Persuasão

Persuasão Jane Austen




Resenhas - Persuasão


708 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Lu 17/01/2021

Seria Anne a Bella Swan do século XIX?
Esse livro não conseguiu me agradar... Não sei se fui com muita expectativa pelo fato de ser uma obra de Jane Austen; ou, se foi porque o li numa leitura coletiva em que demandaria muitas conversas e reflexões que nunca vieram, pois não achamos o livro bom o suficiente.

Persuasão conta a história de Anne Elliot, que, aos 27 anos de idade está ficando para titia. Sem grande pretensões e ligada a uma amor passado, Anne deixa a vida levá-la sem se impor. Sete anos antes do início do livro Anne se apaixonou por Frederick, um jovem aspirante a capitão naval. Porém Frederick não tinha bens nem renda para manter o relacionamento dos dois. Então por um conselho recebido por Lady Russel, grande amiga da família da moça, Anne desfaz os laços com Frederick. O livro todo gira em torno do reencontro do casal e dos problemas familiares de Anne Elliot, e se mostra uma história linear sem grandes reviravoltas e com personagens pouco expressivos.

Achei o livro extremamente raso, o contrário de Orgulho e Preconceito, em que entendemos todos os dramas vividos por Elizabeth e Darcy, em Persuasão a autora parecia não se importar em criar uma empatia aos leitores. Anne Elliot é extremamente sem sal, e não me levem a mal entendo perfeitamente toda a situação dela, mas contrariando as grandes mocinhas de Jane Austen essa se mostra passiva e sem profundidade emocional. O mesmo poderemos dizer de do Capitão Frederick Wentworth, em que o livro todo se mostra hostil e totalmente desprovido de personalidade. Os outros personagens são INSUPORTÁVEIS, a família de Anne é extremamente preconceituosa, mesquinha e rasa. O livro é enrolado, e, na minha opinião tem muitas passagens dispensáveis. A sensação que tive ao ler este livro é que a autora se perdeu na escrita ou no prazo, além de parecer que ela estava sem paciência para desenrolar melhor os fatos. O final é bastante razoável (eu esperava muito mais). Enfim, a única coisa boa nesse livro são alguns trechos muito poéticos, e a descrição dos lugares.
comentários(0)comente



Tayná 17/01/2021

O final não foi o esperado. Dava pra discorrer mais sobre alguns acontecimentos que me deixaram curiosa e entrar mais um pouco na história de Sr. Elliot, sobre suas reais intenções, assim como a história da Sra Clay e a relação entre eles e seus plano.
comentários(0)comente



Tânia 17/01/2021

Vale a leitura
Comecei a gostar mais da leitura a partir da metade do livro...o começo é um pouco confuso, por ter vários personagens, mas aos poucos vamos conhecendo os principais.
É um romance, mas que também aborda a importância do "status" , da posicao social, naquela época, em que o romance foi escrito. Não foi uma leitura que fluiu, mas gostei da experiência ,pretendo ler outros livros de Jane Austen
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Mari 16/01/2021

Mais uma obra-prima escrita por Jane Austen!
Um dia desses eu estava conversando com minha amiga sobre como há um momento certo na vida para ler clássicos. Com 15 anos, eu comecei a ler meu primeiro livro da Jane Austen, e simplesmente não consegui ler nem um terço, dada a linguagem um pouco mais complicada e tamanho detalhamento das cenas. No entanto, nos últimos meses, já com 21 anos, devorei 3 livros da mesma escritora quase que um atrás do outro, e venho me encantando com a genialidade da escrita e da forma de retratar a sociedade da época (séculos XVIII/XIX) de Austen, e "Persuasão" é um belíssimo exemplo disso.

Anne Elliot pertence a uma família da baixa aristocracia rural inglesa e é praticamente rechaçada pelos familiares mais próximos, como seu pai e sua irmã. Apenas Lady Russel, uma antiga e boa amiga da família, compreende as qualidades e os anseios da jovem, embora, mesmo assim, tenha ajudado a mesma a tomar no passado uma decisão da qual ela se arrepende até os dias em que se passa a história do livro: recusar um pedido de casamento vindo do grande amor de sua vida apenas pela razão de o sujeito em questão, o Capitão Wentworth, não ser um nobre e, por conseguinte, pertencer a uma classe social mais baixa.

Oito anos após a recusa do pedido, entretanto, os antigos "pombinhos" tornam a se encontrar, porém, agora, em uma situação totalmente diferente da de outrora. Novos pretendentes para ambos surgem, novos cenários emolduram as paisagens de tais reencontros (cenários que, aliás, são primorosamente descritos na obra de Austen, como a cidade de Bath, famosa por seus "banhos milagrosos"), e a mesma pressão social e familiar de tanto tempo atrás ainda paira sobre os dois. Qual será o destino da Srta. Elliot e do Capitão Wentworth dadas essas novas variáveis? Só lendo "Persuasão", esta maravilha saída da imaginação de Jane Austen, para descobrir!
comentários(0)comente



Leticia.Santos 16/01/2021

Aos 19 anos, Anne Elliot se apaixonou pelo  capitão Frederick Wentworth. No entanto, foi persuadida por sua família e amiga a rejeitá-lo devido a sua falta de fortuna e posição social. Depois de oito anos, Anne segue solteira, apaixonada por Wentworth e arrependida de sua decisão. É nesse momento que Frederick cruza de novo seu caminho, regressando da marinha um homem com fortuna e boa posição. A partir daí temos os encontros e desencontros desse casal apaixonante, que deve superar o passado e os mal entendidos para viver seu amor. Anne é uma personagem inteligente, gentil e muito bondosa que sempre põe as necessidades e os sentimentos dos outros primeiro. Wentworth não fica atrás de Mr. Darcy. Um mocinho apaixonado que apesar de ter sido rejeitado, continua cuidando e demonstrando seu amor por Anne através de pequenos gestos. Além disso, a carta que ele escreveu foi linda!
Persuasão foi o último romance completo escrito por Jane Austen. Nele vemos uma escrita mais madura que mantém as características da autora, como as descrições, o bom humor e uma dose de ironia velada. Nesta obra a autora também faz críticas aos problemas da sociedade em que vivia como o preconceito social e a elitização. No entanto, a crítica social não foi o foco da história, mas sim o romance e todos os sentimentos dos protagonistas. A leitura fluiu bem rapidamente pra mim, não foi cansativa em nenhum momento. Orgulho e Preconceito sempre será meu favorito, porque foi através dele que conheci Jane Austen, mas Persuasão ganhou definitivamente um lugar no meu coração. 

" Você me trespassa a alma: sou meio agonia, meio esperança. Não me diga que cheguei tarde demais, que sentimentos tão preciosos já desapareceram para sempre. Ofereço-me agora com um coração ainda mais seu do que há oito anos e meio, quando chegou quase a despedaçá-lo. (...) Só amei a você."
comentários(0)comente



Yorranna.Feller 16/01/2021

Romance de Época
Já havia lido duas obras da Jane Austen, uma delas eu havia abandonado. Porém, posso afirmar que Persuasão é um excelente romance com reviravoltas q me pegaram desprevenida. Adorei esse livro, e afirmo q entrou na minha lista de romances favoritos. A autora n foca somente no casal e nos traz momentos com olhares e depoimentos da personagem q contam todo o amor e as incertezas de Anne e do capitão Wentworth.
iscoraline 17/01/2021minha estante
amg qual vc havia lido q abandonou?


Yorranna.Feller 17/01/2021minha estante
Razão e sensibilidade... Eu vou tentar dar outra chance para o livro, já q agr estou me acostumando com o estilo da autora...




Kath 16/01/2021

Doce e Romântico
Último livro escrito por Jane Austen e também o último da obra dela que conheci, primeiramente através da adaptação de 2007. Persuasão foi, na época que o vi, a obra dela que me interessei menos, talvez pelo fato de não ter maturidade suficiente para compreendê-lo e às suas nuances, inclusive, a vontade de conhecer esse livro, assim como Crime e Castigo, veio do remake americano A Casa do Lago.

Em Persuasão, acompanhamos Anne Elliot, segunda filha de um baronete narcisista e também a mais ignorada pela família. O pai está sempre ocupado demais com a própria aparência, seu título de nobreza e sua própria importância. A irmã mais velha, Elizabeth, é fútil, frívola e egoísta, a mais nova, Mary, além de invejosa e com manias hipocondríacas, faz qualquer coisa para chamar atenção e é tão tola quanto o resto da família, ainda assim, Anne está sempre disposta e, mesmo magoada, solícita para o que precisarem dela.

Aos vinte e sete anos - e para a época considerada já muito velha - ela não alimenta mais esperanças de felicidade. Oito anos atrás, conhecera o amor da sua vida em Frederick Wentworth, mas fora persuadida por Lady Russell, amiga íntima de sua mãe e sua única orientadora desde a morte desta, a declinar do noivado uma vez que ela não julgava nem o caráter nem a posição de Frederick adequadas para a união. Anne sempre levara esse pesar no coração e, sofrendo em silêncio durante todos esses anos, teve por consequência os efeitos do abatimento, aliado à idade, em diminuição de sua beleza.

Por causa de dívidas graças ao esbanjar do pai, a família se vê obrigada a alugar a mansão onde vivem para cortar gastos e conseguir recuperar a estabilidade financeira. A contragosto, estabelecem-se em Bath, mas Anne é poupada de ir inicialmente graças à Mary que se encontra doente e solicita sua permanência com ela em Uppercross onde, casada com um antigo pretendente que Anne recusara, é a senhora de uma modesta residência.

A estadia trás um reencontro com Frederick, agora um rico capitão da marinha e reconhecido por seus méritos e talentos. Entretanto, toda a magia de outrora parece ter desaparecido e ele se mostra frio e indiferente em relação à ela, claramente buscando uma esposa, ele vê nas cunhadas de Mary uma opção. Anne, vendo suas esperanças no reencontro serem destruídas, apenas sofre em silêncio e, mesmo alimentando secretamente o desejo de ser perdoada, deseja que ele seja feliz ainda que não com ela.

O curso dos acontecimentos vai colocá-los cada vez mais um no caminho do outro e resta saber se os sentimentos de oito anos atrás serão capazes de resistir à mágoa e aos julgamentos errados do passado.

Tendo passado pelos demais romances de Jane e, ainda considerando Razão e Sensibilidade como favorito, concordo com Julia Romeu ao afirmar que este livro é "uma história de amor descaradamente romântica". Em Orgulho e Preconceito, além do tratamento óbvio dos adjetivos tratados no livro, encaramos um par de heroínas díspares, Elizabeth com sua impetuosidade e orgulho e Jane com sua passividade e timidez além da média, mas também chama-se a atenção para os arroubos da mocidade que pode levar a uma tolice sem freios e, com isso, a consequências desastrosas entre outros assuntos (e críticas). Razão e Sensibilidade apresenta duas heroínas que, tal como Orgulho e Preconceito, envolve os adjetivos que o nomeia, e é através desses atributos que somos levados à uma história que enfatiza a hipocrisia, o preconceito, a covardia e a vida de fachada da sociedade da época. Emma é claramente uma obra satírica sobre a nobreza rural embora forneça alguns traços feministas muito interessantes por debaixo das críticas ferrenhas e deboches escrachados, do mesmo modo é A Abadia de Northanger que critica a literatura gótica em ascensão e sua influência no comportamento de jovens com pouca instrução ou inclinação para a inteligência crítica. Mansfiled Park, por sua vez, além de tratar dos problemas familiares e de assuntos como infidelidade e "liberdade sexual", evoca também a questão do casamento por conveniência entre outros assuntos.

Contudo, Persuasão, apesar de trazer sua cota de críticas sociais e reflexões acerca do comportamento, é um livro sobre amor, pura e simplesmente. E ainda que o estilo de Jane nada tenha alterado, percebemos que o tom da história é bem diferente dos demais. Um tanto quanto intimista, somos sempre trazidos de volta para os sentimentos de Anne e suas esperanças de retomar o amor que fora impedido oito anos atrás. Mesmo que ainda trate de assuntos como a mobilidade social - algo, por sinal, muito interessante -, suas personagens são, de uma forma ou de outra, envolvidas do drama romântico de Anne Elliot e além de romântico é um livro sobre espera. O foco concentra-se nisso e as duas personagens, com suas personalidades e a seu tempo, vão compreendendo a intensidade desse sentimento com a benfeitoria da maturidade que os anos de separação forneceram.

Com um punhado de personagens que, bem ao estilo característico de Jane, amamos ou odiamos, o antagonismo de Persuasão é praticamente todo interno. Mesmo Lady Russell, que poderia ser apontada como tal, não se enquadra no papel ao ser retratada como devotada à Anne e suas atitudes condizem com tal. Seu julgamento errado e, como consequência aconselhamento equívoco, pode ser explicado como uma falha estendida a qualquer pessoa em sua posição ou não, e não como uma forma de separar Anne de alguém cuja afeição era intensa apenas por algum benefício próprio como é comum nas outras obras da autora.

Ao contrário do que já ouvi por aí, não considero Jane uma autora que escreve o contrário do que suas personagens pregam. Ao defender o protagonismo feminino em suas heroínas, vejo o casamento como um acréscimo e não uma mudança de sua visão ou diminuição de sua personalidade ao longo da trama. Especialmente considerando a época em que as mulheres tinham muitas restrições e aos homens eram delegadas todas as liberdades, o fato das personagens acabarem bem casadas no final não significa que abdicaram de sua "autofelicidade" ou de seus ideais, mas apenas seguiram uma consequência óbvia daquele período do fato de se apaixonarem (algo, inclusive, raro nos arranjos da época). E nenhuma delas se casou por conveniência, mas por vontade de compartilhar sua vida com alguém de quem gostavam. Pelo menos é como enxergo.

Persuasão difere-se dos demais livros por não ter tantas camadas e ser simplesmente um livro sobre amor. O intuito claro aqui é o amor verdadeiro e a felicidade matrimonial atrelada à ele. Sem caminhos paralelos e sem muitos assuntos adicionais. Talvez por ser minha primeira leitura da obra, não consegui diferir realmente a maturidade de Jane através de suas palavras se comparado aos demais romances. Ainda assim, é indubitavelmente tão bom quanto os demais.
comentários(0)comente



ju 16/01/2021

Não sou grande fã de romances, mas em Persuasão, Jane superou qualquer expectativa que eu mantinha sobre o livro. Ler e acabar apaixonando-se por Wentworth é inevitável.

Observação: Não recomendaria a versão da Martin Claret. Encontrei alguns erros durante a leitura.
comentários(0)comente



GioLyssa 16/01/2021

Mais ou menos
O livro não é ruim, mas dos livros da Jane Austen foi o que menos gostei até agora.
Demorei muito para terminar, achei um pouco cansativo.
comentários(0)comente



Jenni.Castro 16/01/2021

Jane Austen sempre maravilhosa com seus personagens encantadores ??
Eu amei esse livro, é de deixar o coração bem confortável ?
comentários(0)comente



Gleici 15/01/2021

Amei o livro. A personagem é encantadora e me fez perceber que tenho que ter mais paciência na vida, assim como ela haha.
Um livro leve e cheio de romance ?
comentários(0)comente



Dwarcy 15/01/2021

Ótima leitura.
É a minha segunda obra da autora, e definitivamente não me decepcionei. A história anda num ritmo agradável, personagens não são acrescentados constantemente a história e a narração é, para mim, simples mas concisa ao demonstrar todas as dúvidas, receios e esperanças da personagem principal em relação aos acontecimentos recentes de sua vida.
Comecei a leitura sem nenhuma expectativa, e me surpreendi demais. Super recomendo!
comentários(0)comente



708 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |