Se Você Me Visse Agora

Se Você Me Visse Agora Cecelia Ahern




Resenhas - Se você me visse agora


25 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Carla 18/09/2011

Gostaria muito de um Ivan na minha vida...
Belíssima história, emocionante e uma pequena lição de vida, Cecelia Ahern mais uma vez consegue me surpreender com uma história real com uma pitada de imaginário que, no final do livro, podemos nos perguntar: será que os amigos invisíveis existem?
Acho que todo mundo gostaria de, em algum determinado monento de sua vida, ter um amigo invisível para nos aconselhar ou simplesmente colocar um sorriso em nosso lábio. Porque amigos não servem para chegarem e puf! resolver nossos probelmas, na verdade, eles estão lá para ficarem do nosso lado e nos ajudar a superar esta fase ruim, sejam eles reais ou invisíveis.
Recomendadíssimo!!!!!!

“Quando você deixa um copo ou um prato cair no chão, provoca um ruído alto de coisa quebrando. Quando uma janela se estilhaça, um pé de mesa se quebra ou um quadro cai da parede, tudo isso faz barulho. Mas quando se trata do coração, quando ele se parte, é completamente silencioso. Seria de se pensar que, sendo ele tão importante, provocaria o ruído mais alto do mundo, ou mesmo alguma espécie de som cerimonial, com o soar de um címbalo ou o badalar de um sino. Mas o coração é silencioso e você quase deseja que haja algum som que o distraia da dor.” p 239.
Douglas 18/09/2011minha estante
Eu quero ler!!


Mari | Triplo Books 12/01/2013minha estante
Carla, o video que fiz dessa vez é sobre ele ^^
Claro que não entrei nas questões mais profudas do livro pra nao fazer spoiller.
http://www.youtube.com/watch?v=FGug4hDRLkg




Thaís Averaldo 04/03/2012

Um livro falando de amigos imaginários? Sim um livro sobre amigos imaginários com uma sutileza que emociona do começo ao fim.

Elizabeth Egan tem trinta e quatro anos e passa por poucas e boas, teve que criar a irmã 12 anos mais nova quando a mãe foi embora de casa e cria o sobrinho de seis anos que a irmã teve quando adolescente. Se tudo não bastasse a irmã só da dor de cabeça e seu relacionamento com o pai é péssimo.

Elizabeth não acredita em contos de fada, não consegue se sentir ligada ao sobrinho e agora ainda por cima o garoto aparece com um amigo imaginário. E é com Ivan, o amigo imaginário de Luke que as coisas começam a mudar para ela.

Nunca li um livro que gostei e fiquei com pena de ver seu fim, não queria conhecer o fim porque imaginei um fim bem como foi mesmo, chorei lagrimas de felicidade, agonia e tristeza. Com Elizabeth, por Luke por não despertar amor na mãe e ser criado por uma tia que é tão traumatizada que não consegue demonstrar amor por ele.

Chegamos ao fim com uma singela lição para Elizabeth e serve para todos nós! Apaixonei-me pela escrita de Cecelia Ahern quando li “Ps: Eu te Amo” e tinha certeza que não me arrependeria de comprar “Se Você Me Visse Agora”. Cecelia tem uma escrita tão delicada e comovente, faz com que acreditemos em amigos imaginários e em Zaf Ed Atnoc (tente ler de trás para frente!). Essa é uma das autoras que, sem dúvidas, está na minha seleta lista de “Autores Preferidos”!
comentários(0)comente



Alessandra 02/02/2015

Simplesmente mágico
Bem,não sou uma fã fervorosa de Cecelia Ahern. Portanto,fui bastante resistente à essa leitura.
O que me fez iniciar foi uma passagem lida aqui no skoob,enfim...estou completamente apaixonada e de coração partido. Ivan é puro e quebra toda aquela rigidez de Elizabeth,é doce... Quem não ia querer um Ivan? Não sou de escrever resenhas ,mas esse eu precisei! Abaixo,um dos trechos mais bonitos:
"...A vida é feita de encontros e despedidas. Pessoas entram na nossa vida todos os dias, a gente dá bom dia ,dá boa noite,algumas permanecem por alguns minutos,algumas permanecem por alguns meses, algumas por um ano e outras por toda a vida. Não importa quem seja,a gente conhece e então,se despede..."
comentários(0)comente



Me, My Shelf An 09/02/2012

Resenhas do Me, My Shelf And My Books
Visite o blog: http://memyshelfandmybooks.blogspot.com/

Minha maratona de leitura do ano começou com este livro que, confesso, me chamou a atenção por dois motivos: o primeiro foi a capa que simplesmente achei curiosíssima! Um cara de pernas pro ar no meio do mato é no mínimo algo pra se olhar duas vezes... Agora, imaginem o meu queixo caído quando li a sinopse e descobri que um dos protagonistas é um amigo imaginário!!! Nem preciso dizer que saí da livraria abraçada com o livro...


Quem me conhece sabe que amo tudo que tem a ver com sobrenatural e embora Cecelia Ahern não pertença ao clube desse gênero, gosto da maneira como ela sempre insere um tipo de conexão “fora do comum” no meio de suas estórias.


O livro retrata a vida monótona, metódica, rotineira e sem graça de Elizabeth Egan, uma designer de interiores que despreza cores fortes, projetos criativos e lúdicos, objetos de decoração divertidos... enfim, tudo que foge ao preto, branco, marrom e bege! Na verdade, Elizabeth odeia tudo o que remeta a sonhos, fantasias e faz de conta. O motivo? Bem, digamos que a soma de mãe criativamente irresponsável + pai omisso que finge que está tudo bem + irmã aventureira inconseqüente não resultou em um “felizes para sempre”. Forçada a amadurecer cedo demais e assumir responsabilidades que iam além da capacidade de uma menina, Elizabeth cresceu focada na missão de ser a “normal” da família. A responsável por tudo e todos. A cidadã exemplar. A profissional de sucesso. A exigente, sóbria, chata e incapaz de demonstrar afeto sem achar que é falta de ética...


Até aí, você pode estar pensando “que personagem antipática! Por que eu leria isso?”. Ok, eu explico: Elizabeth abriu mão de muitas oportunidades na vida, inclusive do amor, pra dar um jeito de consertar as burradas da irmã Saoirse. Até mesmo assumir a criação de Luke, seu sobrinho de cinco anos de idade, que Saoirse mal se deu ao trabalho de colocar no mundo. E é Luke, um garotinho esperto e solitário, que atrai Ivan para a vida dos dois. Ivan, o amigo que super não entende por que todo mundo se refere a ele como “imaginário”ou “invisível”, é um personagem cativante. Bem humorado, compreensivo, capaz de te fazer esquecer os problemas e ser feliz. Pura e simplesmente feliz. E o melhor de tudo? Ele aparece sempre quando você mais precisa!


O trabalho de Ivan (sim, por que ser amigo imaginário é um trabalho) a princípio era o pequeno Luke. Mas logo, a cética Elizabeth, consegue perceber sua presença e o confunde com um homem real. E é aí que começa uma trama deliciosa, repleta de imaginação, confusão, romance, drama e lições que nos fazem parar e refletir sobre nós mesmos. O quanto as vezes deixamos passar coisas simples e boas da vida, o quanto esquecemos que simplesmente sorrir e respirar já é meio caminho andado pra resolver tudo...


Na minha opinião o texto da autora flui de maneira fascinante: hora no presente, hora no passado; no ponto de vista de um personagem, depois de outro; o mundo de Elizabeth e o mundo de Ivan. Tudo separado e junto ao mesmo tempo. E Ivan, bem, ele me fez ver os “amigos imaginários” com outros olhos... sim, por que antes desse livro se alguém falasse com um amigo invisível, pra mim, das duas uma: esquizofrenia ou mediunidade... kkkkkkkk
Então, obrigada Cecelia Ahern por me apresentar um outro quadro.
Posso falar? É de rir, de chorar, de torcer. Vale a pena dar uma chance!

Paula Veloso
comentários(0)comente



Bruna Carolina 14/02/2012

Depois de tantas decepções que a vida lhe impôs, Elizabeth Egan decide não sonhar nunca mais para que assim não se iluda e se machuque. Só que as coisas começam a mudar depois que Elizabeth conhece Ivan, um cara super legal, que está com ela sempre que ela precisa.
Só que o que ela não consegue entender é que não é todo mundo que vê Ivan, porque ele é o que os humanos chamam de “amigo imaginário”.
Com o passar dos dias os dois acabam se apaixonando, só que diante de tal realidade eles jamais poderiam ficar juntos, pois assim que Elizabeth não precisasse mais de Ivan, ela deixaria de velo e ele teria de seguir sua jornada de amigo, ajudando a todos que dele precisassem.
comentários(0)comente



FabyTedrus 21/06/2013

Se você me visse agora - Cecelia Ahern
É muito complicado falar do livro quando se gosta dele, quando se adora e ainda está com um sorriso bobo no rosto e lágrimas nos olhos aí complica mais ainda!
O livro é demais de fofo, é um daqueles livros que faz você voltar a acreditar em magia, em contos de fadas, em amigos insisíveis e acima de tudo, querer ter um.
Eu ri muito, eu adorei cada idéia, super criativa, da autora, me emocionei, chorei! E qdo tudo isso acontece é que o livro é muito bom!
Só tenho elogios e recomendo demais! Leiam e matem a saudade daquele lado criança que continua dentro da gente!
comentários(0)comente



Natalia 02/01/2013

Cecelia Ahern com certeza é uma das minhas escritoras favoritas. Ela sabe como envolver seus leitores em suas histórias e fantasias e isso ficou provado, mais uma vez, em Se Você Me Visse Agora. Nesse livro, nossa protagonista Elizabeth é uma mulher madura, organizada, solitária e por vezes amargurada. Se sente infeliz por não conseguir demostrar o amor que sente por Luke (seu sobrinho de 06 anos a quem ela adotou, após sua irmã Saoirse, não querer cuidar dele); por ter um
relacionamento conturbado com seu pais e por não conseguir manter um relacionamento amoroso, devido a sua preocupação em tentar ajudar sua irmã.

Sua vida era vazia e sem alegria, até que ela conhece Ivan, um amigo de Luke. Ele é um homem bonito, engraçado, bom ouvinte e alto astral. Só que apenas Luke o vê. Então Elizabeth acredita que Ivan é apenas um amigo imaginário de Luke... só que um dia, Elizabeth conhece Ivan e ela percebe que nem tudo é o que parece. Ivan e o seu jeito, ora moleque, ora homem, foi conquistando espaço no coração de Elizabeth, começando a ajuda-lá a se soltar, a se desprender do passado e das coisas que não a deixam ser feliz. Nessa busca de redescobrimentos e superações, eles desenvolvem uma amizade muito bonita e Elizabeth
se vê apaixonada por aquele homem misterioso, que conseguiu arrancar seus segredos mais secretos.

Através desse amor, Elizabeth passa a ver a vida de uma outra forma. Podemos dizer que ela começa a ver a vida mais colorida e se ver como uma pessoa passível de erros e que também merece ser amada. Seus amigos percebem a mudança em Elizabeth, mas não imaginam o que causa tudo isso. Elizabeth passa a sorrir mais e a demostrar o que sente por Luke, como uma verdadeira mãe deveria fazer. Apesar de tudo ser lindo, quando Elizabeth fala de Ivan para os outros, ela percebe que algo não está certo, pois as pessoas não conseguem enxerga-ló. E quando Elizabeth descobre a verdade sobre Ivan, sente que nem tudo pode ser real... Ou será que pode?

Amigos imaginários, segredos, humor, superações, romance e fantasia. Esse livro tem tudo isso. É um daqueles que você torce pelos mocinhos e sente pena quando acaba.
comentários(0)comente



Tainá 02/02/2012

Como me vejo agora...
Experiência libertadora...

E se tivéssemos em todos os nossos momentos de aflição, angústia, solidão ou dúvida um amigo sempre presente... como se ele pressentisse que sua presença era essencial a nós?

"Se você me visse" agora trata um pouco disso.

Ivan conduz Elizabeth a redescobrir quão amplo é o mundo, quão amplas são nossas escolhas e o quanto incontroláveis são as consequências de nossos atos.

Elizabeth há muito se resigna de viver sua própria vida. Está sempre preocupada com sua família e tentando solucionar os desdobramentos dos atos que esta comete. Sente-se responsável por conduzir a todos e se responsabilizar por eles. E acaba por esquecer há muitos anos que devia ser feliz também.

Ivan surge num desses momentos de preocupação e apresenta a Elizabeth um mundo cheio de opções, que elas jamais sonhara escolher aquela altura de sua vida e de sua carreira. Ivan se torna um amigo tão essencial e perfeito que nem parece real.

O texto os leva a vivenciar a experiência junto com as personagens. A nos questionar junto com eles. Ao menos nos leva a refletir o quanto fechados ao mundo estamos e, desta forma, deixamos de crescer...
comentários(0)comente



Nana 06/08/2011

Não era o que eu esperava!
Como não gosto de livros de fantasia, tipo conto de fadas, para mim foi difícil me envolver com a estória. Não acho que ela seja ruim, apenas não me despertou interesse. Cheguei a ler até a última página e acho que, para quem gosta do estilo, até tem uma lição no final das contas, só é preciso usar a imaginação e entrar no clima da fantasia.
Li outros três livros da Cecelia Ahern e este, na minha opinião, é com certeza o mais fraquinho deles.
comentários(0)comente



Rafaela 24/02/2017

Elizabeth não teve uma vida fácil. Depois do abandono da mãe, precisou criar a irmã mais nova, e agora tem também a responsabilidade de cuidar do sobrinho de 6 anos, Luke. Mas a vida de ambos está prestes a mudar com a chegada de Ivan, um amigo imaginário!

Cecelia Ahern constrói aos poucos um drama singelo e com uma belíssima mensagem através de Ivan, alguém que é apenas imaginário. De início ele é visto apenas por Luke, mas aos poucos Elizabeth também começa a perceber sua presença, acreditando que ele é, na verdade, uma pessoa real.

Com o desenrolar de muitas conversas com Elizabeth, Ivan começa a perceber que sua missão é diferente dessa vez, pois não é uma criança que precisa de sua ajuda, e sim uma mulher com um passado difícil a ser enfrentado.

Elizabeth tem uma personalidade dura em sentimentos, pois teve que lidar com a partida da mãe e a criação da irmã desde muito nova, o que a fez amadurecer muito ao longo dos anos, e ainda faz ela se sentir responsável e culpada pelas constantes atitudes impensadas da irmã. Para ela é difícil criar o sobrinho, pois sabe que a ausência de amor fraternal na sua infância faz com que não consiga passar o mesmo sentimento de conforto e amor à Luke.

Ainda sim, apesar de viver em uma casa cheia de regras e restrições, Luke é um garoto muito doce, calmo e compreensivo com a situação.

E é aí que o papel de mudança de Ivan se encaixa. Ele nos mostra que às vezes, carregamos fardos e decepções muito grandes nas costas, e tudo que precisamos é de alguém em quem possamos confiar e desabafar, deixando sair todo aquele medo e angústia que trazemos conosco. Necessitamos dessa faísca de mudança, que nos faça abrir os olhos, nos arriscarmos para aproveitar os simples mas bons momentos da vida, que irão trazer uma grande felicidade e leveza, mudando completamente quem costumávamos ser.

Sim, a mensagem chega de uma forma maravilhosa e recheada de drama pelo caminho, mas ainda que eu tenha gostado do propósito do livro, a leitura em si não me cativou tanto. Mas acredito que para quem é fã da autora, vai ter seu coração arrebatado por Se Você Me Visse Agora!

site: https://eterna-leitora.blogspot.com.br/2017/02/resenha-se-voce-me-visse-agora-cecelia.html
comentários(0)comente



Maristela Sales 08/05/2013

Lindo!
Esse livro agora é um dos meus favoritos!
comentários(0)comente



CarolSeco Revisora 03/08/2018

Uau!
Comprei esse livro porque estava barato e a sinopse me pareceu legal.
Nada demais, apenas uma história simples e leve.
Já no começo percebi que estava enganada. Era uma história linda sobre amizade, sobre escolhas, sobre as influências do que vivemos no passado em nossa personalidade hoje.
Porém esse livro vai além, muito além. Quem leu O meu pé de laranja lima, e lembra da amizade com o Portuga, certamente entenderá o que eu quis dizer com "muito além".
É uma história perfeita e o livro, meu mais recente favorito, denso, inspirador e nos faz desenvolver um carinho pelos personagens que é como se fôssemos amigos deles também.
Panda 23/08/2019minha estante
Resenha fiel.




spoiler visualizar
comentários(0)comente



Aline Stechitti 23/11/2018

Inverossímil
Esse é o livro do tipo que você lê para passar o tempo, quando não quer nada para pensar e só vai passando os olhos nas palavras.
Achei o drama da família de Elisabeth muito bom, mas a parte do Ivan o "amigo imaginário" não desceu. Ele se apaixonar por ela, ele ter uma chefe e colegas de trabalho no "Faz de conta"... Sei lá... Apesar de gostar de fantasia, pra mim ficou inverossímil. Mesmo dentro de uma fantasia as coisas precisam fazer sentido.
Apesar de o livro ser fofo e de eu adorar as descrições das paisagens e dos lugares, a história começa e termina igual. Não acontece nada. Há cenas muito bonitinhas e tal, mas o livro não tem algo intrigante que te faz querer ler as próximas páginas. Você sabe como vai terminar. Me decepcionei um pouco por esperar algum humor também.
Um livro bem fraco, mas fofo. Dá pra passar o tempo.
comentários(0)comente



cris.leal.12 27/06/2017

Para ler com o coração aberto...
Resumidamente, em "Se Você Me Visse Agora", de Cecelia Ahern, a designer de interiores Elizabeth Egan cai de amores por Ivan, o amigo imaginário de seu sobrinho de seis anos.

Essa é a profissão de Ivan: amigo profissional imaginário. Ele tem chefe, colegas de trabalho, reuniões, relatórios e tudo mais.

A princípio, Ivan achou que seu trabalho seria apenas o de ajudar Luke, o sobrinho que Elizabeth tem a responsabilidade de criar, mas por quem não consegue expressar afeto. Mas, como Elizabeth também começa a vê-lo, Ivan resolve ajudá-la a superar seus problemas pessoais e melhorar sua vida.

O difícil deste livro é você acreditar no romance entre Ivan e Elizabeth. Afinal como amigo imaginário de uma criança, ele também não deveria ser uma criança? Pois é... mas ele não é! E isso fez as coisas ficarem meio confusas (pelo menos para mim).

Além disso, Elizabeth é descrita como uma pessoa incapaz de lidar com suas emoções, metódica, controladora e workaholic. Então, é meio difícil entender como uma pessoa assim se entrega tão cegamente à fantasia.

Apesar dos meus questionamentos, o livro não é ruim. A interação entre eles é bem bonitinha. As observações e reações de Ivan a Elizabeth são bastante divertidas. E, o mais importante, o amor dos dois irá mudar a vida de todos à volta, mesmo que ninguém seja capaz de ver. A dica é ler com o coração aberto, sem preconceitos ou ceticismo.

site: http://www.newsdacris.com.br/2015/07/eu-li-se-voce-me-visse-agora.html
comentários(0)comente



25 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2