Dom Casmurro

Dom Casmurro Machado de Assis...




Resenhas - Dom Casmurro


883 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Guilherme.Barbosa 14/09/2019

Resumo: Dom Casmurro
Bentinho (Bento Santiago) e Capitu (Maria Capitolina) são vizinhos desde crianças. Na adolescência, percebem que há entre os dois um sentimento diferente da simples amizade.

Capitu tem personalidade forte, além de ser muito inteligente, enquanto Bentinho, mais frágil, muitas vezes mostra-se indeciso e dependente da vontade materna, tanto que, destinado a ser interno em um seminário, para posteriormente seguir a carreira de padre, por força de uma promessa de sua mãe (Dona Glória), é Capitu quem, sutilmente, age no sentido de anular essa obrigação.

Adultos, casam-se. Escobar, casado com Sancha, é personagem também importante na história. Maior amigo de Bento, amizade que vem da época adolescente dos dois, frequenta cotidianamente a casa de Bentinho e Capitu.

Escobar morre no mar, nadando, e, pela reação de dor manifestada por Capitu, durante o velório, considerada exagerada por Bento, este passa a desconfiar de que Capitu e Escobar poderiam ter tido um “caso”. Bentinho começa, inclusive, a achar que Ezequiel, seu filho, é parecido com Escobar. Essas suspeitas quase o leva ao suicídio.

O casamento chega ao fim. Capitu e o filho passam a viver na Europa, onde Capitu vem a falecer. Bentinho, sem êxito, tenta fugir da solidão, mantendo relações furtivas com outras mulheres mas se transforma em autêntico solitário, fechado em si e, na medida do possível, ignorando o mundo.

Deste comportamento lhe vem o apelido de Casmurro, sugerido por um rapaz que, tendo em vista a reconhecida cultura de Bento Santiago, lê para ele poemas de sua lavra, a fim de que Bento lhe dê opinião crítica a respeito, mas Bento Santiago, desinteressado por tudo e por todos, ignora-o.

Anos mais tarde, Ezequiel volta ao Brasil para visitar Bentinho, com quem trava diálogo amigável, porém distante.

Análise de Dom Casmurro
A obra consiste fundamentalmente na história de um jovem que busca unir as duas metades de sua vida: a primeira, marcada pela busca de um ideal de felicidade (um casamento feliz), e a segunda, marcada pela luta para recuperar essa felicidade por suas dúvidas e suspeitas.

Além disso, a obra celebrizou-se pelo fato de não apresentar um desfecho definitivo: o leitor não sabe se, de fato, Capitu veio a trair o marido, ou se o ciúme exagerado de Bentinho (demonstrado em tantos momentos da narrativa) faz com que ele fique obcecado pela ideia que está sendo traído.

O romance é narrado em primeira pessoa por Bento. Esta opção permite ao autor manter no espírito do leitor a dúvida quanto a fidelidade de Capitu. Porém, é preciso acentuar que o tema principal de Dom Casmurro não é o adultério. Este, se aconteceu, é de importância secundária, inclusive para o próprio Machado de Assis. A traição ou a não-traição de Capitu funciona como meio para as observações do autor, ao menos em parte, sobre as razões pessoais ou íntimas da conduta do homem.

Muito mais interessante e inteligente do que o eventual adultério nesta narrativa é a construção, lenta e gradativa, na mente de Bentinho, da possibilidade de ter havido adultério.

Capitu é uma das mais bem construídas personagens da literatura mundial, tendo em vista sua extraordinária complexidade psicológica. Além dela, merece ser citado o personagem José Dias, agregado da casa de Dona Glória – mãe de Bentinho –, por ser personagem de estruturação interessante. Enfim, Dom Casmurro é uma das melhores obras da literatura brasileira e universal; é um romance original, até mesmo no fato de que ele todo constitui-se em um flashback. Nele, o talento de Machado de Assis alcançou o ponto mais alto de sua capacidade técnica e inventiva.

site: https://www.coladaweb.com/resumos/dom-casmurro-machado-de-assis
@livrosegatos 20/09/2019minha estante
Poxa, sinaliza como spoiler..




Gleidson Riff - poeta 30/08/2019

Um clássico absoluto
Talvez seja, junto com "Grande sertão:veredas" de Guimarães Rosa e "Os sertões" de Euclides da Cunha, o maior clássico da literatura brasileira. Uma obra irretocável. Salve o "bruxo do Cosme Velho"!
comentários(0)comente



Thiágany - @leio.logopenso 28/08/2019

Simplesmente maravilhoso
O livro Dom Casmurro é um clássico maravilhoso.
.
Bentinhoe Capitu, amigos de infância, se apaixonam na juventude.
.,
Ele prometido pela mãe a vida religiosa, resolve mudar seu destino e não se tornar padre.
.
Bentinho e Capitu se casam, mas depois do nascimento de seu filho o ciúme de Bentinho causa uma reviravolta na história.
.
Se você ainda não leu esse livro, corre pra ler. É realmente maravilhoso.
comentários(0)comente



Jeh 12/08/2019

Maravilhoso
Meu livro favorito da obra machadiana, Dom Casmurro trata de amor proibido, amizade, religiosidade de uma forma bem construída e envolvente. E ainda o fúnebre autor nos deixa um mistério que vai atormentar para sempre a nossa vida, será que Capitu traiu Bentinho?
comentários(0)comente



primeira viagem 06/08/2019

Dom Casmurro
Uma promessa feita a Deus: Entregar seu segundo filho ao Seminário. Mas, o coração de Bentinho não pertencia à igreja e sim a uma mulher de olhos de cigana obliqua e dissimulada, Capitu era o seu nome.
Bentinho e Capitu são criados juntos e se apaixonam na adolescência, só que esse amor puro sofre grandes ameaças de não sobreviver se a promessa for cumprida.
Apesar de todos os esforços para não ir para o Seminário e a tristeza de sua mãe, promessa é coisa levada a sério e deve ser cumprida. Lá o garoto conhece Escobar, de quem fica muito amigo, verdadeiros irmãos. Alguns tempos depois, eles deixam a vida eclesiástica e se casam. Escobar com Sancha (amiga de Capitu) e Bentinho com Capitu.
Depois de algum tempo tentando ter um filho, Capitu aparece grávida, o que deveria ser um momento de união e felicidade torna-se motivos para desconfiança e desavenças depois da morte de Escobar. A semelhança física entre o filho e o amigo parece ser prova de adultério de Capitu. No final o protagonista abandona a família e leva uma vida solitária, assombrado pela traição.
Dom Casmurro, romance publicado em 1899 pela livraria Garnier se tornou um dos livros mais importante e famoso da nossa literatura Brasileira. O livro é inspirado em Otelo (Shakespeare) abordando também o tema do ciúme e sua consequente desgraça.
Narrado sobre a ótica de Bentinho Dom Casmurro é um livro de confissões e persuasão. Cujo personagem principal já velho, solitário e arrependido busca rememorar e compreender os fatos de seu passado e a perda de seu grande amor.
Opinião
Gostei! Eu não vou falar ainda se Capitu traiu ou não isso só depois de ler “Amor de Capitu”, mas o que marcou e me fez refletir foi o quanto o ciúmes pode desgraçar a vida de quem o sente.
Bentinho que lutou tanto para ficar com Capitu perdeu tudo e por pouco não perde a vida por causa de uma ideia baseada em ciúmes. Acho que ele usou o filho como justificativa para o seu ciúme possessivo já que antes do menino nascer ele já o sentia.
Por outro lado não acho certo uma mulher casada estando sozinha receber outro homem em casa, eu sendo solteira não abro a porta para um homem quando meu pai ou meu irmão não estão.
comentários(0)comente



Suelen Vidal 02/08/2019

Dom Casmurro - Machado de Assis
Um livro cheios de significados. Será que julgamos bem as pessoas?
Pois bem, Bento nos colocará a prova.
Leiam.
comentários(0)comente



Lavinia Teodoro 29/07/2019

Ótimo!
Um dos melhores livros já lidos.
Bentinho, Capitu, Escobar, Ezequiel, D. Glória... personagens cativantes de um livro magnífico.
Cada parágrafo vale a pena, cada linha te trás gosto de quero mais.
Dom Casmurro é poesia. Não leiam por obrigação, leiam por curiosidade e se percam na paixão de Bentinho.
Ótimo, ótimo, ótimo!
Leremos agora Memórias Póstumas de Brás Cubas porque eu não quero desperdiçar meu tempo não lendo Machado de Assis.
comentários(0)comente



Aurélio 21/07/2019

Dom Casmurro e o enigma do ciúme
Machado de Assis traz em Dom Casmurro a reflexão sobre um possível adultério. E põe em evidência o que o ciúme pode ocasionar na vida de um ser humano. Bentinho, a personagem principal, vive sua infância e cresce ao lado de sua melhor amiga, Capitu. Logo, surge um romance entre os dois o que culminará no casamento deles. Porém, Bentinho desde a infância já mostrava padecer certo ciúme doentio. E na vida adulta tal ciúme se intensifica quando ele julga que o seu filho se parece mais com o seu melhor amigo (Escobar), do que com ele. Tal ideia se solidifica, porque a criança possui características que o fazem lembrar Escobar, e isso irrita profundamente Bentinho, pois se sente ultrajado e traído por Capitu. É interessante apontar que as visitas de Escobar à sua casa se fazem corriqueiras e em alguns momentos Bentinho o encontra lá de forma inesperada, o que faz aumentar ainda mais as suspeitas sobre uma possível traição de Capitu. Depois que o seu melhor amigo morre (Escobar afoga-se no mar do Rio de Janeiro), Bentinho passa a tratar a Capitu e a Ezequiel, seu filho, com frieza e insensibilidade. Em um determinado dia Bentinho compra veneno e tenciona dar ao filho, mas logo desiste da empreitada. O menino começa a chamá-lo de pai, e este lhe diz que não era seu pai. O menino chora e sai correndo, e nesse momento Capitu entra na sala em que ambos se encontravam e presencia tudo. Os dois têm uma discussão, e Bentinho insinua traição por parte de Capitu. Ela se sente ofendida e lhe diz que seu ciúme doentio o acompanha desde sempre. Um determinado dia os três vão para a Europa e só Bentinho retorna, o que deixa evidente para o leitor o rompimento definitivo entre os dois amigos de infância. É a partir então de sua velhice que Bentinho passa a contar o que viveu desde sua fase mais jovem até a separação e morte de sua esposa e de seu possível filho. O título de Casmurro se deve pelo fato de sempre se manter calado e metido consigo o que lhe cai bem já que poderia ser traduzido como alguém que sofre calado devido ter passado por dissabores na vida.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



isa 11/07/2019

Apenas o meu livro favorito. Digo isso e ponto.
comentários(0)comente



Lyndon Johnson 07/07/2019

RESPONDENDO AO GUIA DE LEITURA
Ao invés de apresentar mais uma, dentre tantas, resenha sobre Dom Casmurro, resolvi responder ao guia de leitura que aparece no final dessa edição da Martin Claret.
01. Sobre o romance de Dom Casmurro, responda:
a) Por que Bento foi apelidado de Dom Casmurro?
Por ter um comportamento de hábitos reclusos e calados.
b) De acordo com a sua personalidade, pode-se afirmar que o apelido foi injusto?
O apelido foi injusto sim, afinal Bento falava e se expressava muito bem. Passou a ter uma vida solitária após os fatos que se passaram em sua vida.
02. Qual é o tipo de narrador da obra? Justifique.
Em 1ª pessoa pois o narrador é personagem da obra (participa dela).
03. Identifique o(s) capítulo(s) referente(s) ao clímax da narrativa.
Capítulo 108 (Um Filho): Nasce Ezequiel;
Capítulo 112 (As Imitações de Ezequiel) e 116 (Filho do Homem): Semelhança fenotípica entre Ezequiel e Escobar.
Capítulo 121 (A Catástrofe) e 123 (Olhos de Ressaca): Escobar ao ir nadar com o mar de ressaca morre afogado e, no dia de seu enterro, Capitu fitava o defunto com a mesma intensidade das ondas bravias.
Capítulo 137 (Segundo Impulso) e 138 (Capitu que entra): Bento nega a paternidade a Ezequiel e revela suas interpretações a Capitu.
Capítulo 141 (A Solução), 145 (O Regresso) e 146 (Não Houve Lepra): Veio o divórcio e Capitu vai morar na Suíça, onde falece. Ezequiel vem morar com Bento e após seis meses viaja para Israel e falece de febre tifoide. Bento passa a ter uma vida solitária.
04. Os trechos a seguir referem-se a personagens do romance, identifique-os.
I – “(...) amava os superlativos. Era um modo de dar feição monumental às ideias; não as havendo, servia a prolongar as frases.”
José Dias.
II – “Era quadragenária, magra e pálida, boca fina e olhos curiosos. Vivia conosco por favor de minha mãe, e também por interesse; minha mãe queria ter uma senhora íntima ao pé de si, e antes parenta que estranha.”
Prima Justina.
III – “Era gordo e pesado, tinha a respiração curta e os olhos dorminhocos. Uma das minhas recordações mais antigas era vê-lo montar todas as manhãs a besta que minha mãe lhe deu e que o levava ao escritório.”
Tio Cosme.
05. Sobre o romance de Dom Casmurro, responda:
a) Como era a relação de Bento com a mãe?
Bento era filho único, órfão de pai e educado pela mãe sob o enfoque da palavra da honra, da promessa que se cumpre. Com sua mãe aprende a tomar decisões e não voltar atrás.
b) De que modo essa relação pode ter contribuído para a formação da sua personalidade?
Bento se torna opinioso e por ter uma imaginação muito fértil isso pode tê-lo afetado.
06. De acordo com o capítulo 15, “Outra voz repentina”, podem-se perceber algumas características da personalidade de Bento e Capitu quando crianças.
a) Como Bento pode ser caracterizado pela maneira como reage à situação narrada no capítulo?
Bobo, lento, sem perspicácia.
b) E Capitu?
Dissimulada, esperta e com perspicácia.
c) Pode-se afirmar que a personalidade dos dois personagens mantém-se a mesma na vida adulta? Justifique.
De certa forma sim, sendo esse comportamento utilizado por Bento para justificar o adultério.
07. O capítulo 105 intitula-se “Os braços”.
a) De quem são os braços descritos?
De Capitu.
b) O que esse capítulo revela sobre a personalidade de Bento?
Ser possuidor de um ciúme possessivo.
08. Leia a passagem do capítulo 135:
“Jantei fora. De noite fui ao teatro. Representava-se justamente Otelo, que eu não vira nem lera nunca; sabia apenas o assunto, e estimei a coincidência.”
a) A que coincidência o narrador se refere?
Ao tema do ciúme e traição presente na obra.
b) Que tipo de relação se estabelece entre o romance de Machado de Assis e a peça Otelo, de William Shakespeare, nesse capítulo?
Uma analogia, pois o ciúme doentio de Bento equiparava-se com o de Otelo e assim como este, tentou buscar solução na morte.
09. Sobre o romance de Dom Casmurro, responda:
a) Qual a reação de Bento diante da morte de seu melhor amigo?
Fica abalado pela perda do amigo, mas ao mesmo tempo percebe, por ocasião do sepultamento, o quanto Capitu estimava o defunto.
b) Que consequência essa reação tem para o seu futuro?
A partir daí, fica obcecado com a ideia, reparando em cada vez mais semelhanças entre Ezequiel e Escobar.
10. Quantos à traição de Capitu:
a) Cite dois argumentos que comprovem a traição.
• Capitu se mostrou dissimulada em várias situações, como quando inventou uma mentira aos pais para encobrir que tinha beijado Bentinho.
• Ezequiel era parecido com Escobar – fisicamente, segundo Bentinho, e até na personalidade, de acordo com outros personagens.
b) Cite dois argumentos que podem indicar a sua inocência.
• A semelhança de Ezequiel e Escobar pouco importa: o pai de Sancha, por exemplo, diz que sua esposa e Capitu tinham os mesmos olhos e personalidade.
• Bentinho é o narrador da história. Portanto, tudo é analisado segundo sua própria perspectiva, que pode ser deturpada.
c) De que maneira a profissão de Bento Santiago pode interferir na narrativa?
Ele era advogado e dominava os recursos da persuasão que muito empregou para justificar sua interpretação.
* Lyndon Johnson B. de Souza.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Emanuel 01/07/2019

Pra mim, Capitu não traiu bentinho!
comentários(0)comente



883 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |