Qual Seu Número?

Qual Seu Número? Karyn Bosnak
Alice Clayton




Resenhas - Qual seu número?


267 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Mayhara 25/05/2019

Desisto!
Acho que o grande problema desse livro, é que eu vi o filme primeiro. Como a relação com o Colin é algo central no filme, acreditei que no livro essa relação seria mais profundo. Foi uma grande surpresa para mim chegar na metade do livro e o Colin ser apenas o vizinho que ajuda ela a achar os ex.

O centro do livro é o reencontro com os ex, e embora aconteçam algumas situações bizarras (talvez engraçadas), achei um tanto maçante. Talvez por esperar mais do livro.

Como estou protelando para terminar, e só de pensar em retomar o livro me dá arrepios, resolvi abandonar. Talvez a segunda metade do livro seja superior à primeira, mas não estou a fim de descobrir isso agora. =/
San 31/05/2019minha estante
Eu admiro quem tem coragem de desistir de um livro. Quando não curto um, deixo de lado e não consigo começar outro enquanto não terminar o primeiro.


Mayhara 01/06/2019minha estante
Eu admiro quem insiste! kkkkkk Sério, em todas as experiências que tive de não gostar do livro logo no início e conseguir insistir, nenhum eu gostei no final.




Day 28/04/2019

Divertido
Um livro muito divertido, personagens muito realistas, com qualidades e defeitos como todo ser humano.
Leitura fácil, engraçada, entramos na história, nos colocamos no lugar dos personagens, damos risadas junto com eles, ficamos tristes e indignados como eles, sentimos como se fôssemos eles.
Recomendo pra quem gosta de comédia romântica, com foco na comédia!
comentários(0)comente



Romildo 25/02/2019

Qual o seu número? - Karyn Bosnak
Sempre tive a curiosidade de ler esse livro pelo fato de gostar muito do filme e em minha opinião as duas obras são divertidas, engraçadas e um ótimo passa tempo, mas o filme é quase 100% diferente do livro, reassisti(25/02/2019) e fiquei surpreso como as obras são diferentes, eles mudaram muita coisa e cortaram bastante, agora prefiro mais o livro kkkk
Tenho que admitir que no começo estava bem arrastando a minha leitura desse livro, mas quando peguei o clima certo, pronto, devorei o livro em 2 dias, ótimo para tirar o estresse e passar o tempo.
No começo eu tinha quase certeza que não ia conseguir ler o livro todo, deve ser porque eu já conhecia a história por causa do filme e me lembrava de algumas partes(mesmo eu tendo assistindo a muito tempo atrás), mas ao passar do tempo a história me deu uma animada e entrei nela, literalmente. Tem partes que até roubaram um sorriso meu,um milagre, tipo a parte que ela é suja de terra e ela pensa que era as cinzas do morto kkk ou a parte que ela sai de calcinha na rua sem perceber e acaba até aparecendo em uma publicação de uma revista kkk, entre outras cenas... Bem passa tempo mesmo, estava precisando.

Observações:
Não gostei muito das constantes citações de cenas de filme, músicas, seriados estadunidenses... que eu nunca nem ouvi falar, isso não é o pior, o pior é que ela estendia a falar sobre essas coisas, tipo não precisava ela colocar se fez sucesso, data de lançamento, quem participou dos filmes,coisas desse tipo, bem desnecessário.

O principal teve muita coragem em fazer aquilo,afinal e se tivesse levado um grande fora?! Deus é mais kkk
comentários(0)comente



Andressa 12/12/2018

Qual seu número?
Peguei esse livro porque queria uma leitura mais leve e porque eu adoro esse filme!
Vamos conhecer Delilah que está prestes a completar 30 anos, acabou de perder o emprego, é solteira e acabou de ler em uma revista que a média de parceiros de mulheres é de 10,5 -ela chegou no 20- e fica chocada.
Ela resolve então rever os ex dela (perseguindo eles) pra ver se algum mudou e se vale uma segunda chance, assim ela não precisará aumentar o número.
Assim ela entra em uma "road trip" com sua cachorrinha, e vai se meter em situações bem diferentes e hilárias!
O livro é legal, mas em algumas partes achei um pouco forçado e até problemático (em vários momentos fica bem claro que "uma mulher só é feliz se ela tiver um homem do lado"). Mas o final é bom, com algumas lições e meio romântico também.
Foi um livro que li bem rápido, a escrita é bem fluida ~mas é cheio de notas de rodapés, muitas vezes desnecessárias, o que pode deixar a leitura truncada as vezes.
Eu ainda prefiro o filme (mas as duas histórias são beeem diferentes). Mas o livro cumpriu muito bem a proposta dele.
3,5 estrelas

site: youtube.com/bauliterario
comentários(0)comente



Kennia Santos | @LendoDePijamas 23/06/2018

"Para viver, é preciso assumir um risco (ou vinte, ou quarenta, ou sessenta, seja lá quantos forem). É preciso tentar até as coisas darem certo."
Título: Qual Seu Número? (What's your number?)
Autora: Karyn Bosnak
Classificação: 4/5

Delilah Darling está literalmente na crise dos 30. Acabou de ser demitida de forma inesperada, -e ela não é do tipo que guarda dinheiro-, sua irmã mais nova vai se casar primeiro que ela e sua vida sentimental é uma tremenda bagunça.

Quando vai ao escritório buscar suas coisas, na volta para casa ela lê uma matéria que relata que a média de homens para uma mulher é de 10,5, ela fica desesperada e assustada. Pois até agora, já se relacionou com 19. Além disso, a matéria dizia que se a mulher tivesse o número acima dessa média, corria o risco de nunca encontrar a pessoa certa.

"Como é que eu posso aprender com os meus erros, se não consigo identifica-los?" (p.311)

Ela resolve se ajeitar nos próprios termos: com o dinheiro que recebeu da dispensa da empresa, ela vai localizar cada um de seus ex-namorados na tentativa de reconquistá-los e ter um relacionamento estável, sem aumentar seu número. Para isso, ela conta com a ajuda de seu vizinho e amigo Colin, um jovem irlandês que tem uma certa experiência como detetive.

"Talvez seja loucura estabelecer um limite, mas chega um momento na vida em que uma gota d'água vai fazer o copo transbordar. Eu havia chegado àquele ponto." (p.5)

Será que Delilah vai reencontrar nessa jornada o grande amor da sua vida, disposto a deixar o passado para trás e ter um felizes para sempre?

"Tudo que você faz na vida, seja bom ou ruim, faz de você quem você é. Não fique remoendo suas decisões, dizendo 'talvez'. Você não pode muda-las." (p.389)

Em "Qual Seu Número?", Karyn Bosnak nos apresenta uma típica mulher na casa dos 30 que teme ficar sozinha para sempre e não mede esforços para evitar tal destino. Delilah é uma jovem LOUCA DE PEDRA, -LOUCA MESMO-. Por exemplo: se você precisa falar com alguém que está internado em uma clínica de reabilitação e não pode receber visitas ainda, você espera a liberação, certo?

ERRADO. Você SE INTERNA na clínica sob razões forjadas. LOUCA, GENTE!!!!

A escrita é leve e divertida, e a história, cheia de situações mirabolantes e constrangedoras. Se tem uma coisa que eu admiro nessa Delilah, é sua determinação e coragem. Porque sinceramente, rever um ex por acidente ok, mas IR ATRÁS de DEZENOVE? Hajam culhões.

Eu não me apeguei aos personagens, mas como disse, existem características louváveis em todos que aparecem, apesar dos apesares.

Claro que vocês devem estar se perguntando: parece com o filme? A resposta é: depende.

Toda a situação de ir atrás dos caras e ser louca de pedra é igual, mas os detalhes são totalmente diferentes. E eu particularmente prefiro o filme, porque CHRIS EVANS NÉ GENTE?

No fim das contas foi uma leitura bem bacana, para se divertir e passar o tempo, com aquela dosagem de romance na medida certa ;)

"É engraçado perceber a velocidade com que as coisas podem mudar. Sentimentos, não importa o quanto sejam intensos, podem ser efêmeros. Em um estalar de dedos, a felicidade pode se transformar em tristeza; a esperança pode se transformar em desespero; e, um belo dia, o passado chega para causar assombro, e faz com que se perceba que é preciso pisar no freio." (p.233)
comentários(0)comente



Daniela Tiemi 08/04/2018

“É engraçado perceber a velocidade com que as coisas podem mudar. Sentimentos, não importa o quanto sejam intensos, podem ser efêmeros. Em um estalar de dedos, a felicidade pode se transformar em tristeza; a esperança pode se transformar em desespero; e, um belo dia, o passado chega para causar assombro, e faz com que se perceba que é preciso pisar no freio”.(p. 233)

Fãs de chick-lit não podem perder este lançamento que garante boas risadas. Uma mulher lidando desastrosamente: com a mãe neurótica, o casamento da irmã mais nova e um número de ex-amantes que ultrapassam a média nacional; estes são os itens principais da receita de Karyn Bosnak para esta obra. Mas há mais ingredientes e temperos nesta história, apresento-lhes, então, a história de Delilah Darling:
Delilah Darling – ou Del - é uma solteirona de quase 30 anos que admite ser uma mulher fácil! Especialmente após ler um artigo no The New York Post que dizia que “uma pessoa tem, em média, 10,5 parceiros sexuais durante a vida”. Ela se assusta ao perceber que seu número é quase o dobro da média nacional: seu recente ex-namorado, o “Greg, o imbecil do East Village” foi o 19º homem com quem dormiu. Então Delilah toma uma decisão: vinte seria o seu limite. Teria somente mais uma chance de consertar as coisas.
Para piorar tudo, Delilah é demitida – em um grande corte de funcionários da empresa -, sua irmã mais nova está prestes a se casar e ela sente uma fracassada. Ou melhor, uma vadia fracassada.
Na noite da festa de noivado de sua irmã Daisy, ela se sente obrigada a mentir sobre sua demissão a mãe e aos convidados, e após tanta pressão Delilah decide sair para beber com os colegas de trabalho demitidos.
No dia seguinte, ao acordar, ela está não só com uma terrível ressaca, mas percebe que está em um quarto que não é o seu, e quando olha ao seu lado depara-se com seu ex-chefe que sempre detestou! Ela se sente indignada não só de ter dormido com aquele cara repugnante, mas principalmente por ter desperdiçado a sua “última chance” de dormir com outro homem! Como ela iria encontrar o homem da sua vida agora que chegou ao número 20? É então que Del tem uma ideia: ao fazer a lista de todos os caras com quem já transou, ela decide sair em busca de todos eles e descobrir se, na verdade, um deles não seria o cara da sua vida que em certo momento ela deixou escapar. E, afinal, algumas pessoas mudam com o tempo e talvez algum deles tenha mudado o bastante para fazer com que em um reencontro se tornasse o cara com que fizesse Delilah sentir o “bum”. O cara certo.

Com a ajuda do seu vizinho irlandês – e bonitão -, Delilah localiza os homens da lista e parte ao encontro de cada um deles em uma viagem louca e totalmente divertida!

Um livro que cumpre o que promete: muita diversão! Apesar de Delilah se encontrar nas situações mais absurdas e constrangedoras, e de ser completamente insana em suas atitudes em alguns momentos, através desta narrativa leve a autora introduz algumas reflexões ao leitor.
O início da leitura passa uma sensação de que se encontrará “mais do mesmo” do gênero chick-lit, mas Karyn Bosnak aos poucos demonstra toda sua criatividade e bom humor e deixa a obra a seu próprio estilo.
Contudo, tenho que admitir que ao chegar a pouco mais da metade da história, estava cansada. A história passa por quase todos os relacionamentos de Delilah, contado como se conheceram e como tudo terminou, e isto se repete vezes demais já que Del tem um bom número de ex-amantes. Mesmo que cada história fosse diferente e inusitada; mesmo sendo necessário à trama; e mesmo que a autora tentasse não se estender demais nas descrições destes relacionamentos; mesmo assim, me cansou um pouco.
Além do vizinho bonitão e que arranca suspiros, destaco também a Eva, a cachorrinha que Del adquire em uma de suas loucuras para tentar reconquistar um ex-namorado. Cheia de personalidade, dei muitas risadas por conta dela.
O livro é recheado de citações de músicas e filmes – o que eu adoro! E, com uma boa dose de romance e muitas situações hilárias, sem dúvida a autora acertou na receita e, como eu disse logo no início da resenha e faço questão de repetir: esta é uma leitura que fãs de chick-lit não podem perder!
comentários(0)comente



Pollyanna Reis 08/02/2018

Qual Seu Número?
"Meu nome é Delilah darling. Tenho 29 anos. Sou solteira, e, bem... sou uma mulher fácil."


Como ela mesmo diz "fácil", resumindo essa palavra: Delilah já dormiu com 19 homens. E depois de ler esta informação: " Uma pessoa tem em média, 10,5 parceiros sexuais durante a vida." Só resta uma coisa a fazer: ela resolve colocar ordem na sua vida sentimental. Resolve assumir o controle e não ultrapassar dos 20. Ou seja, ela terá que encontrar o cara certo... aquele que ficará para sempre em sua vida.

"Talvez seja loucura estabelecer um limite, mas chega um momento na vida em que uma gota d'água vai fazer o copo transbordar. Eu havia chegado àquele ponto. Era o bastante. Vinte, o limite; é assim que as coisas seriam...

Vinte.

Não mais.

Nunca mais.

Página: 05.



Mas por obra do destino, ou pode se dizer "azar" mesmo, ela perde o emprego. No mesmo dia, Delilah e seus colegas de trabalho vão beber em um bar, para lamentar o ocorrido. No dia anterior Delilah acorda e percebe que não está em sua cama... Oh meu Deus! Ela dormiu com Roger... o cara que ela odeia, o cara que usa um cinto de couro trançado. Ela não acredita no que fez... e pior não se lembra de nada. Resumindo: "Ela conseguiu jogar fora a última chance."

"Meu Deus, porque eu? Por que você decidiu me castigar desta forma? Porque eu desprezo bandas que tocam música gospel? Eu sei que elas pregam a sua palavra, mas sejamos honestos, a maioria dela é um lixo. É porque eu como carne vermelha na sexta-feira santa? É por isso? Se for por isso, eu juro que nunca mais farei isso, eu juro. Por favor, Deus, o que quer que eu tenha feito, qualquer coisa que seja, me perdoe! Por favor, Deus, faça com que a noite passada simplesmente desapareça, e eu promento... nunca mais vou beber de novo!"

Página: 43.


Sem saber o que fazer, Delilah precisava conversar com alguém, e vai até a igreja. "Perdoe-me, padre, pois eu pequei." Ela começa a contar tudo para o padre, tudo mesmo... Quando ela termina de confessar e o padre não fala nada, Delilah resolve ir embora. Mas quando o padre diz seu nome, ela quase tem um ataque. O padre é Daniel Wilkerson... seu primeiro amor... sua primeira vez.

- Faz muito tempo, Delilah - ele prossegue. - Da última vez que nos vimos, estávamos...

Transando! - eu berro, interrompendo-o. Ai, meu Deus! Oops! Digo... ai, que droga!

Página: 53.


As coisas não podiam está pior. Como aquilo podia está acontecendo. Só podia ser castigo mesmo... Delilah queria sair correndo, mais resolve conversar com Daniel. Ao deixar a igreja, ela tem uma tarefa a fazer: "Uma lista de seus ex-namorados, e porque de não ter dado certo, com cada um deles." Mas Delilah não é normal... e fará uma pesquisa mais profunda... (Risos). Na paranóia de não ultrapassar o número 20, ela resolve ir atrás de seus ex-namorados... Ela acredita que um deles pode ser o homem da sua vida. Sua amiga Michelle acha uma insanidade essa ideia, mas Delilah prefere arriscar, pois sua vida amorosa é um desastre. Sua irmã mais nova está noiva, preste a se casar, e sua mãe acha que ela não está bem por causa disso.

*Bip*

"Del, é a sua mãe. Escute, eu espero que você não tenha ficado irritada por Daisy er ficado noiva antes de você. Verde não é uma cor que lhe cai bem... faz você parecer ainda mais apagada e desbotada do que já é. Mal posso esperar para vê-la hoje à noite na festa. Até lá!"

Delilah só tem uma saída: "Atravessar o país de carro (alugado) para encontrar todos os caras com quem ela transou." Tudo isso para não aumentar um limite autoimposto que ela infiou na cabeça. Delilah precisa de ajuda para encontrar todos eles... Pensando nisso, ela contrata seu vizinho Colin para o serviço. Dessa forma Delilah começa sua tarefa. Ela tem 3.988 dólares, 42 dias e 16 rapazes. E vai em busca do homem da sua vida. O primeiro é Rod.

Nome verdadeiro: Rod Verdicchio.

Relacionamento totalmente baseado em sexo, sem envolvimento emocional.

Obcecado por seu CÃO.

Acho que não preciso dizer que esse livro é muito engraçado. Dei muitas risadas com Qual Seu Número? A lista de ex-namorados de Delilah... cada história uma mais divertida que a outra. É um que vira padre, outros que é gay, outro que vira muppeteiro e outras coisas mais hilárias ainda. Uma narrativa simples... Uma leitura leve e cheia de supresas. "Delilah que diga." Karyn Bosnak acertou em cheio! Este livro me consquistou por vários motivos, desde a primeira página até a última. Os personagens são marcantes e engraçados. São cheios de vida.

Delilah Darling: Mulher super engraçada, determinada, que as vezes sabe o que quer, mais que também se deixa levar pelas opiniões dos outros. "Aquele tipo de pessoa que se preocupa demais com que os vizinhos vão falar." Mais ela também é lutadora... Mais não deixa de ser louca também! "Quem em sã consciência vai atrás de ex-namorados, em busca da alma gêmea?" (Risos) Em várias páginas encontramos listas de Delilah, recados deixado para ela por e-mail e por telefone, mapas para onde ela está indo e notas de rodapé em quase todo livro. E isso deixa a leitura mais divertida, pois rir demais dos recadinhos deixado pela mãe de Delilah... a mulher é um furação e não deixa de pegar no pé da filha. Um Chick-Lit maravilhoso. Um livro ideal para se divertir e dar boas risadas. Recomendo com certeza.

"O amor e a culinária devem ser apreciados como se não houvesse amanhã."

Página: 344.
comentários(0)comente



Renasom 06/08/2017

Qual seu número
Realmente hilário. Muito engraçado.
comentários(0)comente



Helena Souza 27/04/2017

Preferia ter ficado somente com o filme
"Se você tiver algo que se lembrar de algo em relação ao seu passado, procure pensar nos pontos bons. Afinal, não há nada que você possa fazer para mudá-lo"

Eu não poderia deixar esse livro passar em branco. Não mesmo. "Qual Seu Número?" é um dos meus filmes preferidos de comédia romântica, seria um ato grave não resenhar o livro que deu origem. Esse é mais um clássico "o filme e o livro não tem quase nada a ver". A não ser a essência. Como já é de se esperar, o livro trás com mais detalhes a vida de Delilah e seus relacionamentos passados, assim como quando ela decide ver se dará certo ou não com um de seus ex. Passamos a conhecer cada um deles, a personalidade e o motivo para o término. Fica muito mais fácil de sentir o desespero e o emocional da protagonista. Apesar de Anna Faris ter conseguido passar completamente para as telas isso.
[...]
É aquela história vergonhosa: tem umas coisas que a gente tem guilty pleasure. Embora a mensagem do livro seja a de que número não são importantes, o fato de ele quase inteiro ficar mostrando uma personagem que dá importância, faz com que nos atentemos mais a isso. Sim, infelizmente a história é mais machista do que aparenta ser.
[...]
Delilah é uma personagem louca, intensa e, para falar a verdade, um pouco lenta. Daquelas que quando você percebe a decisão que está prestes a ser tomada, apenas solta um "não acredito..." mentalmente. Já disse que ela é louca? Pois então, é muito mesmo. Ela não tem limites quando o assunto é conseguir o que quer. Se colocar alguma coisa em sua cabeça, ela vai cumprir sim. Fica a critério do leitor se isso é um ponto negativo ou positivo para uma personagem. Eu apenas não consegui acreditar em algumas coisas que ela foi capaz de fazer. Mas dá para entender a base para ela quando conhecemos sua mãe. Delilah é desesperada por homem também devido sua mãe que a pressiona muito, ainda mais após sua irmã mais nova ficar noiva.

Resenha completa no blog

site: https://goo.gl/jXi9xo
comentários(0)comente



Amanda @LittleCruella 21/11/2016

Qual Seu Número por Little Cruella
Mais um livro ao qual eu vi o filme antes de ler o livro o que me fez desanimar bastante, mas gostei do livro achei bem detalhado e extenso com as coisas as quais ela fazia para encontrar seus ex namorados. Toda a história gira em torno da Delilah que esta beirando a casa dos 30 e ainda esta solteira o que pra sua mãe é um sacrilégio, até então pra ela isso nunca foi problema até ler em uma revista os dados sobre relações sexuais com mais de 10 homens, e sua irmã caçula ficar noiva e chama-la pra madrinha, com isso ela começa a correr atrás dos seus ex pois não quer que sua vida sexual chegue na escala de 20 homens. Com ajuda de seu vizinho Colin ela sai atrás dos seus ex mais nenhum deles esta acessível para que ela se relacione e quem sabe case-se com um deles, mal sabia ela que o verdadeiro amor de sua vida estava bem ao seu lado. Bom não vou falar mais do livro ou fica muito na cara e eu odeio Spoilers. BOM, leiam e espero que gostem assim como eu gostei.

site: https://www.instagram.com/littlecruella/
comentários(0)comente



Laninha 08/09/2016

Tem todos os ingredientes de uma boa comédia romântica.Leitura leve,divertida,terminei o livro em pouquíssimo tempo.Tem um final previsível,mas mesmo assim recomendo!
comentários(0)comente



Benita Alves 05/09/2016

Não quero a última bolacha do pacote!
Sabe aqueles dias que você acorda e pensa 'vou ler um livro estilo YA'?? Pois é... eu também nunca tive essa sensação...mas confesso que já li vários YA's. Uma historia sem muito conteúdo persuasivo, bem corriqueira, de final previsível! Consegue ler tranquilo (???) em um dia.. se preferir, assista o filme em uma sessão da tarde da vida.
comentários(0)comente



Bela Grotmann 01/09/2016

Amei...
Delilah Darling tem quase 30 anos e já se relacionou com 19 rapazes.
Quando lê uma matéria no jornal em que a média de homens para uma mulher de 30 anos é de 10,5 fica dessesperada e assustada por estar muito acima dela.

Muito divertido e cativante.
comentários(0)comente



Regy 29/08/2016

Qual seu numero?
Romance.
Delilah e Colin
Comédia. Essa palavra define melhor esse livro.
Em sua narração conta a história de Delilah, pessoa singularmente hilária que me fez rir e refletir demais.
Delilah já namorou bastante na vida, e próximo de completar 30 anos (que por si só já é pressão suficiente para uma mulher), lê uma reportagem sobre a média de namorados de uma mulher versus sua possibilidade de casamento.
Toda a paranóia da história dessa maluquinha gira em torno dessa bendita reportagem. Digamos que, como Delilah já teve vários namorados (que pareciam todos fugirem de relacionamento) e se encontra muito acima da média comentada na revista, sua possibilidade de se casar é escassa, e então ela tem a absurda ideia de encontrar/reconquistar/casar com um de seus ex-namorados.
E nessa jornada ela vai contar com a ajuda do fofo do seu vizinho Colin (suspiros aqui)... Ele é meio que o homem perfeito, mas que a primeira vista você pensa que é um daqueles que "não é pra casar". Lindo, divertido, engraçado e, eu já disse fofo?
Enfim, o livro é uma jornada cômica, com muitas reflexões também, nos fazendo pensar em vários pontos sobre assuntos do coração.
Para mim é um livro muito criativo, tendo uma leitura leve e divertida, e em alguns momentos muito empolgante.
A adaptação cinematográfica não deixa a desejar, contando com a atuação de Anna Faris e do gato do Chris Evans. Porém, novamente o livro supera o filme, proporcionando uma aventura digna de comédia romântica.

site: www.instagram.com/leiturasdameg
comentários(0)comente



Luciane 21/05/2016

Muito divertido
Leitura muito divertida! dei muitas risadas com as aventuras amorosas da Delilah.
Não recomendo para menores de 18 anos porque, em alguns momentos, possui linguagem sexual um pouco forte.
comentários(0)comente



267 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |