O Rei e o Camaleão

O Rei e o Camaleão Christian David




Resenhas - O Rei e o Camaleão


54 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4


Sayane 09/11/2012

Encantador e Divertido!!
Sinopse

O Monge Rei
O legítimo Rei de Fangot, Petrus, foi mantido afastado do reino por cinco anos. Ferido em batalha, ele perdeu a memória e acabou sendo colocado sob observação em um retiro monástico pelo usurpador do trono, Solano. Petrus passa a ter sonhos com pedaços de memórias e acaba descobrindo quem realmente é.
Começa, então, sua busca por retomar o que é seu, seu reino, seu título e , principalmente, sua esposa que, acreditando na morte do marido, está sendo obrigada a aceitar casar-se com o novo rei, o usurpador Solano. Petrus, em sua retomada, acaba encontrando diversos companheiros e com a ajuda deles pretende retomar Fangot.

O Camaleão
Um dos únicos sobreviventes da trágedia da colonização do planeta Bandeira 1, Meg Knox acabou se tornando uma agente do SIGI, Serviço Intergalático de Inteligência. Sendo um transmorfo, Knox é sempre envolvido nas mais perigosas missões.
Dessa vez, ele foi enviado ao Planeta Zara para personificar o governante do planeta, o ditador Sorbone, assegurando a entrega do poder às mãos do povo, como ele havia prometido. Infelizmente nada saiu como planejado e um outro transmorfo é envolvido na história. Knox se vê em maus lençóis e precisa de toda a sua capacidade de persuação e inteligência para consertar as coisas. Acaba, inesperadamente, recebendo ajuda de Saila, a segunda-em-comando no palneta. Junto com ela e mais alguns colaboradores precisam resolver a situação antes do início da conferência de paz.


Minha Opinião sobre ele...

Um livro fino, mais muito interessante, divertido. Nele são contadas duas histórias, a primeira se passa na época dos reis, onde o rei de Fangot, Petrus, após se ferir em uma batalha, perde a memória e vai parar em um retiro monástico, onde fica por 5 anos, depois de ter sonhos estranhos, Petrus resolve que está na hora de descobrir em ele realmente é.
Uma história envolvente e por vezes divertida, cada passo dado na história atiça nossa atenção, deixando-nos na torcida de que o seu final seja tão alegre e feliz quanto a história em si.

Gabril subiu novamente em cima da mesa e, desta vez, tentou ser mais eloqüente, mas não mais delicado:
- Bando de vagabundos! Se arvoram em ser partidários do rei Petrus, mas não passam de um bando de beberrões! Eu falava sério quando disse que Petrus está vivo! Vocês têm uma chance de mostrar quem realmente são e que fazem algo mais, além de beber e gritar! Pág. 44


A outra história já se torna mais mistériosa que a primeira, uma ficção espacial onde Meg Knox é um dos únicos sobreviventes da tragédia da colonização no planeta Bandeira 1, por ser um transmorfo pode assumir a forma de qualquer pessoa, por isso acaba se tornando agente da SIGI.
Agora ele tem a missão de investigar o por que de o ditador do planeta Zara não querer promover a paz em seu planeta, muitas encrencas e surpresas envolvem esta história, deixando-a cada página mais intrigante, sem falar em seu final, que é bem surpreendente!

Na transformação e durante todo o período após ela, não se pode ter um minuto de desatenção. A tensão é constante. Se a força para manter a transformação cessar, eu volto a ser eu mesmo. Não é atoa que costumo comer quase três vezes mais quando estou transformado. Perdi sete dias para o processo todo, me deram três, sendo que um deles já dentro da nave em direção a Zara. Hoje já o terceiro dia e faltam 15 minutos para o desembarque! Pág. 91 e 92


Adorei os personagens do livro, a leitura é bem fácil e agradável, quando você menos espera terminou de lê-lo, ficando com aquele gostinho de quero mais! Super recomendada a leitura!


Outras resenhas e muito + em:
http://samgirl-arts.blogspot.com.br

Visite, Comente, deixe sua opinião, se gostar siga =D

Obrigada!
comentários(0)comente



Raíssa Lis 16/04/2012

O Rei

Conta a historia do Rei Petrus da cidade de Fangot, foi mantido em um Retiro durante cinco anos após ser atingindo em uma batalha e perder a memória.

Durante alguns sonhos Petrus começa a lembrar de alguns momentos da batalha e, ao tentar conversar com o Mestre, acaba sendo punido por ficar remoendo o passado. Intrigado com os sonhos que aconteciam toda noite, Petrus não conseguia deixar de pensar o que teria acontecido nessa batalha, de onde ele vinha e quem ele era.

Em um dia em seu quarto, um colega do retiro bate a porta e diz que o Mestre deseja vê-lo o mais rápido possível, sem entender o que havia acontecido, Petrus corre ate o quarto e encontra Mestre na cama a beira da morte.

Desesperado e com medo de levar um segredo tão importante consigo, caso morresse, o Mestre confessa a Petrus que ele é o verdadeiro Rei de Fangot. Sem reação, Petrus fica pensativo e diz que ira voltar à cidade para reconquistar seu posto ao lado de sua esposa e voltar a reinar a cidade que é sua por direito.

Assim desenrola-se a historia de Petrus de volta a Fangot e suas artimanhas para reconquistar o trono, contando com ajuda de antigos soldados.

O Camaleão

Conta a historia de Knox um transformo, um dos sobreviventes do plante Bandeira 1, que aceita trabalhar para o SIGI, Serviço Intergalático de Inteligência usando suas habilidades.

Em sua nova missão Knox é enviado para o Planeta Zara, para se passar pelo ditador Sorbone que vem tendo atitudes estranhas nos últimos tempos. Recusando-se a aceitar a paz e renunciar o poder para que o povo escolhesse um representante com atitudes mais agressivas do que o normal.

Porém em sua missão Knox encontra vários problemas e se vê obrigado a pedir ajuda de Saila, a segunda em comando no planeta e conta com o apoio de agentes do SIGI infiltrados em Zara para solucionar esse caso antes da conferencia de paz.

Resenha no Flor de Lis
http://florderaissalis.blogspot.com.br/2012/04/o-que-vamos-ler.html
comentários(0)comente



Thiago Rapsys 14/01/2012

[Resenha] O rei e o camaleão - Christian David
O livro "O rei e o camaleão" é composto por duas histórias: a primeira é estilo medieval, e a segunda é futurista. Há um enorme contraste entre elas referente ao tempo.

O Monge Rei
O legítimo Rei de Fangot, Petrus, foi mantido afastado do reino por cinco anos. Ferido em uma batalha, ele perdeu a memória e acabou sendo colocado sob observação em um retiro monástico pelo usurpador do trono, Solano. Petrus passa a ter sonhos com pedaços de memórias e acaba descobrindo quem realmente é. Começa, então, sua busca por retomar o que é seu, seu reino, seu título e, principalmente, sua esposa que, acreditando na morte do marido, está sendo obrigada a aceitar casar-se com o novo rei, o usurpador Solano. Petrus, em sua retomada, acaba encontrando diversos companheiros no caminho e com a ajuda deles pretende retomar Fangot.
O rei e o camaleão | orelha da capa

A primeira história narra uma reconquista de reino.
Petrus, o rei de Fangot, foi supostamente morto em batalha. Solano (um cara mau, mentiroso e persuasivo) quer expandir o seu reino forçando a então viúva Rainha Litara a casar-se com ele - a força.

Petrus perdeu a memória por cinco anos, devido ao ferimento provocado na batalha. Durante esse tempo de esquecimento, Petrus estava abrigado em um Retiro (espécie de mosteiro).
O legítimo rei de Fangot volta a lembrar de tudo - quando o Mestre do Retiro estava em fase terminal, resolve, de última hora, falar com Petrus sobre o seu passado. O rei não se lembrava de nada antecedente a sua entrada no Retiro, até então. Tudo era apenas uma vaga lembrança.

Assim que Petrus retoma a sua memória, corre em disparada para seu legítimo reino. Além de reconquistá-lo, salvar Litara - sua esposa e rainha do reino de Fangot - de seu casamento eminente.

O Camaleão
Um dos únicos sobreviventes da tragédia da colonização no planeta Bandeira 1, Meg Knox acabou se tornando um agente do S.I.G.I., Serviço Intergalático de Inteligência. Sendo um transmorfo, Knox é sempre envolvido nas mais perigosas missões. Dessa vez, ele foi enviado ao Planeta Zara para personificar o governante do planeta, o ditador Sorbone, assegurando a entrega do poder às mãos do povo, como ele havia prometido. Infelizmente nada saiu como o planejado e um outro transmorfo é envolvido na história. Knox se vê em maus lençóis e precisa de toda a sua capacidade de persuasão e inteligência para consertar as coisas. Acaba, inesperadamente, recebendo a ajuda de Saila, a segunda-no-comando no planeta. Junto com ela e mais alguns colaboradores precisam resolver a situação antes do início da conferência de paz.
O rei e o camaleão | orelha da capa

A segundo história é mais futurística e não tem ligação nenhuma com a história anterior.
Meg Knox é um dos sobreviventes de uma tragédia no planeta Bandeira 1. Vindo para a Terra, acabou que arrumando um emprego como agente do S.I.G.I. (Serviço Intergalático de Inteligência). Esse serviço é como se fosse a C.I.A., só que maior e que toma toda a galáxia. Knox conseguiu este emprego porque ele é um transmorfo, ou seja, em alguns dias ele consegue se transformar completamente em outra pessoa.

Meg é designado à uma missão muito importante: concluir um evento (que está dando tudo certo para dar errado) que promove a paz intergaláctica, com sede no Planeta Zara.

Comparando os dois, conclui que a história do Monge Rei é mais envolvente e narrado melhor. Já O Camaleão foi a história que me chamou atenção, embora eu tenha ficado meio desnorteado quanto a narrativa (às vezes a narração era em primeira pessoa, outras vezes em terceira).

Como o autor mesmo disse: "ambas [histórias] nos remetem àqueles sábados em que a geração que passou sua infância nos anos 80 assistia a seriados enlatados e colecionava revistas em quadrinhos".
Quem quer um livro para recrear e se divertir, então recomendo a leitura.
comentários(0)comente



Alícia 22/12/2011

22 de Dezembro de 2010
Quando li o nome do livro, eu pensei comigo mesma: “Oh, deve ser tipo aquela fábula ‘A Cigarra e a Formiga’, certo?“. Não, errado. O livro, na verdade, trata-se de duas historias: O Monge Rei e O Camaleão. Antes de fazer a resenha de ambas, individualmente, quero dizer que são ótimas. Uma ótima literatura para um adolescente de 15 (meu caso) ou 16, para uma criança de 10 anos e até para um adulto.

O Monge Rei

A primeira historia do livro conta sobre um rei que teve seu reinado roubado (eu achei engraçado essa minha frase, ignore-me) e esse rei, Petrus, passa cinco anos de sua vida em um retiro, como um monge e não tem lembrança algum de seu passado. É quando um dos monges mais importantes fica doente, este mesmo monge quem cuidou de Petrus nesses ultimos anos, ele decide contar ao irmão a verdade sobre sua vida. Depois da verdade revelada, Petrus acaba recuperando a memoria e começa a sua grande aventura. Ele tem que ir para ao reino Fangot, porque Solano está ameaçando Litara para poder se casar com ela e ser oficialmente rei, já que Litara costumava ser esposa do Rei Petrus. É uma aventura bem light mas muito emocionante. Não enrola, vai sempre direto ao ponto, o que eu achei ótimo. É uma historia pequena, mas que tem muito valor.

O Camaleão

Ao contrario do que você pensa, essa historia não fala sobre um camaleão, mas sim de um rapaz com a capacidade de se transformar em outra pessoa. Ou seja, um transmorfo: Meg Knox. O rapaz é, na verdade, de Bandeira 1, a décima primeira colônia da Terra, e ele veio junto com seus quatro irmãos. Isto é, vieram de Bandeira 1 cinco transmorfos, mas somente quatro sobreviveram: um é internado numa clinica de recuperação por causa de problemas mentais, dois são artistas e nos resta Knox, ele começa a trabalhar para o SIGI (Serviço Intergalático de Inteligência), e tenta ser humano. Nós acompanhamos uma das missões de Knox, onde ele teria que se transformar em Sorbone, um ditador militar do planeta Zara que mudou de ideia quanto a desistir de passar seu governo. Ao chegar no planeta como Knox-Sorbone, Knox começa a analisar a situação e acaba reconhecendo o novo jeito de Sorbone… Eu achei a historia muito bem planejada e com uma otima narração.

As duas historias tem narrações muito boas, não estou bajulando. Ultimamente eu tenho tido realmente muito orgulho de ler tantos livros nacionais, afinal, tem como não ter? Eles são ótimos, são maravilhosos.
comentários(0)comente



Rapha 25/07/2011

O Rei e o Camaleão no blog Doce Encanto:
Para ler a resenha na íntegra, acesse: http://rapha-doceencanto.blogspot.com/2011/07/o-rei-e-o-camalao-de-christian-david.html

Como você puderam perceber o livro compõe-se de dois contos antagônicos: O Monge Rei e o Camaleão; O Monge Rei passa-se na idade média, com reis e rainhas, enquanto que em O Camaleão temos uma estória totalmente futurística.

Em O Monge Rei conhecemos o Irmão Maior, que vivia à 5 anos em um monastério, sem saber absolutamente nada de seu passado ( Irmão Maior é nada menos que Petrus, o rei de Fangot, que em um ato de traíção fora dado como morto por Solano, o usurpador que assumiu o reino).
Após anos de paz, equilíbrio e concentração, Irmão Maior passa a ter pesadelos. No começo acredita ser apenas sonhos, mas logo percebe que tudo tem relação com seu passado; é então que descobre que ELE é, na verdade, o Rei Petrus.

Aí começam as aventuras: Petrus decidi voltar para o seu reino!

Já em O Camaleão, somos apresentados a Meg Knox, um transmorfo.
Sabe o que é isso?!
Um tipo especial de humano que tem a capacidade de se "transformar" em qualquer pessoa - mesma fisionomia, gestos e manias - por um certo tempo. [...]
comentários(0)comente



Ma 13/07/2011

Uma descoberta
[ para ler mais da resenha visite o site Garota Fuxico http://t.co/RO69bsI ]
O Rei e o Camaleão eram pra mim duas histórias infantis, e detalhe, eu pensei que fosse uma história só, mas eu me engano... Primeiro: O Rei conta a história de Petrus que depois de cair na armadilha de Solano para roubar seu trono, perde a memória e vai morar em um retiro de monges. A história toda é contada em terceira pessoa o que torna tudo muito mais esclarecedor e misterioso, passamos a entender os fatos e a pensar no que aconteceu para Petrus ter perdido a memória e como.
comentários(0)comente



Kel Costa 06/06/2011

Duas histórias completamente diferentes dentro desse livro. Para começar, nós temos “O Monge Rei”, que se passa na Idade Média e envolve uma traição sofrida pelo Rei Petrus, por um canalha chamado Solano, que toma o trono do Rei quando forja a morte dele. Enquanto todo o reino (inclusive a esposa de Petrus, a Rainha Litara) acha que o Rei está morto, Petrus na verdade está escondido num Retiro de Monges, sem lembrar de absolutamente nada devido a uma perda de memória que sofreu na época do ataque.

Passados alguns anos, Petrus começa a recuperar a memória e um dos monges, que virou seu grande amigo, lhe conta a verdade. Ele então decide recuperar seu trono e deixa o Retiro, partindo em direção a Fangot, seu Reino. Pelo caminho, ele encontra antigos aliados que poderão ajudá-lo na retomada do Reino das mãos do tirano Solano.
Essa é a história principal do livro, a que toma o maior número de páginas e é muito boa. Para uma história tão rápida, que não se passam nem em 90 páginas, Christian mandou muito bem. Com um início, meio e fim redondinhos, O Monge Rei envolve o leitor e possui uma narrativa super agradável que só faz com que a leitura seja mais ágil. Uma história medieval onde você nem sente os minutos passarem.

E depois, temos “O Camaleão”, uma história com tom futurístico e intergaláctico. Bem curtinha, nessa etapa do livro o leitor acompanha as aventuras do transmorfo Knox, que fugiu do seu planeta (Bandeira 1) junto com seus outros 4 irmãos para evitar morrer na eminente extinção deste. Durante a fuga, um dos irmão se suicidou, jogando-se no espaço e sobraram apenas quatro.

Knox trabalha para o governo e é requisitado, por conta da sua habilidade de se transformar, para ir até o planeta Zara e ajudar numa negociação de paz. Sua missão é nada mais nada menos do que se transformar no próprio governante do planeta, o ditador Sorbone e, passando-se por ele, dar sinal verde para que o seu cargo possa finalmente entrar em votação para eleger alguém que o povo queira. Só que nada sai como Knox esperava e o transmorfo se vê numa enrascada, tendo que salvar não apenas o planeta, como sua própria pele.

Confesso que gostei mais de O Monge Rei, mas O Camaleão é bem legal. Como o próprio autor diz na contracapa do livro, em O Camaleão eu parecia estar assistindo um filme de ficção científica dos anos 80, onde os efeitos especiais são terríveis, mas o propósito ali é apenas divertir.

As duas são muito bem escritas e desenvolvidas e deixo meus parabéns ao Christian por ter conseguido tal proeza de criar histórias sucintas e de ótima qualidade. Vale ressaltar também que em algumas páginas do livro existem desenhos das cenas, um diferencial muito bacana, adorei. O Rei e o Camaleão está mais do que recomendado por mim!

Ah e uma coisa muito interessante: o marcador vem junto com a orelha do livro, ou seja, todo mundo que compra o livro, ganha um marcador. Como? Tem uma parte serrilhada na orelha, que vc destaca e um pedaço já vira o marcador. Show!

Veja essa e outras resenhas no blog: http://www.itcultura.com/
comentários(0)comente



Cibele 17/05/2011

Embora, o livro seja se contos, todos eles são completos e não te deixam em dúvida sobre o que acontecerá em seguida. Apesar de ser o primeiro livro do autor Christian David e de ter sido um trabalho meio experimental onde começou a descobrir o que era ser um escritor* não teria percebido isso se ele não tivesse dito. Os contos são bem escritos e ambos tem reviravoltas inesperadas o que faz com que o leitor não pense em largar o livro antes do fim.

Leia a resenha completa em: http://www.euleioeuconto.com/2010/09/o-rei-e-o-camaleao.html
comentários(0)comente



Amanda Ariela 16/05/2011

O Rei e o Camaleão
‘’O Rei e o Camaleão’’ é um livro de contos gostoso e fácil de ser lido. ‘’O Rei’’ conta a historia de Petrus, que foi deposto do poder por um tirano malvado e deixado em um monastério. Depois de 5 anos, sua memória retorna e ele decide lutar para reconquistar o poder em Fangot e o amor de sua rainha Litara.

Se a história fosse mais desenvolvida, com mais detalhes da batalha, daria um belo livro histórico! Recriando cenários e costumes medievais, Christian nos passa a sensação de estar em 14ebolinha, pintando um belo cenário na nossa frente! Gostei muito de ‘’O Rei’’, se não fosse tão sanguinolenta seria uma bela historia de ninar.

Continua em: http://agarotadocasacoroxo.wordpress.com
comentários(0)comente



Alanna 08/05/2011

Mais do que bom.
Confesso que me surpreendi bastante quando li esse livro. A capa, como vêem, não é possuidora de muitas coisas a se observar. Não devemos julgar pela capa, até porque ela é bem simples, lisa e que mostra apenas um perfil de um homem. E esse homem é justamente o personagem principal da primeira história, "O Monge Rei", na qual nos deliciamos com uma narrativa bem fácil em níveis de compreensão. Esse homem passa a viver em um retiro logo após ser encontrado desacordado e bastante ferido por outros irmãos e mestres daquele lugar, isso é o que captamos entre as primeiras páginas. Ao decorrer da história, vemos que não foi bem assim que aconteceu, e que ele era um rei que após uma grande batalha foi desacordado, devido a uma grande luta travada horas antes, e foi mantido em um retiro sem saber ao certo sua real origem.
A segunda, "O Camaleão" parece ser uma história super interessante pelo fato de ser uma narrativa diferente. Meg Knox, que é o personagem principal e o próprio narrador, é um dos humanos que tentam sobreviver à mudança do eixo de rotação do planeta Bandeira 1. E para isso, precisavam se transformar em metamorfos (seres que podem assumir qualquer forma física).
Eu super que gostei de ler esse livro, ele me instigou muito e indico a qualquer faixa etária, pois seu conteúdo é na medida certa.
comentários(0)comente



Melian 15/04/2011

Como viram na sinopse o livro tem 2 histórias, cada uma com sua temática.
O monge Rei, trata-se de uma história medieval, rei, usurpador de tronos, conspiração e a retomada do reino, para quem gosta do estilo assim como eu é uma ótima história! E com um desfecho super interessante, nada de conto de fadas, mas bem inteligente.
Já O Camaleão, trata-se de uma história futurista, onde uma pessoa foi exposta a determinada situação e desenvolveu outras habilidades, o nosso protagonista da história não é o único com esse poder, e é a partir dai que se desenvolve o mistério.
Eu gostei muito das duas histórias, cada uma a sua maneira.
O livro tem algumas artes, alguns desenhos, no mesmo estilo do desenho da capa, achei bem interessante e bem expressivo, deu uma boa ideia das cenas descritas na história.
E um livro curto, li rápido e gostei muito, flui muito bem e é ótimo para quem está indeciso no que ler, já que aqui você tem duas histórias totalmente diferentes no mesmo livro.
Super recomendo!

Leia resenha completa aqui: http://mellbooks.blogspot.com/2011/04/resenha-o-rei-e-o-camaleao.html
comentários(0)comente



ArenaFantástica 10/03/2011

ARENA FANTÀSTICA - Resenha: O Rei e o Camaleão
Dois contos completamente diferentes são unidos nesta obra, um que se passa em um reino fictício na Idade Média e outro de ficção científica soft com características space-opera.

O primeiro narra a história de um monge atormentado por um passado desconhecido. Ao decorrer da noveleta, ele descobre quem ele realmente é e decide recuperar sua identidade. Essa decisão, entretanto, não é importante somente para satisfazer seus interesses. Retornar à sua vida de antes significará uma nova esperança para o povo de Fangot e também para sua amada.

O segundo trata...

LEIA MAIS EM:
http://arenafantastica.com/2010/12/14/resenha-o-rei-e-o-camaleao/

OU

arenafantastica.com
comentários(0)comente



Mi Cherubim 15/02/2011

O Rei e o Camaleão
Christian Nectoux David fez um livro com duas histórias para um público juvenil.


O Monge Rei é a história de um monge que apareceu no retiro há 5 anos sem memória e ferido.


Irmão Maior, como era conhecido, tinha muitos pesadelos. Como ele não lembrava de nada achou que eram recordações de seu passado, mas o Mestre Maior falou para ele esquecer.


Ok, mas como esquecer o que Cox sonha todas as noites?


Enquanto isso no reino de Fangot a Rainha Litara, ainda de luto, fazia tudo o que estava ao seu alcance para nunca ser a ‘nova rainha’.


Solano tomara o reino após a morte/desaparecimento do Rei Petrus, fazia questão de ter Litara como sua rainha. Mas o monge estava começando a lembrar. O Mestre Maior sofreu um possível afogamento e com isso ele se achou no dever de contar ao Irmão Maior quem ele realmente era.


Rei Petrus recordou de tudo o que lhe acontecerá e foi lutar por seu reino e sua rainha. O que será que Petrus encontrou no caminho? Leia o Monge Rei e descubra.




O Camaleão. Nessa história narrada no início como um diário. Um ser interplanetário, Meg Knox é um transmorfo e conta a história sobre sua vinda a Terra.


Bandeira 1 havia sido destruída e 5 pessoas sobreviveram, mas apenas 4 chegaram vivas a Terra. Um dos irmãos de Knox se jogara do avião e norreu na galáxia.


Knox arrumou um emprego e foi ajudar o país. Seus 3 irmãos, 2 artistas e 1 deficiente viveram suas vidas. Knox foi ajudar o planeta Zara a ter eleições e que o planeta possa ter um pouco de paz.


Mas o que o transmorfo não esperava encontrar outro como ele no lugar do tirano. Como Knox descobriu? O que aconteceu ao planeta? Leia o Camaleão para descobrir.


Nota da Milena: Christian escreveu duas histórias juvenis com o apoio da Prefeitura de Porto Alegre. As histórias são interessantes e curtas, mas o Camaleão me deixou querendo mais srsrsrs Será que teremos continuação? O Christian disponibilizou um epílogo. As ilustrações são feitas por Léo(Nardo) Pereira, estao super legais. Recomendo. Li as duas em 1h e meia, fácil compreensão e bem ambientado.

comentários(0)comente



Nanda Meireles 15/02/2011

Dois contos fantásticos!
Eu fiquei totalmente surpresa com esse autor. Nesse livro, Christian nos apresenta dois contos completamente opostos.

Em O Monge Rei, voltamos a uma época de reis, batalhas e valorosos princípios como lealdade e honra.
A narrativa é envolvente e a história viciante.
Um conto curto que nos deixa com o desejo por mais.

Em O Camaleão, avançamos no tempo para um época espacial, com direito a complô intergalático contra o sonho eterno da humanidade: a paz.

Vejo esse livro como um aperitivo do talento de Christian. Ainda não li suas outras obras, mas fiquei muito curiosa e desejosa de conhecer melhor o seu trabalho.

O Rei e o Camaleão é um livro indispensável para se ter na estante, para presentear os amigos, ler para os filhos... Enfim, uma leitura ideal para todo bom apreciador de boas histórias.

www.fernandameireles.com
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



54 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4