Um Amor no Deserto

Um Amor no Deserto Rosane Fantin




Resenhas - Um Amor no Deserto


8 encontrados | exibindo 1 a 8


Rapha 13/12/2012

Resenha no blog Doce Encanto
Um amor no Deserto foi um dos poucos livros que consegui ler durante o tempo em que o blog ficou parado. Ele veio através do Book Tour que a fofa da Mi (Inteiramente Diva) organizou e ela foi super atenciosa comigo, inclusive me deixando permanecer um tempinho a mais com ele.

O livro é um romance daqueles bem sonhadores, com direito a amor/paixão logo à primeira vista.

A personagem principal é Amy, uma jornalista desportiva bem-sucedida, determinada, com espírito aventureiro, e, acima de tudo, teimosa. É esse espírito aventureiro e a teimosia que a levam, contra a vontade de sua mãe e irmã, a participar do Rally Paris-Daka, um famoso Rally de motos, cujo trajeto é atravessar o deserto do Saara. A ideia de Amy era conseguir uma matéria exclusiva sobre o Rally, e participando dele, certamente sua matéria teria um grande diferencial. Porém, o destino reservava surpresas que Amy jamais teria imginado.

Daren é um médico super responsável que se formou em uma das melhores faculdades da Inglaterra, com uma vida bem estável, mas, por algumas circunstâncias da vida, acabou voltando até a terra de seus antepassados, um acampamento tuaregue¹. Sua vida corria normalmente até que em uma tarde, que poderia ser comum, encontrou no meio do deserto uma mulher desacordada e desistrada. Era Amy que havia tido um acidente com sua moto.

Daren, então, leva Amy até o acampamento para que ela seja adequadamente tratada até que a organização do Rally consiga resgatá-la. Tudo poderia ter se encerrado ali, Daren voltaria a sua vida normal e Amy voltaria à prova assim que estivesse restabelecida, mas, embora tenham resistido no início, a atração que sentem um pelo outro fala mais alto e, durante três dias, eles vivem um amor super intenso. Após, o resgate de Amy chega e, Daren tem que cumprir com suas responsabilidades, vai para África como médico voluntário, onde deveria ficar por seis meses.

Os dois apaixonados combinam que se comunicarão por cartas até que o trabalho de Daren termine e possam, enfim, ficar juntos. Entretato, mais uma vez o destino resolve surpreendê-los. As cartas não chegam, uma guerra civil eclode na região em que Daren estava, e o que eles mais temiam acontece: perdem o contato. Mas a vida segue, tem que seguir, não é mesmo?! E assim, os dias vão se passando...

Será que aquele amor intenso ficará para o resto da vida guardado na memória de Amy e Daren e eles não mais poderão reviver aquele sentimento? Será que haverá um reencontro ou destino não permitirá que isso aconteça?

É o que você descobrirá lendo Um Amor no Deserto :)

Eu, que sou suuuper romântica, gostei bastante da história. Acredito de verdade no amor a primeira vista (não que ele irá durar para sempre, mas sabe aquele lance de olhei-apaixonei?), que temos uma pessoa reservada a ser nosso amor e que a qualquer hora, dia e local, poderemos encontrá-lo (a). Assim, consegui entender - e curtir - o romance de Amy e Daren, mas para os menos acostumados a esses amores improváveis, pode ser que achem a história meio superficial, então acredito que Rosane, a autora, poderia ter explorado um pouco mais o surgimento do amor entre eles, ressaltar mais as qualidades de cada um e que acabou por conquistar o outro e, quem sabe, até incluir uns dias a mais no deserto.

Outro ponto que pode ser melhorado é a capa, a qualidade da imagem não é boa. Mas essa é uma questão fácil de se resolver ;)

No mais, foi um livro que me agradou bastante (principalmente do meio para o final - leiam e me digam o que acham ^^) e que conseguiu me fazer esquecer por alguns momentos da tensão da prova hehehe.

Confira outras resenhas em: http://rapha-doceencanto.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Caah 13/11/2012

|Resenha| Um Amor no Deserto
Ok, tudo começa com Amy, uma jornalista britânica bem teimosa e bastante competente. Ela está sempre procurando novas oportunidades e formas de inovar seu trabalho, e em uma dessas, ela se inscreveu em uma corrida (rali) que passa por regiões do Saara. Mas ocorre um acidente com a sua moto e ela acaba no meio do deserto sob um sol extremamente quente. Então, desmaiada, ela é resgatada por Daren, que a leva para o acampamento dos Tuareg. Durante essa aventura, Amy e Daren vivenciam uma paixão fervente com todos os altos e baixos merecidos!

Posso dizer que esse não foi o melhor livro nacional que eu já li. Rosane conseguiu escrever de uma forma linda um amor que acontece em um piscar de olhos! Mas isso me intrigou um pouco. Ela narra uma história de amor com uma pitadinha sexy com uma pegada aventuresca, mas esquece de desenvolver para que tudo possa realmente acontecer em 3 dias. Acabou ficando surreal. O amor no deserto e as partes quentes entre o casal, fez com que a leitura fluísse de uma maneira incrível. Eu senti falta da parte em que Amy poderia dar uma de difícil, senti falta da parte em que Daren luta para conquistar o amor dela. Acho que como o livro tem poucas páginas, ficou um pouco vago um desenvolvimento preciso.

O casal combina de se comunicar através de cartas, mas Amy as envia e não obtém resposta. Isso a preocupa, pois como em todos os romances dignos de uma atenção, existe sempre aqueles que querem atrapalhar a felicidade dos apaixonados! haha.

Bom, fora isso, o final é um tanto quanto previsível e acaba ficando encantador. O destino ajuda e eles se reencontram depois da separação. - ah, eles se separaram porque Amy tinha que continuar seu trabalho como jornalista desportiva e Daren era um médico voluntário, e precisava viajar para ajudar o próximo - e assim o romance nos mostra que não há espaço para o acaso quando se trata de amor.

"Se você realmente ama, esse amor será capaz de fazê-la feliz."

Um pouco clichê, mas vindo de mim, tudo que é antiquado é bonito, rs. Quando eu terminei de ler o livro, peguei um post-it e escrevi essa frase pra deixar juntinho da capa. Porque é exatamente isso que o livro me passou. O amor entre os dois transcede qualquer barreira.

Bom, a cada dia eu me impressiono com as literaturas brasileiras e Rosane está de parabéns. Por aí eu vi alguns comentários negativos sobre a capa, mas oooi, galera, a capa bate totalmente com a história. Eu particularmente curti bastante.

Outra coisinha que me incomodou um pouco foi a questão do desenvolvimento de caráter da personagem principal. No início vemos uma jornalista teimosa e determinada e ao desenrolar da história, damos de cara com uma mulher insegura. Eu poderia deixar esse comentário de fora, mas como leitora e blogueira, achei super necessário falar isso.

Queria agradecer a Rosane, pelo envio de exemplar e claro, parabenizá-la pelo trabalho feito. Quem gosta de romances não melosos, esse livro é recomendadíssimo.

Abs,

Camila Tominaga
http://raiseyourheadandread.blogspot.com/
Rosane Fantin 02/12/2012minha estante
Oi, Camila! Gostaria de te agradecer pela resenha. Fiquei muito feliz de saber que gostaste do livro, apesar de alguns senões...rsrs.
Concordo contigo que poderia desenvolver melhor alguns trechos. Quem sabe, um dia, eu retome esse romance e o amplie. Nada é impossível.
Beijo, querida!




Carolina Lopes 08/08/2012

Amy é uma jornalista desportiva que desde pequena adora aventuras, influência dada por seu pai. Ela resolve então participar de um rali, o Rally Paris-Dakar, para fazer uma matéria exclusiva sobre a corrida e sobre todos os lugares que passar.
Entretanto, ocorre um acidente com sua moto e ela fica presa em meio do deserto sob um sol escaldante; desidratada, ela acaba desmaiando. É quando ela é regatada por Daren, um tuareg mestiço, que a leva para o acampamento dele.


“Ele era alto, de andar elegante e sua pele parecia alva, apesar de estar bronzeada. Imaginava como seria o seu rosto…”


E no momento a única coisa que ela pode fazer é esperar no acampamento pelo resgate. Enquanto isso, Amy aproveita para conhecer mais sobre a cultura desse povo nômade e mais sobre o misterioso tuareg de olhos verdes que a salvou do deserto.
Durante os três dias que Amy terá antes que chegue o resgate, ela e Daren acabam vivendo um lindo e tórrido romance. Entretanto, três dias passam rápido demais e logo Amy tem que retornar ao rali e terminar seu trabalho, enquanto que Daren, médico inglês, irá concluir sua viagem, indo trabalhar como médico voluntário. Ele ficará por seis messes na África e retornará a Londres ao termino desse período.


“Amy, atraída como um imã, por aqueles olhos de esmeralda e pela boca sensual, levou a mão ao rosto de Daren, acariciando-o na linha do maxilar, fazendo-o fechar os olhos ao experimentar o carinho inesperado dela.
- Amy, não me tente…
- Me beija… Por favor… Me beija… – disse ela.”



Ambos combinam de manterem contato por cartas e de voltarem a se ver quando ele retornar da África. Porém, Amy manda cartas e não recebe resposta alguma, ela começa a se preocupar. Ainda mais quando ela descobre que Daren corre perigo de vida.
Entre desentendimentos aqui e obstáculos ali, ambos ficam separados por um tempo. Mas o destino faz com que eles se reencontrem.


"- Lembrei agora daquela vez que você me perguntou se eu acreditava em destino. Lembra? Na primeira vez em que ficamos juntos?
- Sim... Lembro.
- Eu respondi que gostaria de acreditar, mas no fundo achei graça da sua pergunta.
- E agora? - ela perguntou.
- Não tenho dúvida alguma. [...]
- Pois eu vou lhe contar um segredo. - ela disse baixinho no ouvido dele - Eu nunca tinha pensado nisso até aquele dia. Também achava graça das pessoas que acreditavam. Mas naquela noite eu quis muito crer que a nossa vida juntos já estava definida, pois eu não poia mais me imaginar vivendo sem você.
Ele sorriu e a beijou ternamente."



Adorei ler Um Amor no Deserto. O livro é bem rápido, a leitura segue um fluxo sem enrolação. Em muitos momentos a escrita me lembrou romances de banca, que eu adoro diga-se de passagem.
Daren é o sonho de qualquer mulher. Ele é um médico humanitário, que além de ser um tuareg mestiço com olhos verdes lindo de morrer, é romântico, carinhoso e dominador. Outra coisa que gostei muito foi ver o amadurecimento de Amy durante o passar do tempo e dos acontecimentos.
O livro tem um clima muito bom, e mesmo quando eu já tinha terminado de ler esse clima permanece. E a escrita de Rosane só favorece a leitura também. No começo até estranhei um pouco, mas depois fui lendo sem parar. Acabei viciada e tive que procurar outros trabalhos da autora. Logo após ler Um Amor no Deserto, li O Corsário Apaixonado (leia AQUI) no blog da autora, onde ela disponibiliza seus textos. Este é o próximo lançamento de Rosane e em breve terá resenha.
Rosane, muito obrigada pela oportunidade de ler um ótimo livro. E que venham mais!
Recomendo!
comentários(0)comente



Jubs 22/06/2012

[Resenha] Um Amor no Deserto
VIA :: http://diariodeleitoracompulsiva.blogspot.com.br/

Eu participo de um Book Tour criado pela Mii do Inteiramente Diva em parceria com a autora Rosane Fantin, então tive a oportunidade de ler e resenhar sobre esse romance!!

Muitos com toda a certeza costumam ficam receosos quando leem livros de autores independentes. Seria eu uma hipócrita se não confirmasse que também tenho esse medo. Não que os livros dos autores independentes sejam “ruins”, pelo contrário, há vários títulos que superam até obras internacionais. E foi com esse “receio” que iniciei a leitura de Um Amor noDeserto....




Em meados da década de 80, a determinada jornalista britânica, Amy McGarvey, decidiu participar de uma corrida que atravessa o deserto africano. Nada mais, nada menos que o famoso Rali Paris-Dakar. Ela se inscreveu nesta temerosa aventura para poder sentir na própria pele o que os participantes sentem durante a prova, os cenários magníficos que observam e os exóticos lugares que visitam.

[quote] Sua garganta queimava. Sentia-se seca por dentro e por fora. Fora obrigada a tirar seu capacete, pois este se tornara insuportável, bem como seu macacão de piloto, devido ao calor. Apesar de todo o protetor solar que levara e utilizara nas áreas expostas, sua pele ardia. Deitada no meio do nada pensava se este seria seu fim... Torrada viva. Já podia ver a manchete do British News, na primeira página:
“Jornalista maluca morre seca no deserto” ou “Amy, a doida, encontra seu fim nas escaldantes areias do Saara” ou... [quote]


O que Amy não esperava era que no meio do deserto essa aventura seria muito maior e mudaria para sempre sua vida!! Durante a prova, sua moto atolou em algumas dunas no deserto, e como ela estava afastada dos demais concorrentes, a jovem jornalista acabou se perdendo em pleno deserto escaldante. Até que como se fosse uma miragem, uma caravana de tuaregues (povo do deserto, em geral nômades) a resgata de seu sofrimento.

Amy é resgatada pela caravana de Daren, um médico britânico que está viajando com os seus primos tuaregues... Logo de imediato, Amy e Daren se aproximam, mesmo após tantas briguinhas. Uma paixão de tirar o fôlego surge entre eles, e logo estão se amando pelas areias quentes do deserto.

[quote] Exalava um perfume suave e másculo. O mesmo que sentira em suas roupas há poucos instantes atrás. Vestia uma túnica índigo com detalhes em branco e um turbante de um azul escuro, que o deixou com o aspecto de um príncipe árabe, como naqueles dos contos das Mil e Uma Noites. Amy conteve o suspiro que tentava escapar de seu peito. Não queria deixá-lo muito convencido. [quote]


Mas tudo que é realmente bom, certamente tem um prazo de validade, nesse caso, Daren está a caminho de um entreposto da organização dos Médicos Sem Fronteiras, onde irá servir a população africana, auxiliando os pobres e adoentados da região. Entre juras de amor, uma certeza :: eles irão se reencontrar em Londres!!

[quote] Os olhos de Amy se encheram de lágrimas. Não conseguia mais conter a tristeza de ter que se despedir de Daren tão cedo. A sensação de um aperto em sua garganta impediu-a de perguntar mais detalhes. Ele notou sua angústia e abraçou-a ternamente, confortando-a com o calor de seu corpo. [quote]



Assim, Daren após alguns dias com Amy, parte para seu destino e Amy é resgatada por seus amigos para continuar a corrida, mas juntos eles mantém a esperança viva, de que se reencontrarão um dia... Mas será capaz de o amor deles sobreviver a distância e aos empecilhos que o tempo irá por no caminho da felicidade??

[quote] – Meu amor, eu bem sei o inferno por que você passou, pois eu estive lá também... – disse Amy, emocionada com as palavras que acabara de ouvir. [quote]


Um Amor no Deserto foi uma leitura bem agradável, teve seus momentos altos, mas infelizmente teve alguns que me desapontou como a personagem principal, Amy. Ela começa como uma heroína, forte, decidida, mas conforme ela se apaixona e vários acontecimentos vão se passando em sua vida, ela enfraquece. Não consigo mais ver aquela determinada jornalista que enfrenta o deserto atrás de uma matéria para seu jornal. Apenas voltamos a ver um vislumbre desta característica já no final da obra....

O romance entre o casal apaixonado foi leve, fofinho, mas tenho certo medo desses romances relâmpagos, que são intensos e a curtíssimo prazo. Eu simplesmente não consigo crer!! (é pessoal, tá) Eu sou daquelas que acreditam que leva certo tempo até alguém realmente amar uma pessoa!!

Mas fora, os meus “problemas pessoais” com a obra em questão, eu particularmente gostei da história deste casal e me fascinei pelo cenário escolhido :: o deserto... É diferente, e acho que foi bem explorado, pude sentir durante a leitura o calor, sol, e as areias que tão marcaram esse romance!!



Ainda não é um livro espetacular!!! Mas, se a Rosane Fantin resolver fazer uma nova edição, adicionar alguma trama mais profunda e realizar uma revisão mais adequada, tenho certeza que a história de amor desses dois pode encantar várias pessoas!!




E aí, o que acharam de Um Amor no Deserto e de nossa Resenha?? Não deixe de dar sua opinião sobre essa obra =)
comentários(0)comente



@EqualizeLeitura 08/03/2012

[Resenha] Um Amor no Deserto
RESENHA ESCRITA PAR AO BLOG http://equalizedaleitura.blogspot.com PROIBIDA COPIA TOTAL OU PARCIAL.

Amy é uma conceituada jornalista desportiva que adora uma aventura. Com uma super ideia, querendo trazer algo criativo e dinâmico para suas matérias, resolve participar do Rally Paris-Dakar. Porém, não esperava que fosse acontecer um acidente e se visse perdida no meio do deserto. Quando é encontrada desacordada e em estado grave de desidratação pelo misterioso Daren, fica assustada pela forma como esse sedutor homem mexe com ela. E o pior: como ele é determinada em mantê - la 'prisioneira' com os nômades taruegues, onde ela acaba assimilando um pouco da cultura, fazendo amizades e claro, se apaixonando por esse lindo homem.

Ao mesmo tempo que vemos Amy em um lugar deserto e desconhecido, totalmente solitária, temos a breve visão de como é está ali: mesmo com todas as dificuldades, como não observar a paisagem ao redor? E o senso de aventura volta a falar mais alto. E diante de tanto exostismo em apenas três dias, Amy e Daren vivem um lindo amor. Entretanto, são separados pelo destino... mas segredos terão que ser desvendados para que esses dois possam enfim ficar juntos.

Eu gostei muito da história que a autora criou. Porém, me incomodou bastante uma coisa que anda acontecendo em vários outros livros também: esse amor de uma vida inteira acontecer em três minutos. A Rosane escreveu uma história que poderia ter sido melhor desenvolvida para que tudo se tornasse um pouco mais real. Ela tem um gancho interessante: uma história de amor que começa em um deserto, com um personagem masculino totalmente atraente e uma personagem principal um pouco irritante, mas é apenas isso. Eu senti falta da conquista, da luta pelo amor. Em três dias, na minha perspectiva, é muito pouco para que uma pessoa se apaixone por outra perdidamente. Em um deserto, vivendo em uma cultura diferente, conhecendo o modo de viver, fazendo amizades, teria um amplo espaço para que alguns pontos fossem melhor explorados.

A autora escreve com facilidade, sutileza e com um toque de romantismo que grande parte das mulheres irão se identificar. Daren é um homem tão charmoso, que com suas ações muito humanas acaba conquistando não apenas Amy, também quem está lendo. Bem dosado nas cenas de sexo, sem pesar na mão, vamos descobrir pouco a pouco como ambos irão resolver e lidar com os problemas da separação e distância.

A capa poderia ter sido melhor trabalhada, apenas para melhorar visualmente, já que eu gosto da ideia passada. Mas a imagem utilizada não está com uma qualidade boa. A diagramação do livro é simples e o único 'defeito' que eu pesquei foi que algumas partes o texto não está justificado.
Rosane Fantin 09/03/2012minha estante
Oi, Raphaela! Como não consegui comentar lá no teu blog, decidi deixar meu comentário aqui no Skoob. Gostaria de te agradecer a bela resenha que fizeste de meu livro, mostrando seus pontos positivos e honestidade ao falar do que te incomodou. Gostei muito de ler os comentários e as críticas ao relacionamento "instantaneo" ( que é apenas o início do livro e o que gera o restante da história de desencontros e intrigas até o final) entre a Amy e o Daren, bem como detalhes como a capa. Quero esclarecer que esse livro foi totalmente editado por mim, desde o texto até a confecção da capa, por isso a simplicidade do conjunto e o visual que mereceu crítica de algumas pessoas (sei que ainda tenho que aprimorar esse meu lado artístico...rsrsrs) , visto que não sou designer e nem uma editora profissional. Tenho consciencia que o meu romance agradará a um determinado tipo de público, formado por pessoas romanticas, que acreditam que possa existir um amor como esse descrito nos livros (eu ainda acredito...rsrsrs) e que gostam de ler os chamados "romances de banca" (eu adoro!). Nada como uma bela fantasia romantica para alegrar a mente e o coração. Esse é o real intuito de meus textos. Levar a leitora a sonhar ... A realidade está sempre aí, na nossa porta, a nos incomodar. Porque não se deixar levar pela emoção e imaginar que esse tipo de amor pode existir? Quem desejar me conhecer melhor, convido a visitar o meu blog Romances ao Vento.
Mais uma vez muito obrigada pela resenha e pela oportunidade de divulgar o meu trabalho.
Um beijo prá ti e outro para a Mirelinha que possibilitou esse booktour!
Rosane
http://romancesaovento.blogspot.com


@EqualizeLeitura 09/03/2012minha estante
Olá Rosane,

muito obrigada por comentar a minha resenha. *-*

Eu espero que em momento nenhum você tenha se sentido ofendida com as minhas palavras. Eu também amo romance de banca, são as minhas paixões, porém eu ainda não consigo me convencer com esse tipo de amor. Eu trouxe um pouco para a minha realidade, onde tudo anda tão fácil, tão banal, que simplesmente não conseguir enxergar um amor acontecer em três dias. E ele durar para a vida inteira.

Talvez eu tenha pecado ao não me envolver totalmente e completamente com a história, a ponto de imaginar um amor de três dias. Eu gostei muito do seu intuito com a história, mas a questão é essa: acho que foi pouco desenvolvido, para um enredo que tem uma riqueza tão grande que não foi explorada.

Quanto ao design da capa e diagramação: sim, eu sei que muitos autores fazem a propria diagramação e design da capa. Eu só queria deixar claro que eu gosto da sua idea para a capa, só que a imagem está em baixa resolução, o que faz com que, talvez, as pessoas, não se atraiam pela leitura, perdendo uma grande oportunidade.

Por favor, não pense que eu não gostei do se livro ou do que você escreveu. Eu gostei, muito! Trazer temáticas diferentes do que está sendo tão taxado nos dias atuais (como romances sobrenaturais) é digno. Porém, como blogueira e leitora, eu tinha que colocar isso.

E eu que agradeço a oportunidade. A você e a Mi do Inteiramente Diva. Obrigada por confiarem no blog e em mim, para ajudar na divulgação dos nossos autores nacionais!

Beijokas e seja sempre bem - vinda! :*


Rosane Fantin 09/03/2012minha estante
Oi, Rapha! Acho que me fiz entender mal. Como falei antes, gostei muito da tua resenha, bem como das tuas críticas construtivas, que certamente serão levadas em conta em meus próximos trabalhos. De maneira nenhuma me senti ofendida por ti. Fica tranquila quanto a isso, viu?
Também serás muito bem vinda a conhecer o meu blog, onde coloco os meus textoa a disposiçao de quem quiser ler. Conto com a tua visita e a tua opinião, que terei o máximo prazer em saber.
Um beijo carinhoso!
Rosane




Morenalilica 08/02/2012

"O amor realmente não conhece limites e nem fronteiras"
Ganhei o livro no ano passado e confesso que o deixei na estante um longo tempo. Semana passada, me deu vontade de lê-lo e assim o fiz. A leitura foi rápida e agradável, a Rosane escreve de uma maneira super gostosa, com bastante desenvoltura e utiliza-se de um vocabulário de fácil entendimento.

A história narra o encontro de Amy e Daren, no deserto, com suas dunas e tempestades de areia, bem como com seus oásis e animais característicos, logo após Amy ter sofrido um acidente com sua moto quando fazia a cobertura jornalística do Rally Paris-Dakar. Logo de início, nasce uma paixão e uma atração física desesperadora entre eles, o que os leva a se amar sem pensar que só teriam 3 dias para ficarem juntos.

Logo no início, Amy pensa que Daren é um simples tuaregue (nômades, de origem berbere, segundo o Dicionário Aurélio), mas desobre mais tarde que ele é um médico, que foi para o deserto se unir aos Médicos Sem Fronteiras, uma organização sem fins lucrativos que busca ajudar as comunidades mais carentes ao redor do mundo.

Esses 3 dias em que ficam juntos, vale por toda uma vida de amor e dedicação, pois um jamais esquece-se do outro.

Mas apesar de todo o amor existente entre eles, outros personagens surgem no decorrer da história e por não concordarem com a união dos dois, fazem de tudo para atrapalhar. As cartas trocadas entre eles, por exemplo, nunca chegam ao seu destino, fazendo com que a imaginação de ambos, viajem por rumos errados e obscuros.

O final da história, é simplesmente lindo. Mostra que o amor realmente não conhece limites e nem fronteiras. Mesmo em condições adversas e contra tudo e todos, se o amor for sincero e verdadeiro, o tempo e o espaço são apenas um detalhe e o destino sempre colabora para que tenha um final feliz :)

Há no livro, vários trechos “hot”, que me fizeram lembrar um bom romance se banca,”a la” Nora Roberts, hihi.

A Rosane está de parabens por ter escrito essa história tão linda e tão encantadora. Espero ter a oportunidade de ler outros livros seus ^^

Resenha originalmente postada em http://doceinsensatez.com/blog/resenha-um-amor-no-deserto-de-rosane-fantin/
comentários(0)comente



Mirela L. 30/11/2011

Resenha que eu fiz para o Inteiramente Diva
Romântico, envolvente, sensual e diferente!

Conheci Um Amor no Deserto quando passei a acompanhar as estórias que a Rosane posta em seu blog [são ótimas, hein?!]. A capa e o título foram os primeiros pontos que me chamaram bastante a atenção *-* E eu como sou amante de romances, não poderia deixar de ler a sinopse desse livro. Quando li foi amor na certa! Vocês imaginem uma estória de amor que se passa em um deserto, e daquele tipo de amor avassalador?! Fiquei completamente empolgada! E fiquei mais ainda, pois acompanhava [e acompanho] as estórias da Rosane em seu blog e já havia percebido a forma encantadora como ela escreve, descrevendo os detalhes, falando sobre culturas, com uma maestria sem igual … Daí eu não poderia deixar de ler MESMO! Por isso, querida Rosane, antes de começar a falar um pouco do que Um Amor no Deserto significou pra mim, MUITO obrigada pela oportunidade!

Amy, irmã de Chloe, é completamente apaixonada pelos esportes, assim como seu pai, para “tristeza” de Margareth, sua mãe. Por ser jornalista desportiva, ela resolve acompanhar o Rally Paris-Dakar, com o intuito de realizar uma matéria inédita para o jornal em que trabalha, e é nessa aventura que acontece algo que muda completamente o rumo da sua vida. No deserto do Saara, a moto de Amy resolve não funcionar mais e ela acaba desmaiando desidratada e é aí que um Tuareg [sexy de morrer] aparece, a resgata e a leva para uma aldeia local.

“Ele era alto, de andar elegante e sua pele parecia alva, apesar de estar bronzeada. Imaginava como seria o seu rosto…” [pág.15]

Mesmo ainda sob cuidados, Amy, decide voltar a todo custo para a competição, e só depois de várias tentativas sem sucesso, ela decide esperar que alguém venha resgatá-la. E é nesse intervalo de tempo que ela e Daren, o Tuareg, começam a se conhecer melhor e descobrem um sentimento lindo surgindo entre os dois. [Tá, sempre digo que não gosto de amores instantâneos, e não gosto mesmo, mas esse foi TÃO especial *-*]

Um Amor no Deserto relata a “luta” de duas pessoas para ficarem juntas. Por ser escrito em terceira pessoa, o leitor consegue adentrar os sentimentos e pensamentos dos personagens, e eu gosto disso! Ter uma visão completa dos desejos dos personagens, e não somente da protagonista, é algo muito legal. Também gostei da protagonista, por ser decidida e nunca ter perdido as esperanças [essa Amy devia ser brasileira, rs.] E além de tudo que já citei a Rosane, descreve de uma forma ímpar o local, a cultura, mostrando conhecimento da história… Fiquei encantada!

Adoro histórias de amor avassaladoras e sensuais *-* Me deixam tão empolgada, rs. E é impossível não ficar com um homem como Daren… O cara é lindo, sexy, enigmático, tem uma profissão sofrida mas linda, linda e linda *-* além de ser muito, mas muuuuito fofo! *suspira*

O que fazer quando você só tem 48 horas para conhecer melhor o homem que fez você sentir algo inédito?

“Amy, atraída como um imã, por aqueles olhos de esmeralda e pela boca sensual, levou a mão ao rosto de Daren, acariciando-o na linha do maxilar, fazendo-o fechar os olhos ao experimentar o carinho inesperado dela.
- Amy, não me tente…
- Me beija… Por favor… Me beija… – disse ela.”
[pág.39]

Confere: http://inteiramentediva.blogspot.com/2011/11/resenhando-32-um-amor-no-deserto-rosane.html
comentários(0)comente

Rosane Fantin 30/11/2011minha estante
Mirela, muito obrigada pela tua maravilhosa resenha. Quando escrevo minhas histórias sempre imagino se conseguirei passar ao leitor toda a emoção que senti ao criar meus personagens e as situações nas quais eles se envolvem. A tua resenha me deixou muito feliz pois vi que consegui atingir meu objetivo.
Um beijo carinhoso!
Rosane


Mirela L. 21/12/2011minha estante
Eu que agradeço a oportunidade, querida flor! :*




Adriana Vargas 22/10/2011

Um amor no Deserto
Dados sobre a escrita do livro

Efervescente, romântico, ousado e exótico.
Essas são as quatro palavras que consegui extrair do livro.
Nada é impossível quando se ama; mesmo quando o destino insiste em separar os amantes. A força do amor é algo arrebatador, independente de quantas pessoas torcem para que dê certo, ou quantas até agem em desfavor da realização deste mesmo amor.
Com Amy e Daren não foi diferente, o livro Um amor no deserto, escrito pela talentosa Rosane Fantin, mostrou-me com maestria os caminhos que um sentimento precisou percorrer para descobrir como o destino é fantástico e cheio de surpresas.
O livro foi dedicado às românticas, como pude perceber em sua premissa, eu, como uma autora com gosto implacável às avassaladoras (his)(es)tórias de amor, esbaldei-me completamente; quando dei por mim, já estava no lugar da personagem Amy, e querendo decidir e conduzir a sua vida, e até mesmo, queria sê-la por apenas um minuto para saber como é ser abraçada por um deus quase mitológico do deserto. Confesso que a autora foi muito cruel em criar um mito como Daren, perguntei-me – Onde será que este homem está? Pois foi essa a impressão – ele existe! De tão real que foi esta criação, e o modo como Rosane descreve as características físicas e palpáveis deste deus do deserto que brincou com minha imaginação fértil. Para saber, vocês terão que ler, e sentir sobre o que estou falando (risos).
O livro foi escrito em terceira pessoa, e de um modo muito interessante, o eu interior que passeou o livro inteiro no intimo das personagens, contou-me seus sentimentos, pensamentos e desejos, de modo que todas as personagens participassem efetivamente da trama, e não apenas a protagonista.
A descrição sobre o lugar foi incrível, trouxe uma realidade tangível, e quando acabou a leitura senti saudades do lugar, como se eu realmente estivesse passado por lá.
Rosane passou muita segurança sobre o conhecimento da cultura relatada – tuareg, assim como as cidades e os acontecimentos da estória. Tudo com muitos detalhes e precisão.
Sua expressão lingüística é correta, com um repertório agradável de palavras; sem vícios de linguagem e sem repetição de vocábulos
O tema é atrativo; vai agradar muito o público feminino, porém indico para pessoas acima de 16 anos; não digo 18, porque estaria sendo politicamente ultrapassada; hoje em dia, os termos que leio em livros juvenis, são um tanto quanto aguçados.
O estilo literário é um romance, digamos “hot Love”, entre suspiros e paixão extremamente platônica pelo personagem Daren, a leitora chegará assim no final do livro.
A capa está característica ao tema abordado, o que me fez a todo o momento, olhar para a capa, e me sentir no deserto.
Não encontrei o ISBN do livro, mas creio que deva estar a caminho.
O ponto emocionante da estória foi à luta, a esperança e a fé que Amy devotou; acreditando o tempo todo no que sentia, mesmo quando tudo estava completamente perdido, denotando ao livro uma nuance de “amores impossíveis”

Dados sobre a trama do livro

Daren – dominador, controlador, e ao mesmo tempo, cuidadoso e carinhoso (resumindo – tudo de bom)
Amy – teimosa, aventureira, decidida e independente.
Amy, em um rali em pleno deserto, acaba se perdendo do grupo da competição, tendo sua moto atolada, consequentemente, corria risco de morte por inanição e fortes tempestades de areia. Acabou sendo encontrada pelo lindo e tudo de bom, Daren, um tuareg que a leva para o seu acampamento onde se encontra o seu povo.
Foi muito engraçado e delicioso a forma como eles dialogavam no início; com certa implicância e picuinha um com o outro, pois, ela queria voltar para a sua casa, e ele não a deixava, momentos recheados de chantagens emocionais e jogos de sedução escondidos atrás de caprichos. Houve uma cena, a da tentativa de fuga de Amy, que simplesmente adorei esta cena, muito bem descrita e elaborada.
A meta era – ela tinha 48 horas para conhecer aquele homem. Eram 48 horas para viver tudo que tinham direito, e para vocês saberem o que aconteceu, terão que ler o livro, pois eu não vou contar.
O destino traz; o destino separa; o destino surpreende!
No inicio, tudo tranquilo e sereno, quando de repente... A partir da página 156, o livro passou a me tirar o fôlego de forma diferente... Meus compromissos me chamando; telefone tocando, panela queimando no fogo e eu grudada no livro... Estava ansiosa para saber o que ia acontecer que até pensei em ler o final do livro logo de uma vez para ver se conseguia parar de roer as unhas.
Intrigas, mistérios desvendados; decepções e esperanças ressurgindo (pelo menos em mim, como leitora).

Um livro exótico.

Resenha e avaliação de Adriana Vargas de Aguiar

**** Estrelas
comentários(0)comente

Rosane Fantin 23/10/2011minha estante
Não resisti em vir até aqui para agradecer a tua resenha de meu livro, Adriana. Acho que conseguiste descrever maravilhosamente bem tudo o que eu desejava passar com minha história quando a escrevi. Também queimei muito arroz durante as crises de empolgação ao escrever o romance da Amy e do Daren...rsrsrs... Foi uma experiência deliciosa poder passear junto com essas personagens pelo Saara,dirigir no Rali Paris-Dakar, visitar Londres, percorrer as estradas africanas entre povoados e lutas armadas, conhecer o trabalho de doação dos Médicos Sem Fronteiras e os perigos a que ficam expostos esses valorosos profissionais, enfrentando ditadores e revolucionários, além da falta de condições sanitárias, doenças e ignorância. Muita coisa não aparece no livro, mas fizeram parte da pesquisa para escrevê-lo, o que me deu imenso prazer.
Espero que os leitores de Um Amor no Deserto possam sentir todas essas emoções, desfrutando ótimos momentos de lazer.
Um beijo, Dri!
Rosane




8 encontrados | exibindo 1 a 8