Dom Casmurro

Dom Casmurro Machado de Assis...




Resenhas - Dom Casmurro


878 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



isa 11/07/2019

Apenas o meu livro favorito. Digo isso e ponto.
comentários(0)comente



Lyndon Johnson 07/07/2019

RESPONDENDO AO GUIA DE LEITURA
Ao invés de apresentar mais uma, dentre tantas, resenha sobre Dom Casmurro, resolvi responder ao guia de leitura que aparece no final dessa edição da Martin Claret.
01. Sobre o romance de Dom Casmurro, responda:
a) Por que Bento foi apelidado de Dom Casmurro?
Por ter um comportamento de hábitos reclusos e calados.
b) De acordo com a sua personalidade, pode-se afirmar que o apelido foi injusto?
O apelido foi injusto sim, afinal Bento falava e se expressava muito bem. Passou a ter uma vida solitária após os fatos que se passaram em sua vida.
02. Qual é o tipo de narrador da obra? Justifique.
Em 1ª pessoa pois o narrador é personagem da obra (participa dela).
03. Identifique o(s) capítulo(s) referente(s) ao clímax da narrativa.
Capítulo 108 (Um Filho): Nasce Ezequiel;
Capítulo 112 (As Imitações de Ezequiel) e 116 (Filho do Homem): Semelhança fenotípica entre Ezequiel e Escobar.
Capítulo 121 (A Catástrofe) e 123 (Olhos de Ressaca): Escobar ao ir nadar com o mar de ressaca morre afogado e, no dia de seu enterro, Capitu fitava o defunto com a mesma intensidade das ondas bravias.
Capítulo 137 (Segundo Impulso) e 138 (Capitu que entra): Bento nega a paternidade a Ezequiel e revela suas interpretações a Capitu.
Capítulo 141 (A Solução), 145 (O Regresso) e 146 (Não Houve Lepra): Veio o divórcio e Capitu vai morar na Suíça, onde falece. Ezequiel vem morar com Bento e após seis meses viaja para Israel e falece de febre tifoide. Bento passa a ter uma vida solitária.
04. Os trechos a seguir referem-se a personagens do romance, identifique-os.
I – “(...) amava os superlativos. Era um modo de dar feição monumental às ideias; não as havendo, servia a prolongar as frases.”
José Dias.
II – “Era quadragenária, magra e pálida, boca fina e olhos curiosos. Vivia conosco por favor de minha mãe, e também por interesse; minha mãe queria ter uma senhora íntima ao pé de si, e antes parenta que estranha.”
Prima Justina.
III – “Era gordo e pesado, tinha a respiração curta e os olhos dorminhocos. Uma das minhas recordações mais antigas era vê-lo montar todas as manhãs a besta que minha mãe lhe deu e que o levava ao escritório.”
Tio Cosme.
05. Sobre o romance de Dom Casmurro, responda:
a) Como era a relação de Bento com a mãe?
Bento era filho único, órfão de pai e educado pela mãe sob o enfoque da palavra da honra, da promessa que se cumpre. Com sua mãe aprende a tomar decisões e não voltar atrás.
b) De que modo essa relação pode ter contribuído para a formação da sua personalidade?
Bento se torna opinioso e por ter uma imaginação muito fértil isso pode tê-lo afetado.
06. De acordo com o capítulo 15, “Outra voz repentina”, podem-se perceber algumas características da personalidade de Bento e Capitu quando crianças.
a) Como Bento pode ser caracterizado pela maneira como reage à situação narrada no capítulo?
Bobo, lento, sem perspicácia.
b) E Capitu?
Dissimulada, esperta e com perspicácia.
c) Pode-se afirmar que a personalidade dos dois personagens mantém-se a mesma na vida adulta? Justifique.
De certa forma sim, sendo esse comportamento utilizado por Bento para justificar o adultério.
07. O capítulo 105 intitula-se “Os braços”.
a) De quem são os braços descritos?
De Capitu.
b) O que esse capítulo revela sobre a personalidade de Bento?
Ser possuidor de um ciúme possessivo.
08. Leia a passagem do capítulo 135:
“Jantei fora. De noite fui ao teatro. Representava-se justamente Otelo, que eu não vira nem lera nunca; sabia apenas o assunto, e estimei a coincidência.”
a) A que coincidência o narrador se refere?
Ao tema do ciúme e traição presente na obra.
b) Que tipo de relação se estabelece entre o romance de Machado de Assis e a peça Otelo, de William Shakespeare, nesse capítulo?
Uma analogia, pois o ciúme doentio de Bento equiparava-se com o de Otelo e assim como este, tentou buscar solução na morte.
09. Sobre o romance de Dom Casmurro, responda:
a) Qual a reação de Bento diante da morte de seu melhor amigo?
Fica abalado pela perda do amigo, mas ao mesmo tempo percebe, por ocasião do sepultamento, o quanto Capitu estimava o defunto.
b) Que consequência essa reação tem para o seu futuro?
A partir daí, fica obcecado com a ideia, reparando em cada vez mais semelhanças entre Ezequiel e Escobar.
10. Quantos à traição de Capitu:
a) Cite dois argumentos que comprovem a traição.
• Capitu se mostrou dissimulada em várias situações, como quando inventou uma mentira aos pais para encobrir que tinha beijado Bentinho.
• Ezequiel era parecido com Escobar – fisicamente, segundo Bentinho, e até na personalidade, de acordo com outros personagens.
b) Cite dois argumentos que podem indicar a sua inocência.
• A semelhança de Ezequiel e Escobar pouco importa: o pai de Sancha, por exemplo, diz que sua esposa e Capitu tinham os mesmos olhos e personalidade.
• Bentinho é o narrador da história. Portanto, tudo é analisado segundo sua própria perspectiva, que pode ser deturpada.
c) De que maneira a profissão de Bento Santiago pode interferir na narrativa?
Ele era advogado e dominava os recursos da persuasão que muito empregou para justificar sua interpretação.
* Lyndon Johnson B. de Souza.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Emanuel 01/07/2019

Pra mim, Capitu não traiu bentinho!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Letícia 26/06/2019

Triste e muito bem escrito
O romance entre Capitu e Bentinho é tão lindo, tão bem desenvolvido e tão certo, que torna compreensível a eterna dúvida a respeito de uma traição.

Muito bem escrito, a forma como Machado se comunica com o leitor é fascinante, mas o enredo geral muito me entristeceu.

Mais um clássico para riscar da lista.
comentários(0)comente



Luciano.Santos 25/06/2019

Estou com 22 anos e finalmente criei coragem e li um livro do Machado de Assis, que para muitos é melhor escritor da história do Brasiil. Culpo e muito a escola e alguns professores no qual eu tive que forçavam os alunos a lerem esses livros antigos e consagrados, talvez eu tera emprestados algumas obras do autor e tera deixado o livro dentro da bolsa sem ao menos abrir os livros.

Sobre a história, vou ser meio breve e não terei uma resenha longa.

Sofri e muito no início do livro por não estar familiarizado com a escritura do autor e tive que parar a leitura muitas vezes e pesquisar significados das palavras.

A leitura dessa obra, que é a tão comentada de Machado de Assis. O livro Dom Casmurro tem um início bastante interessante, onde conta a história de vida de Bentinho (Dom Casmurro) e sua mãe Dona Glória. D. Glória fez uma promessa a Deus que faria seu filho Bentinho virar padre , até no começo da história o filho concordava com o destino e a promessa, contudo Bentinho começará a ficar mais próximo da vizinha (Capitu) ao qual criaria uma paixão de infância... Pelo menos será o que o leitor inicial pensará após ler algumas páginas. Na medida que o tempo passa e Bentinho e Capitu deixam de ter esse amor 'infantil' e passariam a ser apaixonar.

Essa resenha está ficando muito grande hehehe, então cortarei e dimuirei ela. Bentinho vai para o seminário para virar padre mesmo contra a vontade. O tempo passará e ele deixará o seminário a pedido da sua mãe.

Estou com uma preguiça de escrever então lá vai a resposta para a dúvida do século.


CAPITU NÃO TRAIU DOM CASMURRO.


Não vou argumentar, porque quero falar algumas coisas do autor.


Esse livro não é muito bem lido nas escolas ou por jovem, devido a sua escrita. Machado de Assis que me perdoe, mas acho que a leitura desse livro é para adultos e ninguém mudará minha opinião.


O começo do livro é bem interessante como relatei no 2° ou 3° parágrafo, todavia a medida em que o Bentinho vai para o seminário a leitura fica um pouco arrastada e com isso se a pessoa que estivera lendo ser uma criança à grandes chances dela abandonar essa obra.

Voltando a raciocínio da escrita, como eu já dissera o livro voltará a fluir após o casamento do Dom Casmurro e Capitu. Contudo aí vai minha maior crítica ao autor, Machado de Assis parece que perde um pouquinho a mão em relação à história e o desfecho final até parece outro autor escrevendo... Quem estivera lendo (isso se alguém ler esta resenha), digo que sim não estou louco e vou argumentar. Desde o começo da história Machado de Assis parece que sabe prender o leitor com o seu modo lento de fazer a história andar, mas no desfecho final ele simplesmente joga tudo na cara do autor, todos os fatos acontecem do nada, um acontecimento após o outro... A história deixa de ter aquela escrita lenta, devagar e suave para um desfecho final rápido, corrido. Esta com certeza é uma das maiores críticas minhas em relação a essa magnífica obra de Machado de Assis. Contudo quem sou eu para criticar esse explendido autor.
comentários(0)comente



Safira 14/06/2019

corre que o corno tá puto
capitu não traiu o bentinho mas bem que eu queria que ela tivesse metido um chifre nesse desgraçado.
Angel 24/06/2019minha estante
disse tudo


bibi lopes 03/07/2019minha estante
sim, apenas SIM




GuiRamos 11/06/2019

Consistente do início ao fim:
Seja positivamente, seja negativamente, afinal para o gosto popular atual ele poder ser maçante as vezes. O final é surpreendente, mesmo que você ache que saiba o final (sem ainda ter lido). Atendeu o que eu imaginava dele, um livro de "leitura lenta e gostosa".
comentários(0)comente



Isabella (ig:@druidaliterária) 10/06/2019

O que posso falar que ninguém já não tenha falado? Posso somente argumentar minha chegada um pouco tardia a esta obra, e que talvez tenha sido exatamente no momento certo já que alguns livros requerem uma maturidade literária para assim serem apreciadas devidamente.

A escrita de Machado de Assis é difícil de ser descrita, pois se eu dizer que é simples estarei sendo injusta diante de tal grandeza narrativa. É magnífica, deliciosa e excepcional. Fiquei encantada do início ao fim.

Sobre a história? Uma obra prima da literatura, digo sem medo! e digo mais, essa baboseira de; Capitu traiu ou não traiu Bentinho? Ah por favor! O livro não se resume apenas a isso. Existem muitas questões importantes para serem debatidas sobre essa obra, reduzi-la apenas a fidelidade de Capitu é no mínimo um desperdício.

Enfim, um livro esplêndido. Um dos melhores que li até hoje. Por que não dei a nota máxima? Bom, achei o final um pouco apressado! Senti falta da calma que o autor havia usado até então. Somente isso mesmo, talvez não carecia de eu retirar uma estrela por algo tão "simples" mas tirei.
Camila Freire 10/06/2019minha estante
Machado é incrível! Indico o livro Machado de Assis historiador, do Sidney Chalhoub, onde ele analisa as questões históricas presentes nas obras do Machado.




Alice 08/06/2019

Boa leitura
Não sou fã do estilo do autor e poderia passar dias escrevendo sobre pos motivos pelos quais tirei essas conclusões, mas com relação a Dom Casmurro em si, o considerei um livro mediano. As personalidades das personagens são bem permeadas e a leitura até que consegue ser envolvente, mas não compartilho das opiniões dos amantes de Assis. Outra coisa que Dom me lembra é a incompetência de Machado em fazer finais. Ou alguém morre e resolve o conflito proposto na historia, ou não tem um final coerente. É como se a resolução de um conflito, principalmente na fase realista do escritor, não combinasse com coerência. Inclusive esse é um dos pontos que me faz não curtir muito as obras, e não me venham com o tal do ?tem o intuito de causar reflexão?, tenho meus argumentos. Não vou me alongar mais por aqui.
comentários(0)comente



878 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |