Minha Vida com Boris

Minha Vida com Boris Thays Martinez




Resenhas - Minha Vida com Boris


21 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Lais 31/07/2020

Linda história!
Eu não tenho palavras para descrever o quão linda e emocionante é o relato da Thays que, com muita sensibilidade e clareza, narra sua trajetória de vida, desde o momento em que perde a visão, até a chegada e a partida de Boris. História repleta de superação e vitórias. São verdadeiros heróis na luta a favor dos direitos de pessoas com deficiência.

Me emocionei muito, por dois motivos: Primeiro, tenho uma limitação visual importante, oque fez com que eu me identificasse com a autora em diversas situações e segundo, porque também tenho uma labrador igualzinha ao Boris. É um amor indescritível! Bem que poderiam ser eternos....
comentários(0)comente



jaque Pereira 02/07/2020

Como já disse antes: Primeiramente porque eu escolhi este livro, esse tipo de leitura:
1- E uma historia real
2- Fala de cachorros
3 – Não têm como não se apaixonar pelo Boris
A historia e bem calminha, e um livro de memoria da Thays, ela conta de quando ficou cega, de como tomou a difícil decisão de ter um cão guia, e principalmente, os desafios que teve que enfrentar para ter acessibilidades com o Boris em lugares públicos, como o metro. Ao mesmo tempo em que e uma historia calma, e uma delicia de ler, pelo menos, eu gosto de ler uma historia de superação, amor e carinho, ainda mais por animais.
O Boris e encantador, um pastor alemão incrível, da ate vontade de ter um só pra você, a Thays enfrenta muitos obstáculos, não por ser cega, mas pela ignorância das pessoas mesmo, o bom e que ela tira de letra tudo isso. Ela conta com a ajuda dos pais, do Zé (seu namorado), de vários amigos que adoram o Boris, e do Moises, o treinador de cães guias.
Acho que aparte mais emocionante da historia e o final, quando o Boris já esta velhinho, a despedida, eu ate chorei, mas agora Thays tem um novo companheiro, o Diesel, que não e amarelo, mas também e um ótimo cão guia
Porque eu indicaria esse livro, porque e uma historia real, fala de superação, e claro, cachorro kkk. Além disso, eu tenho um problema de visão, na verdade, um problema na córnea, não sou cega, apenas não enxergo coisas pequenas, e longe, pra ler livros, eu tenho que ficar bem pertinho das folhas, e tenho o auxilia de uma “lupa”, pois óculos não resolve meu problema, que só pode ser solucionado com um transplante de córnea. Mas tenho uma vida completamente normal, vou e venho sem problemas, então, lendo esse livro, vi o quanto a inclusão e importante, e o quanto isso deve ser respeitado, e claro, todo o auxilio possível e sempre bem vindo, um cão guia e uma extensão do corpo da pessoa, são os olhos dela.
Uma frase muito bonita do livro, e essa:
“Boris era como meu sol, minha luz, em vários sentidos. Primeiro porque me fazia enxergar o mundo de outra forma, pelos olhos de um cão, que tem um olhar mais simples e claro sobre as pessoas, os lugares e as situações. Também porque ele iluminava minha vida, trazendo muita energia e felicidade. Por fim, o sentido mais óbvio: ele funcionava como uma luz que me permitia andar sem medo de tropeçar ou bater em alguma coisa. Com muita generosidade, ele me emprestava seus olhos, sua visão.”
comentários(0)comente



Mainnã 12/06/2020

Emocionante
Eu não consegui não me emocionar ao longo desse livro. Toda batalha enfrentada pela Thays e sua amizade com Boris são inspiradoras
Bluemayhem 12/06/2020minha estante
Me dá um spoiler, o cachorro morre? Pq se morrer nem vou ler kkkk


Mainnã 12/06/2020minha estante
Morre sim e foi uma das partes em que me acabei de chorar pq lembrei da minha que se foi kkkkkkk


Bluemayhem 12/06/2020minha estante
Meu coração não aguenta não.




Milenna.Stefanin 04/03/2019

Um amor que vai alem
Assim como algumas outras histórias sobre a relação entre humano e animal, (seja ele qual for) a história da Thays e Boris mexe com nossos corações e sentimentos. É tão prazeroso ver quanto o amor foi recíproco, de como um precisava do outro independente de suas necessidades . É inspirador e nos faz perceber que apesar das dificuldades e obstáculos nós sempre podemos fazer nosso melhor. Fiquei de coração partido com o fim de Boris e como deve ter sido difícil pra Thays tomar a decisão que tomou ,mas pude compreender assim como a Thays que às vezes na vida nos precisamos tomar decisões que mesmo que não pareçam boas são as melhores e as mais sensatas. É uma história linda.
comentários(0)comente



Daniela Colaci 11/03/2018

Maravilhoso, envolvente e super emocionante
Preciso começar essa resenha dizendo que por vezes ler biografias é algo muito enriquecedor! Eu não fazia ideia da história de vida da Thays e por pura sorte esse livro caiu nas minhas mãos! Como uma grande fã de cachorros, fiquei particularmente feliz em conhecer a história do Bóris e como seu trabalho como cão-guia mudou a vida da advogada Thays Martinez.

Thays nasceu com a visão perfeita, mas devido a uma questão de saúde, acabou ficando cega aos 4 anos de idade. Na idade adulta, teve a oportunidade de ter um cão-guia, que a ajudaria a ter uma vida mais independente, coisa que sempre foi um grande desejo. Thays era moradora da cidade de São Paulo e usava o metrô para se locomover. Até que em maio de 2000, foi barrada de entrar nas dependências do metrô com Bóris, porque animais não eram permitidos por ali.

Sentindo-se profundamente desrespeitada do seu direito de ir e vir, Thays foi à luta para garantir os direitos de acessibilidade e de autonomia das pessoas com deficiência visual. É bastante chocante saber que foi necessário uma batalha judicial para garantir o óbvio, mas é incrível acompanhar toda a luta da advogada por uma questão tão importante!

Thays é uma excelente contadora de histórias! Sua escrita fluida aproxima o leitor de sua trajetória e é impossível não se envolver com sua luta e torcer muito pelas suas conquistas. Fiquei muito encantada com o Bóris e bastante impressionada com sua inteligência! Sem falar da amizade entre eles, que é a coisa mais linda de se ver!

Nos anos 2000, Thays e Bóris foram a vários programas de TV para contar a história deles e talvez você os conheça dessa época! Mas caso não tenha tido a oportunidade, aproveite para conhecer essa incrível história por meio desse livro! Eu garanto que valerá muito a pena!



site: www.instagram.com/resenhasdealgodao
comentários(0)comente



Suemi 03/02/2018

Minha Vida com Boris - Alegria de Leitora
Em uma narrativa autobiográfica, Thays revela a súbita perda de visão oriunda da caxumba, ainda na infância. Porém, na década de 1970 os recursos eram escassos. A demora de sete anos em descobrir a origem da deficiência revelou-se mínima em comparação à dificuldade de encontrar uma escola que se adaptasse às suas necessidades especiais de aprendizagem, por exemplo.

Por ter consciência de suas limitações, o sonho da autora sempre foi encontrar um modo que lhe permitisse viver com independência; vontade que despertou com ainda mais intensidade na adolescência, ao constatar dia após dia a incômoda dependência de terceiros para realizar as tarefas cotidianas. Ela narra como foi frustrante a tentativa de aprender a andar com a bengala e o quanto essa tarefa ressaltou as suas restrições.

Mas Thays não é o tipo de mulher que desiste fácil. Ela entrou na faculdade de Direito, foi aprovada no concurso para escrevente do extinto Tribunal de Alçada Civil e ainda nessa época, tomou uma decisão importante: era hora de ter o seu cão-guia.

A saga começou em 1997. O primeiro foi Otelo, um labrador preto. Ocorre que a Polícia Militar, responsável pelo treinamento do cachorro, ainda não dispunha do conhecimento necessário para arcar com tamanha responsabilidade, apesar do engajamento dos policiais. E por outras razões, Thays precisou desfazer o seu vínculo com Otelo e, mesmo com o coração partido, entregou-o a uma colega de trabalho, que dispunha de boas condições para criá-lo.

O desejo de ter um cão-guia não se apagou no coração de Thays. Ao encontrar a Leader Dogs for The Blind, em 1999, e ser aprovada na demorada seleção de candidatos com a ajuda do instrutor brasileiro Moisés Vieira, Thays teve a oportunidade de vivenciar um treinamento profissional entre deficientes e seus cães-guias. Foi durante esse processo, em 2000, que ela conheceu o seu primeiro cão-guia (de fato), ora protagonista de sua obra: Boris.

Quanto a esta parte da história, vou me limitar a dizer que só quem lê-la será capaz de compreender, ou mais do que isso, sentir o vínculo entre ambos. Boris não apenas se tornou o seu cão-guia, mas também o seu melhor amigo. Aquele que compreendia as suas necessidades e se preocupava em atendê-las indo muito além do que um cão "comum" conseguiria fazer.

Foi Boris quem esteve presente na luta aparentemente infindável entre Thays e a justiça brasileira. Cão-guia no metrô? Nem pensar. Cão-guia no metrô com autorização judicial? Também não. Cão-guia no shopping? Aonde já se viu? Cão-guia autorizado a transitar pelas dependências públicas? Aquele mesmo cão-guia que saiu na mídia e se tornou o xodó dos repórteres? Não, nem pensar.

Thays traça um paralelo ultrajante e vergonhoso entre as conquistas pelos seus direitos, que contribuíram para que muitas portas fossem abertas aos deficientes e à ignorância humana. Aquelas mesmas pessoas que deveriam comemorar suas vitórias e respeitar os avanços feitos por decisões judiciais e edições legislativas revelaram-se obstáculos muito maiores do que os que Boris fora treinado para evitar.

Concomitantemente, ela encaixa os seus progressos pessoais na histórias. A vaga conquistada no Banco Real, a realização de ir morar sozinha (leia-se: com Boris), a conclusão do curso de MBA, a sua dedicação à Fundação Iris, entre outros.

A última fase, particularmente, acompanha o ponto mais tocante do livro: a aposentadoria de Boris, no ano de 2008, seguida por uma nova viagem aos Estados Unidos, também em companhia da Leader Dogs for The Blind. A viagem que lhe trouxe Diesel, seu mais novo cão-guia.

A aposentadoria de Boris e a chegada de Diesel colocaram os sentimentos da autora em constante conflito. De comportamentos e naturezas completamente opostas, Thays se flagrava pensando que Boris jamais poderia ser substituído. E ela estava certa.

Só posso dizer que tanto a obra quanto a autora ganharam o meu coração, minha admiração e algumas lágrimas também.

site: https://alegriadeleitora.wixsite.com/alegriadeleitora
comentários(0)comente



Amanda Jordão 02/01/2018

Emocionante!!!
comentários(0)comente



Julhiane 12/12/2017

Encantador
Esse livro narra a história de Thays Martinez, jovem de 26 anos, advogada que perdeu a visão como sequela de uma caxumba adquirida na infância.
Thays, nos mostra as dificuldades enfrentadas por ela a começar em um direito civil básico, o de ir e vir. Após muita luta, o direito é assegurado e Bóris, seu amado cão guia, a direciona em suas atividades diarias.
Infelizmente, nada é para sempre.. e, um dia Bóris precisa partir.
Linda lição de vida, que nos mostra nossa ingratidão e, as vezes o fato de não termos coragem de lutar pelos nossos direitos. O amor e lealdade do amigo de 4 patas, nos emociona o tempo.
Esse é um livro simples, com várias lições. Todos deveriam ler..
comentários(0)comente



Blog Elvis Gatão (Ana Mercury) 21/07/2017

Minha Vida com Boris é um relato emocionante e encantador da advogada brasileira Thays Martinez. Thays, que ficou cega na infância devido a infecções da caxumba que teve, é, sem dúvida, uma mulher extremamente forte e corajosa, que apesar de ter perdido a visão, não deixou de lutar nem sonhar, conquistando a profissão de seus sonhos, como também, lutando por uma vida mais justa e ampla para todos os deficientes visuais do Brasil.

Thays relata sua vida com Boris, um cão-guia que mudou sua vida. Sendo seu amigo, seus olhos, seu companheiro de todas as horas, além de ajuda-la a mudar o Brasil.

Quando Thays estava com 26 anos, foi para os EUA receber o Boris, pois aqui no BR ainda não tinha treinamento de cães guias. Ao retornar ao BR, Thays recebeu muitas recusas em lugares públicos, como o metrô, para continuar a ser acompanhada por um cão. Mesmo ele sendo guia, mesmo ela tendo autorizações legalizadas, ainda assim, houve diversas recusas e infortúnios. E, juntos, Thays e Boris conseguiram autorizações e até criações de leis de inclusão social.

Um livro curto e rápido de ler, com uma história de amor, luta, perseverança e veracidade impressionantes!

Me apaixonei pelo Boris, um labrador engraçadíssimo!
A Thays explica também como é importante o cão-guia ser treinado, já que, um cão normal (como os de estimação que ela teve na infância), não estão prontos ainda para auxiliar pessoas com deficiência visual, e nem para compreender os comandos de seu dono.

Me encantei também com a força de vontade e garra da Thays. Que apesar dos problemas, não se limitou, não aceitou nada menos do que sonhava e junto com Boris, seus amigos e familiares, conseguiu superar barreiras e realizar-se grandemente. Adorei ela, uma pessoa excepcional!

Livro maravilhoso! Todo mundo tem que ler! Incrível!

site: http://elvisgatao.blogspot.com.br/2017/07/resenha-minha-vida-com-boris-thays.html
comentários(0)comente



Ana Ira! 18/07/2017

Maravilhoso!
Minha Vida com Boris é um relato emocionante e encantador da advogada brasileira Thays Martinez. Thays, que ficou cega na infância devido a infecções da caxumba que teve, é, sem dúvida, uma mulher extremamente forte e corajosa, que apesar de ter perdido a visão, não deixou de lutar nem sonhar, conquistando a profissão de seus sonhos, como também, lutando por uma vida mais justa e ampla para todos os deficientes visuais do Brasil.

Thays relata sua vida com Boris, um cão-guia que mudou sua vida. Sendo seu amigo, seus olhos, seu companheiro de todas as horas, além de ajuda-la a mudar o Brasil.

Quando Thays estava com 26 anos, foi para os EUA receber o Boris, pois aqui no BR ainda não tinha treinamento de cães guias. Ao retornar ao BR, Thays recebeu muitas recusas em lugares públicos, como o metrô, para continuar a ser acompanhada por um cão. Mesmo ele sendo guia, mesmo ela tendo autorizações legalizadas, ainda assim, houve diversas recusas e infortúnios. E, juntos, Thays e Boris conseguiram autorizações e até criações de leis de inclusão social.

Um livro curto e rápido de ler, com uma história de amor, luta, perseverança e veracidade impressionantes!

Me apaixonei pelo Boris, um labrador engraçadíssimo!
A Thays explica também como é importante o cão-guia ser treinado, já que, um cão normal (como os de estimação que ela teve na infância), não estão prontos ainda para auxiliar pessoas com deficiência visual, e nem para compreender os comandos de seu dono.

Me encantei também com a força de vontade e garra da Thays. Que apesar dos problemas, não se limitou, não aceitou nada menos do que sonhava e junto com Boris, seus amigos e familiares, conseguiu superar barreiras e realizar-se grandemente. Adorei ela, uma pessoa excepcional!

Livro maravilhoso! Todo mundo tem que ler! Incrível!

site: http://elvisgatao.blogspot.com.br/2017/07/resenha-minha-vida-com-boris-thays.html
comentários(0)comente



Alyssa 01/09/2016

Recomendo a leitura a TODOS, seja você amante de cachorros ou não.
Thays é autora do livro "Minha Vida Com Boris" o qual eu recomendo a leitura a TODOS, seja você amante de cachorros ou não. Na verdade é uma leitura onde basta amar a vida. No livro, Thays conta sua admirável trajetória de superação dia após dia após perder a visão aos 4 anos de idade e conta todos os detalhes dos inesquecíveis momentos que teve ao lado de seu primeiro e incrível cão guia Boris.
Foi um livro que eu devorei, que me tocou muito, que me fez chorar, que me ensinou e abriu meus olhos sobre o termo "ir a luta", não desanimar e ir sempre na direção de vencer os obstáculos, sejam grandes ou pequenos, que aparecem dia após dia. Sempre da para achar força e ir em frente, lutando pelo que acreditamos.
Thays Martinez, obrigada por ter assinado meu livro e por essa belíssima foto ao lado de vocês. Eu gostaria de te encontrar novamente, na vida afora só para poder te dar um abraço e te agradecer por essa leitura. Você é uma mulher incrível, admirável e muito forte. Parabéns e obrigada por essa obra maravilhosa, por nos inspirar e por dividir com a gente todos esses seus momentos e lutas. Parabéns também pelos maravilhosos companheiros que você tem ao seu lado, me apaixonei pelo Boris e pelo Diesel
comentários(0)comente



Cris 30/12/2015

Adorei o livro que me fez ver como é a vida de uma pessoa sem visão e o quão importante é um cachorro guia para essas pessoas.
O livro nos mostra a luta da autora para ter direito a algo que em países decentes, já exite há muito tempo. Também me fez perceber ações do dia a dia que nunca havia passado pela minha cabeça.
Um livro que todos deveriam ler.
comentários(0)comente



suellem 30/11/2015

MAravilhoso
Thays é uma menina de apenas 4 anos quando fica cega. Mesmo querendo ter um cachorro isso nunca foi possível ainda mais depois do ocorrida. Até que ela ouve falar do cão guia, que não só a ajudaria como realizaria o seu sonho. Ela vai atrás para ter o seu cachorro, e então Boris aparece em sua vida. Mesmo com as inúmeras dificuldades que surgem eles conseguem se manter firmes e driblar os obstáculos.

Um livro muito bonito que nos faz ver as reais dificuldades dos deficientes visuais no Brasil. Absurdos que a falta de conhecimento proporcionam. O livro tem momentos lindos dos dois e momentos tristes também. Um livro incrível, tanto na escrita como na história.
comentários(0)comente



Ana Paula 18/02/2015

Olha essa capa!
Sou apaixonada por labradores. Esses seres especiais me encantam como nenhum outro é capaz de fazer. Só de olhar essa capa linda, claro que eu fiquei com vontade de ler. E para completar, o livro narra a história do Boris, um cão-guia! Sou admiradora do trabalho desses cães, que transformam a vida de pessoas com deficiência visual, facilitando as tarefas cotidianas e promovendo a independência pessoal.

Thays perdeu a visão ainda menina, aos quatro anos de idade. Como toda criança, um de seus sonhos era ter um cão, que se realizou somente na vida adulta. Tanta espera teve uma recompensa: seu primeiro cão-guia foi Boris. A biografia de Boris no livro esta assim descrita (veja se consegue resistir a vontade de ler sobre ele):

Boris (16/10/1998 - 24/10/2009) nasceu em Rochester, no Estado do Michigan. Labrador amarelo, com suspeitas fortíssimas de uma mistura de golden retriever, passou boa parte de sua infância em uma escola infantil para humanos, o que viria a justificar sua paixão por crianças, bem como certas excentricidades, como gostar de dormir coberto e com travesseiro. Depois, estudou em escolas de primeira linha, como a tradicional Leader Dogs for the Blind, o que acabou lhe propiciando o convite para trabalhar no Brasil. Tinha por hobby tirar tampas de garrafas e gostava de correr e de beber água de coco. Sua única superstição era, a cada refeição, deixar um grão de ração em sua vasilha.

A história dessa parceria linda entre a Thays e o Boris não fala apenas sobre as facilidades que ele proporcionou na vida dela. Essa dupla protagonizou um episódio que chamou a atenção da imprensa na época: Boris foi barrado no Metrô de São Paulo, sendo necessário o ingresso de uma ação judicial para permitir que Thays pudesse continuar usando o metrô para ir ao trabalho. A decisão judicial, seis anos depois, permitiu o acesso de cães-guia ao Metrô e inspirou duas outras leias, "uma estatual em 2001 e outra federal em 2005 - que garantem o acesso de cães-guia a todo e qualquer local público e privado de uso coletivo".

Sim, Boris fez história do Brasil, mas sua vida começou nos Estados Unidos e Thays conta com emoção desde o início dessa amizade, quando foi buscá-lo, suas aventuras e travessuras até o momento de maior tristeza, a despedida. Vocês podem imaginar como eu reajo a esse assunto, tendo três labradoras que são como filhas em casa? Já comecei a desabar no momento em que Thays percebe que Boris está chegando perto da aposentadoria e que precisa tomar a decisão de substitui-lo no trabalho de cão-guia.
Não consigo escrever com imparcialidade quando o assunto é labradores, não tem jeito. Se você tiver a oportunidade de ler este livro, verá como esses cães são especiais, dotados de uma inteligência sensacional, uma doçura incrível e apaixonantes.

Me impressionou também a Thays, sua força e determinação. Ela não se deixou abater pela falta de visão, pelo contrário, rejeitou ser tratada de modo diferente, buscou o máximo de normalidade em sua vida. Estudou muito, se destacou profissionalmente, não se acomodou e foi atrás de desafios. Sem dúvida, um exemplo para todos nós!

E se Boris teve uma participação importante nas conquistas da Thays? Claro! Ele foi seus olhos por mais de oito anos!

site: www.estante-da-ana.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Gracinha 13/07/2014


Adorei, aprendi q os animais são seres iluminados.
comentários(0)comente



21 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2