Dom Casmurro

Dom Casmurro Machado de Assis...




Resenhas - Dom Casmurro


883 encontrados | exibindo 31 a 46
3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 |


Matheus 30/04/2019

Leitura obrigatória
Aos 32 anos, após deixar de lado o ranço que nossas escolas involuntariamente criam nos nossos clássicos, resolvi encarar Machado de Assis. E que surpresa boa! Enfim pude entender o porquê ele é um dos nossos maiores escritores. Leitura para adulto, e não para crianças. Um livro recheado de complexidades, humor, e poesia, escrito de uma maneira muito gostosa de ler. Uma maravilhosa história de amor entre Bentinho e Capitu, com final surpreendente. Uma típica tragédia grega. Escrita por um gênio.
comentários(0)comente



Amendoa 29/04/2019

Capitu não traiu Bentinho
Esse foi o meu primeiro contato com a obra machadiana e me surpreendi positivamente. Foi melhor do que eu esperava, uma leitura boa, porém não maravilhosa - por isso a nota mediana.

O autor escreve de forma envolvente, muito realista, um narrador muito presente na história, o que faz com que a gente acredite que há uma verossimilhança em tudo o que está sendo narrado.

Sobre o maior dilema da literatura: Capitu não traiu Bentinho!

Minha opinião se beseia no fato de que Bentinho era doente. Seu ciúmes era doentio (embora todo cíumes seja patologia, ao meu ver). Esse lado ciumento do personagem só não se mostra mais claramente porque Capitu não dá mais motivos para que ele se enfatize na história. Mas em algumas falas do personagem se percebe que o cíumes de Bentinho é pertubador. Isso com certeza faz com que ele distorça os fatos ao seu favor, e enxergue o que não existe, através de seu olhar doentio.

Outro ponto a se considerar, primeiramente, é que não temos evidência nenhuma na historia além das alegações de Bentinho. Não se pode acreditar em apenas um ponto de vista sem provas concretas na historia.

Segundamente, Machado de Assis faz muitas referências a tragédia Shakespeariana "Oleto" que narra a morte de Desdemona pelas mãos de seu marido Otelo por causa de seu cíumes, e na história ela é completamente inocente da traição. Tendo isso em vista, eu imagino que nessa referência o autor nos dá indícios de que Capitu também é inocente dessa acusação.

Enfim, gostaria muito que Machado de Assis tivesse deixado o ponto de vista de Capitu escrito, para que a personagem tivesse seu direito de defesa.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Danielle 28/04/2019minha estante
Lembre-se de que o narrador, se não me engano, era o próprio Bentinho, então a semelhança da criança com Escobar pode ser loucura da cabeça dele.


Maura 28/04/2019minha estante
Eu pensei nisso também, mas é impossível saber, se eu levar só em consideração o que o bentinho escreveu, na minha opinião a Capítulo traiu, mas se eu pensar fora da caixinha assim como você, é provável que ela não tenha traído, fico confusa kkk


Maura 28/04/2019minha estante
Capitu***


Danielle 28/04/2019minha estante
Quando eu reler a gente conversa novamente ;)


Maura 28/04/2019minha estante
Beleza ^^


Karolina 25/06/2019minha estante
Semelhança é coisa da cabeça ciumenta de bentinho, nenhuma outra pessoa do livro fala sobre isso... apenas comentam q o menino gosta de fazer imitações




MH 27/04/2019

Como de costume, sendo sincero...
Quando era adolescente eu odiava ler obrigado... e o autor acabou pagando por isso. Criei certa resistência a Machado de Assis e só voltei a pegar em seus livros depois de adulto.
Atualmente, li apenas dois: o alvo da resenha e Memorial de Aires.

Realmente a prosa do Machado é sensacional, mas não é minha preferida.

Essa pegada de diário, com pouca emoção e narração muito detalhada (para mim, prolixa) não me agrada muito.

Dom Casmurro é um livro ok, que em poucos momentos despertou curiosidade ou vontade de saber o destino do personagem principal. Na verdade, eu somente senti real interesse a partir do desenrolar da suposta traição. Nesse momento o livro sai de uma biografia chata e morna para uma história intrigante, dinâmica e interessante.

Ainda pretendo ler mais alguns livros do Machado, mas sem muitas espectativas.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Gabi 10/04/2019

Tive de ler para crer que realmente é um dos melhores romances brasileiro, quiçá do mundo.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Nath 03/04/2019

Crítica/Opinião
Sinceramente? Que livro maçante... Não via a hora de acabar. Peguei ele com muita expectativa por ser sempre falado e ser um dos clássicos da Literatura Brasileira, mas essa foi uma das minhas piores leituras da vida. Estou até receosa de pegar Memórias Póstumas de Brás Cubas, que, aliás, está na minha meta desse ano. Acho que também vou me arrepender da leitura, mas vou dar uma chance...
comentários(0)comente



Alice.Gomes 31/03/2019

Não é bem uma resenha e sim opinião
A grande questão que intriga a nós leitores é: Bentinho pode ser um homem excessivamente ciumento e julgar-se traído; ou ele pode ter sido de fato traído por Capitu. O fato da história ter sido contada a partir da visão de Bentinho, não torna a versão verdadeira, muito pelo contrário. A perspicácia de Machado de Assis, sugere a cada um de nós leitores, as próprias conclusões...as vezes penso no que se passou na cabeça de Machado para criar um romance tão intrigante é muito genial
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Alessandra 17/03/2019

Uma promessa impertinente.
Dona Glória há muito fez promessa ao Senhor de que, se vivo nascesse seu filho, este iria para o seminário. Bentinho, mais tarde Dom Casmurro, nada sabia desse voto, importando apenas sua amizade com Capitu.

Em sua ingenuidade, jamais viu outra coisa na moça que não fosse afeto entre irmãos, pois assim sempre foram um para o outro, desde que se entendiam por gente.

Porém, à revelação da jura da mãe, acompanhada da acusação de José Dias de que estariam os dois enamorados, Bento percebe então o que jamais soube existir dentro do seu coração: amava Capitu. Mas o que fariam agora desse amor que estava para desabrochar quando ele seria arrastado para a vida celibatária sem escolha?

A trama, narrada pelo próprio protagonista, conta a angústia de Bentinho em livrar-se dos caminhos da Igreja. Acompanha o mesmo em sua vivência no seminário e como surgiu lá sua amizade com Escobar.

Do desenrolar da pendenga, conhecemos mais a capacidade dissimulatória de sua amada, que desde pequena mostrava habilidade para a manipulação.

Bentinho, sempre desconfiado e ciumento, pode ter gerado nos leitores a grande pergunta que gira em torno de Dom Casmurro: Capitu traiu ou não traiu? Mas confesso que para mim tal dúvida nunca existiu. Ei de dizer que a verdade reside no fitar dos olhos da dulcineia.

Machado pode parecer para muitos uma leitura distante da realidade, fora do comum, mas engano seu se pensar assim. Sua escrita convida o leitor a viver a história com ele, sempre recheada de ironias e confidências. A proximidade e a intimidade chegam rápido nessa convivência.

Apesar de ser considerado o clássico dos clássicos machadianos, ainda persisto em minha preferência por Brás Cubas.

site: https://euamolivrosnovos.blogspot.com
M. Q. Cortez 29/03/2019minha estante
Alessandra, seus crítica sobre o livro é pertinente e nos remete a acreditar na traição de Capitu, mas isso somente aos olhos do narrador que nos conta seu ponto de vista. Não temos a visão do outro lado. Desta forma persiste a dúvida. E este é o caso de tanta polêmica. Mas certo é que nunca saberemos se ocorreu ou não a traição.


Alessandra 28/04/2019minha estante
De fato, seu posicionamento também é correto, mas eu não consigo acreditar na inocência de Capitu, ainda que eu tenha apenas um ponto de vista.




Dri F. @viajecomlivros 11/03/2019

"Dom Casmurro" é considerado um dos melhores romances da literatura brasileira. Escrito por Machado de Assis em 1889, até hoje é um dos livros mais pedidos em vestibulares e discutido em grandes rodas de assuntos literários.
Seu protagonista é Bentinho Santiago, também conhecido como Dom Casmurro pelos amigos. Ele narra sua história, desde a mocidade até os dias atuais, contando principalmente sua paixão que se iniciou na juventude, por Capitu.
Essa é uma história muito conhecida. O mote principal é se Capitu traiu ou não Bentinho, como ele acredita veementemente.
Temos uma história repleta de ciúmes de um jovem rico e filho único por sua vizinha, de família mais humilde. Há insinuações, coisas vistas e ouvidas somente por Bentinho, já que é ele o narrador dessa história.
Esse é um romance aberto, isso é claro. Se você for pesquisar mais sobre o livro, vai encontrar um mundo de material publicado por grandes pesquisadores e pensadores sobre se houve ou não traição, se Capitu era ou não inocente e por aí vai.
Acho que a grande maestria do texto de Machado de Assis foi justamente criar uma história com tanta dubiedade. Em nenhum momento o autor nos traz com clareza a solução pra esse problema, portanto ainda hão de haver muitos estudos sobre tudo isso.
Essa foi minha segunda leitura da obra. A primeira, na adolescência e por obrigação, não me agradou muito. Essa segunda foi melhor, afinal nada como a maturidade pra nos fazer ver a grandeza do texto.
Ainda assim, embora concorde que é um grande clássico nacional, ainda me incomoda um pouco o não saber hehe. Confesso que tenho minha opinião sobre se houve ou não traição mas vi um Dom Casmurro bem mais paranoico e focado somente em sua imaginação nessa segunda leitura. Como não temos nada além do que ele nos conta, acredito que a gente não conheça realmente Capitu pra saber se ela seria capaz ou não de trair. Interessante levar em consideração o quanto às vezes achamos que conhecemos alguém só pelo que o outro descreve, e o quanto isso é distante da verdade.

"Se só me faltassem os outros, vá; um homem consola-se mais ou menos das pessoas que perde; mas falta eu mesmo, e esta lacuna é tudo."

Conheça meu intagram literário @viajecomlivros

site: Instagram: @viajecomlivros
comentários(0)comente



Guilherme 01/03/2019

4,5 / 5
A história é cativante e muito bem contada pela ótima escrita de Machado. Só algumas partes com as divagações de Bentinho perderam um pouco a atenção, mas logo o capítulo seguinte a recuperava. A dúvida que fica ao final é um charme a mais e os capítulos que antecedem o encerramento da história são os melhores. De fato, um clássico.
comentários(0)comente



Thiago.Struzani 20/02/2019

Genial
É a única palavra que vem à mente para se falar de Dom Casmurro. Machado de Assis consegue deixar o leitor na eterna dúvida: Capitu traiu ou não traiu Betinho? Vamos discutir!?
O livro é perfeito, nota 5.
Jah 30/03/2019minha estante
eu acho que traiu, muito suspeito aquela vez que Bentinho foi a teatro só, voltando antes de terminar o espetáculo é surpreendendo Escobar em sua casa. É fato também que Bentinho tinha um ciúme grande, mas acho que houve a traição




Lethycia Dias 18/02/2019

Narrativa genial
Foi com alegria e curiosidade que sorteei "Dom Casmurro" para releitura. Em primeiro lugar, adoro Machado, e em segundo, eu tinha apenas 13 anos quando li pela primeira vez, então era uma ótima oportunidade de revisitar a história e vê-la com outros olhos.
Tudo é narrado por Bentinho, que, já na velhice, retoma suas lembranças da juventude e de como conseguiu escapar da promessa de sua mãe de fazê-lo tornar-se padre, saindo do seminário para então poder se casar com a amiga de infância Capitu. O maior interesse do protagonista-narrador, ao escrever sua história, é entender como passou de um garoto alegre e doce para um velho ranzinza, triste e calado, a ponto de ganhar o apelido de Dom Casmurro.
Foi uma releitura muito bem-vinda. Eu não me lembrava da maioria dos acontecimentos do livro, e foi com deleite que observei pequenos detalhes apresentados sobre o núcleo de personagens, como a influência de José Dias. Teria Bentinho algum dia suspeitado de Capitu se o agregado da família não tivesse dito que ela era "dissimulada"?
Falando nisso, não dá pra deixar de comentar a questão que torna o livro tão famoso. Não temos como saber se Capitu traiu ou não. Só conhecemos a história pelo ponto de vista de Bentinho, que não é nem um pouco confiável, e além disso, é advogado: sabe contar uma história de forma que convença as pessoas a ficarem do seu lado. Acho que essa é a maior genialidade da história.
O discurso de Bentinho é sedutor, é fácil acreditar nele. Mas Bentinho é tão ciumento que imagina todo um enredo a partir de situações pouco reveladoras, acrescentando mais e mais supostas evidências e acreditando nelas.
O fato de conhecermos Capitu apenas por esse olhar faz dela uma das personagens mais intrigantes da literatura brasileira. Nós a conhecemos pelas lembranças de um narrador apaixonado e amargurado, e isso não apaga seu brilho. Numa leitura cuidadosa, sabendo em que terreno pisamos, não importa saber quem está certo ou errado: o interessante mesmo é conflito dessa narrativa.

site: https://www.instagram.com/p/Bt__9IEAQfH/
comentários(0)comente



883 encontrados | exibindo 31 a 46
3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 |