Persuasão

Persuasão Jane Austen




Resenhas - Persuasão


272 encontrados | exibindo 46 a 61
4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 |


Ana Carolina 20/11/2018

Jane Austen em seus últimos anos de vida começou a escrever Persuasão, porém, foi obrigada a parar por se sentir muito mal. Mesmo com uma doença até hoje desconhecida, Jane terminou a obra. Seu livro foi publicado em 1918, depois de sua morte em 1917.

Em Persuasão conhecemos Anne Elliot e sua família. Os Elliot moram em Kellynch Hall, Somersetshire, Inglaterra. Sr Walter Elliot, viúvo, tem três filhas: Anne, Elizabeth e Mary. Anne é a ovelha negra, sempre excluída das decisões, e nunca pedem sua opinião. Somente Mary e a família de seu marido a tratam bem. Após a morte de sua mãe, Anne viu Lady Russel como uma mãe, e sempre seguiu os conselhos dados por ela.

O primeiro conflito da narrativa se dá por conta dos gastos desnecessários de Sr Walter com a casa e com viagens. Depois da morte da esposa a situação financeira já não estava nada boa. Diante disso, para fugir da falência completa, os Elliot tomam a decisão de se mudar para Bath, de acordo com os custos que eles podem arcar, e alugam a imensa residência em que viviam.

Não demora para descobrirmos que a casa será alugada pela irmã de um antigo amor de Anne, Wentworth. Esse forte amor foi rompido anos atrás pela família de Anne que não aprovava a união dada a posição social do rapaz. Casamentos são marcos de todas as histórias de Anne por retratarem a sua época, e também como uma crítica social. Portanto, assim como Anne, muita de suas personagens passam pelo processo de ter que se casar pois são mulheres, e com a morte de seus pais não herdarão nada estando solteiras. Dada essas circunstâncias, entra em jogo o preconceito que a classe dominante da Inglaterra possui com as pessoas de classe média e baixa. Além do preconceito com as pessoas que crescem economicamente, personificado em Sr Walter Elliot, que se transforma em repudia às pessoas que de pobres se tornaram ricas.

Aconselhada por Lady Russel, Anne abdica de seu grande amor. Fortemente magoado, o jovem nunca mais a vê e dedica sua vida à Marinha, servindo a Inglaterra contra os ataques do francês Napoleão Bonaparte. Com o final das batalhas, o agora Capitão, é dotado de muito dinheiro. Ele não tem qualquer intenção de reencontrar Anne ou retomar a relação rompida. Agora seu desejo é se casar com qualquer mulher que não seja Anne Elliot.

Em Persuasão, e em como muitas das obras de Jane Austen, os conflitos acontecem quando há interações entre os personagens. A autora não tarda em mostrar a solução desses conflitos e já cria outros em seguida. Por isso, é difícil o leitor enjoar e se cansar da obra, pois sempre surge algo de novo para acompanhar. Esse livro, em particular, é importante, pois traz um romance parecido com o que Jane viveu; ela também foi forçada por sua família a romper os laços com o homem que amava. Além disso, é importante na medida em que a autora situa o leitor sobre a época por ela vivida. Ela busca contar o que acontece na política da Inglaterra, e na vida social de seus habitantes. Quem lê aprende os costumes da Inglaterra do século XIX.

Por fim, Persuasão conta com reviravoltas já esperadas por leitores acostumados com histórias de amor, mas que são bem formuladas e apresentadas no momento certo. O livro causa ansiedade, nervosismo e apreensão. É impossível parar de ler.

site: https://submundoliterario.wordpress.com/2018/11/20/persuasao/
comentários(0)comente



Lorena 27/10/2018

Encantador!
Anne Elliot é uma mulher de 27 anos que vive na Inglaterra do século XIX. Filha de Sir Walter Elliot, um homem completamente fútil, que só dá valor à aparência(tanto que sua casa é cheia de espelhos) e ao dinheiro. Ela tem duas irmãs. Elizabeth, a mais velha, é solteira e pensa exatamente como o pai; e Mary, a caçula, é casada e menos apegada a estas questões do que os dois primeiros. Anne não é muito estimada pela própria família e por isso, desde que a mãe morreu conta com os cuidados e a estima de sua amiga Lady Russell.
Quando jovem, então com 19 anos, Anne esteve a ponto de iniciar um noivado com Frederick Wentworth, mas o rapaz era de uma condição social inferior à sua, então foi persuadida pela família e a amiga a deixá-lo. Agora, oito anos depois, sua família está passando por dificuldades financeiras e precisa alugar a propriedade onde mora, se mudando para Bath, e por ironia do destino quem aluga a propriedade é justamente o cunhado de Frederick. Algum tempo depois da chegada do casal à propriedade, o agora capitão Wentworth vem passar uma temporada visitando-os e neste reencontro entre ele e Anne muitas coisas podem acontecer.

Decidi sair da zona de conforto e experimentar um romance por indicação de uma amiga. Sempre falando tão bem deste livro, ela me deixou tentada! Então lá fui eu, e ao final saí suspirando... rs

Este romance de Jane Austen foi publicado postumamente em 1818. Apesar da atmosfera mais triste, traz o romantismo de uma forma suave que vai cativando aos pouquinhos, para enfim nos arrebatar completamente com uma carta.
Minha estréia neste gênero com esta autora foi completamente satisfatória! Através uma escrita simples e fluida, Jane Austen marca muito bem suas opiniões favoráveis ou não sobre a sociedade da época através das descrições de seus personagens e colocando também ao longo do texto boas alfinetadas. Há uma discussão interessante sobre papel, direitos e como eram vistos homens e mulheres na sociedade de quando o livro foi escrito(precursora do feminismo talvez?). Sobre o amor, ela nos apresenta uma questão acerca do tempo. O casal errou em se separar? Ou foi melhor assim, tendo o período em que ficaram separados proporcionado uma maturidade necessária para que o amor reavivasse mais forte e sincero, permitindo então um relacionamento mais seguro em seus propósitos?
Após a leitura, assisti a uma adaptação para a televisão feita pela BBC lançada em 2007. Ela é ótima para ilustrar os lugares descritos no romance, mas não me envolveu tanto quanto o livro.

Enfim, recomendo muito esta obra e espero que possam dar uma chance, como eu fiz. Não vão se arrepender!

Boas leituras!!

site: palavrasl.blogspot.com
comentários(0)comente



Priscila 22/09/2018

Persuasão & Autonomia
Jane Austen, neste romance, retrata muito bem a sociedade do século XIX, onde títulos e posses tinham grande poder na decisão de muitas pessoas em relação às suas vidas afetivas.
Anne, a personagem principal, vem de uma família onde esses requisitos são bastante valorizados, interferindo em suas escolhas no início da juventude.
O livro pode trazer uma boa reflexão ao leitor que acompanhar com atenção a trajetória de Anne, onde questões relacionadas a autonomia e à falta dela vêm sempre à tona.
Também é muito interessante o prefácio de Ivo Barroso, em que é feita uma pequena análise de alguns romances de Jane Austen e da possível inspiração da autora em experiências vividas ao escrevê-los, além de conter um breve relato dos últimos momentos de sua vida.
comentários(0)comente



Pamela 16/09/2018

Recomendo a leitura
Muito interessante como a história se desenvolve, como mostra a relação entre famílias e como o sobrenome familiar é importante dentro da sociedade.
Logo no começo você já se envolve com a história da personagem principal Anne, sua maneira de pensar e como ela evolui o pensamento com o decorrer da história.
O enredo conta com vários personagens e você acaba por ficar sabendo ao menos um pouco sobre a vida de cada um.
Mas o central da história é o romance entre Anne e Frederick que tem sua conclusão realmente apenas nas últimas páginas, o que acaba deixando um gostinho de "quero mais".
comentários(0)comente



Lion Maru 06/09/2018

Deveria ter uma regra sobre o número máximo de personagens que podem se chamar Charles em um livro.
comentários(0)comente



Cássia Cardoso 24/08/2018

Em tempos em que o nome carregava honra e status, Anne foi persuadida, pela mulher que amava como a uma mãe, a terminar um relacionamento com o seu grande amor, pela crença de que este não lhe seria benéfico.

Persuasão é um livro acima de tudo sobre espera e sobre a força de um amor verdadeiro. O tempo, os obstáculos e os motivos, por mais fortes que sejam, não tem o poder de persuadir um amor a ser esquecido.

Há algo de genial no estilo de escrita de Jane Austen e, por mais que este não seja considerado um dos seus melhores romances e que tenha algumas críticas negativas em alguns resumos aqui no GoodReads, é digno de ser dado uma chance e tentar ser lido até o fim.
comentários(0)comente



Carol 17/08/2018

Excelente leitura!
Estou maravilhada com a estória de Anne e Frederick!
Recebi o livro por uma troca e o deixei de lado por meses, mas quando decidi iniciar a leitura, me surpreendi muito com os personagens, inclusive o achei melhor que Orgulho e Preconceito, o qual estou terminando.
E estou feliz de que Jane Austen tenha excluído um dos capítulos e o substituído por outros dois que finalizaram muito bem a estória. Para quem se interessar, o capítulo excluído está presente na edição da coleção A Obra Prima de Cada Autor, da editora Martin Claret.
comentários(0)comente



Queila 14/08/2018

Eu amei o livro e a leitura é muito boa e encantadora, não é arrastada em nenhum momento. Gostei dos protagonistas e shippei muuito. Coisa mais lindinha!!! Os diálogos são interessantíssimos, a autora sempre aproveita para dar uma alfinetada na hipócrita sociedade aristocrática da época quanto aos casamentos vantajosos e aos direitos, inteligência e oportunidades de educação das mulheres. Sobre o enredo, a mocinha da história, Anne Elliot, rejeitou um pedido de casamento do homem que amava, Sr Frederick Wentworth, quando tinha 19 anos, deixando-se ser persuadida por uma amiga, Lady Russel, não confiando no seu próprio coração, e acabou por sofrer as consequências de suas atitudes. E quando a vida lhe dá uma segunda chance depois 8 anos do acontecido? As coisas não serão fáceis de resolver, até porque envolvem vários sentimentos como orgulho, mágoas, arrependimentos e a necessidade de superação. A situação financeira de ambas as partes já não é mais a mesma e surgem outros interesses amorosos no decorrer da história. Um dos pontos diferenciais de Persuasão é que a heroína já tem uma idade mais avançada em relação às heroínas de outras obras de Austen, tendo 27 anos. Durante a leitura, não pude deixar de lembrar da vida da escritora, pois tem alguns pontos em comum, que como todos sabem, ela não pôde se casar com seu maior amor Sr. Lefroy por questões financeiras e, durante sua vida, rejeitou pedidos de casamentos, pois só queria se casar por amor. Leiam esse livro, vocês vão gostar, Jane Austen nunca decepciona!

site: https://www.instagram.com/leiturasdaqueila/
comentários(0)comente



Dani | @aliteratar 10/08/2018

Ótimo.
Com uma escrita comovente e encantadora, Jane Austen nos trás de volta a sentimentos guardados na memória: arrependimentos, sonhos, amores?

Anne Elliot é uma mulher que perdeu a juventude com escolhas erradas, possui uma família distinta ? que por vaidade e soberba, perde a magnitude e brilho da sociedade ?, e por ser considerada desengraçada pelo pai e irmãs, Anne vive seus dias sem alegrias. Limitada apenas a uma amiga, Lady Russell, Anne a vê como uma figura materna, sendo persuadida na mocidade a separar-se do amor de sua vida: Frederick Wentworth. Embora Mr. Wentworth seja um tipo respeitável, inteligente e sensível, sua condição inferior é imposta pela família Elliot e Lady Russell.

Após oito anos de separação e desilução, Anne reencontra Mr. Wentworth na casa de amigos em comum e esse encontro não passa de um desastre. Frederick, agora um comandante naval bem-sucedido, é admirado por todos em sua volta. Não obstante, construiu uma fortuna de vinte mil libras e rendimentos consideráveis para a sociedade, ao mesmo tempo que sua beleza e modos refinados só melhoraram com o tempo. Por outro lado Anne continua solteira, é considerada sem atrativos para conquistar um bom marido, apesar de ser uma mulher extremamente bondosa, afetuosa e sagaz.

A princípio, um amor já perdido e esquecido, é relembrado por ambos em suas recordações mais dolorosas. Anne enxerga-se como a figura de vergonha e dor a Mr. Wentworth. Ao mesmo tempo que ele alcançou todos os objetivos de vitória e honra para si mesmo, sem esquecer-se da mulher que o rejeitou no passado por não possuir uma fortuna ? mesmo que Anne não se importasse com isso, mas foi convencida pela família a recusa. Uma vez que memórias são revividas, como Anne e Mr. Wentworth irão lidar com a dor do passado e resolver todos os problemas entre eles? A amargura de Mr. Wentworth ainda o domina? Anne conseguirá o seu perdão, mesmo não possuindo esperanças para sua própria felicidade?

Com uma crítica nas entrelinhas sobre a vaidade e capricho de uma sociedade, Jane Austen construiu personagens fortes, distintos e reais. Mostrando como oportunidades perdidas podem fazer com os indivíduos afetados, assim como suas escolhas sendo relembradas a cada instante e suas mágoas despertadas do vazio. O casal principal transmite um passado perdido e excruciante, do mesmo modo que apresenta o crescimento pessoal de ambos e suas sabedorias e aprendizados melhorados com os anos. Anne e Mr. Wentworth não são mais os jovens de oito anos atrás, eles amadureceram com o tempo. O que nossa querida Austen nos reservou para o final desse livro? Como será o desfecho entre duas pessoas que sempre se amaram, mas pelo infortúnio do destino, são afastadas?
comentários(0)comente



Angell 06/08/2018

Lesma
Nunca demorei tanto para ler um livro de Jane Austen...
Gosto da escrita dela, da forma como ela expõe as personagens e seu "interior"... mas não rendeu..
Mas Austen é Austen, e sempre vale a pena.
E como em todo romance tudo ficou lindo.... (rs)
Fico pensando se, numa segunda leitura, eu pegaria mais as "entrelinhas" que a autora deve ter deixado... quem sabe um dia, eu tento...
***
Oito anos depois de abdicar do seu grande amor, principalmente devido a opiniões de uma amiga próxima e de seu pai, Anne se vê abalada pelo retorno do seu grande amor, Capitão Wentworth. Ao mesmo tempo que é aproximada do primo William Elliot (que na falta de um filho por parte do Sr. Walter Elliot, tornar-se-ia herdeiro de Kellynch Hall), Anne percebe os galanteios de 2 irmãs sobre o capitão na qual fica suspeito a reciprocidade do mesmo para uma delas... O tempo pode mudar muita coisa, mas será que ele separará os dois definitivamente?

comentários(0)comente



Cici 26/07/2018

Mais uma releitura da Jane. Confesso que dos 3 livros dela que eu já li: "Orgulho e Preconceito", "Razão e sensibilidade" e "Persuasão", este não foi um dos favoritos na primeira leitura.
Nem sei porque peguei para reler esse livro (kkkkk), mas admito que nesse segundo olhar eu estava mais atenta a certas coisas. Por exemplo, a quantidade de vezes que a palavra 'persuasão', ou suas variações, aparece no texto é razoavelmente grande.
O casal de protagonistas: Anne e o cap. Wenthworth não se parece com Lizzie e Mr. Darcy. Diferentemente deles, Anne e Wentworth não falam tudo o que se passa na cabeça deles e vivem um dilema causado por suas escolhas no passado quando Anne se deixou persuadir a deixar o capitão. Como todos os livros de J. Austen que eu tive a oportunidade de ler, o amor que existe entre os personagens é algo que apesar da emoção envolvida é bastante racional e eles refletem constantemente a situação na qual se encontram e como chegaram até ali.
Outra coisa que eu acho interessante nos livros da J. Austen é que os sentimentos dos personagens são descritos com intensidade contida, da mesma forma que eram expressados no século da autora. E é interessante ler os trechos de análise que os personagens fazem uns dos outros, coisa que é feita até os dias de hoje, mas que na época, talvez, se dedicasse uma atenção bem maior que a atual: tentar entender os motivos das ações do outro.
comentários(0)comente



Camila 03/07/2018

Persuasão conta a história de Anne Elliot, a segunda de três filhas de Sir Walter Elliot. Ele era um baronete, considerado muito bonito, apesar da idade. E que, em razão disso e de seu título, era extremamente orgulhoso e vaidoso.

Já viúvo, Sir Walter vivia em Kellynch Hall com as duas filhas mais velhas. A mais nova, Mary, já havia se casado. A mais velha, Elizabeth, era uma mulher atraente, cuja beleza só crescia com o passar dos anos. Quanto ao temperamento, era vaidosa como o pai, que a tinha como filha predileta.

Anne, por outro lado, possuía a personalidade da mãe, grande "elegância de espírito e doçura de temperamento". Fisicamente, tinha traços delicados e já fora muito bonita, mas o brilho que possuía no passado havia se perdido. O modo como Anne era tratada pelo pai e pela irmã era de pura indiferença, sendo eles totalmente alheios às suas opiniões e vontades.

Apesar da grande propriedade que possuía, Sir Walter passava por dificuldades financeiras em razão do nada modesto estilo de vida que tinha. A fim de ver, então, o que restava de seus rendimentos (e de sua dignidade) preservados, decide com alguma relutância, arrendar sua propriedade e se mudar para Bath.

Kellynch Hall, então, é arrendada ao almirante Croft e sua esposa. Esta, é irmã do capitão Frederick Wentworth. Rapaz por quem Anne já foi apaixonada e por quem teve um quase secreto e muito curto noivado.

Eles então voltam a se encontrar e esse reencontro, por óbvio, traz a tona todos os sentimentos que Anne com muito custo tentou enterrar. Agora, ela tenta, tanto quanto pode, encarar a situação com sensatez e descobrir pelas atitudes de Frederick se ainda existe algum sentimento dele por ela.

site: https://blog-dentrodeumlivro.blogspot.com/2018/06/resenha-1-persuasao-de-jane-austen.html
comentários(0)comente



Giovana 29/06/2018

Meu livro nº 1
Esse sem duvida, é meu livro favorito. A construção das personagens, seus sentimentos, pensamentos e o imaginário criados prendem a historia ao leitor. A evolução de algumas personagens enriquece ainda mais a historia. Autora brilhante e unica!
comentários(0)comente



monique.gerke 21/06/2018

Para mim, não superou Orgulho e Preconceito, maaaaaas é uma história linda! Percebe-se uma Jane Austen muito mais madura com relação ao enredo, aos personagens, ...e a VIDA!
A história prende do início ao fim, e embora já soubesse o final (ou desconfiava, em se tratando de Jane Austen, nada menos que um final feliz), nem por isso a surpresa ficou prejudicada. Fui arrebatada em todos os momentos, inclusive que vontade de ficar apaixonada haha que sentimento delicioso e cruel!
Sempre vou recomendar essa mulher!
comentários(0)comente



Eduarda 05/06/2018

Jane Austen trespassando almas
Anne Elliot se depara com o arrependimento quando, oito anos após seu rompimento com o jovem Frederick Wentworth por influência de sua amiga Lady Russell, ele retorna para sua vida. Como se não bastasse, agora é rico e um oficial da marinha inglesa. Anne precisará encarar a frieza e o ressentimento de Frederick da pior forma possível: com plena consciência de que ainda é apaixonada por ele.

Não exagero nem um pouco quando digo que o livro mais dramático da Jane é também seu livro mais romântico. Sim, mais do que Orgulho e Preconceito. Na verdade, sem nenhuma hesitação digo que Persuasão é o livro mais romântico que já li na minha vida! Obviamente, mesmo com o romance em foco, como todo livro da Jane Austen é muito mais do que isso: arrependimentos, segundas chances, o ato de se deixar levar pela opinião de terceiros e, é claro, o perdão, são alguns dos temas que nos traz o último romance publicado (já postumamente) da autora.

Anne Elliot tem 27 anos e uma alma muito boa. Ela é a filha do meio do viúvo Sir Walter Elliot, baronete de Kellynch Hall, mas nem ele nem suas filhas Elizabeth e Mary têm muito afeto por Anne, que vê em Lady Russell, que fora amiga íntima de sua mãe, sua maior confidente.
É justamente essa amizade e a grande confiança que deposita em Lady Russell que faz com que a moça, oito anos antes, desfaça o compromisso com o jovem Frederick Wentworth. O argumento de Lady Russell é o de que Wentworth, embora inteligente e destemido, não tem dinheiro para prover a Anne a vida com que ela esteve acostumada.
Mas como dizem por aí... o mundo gira! E quando um praticamente falido Sir Walter aluga sua propriedade para o Almirante Croft, cunhado de Wentworth, as vidas dele e de Anne se cruzarão novamente. Ninguém sabe sobre o envolvimento que ambos tiveram anos atrás, o que faz com que apenas Anne perceba a frieza com que está sendo tratada, já que o Capitão guarda muita mágoa e ressentimento não só pela recusa, mas por como ela se deu, com Anne deixando-se influenciar tão facilmente.

Como sempre, Jane Austen retrata a sociedade inglesa do início do século XIX de forma bastante elegante e racional. Um enredo e personagens pra suspirar e inspirar!

site: https://www.cafeidilico.com/2018/06/persuasao-jane-austen.html
comentários(0)comente



272 encontrados | exibindo 46 a 61
4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 |