Bela Maldade

Bela Maldade Rebecca James




Resenhas - Bela Maldade


223 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Karol Rodrigues 14/10/2011

Katherine é uma adolescente de 17 anos que é obrigada a mudar de cidade depois da trágica morte da sua irmã Rachel. Na escola nova, ela conhece a popular e simpática Alice, que a faz sentir a pessoa mais especial do mundo. As duas começam a ter uma amizade e Katie acaba se sentindo melhor, mesmo depois que tudo de ruim aconteceu com ela e com sua família. Mas com o passar do tempo, Katherine descobre que Alice não é tão simpática e encantadora quanto ela pensava que fosse. Sua nova amiga pode arruinar sua vida, ainda mais.

Como vocês viram no post da divulgação do livro, a Rebecca James foi comparada a J.K. Rowling por seu jeito de escrever e por fazer muito sucesso com seu "thriller assustador". Ela é realmente ótima, mas acho que a compararam com a pessoa errada. Ela pode ser sim comparada com o autor de Os 13 Porquês: Jay Asher. O jeito de escrever e a sensação que temos quando lemos o livro dos dois, é a mesma. Sempre há aquele frio na barriga quando vamos passar para próxima página.

A história é narrada nas três etapas da vida de Katherine: antes da morte da irmã, depois da morte da irmã (quando ela conhece Alice) e no futuro, quando ela já tem passado por tudo. O que mais chama a atenção no livro é exatamente isso, o diferencial da narrativa e a evolução da protagonista. Quando o tempo é mudado, a narrativa segue o mesmo caminho. Katherine é uma pessoa diferente em todas elas. Algumas cenas são tão fortes que assustam. Após ler como a irmã dela havia morrido, eu tive que parar a leitura, pra respirar um pouco. É tudo muito real.

Os personagens são magnificamente bem construídos, a ponto de parecerem reais. A mentalidade da Alice é de uma psicopata. Ela é extremamente má. Com certeza, a personagem mais odiosa e megera de todos os livros que eu já li. Às vezes eu me colocava no lugar de Katherine e me perguntava como seria se eu conhecesse uma pessoa desse tipo. Com certeza eu chamaria a polícia, os bombeiros, o hospício pra colocar aquela garota bem distante de mim. E só no final a gente descobre porque ela fez tudo aquilo. É impressionante, porque em nenhum momento me passou pela cabeça o motivo de tanta maldade.

Eu não estava realmente empolgada pra ler esse livro, antes do seu lançamento. Mas depois eu li a fundo a sinopse e vi como o livro era lindo, fui correndo pra garantir meu exemplar e não me arrependo. A leitura dele é densa, mas envolvente, a ponto de você querer entrar na história, querer participar de tudo que a Katherine está vivendo. Totalmente recomendado. Devo avisar que se você tem coração fraco e prefere um conto de fadas, procure outro livro. Bela Maldade tem palavrões, bebida, drogas e gravidez na adolescência. Ou seja, passa longe de um romance bonitinho.

Para ver a resenha na íntegra, acesse: www.booksjournal.org
Kynne 18/11/2012minha estante
Amei a resenha! Fiquei mais louca ainda pra ler esse livro!


Deboráh 07/01/2013minha estante
Ameiiiii" sua resenha,dei o livro de presente para o meu irmão hoje de presente de Niver ....
Mais não vejo a hora de Ler ..... ^.^


Lisete 12/01/2013minha estante
Tô muito curiosa em relação à esse livro! Uma história diferente do que estamos acostumadas, mas com um toque realista... Ótima resenha (:

http://ourbooksontheshelf.blogspot.com.br/?m=0


Ana 13/02/2013minha estante
No momento estou lendo esse livro e tenho que dizer que você descreve muito bem o livro, tenho os mesmos sentimentos que você.


Fabi 06/05/2013minha estante
Adorei a tua resenha! Comprei este livro hoje em uma feira do livro na cidade onde moro por 13,00! Parece ser bom e estou louca pra ler.


Larissa 08/01/2014minha estante
Acabei de ler o livro pensando exatamente na sua comparação de Rebecca James e Jay Asher, toda a curiosidade no decorrer da história, a vontade de acabar apenas para descobrir mais segredos e motivos e tudo parecendo ser tão real enquanto você lê... Li o livro antes de ler sua resenha, mas ela descreve exatamente todos os sentimentos durante a leitura e o livro em si.


Giovana 20/06/2014minha estante
Ual, amei! Tenho o livro faz um tempo mas não li ainda por ter outros na frente, mas agora chegou a vez de "Bela Maldade", e devido à sua resenha estou extremamente ansiosa!!! Amo thrillers!


Fernanda 30/12/2014minha estante
Acabei de terminar a minha leitura deste. Ganhei o livro de presente de amigo secreto.
Me identifico totalmente na parte em que vc diz "Sempre há aquele frio na barriga quando vamos passar para próxima página" e também sobre a pausa pra respirar no momento em que a morte da Rachel foi narrada.




Regiane 06/03/2012

Bom thriller psicológico

Sinceramente eu nem sei dizer o que realmente senti ao ler Bela Maldade. Se o intuito da autora foi chocar, ela foi feliz, pois fez isso perfeitamente. Criou um thriller psicológico e tanto, pois me abalou totalmente.

Katherine Patterson queria enterrar seu passado de qualquer jeito, e para isso ela decidiu se mudar para uma nova cidade, para tentar levar uma vida tranquila - pois a tragédia que abalou sua família, ainda a assombrava.

Katherine tinha em mente, passar despercebida em relação as pessoas ao se redor e se manter longe de novas amizades, mas ao conhecer a popular Alice Parrie, isso se tornou impossível, pois a garota se mostrou totalmente atenciosa e gentil - o que a deixou encantada e admirada. Dessa forma, as duas logo se tornaram amigas.

O que Katherine não esperava, que ao conhecê-la melhor, descobriria um lado sombrio e cruel de Alice. E ao perceber que certas atitudes de sua amiga não eram nada saudáveis, ela se permitiu questionar se valia a pena insistir nessa amizade. Mas, além disso, ela descobre que Alice não admite ser dispensada de forma alguma. A partir daí, é que o verdadeiro pesadelo da vida de Katherine começa...

A primeira vista, eu achava que a capa do livro não tinha nada demais, mas eu me enganei, pois ao tê-lo em mãos, eu pude perceber o quanto ela é linda, pois a fonte do título brilha com movimento, alterando as cores. Quem disse que o simples não pode ser bonito? Eu adorei!

Em relação a história criada por Rebecca James, eu ainda estou perplexa. É até complicado para escrever essa resenha. Sabe o que é ler um livro e reconhecer imediatamente que a vilã lembra muito alguém que você já conheceu na vida? Pois bem, eu senti repulsa e medo de Alice. Pois eu já tive a infelicidade de conhecer uma pessoa semelhante a ela.

Lendo algumas resenhas, percebi que algumas pessoas acharam a história fraca e outras acharam impactante. Eu fico com a segunda opção. Estou admirada com a capacidade da autora em conseguir criar tão bem o lado psicótico de uma personagem. É tão desenvolvido, que me fez esquecer que sua obra é uma ficção. Ela retratou perfeitamente como ninguém está livre de encontrar a maldade, inveja, insanidade e ódio, e o que é pior - que na maioria dos casos - tudo se inicia através de gentilezas, sorrisos e “amizades”.

A narrativa também me agradou demais, pois é bem descritiva e bem escrita. A leitura é totalmente envolvente. Prendeu-me por completo. Devorei o livro em poucas horas. Outra coisa positiva são os personagens, pois são bem elaborados. Alice, sem sombra de dúvidas, é o destaque principal, já que sua perversidade não tem limites. E apesar de odiá-la demais, confesso que ela também foi capaz de despertar admiração, pois sua capacidade de manipular e seduzir as pessoas é incrível. Robbie me conquistou desde de início. Ele é um fofo sem igual. Já Katherine em determinados momentos, me irritou um pouco, por se mostrar meio passiva diante de algumas situações. Fora isso, eu não tenho o que reclamar.

Bela Maldade mexe muito com as emoções. Desperta pena, raiva, tristeza, aflição e outros sentimentos mais. É um livro muito interessante e instigante, com a capacidade de tirar o sono de qualquer leitor que aprecie um bom thriller psicológico. Recomendadíssimo.
comentários(0)comente



Amanda Azevedo 17/02/2012

Bela Maldade - Rebecca James

Ultimamente tem sido raro eu pegar um livro sem esperar nada dele. Geralmente vejo muitas notícias a respeito dos livros que vou ler, então, de certa forma, fica impossível não criar nenhuma expectativa em cima da leitura. Mas com Bela Maldade foi diferente, por mais que eu tivesse visto e lido por aí, muito a respeito de sua publicação, foi um livro que a princípio, não chamou a minha atenção. Mas... Quando comecei a ler não parei mais! O livro é maliciosamente delicioso.

O título original do livro é Beautiful Malice. Uma brincadeira com o nome da personagem do livro: Alice. Por mais que o livro tenha o nome dela, quem narra a estória é Katherine.

As duas se tornam amigas e o sentimento de amizade existente parece realmente sincero, mas, fatos do passado acabam retornando e fazem com que a convivência se torne algo impossível.

A estória se passa em três tempos: passado — que é onde está o acontecimento que marca a vida de Katherine; presente — onde ela conhece Alice e onde se passa a maior parte da estória; futuro — que não direi o que acontece, pois, se eu disser vocês saberão o que aconteceu anteriormente. E tudo o que eu não quero é estragar a surpresa de vocês.

Não é possível se perder entre essas variações de tempo, isso só faz com que você devore páginas e mais páginas para compreender toda a vida de Katherine, o que se passou, o que se passa e quais as consequências isso trará para seu futuro e o futuro das pessoas que a cercam.

Bela Maldade é um livro pesado. Acontecimentos fortes e traumáticos envolvem a vida dos personagens. Mas o que torna a estória fascinante, é o fato de que nem só coisas ruins acontecem. Há o lado cruel, mas há também romance, lições, aprendizado. Isso trás equilíbrio e veracidade à leitura.

Por mais que seja um livro forte a leitura é rápida. O Universo que Rebecca cria é tão malicioso, intrigante e inusitado, que tudo o que queremos é acabar logo o livro — não entenda isso de forma negativa — ansiamos pelo fim para que possamos descobrir o real motivo das coisas e o que pode levar o ser humano a agir como se não fosse humano.

Fiquei totalmente surpresa com esse livro, comecei não esperando nada e fui sendo conquistada a cada página. Fiquei fascinada pela estória complexa, forte, cruel e que poderia ser perfeitamente real. São explorados os sentimentos mais íntimos dos personagens. Aqueles sentimentos que estão enraizados em nós, prontos para serem despertos a qualquer momento. Sentimentos que queremos a todo custo esconder.

Recomendo totalmente a leitura, mas, é importante lembrar que se você não estiver em uma boa fase e não quiser ou não gostar de estórias mais tensas, a leitura não é recomendada. Bela Maldade não é um livro de fácil digestão, não é um livro que diverte — não é esse o seu propósito — é um livro que instiga, comove, choca, mas sobretudo, surpreende.


Amanda — Lendo & Comentando
Visite: lendoecomentando.blogspot.com
comentários(0)comente



Amanda 05/02/2012

E falaram tanto desse livro que lá fui eu ler (sou dessas).
Vamos começar com a parte boa. A capa é linda, com um efeito brilhante e essa letra ótima que vocês podem ver. E descobri que a escritora já morou no Japão, na Inglaterra e na Austrália e trabalhou com todo tipo de coisa antes de escrever esse livro.
A contracapa trás vários elogios de revistas e jornais, dizendo que o livro é inteligente e sexy, enfim...
Logo nas primeiras páginas, achei o livro meio... "amador" seria uma boa palavra pra definir. As coisas acontecem rápido. Katherine está lá, lendo um livro e não conhece ninguém na escola nova e chega essa menina e senta do seu lado e convida ela para sua festa de aniversário. Quer dizer, não só convida, mas diz que se ela não for não vai ter festa, que ela pode dormir na casa dela, que elas vão ser amigas para sempre.
E pronto, elas são melhores amigas instantaneamente.
Assim. Fácil.
Seria melhor se tivesse começado já da festa, sem essa amizade forçada.
Ma vá lá.
Paralelo a isso, a Katherine vai contando que tem um terrível segredo, algo horrível que aconteceu com ela no passado. Demora para entender o que foi que rolou, a autora vai aos poucos dando pistas e montando o quebra cabeça.
Pra isso, ela intercala a história em momentos do passado (quando o "terrível segredo" aconteceu), do presente (enquanto ela está fazendo amizade com a Alice) e do futuro (quando ela já tem uma filha).
A coisa começa a fluir com mais naturalidade depois que você começa a adivinhar algumas pistas (por que é bem fácil saber o que está vindo...)
A única coisa que me pegou de surpresa foi o "terrível segredo". Vou dizer que não esperava por algo forte. Mas está lá.
Isso me fez pular algumas páginas da leitura (tô precisando de livros pra me animar, não pra me deixar pra baixo) e seguir em frente.
Apesar disso, a trama gira mesmo em torno da Alice, que é essa amiga da Katherine que aparece de repente, e começa a apresentar uns sinais de maluquice... devo admitir que a autora soube escrever bem algumas discussões, passando esse espírito escorregadio e cruel da Alice.
Mesmo assim, ainda é infantil demais.
O final é tão previsível quanto o Fantástico no domingo.
Camies 11/02/2012minha estante
só pude adivinhar qual era da alice no final do livro, qdo ela começa a falar dos assassinos e eu NOOOOOOOOOOOOOOSSA NÃO ACREDITO QUE NÃO ADIVINHEI ISSO hahahaha


Cláudia 16/02/2012minha estante
Nossa!!! Tirou as palavras da minha boca!
Comprei porque disseram que era ótimo, mas já nos primeiros capitulos percebi que tinha jogado dinheiro no lixo. Super previsivel, sem nenhuma profundidade e, realmente, essa parte de elas se conhecerem e se tornarem melhores amigas de uma hora pra outra é super forçado.
Ótima resenha, pena que não li ela antes.


Jana 21/09/2012minha estante
Amanda, finalmente encontrei alguém com quem eu concorde em relação ao livro. Porém, discordo no que se refere a surpresa do "terrível segredo", não sei, mas pelo fato do livro ser narrado em três partes já no inicio tudo era meio obvio. No mais concordo com você, a autora realmente forçou a barra em algumas situações.
Um ponto positivo do livro é a forma como a autora descreve o comportamento da Alice, foi bem inteligente ao descrever uma psicopata, porém, achei que ela se perdeu no final.


Virginia 09/02/2015minha estante
mds pensei o mesmo vi tantas resenhas falando tao bem q n aguentava mais d tanta vontade para ler mas acabou sendo uma decepção pra mim
eu meio q ja comecei a ter teorias quando revelaram como foi a morte da irmã dela e acabou q uma delas era desse final q ficou previsivel demais, primeira resenha q mostra exatamente como me senti


Evelyn Marinho Alves 25/11/2016minha estante
Concordo com vc. Me disseram que o livro era maravilhoso. Li em três dias mesmo sem tempo pra ver logo o final. E puf!que decepção ! Previsível e td aconteceu rápido demais. Escrita meio infantil e amadora.


Camila 16/03/2017minha estante
Melhor definição: Amador! Foi uma decepção e tanto. E odiei o final, na verdade o final é a única coisa mais impactante, mesmo assim não foi o suficiente para salvar o livro.




Karina 18/03/2012

Você já teve uma "Alice" em sua vida?
Meus pitacos:

Livro de mulherzinha? Ah, vá! Não é mesmo!!!
*ok, respira*
Quem foi disse que um livro sobre “melhores amigas” ou “amizade” precisa necessariamente ser um livro superficial, cheio de intriguinhas bobas e sem nexo? Que atire o primeiro marca página quem não olhou para a capa e pensou: “mais um livro de garotinhas”. Errado.

Eu demorei para postar essa resenha por pura falta de coragem. Motivo? Eu me identifiquei com a história – uma identificação pessoal mesmo. E, portanto, estava na dúvida se deveria expor isso ou não.
Depois de pensar muito, percebi que a resenha crítica é puramente subjetiva, logo, ela leva em conta as minhas vivências e percepções para interpretar livremente a trama e concluir o entendimento da forma como eu preferir. Pois bem. Vou tentar aqui esmiuçar todos os detalhes.

As pessoas compram livros por diversos motivos: a capa é bonita ou misteriosa, a sinopse é muito interessante, o livro está em promoção, foi recomendado por um amigo, e por aí vai…

Confesso que a capa engana um pouco. Um livro azul-cor-tampa-de-caneta-BIC, com a escrita e a arte toda feita em brilho, uma fonte rebuscada…
Tudo leva a crer que “Bela Maldade” trata-se de um livro de menininha. Até você erguer os olhos e ver a legenda que acompanha o título: “A amizade pode ser mortal” – e foi justamente o que me fisgou!

Pensei: uma espécie de “Gossip Girl do mal”?; “um Pretty Little Liars disfarçado com purpurina?”; “um thriller tenso à lá “Carrie, A Estranha”?

Foram muitas as coisas que vieram à minha cabeça, mas a verdade é que a legenda me cativou mais até do que a própria sinopse.

De linguagem fácil e enredo muito bem amarrado, a autora domina três “épocas” de sua protagonista. Ora você lê sobre os atuais dias de Katherine Petterson, jovem de 17 anos, ora você está invadindo o passado cruel que ela teve no maior estilo flashback, e, de forma abrupta, você está diante do desfecho da história. E não é que a escritora australiana Rebecca James deu conta do recado?

Esse vai-e-vem de situações deixa o leitor absolutamente vidrado na história – prato cheio para os devoradores de livros! Pois vão ler “Bela Maldade” numa “sentada”.

Sobre as maldades?
Imagine que você está passando por um momento de superação em sua vida, digamos que um trauma, e precisa superar isso a todo custo. De repente, sem pedir licença, surge uma garota cheia de vida (Alice), que começa a fazer com que você se sinta parte de um grupo novamente. Como se pudesse integrar-se à sociedade outra vez e quase tentar esquecer o passado obscuro. Só que, o que era para ser a “solução”, sua “melhor amiga” transforma-se no seu pior pesadelo.

Em meio a falsidades, mentiras, assassinato e uma boa dose de inveja, “Bela Maldade” fala de problemas entre garotas, de uma forma bem mais alucinante e, é claro, bem mais chocante.

Onde entra minha “identificação pessoal”:
Eu tive uma “Alice” em minha vida. Aquela pessoa em que você confia seus maiores segredos e chama de Melhor Amiga. Aquela que a faz se sentir mais feliz e confiante. A amiga que você sabe que pode dividir tudo. A que te liga só para saber se você melhorou de um resfriado, e aproveita o pretexto para conversar e dizer que te ama e que só ligou porque estava com saudades. Eu…tive!

“Minha Alice” (vou preservar por questões éticas e óbvias o nome da pessoa) pregou-me uma tremenda peça digna de roteiro de novela das oito.

Lendo “Bela Maldade”, eu não era mais a Karina Andrade. Eu era Katherine Petterson, e, em todas as situações eu via o que a Alice fazia e me contorcia de angústia. Parecia que eu estava vivendo tudo o que sofri com a MINHA melhor amiga novamente. Não via a hora de chegar à página 302 e ver como tudo acabava.

Claro que o livro tem o final digno de filme! Mas, as artimanhas malvadas usadas por Alice, querendo ser sempre o centro das atenções, não importa a quem está machucando, ah, isso sim é bem VIDA REAL!

O que aconteceu comigo? Eu removi minha ex-melhor amiga da minha vida. O que acontece na história de “Bela Maldade”? Corra até a livraria mais próxima para saber. Você não vai se arrepender!


Saiba mais em "http://contracapa.fast89.com.br/?p=40" - está rolando promoção!
julianateixeira 18/03/2012minha estante
gostei da resenha tá otima!




Padronizado 18/12/2014

RESENHA: BELA MALDADE - REBECCA JAMES
Publicado no Brasil pela Intrínseca, é um livro que envolve um pouco de tudo: romance, suspense, adrenalina, mistério, drama... E por aí vai. Curioso? Então, vamos lá.
Katherine se mudou para Sydney, e ela tem um segredo. Não aguentava mais viver em uma cidade onde todos sabiam o que havia acontecido em sua vida, então mudou de nome e foi viver no anonimato, morando com a tia.
Em seu novo colégio, Katherine permanecia sempre alheia as pessoas e aos acontecimentos à sua volta. Não podia baixar a guarda, não podia deixar que alguém descobrisse quem ela era de verdade.
Um dia, Alice, a menina mais linda e popular do colégio, a chama para sua festa. Sabendo muito bem que não podia se aproximar, Katherine não quer ir. Mas todo o entusiasmo da menina é contagiante e o modo como Alice a faz se sentir importante, a comove. Então, ela decide, que mal pode haver?
Alice é uma menina empolgada, de bem com a vida, alegre, extrovertida e está sempre animada e flertando com todos, como uma adolescente normal: exatamente o contrário de Katherine. Porém, ela percebe que as duas tem mais em comum do que ela pensa e, deixando a guarda baixar, as duas acabaram virando melhores amigas, junto com o namorado/ficante/caso de Alice, Robbie.
Robbie está sempre contrariado, pois é completamente apaixonado por Alice e faria tudo que ela o pedisse. Alice, ao contrário, nunca estabeleceu algo firme com ele. Robbie sinceramente não sabe qual o tipo de relação dos dois, já que Alice uma hora é carinhosa e outra, fria. Robbie e Katherine se aproximam imediatamente quando se conhecem, também se tornando melhores amigos.
Depois de um tempo, com alguns acontecimentos, percebe-se que Alice não é quem parece ser. Ela tem surtos, faz maluquices, cenas e parece uma pessoa um pouco desequilibrada.
Está curioso para saber o segredo de Katherine? E o segredo de Alice? Que maluquices Alice aprontará? Então, você com certeza deve aproveitar e correr para comprar Bela Maldade o mais rápido possível!
O livro, narrado ao mesmo tempo no presente (quando Katherine está mais velha) e no passado (na época em que Katherine conheceu Alice). Bem escrito, não é um must have, mas é um bom livro e uma leitura fácil.

site: http://blogpadronizado.blogspot.com.br/2014/12/resenha-bela-maldade-rebecca-james.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
tiagoodesouza 29/05/2012minha estante
O começo do livro não é lá essas coisas e ele melhora bastante na segunda parte. Ao contrário de você, não gostei da história contada nessas três fases. Desacelerou legal a leitura.




Telma 10/06/2012

Beatiful mAlice
Minha opinião:

O título em inglês é perfeito, uma vez que a vilã chama-se Alice.
A leitura é extremamente fácil e vou citar os aspectos positivos e negativos que vi no livro, ok?!

Aspectos Positivos:
* Gosto de história onde os personagens apresentamos conflitos bem próximos da nossa realidade. Há bastante disso neste livro.
* História sobre a mente humana/ a psiquê e seus distúrbios, como a psicopatia chamam minha atenção e, sendo bem contada ou má contada,gosto de lê-las. A vilã apresenta muitos dos traços de um psicopata, é extremamente desequelibrada e chamorsa, faznedo-me lembrar de Ted Bandy. Alice me parece um Ted Bandy de saias.
* A história tem ritmo e boa cadência. É gostosa de ler.

Aspectos Negativos:
* Há imensidão de clichês me irrita um pouco (um pouco demais...rs)
* Na minha opinião, o final do livro é "piegas". Não encontrei outra palavra melhor. Até que ele corre bem no começo e metade. Descreve bem os sentimentos plausíveis da personagem principal, Katie ou Katherine. Ela traz à tona questões importantes, principalmente sobre o poder do trauma mas, no final, tudo ocorre tão rapidamente e de maneira tão previsível que...arghhhh
* A grande previsibilidade em quase todos os atos do livro. Quando a autora começa a citar um fato, você já sabe perfeitamente onde ele vai dar, sem fazer muito esforço, e quando ele acontece você ficar surpresa, pela personagem ter ficado tão surpresa, quando tudo estava tão na cara.

Opinião final:
Ainda sabendo de tudo isso, eu leria o livro.
É um bom entertenimento.
Remeteu-me a alguns filmes:
1) Mulher solteira Procura
2) The Roommate (Colega de Quarto)
3) Segundas Intenções

Se você gostou desses filmes, creio que irá gostar de Bela Maldade.

~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*

Sinopse do Livro:

"Um segredo devastador. Uma vida destruída. Uma nova amiga que ajuda a esquecer. E se ela não for quem aparenta?

Após uma horrível tragédia que deixou sua família, antes perfeita, devastada, Katherine Patterson se muda para uma nova cidade e inicia uma nova vida em um tranquilo anonimato.

Mas seu plano de viver solitária e discretamente se torna difícil quando ela conhece a linda e sociável Alice Parrie. Incapaz de resistir à atenção que Alice lhe dedica, Katherine fica encantada com aquele entusiasmo contagiante, e logo as duas começam uma intensa amizade.

No entanto, conviver com Alice é complicado. Quando Katherine passa a conhecê-la melhor, percebe que, embora possa ser encantadora, a amiga também tem um lado sombrio. E, por vezes, cruel.

Ao se perguntar se Alice é realmente o tipo de pessoa que deseja ter por perto, Katherine descobre mais uma coisa sobre a amiga: Alice não gosta de ser rejeitada..."

Curiosidades:

- Bela maldade foi publicado em 35 países;

- Uma história com amor, sexo, drogas, gravidez precoce, música pop e um crime que abala uma família, um thriller que mobiliza jovens e adultos;

- Com tramas capazes de prender os leitores, a autora já foi comparada a ídolos da literatura, como J.K. Rowling;

"Um thriller psicológico e sexy, brilhantemente construído." - The Wall Street Journal

"Essa trama sobre rivalidade leva a crueldade a novos limites." - The Independent

"Sentimentos tão eternos quanto universais com os quais todos se identificarão." - L´Express
Silvia 10/06/2012minha estante
Parece ser um bom livro, gostei da sua resenha.




Blog MVL - Nina 16/11/2011

Minha Vida por um Livro | www.minhavidaporumlivro.com.br | Marina Moura
A estória se desenrola em três tempos diferentes. Revelando aos poucos os segredos sobre a morte de Rachel, irmã caçula de Katherine, a amizade disfuncional com Alice e já na fase adulta, levando a filha pequena para uma viagem.

A protagonista é apresentada ao leitor em um estado vulnerável, frágil e solitário. Katherine é perseguida por seus próprios demônios do passado, caminha por sua escola como uma sombra. Não sociabiliza não se destaca em nada e tem notas médias. Tudo o que ela quer é ser ignorada. Mas então a adolescente conhece Alice. Linda e popular, não há nenhum motivo aparente para o interesse que ela demonstra por Katharine. Inesperadamente ambas acabam se tornando amigas. A princípio eu senti aquele rápido deja vú,afinal,não é um comportamento raro em pessoas como Alice. Eles são os donos do palco, mas precisam de platéia. E tive a sensação de que Katharine seria exatamente isso para Alice.

Alice é uma personagem verdadeiramente asquerosa. Instável, agressiva e cruel. Meu estômago deu alguns milhares de saltos em certos pontos do livro. Eu queria atirar o livro na parede, tão grande foi a minha indignação com certos diálogos da personagem. Rebecca James nos descreve um tipo de personalidade destrutiva em sua coadjuvante. Alice é uma pessoa que gosta de manipular os outros, e exerce esse poder da forma mais sádica. Ela possui um óbvio comportamento sociopata. Despreza o comportamento socialmente aceitável, indiferença perante as emoções alheias, e especialmente, o requinte de crueldade ao se divertir com o sofrimento que provoca. É um aspecto da trama que inseri de forma sutil um elemento de thriller psicológico muito interessante e que estimulou a minha leitura.

É uma leitura angustiante, aditiva e assombrosa. Não sei determinar exatamente em que momento me envolvi com o enredo. Devo ressaltar a incrível percepção da autora para os conflitos emocionais humanos mais destrutivos. Culpa, inveja, vergonha. O livro fascina e repele ao mesmo tempo. O leitor atravessa praticamente toda a leitura com um punho apertando seu âmago e tendo a certeza de que algo terrível está para acontecer.

“Bela Maldade” não é um livro prazeroso de ler, não é uma distração. É uma leitura intensa, perturbadora. Com um ritmo instigante, Rebecca James sabe que botões apertar para levar o leitor a uma viagem perigosa, onde a amizade pode ser a arma mais letal de todas.
comentários(0)comente



Amanda 28/01/2013

Eu vi bastante resenhas positivas sobre esse livro na blogosfera e fiquei empolgadíssima com ele e decidi de uma vez por todas que eu ia compra-lo e não deu outra, na Bienal do Livro que teve o ano passado em São Paulo eu achei esse exemplar em uma promoção diária por R$8,00 e não tive dúvidas, comprei.
Comecei a ler ele depois de alguns pois eu tinha outros livros na fila de espera e por ele ser curto dava pra ter lido em um dia, mas eu li em dois porque minha vida estava corrida na época, vida de pré-vestibulanda é dura viu, rs.
Bom, comecei a ler na maior empolgação imaginando que seria o melhor thriller que eu iria ler na minha vida inteira e bom não foi nada disso.
O livro conta a história de Katherine que tem um terrível segredo que faz com que a sua vida e a de seus familiares sejam devastadas por isso, então ela se muda de cidade para recomeçar e se livra desse segredo que a atormenta, e é nessa nova cidade que ela conhece Alice, linda e simpática Alice se torna a melhor amiga de Katherine, mas as coisas não são tão boas quanto parecem ser, Alice também tem segredos e por mais encantadora que ela possa parecer sua lado sombrio se mostra dominante e ao pensar que talvez Alice não seja a melhor pessoa a se ter por perto, Katherine descobre que ela não gosta de ser rejeitada.
Essa é a premissa da história. O livro é contado em três tempos, o antes, que é a época do seu terrível segredo, o agora, que mostra sua relação com Alice, e o depois, que mostra sua vida depois de tudo, esses tempos não estão em ordem cronológica e cada capítulo é um tempo que você vai descobrindo ao ponto que a história vai sendo narrada.
Katherine, a protagonista me irritou basicamente o livro inteiro, na maior parte do tempo do agora e do depois ela se faz de inocente e coitada tentando se livrar do seu passado obscuro e é quando eu descubro o seu tão terrível segredo é que ela me irrita ainda mais e que para mim ela não é nada da coitada que ela se mostra ser, porque pra mim ela tem culpa no cartório.
Alice, é linda e simpática a tipica garota popular do colégio que você sonha em ser amiga, mas a partir do momento que ela vai se envolvendo com Katherine que vamos descobrindo sua real personalidade, Alice é mesquinha e cruel. Ao ler a sinopse do livro eu tinha a sensação de que Alice era um tipo de serial killer mas me parece que ela é mais uma criança mimada e perturbada que quer tudo do seu jeito. Ela me parece mais aquelas adolescentes imaturas que não conseguem ouvir um não.
Mas o que mais me incomodou na história toda foi a rapidez com que ela desenrola, o periodo que separa o antes, o agora e o depois é de mais ou menos 3 meses. Eu tive a impressão de que as coisas são jogadas para o leitor e o jeito que foi escrito me pareceu que a autora queria te obrigar a acreditar naquela história, que Alice era a pior pessoa do mundo e que Katherine era uma santa. A amizade delas é forçada, logo no momento em que elas se conhecem não passa uma hora e elas já são amigas de anos que foram separadas na maternidade e coisas do tipo.
O fim não me convenceu. Não é uma história que eu recomendaria, a não ser que você achasse ela por uma preço melhor do que a que eu achei. Ler esse livro é por sua conta em risco.

blog: http://crase-ando.blogspot.com.br/2013/01/resenhando-bela-maldade.html
She 28/08/2013minha estante
Amanda concordo plenamente com você, detestei o livro, achei a história muito forçada, a sinopse nos passa uma impressão bem diferente do que o livro realmente é, a Alice não é psicopata coisa nenhuma, e seus atos estão bem longe de crueldade, tá mais para uma menina ambiciosa, mimada, e carente, que faz de tudo para chamar a atenção.
Também paguei 8 reais pelo livro e creio que ele não valha nem isso.




Teri 12/01/2012

Bela Maldade - Rebecca James - Resenha
Intenso e incrível
Intenso da primeira palavra até o último ponto final.

Eu acabei de ler o livro e estou muito triste. Mas não é porque o livro é ruim, é exatamente ao contrário! Então porque eu to triste? Porque o livro é pequeno demais e é maravilhoso! Já vou logo avisando que o livro não tem saga. Bom eu vou dar um resuminho do livro e depois falar sobre ele. *já vou falar que não vou falar muito porque eu odeio revelar spoilers! :D

Katherine Patterson,uma adolescente de 17 anos, depois de perder a irmã,Rachel, se muda pra morar com sua tia Vivian. No novo colégio ela decide viver isolada. Até conhecer a encantadora e divertida Alice, que a faz se sentir especial. Mas, e se Alice não for a boa pessoa que parece ser...?

Bom, eu dei um ‘fric-fric’ quando descobri que o livro tinha acabado! Sériio o livro é tão perfeito que nem sei por onde começar...com certeza é um dos melhores livros que existe! Sério, em NENHUM,NENHUNZINHO MOMENTO ,o livro ficou chato. Geralmente todos os livros tem alguma parte enjoadinha, mas isso não aconteceu com ‘Bela Maldade’, o livro inteirinho eu fiquei curiosa! A cada capitulo que passava eu queria mais e mais! O livro é muito, mas muito cativante!

A narrativa da Rebecca é bem normal e narrada em primeira pessoa. Mesmo a história não tendo nada de sobrenatural, a história tem surpresas e suspense (tá,nem tantas surpresas pois o livro é bem previsível). Bem voltando a narrativa...É bem diferente, pois se passa em 3 tempos diferentes: antes da morte de Rachel que é o passado ; o presente, que é quando ela tem sua amizade com Alice e quando Rachel já morreu, e o futuro. Mas não é tudo bem divididinho não, acaba um capítulo e o outro pode estar tanto no passado como no futuro ou no presente, e não tem explicadinho falando o tempo em que está, então pra quem ainda não leu,no final eu deixo tudo explicado,mas tenho toda certeza que vocês não precisarão. Bom eu não me incomodei com isso porque eu já sabia que isso aconteceria.

Sobre os personagens...foram muito bem construídos! rebecca está de parabéns em todos os aspectos!

Diferente de todos os livros que eu já li, esse livro não se passa nos EUA, e sim na Austrália e Sydney.

Eu achei o livro todo perfeito: a história, a narração e os personagens. O livro tem uma pitadinha de tudo: suspense, drama, romance...e mesmo tendo muito pouquinho, o livro ainda tem partes engraçadas. Ah! Uma coisinha, vocês vão sofrer, pois Rebecca não tem pena! Tragédia é tragédia... :/
Bom é isso... super, hiper, mega ultra recomendado! :D mas antes, abaixo tem explicado os capítulos que se passam no passado, presente e futuro.

Prefácio – é uma narração de Katherine depois de tudo.

Capítulos:1;2;3;5;8;10;12;14;16;18;19;21;23;25;26;28;29;30;31;32;33;34;35;36;37 e 38- presente – (depois de Rachel morrer)

Capítulos:4;6;9;13;17;20;22 e 24-passado – (antes de Rachel morrer)

Capítulos:7;11;15;27 e 39- futuro – (o que aconteceu com Katherine depois de 5 anos)
comentários(0)comente



Michelly 09/04/2013

Não julgue pelas aparências...
Quando conheci Bela Maldade pensei que se tratava de um livro sobre amizade e intriguinhas bobas. Então li algumas opiniões e passei a achar que era tipo um Gossip Girl do mal. Mas nada disso define o que ele realmente é.
Definitivamente, esse não é um livro confortável de ler. Primeiro porque há tragédias acontecendo do começo ao fim, segundo porque é completamente angustiante.

Bela Maldade narra a história de Katherine, uma jovem de 17 anos que teve sua vida devastada pelo assassinato da irmã. As circunstâncias desse crime são desvendadas pouco a pouco, o que torna a leitura muito interessante. A cada pedaço da história que era revelado, minha ansiedade para descobrir o que realmente havia acontecido, aumentava.
Tentando superar esse trauma, Katie vai morar com sua tia em Sydney, onde conhece Alice. Essa nova amizade parecia ser tudo que Katie precisava para resgatar um pouco de sua antiga felicidade, porém, com o tempo, Alice se mostra narcisista e má.
Contudo, nem só de tristeza se faz Bela Maldade. Há também momentos fofos, romance e amizade verdadeira. Há Robbie, Mick e Philippa (e eu gostei bem mais deles do que da protagonista).
O desfecho é muito bom (apesar de não ser o tipo de final que me agrada), mas fiquei com a impressão de que tudo foi meio corrido. A loucura de Alice e suas consequências poderiam ter rendido páginas emocionantes, mas acho que a autora esticou muito o desenvolvimento e teve que correr no final.

Para mim, Bela Maldade não foi motivo de arrependimento nem de euforia. Foi apenas um bom livro, e bom é melhor que nada né...

http://maisumapaginalivros.blogspot.com.br/
Mais Uma Página
comentários(0)comente



Blog MDL 10/11/2013

Extremamente perturbador.
Katherine está longe de ter uma vida perfeita, tendo sofrido uma perda irreparável e sendo vítima de uma tragédia, ela sai da casa dos seus pais e tenta viver da melhor maneira que pode em Sidney. Desde que se mudou ela está com o pensamento fixo em ser alguém tão comum a ponto de não chamar a atenção de ninguém, porém, para a sua surpresa uma das garotas mais populares da escola tenta se aproximar dela e se tornar sua amiga. O nome dessa garota é Alice e por mais que Katherine não queira, acaba se rendendo ao encanto de sua mais nova amiga e permite que ela entre em sua vida. Com o passar do tempo, ela vai observando que apesar de ser linda, radiante e carismática, Alice esconde uma personalidade destrutiva. Não que isso a impeça de continuar estando ao lado dela, mas após uma atitude vil e cruel que fere profundamente o seu amigo Robbie, Katherine passa a questionar a amizade de Alice e descobre que ela pode ser ainda mais cruel do que ela imaginava.

Eu não sei porque, mas há alguma coisa estranha na narrativa da Rebecca James que deixa o leitor perturbado durante toda a leitura. Não que isso seja impedimento para continuar, já que com uma escrita ágil, a autora nos impele a prosseguir com a história de tal modo que quando nos damos conta várias páginas se passaram e a curiosidade de saber o que nos aguarda no final é maior do que o cansaço por estar a horas conectada a sua trama. Dividido em duas partes, o livro é marcado por uma narrativa em primeira pessoa, mas que não segue uma ordem cronológica, já que apresenta fatos do presente, passado e futuro. E por mais esquisito que possa parecer eu falar que sabemos do futuro da história, na prática não é, pois ao que parece a história é uma narração dos fatos após eles terem ocorrido, onde a protagonista nos revela como se sentiu em cada um desses momentos como se tudo estivesse acontecendo em tempo real. Com certeza uma forma de escrita diferente, mas nem por isso menos genial.

Acredito que se fosse em outra época, essa forma distinta de narrar a trama poderia ter sido um problema para mim – o que atualmente não foi. Entretanto, em ‘Bela Maldade’ o que me deu razões reais para sentir incomodo foi a protagonista Katherine e seu ar de pessoa apática que não vê sentindo algum para viver após ter sobrevivido a uma tragédia que tirou a vida de sua irmã caçula. É certo que ela tem motivos para ser assim – já que é impossível redimi-la de parte da culpa pelo aconteceu a sua irmã Rachel –, mas isso acabou parecendo mais um pretexto para que as pessoas a consolassem e a isentassem de sua responsabilidade.

Além disso, a maneira contraditória com que ela agiu em relação a Alice me irritou, pois ela não só permitiu que a outra entrasse em sua vida no mesmo dia em que diz que não queria ninguém próximo a ela, como também, deixou que esta conquistasse o posto de ‘melhor amiga’. Isso pode ter sido ingenuidade por parte dela, mas com alguém como Alice é quase impossível se deixar levar, porque apesar dela ter seus momentos simpáticos, é visível que ela sofre de um sério transtorno psicológico. Nenhum ser humano normal age da maneira que ela agiu. Porque sim, mesmo ela parecendo ser uma criança birrenta ela foi má e cruel na maior parte do livro e eu acho sinceramente que ela era uma sociopata com um potencial imenso de destruir a vida de alguém.

E é por isso que não gostei da maneira que a autora solucionou as coisas mesmo compreendendo que aquilo era o melhor a se fazer. Todavia, não pensem que com essas críticas eu quero dizer que o livro é mediano, porque não é. Ele não só está acima da média, como também, traz com que ele a capacidade de nos fazer questionar nossas atitudes e posicionamentos com relação a coisas realmente importantes em nossas vidas. Isso, associado ao poder da narrativa de Rebecca me faz recomendá-lo sem medo de que estarei indicando algo que não vale a pena ser lido. Só peço aos leitores que estão dispostos a entrar de cabeça na história de Katherine que se recordem que esse é um livro denso e inquietante nos mais variados níveis e que por isso, pode não ser de fácil leitura.


site: http://www.mundodoslivros.com/2013/11/resenha-bela-maldade-por-rebecca-james.html
comentários(0)comente



Mar 19/01/2015

Que final foi este...?
O livro "Bela Maldade" é um thriller psicológico escrito por Rebecca James. A obra narra a estória de Katie, uma menina que acabou de passar pela tragédia de presenciar o assassinato da irmã mais nova e se culpa pelo ocorrido, e de Alice, garota de atitudes estranhas que não suporta presenciar a felicidade de seus amigos. Alice parece ter um "Q" contra Katie. Considera a menina melhor amiga, porém, faz tudo para ela se sentir mal com seu passado e parece adorar destruir as coisas que faz Katie feliz.



Eu tinha muita vontade de ler Bela Maldade desde seu lançamento no Brasil, que foi no ano de 2010 pela editora Intrínseca. Amo thrillers psicológicos e este livro me chamou muita atenção. Não é pra menos! O enredo foi muito bem construído e, apesar de ter como ponto de partida uma tragédia, a grande maioria dos livros publicados recentemente tem esse mesmo ponto de partida, foi muito bem aproveitado. O livro tem fases, a autora insere passagens do presente no meio da narração, porém, a grande maioria das páginas narram o passado. Isso deixa a estória muito instigante porque você fica curiosa demais! Tentando entender o que liga os fatos do passado com os do presente. Nossa! Muito bom!


Gostei muito da construção das personagens, tanto das duas protagonistas, quanto dos coadjuvantes. Apaixonei-me pela maioria. Acredito que o ponto fraco da obra neste quesito foi que Rebecca pareceu se perder entre as páginas 100 e 150 aproximadamente. Isso prejudicou não apenas na caracterização das personagens, mas também, na continuidade do enredo. O que deu a entender quando eu li essa sequência de páginas foi que a autora ficou ansiosa demais para chegar num ponto e meteu os pés pelas mãos. A inserção da coadjuvante Philippa ficou artificial, a cena do bar entre Ben, Alice, Robbie, Philippa e nossa Katie ficou fraca, forçada!, entre outros fatos que me deixou descontente. Mas logo James retoma sua escrita feroz e inteligente e não deixa o livro cair de qualidade.

Clique em "Continue Lendo" para ler a resenha do livro "Bela Maldade"




Uma outra coisa que me incomodou no livro foi a forma com que a autora elaborou os diálogos. Não sei se foi uma coisa da tradução brasileira, mas, a linguagem das falas não tem nada de coloquial. Por exemplo, existiam falas com "Mostraram-se", ou seja, usando uma regra gramatical usada na escrita do português, mas não usada na fala! Isso me incomodou um pouco! Além disso... Tive alguns problemas com tradução e erros de digitação, alguns muito bobos, mas nada que fizesse prejudicasse a leitura.



Quanto à capa do livro... esplêndida! A editora Intrínseca fez um belo trabalho colocando um efeito metalizado dentro do azul. A capa inteira tem itens que se enlaçam com a estória (vou fazer um Explicapa deste livro! Conheça outros Explicapas aqui) e eu adoro isso!




Eu tinha começado a ler "Bela Maldade" e deixado de lado. Depois, quando retomei, finalizei-o em dois dias. Ele é um livro de velocidade rápida. Aquele que você não consegue largar. Eu fiquei hipnotizada pela escrita, pelos fatos, pelas personagens, por tudo! É tudo tão arrepiante... Eu chorei com o final! Foi incrível. Mas, de modo geral, é um livro muito triste. Eu recomendaria você a ler só quando estivesse com a cabeça relaxada. Porque tem muita tragédia... sentimento de culpa... remorso... dúvida... Muita informação para um coração leitor. Então, é bom que você esteja com a mente tranquila para aproveitar o livro!


Apesar de alguns pontos negativos dessa obra, ela entrou nos meus favoritos! Sem dúvidas, é um dos melhores thrillers psicológicos da minha estante. Realmente acredito que existam outros muito melhores, visto que tiveram erros que me desanimaram da leitura. Mas, como ainda não tenho algum que supere "Bela Maldade" na minha estante, ele ainda vai ser meu queridinho quando se trata do gênero. Este livro é uma leitura obrigatória para quem ama thrillers!

Resenha retirada de: www.LaGarota.com.br

site: www.LaGarota.com.br
comentários(0)comente



Martha 11/10/2011

Sensacional!
Toda vez que leio um novo livro, fico espantada com a criatividade que os autores têm que ter para criar sempre uma estória nova, que nos prenda de tal forma que fica difícil resistir a sentar e ler o livro todo de uma vez.

Isso aconteceu com Bela Maldade, publicado no Brasil pela Editora Intrinseca. E não sei como dizer o que penso do livro sem estragar as surpresas que ele contém.

Katherine e Rachel são irmãs. São adolescentes, com 15 e 14 anos respectivamente. São amigas e companheiras. Sua família é unida. E é por tudo isso, que quando uma tragédia acontece em sua família, a primeira coisa que Katherine faz é se mudar para outra cidade, em busca de paz. Ela sabe que nunca conseguirá esquecer o que aconteceu, mas não consegue conviver com tanta dor.

Numa nova escola, ela só quer ficar sozinha, sem ter pessoas a olhando todo o tempo. Por isso ela se espanta quando é convidada para uma festa armada por Alice, uma garota tão linda e popular! Apesar de não querer comparecer, ela acaba cedendo e percebe que precisa mesmo de alguém que traga um pouco de luz para sua vida, depois de 2 anos na mais pura tristeza! Na festa, ela percebe como Alice é adorada por todos!

Após ficar amiga de Alice, Katherine também conhece Robbie, o namorado dela, que ela insiste em dizer, longe dele, é claro, que isso não é nada mais que um passatempo. Os três viram amigos inseparáveis e um dia, num jantar, conhecem um ex namorado de Alice, que está jantando junto de Philippa, que se tornará a mais nova amiga de Katherine e perceberá o quanto Alice é inconstante e perigosa.

Com Philippa por perto, Katherine começa a frequentar novos ambientes e conhece Mick, o irmã de Philippa, que toca em uma banda. Eles ficam atraídos instantaneamente, e Katherine se surpreende ao perceber há quanto tempo ela não se sente assim por alguém, já que depois que ela foi embora da casa de seus pais, deixou também para trás seu antigo namorado.

O amor de Mick só faz bem a Katherine. Mesmo ela achando que não deva sentir tanta felicidade, pois ainda se sente culpada por tudo o que houve no passado, ela tenta seguir sua vida adiante. Alice, se sentindo excluída dessa felicidade, começa a perseguí-los e a fazer coisas absurdas. É difícil para ambos acreditarem em como ela é sórdida e psicótica. Está definitivamente seguindo-os por toda parte,
a fim de transformar a vida num inferno.

Após tantas perseguições e problemas, finalmente ela consegue ferir Katherine novamente, e de uma forma que é quase insuportável. E Katherine entenderá o porque da exigência de Alice por sua amizade. E tudo estará relacionado com os fatos do passado.

Bela Maldade, da autora Rebecca James, publicado no Brasil pela Editora Intrinseca, definitivamente foi "brilhantemente construído". O livro intercala 3 tempos: o passado-quando Katherine vivia com sua família e quando ela estudava na nova escola- e o presente, quando ela está com 22 anos e lembra por tudo o que passou.

Confesso que não foi fácil me segurar ficar acordada até de madrugada para terminar de ler o livro. Fiquei curiosa e empolgada, porque é tanto suspense e surpresa, que você certamente não vai largá-lo até o final.
comentários(0)comente



223 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |