O Pássaro

O Pássaro Samanta Holtz




Resenhas - O Pássaro


129 encontrados | exibindo 16 a 31
2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 |


Tami 05/06/2012

Publicada em: http://gavetaabandonada.blogspot.com.br/2012/06/resenha-o-passaro.html
O problema quando a gente gosta de um livro é tentar passar em poucas palavras o porque disso, já que cada detalhe parece essencial. A resenha sempre parece que "falta" algo que não sabemos o que é. Isso já aconteceu com outros livros, e voltou a acontecer hoje.

"Europa, século XIII. Época dos vestidos pomposos, das charretes elegantes e das extensas propriedades de terra com seus castelos, onde perambulavam serviçais, condes, duques, barões e segredos" (Epílogo, pág. 9)

A história se passa no ano de 1227, uma época marcada por grandes senhores feudais com muitos servos, onde mulheres tem como única obrigação ficar calada diante dos mandos de seus pais e maridos.

Caroline Mondevieu é uma de nossas personagens principais. Filha de Enézio Mondevieu - um barão com muitas riquezas - e Antonelle, uma esposa obediente como qualquer mulher deveria ser, Caroline sempre fugiu um pouco do convencional e, em questão de personalidade, sempre foi muito diferente de sua irmã Elizabeth.

Aos sete anos ela tem uma conversa com um servo do castelo que muda sua visão de vida para sempre. O menino abre os olhos de Caroline para as diferenças sociais que existem no lugar que ela vive e como o seu pai trata os empregados. No momento em que ela percebe isso, decide que não quer viver do mesmo jeito da sua família. Porém esses questionamentos a levam a uma péssima situação, que muda a sua vida e os seus desejos: ela decide ser livre.

Só que para a sua época, isso é quase impossível. Então ela tem que decidir entre viver uma vida tranquila do lado do seu grande amigo Filip (com quem deve se casar) ou correr atrás de sua liberdade - e, para isso, precisando fugir com a ajuda de Bernardo, aquele que abriu seus olhos anos antes e mesmo assim ainda a irrita tanto.

"E, como todo homem, tinha uma imagem a zelar. E amar não era nada notório, não lhe garantia títulos nem o engrandecia perante os grandes nomes da sociedade. Amar era fraqueza, como seu pai sempre lhe dissera, e ele devia se prevenir desse mal." (pág. 108)

A trajetória deles e dos outros personagens é muito interessante e vai se transformando a medida que lemos. Personagens submissas como Elizabeth e Antonelle ao poucos vão entendendo tudo o que a menina sempre disse. A própria Caroline aprende a quebrar alguns de seus preconceitos. São personagens reais com características e mudanças que nos convencem.

Temos um número razoável de personagens, e ao mesmo tempo conhecemos bem todos. Não sei qual foi o meu favorito, mas posso dizer que senti muita pena de Filip o tempo inteiro. Caroline as vezes me parecia ser uma menina meio egoísta mesmo. Dinamene (empregada da casa) me pareceu muito querida... e a serpente uma bela piriguete!

A história, apesar da época em que se passa, é narrada de forma leve e simples. É um livro que flui. No início de cada capítulo, logo abaixo do número, temos uma frase do mesmo - normalmente bem instigante -, o que muitas vezes me fez seguir a leitura na mesma hora. Achei isso uma ótima sacada. A capa também é muito bonita e achei a edição bem feita.

Gostei muito do livro, em vários momentos não consegui parar de ler. É um romance bonito, com personagens interessantes e reflexões melhores ainda. Chorei, sorri e fiquei com muita raiva hora ou outra. Seria perfeito para uma novela das 18h. Ou para um mini-seriado.

"A velhice não me trouxe sabedoria alguma. Quem a trouxe foi a vivência. Poderia ter passado todos os anos da minha vida apenas assistindo ao passar dos dias diante dos meus olhos, mas me recusei a isso. Não devo tudo o que sou aos meus anos de idade, e sim à maneira como decidi vivê-los" (pág. 320)

Recomendo: para quem gosta de romance, romance bonito sem tanta melação, é mais do que recomendado!

PS: uma pequena curiosidade. Esse livro veio para mim como book tour, o que geralmente afasta minha mãe de ler por ter pouco tempo. No dia que esse livro chegou ela pegou, leu a sinopse e pegou para ler! Foi a primeira exceção!
Cíntia 05/06/2012minha estante
Poxa, fiquei até com vontade de ler!


Samanta 05/06/2012minha estante
Boa noite, Tami!!! (copiando o comentário do blog... heheheheh!)

Em primeiro lugar, quero agradecer a sua participação no Booktour de O Pássaro! Fico muito feliz que a sua 'dificuldade' em escrever a resenha tenha acontecido por gostar tanto da história, e não pelo contrário ;D

Querida, eu ameeeei os quotes que você separou!!! Também adorei ler a sua interpretação da história, seu ponto de vista sobre os personagens.... especialmente a forma objetiva como você praticamente o resume, no final da resenha!

Puxa, e eu fiquei orgulhosa por ter sido a primeira que fez sua mãe ler um livro de Booktour rs....... o pessoal tem comentado muito, realmente, que, apesar do tamanho da história, a leitura é rápida!! Fico realmente muito feliz ao saber disso ^^


Novamente, só posso agradecê-la por tão lindas palavras a respeito do meu livro!


Um grande beijo,

Samanta Holtz
autora de O Pássaro
www.samantaholtz.blogspot.com




Iris 27/02/2017

O Pássaro - Resenha
Oi Povo, tudo bem?
Vocês já devem ter observado que amo um romances de época, né? Rsrs
Hoje vamos falar de “O Pássaro” um romance de época de uma autora nacional! \o/ \o/ \o/
Antes de começar a falar do livro em si, preciso comentar desta capa. Que capa mais linda é essa?! Confesso, que quando vi simplesmente me apaixonei.

Barão de Mondevieu é o um dos grandes senhores feudais da época, era conhecido por seus amigos (senhores de terras) por ser uma super educada e amável. Porém, por seus empregados era conhecido com um homem sem coração. Enézio Mondevieu era casado com Antonelle e tinha duas filhas, a mais velha chamada Elizabeth e a mais nova Caroline. Nem com a própria fámilia ele era uma pessoa amável, tratava a esposa e as filhas muitas vezes pior do que os empregados.
Sua filhas foram criadas das mesma maneira, mas tinham gênios completamente diferentes. Elizabeth era calada e não contestava nenhuma decisão do pai. Já Caroline, era questionadora desde de criança.

Ainda olhava a pequena casa, transtornada. Sempre pensou que todos tivessem a mesma vida que ela, todas as famílias com seus castelos, todos felizes. Era a primeira vez que alguém lhe apontava a realidade com o dedo.
Pág: 15

Conforme foi crescendo Caroline não gostaria de ter a vida de qualquer mulher de sua época, ela deseja ser livre e descobrir o mundo. É claro, que esse comportamento não era compatível com o que barão esperava, e o deixava furioso. Ao ver sua irmã sendo obrigada a se casar sem ao menos ter direito de opinar sobre seu futuro esposo, ela bate de frente mais uma vez com o seu pai e acaba sendo punida.

- Com a sua escolha - explicou séria. - Não perguntou se ela aceita, perguntou?
Ela não precisa aceitar o que cabe a mim decidir!!
Pág: 26

Pouco tempo depois ela conhece Bernardo, filho do domador de cavalo e descobre que ele foi o menino que lhe “contou” a realidade a anos atrás. Ela fica impressionada como desprezo que ele tem com as pessoas de sua classe social. Ambos, trocam diversas farpas, mas acabam encontrando um objetivo em comum, eles sonham com a liberdade. Ambos, são prisioneiros da vontade do Barão, ele por ser um mero empregado e ela por ser filha.

Pouco tempo depois Caroline descobre que ficará noiva e se casará em breve, é nesse momento que resolve fugir. Ela pede a ajuda de Bernardo, no principio ele não acredita que ela realmente irá fugir e com isso acaba ignorando Caroline. Quando percebe que ela vai sozinha, ele resolve ajudá-la. Afinal, ela não sobreviveria um segundo sozinha na floresta.

Após horas de espera por um casamento que não aconteceu, o barão dispensou seus convidados. Com votos de boa sorte e promessas de apoio nas buscas, deixaram a propriedade levando consigo a informação oficial: Caroline Mondevieu estava desaparecida.
Pág: 163

A partir desse momento é impossível largar o livro até saber o que vai acontecer com os personagens. Eles passam por tantas coisas e ainda vão parar num acampamento cigano, tendo que lidar com todos os preconceitos que Caroline tinha com eles. Os preconceitos dela vinham do que aprendeu com o Barão, ele os chamava de malditos, pois alegava que não tinham religião e praticavam roubos.

Não gosto de soltar spoilers, mas tenho que dizer que o caminho que o livro toma é completamente surpreendente e o final é de arrancar muitas lágrimas. Apesar, do livro ter um começo lento, quando toma o ritmo é impossível de largar. O pássaro é o primeiro livro da Samanta que li e devo dizer que virei fã.

site: http://www.fadasliterarias.com.br/2016/01/o-passaro-resenha.html
comentários(0)comente



@ARaphaDoEqualize 19/03/2013

[RESENHA] O Pássaro
RESENHA ESCRITA PARA O BLOG http://equalizedaleitura.blogspot.com.br/ PROIBIDA COPIA TOTAL OU PARCIAL

Em outubro/2011 eu escrevi aqui no Equalize as minhas primeiras impressões a respeito do livro O Pássaro. Na época, eu tinha acabado de conhecer a Sammy através do Skoob e por causa ainda de compartilharmos a mesma profissão, acabamos nos aproximando. Claro, teve muito mais do que isso, porque a autora é um ser muito querido, simples, humilde e com um coração enorme. E a Sammy acabou passando isso para suas palavras, refletindo no seu livro de estreia e trazendo uma história que me surpreendeu e que apesar dos dois capítulos iniciais que eu li há tanto tempo, foi uma surpresa concluir e descobrir tudo que a sua mente astuta imaginou para finalizar a história da Carol.

Enézio é um respeitadísssimo Barão, casado com Antonelle e pai de Elizabeth e Caroline. Carol será a protagonista da nossa história, lutando contra as regras rígidas de seu pai, contra o destino que está sendo traçado pelo mesmo para ela, contra as injustiças e lutará, principalmente, em busca da liberdade que sempre desejou. Em ser feliz fazendo o que desejasse, indo onde tivesse vontade, vestindo - se e portando como quisesse. Mas, como alcançar isso quando se tem o barão como pai, o homem que pensa que as mulheres são meros enfeites? Bernardo é o domador de cavalos que sempre a azucrinou. Mesmo sabendo das diferenças sociais, ambos acabam se apaixonando, e esquecendo disso, vivem em busca de um objetivo em comum, descobrindo o amor e lutando contra essa paixão arrebatadora. E não apenas contra ela, mas também contra as dificuldades que aparecerão. Com um toque de magia, você se envolve e devora o livro em algumas horas, mas contando as páginas e pedindo internamente que 'por favor, não acabe agora'.

É um livro surpreendente, em primeiro lugar. Quando eu comecei a ler não esperava tantas reviravoltas nem que a autora trouxesse a cultura cigana para dentro do contexto. Eu já estava apaixonada - é um romace histórico -, mas os elementos que são poucos utilizados na literatura em geral sempre me atrai e aqui não foi diferente. Eu particularmente adoro esse tipo literário (mas infelizmente são poucos os que têm), sou encantada com as vestimentas, o modo de viver, os tratamentos, como as famílias eram constituídas e a importância a determinados valores. Apesar de achar completamente ilógico (e odiar, na maioria das vezes) adoro ver como é retratado o modo como as mulheres deveriam agir: a submissão explícita para com o marido, a pressão para se ter um filho homem, a beleza e delicadeza que se era esperada das mulheres, a dedicação total e completa para a família. E tem todo esse balanceamento de fatores como riqueza/pobreza, patrões/empregados, segredos/mentiras, amores/impossíveis que me intriga e indigna... e encanta.

- Sim. Mas você se enganou. Meu nome não é Milady, é Caroline! – replicou, risonha.

- Meu pai me ensinou como tratar corretamente uma garota de posses. – dizia o garoto, numa formalidade que soava quase cômica em sua voz indefinida de quase-rapaz – Não recebem o mesmo tratamento que outras meninas. E a senhorita certamente é uma delas.

- Oras, se meu pai nunca me chamou assim, você também não precisa! Basta me chamar de
Caroline...

- Acontece que nós somos diferentes.

- Diferentes? Óbvio que não! – agora, ela ria com vontade – Você é igualzinho a mim! Só tem a pele um pouco mais escura, mas deve ser porque fica muito tempo debaixo do sol, como as jardineiras...

- Se somos iguais, Milady, então me diga: qual o tamanho da sua casa?

- Minha casa? É aquela ali. – apontou para o castelo, animada.

- Pois a minha casa é aquela.

Seguindo o olhar dele, ela viu o velho casebre de madeira ao qual ele se referia. Seu coração ficou apertado, como ela nunca sentiu antes.

- Lá, eu moro com meu pai e meu irmão mais velho. – ele explicou, com os olhos marejados.


O sucesso de O Pássaro se deve a forma delicada da escrita da autora, do tema, do reconhecimento com a personagem principal e com a descoberta de como a vida pode ser injusta, como as pessoas interferem nas nossas escolhas e mudam nossos destinos e principalmente, como tentamos de todas as formas encontrar a liberdade em nossas vidas, em vários estágios diferentes e para situações distintas. A Caroline lutou, desobedeceu, brigou e lutou por aquilo que ela acreditava ser verdade. Se ela consegue tudo? Ah, como eu gostaria de poder responder essa questão para vocês, queridos leitores.

Tem cenas levemente engraçadas e altamente triste. Mas não é aquele triste para você querer abandonar o livro. É triste pela situação em que se encontra. Eu recomendo o livro porque foi uma história linda... mágica, envolvente. Quando eu terminei , apenas tentei me colocar no lugar da Caroline e fico pensando que eu seria completamente igual a ela. Se a minha liberdade é algo que eu prezo agora fico imaginando como serei a minha vontade de viver como eu desejo na época da Caroline. Algo que eu destaco: ela era apenas uma garota de 17 anos descobrindo a vida, mas nem por isso ela era fraca como muitos pensavam. Autoras que escrevem livros com personagens principais femininas fortes, corajosas e determinadas já garantem o meu respeito e juntando com o conjunto inteiro? Pronto, tem o meu coração.

Sammy, queria dizer que meu coração literário é seu.
Samanta 19/03/2013minha estante
Querida Rapha!!

Já deixei um comentário na resenha em seu blog, porém deixarei aqui também meu agradecimento pelas lindas palavras em relação a "O Pássaro"!!! Fico muito feliz que tenha gostado!

E saiba que, em meu coração de escritora, também tem um cantinho todo especial para você!!! ^^


Um grande beijo,
Sam




Vitor Emmanuell 02/01/2013

O desejo de ser livre...
Depois da leitura, quando me deparo com um pássaro na rua, ou na gaiola de meus vizinhos, sinto um grande aperto no peito. Sinto que não aproveiro o suficiente da liberdade que hoje, tenho. E sinto que mesmo assim, eu preciso me encontrar. Encontrar meu caminho profissionalmente, socialmente e pessoalmente.

480 páginas que pareceram anos, anos em que eu fui para outro século conhecer Caroline Mondevieu, filha de um poderoso barão. Mas a história não se resume a isso. Caroline tem tudo o que poderia possuir, dinheiro, poder, beleza, a sociedade aos seus pés. Porém, ela também tinha o desejo de ser LIVRE...

Ela não tinha escolha, não tinha como escolher seu caminho, já que seu pai tomava todas as suas decisões, era mau, queria não só ser o pai de suas filhas, mas o dono delas.
E Caroline, com uma personalidade forte, começa a bater de frente com seu poderoso pai, afirmando que somente ela tem o poder de escolher o quer fazer, com quem quer se casar, e como, onde. Ela só quer ter o direito de ser livre, de escolher seu próprio caminho, seu próprio destino.

Chega um momento, no casamento de sua irmã mais velha, Lisa, em que seu pai, anuncia o seu casamento... A reação de Caroline é clara: ela não quer se casar. Por mais que Filip sejá bonito, inteligente, e seu melhor amigo, ela jamais se casaria com ele.
Ela sai desesperada da festa, e com o passar do tempo, ela inventa uma mentira, afirmando a seu pai que Filip a desonrrou. Seu pai cancela seu casamento com Filip, e afirma que se casará com Demétrio, um homem asqueroso, horrível. A parte mais emocionante da história começa quando ela resolve fugir com Bernardo...

Eu ainda não encontrei as palavras certas para descrever O Pássaro, foram tantas emoções. E me identifiquei com a história de Caroline, este é o primeiro romance histórico que li, completamente emocionante.
Toda vez que a leitura estava emocionante,surgia algo que completava, que dava mais sentido a história. A cada página eu chorava, ria,ficava emocionado. Caroline ganhou vida.

E se O Pássaro fosse um filme? Ou até mesmo um seriado? Seria a coisa mais bela na literatura brasileira. E o final do livro? Fiquei paralisado, primeiro, indignado. Sim, não me conformei com o acontecido. Depois,comecei a sorrir, não consegui ler outro livro após terminá-lo. Só uma coisa me deixou feliz com este final:

O pássaro finalmente estava livre.
Samanta 03/01/2013minha estante
Querido!!!

Obrigada pela resenha tão linda, tão profunda... fico feliz em ver que mergulhou na história, deixou-se envolver de verdade!

Um beijo!




promocoes 05/07/2012

O Pássaro
A história do livro O Pássaro se passa na Europa do século XIII, mais especificamente, no feudo do Barão Mondevieu, o suserano das terras. No ambiente feudal habitam diversos vassalos e a família do Barão: sua esposa Antonelle, sua filha mais velha, Elizabeth e, sua filha caçula Caroline.

Caroline Mondevieu nos é apresentada no livro com oito anos de idade − uma menina sonhadora, que acreditava que todos eram ricos e possuíam as mesmas condições socioeconômicas que ela. Porém, essa visão de mundo dela estava para mudar.

Uma tarde, durante um chá com a família La Friět, cujo menino Filip sempre amou Caroline e foi destinado a casar com a mesma, a garota saiu andando pela propriedade. Chegando nos estábulos, ela conhece Bernardo, filho mais novo do domador de cavalos. O garoto mostra à Caroline sua realidade, chocando-a. Ela decide enfrentar o pai e, como conseqüência, recebe uma surra, que lhe marca para sempre a memória.

"Descobriu, da maneira mais difícil, que aquelas marcas jamais se apagariam do seu coração."

Dez anos depois, Caroline tornou-se uma menina desafiadora − e através de palavras ou um olhar − ela conseguia irritar Enézio, seu pai.

Depois de tantos anos, ela volta a encontrar Bernardo, agora um trabalhador do seu pai e, logo de cara, ambos criam uma antipatia pelo outro. Apesar disso, após brigas e diversas situações, os dois se unem e, na noite do casamento de Caroline e Filip, eles fogem rumo à floresta do feudo, deixando um noivo ao altar, um Barão furioso e uma mãe e uma irmã chocadas por uma mulher não acatar as ordens de um homem.

"― [...] A propósito, de que grande festa estamos fugindo hoje?

A pergunta a pegou de surpresa. Ela demorou para responder.

― Do meu casamento."

Mas Caroline não nasceu para ser presa e obedecer. Ela deve ser livre, assim como um pássaro.

Confesso: O Pássaro não é o tipo de livro que, espontaneamente, eu leria. Apesar de ter fatores históricos, não sou fã de romances deste tipo, pois normalmente são mulheres submissas e homens machistas. E admito também: foi um erro pensar assim, pois a obra não tem nada disso.

"O pássaro assustou-se, num primeiro instante, e saltou para outro poleiro, desconfiado. Porém, tão logo se viu diante da fresta aberta, disparou em direção ao céu azul que, até então , podia apenas ver."

Com situações inusitadas, o livro te prende do começo ao fim. A paixão contida e a tensão entre Bernardo e Caroline fazem você sentir ódio ao amor em questão de segundos. Os ciganos, que tem grande papel no livro, te encantam pelo ar místico e leve que acarretam à obra.

A autora Samanta Holtz não é somente uma boa escritora; ela é brilhante em sua descrição de cenas de transmissão de sentimentos. Eu sorri e chorei durante a leitura, especialmente com o desfecho surpreendente.

"Fogueiras, panos, garrafas, muita comida, muita gente e muita cor. Algumas pessoas tocavam instrumentos musicais de corda que jamais vira nem aprendera a respeito. Mulheres dançavam, jogando os quadris para os lados, usando saias longas e cheias de medalhinhas que batiam e soavam como pequenos sinos. Os homens bebiam, riam e conversavam. Alguns acompanhavam as moças nas danças."

O Pássaro se tornou um dos meus livros essenciais/favoritos e digo mais − eu não só o recomendo: ele é uma leitura obrigatória para todos os fãs de romance.

"Nosso maior erro, milady, é amar."
Samanta 05/07/2012minha estante
Bells, querida!

Como já comentei em seu blog: AMEI sua resenha! A forma sucinta como contextualizou os acontecimentos e suas observações sobre minha escrita..... estou sinceramente tocada!!!

Um beijo ENORME!




Viviane 17/11/2012

"Quando a tristeza cresce dentro da gente, ela precisa sair. Senão não sobra espaço para a felicidade."
Narrada em um mundo de completa submissão feminina -O Pássaro- conta a história de uma menina chamada Caroline, mas não somente dela (deixemos claro!) esse livro vai muito além de qualquer expressão como "apenas", "somente" e "só". Incontáveis mistérios e segredos acompanham essa narrativa incrível.

Vinda de uma família de muitas posses, filha do grande e frio barão Enézio, Caroline vivia exatamente como tinha que viver. Até que, ao conversar com um dos criados de sua propriedade se dá conta da injustiça que vem vivendo na mansão. Não somente a falta de conhecimento do que há por trás da relação riqueza-pobreza, mas o que há fora de sua casa, a realidade externa as paredes do seu quarto. Mesmo sem saber, o menino que conversou com ela foi o responsável por uma mudança completa no seu comportamento. A partir dali, Caroline deixava de ser a menina-submissa para se tornar a criadora do seu próprio destino.
Os anos passam mais a vontade de Caroline de sair de sua casa e viver uma vida diferente, não diminui. Mesmo sem apoio algum, ela luta para que sua vida não seja apenas um baixar de cabeça. Com o passar do tempo, mãe e irmã irão compreender o que liberdade significa e descobrir da forma mais dolorosa (porém, mais eficaz) o seu lugar no mundo.

Preciso dizer: que livro! Eu ganhei de presente e amei a história na hora que li a sinopse (amante de romances históricos nata) mas eu não esperava, de modo algum, um história tão complexa como essa. Samanta conseguiu criar um universo em que cada personagem representa uma parte da narrativa e não pode ser substituído. Cada um tem um segredo que se liga a outra pessoa e faz todo sentido no livro. Quando você pensa que finalmente vai ver a felicidade de alguém "BOOM" uma revira-volta acontece e te deixa de boquiaberta. Uma escrita maravilhosa, por vezes me pequei olhando o nome da autora pra ter certeza que era brasileira (não desmerecendo a literatura brasileira) mas Samanta é com certeza uma jóia pra literatura nacional. Se você ainda não leu, leia! Está mais que recomendado! Virou um favorito
Samanta 19/11/2012minha estante
Querida Viviane

Estou lisonjeada com tantas palavras lindas sobre mim e sobre meu livro!!! OBRIGADA por dividir com os outros leitores a sua opinião, e que bom que o livro a encantou tantoooo :)

Um beijo enorme!




Lua 20/01/2013

Um voo para a liberdade!
Em um tempo que as mulheres eram tratadas como meros souvenirs, sem direito a opinião e sujeitas a serem apenas expectadoras de suas próprias vidas, conhecemos a forte, ousada e por vezes orgulhosa, Caroline Montevieu que diferente das mulheres do século XIII tem o desejo de decidir os próprios rumos e ser protagonista de sua própria vida.
Filha de um homem muito influente, um Barão a quem nada mais importava a não ser o dinheiro, o poder e a posição social, Caroline vai crescendo e percebendo que apesar de todo luxo essa não é a vida que ela desejava levar. Ela queria viver fora da redoma de vidro que na qual vivia presa, e é esse sentimento de liberdade que guia toda a história de Caroline que vê essa liberdade e a admira no empregado da fazenda Bernardo.
Bom, logo nos primeiros capítulos conhecemos os personagens principais. Caroline, Bernardo, Filip e Elizabeth, por exemplo, iniciam o livro na infância, onde Caroline começa a prender como a vida pode ser cruel com aqueles que ousam contradizer as ordens dos poderosos e viver contra as regras que a sociedade impõe principalmente aos pobres e as mulheres.
É na infância que Caroline conhece Bernardo que virá a ser seu grande amor. Acontece que eles tendem a brigar praticamente todas as vezes que se encontram, pelo simples fato de que Bernardo julga Caroline pela posição social, acha que ela é mimada e que despreza os outros como muitas "mademoiselles" da época, por ser um trabalhador junto com o seu pai. Já Caroline o acha um bronco, sem nenhuma educação (às vezes ele é mesmo), mas tudo isso muda com o passar do tempo e a convivência meio que "forçada" em certas partes da história.
Depois de muitos acontecimentos: um casamento frustrado, uma fuga, uma perseguição, uma aldeia de ciganos... E a descoberta de uma paixão, não há como não estar completamente vidrado e apaixonado pela trama de O Pássaro que nos trás ensinamentos muito belos em cada folha lida.
O Barão Enézio me deixou com um asco tão tremendo que mesmo sendo uma pessoa piedosa eu quase me regozijei com seu fim (ahahahaha, soei tão maquiavélica agora). A mãe de Caroline, a baronesa Antonelle, me pareceu durante boa parte do livro uma mulher sem pulso e sem graça, mas no fim ela mostrou por que estava ali, assim como a irmã, a servil e delicada Elizabeth. Muitos personagens tiveram o seu lugar e mesmo não sendo principais como a Dinamene, serva da baronesa que ajuda a todos. Afinal, o que seria dos personagens principais sem bons coadjuvantes?
O desenrolar da história é impressionante e jamais torna-se monótono ou previsível. A mistura da crítica social, romance e uma cultura diferente como a cultura cigana, fez desse livro a excelente leitura que ele é. Samanta não peca em nada quando você para de chorar e percebe as grandes lições passadas para cada leitor.
Samanta Holtz é uma das belas promessas da literatura Brasileira. Em seu romance de estreia mostrou sua capacidade de escrever um livro lindo, tocante e bem escrito, com personagens bem estruturados, elementos novos para a maioria dos leitores como por exemplo, um romance que envolve a cultura cigana e que não se atém apenas a faceta romântica da história e sim nos faz pensar sobre o modo de vida de ambas as classes sociais daquela época, os nobres e os pobres.
Poeticamente falando, o livro está repleto de passagens que derramam mel de tão doces e espalham faíscas de tão cheias de força e gana de liberdade. Parabéns pela grande história que você nos proporcionou Sammy, acredito que isso vem de dentro, para mim só belas pessoas são dotadas do talento de contar belas histórias.
Parabéns ao excelente trabalho da editora para fazer desse livro uma obra completa. Dando uma roupagem perfeita para essa trama, proporcionando aos leitores juntamente com a autora um conjunto lindo e bem produzido. A capa é maravilhosa e traduz completamente a liberdade que o livro trás como ponto principal. E eu creio que todo mundo ainda acha que é a Sammy... (risos) Será?
Samanta 20/01/2013minha estante
Luuuuu!! Que resenha mais linda *-*

Nem preciso dizer que AMEI, né??? :)

E a capa, será que sou eu??? hahahahahah
Deixa o mistério continuar mais um pouquinho rs rs rs

Beijão!




Nilson 25/01/2013

Aventure-se e se surpreenda!
O Pássaro!

Filha de um autoritário senhor feudal, Caroline Mondevieu decide trilhar seu próprio destino e se aventura em busca de sua liberdade. Essa intrigante jornada muda para sempre o seu destino e o de todos a sua volta.

"Quatrocentos e oitenta páginas de muito romance, de muita aventura e de muitas surpresas. Quem se aventura a ler?"

Samanta Hotz escreveu um romance que prende o leitor. Um romance de encher os olhos. Logo nos primeiros capítulos viramos prisioneiros por vontade própria e embarcamos nesse voo.

Um livro de fácil leitura que emociona, envolve e surpreende a cada capitulo. A Samanta tem uma maneira de contar história que hipnotiza e encanta.

Engana-se ao pensar que é só mais um livro de romance, “é um livro para se apaixonar“. Aventure-se nessa leitura entre paixões antigas, amores proibidos e os não correspondidos.
Samanta 25/01/2013minha estante
Nilson, querido!

Que alegria saber que a leitura foi tão boa para você!!! Obrigada por suas palavras e por dividir sua opinião aqui no Skoob ^^

Um abração!
Samanta


Juh 26/01/2013minha estante
Poxa a resenha foi tão contagiante que fiquei com vontade de ler.
A jovem parece corajosa, aventureira e indomável... Dessas pessoas que já nascem com asas.




Josy.Stoque 02/07/2012

OMG!
Como prometi para a Sam, essa será uma resenha emocionante. O Pássaro possui os três ingredientes essenciais para que seja considerada uma boa obra: um enredo fantástico, um texto impecável e uma narrativa envolvente.
Tive o privilégio de ler os dois primeiros capítulos antes do lançamento que só me deixaram ansiosa por mais. Por amar histórias de época, O Pássaro me conquistou na sinopse, mas as linhas tão meticulosamente escritas de Samanta me fizeram mergulhar na vida de Caroline e sua busca pela liberdade.
É com muito orgulho que atesto o talento nato de Samanta Holtz para a escrita. Bato palmas de pé! Uma história emotiva, lições para a vida entrelaçam-se nas linhas de um romance que me conquistou e emocionou profundamente.
Personagens sólidos, apaixonantes ou não, como o caso do barão (sem comentários quanto a esse para não spoilar), uma história inacreditável, com uma reviravolta surpreendente e um final - OMG!!! Não posso dizer mais nada. Caroline x Philip x Bernardo. Passado, presente e futuro embaralhados. Fantástico!!!
O que mais dizer? Amei é pouco! É um livro que recomendo, relerei e carregarei sempre comigo no coração! Parabéns, Sam, por usar as palavras para tocar seus leitores de uma forma tão intensa. Continue escrevendo, você tem o dom e fico aqui pensando que o tempo e o amadurecimento vão tornar melhor o que já é incrível!
Silvia 02/07/2012minha estante
Eu quero muito este livrooooooooooooooo...


Samanta 03/07/2012minha estante
Josy, querida!!!!

Li sua resenha no trabalho, em seu blog, e não resisti, já deixei um comentário... rs...


MUITO OBRIGADA por dividir suas lindas impressões sobre O Pássaro!!!!!! Estou feliz de verdadeee ^^


Um beijão!!!


Josy.Stoque 03/07/2012minha estante
Oi, Sam, você é mesmo uma diva e merece muito mais!
Quero ler mais livros seus!
Parabéns pelo livro lindo!
bjosssssssssssssssssssss




Natalia 30/07/2013

Resenha produzida para o blog Perdidas na Biblioteca
Os fãs de Nicholas Sparks e suas grandes histórias de amor que me desculpem; mas quem precisa dele quando se tem Samanta Holtz?

A sinopse já conta bastante sobre a história, mas se você pensa que essa é só mais uma história de amor entre pessoas de mundos e classes sociais diferentes, você esta redondamente enganado.

Samanta Holtz não só conseguiu criar uma história de amor envolvente - eu li o livro inteiro em 24 horas, e convenhamos... ele é bem grossinho - que me manteve acordada a noite toda, como conseguiu a cada página me surpreender.

Quando você pensa: "Já vi tudo... essa história vai terminar assim...", ela te dá um tapa na cara e você pensa: "Como assim?! Isso não pode estar acontecendo? Diz que é mentira!".
Eu quase não tenho palavras pra descrever o quanto é bela essa história e como me senti profundamente tocada pelos personagens e emocionada. Pra resumir, no final eu estava chorando como um bebê.

Quando terminei o livro pensei: "Se ela escreve uma história como essa no primeiro livro; imagina o que vem por aí...". Escrever é como andar de bicicleta; a prática leva a perfeição. Mas com Samanta ela conseguiu alcançar isso no primeiro livro!!

Virei fã. Todos os livros que ela lançar terão um lugar garantido na minha estante. Inclusive, já estou com um lugar reservado para "Quero ser Beth Levitt" que será lançado ainda este ano.

site: http://perdidasnabiblioteca.blogspot.com.br
Samanta 05/08/2013minha estante
Querida Natália

Imperdoável eu ter demorado tanto tempo para ler a sua resenha de O Pássaro :)

E que palavras mais liiiiindas sobre meu livro... fico muito feliz em saber que gostou tanto, querida!

Obrigada por cada elogio e por ter dividido sua opinião com os seus leitores :)

Um beijo!!!




Pedro Almada 17/08/2012

O Pássaro, o orgulho da literatura nacional!
De todos os romances que já li até hoje, nenhum deles me atraiu tanto quanto O Pássaro. Se isso soar como rasgação de seda, pode saber que você está enganado. com certeza a obra de Samanta Holtz tornou-se minha favorita no gênero, seu talento supera minha admiração por ela como pessoa, e se a sua obra conquistou um lugar especial na minha bagagem de vida como leitor, isso certamente é um mérito unico e exclusivo da Samanta. Mas se tá difícil entender porquê, então vamos nos aprofundar mais na obra. Tenho certeza que posso te convencer =)

Europa. Século XIII. Quando o baronato exercia forte influência na sociedade, uma família, os Mondevieu, era administrada por Enézio, um barão de pulso firme e de coração duro como pedra. Sua família era composta por três lindas mulheres: a esposa Antonelle, a filha mais velha Elizabeth, e a caçula Caroline. De todas as três, Enézio jamais conseguira total submissão da mais nova. Caroline era uma figura única, cheia de sonhos e um impulso por viver a liberdade plena, um sentimento muito à frente de seu tempo.
O romance envolve Filip, o jovem nobre prometido em casamento - cuja admiração de Caroline por ele não passava de amizade - e o filho do domador, Bernardo. Ainda que Filip amasse a menina, ela não podia corresponder e,por outro lado, não sabia quem poderia amar. Mas as dificuldades da vida jamais lhe prometeram uma trégua, e ela se viu na difícil decisão de abandonar uma vida de conforto para se livrar da mão de ferro do próprio pai.
Tomando decisões cada vez mais desesperadas, Carolina começa a descobrir um pouco de si mesma a cada dia. Suas escolhas, fossem elas inconsequentes ou não, acabam colocando a jovem donzela num caminho rumo a segredos que rondam sua vida, desde muitas gerações passadas. Não apenas isso, Caroline vai descobrir como escolher o amor pode trazer consequências dolorosas.
Motivada por um desejo febril por liberdade, Caroline se envolve com ciganos, mercenários e um romance intenso, tudo isso vivido em incríveis 477 páginas!O final é estarrecedor, com uma reviravolta assombrosa. O real drama da história apenas toma forma no fim, mas o romance e o ar de aventura permanecem com o leitor da primeira até a última página.

O Pássaro serviu para mostrar que a nossa literatura, mais do que nunca, está livre e desimpedida par conquistar as prateleiras mundo afora. Samanta Holtz criou um enredo com personalidade própria, além de personagens bem estruturados e cenários de encher os olhos! Não posso dizer tantos detalhes, pois cada capítulo aguarda o leitor com uma surpresa, mas posso dizer que a escrita da autora, além de fluir facilmente, possui um ritmo delicioso, com passos leves nos momentos certos, seguidos de trotes e tropegos quando a cena de ação exige. Sim, amigos leitores, o romance possui cenas de ação bastante intensas, não são muitas, mas o suficiente para dar ritmo à leitura nos momentos que pedem por uma mudança no compasso.
O enredo não possui apenas um único clímax. Houve vários momentos em que eu pensei que a história estava no fim, mas algo mais intenso sempre acontecia depois, como uma progressão de clímax. De todos os personagens, a que mais gostei foi a cigana anciã, mas não direi nada a respeito, digo isso apenas para deixar a galera curiosa. Isso mesmo, uma aventura longe do luxo e ostentação, é assim que Caroline passa uma boa parte de sua jornada em busca da liberdade e da descoberta de si mesma.
A Samanta também teve um cuidado que eu admirei, o de mostrar as sutilezas no amadurecimento de Caroline. No início a jovem é apenas impetuosa e, convenhamos, bastante arrogante, pensando que por ser diferente das outras pessoas isso poderia torná-la melhor do que as outras garotas da nobreza. Mas, depois de uma árdua jornada, ela se descobre uma pessoa diferente, revigorada.
Samanta soube fazer os desfechos de cada capítulo como um verdadeiro mestre, assim fica difícil fechar o livro e pensar 'beleza, vou deixar o próximo capítulo para depois'. Além disso, os diálogos são sempre intensos quando a situação exige, ou suaves e profundos, e em boa parte das vezes bastante divertido.
O Pássaro conseguiu me despertar alegria, conseguiu me fazer dar aquele sorriso no canto do rosto, senti raiva das crueldades do barão, e compaixão pelas escolhas difíceis que Caroline precisa tomar ao longo da trama. A narrativa da Samanta é leve, em terceira pessoa - o que prefiro - e quase poética, levando não apenas à descrição dos acontecimentos, como também auxilia o leitor na reflexão de cada situação, como se estivéssemos ao lado de Caroline pesando as decisões ao seu lado.
Vale lembrar que a forma como ela escreve me lembrou muito Ana Karenina e algumas obras de José de Alencar, sem necessariamente parecer o eco dos clássicos, mas apenas uma inspiração com sua atmosfera única e original.
A única queixa que tenho a fazer - pequena e que passa despercebida por ser uma obra tão tocante - é a seguinte: embora a história se passe no período medieval, século XIII, consegui notar sutis falhas na temporalidade. Em alguns momentos, a impressão que tive é de estar lendo uma história do período colonial e não do período feudal. Caroline, em alguns capítulos, estava mais para 'Sinhá Moça" do que uma nobre medieval. Mas isso não significa quase nada em relação a todo o resto. Julgar O Pássaro por isso é como jogar fora uma pedra de rubi por causa de um arranhão sofrido.
Numa visão ampla: considero O Pássaro um dos livros mais cativantes que li esse ano, e não é a toa que o coloquei na minha lista de preferidos! Samanta Holtz escreve com a imaginação de mil pensadores românticos, impossível não ficar admirado com a originalidade de sua obra.

Recomendo a leitura de O Pássaro!

Uma ótima leitura! Fiquem na Paz!
Samanta 17/08/2012minha estante
Pedro!! Sem palavras para essa resenha tão linda... fico imensamente feliz que o livro o tenha agradado tanto!!!

Também agradeço pelos "toques" no final a respeito da correta adequação à época na qual o livro se passa. É ótimo ter alguém expert em História por perto rs rs rs


Beijãooo!




Jéssica 24/06/2012

O livro nos conta a história de Caroline.A trama se passa em 1227, filha do barão Enézio Mondevieu,um homem rígido , rico , austero e arrogante, Caroline não aceita a subordinação daquela época.
Ela é uma jovem de espírito livre.Que poder escolher seu próprio marido,ter a liberdade de não dizer a todo momento onde está, o que está fazendo,que ser livre como um pássaro.
Caroline tem uma irmã mais velha,Elizabeth , que ao contrário dela acata todas as ordens do pai com obediência e delicadeza.Caroline se mostra muito teimosa e atrevida com ele,que em muitas vezes desconta com brutalidade em cima dela.Em são esses fatores que fazem ela a cada dia ter mais determinação e força para se tornar livre dessas leis que tanto a desagradam.
Filip La Frièt, um jovem rico , leal , honesto,de bom coração,melhor amigo de Caroline e apaixonado por ela desde a infância.Ele tem uma personalidade meiga, gentil , que me fez sentir muita pena dele,pois Caroline não é apaixonada por ele.Gosta dele como amigo e sofre por magoá-lo.
Bernado Rachlev, filho do domador de cavalos que trabalha na propriedade do barão Mondevieu.Ele é um pouco arrogante com Caroline em certos momentos,pois acredita que ela é apenas mais uma garota mimada e riquinha.Mas depois ele se mostra um verdadeiro cavalheiro.Podemos conhecer seu lado educado , protetor,carinhoso e apaixonante.
Dois garotos que fazem Caroline tomar atitudes e escolhas que mudam o contexto da história.E depois de ser prometida para Filip ela se vê diante de uma escolha:Casar-se com ele e tem uma garantia que será bem tratada e até mesmo feliz ou fazer algo para impedir isso.
As escolhas que ela toma nos deixam com expectativas para saber o desenrolar da história.E isso vai tomando estradas sem volta e apenas encarar os problemas ou fugir deles são o que podem fazer.
Caroline passa muitas aventuras , contendo perigo , medo,segredos.E Bernado estará junto dela para seguirem o mesmo caminho.E ambos vão descobrir que essa missão despertará sentimentos que estão guardados dentro de si e que se abriram de forma intensa e apaixonante.
A narrativa da autora é bem marcante.Viajamos na história de tal maneira que não cessamos até terminar a última página.Toda a jornada de Caroline é lida com expectativa ,e cada sentimento que povoa dentro dela faz com que sentimos o mesmo.Confesso que quando as últimas páginas foram chegando meu coração sofreu demais.A cada revelação que me fazia sofrer derramava lágrimas.E no final da história percebi que mesmo que as coisas aconteceram de forma que eu não queria, tudo é feito de escolhas.E esses personagens escolheram o que acharam ser o certo , mesmo que doesse muito.
Foi difícil escrever essa resenha,pois não sabia como escrever o que senti lendo esse livro.Foi bem marcante pra mim e eu recomendo.Leiam,leiam!

http://leitorasempre.blogspot.com.br/2012/06/resenha-premiada-o-passaro.html
Samanta 24/06/2012minha estante
Muito obrigada pela linda resenha, querida ^^

Fico muito feliz que tenha gostado tanto da história!


Um super beijo ;)




@cheiade9h 18/02/2013

O Pássaro que me fez chorar
Quando a sinopse pergunta na última linha "Você está preparado?" não é a toa!

O livro trata da liberdade de sua personagem principal, Caroline. Desde pequena ela tinha seus questionamentos sobre a sociedade da época feudal, o por que do poder patriarcal, o por que as mulheres tinham seus casamentos arranjados, e entre vários 'por quês' que sempre rondavam a cabeça de Carol.
Ela já desde cedo não tinha uma relação boa com seu pai Enézio, tendo só a mãe, a irmã e uma criada da família para jogar conversa fora e falar de sua vontade de sair para o mundo e viver de acordo com suas escolhas, sem um segundo individuo dizendo qual caminho seguir.
Caroline cresceu com uma unica visão: conseguir a Liberdade que sempre quis.

Carol já grande, com seus 17 anos, seu pai Enézio anuncia seu casamento com seu amigo de infância Filip. Ela como a "ovelha negra" da família, num primeiro momento não se conforma com o pai escolhendo seu marido, mas depois pensa que era melhor ela casar com um homem de boa índole e que qual ela já conhecia a bastante tempo, e que realmente a amava e assim ela também poderia aprender a amá-lo.

Mas nesse meio tempo de preparação de casamento, Caroline decide fugir, com a ajuda de Bernardo, o domador de cavalos que trabalha para seu pai.
Os dois com o mesmo sonho: Liberdade.
Assim fazem um plano para cada um se ajudar na fuga e depois cada um seguir seu caminho. Mas o empecilho é: os dois se apaixonaram.

Caroline abre mão de sua vida de milady e Bernardo abandona sua vida de empregado mal remunerado, e os dois vão se aventurar em uma viagem de descobrimento do sentimentos de ambos.

Há tanta coisa que queria escrever aqui gente... Mas seria spoiler, e eu não quero estragar a leitura de ninguém, se bem que, eu acredito que mesmo se alguém souber algum spoiler do livro vai se surpreender com tudo.

A escrita da Samanta é espetacular e ponto final.

Mas resumindo:
Samanta fez um maravilhoso trabalho com a obra O Pássaro, é um romance + drama + mistérios + suspense é uma equação de gêneros que dão o total de: vários sentimentos num único livro.
Você termina ele com a mente voando, você termina chorando, você termina a leitura vendo que esse livro valeu a pena em todas as páginas, em todas mesmo.

PARA MAIS RESENHAS www.livroterapias.blogspot.com
Samanta 18/02/2013minha estante
Oi, Naaa!

"A escrita da Samanta é espetacular e ponto final" *---*

Muito obrigada por suas palavras sobre meu livro, querida!!! Amei, amei, amei :)

Um beijão!!!

Samanta




C_R 14/10/2015

Apaixonada pelo livro! Tem um final muito triste, mas a história é linda demais!
a autora é nacional e é maravilhosa! Tem uma escrita fantástica, que prende o leitor do inicio ao fim! E o fim... de chorar litros!
"Embora não trocassem uma palavra, eles sabiam, de alguma forma, que sentia, o mesmo."
Os personagens que movem o livro são Caroline e Bernardo. Ela, filha do dono de um feudo próspero e rico; Ele, o domador de cavalos do feudo. Caroline tem tudo que Bernardo sempre almejou: Uma casa confortável, uma cama macia, comida a vontade... Bernardo tem tudo o que Caroline sempre quis: liberdade! O que ambos não sabem, é que a vida de cada um não é tão perfeita quanto parece ser.
Bernardo despreza Caroline por quem é, pelo que é. Já Caroline não entende porque Bernardo a trata como se ela fosse a responsável pela sua miséria! Porém as desavenças não serão suficientes para barrar a linda história de amor que irá florescer no coração dos dois, um amor lindo, mas proibido!
"Foi como se as aves tivessem parado de cantar e o vento não mais soprasse, nos segundos em que os olhares deles se prenderam."
O enredo do livro é sustentado por drama e romance. Mentiras que alteram o destino, mentiras que roubam o essencial da vida, segredos que escondem verdades capaz de destruir um amor puro e livre, de acabar com uma vida. A ganancia e o poder subjugando e humilhando o menos favorecido.
"Foi assim que aquele dia que prometia ser tenebroso transformou-se em uma grande diversão. Ela se sentia viva, plena, feliz! A nuvem escura que pairava sobre sua alma simplesmente desmanchou-se."
O livro é magnifico e transborda emoção. Esse livro não me tirou lágrimas, me arrancou prantos! Super recomendo! Mas aviso: leiam com lenços à mão!

Meu blog: http://colecionandoromances.blogspot.com.br/

site: http://colecionandoromances.blogspot.com.br/
Samanta 11/01/2016minha estante
Querida Sophia,

Que palavras mais lindas!! Muito obrigada por compartilhar sua resenha tão tocante aqui no Skoob :) Fico feliz demais em saber que a leitura foi tão marcante e emocionante!

Vou amar saber sua opinião sobre meus outros livros, quando tiver a oportunidade de lê-los :)

Beijos no coração!
Samanta :*


C_R 23/04/2016minha estante
Que lindas palavras! Obrigada
Quando um livro nos toca, a resenha flui! Estou ansiosa para ler os outros!


Patricia Chame 05/10/2016minha estante
Amiga terminei de ler, claro que eu não consegui dormir antes de terminar e amei


Patricia Chame 05/10/2016minha estante
Lindo??????????


C_R 06/10/2016minha estante
Esse livro quero ler de novo um dia, ainda não sei quando, me destruiu quando li, mas quero ler de novo mesmo assim! Sei que vc não lê o mesmo livro duas vezes, mas meus favoritos eu leio, uma, duas, três, não importa quantas vezes, importa que eu leia de novo! rsrsrs




Carolina Lopes 09/08/2012

Emocionante...
No anos de 1227, na Europa, existe um grande senhor feudal chamado Barão Enézio Mondevieu, casado com a doce Antonelle, com quem teve duas filhas: Elizabeth e Caroline.
Caroline ao contrário da irmã não é submissa, e sim uma menina com vontade própria que não deixa ser intimidada facilmente. Aos sete anos percebe pela primeira vez a desigualdade entre sua família e os servos. Seus olhos são abertos pelo filhos mais novo do domador de cavalos, e essa nova percepção da sociedade a faz questionar ainda mais as regras da sociedade e ansiar mais fortemente pela liberdade.


"Na verdade, milady, a maior diferença entre nós é que meu pai sempre trabalhou e sempre foi pobre. Já o seu, nunca fez nada, e tem isso tudo..."


E é depois do encontro com o filho do domador e cheia de perguntas na cabeça, que Caroline questiona seu pai na frente das visitas, Duque La Friet e seu filho, Philip.
Por causa desse desatino, o Barão lhe dá um surra quando estão sozinhos, surra essa que marca Caroline no corpo e na alma não deixando que ela esqueça nunca. Depois disso, Caroline nunca mais foi a mesma.


O tempo passa, Caroline cresce, mas essa ânsia por liberdade permanece em seu coração. A diferença é que agora Caroline sabe que tem que controlar a língua e não expor seus pensamentos, mas ela aprende como ninguém a se expressar pelos olhos não deixando dúvida ao Barão o que é que ela realmente pensa.


Bernardo, o filho do domador é o menino que lhe abriu os olhos quando criança, também quer se ver livre da tirania do Barão. E quando Caroline o encontra, além de muitos desentendimentos e briguinhas, sabe que ambos têm algo em comum: anseiam pela liberdade.
E agora, Caroline tem que decidir. Ou ela se casa com Philip e tem uma vida comum com um homem que gosta, porém, não ama; ou ela foge com o Bernardo e corre atrás da vida que tanto quer. E é claro que ela escolhe fugir com o Bernardo.


Durante a fuga, vão acontecendo muitas coisas e algumas acaba os levando para um acampamento cigano. E neste lugar, Caroline e Bernardo precisam fingir que são noivos para que os ciganos solteiros não acabem dando em cima de Caroline.


"Nenhum deles constatou essas frações de segundo em que tudo foi tão verdadeiramente intenso. Caroline associou à novidade. Bernardo, ao impulso. A nenhum dos dois ocorreu a possibilidade de associar aquela loucura toda ao amor."


Porém, esse fingimento acaba não sendo tão falso assim. E dessa forma, um sentimento mais intenso vai surgindo entre eles. O mais difícil é fazer com que esses dois teimosos aceitem e reconheçam esse sentimento.


"- Não podemos decepcioná-los! - observou, bem-humorado. Aproximando-se mais um passo, estendeu a mão para ela. - Importa-se de ser o amor da minha vida esta noite?"


O Pássaro me envolveu completamente, a cada página fui ficando mais presa ao livro. É quase impossível não ler e ficar com um sorriso nos lábios e lágrimas nos olhos.
E que final!!! Foi um pouco difícil para aceitar, mas ele só deixou o livro ainda mais encantador.
Não dá para expressar como esse livro é emocionante e nem esquecer facilmente. Já terminei há um tempão e ainda lembro perfeitamente da sensação que senti durante a leitura.
Amei o livro. É lindo demais, inesquecível. Super recomendado!
Obrigada Samanta pelo ótimo romance e espero ler mais livros seus.

>>> Mais resenha: http://cantinhocarolina.blogspot.com.br/
Samanta 21/05/2012minha estante
Querida!

Já deixei um comentário gigante em seu blog, né? rs rs rs...

Mas vou, NOVAMENTE, parabenizá-la por sua resenha tão bem escrita e agradecer por cada linda palavra que reservou ao meu O Pássaro!

Tocar o coração dos leitores, como toquei o seu, é o meu maior sonho... sempre!


Um grande beijo! ^^




129 encontrados | exibindo 16 a 31
2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 |