Almost Heaven

Almost Heaven Judith McNaught




Resenhas - Alguém para Amar (Almost Heaven)


82 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6


Erica.Martins 14/11/2018

JUDITH É FODA! Romance Maravilhoso
O que diferencia os romances de época um do outro é a escrita das autoras porquê de resto é praticamente a mesma coisa, tem sempre o mocinho galã e cafajeste que encontra a linda mocinha ingênua e voluntariosa, eu particularmente adoro um clichê bem escrito e neste quesito a Judith McNaught é uma das melhores, simplesmente amo de coração!

Estou muito feliz em terminar a trilogia Sequels com mais um casal apaixonante pra guardar na memória, amei os personagens, são bem carismáticos e divertidos, o livro tem uma leveza boa, a leitura é fluída, você nem percebe que está lendo um calhamaço, você praticamente se desconecta da terra rs

Bom, a história vai girar em torno de Ian e Elizabeth que tem o destino selado na festa de apresentação da mocinha na sociedade, porém na época Ian é um homem sem títulos e sem muitas posses o que o torna um mal partido e Elizabeth é uma jovem condessa pobre, digamos que os dois juntos não formam um casal interessante rs...mas devido a um escândalo envolvendo os dois, eles acabam se tornando desafetos, uma vez que ele mancha a reputação dela, passados dois anos eles acabam se reencontrando por obra do destino, ambos muito mudados inclusive financeiramente e aí será que ainda tem paixão? (Tem sim senhor kkk)

Se você curte um bom romance eu super recomendo, tem muitos encontros e desencontros, cenas de fazer a gente suspirar, muitas intrigas (algumas brigas bobinhas mas está valendo rs), a minha única crítica é que poderia ter umas cenas mais quentes a lá “Um reino de sonhos”, mas de jeito nenhum eu vou tirar nota por isso porque o livro é maravilhoso!

OBS: O Ian virou meu sonho de homem literário dentro do top 10 rs
comentários(0)comente



Jenn 27/05/2018

morta estou
meu coração quase parou lendo esse livro aaaaaa
comentários(0)comente



Katia Rejane 11/11/2016

#euqueroIanThorntonpramim
Como começar a falar dessa história? Falo do Ian Thornton, de Elizabeth Cameron. Não! Vou começar com Judith McNaught. Sou muito fã de romances de época e até o momento não consigo me lembrar de ter lido romances tão intensos. Judith é um gênero à parte. As emoções que vive lendo essa série "Sequels", desde o primeiro em "Once and Always" e depois com "Something Wonderful" foi extramente excessivo, e quando cheguei em "Almost Heaven" foi totalmente surpreendida pois McNaught conseguiu trazer uma história tão surpreendente quanto as outras. A história foi muito bem escrita, um enredo que prende o leitor até as ultimas linhas.
A nossa heroína chama-se Elizabeth Cameron, uma jovem muito inteligente que é levada a Londres para seu "debut", o que ela não esperava é que em sua inocencia, ela sofreria maldades nas mãos de pessoas que confiava, e cai em desgraça pela inveja dessas mesmas pessoas.
Ian Thornton é o nosso herói, que vive numa sociedade que o discrimina, julgando e acusando de ser um bastardo e além de tudo escocês. Mesmo sabendo dessas acusações ao seu respeito, Ian é um homem bastante inteligente e bom nos jogos onde sempre era acusado por trapacear, ele sabia que nunca seria aceito por ser metade inglês, mais isso nunca o incomodou, até o dia que se envolveu em um escandalo com Lady Elizabeth. Dois anos depois esses personagens se reencontram e quando tudo parecia está se normalizando, eles são envolvidos em outro escandalo ainda maior, porém a persistencia de uma heroína não deixa que um orgulhoso marquês esqueça do amor que um dia fez eles se encontrarem e se unirem novamente. Lindas cenas de amor são vividas por esses dois personagens e também fortes emoções nos ultimos capítulos para que esses nossos heróis finalmente fiquem juntos.
Maravilhoso.
Intenso.
Emocionante.
Uma serie para amar cada personagem.
Dai 11/11/2016minha estante
Autora maravilhosa, essa série é muito especial!


Patricia 12/11/2016minha estante
De todos os livros dela, este é o meu preferido!Sou apaixonadíssima por ele!!!!!


Fabiana.Martino 14/11/2016minha estante
PERFEITO




Tamara Dias 19/06/2016

Incrivel
Como adoradora de romances históricos é imprescindível recomendar esse livro! Que história maravilhosa!!!!! Leiam, esse foi pra minha lista de favoritos! :)
comentários(0)comente



Caro 23/10/2015

Até esses dias, eu não tinha interesse nenhum em ler romances históricos, mas de tanto ouvir daqui e ali, acabei me rendendo.
Eis que vou ao sebo daqui da minha cidade, alguns sábados atrás, e me deparo com esse livro! Mas não comprei (por que estou em promessa e estava mega caro). Então esses dias vi uma resenha dele e pensei: “tenho que ler esse livro!”

Pois é, o livro tem mais de 400 páginas e o li em menos de 24 horas.
O romance, como já li em alguns históricos, traz uma moça que está sendo apresentada a sociedade, no caso desse, em Londres. É o Debut, como se dizia.

Lady Cameron, como já é chamada, por se tornar uma condessa ainda na adolescência, a pedido do irmão, precisa escolher um marido, que seja muito bem estruturado e que tenha algum título. Não há problema pra ela. Em menos de 4 semanas, essa menina doce, loira dos olhos mais verdes que existe, recebe nada menos que 15 propostas de casamentos.
Porém em um final de semana, ela conhece o misterioso, lindo e “proibido” Ian Thornton. E adeus reputação! Acontece que eles foram vítimas de uma grande armadilha.

Anos depois, o tio de Lady Cameron, cansado de ter que ajudar no sustento do legado da sobrinha, manda uma carta, oferecendo e “retratando-se” do pedido de casamento, que os tais fizeram a ela.
É ai que o destino dá uma torcidinha aqui e outra ali, e depois de Elizabeth passar alguns dias na casa de outros dois pretendentes e despachá-los, com sua grande inteligência, ela chega ao chalé de Ian.
Eles não se suportam, como se apaixonaram antes? Mas por que será que Ian está mais robusto e lindo como antes? E por que será que Elizabeth está mais radiante, e espirituosa do que nunca?

O livro é longo, mas é de fácil leitura. E o romance? Ah tão lindo!
Eu ri muito, eu suspirei demais.
Não tem outra forma de dizer: Preferido e 5 estrelas!
Érica | @aquelacomlivros 23/10/2015minha estante
Adoro romance de época e amei sua resenha, parece ser lindo! :)


Caro 23/10/2015minha estante
Érica, se você gosta de romance de época, leia esse livro!!! Ou qualquer outro da Judith McNaught!!! Obrigada!!!


Camila 23/10/2015minha estante
esse livro é muito bom e o final nunca esqueço


Érica | @aquelacomlivros 23/10/2015minha estante
Pois é menina...acredita que ainda não li nenhum dela? Mas já estou providenciando isso! Rsrs


Ivi 23/10/2015minha estante
Esse livro é lindo, todos os de época dela são ótimos, tia Judith é Diva!!!


Caro 23/10/2015minha estante
Com certeza Ivanete!!!


Jeizy 23/10/2015minha estante
Concordo com vc Carol, ri muito e suspirei demais *-*
Lindo, lindo! um dos meus favoritos!


May 23/10/2015minha estante
Esse livro é lindo mesmo, um dos meus favoritos!! Leia os outros da autora.. são perfeitos tbm! Um outro que é meu favorito: Algo maravilhoso. Perfeito!


Caro 25/10/2015minha estante
May tô lendo agora!!! Alguém para amar, eu li o ano passado, só não tinha marcado como lido!
Peguei hoje Algo maravilhoso!




Evy 28/09/2015

Quase o Paraíso
A primeira vez que li esse livro (dois anos atrás) eu lembro que quando acabei ele, eu fiquei com a sensação de não saber ao certo o que fazer. Pois como poderia passar através de uma história dessa e seguir em frente, sem que uma parte dela não ficasse comigo?

Dois anos se passaram, muita coisa aconteceu, meu gosto literário foi adquirindo mais amadurecimento (digamos assim)... Mas, eu cheguei naquela famosa fase do "nada me agrada", então pensei: por que não reler meus livros favoritos?

Confesso que relutei um pouco em ler Alguém para Amar; tive receio de que não fosse amar tanto ele outra vez. Então resolvi só voltar a ler ele quando eu o tivesse na minha estante. O tempo passou, finalmente consegui ter ele na minha estante e... o que dizer?

Ao ler essa obra de novo, ao torcer pelos personagens, ao querer sacudi-los, ao rir com eles, até a chorar com eles... Só me fez mostrar (de novo) o quanto essa obra é especial. O quanto ela consegue penetrar através das emoções de quem a lê. Excepcional! E o melhor de tudo? Eu sei que se eu lê-lo trocentas vezes por mais de 20...30 anos ou mais, essa história sempre me emocionará, sempre me fará lembrar do quão bom (MARAVILHOSO!) é ler. Ler algo que te inspire, emocione, penetre em você.

" - Escute-me com atenção, meu querido, pois vou lhe dar um aviso bem claro de que não permitirei que faça isso conosco. Você me deu seu amor, e eu não vou deixar que o tome de volta. Por mais que você tente, mais força eu terei para lutar. Vou assombrar seus sonhos à noite, exatamente como você fez com os meus, todas as noites em que ficamos separados. Vai permanecer longas horas acordado, desejando-me ao seu lado e sabendo que eu também estarei ansiando por você. E quando não puder mais suportar - prometeu, dolorosamente - então voltará para mim, e eu estarei à sua espera. Vou chorar em seus braços e lhe dizer o quanto lamento todo o mal que lhe causei, e você me ajudará a encontrar uma maneira de perdoar a mim mesma...
- Maldição! - ele gritou, o rosto pálido de fúria. - O que mais é preciso para fazê-la parar?
Ela encolheu-se sob o ódio na voz que amava tanto. E rezou para conseguir dizer tudo o que tinha a dizer sem começar a chorar.
- Eu o magoei demais, meu amor, e vou continuar a magoá-lo nos próximos cinquenta anos. E você também vai me ferir, Ian, embora eu espere que nunca mais seja tanto quanto está me ferindo agora. Mas se é assim que tem de ser, vou suportar tudo, pois minha única alternativa seria viver sem você, e isso é o mesmo que a morte. A diferença é que eu sei disso, e você... ainda não sabe."
comentários(0)comente



Millena.Castelo 28/07/2015

Livro Preferido!
Na minha opinião Judith é a melhor autora de todos os tempos, sempre amarra todos os personagens.

Livro Rico, cultural, Romântico.

A intensidade dos personagens me encanta, Arrancou muitas Lágrimas e Sorrisos.

Um livros precioso e valioso.

Nota Mil.
comentários(0)comente



Thais Maia da C 27/05/2015

Alguém para Amar.
A história começa com 15 cavalheiros recebendo uma mensagem um tanto quanto ultrajante de sir Julius Cameron, nela o tio de nossa protagonista oferece sua mão a qualquer um desses cavalheiros mas, o que eles tem em comum? todos mostraram interesse em se casar com a jovem dois anos antes quando essa debutou na sociedade londrina, a garota fez um sucesso estrondoso na época por ser dona de uma beleza incomum e apesar da idade já carregar o título de condessa mas, pouco tempo depois se envolve em um grande escândalo que a força a voltar para o campo onde sempre viveu uma vida simples.


Elizabeth Cameron é dona de uma inteligência sem precedentes, além de muito bela com apenas 19 a jovem condessa é responsável pela propriedade de Havenhurst e por todos que ainda vivem ali, o lugar se encontra atolado em dividas isso por que seu pai e seu irmão acumularam verdadeiras fortunas em dívidas de jogos, a garota se viu obrigada a se desfazer de tudo de valor que possuía para pagar as dividas, e única ajuda que ainda tem é a de seu tio Julius, porém esse deseja casar a moça o mais depressa possível para se ver livre dela.


Ian Thornton não esconde seu desdém pelos nobres ingleses, para ele todos não passam de um bando de fúteis que são incapazes de demostrarem sentimentos verdadeiros. E isso quase mudou quando conheceu a jovem Elizabeth em um baile, uma das debutantes mais requisitadas da temporada, inalcançável para alguém como ele - que era tido por muitos como um pobretão que queria se aproveitar dos mais afortunados - ambos ficaram totalmente fascinados um pelo outro mas devido algumas omissões e intrigas acabaram protagonizando um grande escândalo, que deixou a reputação da moça em fragalhos e Ian com a certeza de que ela não passava de uma "namoradeira, mercenária e frívola pag11"

Eu sabia que esse seria mais um livro PERFEITO da Judith, sério gente essa mulher escreve maravilhosamente bem. Eu não sei dizer um livro dela que eu tenha achado mais o menos, por que todos que li até agora são muito bons sejam eles de época ou contemporâneos.

Ela tem uma capacidade de nos fazer odiar, amar, querer bater e abraçar os personagens principais e isso acontece com todos seus personagens, o que me faz pensar que eles são bem reais por que pensem comigo ninguém é perfeito sempre, somos seres humanos! as vezes erramos, acertamos e erramos de novo rsrsrrs.

Alguém para Amar é além de uma história de amor, é uma história sobre erros e acertos, sobre aprender a ver as pessoas além das aparências, sobre perdoar e ser perdoado. Indico a leitura para todos aqueles que gostam de um bom romance e como sempre digo para quem não costuma lê-los é uma ótima maneira de começar também ;)
beijão a todos*...*

" Se estiver disposta a dar um passo à frente, minha querida, você poderia chorar em meus braços. E, enquanto isso, eu lhe direi o quanto lamento por tudo o que fiz... — Incapaz de esperar, estendeu os braços e apertou-a com força contra o peito. — E quando eu terminar — sussurrou, quando Elizabeth o enlaçou e começou a soluçar —, você pode ajudar-me a encontrar uma maneira de perdoar a mim mesmo."

site: http://notinhasderodape.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Emi 05/10/2014

Lindo.
Um dos romances épicos mais lindos que eu já li. Ian e Elizabeth fazem um par excepcional. Ela, embora ingênua e muito doce, é inteligente e divertida. Ele é apaixonado e teimoso. O enredo tem um desenrolar bem construído e sem lacunas. Tudo se explica muito bem e o tempo cronológico das ações está perfeito. Nem tão rápido, nem tão tardio para o desenvolvimento da trama.
O leitor vai viver um misto de emoções como raiva, carinho, pena, ansiedade e muito amor, é claro. Super recomendo a leitura.
comentários(0)comente



Sarah 16/08/2014


24/02/2013

Eu poderia dizer muitas coisas, mas vou resumir numa palavra: Apaixonante! Sou suspeita para falar pois adoro romances de época, mas esse tem uma pitada de tudo o que o leitor necessita para rir, suspirar e torcer até o fim pelos protagonistas e os demais personagens muito bem estruturados. Um dos livros que me deixou com um gostinho de quero mais e uma momentânea tristeza ao chegar ao fim.

comentários(0)comente



Debolinha 14/07/2014

Incrível
Judith consegue se superar em cada livro que eu leio, historias excelente sem duvida minha autora preferida de romance histórico.
comentários(0)comente



Caro 04/07/2014

INCRÍVEL!
Até esses dias, eu não tinha interesse nenhum em ler romances históricos, mas de tanto ouvir daqui e ali, acabei me rendendo.
Eis que vou ao sebo daqui da minha cidade, alguns sábados atrás, e me deparo com esse livro! Mas não comprei (por que estou em promessa e estava mega caro). Então esses dias vi uma resenha dele e pensei: tenho que ler esse livro!

Pois é, o livro tem mais de 400 páginas e o li em menos de 24 horas.
O romance, como já li em alguns históricos, traz uma moça que está sendo apresentada a sociedade, no caso desse, em Londres. É o Debut, como se dizia.

Lady Cameron, como já é chamada, por se tornar uma condessa ainda na adolescência, a pedido do irmão, precisa escolher um marido, que seja muito bem estruturado e que tenha algum título. Não há problema pra ela. Em menos de 4 semanas, essa menina doce, loira dos olhos mais verdes que existe, recebe nada menos que 15 propostas de casamentos.
Porém em um final de semana, ela conhece o misterioso, lindo e proibido Ian Thornton. E adeus reputação! Acontece que eles foram vítimas de uma grande armadilha.

Anos depois, o tio de Lady Cameron, cansado de ter que ajudar no sustento do legado da sobrinha, manda uma carta, oferecendo e retratando-se do pedido de casamento, que os tais fizeram a ela.
É ai que o destino dá uma torcidinha aqui e outra ali, e depois de Elizabeth passar alguns dias na casa de outros dois pretendentes e despachá-los, com sua grande inteligência, ela chega ao chalé de Ian.
Eles não se suportam, como se apaixonaram antes? Mas por que será que Ian está mais robusto e lindo como antes? E por que será que Elizabeth está mais radiante, e espirituosa do que nunca?

O livro é longo, mas é de fácil leitura. E o romance? Ah tão lindo!
Eu ri muito, eu suspirei demais.
Não tem outra forma de dizer: Preferido e 5 estrelas!

PERFEITO!
ME DEIXOU SEM FÔLEGO!

Trama muito bem fundamentada, um romance proibido e que você torce demais!
Me faltam palavras pra dizer como me apaixonei por esse livro.
Debolinha 14/07/2014minha estante
JUDITH e maravilhosa!!! Meu preferido é agora e sempre,sendo que esse foi incrível, todos são!!!




Atitude Literária 03/07/2014

Com toda certeza um livro para amar – Entrou para meu top 05.
Ao terminar de ler esse livro eu realmente levei um bom tempo até conseguir reunir todas as minhas emoções de volta. Algumas pessoas podem considerar o romance como agua com açúcar, mas eu em minha humilde opinião o considero SURPREENDENTE. É um romance histórico e em nenhum momento me considerei perdida, pelo contrário a autora foi de uma delicadeza e requinte de detalhes que peguei imersa em meio aquela época, até me imaginando participando de alguns daqueles bailes.
A história fala de amor, de pureza, de amadurecimento e te prende da primeira a ultima página sem nenhum esforço.
Elizabeth é tão doce, generosa, inteligente, perspicaz e corajosa de uma forma ingênua e pura que é impossível não ficar encantando com sua personalidade brilhante e torcer por ela a cada novo capitulo. Já Ian nosso mocinho é tão forte, determinado e honesto que você se apaixona por ele sem ao menos se dar conta de quando realmente aconteceu. O romance entre eles não é um conto de fadas, porque está longe de ser considerado uma fantasia, o romance é real, é cheio de descobertas, aprendizagem, superação e conflitos.
O livro fala de amor verdadeiro, da inocência e da maldade, fala de desilusão, de perca, de superação e de perdão.
Se você ainda não se rendeu a esse tipo de leitura, eu SUPER RECOMENDO. Rendasse a esse gênero, permita que ele te conquiste, assim como ele me conquistou e se surpreenda, com uma leitura, doce, inspiradora e repleta de amor.
comentários(0)comente



Blog MDL 29/04/2014

Elizabeth é uma condessa que desde muito cedo teve que arcar com grandes responsabilidades, já que após um incidente na sua apresentação a sociedade seu irmão, sua única família, desapareceu misteriosamente. Durante anos ela ficou reclusa em sua casa trabalhando dia após dia para manter sua propriedade e os poucos empregados que lhe restaram, mas em meio a sua vida sem grandes emoções, seu tio, um homem pavoroso e avarento que é quem financia suas dívidas e lhe mantém financeiramente, decide que vai casá-la de qualquer maneira para evitar os gastos gerados por ela.

E para garantir a realização do seu intento ele envia cartas para todos os pretendentes que um dia já apresentaram uma proposta de casamento a sua sobrinha. Em sua carta ele é sucinto e direto, e afirma que irá mandá-la junto a uma dama de companhia passar uma semana na casa de cada um deles para que juntos pudessem reavivar as memórias antigas, mas apenas três entre os tantos cavalheiros que um dia já se encantaram por ela responderam positivamente, fato que o decepcionou um pouco, já que sua sobrinha era uma verdadeira beleza. Contudo, sem se importar com os sentimentos de Elizabeth ele a informa sobre sua ardilosa trama, e ela no mais completo desespero pede auxílio a Alex – sua melhor amiga – e a Lucinda – sua dama de companhia – para armar um plano que pudesse espantar os três pretensos noivos, incluindo um certo escocês a quem um dia ela chegou a amar e que foi o principal responsável por ela ter tornado-se uma pária social.

Alguém Para Amar foi um dos melhores livros que li este ano, devorei suas 704 páginas em pouco mais de dez horas e foi algo muito natural para mim, não me requereu grandes esforços o que não se pode dizer de todos os livros com esse número de páginas. Todavia, acredito que o grande segredo das histórias de McNaught que prendem o leitor de modo peculiar, é a maneira como ela constrói a trama, pois diferente de muitos autores ele trabalha a dualidade de forma muito concisa, seus enredos são sempre cheios de amor e ódio, traição e perdão, ingenuidade e desconfiança, de modo que é impossível não se sentir arrebatada por suas palavras.

Pelo que me recordo este foi o quarto livro que li dela, o primeiro foi Agora e Sempre que é muito especial para mim e talvez, seja o meu predileto até o momento, mas nem por isso este livro torna-se menos grandioso, menos encantador, principalmente por que ele traz personagens que te faz sentir a mesma dualidade com a qual a autora insiste em escrever, já que na mesma medida que você os ama, você também odeia as atitudes deles e torce para que eles saiam da completa ignorância e orgulho e assumam seus verdadeiros sentimentos e encarem uma sociedade preconceituosa que esquece os escândalos e erros de seus integrantes apenas com o temor de terem como desafetos famílias importantes e ricas.

Com relação aos personagens principais, pode-se dizer que Elizabeth é uma mocinha nada convencional, é mais fácil ela chorar de raiva do que tristeza, sua coragem é tão grande que ela parte nessa jornada na qual o seu tio a colocou de cabeça erguida apesar de estar destruída por dentro com a certeza de que terá que encontrar com o homem que destruiu sua vida. Por outro lado, Ian é um dos cavalheiros que mais demorou em me cativar, o achei tão prepotente, tão cheio de si, que foi difícil aceitar o modo passional como Elizabeth agia diante das implicâncias dele, embora que como todo o livro de McNaught nós sempre acabamos rendidas diante dos encantos de seus mocinhos (risos) e nos encantando profundamente com os seus finais felizes. Em poucas palavras posso dizer que este é um livro memorável e que vale a pena ser lido, em qualquer tempo, em qualquer lugar. Recomendo muito!

site: http://www.mundodoslivros.com/2012/10/resenha-alguem-para-amar_17.html
comentários(0)comente



Anna 22/03/2014

Resenha de Alguém para amar – Judith McNaught
Judith McNaught, vulgo titia Judith, é uma das minhas autoras de romances históricos preferida. A delicadeza e suavidade, ligada a uma sensualidade com que ela aborda esse tema tornam ela uma especialista nesse assunto.

Nessa linda história, conhecemos Elizabeth Cameron, uma linda condessa órfã, de 17 anos, que se encontra falida e tem como tutor seu meio-irmão Robert. Dona de uma inocência inigualável, Elizabeth conhece Ian Thorthon, um escocês misterioso e de sangue quente, que se apaixona por ela quase que instantaneamente. Os dois vivem uma curta, mas intensa história de amor, mas são separados por intrigas, traições e escândalos. Depois da separação iminente, Elizabeth passa os últimos 2 anos vivendo a trancos e barrancos. Falida, com o meio-irmão tutor desaparecido, ela se tornou, desde Ian Thorthon, um pária para a sociedade britânica. Sendo assim, o único que lhe resta é seguir as ordens de um tio perverso, que a manda a uma missão, na qual ela deve visitar todos os seus ex-pretendentes da época em que fez sucesso na sua temporada londrinense a dois anos atrás e, convencer um deles a se casar com ela. Por obra do destino ou do acaso, e depois de muita aventura e comédia (confesso que a peregrinação de Elizabeth me fez rir muito) ela marcha de mala e cuia e uma acompanhante muito da esperta e vai parar na Escócia, mais precisamente na casa de Ian Thorthon. Mas ele não é tão hospitaleiro como os outros pretendentes e muita confusão e maus entendidos são criados a partir daí.

Preciso reconhecer aqui todo meu amor por Ian Thorthon e toda minha afeição por titia Judith por ter criado um personagem tão complexo, tão intrigante e inteligente como ele e, apesar de ter vontade de dar uns cascudos nesse teimoso em alguns momentos do livro, Ian é arrebatador. Apesar de ser o 3° de uma série, esse livro de mais de 700 páginas não precisa ser necessariamente lido na ordem. As
histórias são interligadas, mas ao mesmo tempo independentes, por isso não deixe de ler esse se não quiser ler os outros da série.

Termino esse desabafo afirmando que titia Judith nos presenteia Em Alguém Para amar, com uma trama muito bem escrita e elaborada, que nos tira o fôlego até as ultimas páginas. Com uma narrativa muito bem amarrada e com muita comédia, aventura, intrigas e romance, Judith McNaught tem todos os elementos necessários para uma história de absoluto êxito.
comentários(0)comente



82 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6