consegue dosar o drama, o humor e até mesmo o romance (que se fosse além da minha cota de saturação eu teria abandonado). Realmente é um tema bem polêmico, daqueles que a gente entra em conflito com a gente mesmo; ora acha que um lado tá certo, ora tende a dar razão ao outro lado. Enfim, é um convite à reflexão sobre valores e posturas. Só não tive simpatia pela tal da mãe, que achei uma chata, e o final que achei doloroso e cruel, tipo "ironia do destino". Mas a autora me conquistou.
Riva 20/02/2019minha estante
Como diria Nelson Rodrigues: os livros dela retratam a vida como ela é!
Não há um vilão e um mocinho... há pessoas com seus dramas, seus dilemas, suas verdades!
Igualmente a você, eu comecei com esse livro.


Drica 20/02/2019minha estante
Simone, com certeza ela é minha "queridinha." Adoooooro!!!!!!!
Riva, você foi certeira na sua colocação, ela retrata a vida como ela é! Iniciei com "O Pacto" e de lá p cá faço de tudo p conseguir os livros dela.


Sane 20/02/2019minha estante
Eu adoro a autora! Esse ainda não li, mas vai pra lista sem fim...




Rose 11/09/2018

Kate Fitzgerald foi diagnosticada com câncer ainda quando criança. A sua leucemia promielocítica aguda, além de rara é agressiva. Seus pais fazem de tudo para salvá-la, inclusive programam mais um filho.
Anna veio ao mundo com a missão de salvar a vida de Kate. Usando métodos científicos, em vez de escolherem cor dos olhos ou cabelos, Sara e Brian, os pais, escolheram que Anna fosse geneticamente compatível com sua irmã. Com isso, seu cordão umbilical foi imediatamente usado em Kate quando Anna nasceu.
Durante um tempo isso foi suficiente, e Kate mostrou melhoras. Mas nesta dura guerra contra o câncer, Kate acaba perdendo mais uma batalha, e mais uma vez sua irmã Anna é chamada para salvá-la. E assim seguiu a vida da família. Kate lutando contra o câncer e Anna fazendo inúmeras e variadas doações conforme sua irmã precisava.
Kate era o centro de atenções dos pais, principalmente de Sara, sua mãe, que lutava como uma leoa para manter a filha viva, buscando todas as alternativas possíveis para isso. Jesse e Anna viviam meio às margens da família, principalmente Jesse, o mais velho, que não era compatível com a irmã e por conta disso não podia ajudar neste campo. Por conta disso, e por se sentir excluído ele entrou em uma fase de rebeldia. Talvez para chamar atenção, ou quem sabe por estar totalmente perdido, sem saber quem é ou até mesmo por não se sentir amado, fato é que mesmo com todos os problemas que ele vinha apresentando, os pais não tinha energia para ajudá-lo, e priorizavam o que era mais urgente: a vida de Kate. Jesse era então largado de mão...
Com Anna era um pouco diferente, pois ela era fundamental para a re Asistência de Kate. Dentro do possível ela tinha a atenção dos pais, principalmente no que se referia a sua saúde, pois ela tinha que estar bem para o caso de Kate precisar.

Esse ritmo de vida virou uma constante, até que Kate devido a vários tratamentos já enfrentados entrou em mais uma batalha que desta vez poderia ser a sua última, seus rins falharam. Sua única chance era um transplante em caráter de urgência.
Isso não seria problema, afinal Anna, é totalmente compatível, e poderia fazer a doação. E é aqui que nossa história realmente começa. Anna já é uma adolescente, e apesar de amar profundamente a irmã, já está cansada de não poder ter sua própria vida. Ela está cansada de não ser ao menos perguntada sobre o que quer fazer. Decidida ela procura por Campbell, uma advogado de opinião forte. Eles entram então na justiça contra os pais de Anna para que ela tenha sua emancipação médica. Em palavras mais simples, ela quer ter o direito de decidir o que fazer com tudo o que se refere a sua saúde. Ou seja, seria dela a decisão final se doaria ou não o rim à sua irmã, ou qualquer outra coisa que Kate viesse a precisar.
Sua mãe Sara se revolta, lógico, afinal Anna é a única chance de manter sua outra filha viva. Mesmo que estas chances fossem irrisórias e que nem o próprio médico de Kate acreditasse que ela aguentaria uma operação desta magnitude.
Sem entrarem em nenhum acordo o julgamento é marcado, e Anna fica aos cuidados de uma curadora ad litem chamada Julia. Seria dela a função de analisar o ambiente em que Anna vivia, e se ela tinha ou não condições de tomar suas próprias decisões. Sara acaba tendo que retomar sua já esquecida carreira de advogada para defender sua filha que está a beira da morte e precisa do transplante da irmã.
A polêmica está instaurada, mãe e filha brigando no tribunal. Uma luta que dividiu a família. Uma luta onde ninguém sairia vencendo, pois até mesmo aquele que vencer sairá perdendo...

Uma leitura tensa e emocionante mesmo para mim que já conhecia a história. Aliás, para aqueles que já viram o filme, saibam que o livro tem um final tão emocionante quanto o do filme, mas totalmente diferente dele. O final é simplesmente tocante, acho até mais tocante do que o do filme. Terminei o livro entre lágrimas e mais uma vez abalada por este enredo tão difícil.
Como julgar Brian e Sara por tentarem salvar Kate? Como aceitar o tratamento que eles davam aos outros filhos que eram saudáveis, e que muitas vezes pareciam nem existir? O que é certo, o que é errado?
Como mãe sei que se eu tenho 0,01% de chance de salvar um dos meus filhos, vou lutar até o milésimo de segundo por isso. Eu e qualquer pai. A perda de um filho não é fácil e nem natural. Como ficar então? Salvar aquele que está morrendo, mesmo que para isso tenha que abrir mão dos outros filhos?

O certo é que os pais sempre vão se voltar para aquele filho que mais está precisando. Não é questão de amarem mais aquele, é apenas questão de amarem... E mesmo quando nós pais tentamos fazer as coisas certas para todos, ainda sim, erramos. O excesso de amor nos cega e paralisa. Brian, Sara, Jesse, Kate e Anna são vítimas de uma doença cruel que massacra a todos na família. Uma doença que só não foi mais forte que o amor deles.
Se Brian e Sara agiram certos? Não.
Se eles fizeram o que tinham que fazer? Sim.
Se eu faria a mesma coisa? Espero nunca saber.
Antes de terminar, quero destacar a declaração de Sara para o juiz antes dele dar sua decisão ao caso. Ela resumiu muito bem o X da questão.
Se gostei do final? Gostei, apesar de tudo, apesar de esperar por um terceiro final. Só posso dizer: leiam, vejam o filme e se emocionem com esta história sem igual...

site: http://fabricadosconvites.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Carla Martins 10/05/2018

MARAVILHOSO
Mais em: https://leituramaisqueobrigatoria.blogspot.com.br/

A Guardiã da minha irmã é um livro que estava na minha lista de desejados há anos. Já sabia que o livro tinha virado filme, mas esperei terminar o livro para então assisti-lo. Fiz muito bem em tomar essa decisão, porque o filme chega a ser uma ofensa ao livro, de tão inferior que ele é.

O livro é sensacional! Lindo, cativante, bem escrito, bem humorado e leve, apesar do tema. Os capítulos são intercalado entre os personagens e isso dá ainda mais curiosidade de saber o que vem a seguir, porque acabamos nos apegando aos personagens, cada um a sua maneira. Esse livro me fez rir e, depois de 10 minutos, chorar copiosamente. Foi para a minha seleta lista de favoritos.

A história conta a vida de Anna, uma pré-adolescente concebida por fertilização com o objetivo de ser 100% compatível com sua irmã, diagnosticada com um tipo agressivo de leucemia. Depois de passar a vida dentro de hospitais fazendo vários procedimentos invasivos para tentar salvar a vida de sua irmã, desde seus primeiros meses de vida, agora os pais de Anna contam com um de seus rins para salvar Kate de uma insuficiência renal que pode levá-la à morte.

Apesar de amar a irmã, Anna não aguenta mais passar por tudo isso e quer viver com seus dois rins. Por isso, procura o advogado Campbell para processar os próprios pais, pedindo emancipação médica e direito pleno sobre seu próprio corpo.

Além da história principal, que é a doença de Kate e tudo o que envolve o nascimento de sua irmã, tem ainda a história paralela que é muito inteligente também, sobre o advogado Campbell e Julia.

Se fosse para fazer uma crítica ao livro, eu ficaria um bom tempo pensando, pois não saberia nem o que falar. O livro é muito bom, mesmo! E o final é daqueles!! Vale a pena ler! Mas, o filme.....é dispensável.
comentários(0)comente



Aline 23/04/2018

Uma leitura tão intensa que nem sei direito o que dizer, eu sempre gostei muito do filme "uma prova de amor" que foi inspirado nesse livro, mas depois de ler percebi que o filme não chega nem aos pés do livro, é o tipo de leitura que dá pra rir e chorar, e com um final que deu um nó na minha cabeça. Maravilhoso!
"Há estrelas no céu que parecem mais brilhantes que as outras e, quando você olha no telescópio, descobre que na verdade são estrelas gêmeas. As duas orbitam ao redor uma da outra, as vezes levando quase cem anos para completar o trajeto. Criam uma força gravitacional tão grande que não sobra espaço pra mais nada. Você pode ver uma estrela azul, por exemplo, e só depois se dá conta de que ela tem uma anã branca como companheira - a primeira brilha tanto que, quando você nota a segunda, já é tarde demais."
comentários(0)comente



Meninas que Leem 24/12/2016

Blog As meninas que leem livros
A maioria de vocês já foram apresentados a esta história, em 2009 a Playarte lançou o filme chamado “Uma Prova de amor” (tem resenha dele aqui). Assim que assisti este filme e soube que era baseado num livro, fiquei louca para lê-lo, mas infelizmente não havia sido lançado no Brasil,.......

site: http://www.asmeninasqueleemlivros.com/2011/06/guardia-da-minha-irma-jodi-picolt.html
comentários(0)comente



Jéssica Bonfá 17/12/2016

Não é uma resenha, é um desabafo..
Gente, que livro! Q u e l i v r o !!
Jodi tem O DOM!! Livro maravilhoso, surpreendente, sofrido!
Chorei horrores! E tô aqui escrevendo essas coisas sem nexo porque acabei de ler e ainda não assimilei que é só ficção, tô me sentindo na vida dos Fitzgerald!
Quer um livro maravilhoso e sofrido? Leia!
comentários(0)comente



Crissie 01/09/2016

Poucos livros mexeram tanto comigo como esse. Ver a luta de uma mãe para salvar a vida de uma filha, mas ao mesmo tempo ver a vida de outra filha sendo "prejudicada" me fez refletir até que ponto podemos ir para salvar a vida de alguém que amamos. A verdade é que a vida de Kate é muito importante, mas Ana também possui uma vida e ela não pediu para ajudar a irmã, ela não pode escolher. Amar a irmã, não quer dizer que Ana precisa abrir mão da sua própria vida.
Nunca tinha lido nada como esse livro e por isso super recomendo. Deixe-se envolver com essa história e se prepare para um final tão surpreendente quanto o dia de amanhã.
comentários(0)comente



Jessica Lopes 03/03/2016

O Melhor
Meu livro preferido. Impossível ler e não mudar a forma de ver o mundo.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Dani 30/06/2015

Lindo
Este livro é simplesmente maravilhoso!!!!
comentários(0)comente



Viviane 23/06/2015

Lindo!
Sabe aqueles livros que mudam sua visão sobre o mundo e te ajudam a entender algumas atitudes.
Não posso falar muito do livro porque não quero soltar spoiler.
Mas, quando Anna decide processar seus Pais para conseguir emancipação medica, já que Anna foi concebida para doar a medula para sua irmã que sofre de câncer.
A vida toda Anna foi uma guardiã para sua irmã. Doando sangue, plaquetas, medula, para que a mesma sobrevivesse a doença.
O livro é contado através do ponto de vista de vários personagens.
Prepare o lencinho.
Cinco estrelas com méritos!
Bruna 18/02/2018minha estante
Fiquei doida pra ler ?




Isa | @anatomiapop 09/05/2015

A Guardiã da Minha Irmã e o soco na cara.
"Eu estava prestes a ler A Revolução dos Bichos, de George Orwell, quando uma amiga minha ordenou que eu terminasse o ciclo de leitura da vez e começasse a ler A Guardiã da Minha Irmã. Segundo elas, esse livro era destruidor de corações e fez todas chorarem. Okay, desafio aceito. Comecei o livro na mesma tarde e li direto umas 150 páginas, sendo interrompida somente pelo compromisso do dia, nosso amigo oculto. Mesmo assim, logo que ele acabou fiquei coçando os dedos para voltar para o livro." Continua no blog :)

site: https://andancasedevaneios.wordpress.com/2014/11/28/a-guardia-da-minha-irma-e-o-soco-na-cara/
comentários(0)comente



Thais 15/12/2014

Sem dúvida, esta foi a história mais forte que eu já li. A guardiã da minha irmã aborda um tema polêmico e nos faz refletir entre o que é certo e errado e até onde iríamos para salvar a vida de quem amamos. O assunto é tão complexo que fica difícil conseguirmos ter uma opinião concreta e nos colocar na pele dos personagens. Emocionante e devastador.
comentários(0)comente



81 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6