A Hora da Estrela

A Hora da Estrela Clarice Lispector




Resenhas - A Hora da Estrela


500 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Lorena 10/04/2019

Gostei ou não gostei?
Acho que é a primeira vez que não sei se gostei ou não de um livro.
O livro é bom, eu entendi a proposta. Mas é também um desafio.
Cansativo.
Vencer as primeiras 20 e poucas páginas, onde o narrador faz um desserviço a sua própria obra é uma batalha pessoal. É tudo muito pessoal do começo ao fim. No final sua alma e mente estão se arrastando para o fim, assim como Macabéa, você se sente atropelado, se abraça e aceita o inevitável. É pessimista. E talvez esse seja o maior problema pra mim. Por mais dificuldades e obstáculos que um livro apresente, eu espero que ele me apresente a luz no fim do túnel. Aqui não há luz.
Primeiro e talvez o último livro que eu venha a ler da Clarisse. Muito drama existencial pro meu gosto. Nada especialmente contra, na verdade, admiro essa mulher que foi brilhante e única na sua particularidade e excentricidade.
comentários(0)comente



Alessandro 03/03/2019

Explosão
Como Perto do Coração Selvagem, esta obra é imensamente recomendável a todos aqueles que buscam entender as sutilezas e sensibilidades da alma humana. Como inigualável beleza estética e profunda filosofia, a autora nos apresenta uma personagem que nos reflete a nossa mesma pequenez.
comentários(0)comente



Lipe 26/02/2019

Clarice Lispector: Dama da Geração de 45
A releitura deste clássico, me fez vê o quanto Clarice Lispector usa de situações corriqueiras para iniciar suas narrativas, para em seguida voltar-se para a interioridade das suas personagens, cumprindo o que ela mesma diz: "eu coso para dentro". Alem de promover discussões de teor político, A Hora da Estrela, promove reflexões acerca da existência humana, migração nordestina, das relações entre o eu e o outro, e das relações familiares, sem deixar de levar a sua protagonista ao tal momento de epifania.
comentários(0)comente



Edilmar 26/02/2019

Uma história pra chamar de sua
Clarice tem um dom de mexer com o âmago de quem a lê. Macabéia é mais um personagem forte, humano, ímpar. Como não se emocionar com um personagem assim?! Se o livro tivesse apenas esse personagem, já valeria o investimento para tê-lo, porém, há outros personagens tão forte como a Macabéia, e de igual importância na trama. Prefiro finalizar este texto por aqui, para não falar além do que se pode falar, sem dar spoiler. Recomendo muitíssimo a litura desta obra genial.
comentários(0)comente



@dropsdeleitura 22/02/2019

Conheci a história da Macabéa na escola, lá pelo fim do ensino fundamental. Não foi a melhor experiência. .

Algumas leituras exigem uma certa maturidade. Não necessariamente fruto de um chronos, mas certamente de um kairós. Clarice exige esse tempo moldado pela vida, pelos afetos.. exige a oferenda de cicatrizes e angústias para possibilitar (nunca garantir!!) acesso aos meandros de suas narrativas. .

Eis que ?A Hora da Estrela? é um livro pequeno. Curtinho. Tem um narrador que é o que cria e sofre a história contada. Criador e criatura se misturam, e dessa confluência temos a tentativa de capturar uma história que respira, que vive, que grita. .

Macabéa personagem-nada, que causa tanto incômodo por insistir em existir. Resiste ao mundo não por birra, nem por força, mas pela pura e simples não consciência de si mesma.
comentários(0)comente



Bruno.Pacelly 08/02/2019

Clarice sendo Clarice
Obra surpreendentemente simples e provocativa. Não há como deixar nossa impressão sem dar spoiler.
comentários(0)comente



Alves 30/01/2019

A hora da estrela
Um livro que conta a história de uma garota, sem beleza, sorte e muito triste, que encontra um fim triste.
comentários(0)comente



Renata 26/01/2019

"A hora da estrela ou eu não posso fazer nada"
Apesar de conhecer muitos livros da Clarice Lispector, nunca tinha lido de verdade algum deles. Então iniciei pelo que talvez seja considerado o livro mais polêmico dela: "A Hora da Estrela", que conta a história de Macabea, uma nordestina que leva uma vida medíocre no Rio de Janeiro.

Confesso que foi uma leitura difícil (apesar do número pequeno de páginas). Isso porque Clarice (ou melhor, Rodrigo S.M) faz muitos rodeios até contar de fato a história da protagonista. Então, precisei reler o livro algumas vezes na tentativa de me focar na história. E então consegui. E quando de fato consegui, fiquei com muita raiva de Macabea, da vida que ela levava, das pessoas ao seu redor que a tratavam como um nada (afinal, ela era mesmo um nada). Ao mesmo tempo, fiquei com vontade de ajudá-la, de explicar-lhe sobre o que ouvia no rádio relógio, de ajudar em sua alimentação e de abrir seus olhos sobre a situação em que vivia. Mas creio que de nada adiantaria.

Enfim, não sei ainda se amo ou odeio esse livro. Recomendo ele para os curiosos, mas não ache que vai ser uma grande história. Como diz o próprio autor: "Que não se esperem, então, estrelas no que se segue: nada cintilará, trata-se de matéria opaca e por sua própria natureza desprezível por todos."
comentários(0)comente



Ian V. 19/01/2019

Espero lê-lo novamente
O livro tem muito mais a oferecer do que pude extrair. Em uma outra oportunidade, pretendo ler esse mesmo livro, mas com uma mente mais aberta à grande Clarice e ao seu modo de escrever.
comentários(0)comente



mateus.morais.rod 18/01/2019

Talvez este não seja o melhor livro para se começar a ler Clarrice Lispector. Já deixo avisado a quem nunca a leu: Leia outras coisas da autora primeiro... Ou não.
A verdade é que A Hora da Estrela é diferente de tudo que Clarice havia escrito até então. Publicado pouco antes de sua morte em 1977 o livro conta a história de uma nordestina narrada por um escritor homem; Nada tem a ver com a realidade da escritora que até então possuía uma escrita bastante intimista.
Mas você só percebe isso se ler outros livros dela primeiro.
Esse é o tipo de história que quase nada acontece. Diz ser simples e sem técnica, mas é fruto de grande experiência literária.
comentários(0)comente



Bruna 17/01/2019

“ Já que sou, o jeito é ser”

Uma escrita visceral, tenho que colocar para fora, eu tenho que externar, e, assim Clarisse escreve. A história de Macabéa é escrita pelo narrador Rodrigo, que usa a personagem Macabéa como retrato do Brasil nordestino.

Macabéa , uma migrante nordestina, que foi morar no RJ , com sua simplicidade e insignificância, portadora de uma inocência desprezada, assim era a vida transparente dessa datilógrafa. Criada pela tia beata, que incutia princípios religiosos, intercalados com cascudos e agressões, fez com que Macabéa tivesse seus desejos sexuais reprimidos.
Macabeá conhece Olímpio, começa um namoro, Olímpio a despreza, faz críticas com sua aparência e inabilidade com as palavras, ele a acha boba, e logo a troca por Glória, sua colega.

Macabéa parece não se importar com nada, ela sorri diante uma frustração, e assim termina sua vida, massacrada pelo destino predito, por uma cartomante.
Clarisse é genial, a ideia do livro veio quando ela estava saindo de uma cartomante e ao entrar no taxi, imaginou as coisas boas que poderia acontecer, e também na loucura que seria se ela ao atravessar a rua fosse atropelada pelo taxi e morta.

As palavras que usou na dedicatória do livro “ dedico esta coisa aí “ prova sua originalidade incomparável, uma singularidade única.

“ Quem já não se perguntou: sou um monstro ou isto é ser uma pessoa? “
comentários(0)comente



Biblioteca Álvaro Guerra 15/01/2019

A Hora da Estrela é um romance literário da escritora brasileira Clarice Lispector. O romance narra a história da datilógrafa alagoana, Macabéa, que migra para o Rio de Janeiro, tendo sua rotina narrada por um escritor fictício chamado Rodrigo S.M. É talvez o seu romance mais famoso, por trazer uma narrativa diferenciada da que costuma apresentar em suas obras, muitas vezes considerada hermética e intimista ao extremo. A Hora da Estrela ainda traz consigo as questões filosóficas e existenciais que dão o tom característico da autora no romance. Foi adaptada para o cinema com o mesmo título por Suzana Amaral em 1985.

Livro disponível para empréstimo nas Bibliotecas Municipais de São Paulo. De graça!

site: http://bibliotecacircula.prefeitura.sp.gov.br/pesquisa/isbn/9788532530660
comentários(0)comente



Monique 09/01/2019

Primeira experiência de Clarice Lispector é como poesia para os ouvidos. A criação de uma narrador que cria uma personagem, o poder que tem sobre a vida dela é real ou é apenas um espectador do que escreve? Onipresente ou não, parece que macabea tem vida própria e ainda está tentando se achar no mundo, o qual não abraça sua inocência.
comentários(0)comente



Irineu.Dias 04/01/2019

O que é uma estrela?
Sem levar para o sentido cientifico, poderia dizer que seria alguém muito famoso. Mas não neste livro, onde a estrela principal, ou seja, a personagem tema se passa por um simples inseto no qual ninguém dá valor. Ao longo da história em vez de acontecer uma evolução da personagem o que se percebe é o vínculo dela com o nosso mundo real onde pessoas só são considerados pessoas pelo seu dinheiro ou pela sua beleza. Sendo assim, a personagem passa ser nada mais do que uma figura real uma pessoa real.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Tati Diorio 15/01/2019minha estante
Cruel mesmo. E não entendi o título.


Liana 16/01/2019minha estante
Tati, acredito que seja uma alusão à morte, em alguns trechos diz que pra pessoas como Macabéa o estrelato é na morte, a hora em que é vista, notada, notícia... Acho que é isso...


Tati Diorio 30/01/2019minha estante
Verdade, Liana. Obrigada pelo esclarecimento. Eu não lembrava dessa passagem do texto. :)


Liana 30/01/2019minha estante
Nossas interpretações vão se completando na troca! :)




500 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |