O Pássaro

O Pássaro Samanta Holtz




Resenhas - O Pássaro


129 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Fernanda 21/01/2014

Resenha: O Pássaro
Resenha: “O Pássaro” de Samanta Holtz, apresenta uma história tão intensa e significativa que é impossível não tentar entrar no ritmo da trama e entender os ideais de cada personagem. A premissa é complexa e remete o leitor a perceber os detalhes das diferenças e semelhanças de cada um, questionar sobre regras e o tempo exposto. Claro que o título desta obra tem tudo a ver com as ações descritas e induz reflexões interessantes sobre a liberdade, para seguir os objetivos/sonhos com afinco e esperança, além de outros assuntos relacionados.

Caroline Mondevideu é uma protagonista forte, totalmente feminina e decidida. Filha de um barão rígido – Enézio Mondevieu é um homem amargurado, maldoso e controlado – a menina, sendo ingênua e infantil, pensou que todos viviam sob os mesmos preceitos que ela. Porém, ao se deparar com o filho do domador de cavalos, Bernardo, ela começa a entender algumas atitudes erradas por parte do seu pai e a importância sobre as classes sociais.

CONFIRA A RESENHA COMPLETA NO BLOG SEGREDOS EM LIVROS:


site: http://www.segredosemlivros.com/2014/01/resenha-o-passaro-samantaholtz.html
Samanta 21/01/2014minha estante
Oooooi!! :)

Acabei de comentar na resenha do blog, mas comento aqui novamente para agradecer por ter compartilhado suas impressões sobre o livro com os seus leitores!

Muuuito obrigada!

Beijos carinhosos,
Sam




Drika 22/02/2012

É provável que os pássaros me lembrarão esse livro
No ano de 1227, na fazenda do poderoso Barão Enézio Mondevieu, um grande senhor feudal, é que a história ganha vida. Um homem de muitas posses, casado com a submissa Antonelle. Barão é mau e autoritário, que não conhece a piedade ou a bondade. Pai de duas filhas, Elisabeth e Caroline
Caroline é nossa protagonista, uma menina de sete anos de idade já questionava as regras ditadas pela sociedade naquela época, e com sua alegria pela vida, desejava viver em liberdade, de acordo com suas próprias emoções.
Certo dia, ela encontra o filho de um dos empregados da fazenda, e tem, pela primeira vez, seus olhos abertos para a realidade que sempre a cercou.

"Na verdade, milady, a maior diferença entre nós é que meu pai sempre trabalhou e sempre foi pobre. Já o seu, nunca fez nada, e tem isso tudo..." Pg.17

Aquele encontro fez um rebuliço no interior da menina. Com seu questionamento diante do pai, ela recebeu como resposta uma surra, que nunca mais se esqueceria.

O tempo passou e Caroline se torna uma jovem ainda mais determinada do que antes. Ela tem apenas um ideal: ser livre. Mas o impiedoso Barão acha que pode controlar a vida da filha e isso rende vários momentos de rebeldia da menina. Como fugir no dia do casamento da sua irmã, quando o pai anuncia o casamento dela, sem lhe comunicar. Embora ser com o charmoso Filip, um amigo de infância, Caroline, quer ter o direito de escolha do seu próprio futuro.

"Há tanto tempo, eu a admiro em silêncio..." Pg.49

A menina ferve em revolta, e naquela noite tem um encontro inusitado com um dos empregados do pai, ele faz o tempo voltar quando diz:

"-O que pensou...Que estava... Fazendo? - perguntou ele, com a voz cortada pela respiração exausta.
Ela ergueu os ombros, como criança flagrada em sua traquinagem.
-Fugindo...
-Milady! Perdeu o juízo?
Ela parou de ofegar por um instante e ergueu os olhos para ele.
- Do que me chamou?
...
- Você é o menino... O menino da cerca!"

Bernardo é o filho mais moço de Gerson, o domador de cavalos da fazenda do Barão. O rapaz, assim como Caroline, é bastante rebelde e não consegue ser domado. E também busca, a desejada liberdade.

"Talvez o que eu precise, não seja alçar voo, mas parar de insistir em me manter nos ares". Pg.76

No início, tudo que o rapaz faz parece irritar Caroline, mas o que eles não imaginavam, era que o destino os trariam ainda muitas surpresas, entre elas, que iriam se apaixonar.
O mundo estará contra eles, e o amor precisará ser forte para ir contra todas as regras da sociedade. Mas será que será forte o suficiente para resistir as muitas verdades que ainda virão?

O Pássaro foi uma agradável surpresa. Primeiro, por ser o primeiro romance de época que leio, segundo por ter me revelado mais uma talentosa escritora nacional, Samanta Holtz. Samanta escreve de uma forma encantadora, e nos prende até o fim, com um livro carregado de mistérios e reviravoltas inesperadas.

Caroline foi a personagem que eu mais gostei, forte, determinada, sonhadora e inesquecível! Me emocionei com sua ousadia em conquistar seu sonho de ser livre, demais! Bernardo, confesso que demorou a conquistar minha simpatia, é aqueles homens mal-educados, indelicados, que só vi em filmes de cawboys, que se acham. E por gostar mais dos mocinhos românticos, carinhosos, demorei a me simpatizar por esse mocinho, porém, bem sei, que muitas mulheres adoram esse tipo de personagem. Enfim, com o tempo ele ganhou minha admiração quando começou a perceber que Caroline era a mulher da sua vida.

Enquanto escrevia a resenha, fiquei buscando palavras que descrevessem o romance O Pássaro, e a que mais saltou nos pensamentos foi: inesquecível. Um romance maravilhoso que levará o leitor a sentir uma mistura louca de emoções. É uma linda história, com um final surpreendente, que na hora me assustou, mas depois concluí que fez jus a todo o enredo.

O Pássaro é um grito de liberdade, e tenho certeza que muitos serão tocados por essa linda lição! Ainda estou encantada e não encontrei as palavras certas para descrevê-lo. É muito forte e cheio de peculiaridades que o torna O Livro, entendem?
Leitura mais que recomendada!

Parabéns a querida Samanta Holtz, por ter escrito um livro tão lindo, e ter me presenteado com sua escrita admirável!

Veja mais em: http://www.adrianabrazil.com/2012/02/resenha-o-passaro-samanta-holtz.html PROIBIDO reproduzir esta resenha sem autorização!
Samanta 22/02/2012minha estante
Preciso repetir o quanto amei sua resenha??? :)

Dri, colei alguns trechos da sua resenha (com link para seu blog) aqui no meu: http://samantaholtz.blogspot.com/p/mural-dos-leitores.html

Tudo bem???

Se tiver algum problema, por favor, me diga ^^


Beijokas!


Drika 22/02/2012minha estante
A resenha é sua Sam! Use a abuse! Mais uma vez parabéns pelo seu livro tão lindo! Eu amei e ainda estou pensando nele!!
Parabéns pelo seu talento! Virei sua fã!
SUCESSO!!!


Cris Cullen 13/09/2012minha estante
muito lindo esse livro,adorei!!!!


Renata 15/10/2012minha estante
Não conhecia o livro e pela resenha vou me arriscar a lê-lo.


Samara 28/02/2013minha estante
Realmente um grito de liberdade, me prendeu desde o começo...amei os personagens me envolvi em cada louca atitude de Caroline...mas gente queria um final diferente...sinf...mas mesmo assim parabéns Samanta Holtz pelo belo livro.


Ana Paula 11/08/2014minha estante
Confesso que esse livro seria um dos meus favoritos, mas não foi devido ao final. Concordo com a Samara. Eu também queria um final diferente.
Mas a escrita é perfeita, os personagens são apaixonantes e cativantes. A Caroline, o Bernardo e o Filip são perfeitos..
Bem que a Samanta Holtz poderia fazer um final alternativo para nós fãs que gostamos do livro, mas não amamos devido ao final...
Nem que seja no WATHSAPP, Widbook ou qualquer lugar só para a gente ler e ficar com o gostinho de satisfeitos...Por favor...




spoiler visualizar
Ana Paula 11/08/2014minha estante
Confesso que esse livro seria um dos meus favoritos, mas não foi devido ao final. Concordo com a Cih. Meu problema também foi só o final.
Mas a escrita é perfeita, os personagens são apaixonantes e cativantes. A Caroline, o Bernardo e o Filip são perfeitos..
Essa estória daria um lindo filme..
Bem que a Samanta Holtz poderia fazer um final alternativo para nós fãs que gostamos do livro, mas não amamos devido ao final...
Nem que seja no WATHSAPP, Widbook ou qualquer lugar só para a gente ler e ficar com o gostinho de satisfeitos...Por favor...


Ana Paula Toledo 28/04/2015minha estante
Oi, Cih!!!

Passando por aqui pra fazer um agradecimento:
Em 2013, eu estava procurando resenhas sobre esse livro. Queria ler as opiniões de quem já tinha lido para assim eu comprar pra ler rs...
E no meio de algumas resenhas, achei essa. Sei que estava marcada como spoiler, mas sou super curiosa e cliquei em visualizar e li rs...
Quando li sua resenha, considerei que esse livro era diferente e um tanto ousado pelo desenrolar e também pelo final...
Algumas semanas depois eu achei o livro, comprei e li. Nem preciso comentar que mesmo sabendo, eu chorei horrores? Rs...

Enfim, o meu agradecimento é que graças a sua resenha de spoiler (rs) eu fui atrás dos livros da Samanta Holtz.
Hoje, já li os três publicados e considero a Samanta uma ótima escritora (além de pessoa super simpática e carinhosa).

Obrigada pela resenha e pelas palavras.
Espero que tenha se encantado por "Quero ser Beth Levitt" que nem eu, esse livro eu li antes de "O Pássaro" e é o meu xodó rs...

Beijos.


Samanta 30/04/2015minha estante
Ana Paula, querida!!!

Fico tão feliz em saber que foi essa resenha que me deu de presente essa leitora querida e especial que você é :) Obrigada por ter encontrado para mim e me mostrado!

Cih, obrigada novamente a você por suas palavras, por dividir aqui no Skoob sua opinião sobre meu livro!!! É gratificante saber que isso ajuda outros leitores a conhecerem melhor a história antes de lerem :)

Aliás!! Para você e para a Ana Paula, que também comentou aqui em cima, em dezembro do ano passado eu escrevi, sim, um conto com um "final alternativo" da história, justamente pensando em vocês, que ficaram desolados rs rs... Se quiserem conferir:

https://www.widbook.com/ebook/conto-de-natal-samanta-holtz

Beijos no coração!! :*


Vittória Brasil 15/01/2017minha estante
Obrigada pela resenha! No Skoob, a maioria das pessoas não faz resenhas com spoilers (e eu amo spoilers). Bom, estava tomando a decisão de comprar ou não, e eu queria saber realmente o que você escreveu aqui, o final. Eu valorizo muito finais. Principalmente os felizes.
Sua resenha já me mostrou que eu iria me frustrar com o livro então estou me abstendo.
Vou deixar para pessoas que gostam de livros assim hahaha


Cinthia 04/02/2019minha estante
Faz tanto tempo que eu não escrevia uma resenha, que não tinha visto essas mensagens.
Obrigada, meninas, fico feliz por ter ajudado vocês.

E Samanta, estou adorando acompanhar seus vídeos sobre escrita, você é extremamente talentosa e simpática. Para mim, que sou beta reader e revisora, eles são muito importantes e me ajudam demais a ajudar novas escritoras.
Obrigada por dividir seus conhecimentos e experiência conosco.




samellabridges 22/05/2016

Resenha exclusiva para o blog SammySacional

Quando li O Pássaro, ainda em janeiro de 2016, fazia exatamente dois anos que havia tido o primeiro contato com os livros da autora, em janeiro de 2014, através daquela que viera a ser uma das leituras mais marcantes, não apenas daquele ano, mas da minha vida como leitora, Quero Ser Beth Levitt. Desde então, a vontade de continuar a ler suas obras era imensa, e a oportunidade de adquiri-las enfim surgiu e eu pude conhecer, nesse caso, o livro que fora a estreia de Samanta Holtz na literatura, o romance que definitivamente a consagrou e abriu as portas para uma carreira que, assim desejo à autora, seja de muito sucesso, inspiração e lindas emoções, porque, da mesma forma, é disso que suas histórias são feitas, de muitas emoções e mensagens inspiradoras que podem fazer uma grande diferença na nossa vida.

Em pleno século XIII, como filha de um dos mais poderosos barões da região, Caroline Mondevieu tem tudo que uma garota poderia desejar nessa sociedade, desde os vestidos mais incríveis e luxuosos até mesmo a garantia de um ótimo pretendente com quem se casar. Ela, por outro lado, não dá muita atenção à nada disso, uma vez plantado em seu coração o desejo por liberdade e independência, após tantos conflitos com o próprio pai, então ditador do destino da jovem. Não muito longe dela, em uma humilde cabana em sua propriedade, Bernardo, um jovem e por vezes arredio domador de cavalos almeja sua própria liberdade dos campos de trabalho do Barão de Mondevieu. O primeiro encontro entre eles não é nada agradável, e nem mesmo os seguintes, mas uma vez que ninguém mais compartilha dos mesmos desejos que eles, ambos sabem que são os únicos capazes de se unirem e livrar à ambos da prisão em que se sentem. Mas nada será tão simples como eles imaginam, e à medida que uma série de segredos passados ameaçam vir a tona após sua fuga, eles não sabem, mas suas vidas irão mudar para sempre.

“— Ser cavalheiro? — explodiu. — Isso lá é coisa pra gente pobre como nós?
— A educação é sempre o mais importante — insistiu. — Ela não tem a ver com a riqueza, mas com sua honra de ser humano.
— Sei! — zombou. — Você não pensou nisso sozinho, pensou? Quem foi o idiota que colocou isso na sua cabeça?
— O idiota foi sua mãe. [...] — Ela também me ensinou que, acima de qualquer dificuldade, está o amor.”

O início de O Pássaro já é introdutório por si só, apresentando ao leitor a história e prestígio social da família Mondevieu, mérito do Barão e então pai de Caroline e Elizabeth, sua irmã dois anos mais velha. Em meio a uma cena da infância da personagem, acompanhamos os traços da curiosidade latente da personagem e sua postura em não abaixar a cabeça tão facilmente como era de costume às mulheres da época, ganhando uma certa marcação por parte do pai, que quer controlá-la da mesma forma que já faz à esposa e filha mais velha, mas uma vez sendo Caroline muito ousada, a relação de pai e filha tenderá sempre a ficar cada vez mais abalada e frágil. Ela é uma protagonista cativante e ativa, sem dúvida alguma, e por mais que vez ou outra queiramos dar-lhe um puxão de orelha por alguma atitude ou fala impulsiva, a verdade é que, apesar da narrativa em terceira pessoa, nos envolvemos com a história e, principalmente, com a personagem, de tal forma que compreendemos e até mesmo sentimos sua aflição e anseio constante por liberdade, principalmente à medida em que as máscaras da alta sociedade caem e enxergamos tamanha inferioridade a qual as mulheres da época eram subjugadas. Com seus eventuais equívocos e atitudes um tanto quanto mimadas logo no início, ainda assim, apesar da pouca idade de dezessete anos, Caroline era uma garota a frente de seu tempo, um pássaro preso na gaiola das convenções sociais da época, e que só almejava ser liberto e alçar um voo por conta própria.

“— Milady, eu...
— Conte-me, Bernardo: quantas damas você viu entrarem na floresta, para longe do conforto e da riqueza, sem qualquer ultimato? Renunciar a tudo em busca de algo que ouro nenhum poderia comprar? Sentir formigas picando suas canelas, enquanto podiam estar descansando em seu quarto limpo e seguro?
Ele apenas ouvia, perdido na dimensão dos pensamentos dela.
— E você ainda vem me falar de coragem!”

Ainda assim, com uma protagonista tão forte e determinada, Bernardo, da mesma forma, rouba a cena quando aparece e vai conquistando o leitor mesmo por entre seu jeito meio marrento e teimoso que, logo mais, se mostram apenas como traços que escondem toda uma sensibilidade e romantismo inerentes, inclusive, a quem almeja não apenas alçar seu próprio voo, mas, também realizar o tão antigo sonho de tornar-se corredor. Com o plano de Caroline, de repente esse sonho nunca esteve tão próximo de virar realidade, ao ganhar desta, como uma recompensa, um dos cavalos mais fortes dos Mondevieu, o "quase tão corredor quanto ele" Apolo. Mas ao passo que ambos permanecem em teimosia e orgulho, Caroline e Bernardo terão uma grande aventura por viver para só então reconhecer sentimentos que antes eles não estavam preparados para encarar e mesmo até vivenciar. E nesse ponto, por mais romântica que eu seja, gostei que a autora não tratou do romance como um foco; ele estava ali, mas desenvolvia-se de uma forma tão leve e natural, com certa lentidão que, no entanto, fez toda a diferença nos capítulos finais.

“— Elizabeth, qualquer esposa deve obedecer ao marido. Você não é a única.
Ela amenizou o tom da voz, reflexiva:
— Desde quando a obediência anula o amor?”

Assim, com dois personagens tão cativantes e que se destacam de uma forma tão forte e altiva no enredo, é natural que, de certa forma, esqueçamos um pouco dos demais personagens. No entanto, foi por driblar esse enfoque que a autora se superou mais ainda, pois, com o desenvolver da história e apresentar de cada um dos demais personagens, de repente me vi ansiando por saber o que aconteceria a seguir não apenas com a Caroline e o Bernardo, mas também à sua irmã Elizabeth, então recém-casada mas visivelmente decepcionada com a distância do marido a quem tanto ama, à mãe das duas, Antonelle, que apesar de inicialmente mostrar-se tão unicamente submissa ao marido e suas vontades, logo mais começou a agir por conta própria e a lutar mais pelo bem das filhas, bem como, por fim, à Filip, doce como um príncipe que, no entanto, tem seus sentimentos por Caroline não correspondidos, mas ainda assim mantendo a amizade tão delicada e pura iniciada ainda na infância. Outros personagens também se fazem presentes de forma igualmente importante no enredo, mas cuja apresentação só se dará na hora certa, então só lendo para conhecê-los. Por outro lado, de destaque negativo citemos o pai de Caroline, o barão Enézio Mondevieu, que se sobressai por tamanha frieza e ambição, que me fez torcer o nariz e desejar que ele desaparecesse da história a cada vez que ele se intrometia em algo e ditava ordens desmedidas às filhas e à esposa.

No fim das contas, O Pássaro conclui-se como mais do que um simples romance, mas como uma representação do grito por liberdade proferido, de certa forma, pela jovem protagonista. É como se sua jornada, enfim, não dissesse respeito apenas à ela mesma, mas também na influência que acabou tendo sobre a mãe e a irmã, dando-lhes o gatilho para buscar a real felicidade, a vida de verdade, que tanto Caroline defendi e até então elas não entendiam. Uma história tocante, com personagens fortes e marcantes que, mesmo após a conclusão da leitura, deixam saudades e permanecem na nossa memória.

site: http://sammysacional.blogspot.com.br/2016/05/Resenha-OPassaro.html
Samanta 04/07/2016minha estante
Uaaaaaaaaau, Sâmella!!!

Que resenha linda, linda, linda! Que texto incrível!!! AMEI, li cada palavra com um sorriso no rosto, sentindo como se lesse a crítica em uma coluna de um importantíssimo jornal!! Maravilhosa sua interpretação, a colocação do seu ponto de vista... e, claro, que delícia saber que a história a agradou tanto!!!

Muito obrigada por essas palavras, que são quase um presente para mim!

Beijo enorme no coração,
Sam


Lisa.Vieira 20/08/2016minha estante
Agora fiquei com mais vontade ainda de ler!!!


Samanta 31/08/2016minha estante
Lisandra, querida! Espero que tenha sim a oportunidade de ler e ame muuuuuito! :)


Margot 08/03/2017minha estante
Linda resenha. Adorei. Acabei de colocar na minha estante. Não vejo a hora de começar a devorá-lo.
Parabéns a autora.
Bjim.
Margaret




Marcia-Rios 26/02/2012

O voo do pássaro
ONDE, QUANDO E COMO…
Europa, século XIII. época dos vestidos pomposos, das charretes elegantes e das extensas propriedade de terra com seus castelos, onde perambulavam serviçais, condes, duquess, barões e segredos.


Um sociedade cujos conhecidos como vassalos e suseranos, que conviviam no sistema feudal. Uma cerimônia simples, um puhado de terra despejado, mais um vassalo a servir. Esse se intalava com mulher e filhos nas terras do seu senhor, nas quais viviriam a troco do trabalho, suor e tributos dos mais incabivéis. Uma vida difícil, porém, para os menos afortunados, era a condição mais aceitável para se viver com dignidade.


Do outro lado, estavam os senhores das terras e suas famílias. Esposas caladas, filhas obedientes, homens rídigos. A imagem perfeita para se passar à sociedade – muito embora ninguém imaginasse que aventuras e amores proibidos se escondiam por trás daqueles olhos baixos, submissos a uma vida de regras, castigos, imposição do certo e proibição do errado. Uma vida resumida a aceitar sem argumentos ou contestação.


Mas havia uma jovem determinada a quebrar essas convenções.


Essa introdução não é spoiler, a autora liberou para seus leitores conhecerem e, sentirem o sabor dessa linda história o primeiro capítulo que poderão ler no blog da autora.

Utilizei-a justamente porque a partir desse ponto, somos levados diretamente ao ano de 1227 e, a voar em cada uma das suas páginas conhecendo a história da pequena Caroline que tem uma forma muito peculiar e diferente de ver e aceitar a vida do jeito que lhe era imposta e, a torcer em cada uma delas que consiga abrir a porta da sua “gaiola” de ouro e alçar voo.


Os personagens:
- Dinamene = serva pessoal e fiel das damas da mansão dos Mondevieu.
- Gerson Rachclev = domador de cavalos, assim como seus dois filhos William e Bernardo.
- William = calmo e resignado como a imposição de sua condição.
- Bernardo = hostil e desafiador, desde criança já demonstra sua insatisfação em conviver com a brutal diferença de classes.
- Barão Enézio Mondevieu = frio, cruel, impiedoso e temido.
- Baronesa Antonelle = “serena”, “tranquila”, indefesa e subordinada às ordens do barão, assim como suas filhas Elizabeth e Caroline.
- Elizabeth = meiga, silenciosa, obediente.
- Caroline = curiosa, risonha, falante, contestadora e desafiadora, atitudes que lhe rendiam marcas físicas e emocionais.
- Duque Fernão de La Frièt = amigo da família Mondevieu e pai de Filip.
- Filip = um rapaz que cresceu alimentando uma forte e cativante afeição por Caroline.
- Jéan Delcour = noivo e futuro marido de Elizabeth que aprendeu com seu pai que amar era uma fraqueza e deveria prevenir-se desse mal.


Durante os acontecimentos, a história desses personagens se misturam, revelando: o amor puro, singelo, emocionante; o ódio devastador que aprisiona e mata; a magia que encanta e apaixona; mistérios e segredos que no seu final (surpreendente e inesperado), mudariam para sempre suas vidas.


Parafraseando a biografia da linda autora: Com uma história romântica e cheia de surpresas, Samanta nos leva em uma deliciosa viagem onde, vamos das lágrimas ao riso e do riso as lágrimas em questão de capítulos.
Samanta 27/02/2012minha estante
AMEI sua resenha, Marcia! E fiquei muito feliz por saber que você gostou tanto da história ^^

Um beijo enorme!




Janise Martins 27/04/2020

O Pássaro
A história é narrada na terceira pessoa. Os diálogos logo no início são tolos, colocando um amadurecimento a uma menina de 7 anos que nem nos dias de hoje ela teria. Forçou muito, ficou mais falso que amigo apaixonado pela namorada do melhor amigo. Os diálogos são fracos, uma tentativa frustrada de “amarrar” a história.
E cá entre nós, feminismo em 1227?? Uma menina de 7 anos?
Faltou pesquisa, argumentos para Samanta Holtz, sei lá! Ficou um texto imaturo e claramente desprovido de conhecimento, fiquei impaciente e insatisfeita, muito insatisfeita. Quem tem paciência para rebelde sem causa? E sem causa mesmo, pois não foi apresentado absolutamente nada que sustentasse a rebeldia da protagonista e ainda digo mais, ela é chata, irritante e idiota. Fiquei feliz quando levou a segunda surra do pai. Yes!
E a coisa só piora, a autora coloca coisas mais tolas no meio e termina pior ainda. Li na marra, para não abandonar um livro logo no início. Fico abismada como no Skoob a nota dele é 4.
Se quiser ler, leia, eu não recomendo.
Ufa!
Bjoo




site: http://janiselendo.blogspot.com.br/2016/01/o-passaro.html
@OsLivrosDaTha 27/04/2020minha estante
CARACA kkkkkkkkkkk




Letícia 28/08/2013

Voando...
Desde o ano passado, através de amigos na internet e de blogs literários, tive a grata surpresa de conhecer os novos talentos da literatura nacional. Escritoras e suas histórias recheadas de emoções diversas, amores, alegrias, tristezas, aprendizados de vida. E foi assim que conheci e pude ler mais um livro dessa nova safra de talentos, o qual segue resenhado agora.


A sinopse do livro nos conta que Caroline Mondevieu é filha de um poderoso Barão e tem tudo o que uma dama da época poderia querer: status, riqueza e um ótimo partido para se casar. Seus sonhos, no entanto, vão muito além de vestidos caros ou um bom marido; ela quer ser dona do próprio destino. Sua vida muda completamente quando encontra Bernardo, um charmoso domador de cavalos que parece ter o dom de irritá-la. Eles não conseguem se entender até quando percebem que, para alcançar o sonho em comum da liberdade, terão que passar por cima das suas diferenças e se unirem num arriscado plano que promete transformar suas vidas para sempre. Grandes emoções os aguardam em sua jornada; perseguição, mistérios, ciganos e o despertar de um sentimento que insiste em se manter escondido. Mas o que parece tão simples envolve muito mais magia e coincidências que eles podem imaginar, além da descoberta de segredos, até então, muito bem guardados. Uma história romântica e surpreendente que irá prender sua atenção desde a primeira página. Você está preparado?

Confesso que os romances, principalmente os açucarados não são minha preferência literária. Mas quando li essa sinopse, me fez ter curiosidade de saber o final, pois as histórias de amor dos romances românticos são sempre as mesmas. Mas em O Pássaro é bem diferente, é uma história de ambição, disputa, renúncias, amor eterno e ao mesmo tempo proibido, desapego e uma série de emoções que cercam todos os personagens da história, mas principalmente Caroline e Bernardo.

A cada página lida, eu ficava me perguntando como Caroline iria se desvencilhar daquelas amarras, em uma época que a mulher não tinha voz e nem vez na sociedade, e era tratada como simples objeto, uma marionete nas mãos dos homens, fossem eles, pais, maridos, irmãos.

A história vai se desenrolando e você não consegue parar de ler, pois quer saber logo o que vai acontecer. É uma história de superação, determinação, um amor eterno, e todas as lutas travadas para se manter viva e livre.

Recomendo a leitura!

site: http://www.minhastempestades.com.br/2013/02/o-passaro-samanta-holtz.html
Samanta 02/10/2013minha estante
Olá, querida!

Eu já havia comentado sua resenha, porém, não sei o que houve que o Skoob fez meu comentário sumir rs... não é a primeira vez :P

Então, novamente: obrigada pelas lindas palavras a respeito do meu livro!! Fico muito feliz que a história a tenha agradado tanto :)

Beijos!
Sam




Fabi 03/05/2017

MELANCÓLICO DEMAIS
'' — Quando a tristeza cresce dentro da gente, ela precisa sair. Senão, não sobra espaço para a felicidade.''

Sabe quando a personagem central do livro não te agrada?
Foi o que aconteceu com a personagem deste livro: Calorine Mondevieu . A mocinha da vez, é filha de um barão, tem quantos vestidos que quiser, fome ela nunca passou.
O cenário do livro é baseado na época em que as mulheres eram submissas aos homens, que não podiam expressar sua opinião. Caroline desde pequena, demonstrou ser o oposto de tudo isso. Seu pai, um homem bruto e sem sentimentos, sempre desprezou o jeito da menina.
Quando ela se encontra com 17 anos, o barão propõe dela se casar com Filip, um rapaz que a conhece desde criança, que a ama de todo o coração, porém um pouco tímido.
Mas ela o quer? Nãooooooooo, só vê ele como amigo. Ela quer ser livre, ter liberdade, não viver sobre o domínio do seu pai autoritário.
Poxa vida, Filip é um amor de pessoa, porque não podia gostar dele? E já que ela queria ser livre, se casasse com o noivo que o barão propôs, de certa forma, ela não estaria mais sobre o domínio do pai neh. Odeio personagens que tem tudo à disposição, nada de errado, mas acha que tem motivos para ser rebelde; a chatinha da história; que gosta de fazer revolta.
Caroline não quer nada disso. Ela quer viver uma aventura e para isso conta com a ajuda de Bernardo. Um domador de cavalos, que sonha também ser livre, mandar em sua própria vida.
A fuga de Caroline foi bem da atrapalhada. Tem um momento que ela relata estar quase a arrancar os próprios cabelos. Eu também fiquei assim hahaha a menina parecia que não ia conseguir fugir, pois o tanto de problemas que ela encontrou. Me deu vontade de tacar o livro na parede ( caso eu estivesse lendo livro físico), muita enrolação, mais uma parte que eu estava frustrada na leitura.
O resto vocês já podem imaginar. Depois de um tempo se apaixonam blábláblá.....
Não me conformei mais ainda no final, quando Caroline quer fazer Filip de segunda opção. Ahhhhhh, haja paciência com esta mocinha. =(
Filip foi o que mais sofreu neste livro, mas foi primeiro personagem que me agradou, depois veio em seguida Elizabeth e o marido.
Eu não consegui gostar dela com Bernardo, então quando é revelado o grande segredo que envolve os dois, eu fiquei: Ah, ta.Tipo, para mim tanto faz.
Se o casal central, fosse trocado por Elizabeth e seu marido, eu teria gostado deste livro sem dúvidas, a declaração do marido da Elizabeth foi tão lindaaaa, dizendo que se apaixonou por ela, que a quer em sua vida. S2
No final, achei O Pássaro, um misto de Romeu e Julieta e O morro dos ventos Uivantes, centrado no tema amor impossível.
Quem gostou deste livro, beleza. Eu não senti conexão com ele. A autora que me desculpe, não foi dessa vez.
Não leria de novo. Foi muita melancolia num livro só. Deixo a sua disposição ler e tirar suas conclusões ;)

''- O amor transparece os olhos de quem o sente.''

''O amor não é feito de ouro, embora meus olhos brilhem como tal quando eu o vejo.''
Mi 05/05/2017minha estante
Palmas kkkkkk
Amei o final : " Quem gostou desse livro, beleza (...) " kkkk cara deu até um orgulho kkkkk

"Sabe quando a personagem central do livro não te agrada? "
Acho que eu tenho um certa experiência, não muita claro ;) kkkkkkkkkkkkkk


Fabi 05/05/2017minha estante
hahaha nao gostei d livro, entao nao tinha como esconder a opiniao kkkkkkk


Diandra 09/01/2018minha estante
Odiei esse livro, a protagonista é insuportável e sem nexo. Quer fugir e nem pensa como vai sobreviver lá fora.




Ká Guimaraes 06/09/2012

Mais um nacionais emocionante ^^ Da uma olhadinha nas resenhas do Acordei http://www.acordeicomvontadedeler.com/2012/04/resenha-nacional-o-passaro-samanta.html
Tenho que ser sincera não é pessoal? Bem quando o livro da Samy (amiga de infância) chegou aqui em casa, eu disse: “Meu Deus que livro grande, vou demorar um século para ler”, só que assim que peguei ele para ler, este um século se tornou em um dia gente. Á historia flui tão bem, que você não vê à hora de chegar ao final do livro para saber o que vai acontecer.

Em O Pássaro, somos levados a uma época de vestidos pomposos, charretes elegantes, serviçais, barões, duques e muitos segredos. Lendo este livro da Samy, me lembrei muito daquela seria Luxo, acho que todos devem conhecer onde as capas são de vestidos pomposos. É fácil entender qual é a lição deste livro, adorei conhecer mais daquele tempo, acho que a autora pesquisou muito, o que fez a historia ficar saborosa, adoro ler livros assim, com começo, meio e fim.

Conhecemos aqui Filip, Bernardo, Liza e muitos outros personagens, mais os que mais me chamaram a atenção foram esses citados. Filip, por seu jeito meigo que das primeiras paginas me encantaram, até achei que... Cala a boca Ká. Já Bernardo ele é... Como descrever o mocinho pelo qual me apaixonei? Nossa ele é tudo de bom kkkkk bem cheio de si, meio ranzinza, mas ao mesmo tempo ele é todo cheio de amor. Liza, eu achei ela meio chatinha, mas no final do livro a achei incrível, queria uma irmã dessas srrs Corajosa e forte.

Não posso deixar de falar de Caroline e Bernardo...

Caroline sempre questionava as regras ditadas pela sociedade, e sempre desejou viver a liberdade, sempre queria se sentir como um pássaro, certo dia ela encontra um filho de um dos empregados da fazenda, e pela primeira vez percebe que nem todos têm uma casa como a dela, o menino abre seus olhos. Com isso ela começa a indagar o pai, só que não percebe que é o momento errado, pois tem apenas sete anos, então leva uma surra que nunca irá se esquecer.

Então Caroline cresceu e se tornou uma jovem determinada, quero dizer mais determinada, pois a menina é osso duro, parece ágüem que eu conheço kkkkk Carol (como disse virei amiga dela) só pensa em uma coisa, ela quer ser livre. Mas o Barão quer sempre controlar a vida da sua filha, e isso faz render muitos momentos de rebeldia da garota. Como quando foi anunciado no casamento da irmã que ira se casar com Filip, embora ele ser o seu amigo de infância, ela quer ter direito de escolher seu futuro.

Bem pessoal não quero contar mais nada, tem tanta coisa srrs Como eu falei, Caroline é bem teimosa, e isso vai custar muito em sua vida, será que ela um dia vai ser livre? E posso dizer que ao ler este livro você irá rir, pois temos partes que Caroline e Bernardo, fazem a gente rir mesmo. Bernardo com o seu jeito machão é demais pessoal, e Caroline com seu jeito estourado, só de lembrar eu começo a rir rsrs

O pássaro foi um presente que eu recebi, adoro ler historias inesquecíveis, e quando alguém vim pegar emprestado na minha estante, vou ter orgulho de contar que a escritora é a minha amiga (me senti). Samanta escreveu um livro encantador, com personagens marcantes que nos prende até o final. Está bem fiquei com vontade de enforcar a Samy, mas passou kkkk

Parabéns pelo livro lindo amiga, adorei mesmo....
Samanta 06/09/2012minha estante
É linda demais a sua resenha, Ka :)

Muito obrigada por postá-la aqui e dividir com os demais leitores!!!!!




"Ana Paula" 21/02/2012

Um livro maravilhoso!!!!

A história de Caroline Mondevieu se passa na Europa, no século XIII. Caroline é uma jovem que tem o desejo enorme de ser livre, de escolher o que quer para sua vida, sem ninguem para impedi-la. Mas como as coisas não são como queremos, Caroline sofre com o comportamento de seu pai, o poderoso Barão Mondevieu, que não é um pai amoroso, ao contrario, sempre a trata com despreso e até bate nela. Não é só Caroline que sofre com as atitudes do pai, sua mãe e sua irmã tbm, que sempre são submissas a ele, despertando em Caroline um pensamento de que é muito diferente delas.

Mas tudo parece mudar, quando Caroline foge com Bernardo, um domador de cavalos, para procurar seu destino e se ver livre das garras do Barão. Bernado aceita fugir com Caroline em troca de um cavalo, o mais rapido do Barão, e assim eles se emprenham na mata e começa ali um amor que nem o tempo poderá romper.

Os dois são uma graça, Caroline é mimada e Bernado, insuportavel... Ambos se irritam facilmente, mas são lindos juntos.

Adorei todos os personagens, inclusive Filip que eu queria muito que tivesse um final feliz!!!!! O Livro é incrivel, foi dificil parar de ler, até sonhei com ele... A leitura é leve e acontece tanta coisa... Uma atitude leva a outra e segredos que vc nem imagina são descobertos em pouco tempo. Adorei de verdade o livro e recomendo com toda certeza!
Samanta 21/02/2012minha estante
Ana Paula querida!

Sem palavras... ler uma opinião tão positiva e tão linda sobre meu livro é, definitivamente, a maior recompensa para uma escritora!!!

É lindo ver que palavras que saíram do fundo do meu coração e foram lapidadas com tanto cuidado tocaram tanto o coração de outras pessoas :)


Muito obrigada! De coração!


Um beijo

Samanta Holtz
autora de "O Pássaro"
www.samantaholtz.blogspot.com
@SamantaHoltz


Carolina Lopes 22/02/2012minha estante
Adorei a resenha!!!
Tenho que ler esse livro urgente!!!




Ana Abreu 26/01/2015

Uma carta de amor à vida
A velocidade com a qual devorei esse livro me fez agradecer aos céus por ter nos presenteado com uma escritora brasileira tão... magnífica. Samanta não escreveu um livro, ela recolheu gotas de amor e as derramou nessa estória. Após ler “Quero Ser Beth Levitt” e me deparar com tamanha graciosidade, doçura e talento, mal podia esperar para me deliciar com mais de Samanta e sua escrita tão linda. Confesso que no início do livro eu pensava: será que vai ser tão maravilhoso quanto o outro que já li? E como leitora exigente, virava cada página procurando um erro, um deslize que me desconectasse da estória, que me desapontasse, que fosse “menos” do que eu esperava. E acreditem, não foi menos, foi muito, muito mais. O início do livro pode parecer leve, seguindo uma linha de raciocínio óbvia mas ao mesmo tempo deliciosa, mas dos 60% em diante da leitura, ele toma dimensões impensáveis, inimagináveis e ricas. A criatividade da autora é refinada, sem mais. É doce, inteligente, humana, sensível e sábia. A Caroline que inicia o livro em busca dos desejos de seu coração, desafiadora, machucada e impulsiva, se vira do avesso no decorrer da estória, e ao virar a última página do livro apenas um pensamento vem em sua cabeça: Parabéns Caroline, parabéns Samanta!

É encantador a maneira com a qual o amor é retratado na trama, simplesmente divino. Você ama alguém? É claro que ama, todo mundo ama alguém mesmo que ainda nem tenha conhecimento disso. Mas o que é realmente a força desse sentimento quando TODAS (e digo realmente todas) as barreiras são impostas e a única coisa da qual você pode se alimentar é o calor que sente dentro do coração? Como ultrapassar barreiras físicas para atingir verdadeiramente algo tão abstrato? Quantas pessoas tem essa chance na vida? Poucos são os sortudos. Enquanto lia, imaginava os inúmeros caminhos pelos quais a autora poderia me levar e não acertei nenhum deles. O livro é uma imensa caixa de surpresas banhada em amor. E as páginas finais são... simplesmente delirantes. Eu via a quantidade de folhas diminuindo em minha mão e não conseguia pensar numa saída feliz, me sentia sufocada juntamente com a mocinha da estória e sim, o final é realmente esplêndido, a autora conseguiu transformar uma coisa estrondosa em algo tão belo, tão elevado, tão perfeito.

Às 4:30 da manhã eu terminava uma estória que me daria um grande ensinamento, lágrimas escorrendo pelas bochechas e a uma certeza fundida ao meu coração: o amor é eterno! Hahaha Samanta, muito obrigada por dar à luz tamanha perfeição! Você superou todas as minhas expectativas e me engrandeceu como pessoa, seus livros são uma benção e esse é incrivelmente romântico e grandioso, repleto de amor à vida.

“Ela sorriu, reproduzindo as palavras dele com os olhos semicerrados: “Foi meu sacrifício por você. Meu jeito de fazê-lo saber que o amo.”
Mariane 26/01/2015minha estante
GEEEnte, você arraasa na resenha, que coisa linda, coloca essa resenha no face da Sam, ela precisa compartilhar porque está perfeita....Em todo livro lido da Sam ela nos surpreende, mas com certeza O Pássaro foi o mais inesperado e intenso dos três. Ela sempre trás uma história que poderia ser mais um clichê e impulsiona um desenrolar totalmente criaitivo e único...


Ana Abreu 26/01/2015minha estante
Muito obrigada querida! Apenas falei o que estava em meu coração.. vou seguir seu conselho e colocar sim, além de elogiá-la também. Ela merece todas felicitações por ter criado algo tão bonito! E realmente, poderia ter sido algo totalmente clichê e no entanto foi absurdamente singular.. lindo, lindo, lindo!


Samanta 27/01/2015minha estante
Querida Ana Luiza,

Como agradecer o suficiente por palavras tão lindas???
Fico muito feliz em saber que O Pássaro foi uma leitura tão especial e ganhou tantos pontos em seu conceito! Especialmente porque o início da leitura já foi marcado por uma espécie de "pré-desconfiança", né?? hahaha! Adorei sua sinceridade ao relatar o que esperava, talvez fosse até uma forma de não criar expectativa demais para não se frustrar! Mas que lindo saber que o desenrolar da história a surpreendeu, encantou e emocionou!

Vou compartilhar suas palavras na página do livro :) Amei, amei e amei!

Beijos no coração,
Sam


Ana Abreu 27/01/2015minha estante
Que fofa você é!!! Muito obrigada pela atenção! :) e sim, o livro ficará marcado para sempre em mim, pode ter certeza. Você criou uma estória sem igual, excepcionalmente linda!! Beijos..




Carolina Lopes 09/08/2012

Emocionante...
No anos de 1227, na Europa, existe um grande senhor feudal chamado Barão Enézio Mondevieu, casado com a doce Antonelle, com quem teve duas filhas: Elizabeth e Caroline.
Caroline ao contrário da irmã não é submissa, e sim uma menina com vontade própria que não deixa ser intimidada facilmente. Aos sete anos percebe pela primeira vez a desigualdade entre sua família e os servos. Seus olhos são abertos pelo filhos mais novo do domador de cavalos, e essa nova percepção da sociedade a faz questionar ainda mais as regras da sociedade e ansiar mais fortemente pela liberdade.


"Na verdade, milady, a maior diferença entre nós é que meu pai sempre trabalhou e sempre foi pobre. Já o seu, nunca fez nada, e tem isso tudo..."


E é depois do encontro com o filho do domador e cheia de perguntas na cabeça, que Caroline questiona seu pai na frente das visitas, Duque La Friet e seu filho, Philip.
Por causa desse desatino, o Barão lhe dá um surra quando estão sozinhos, surra essa que marca Caroline no corpo e na alma não deixando que ela esqueça nunca. Depois disso, Caroline nunca mais foi a mesma.


O tempo passa, Caroline cresce, mas essa ânsia por liberdade permanece em seu coração. A diferença é que agora Caroline sabe que tem que controlar a língua e não expor seus pensamentos, mas ela aprende como ninguém a se expressar pelos olhos não deixando dúvida ao Barão o que é que ela realmente pensa.


Bernardo, o filho do domador é o menino que lhe abriu os olhos quando criança, também quer se ver livre da tirania do Barão. E quando Caroline o encontra, além de muitos desentendimentos e briguinhas, sabe que ambos têm algo em comum: anseiam pela liberdade.
E agora, Caroline tem que decidir. Ou ela se casa com Philip e tem uma vida comum com um homem que gosta, porém, não ama; ou ela foge com o Bernardo e corre atrás da vida que tanto quer. E é claro que ela escolhe fugir com o Bernardo.


Durante a fuga, vão acontecendo muitas coisas e algumas acaba os levando para um acampamento cigano. E neste lugar, Caroline e Bernardo precisam fingir que são noivos para que os ciganos solteiros não acabem dando em cima de Caroline.


"Nenhum deles constatou essas frações de segundo em que tudo foi tão verdadeiramente intenso. Caroline associou à novidade. Bernardo, ao impulso. A nenhum dos dois ocorreu a possibilidade de associar aquela loucura toda ao amor."


Porém, esse fingimento acaba não sendo tão falso assim. E dessa forma, um sentimento mais intenso vai surgindo entre eles. O mais difícil é fazer com que esses dois teimosos aceitem e reconheçam esse sentimento.


"- Não podemos decepcioná-los! - observou, bem-humorado. Aproximando-se mais um passo, estendeu a mão para ela. - Importa-se de ser o amor da minha vida esta noite?"


O Pássaro me envolveu completamente, a cada página fui ficando mais presa ao livro. É quase impossível não ler e ficar com um sorriso nos lábios e lágrimas nos olhos.
E que final!!! Foi um pouco difícil para aceitar, mas ele só deixou o livro ainda mais encantador.
Não dá para expressar como esse livro é emocionante e nem esquecer facilmente. Já terminei há um tempão e ainda lembro perfeitamente da sensação que senti durante a leitura.
Amei o livro. É lindo demais, inesquecível. Super recomendado!
Obrigada Samanta pelo ótimo romance e espero ler mais livros seus.

>>> Mais resenha: http://cantinhocarolina.blogspot.com.br/
Samanta 21/05/2012minha estante
Querida!

Já deixei um comentário gigante em seu blog, né? rs rs rs...

Mas vou, NOVAMENTE, parabenizá-la por sua resenha tão bem escrita e agradecer por cada linda palavra que reservou ao meu O Pássaro!

Tocar o coração dos leitores, como toquei o seu, é o meu maior sonho... sempre!


Um grande beijo! ^^




promocoes 05/07/2012

O Pássaro
A história do livro O Pássaro se passa na Europa do século XIII, mais especificamente, no feudo do Barão Mondevieu, o suserano das terras. No ambiente feudal habitam diversos vassalos e a família do Barão: sua esposa Antonelle, sua filha mais velha, Elizabeth e, sua filha caçula Caroline.

Caroline Mondevieu nos é apresentada no livro com oito anos de idade − uma menina sonhadora, que acreditava que todos eram ricos e possuíam as mesmas condições socioeconômicas que ela. Porém, essa visão de mundo dela estava para mudar.

Uma tarde, durante um chá com a família La Friět, cujo menino Filip sempre amou Caroline e foi destinado a casar com a mesma, a garota saiu andando pela propriedade. Chegando nos estábulos, ela conhece Bernardo, filho mais novo do domador de cavalos. O garoto mostra à Caroline sua realidade, chocando-a. Ela decide enfrentar o pai e, como conseqüência, recebe uma surra, que lhe marca para sempre a memória.

"Descobriu, da maneira mais difícil, que aquelas marcas jamais se apagariam do seu coração."

Dez anos depois, Caroline tornou-se uma menina desafiadora − e através de palavras ou um olhar − ela conseguia irritar Enézio, seu pai.

Depois de tantos anos, ela volta a encontrar Bernardo, agora um trabalhador do seu pai e, logo de cara, ambos criam uma antipatia pelo outro. Apesar disso, após brigas e diversas situações, os dois se unem e, na noite do casamento de Caroline e Filip, eles fogem rumo à floresta do feudo, deixando um noivo ao altar, um Barão furioso e uma mãe e uma irmã chocadas por uma mulher não acatar as ordens de um homem.

"― [...] A propósito, de que grande festa estamos fugindo hoje?

A pergunta a pegou de surpresa. Ela demorou para responder.

― Do meu casamento."

Mas Caroline não nasceu para ser presa e obedecer. Ela deve ser livre, assim como um pássaro.

Confesso: O Pássaro não é o tipo de livro que, espontaneamente, eu leria. Apesar de ter fatores históricos, não sou fã de romances deste tipo, pois normalmente são mulheres submissas e homens machistas. E admito também: foi um erro pensar assim, pois a obra não tem nada disso.

"O pássaro assustou-se, num primeiro instante, e saltou para outro poleiro, desconfiado. Porém, tão logo se viu diante da fresta aberta, disparou em direção ao céu azul que, até então , podia apenas ver."

Com situações inusitadas, o livro te prende do começo ao fim. A paixão contida e a tensão entre Bernardo e Caroline fazem você sentir ódio ao amor em questão de segundos. Os ciganos, que tem grande papel no livro, te encantam pelo ar místico e leve que acarretam à obra.

A autora Samanta Holtz não é somente uma boa escritora; ela é brilhante em sua descrição de cenas de transmissão de sentimentos. Eu sorri e chorei durante a leitura, especialmente com o desfecho surpreendente.

"Fogueiras, panos, garrafas, muita comida, muita gente e muita cor. Algumas pessoas tocavam instrumentos musicais de corda que jamais vira nem aprendera a respeito. Mulheres dançavam, jogando os quadris para os lados, usando saias longas e cheias de medalhinhas que batiam e soavam como pequenos sinos. Os homens bebiam, riam e conversavam. Alguns acompanhavam as moças nas danças."

O Pássaro se tornou um dos meus livros essenciais/favoritos e digo mais − eu não só o recomendo: ele é uma leitura obrigatória para todos os fãs de romance.

"Nosso maior erro, milady, é amar."
Samanta 05/07/2012minha estante
Bells, querida!

Como já comentei em seu blog: AMEI sua resenha! A forma sucinta como contextualizou os acontecimentos e suas observações sobre minha escrita..... estou sinceramente tocada!!!

Um beijo ENORME!




Vitor Emmanuell 02/01/2013

O desejo de ser livre...
Depois da leitura, quando me deparo com um pássaro na rua, ou na gaiola de meus vizinhos, sinto um grande aperto no peito. Sinto que não aproveiro o suficiente da liberdade que hoje, tenho. E sinto que mesmo assim, eu preciso me encontrar. Encontrar meu caminho profissionalmente, socialmente e pessoalmente.

480 páginas que pareceram anos, anos em que eu fui para outro século conhecer Caroline Mondevieu, filha de um poderoso barão. Mas a história não se resume a isso. Caroline tem tudo o que poderia possuir, dinheiro, poder, beleza, a sociedade aos seus pés. Porém, ela também tinha o desejo de ser LIVRE...

Ela não tinha escolha, não tinha como escolher seu caminho, já que seu pai tomava todas as suas decisões, era mau, queria não só ser o pai de suas filhas, mas o dono delas.
E Caroline, com uma personalidade forte, começa a bater de frente com seu poderoso pai, afirmando que somente ela tem o poder de escolher o quer fazer, com quem quer se casar, e como, onde. Ela só quer ter o direito de ser livre, de escolher seu próprio caminho, seu próprio destino.

Chega um momento, no casamento de sua irmã mais velha, Lisa, em que seu pai, anuncia o seu casamento... A reação de Caroline é clara: ela não quer se casar. Por mais que Filip sejá bonito, inteligente, e seu melhor amigo, ela jamais se casaria com ele.
Ela sai desesperada da festa, e com o passar do tempo, ela inventa uma mentira, afirmando a seu pai que Filip a desonrrou. Seu pai cancela seu casamento com Filip, e afirma que se casará com Demétrio, um homem asqueroso, horrível. A parte mais emocionante da história começa quando ela resolve fugir com Bernardo...

Eu ainda não encontrei as palavras certas para descrever O Pássaro, foram tantas emoções. E me identifiquei com a história de Caroline, este é o primeiro romance histórico que li, completamente emocionante.
Toda vez que a leitura estava emocionante,surgia algo que completava, que dava mais sentido a história. A cada página eu chorava, ria,ficava emocionado. Caroline ganhou vida.

E se O Pássaro fosse um filme? Ou até mesmo um seriado? Seria a coisa mais bela na literatura brasileira. E o final do livro? Fiquei paralisado, primeiro, indignado. Sim, não me conformei com o acontecido. Depois,comecei a sorrir, não consegui ler outro livro após terminá-lo. Só uma coisa me deixou feliz com este final:

O pássaro finalmente estava livre.
Samanta 03/01/2013minha estante
Querido!!!

Obrigada pela resenha tão linda, tão profunda... fico feliz em ver que mergulhou na história, deixou-se envolver de verdade!

Um beijo!




Pedro Almada 17/08/2012

O Pássaro, o orgulho da literatura nacional!
De todos os romances que já li até hoje, nenhum deles me atraiu tanto quanto O Pássaro. Se isso soar como rasgação de seda, pode saber que você está enganado. com certeza a obra de Samanta Holtz tornou-se minha favorita no gênero, seu talento supera minha admiração por ela como pessoa, e se a sua obra conquistou um lugar especial na minha bagagem de vida como leitor, isso certamente é um mérito unico e exclusivo da Samanta. Mas se tá difícil entender porquê, então vamos nos aprofundar mais na obra. Tenho certeza que posso te convencer =)

Europa. Século XIII. Quando o baronato exercia forte influência na sociedade, uma família, os Mondevieu, era administrada por Enézio, um barão de pulso firme e de coração duro como pedra. Sua família era composta por três lindas mulheres: a esposa Antonelle, a filha mais velha Elizabeth, e a caçula Caroline. De todas as três, Enézio jamais conseguira total submissão da mais nova. Caroline era uma figura única, cheia de sonhos e um impulso por viver a liberdade plena, um sentimento muito à frente de seu tempo.
O romance envolve Filip, o jovem nobre prometido em casamento - cuja admiração de Caroline por ele não passava de amizade - e o filho do domador, Bernardo. Ainda que Filip amasse a menina, ela não podia corresponder e,por outro lado, não sabia quem poderia amar. Mas as dificuldades da vida jamais lhe prometeram uma trégua, e ela se viu na difícil decisão de abandonar uma vida de conforto para se livrar da mão de ferro do próprio pai.
Tomando decisões cada vez mais desesperadas, Carolina começa a descobrir um pouco de si mesma a cada dia. Suas escolhas, fossem elas inconsequentes ou não, acabam colocando a jovem donzela num caminho rumo a segredos que rondam sua vida, desde muitas gerações passadas. Não apenas isso, Caroline vai descobrir como escolher o amor pode trazer consequências dolorosas.
Motivada por um desejo febril por liberdade, Caroline se envolve com ciganos, mercenários e um romance intenso, tudo isso vivido em incríveis 477 páginas!O final é estarrecedor, com uma reviravolta assombrosa. O real drama da história apenas toma forma no fim, mas o romance e o ar de aventura permanecem com o leitor da primeira até a última página.

O Pássaro serviu para mostrar que a nossa literatura, mais do que nunca, está livre e desimpedida par conquistar as prateleiras mundo afora. Samanta Holtz criou um enredo com personalidade própria, além de personagens bem estruturados e cenários de encher os olhos! Não posso dizer tantos detalhes, pois cada capítulo aguarda o leitor com uma surpresa, mas posso dizer que a escrita da autora, além de fluir facilmente, possui um ritmo delicioso, com passos leves nos momentos certos, seguidos de trotes e tropegos quando a cena de ação exige. Sim, amigos leitores, o romance possui cenas de ação bastante intensas, não são muitas, mas o suficiente para dar ritmo à leitura nos momentos que pedem por uma mudança no compasso.
O enredo não possui apenas um único clímax. Houve vários momentos em que eu pensei que a história estava no fim, mas algo mais intenso sempre acontecia depois, como uma progressão de clímax. De todos os personagens, a que mais gostei foi a cigana anciã, mas não direi nada a respeito, digo isso apenas para deixar a galera curiosa. Isso mesmo, uma aventura longe do luxo e ostentação, é assim que Caroline passa uma boa parte de sua jornada em busca da liberdade e da descoberta de si mesma.
A Samanta também teve um cuidado que eu admirei, o de mostrar as sutilezas no amadurecimento de Caroline. No início a jovem é apenas impetuosa e, convenhamos, bastante arrogante, pensando que por ser diferente das outras pessoas isso poderia torná-la melhor do que as outras garotas da nobreza. Mas, depois de uma árdua jornada, ela se descobre uma pessoa diferente, revigorada.
Samanta soube fazer os desfechos de cada capítulo como um verdadeiro mestre, assim fica difícil fechar o livro e pensar 'beleza, vou deixar o próximo capítulo para depois'. Além disso, os diálogos são sempre intensos quando a situação exige, ou suaves e profundos, e em boa parte das vezes bastante divertido.
O Pássaro conseguiu me despertar alegria, conseguiu me fazer dar aquele sorriso no canto do rosto, senti raiva das crueldades do barão, e compaixão pelas escolhas difíceis que Caroline precisa tomar ao longo da trama. A narrativa da Samanta é leve, em terceira pessoa - o que prefiro - e quase poética, levando não apenas à descrição dos acontecimentos, como também auxilia o leitor na reflexão de cada situação, como se estivéssemos ao lado de Caroline pesando as decisões ao seu lado.
Vale lembrar que a forma como ela escreve me lembrou muito Ana Karenina e algumas obras de José de Alencar, sem necessariamente parecer o eco dos clássicos, mas apenas uma inspiração com sua atmosfera única e original.
A única queixa que tenho a fazer - pequena e que passa despercebida por ser uma obra tão tocante - é a seguinte: embora a história se passe no período medieval, século XIII, consegui notar sutis falhas na temporalidade. Em alguns momentos, a impressão que tive é de estar lendo uma história do período colonial e não do período feudal. Caroline, em alguns capítulos, estava mais para 'Sinhá Moça" do que uma nobre medieval. Mas isso não significa quase nada em relação a todo o resto. Julgar O Pássaro por isso é como jogar fora uma pedra de rubi por causa de um arranhão sofrido.
Numa visão ampla: considero O Pássaro um dos livros mais cativantes que li esse ano, e não é a toa que o coloquei na minha lista de preferidos! Samanta Holtz escreve com a imaginação de mil pensadores românticos, impossível não ficar admirado com a originalidade de sua obra.

Recomendo a leitura de O Pássaro!

Uma ótima leitura! Fiquem na Paz!
Samanta 17/08/2012minha estante
Pedro!! Sem palavras para essa resenha tão linda... fico imensamente feliz que o livro o tenha agradado tanto!!!

Também agradeço pelos "toques" no final a respeito da correta adequação à época na qual o livro se passa. É ótimo ter alguém expert em História por perto rs rs rs


Beijãooo!




129 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |