O Destino de Adhara

O Destino de Adhara Licia Troisi




Resenhas - O Destino de Adhara


10 encontrados | exibindo 1 a 10


Gleamingcat 22/03/2018

Esperava mais. Muito mais.
Apesar dos mistérios que cercam a personagem principal, a trama parece rodar sobre si mesma. Ok, entendemos que pode ser necessária alguma explicação do passado para quem for pegar essa trilogia sem ter acompanhado as duas anteriores, mas em muitas passagens fica muito difícil de engolir as descrições extremamente repetitivas.

Adhara é uma heroína muito mais fraca do que foram Nihal e Dubhe. Particularmente, eu devo até terminar essa trilogia (já que, dessa terceira vez que tentei ler o primeiro livro, consegui concluí-lo) porque gosto muito do universo criado pela autora, mas definitivamente, o desfecho da trama foi para o fim da fila da lista de leitura. Uma pena.
comentários(0)comente



Leomar 29/12/2016

Seção da tarde
É uma fantasia bem infanto/juvenil. Não é ruim, mas está longe de ser das melhores que já li. Não é preciso ler os livros anteriores para ler este.

A maior parte da história é um romance bem água com açúcar, a velha disputa do bem contra o mal, etc.
comentários(0)comente



Gabriel 11/12/2015

O Destino de Adhara - Leve, interessante e com um leve toque de suspense.
Confesso que esse livro me surpreendeu, acabou sendo mais do que eu esperava. Achei essa 3ª série do Mundo Emerso, melhor do que a 1ª, mas não melhor do que As Guerras do Mundo Emerso, é claro, que diga-se de passagem, é a minha série favorita.Eu lia nas resenhas, as pessoas comentando que Lendas do Mundo Emerso não era lá grande coisa e eu nem esperava mesmo que fosse, depois da incrível 2ª série da escritora. Mas como eu disse, essa série acabou superando um pouco as minhas expectativas. A história realmente não é lá tão incrível assim, mas a Licia consegue me prender nos seus livros, que sempre vêm com tramas deliciosas e cativantes.
A trama já começa com um suspense, o leitor fica na expectativa para saber quem é realmente Adhara e qual a sua verdadeira história. O que só é revelado de fato, nas últimas páginas do livro. Novos vilões e antigos heróis se juntam nessa nova série, com o surgimento é claro, de intrigantes novos heróis. San, neto de Nihal e Senar, assume um papel bem inesperado na trama. Ele é o personagem mais misterioso e intrigante de toda a história. Adhara consegue ser uma personagem cativante, e Amina, conseguiu me divertir durante as páginas. Como sou muito fã da série anterior, me deu uma certa tristeza ver a minha Dubhe já não como a de antes e com o peso da idade, mas realmente adorei presenciá-la nessa nova série.
Percebe-se o amadurecimento e a destreza da Licia nessa última série do Mundo Emerso, a escritora aperfeiçoou bem as suas habilidades ao decorrer das suas séries. Ela também parece ter vindo com um maior desejo de assassinar personagens, HAUSHUAHSUAHSU.
Em resumo, a história é boa, gostosa de ler e quero terminar a série. Não me empolgou e cativou tanto como As Guerras do Mundo Emerso, como já era o esperado mesmo. Mas eu tenho o Mundo Emerso e a Licia, em uma espécie de pedestal, justamente por causa da maravilhosa 2ª série da escritora. Ainda ressalto, que achei esse primeiro livro da série, melhor do que A Garota da Terra do Vento, o que me faz concluir, que essa série vai me agradar mais do que Crônicas do Mundo Emerso.
Por fim, recomendo aos fãs do Mundo Emerso e da Licia, que leiam sim a série de encerramento do Mundo Emerso, Ela é bem leve e gostosa, capaz de prender bem o leitor.
comentários(0)comente



Tauan 22/09/2015

De volta ao Mundo Emerso
Logo no primeiro capítulo o leitor já se lembra porque acompanha as séries do Mundo Emerso ao se deparar com a fluência narrativa de Licia Troisi.
Neste início de saga enquanto lhe é apresentada Adhara, nossa bela e desmemoriada heroína, sozinha e perdida no meio do nada, é com maestria que a autora transite o desespero da personagem.
Nos vemos de volta à Terra do Vento, para começar mais uma aventura no Mundo Emerso, que vive um período de paz, desde a queda de Dohor, cinquenta anos antes.
É próximo à Salazar, a capital da Terra do Vento, que Adhara começa a vagar, sem rumo, até que topa com Amhal, um jovem Cavaleiro de Dragão que é atormentado pelas sombras de seu passado e por uma escuridão interior. Ele a ajuda a encontrar um rumo a seguir em busca de seu passado.
É também ao lado dele que Adhara começa a descobrir aos poucos que possui poderes e habilidades incomuns.
Somos conduzidos, através da páginas, observando três focos de ação (que as vezes se cruzam): o de Adhara e Amhal ; o do homem de preto, um misterioso personagem que parece perseguir Amhal; e o de velhos conhecidos, onde reencontramos Dubhe, Learco e Theana, lutando para manter a paz que conquistaram
No decorrer da história descobrimos que o homem de preto é San, o neto de Nihal, que estava autoexilado e acabara de retornar ao Mundo Emerso. Mas a maior revelação é o seu nefasto objetivo, bem como as pífias ações por ele cometidas.
E no final, se revela o rumo que o eterno maniqueísmo que determina o rumo deste mundo se revela, deixando-nos estupefatos, à espera do segundo volume.

site: http://pausaparaaleitura.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Paulatictic 10/03/2014

Não tem como não gostar da escrita da Licia Troisi...
Ela sabe como escrever de maneira envolvente, e mesmo quando deixamos o livro de lado, não conseguimos parar de pensar nele, a estória nos prende do começo ao fim.
Mas acho que esse foi diferente das outras sagas, primeiro por que ela vem de um histórico, desde Nihal e Senar, até Learco e Dubhe, como sempre tendo as heroínas em primeiro plano e o "vilão" não aparecia com tanta enfase... Bem, em segundo vem o fato de que o "vilão" nessa história não parecia tão vilão, e as coisas começam a tomar forma bem diante do nossos olhos, e eu me vi dizendo várias vezes "não, não faz isso" para os personagens, por que as coisas simplesmente aconteciam e mudou totalmente o rumo que eu imaginava que poderia ter.
De certa forma isso é bem importante né? afinal ler outra saga que seguisse o mesmo dos primeiros não seria empolgante não é mesmo?
Pois bem, o livro começa com uma jovem que acorda no meio de um gramado sem ter memoria nenhuma do seu passado, ela se levanta sozinha e começa a caminhar e caminhar, e nesse caminho que encontra um personagem essencial, o Amhal, um aprendiz de cavaleiro do dragão que a ajuda a tentar descobrir essa memória e até dá um nome para ela, ela passa a se chamar Adhara.
Para quem ficou com saudades das guerras do mundo emerso, pode matar a saudade do rei Learco, Dubhe, Theana, 50 anos após a guerra.
Dubhe e Learco tem até um filho chamado Neor, que ainda jovem caiu de um cavalo e ficou paraplegico, e seus netos...
Mas, se preparem para iniciar uma nova estória cheia de conflito, intrigas e de muita tensão, confrontos e rever personagens que deixaram saudade. Sinceramente ainda sinto falta da Nihal e do Senar, eles são os melhores...
Adorei esse livro, e sinceramente fiquei olhando a continuação e estava me coçando para lê-lo também, mas decidi ler outro, para poder dar mais saudade... rs...

site: http://paulatictic-dicasdelivros.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Juliana 23/01/2014

Intenso, dramático e excelente
A história do livro se passa no mesmo ambiente que as trilogias anteriores da autora: Guerras do Mundo Emerso e Crônicas do Mundo Emerso, porém em um tempo diferente, com 50 anos passados desde os eventos ocorridos no primeiro e 100 anos após o segundo (o primeiro e o segundo citados, não a primeira e segunda trilogia, Crônicas do Mundo Emerso vem antes). Sendo assim, o livro é uma espécie de continuação, com alguns personagens de outras trilogias, agora em idade avançada, aparecendo nesta nova série. Para os que ainda não leram, sugiro que comecem a leitura pelas Crônicas do Mundo Emerso, em seguida leiam as Guerras do Mundo Emerso, para só então ler as Lendas do Mundo Emerso. Faz tempo que li as séries anteriores, mas posso adiantar que gostei bastante de todos os livros.

Para quem não sabe, o Mundo Emerso é um mundo habitado por Humanos, Ninfas, Gnomos e Dragões, sendo o últimos, parte da famosa ordem dos Cavaleiros de Dragão, defensores da paz e da justiça. O Mundo é dividido em oito reinos: Terra do Vento, Terra da Água, Terra do Mar, Terra do Sol, Terra dos Dias, Terra da Noite, Terra dos Rochedos, Terra do Fogo e a Grande Terra, território neutro entre os reinos. Cada uma dessas Terras tem suas particularidades que são explicadas com mais detalhes na primeira trilogia.

Bem, passando essa breve introdução, vamos à história propriamente dita. O livro narra a história de Adhara, uma jovem que acorda sobre um gramado sem nenhuma memória sobre si, não conseguindo se lembrar nem mesmo de seu rosto ou de seu nome. Ela segue suas andanças, movida por seus instintos, enquanto busca descobrir quem ela é e como foi parar naquele lugar onde acordou. Em suas andanças ela conhece Amhal, um jovem Cavaleiro de Dragão que tenta ajudá-la em sua busca pelo passado.

Durante as viagens de Adhara e Amhal, percebe-se o aparecimento de uma nova e mortal doença, que ameaça se espalhar por todo o Mundo Emerso, preocupando regentes de todos os reinos, e levando a população a um estado de selvageria provocado pelo pânico.

Logo no início da narrativa, também somos apresentados a personagens um tanto obscuros, definidos como Kriss e O Homem de Preto. Pelo tom das conversas, pode-se adivinhar que esses personagens seriam os antagonistas da narrativa, mas muito pouco é revelado sobre eles. Também participam do livro personagens já conhecidos por quem já leu as outras obras da autora, como Dubhe, Learco, San e Theana.

O livro é bastante interessante, a história tem um ritmo bem rápido e faz com que o leitor não consiga parar de ler, em sua curiosidade de saber o que acontecerá em seguida. A narrativa segue bastante agradável até quase a metade, quando acompanhamos os personagens em suas descobertas. Porém, a partir dai, a trama começa a se complicar cada vez mais, deixando os leitores angustiados a medida que a situação do Mundo parece se complicar cada vez mais, com cada vez menos esperanças de melhoria.

Posso dizer que o livro me afetou sobremaneira, foi o primeiro livro que me fez molhar os olhos. Não cheguei a chorar, acho que nunca li um livro ou filme que tenha me feito chorar. Não falo isso com intenção de me gabar, apenas procuro ressaltar o quanto a história me afetou a ponto de me fazer chegar a esse estado. O motivo disso, além da decadência prolongada do mundo onde a história se passa, está em três fatores, que geralmente são as coisas que mais me provocam raiva em uma história, e nesse livro as três coisas ocorrem, de forma combinada, me levando a um estado de frustração que eu nunca havia sentido. Tive vontade, muitas vezes, de interferir na história, de pegar os personagens e sacudí-los até vê-los voltar à razão.

Apesar dos pesares eu gostei muito do livro, e recomendo àqueles que gostam de aventura, com presença de magias e objetos mágicos, uma boa dose de drama e uma pitada bem colocada de romance. Os personagens, assim como o Mundo onde a trama é ambientada, são bem desenvolvidos, com a dose certa de profundidade e complexidade. O livro é excelente, consegue envolver o leitor, fazendo-o rejubilar-se com as vitórias dos personagens e entristecer-se com suas perdas, que não são poucas.

site: http://fantasticosmundosdepapel.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Galahad 29/06/2013

Cativo.
Não vou dizer que e muito bom, mas a historia e sedutora, pois ao mesmo tempo em que lhe apresenta velhos personagens também lhe apresenta novo. Cada qual com o seu aspecto para ser ter um interesse maior.
A nova personagem principal a achei parada, chata e sem muita participação nesse primeiro volume. O mais interessante ficou para o vilão já conhecido e seu parceiro. Juntamente com o príncipe Neor que para mim poderia ter durado mais.
De todo o modo e muito cativante o enredo deixando com vontade de ler cada pagina que estar por vir. Não da aquela euforia do principio como nas Crônicas, mas e bem interessante.
comentários(0)comente



Mat 11/02/2013

O Destino de Adhara
Pra quem acompanha Licia Troisi desde as Cronicas, Lendas do Mundo Emerso pode ser uma mudança drástica no estilo da escritora. "O Destino de Adhara" tem foco principal no amor entre Adhara e Amhal, sendo 80% do livro contando como Adhara se recuperou e conheceu Amhal, seguindo sua vida e se apaixonando por ele. Uma estranha peste atacou o mundo emerso, e Theana busca uma cura para tal peste, e a estranha aparição de San empunhando a espada de sua Avó e fazendo amizade com Amhal é o grande mistério do livro.
Em Cronicas do Mundo Emerso, a autora focou no tema de guerras, já em Lendas, a autora assume uma escrita sombria e misteriosa, até mesmo aterrorizante. O tema principal da história, uma menina que não se lembra de nada, já é um grande mistério, pois queremos saber o passado da personagem.
Enfim, extremamente recomendado.
comentários(0)comente



Nicolly 16/12/2012

Uma grande decepção, infelizmente.
Uma garota acorda numa campina e não lembra quem é, de onde vem, onde está, enfim, absolutamente nada. A jovem caminha por muito tempo até chegar numa cidade onde conhece Amhal, um jovem aprendiz de Cavaleiro de Dragão perturbado, que tenta a todo custo ajudar a moça, que logo recebe dele o nome de Adhara, a descobrir seu passado, viajando em direção à corte em Makrat.
Já na corte Adhara é logo notada pelo único filho dos reis da Terra do Sol, Neor, que lhe dá emprego de dama de companhia de sua filha Amina, aí é o inicio de uma forte amizade entre as duas, um sentido na vida de Adhara.
Learco e sua esposa Dubhe se tornaram rei e rainha da Terra do Sol, foram eles que conseguiram estabelecer a paz por 50 anos no Mundo Emerso após a derrota de Aster, Yeshol e Dohor. Mas a volta de San, neto de Nihal e Senar, que desaparecera há 50 anos irá abalar a vida de muitos.
É notada desde o principio que San tem certo interesse no jovem Amhal e agora que Mira, seu antigo mestre, fora assassinado, ele quer distancia de tudo e decide trabalhar num local onde as pessoas lutam contra a peste que o Mundo Emerso inteiro sofre e que está ameaçando a vida de todos. Os dois são enviados para uma aldeia que está de quarentena, mas lá na corte Adhara não aguenta ficar longe do garoto que há alguns dias percebera estar amando.
Bem, não sei muito bem como começar minha critica, porque sou fã declarada da Licia, amo o Mundo Emerso como se eu realmente fosse de lá. Amei Nihal e Senar nas Crônicas, me apaixonei mais ainda pela Dubhe nas Guerras e agora eu finalmente adquiri o primeiro volume das Lendas e o devorei como se não houvesse o amanhã. O grande problema foi que esse livro é uma grande decepção.
O começo eu achei bacana, prometia uma bela história, mas o problema é que o livro inteiro é uma enrolação, sem contar esse amor não correspondido da Adhara pelo Amhal me irritou, varias partes do livro eu não parava de pensar: “Poxa, que chata, besta e moscona você, meu!”.
Outra coisa é que Licia conseguiu fazer definitivamente todos os personagens virarem umas antas, principalmente o Amhal que cheguei num certo ponto do livro que não estava mais aguentando a burrice extrema dele.
Depois daquela lengalenga toda, acontece algo extraordinário, nos 45 do segundo tempo, que definitivamente só quis dizer “Eba! Acabou de começar a história, compre o próximo livro!”. Eu fico indignada com esse tipo de livro. Mas enfim, tomara que os próximos da trilogia salvem essa vergonha.
comentários(0)comente



Lorraine 29/06/2012

Chega de drama!
Sinceramente, o Destino de Adhara foi uma decepção.

Depois de ler as outras duas trilogias da autora, Licia Troisi, eu esperava mais do 1º volume de "Lendas do Mundo Emerso". Tudo bem que no início de "Guerras do Mundo Emerso" o livro também incomodou um pouco com todo aquele drama sem fim da personagem principal, no entanto os outros volumes salvaram a trilogia.
Mas em Lendas, eu quase tive um treco. Não suportava mais as crises de amor não correspondido de Adhara, a personagem mais mosca morta de Licia. Praticamente não acontece NADA no livro todo. O início é lerdo, vagaroso, começa com um romancezinho entre as personagens principais... E QUE NÃO TEM FIM!!!!!!!! o livro TODO é um choro só, um romance não realizado, não correspondido, MEU DEUS! Deu no saco. Chega no final do livro, e a autora corre com a história toda e enche de acontecimentos chocantes e estrondosos... que continua no volume 2.
Já falei como eu odeio livros que se utilizam dessa tática? Enrolam até o final, fazem um acontecimento gigantesco e revelador (só no final), e meus parabéns... agora compre o próximo livro.

Dependendo da personagem principal, Adhara, eu daria 1 estrela para o livro. Só não o faço pois Licia possui uma característica que eu gosto muito em seus livros: Aparições de personagens de trilogias passadas com o destino que muitas vezes não esperávamos ou imaginávamos. Pelo menos nesse ponto, seus personagens parecem mais reais. Não ficam sempre presos naquele conceito de que são imortais e viverão eternamente felizes.

Espero que os próximos volumes salvem a trilogia...
Gleei 31/05/2013minha estante
Comecei pelo segundo livro, tipo qndo fui ver como era a história do primeiro, fiquei impressionada por só contar sobre Adhara que não conhecia seu passado e Amhal , pensei que contava algo a mais, vejo que não perdi muita coisa, o segundo livro está mt mais interessante ao meu ver.




10 encontrados | exibindo 1 a 10