O Pássaro

O Pássaro Samanta Holtz




Resenhas - O Pássaro


117 encontrados | exibindo 31 a 46
1 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8


spoiler visualizar
Samanta 02/10/2013minha estante
Querida, eu já havia deixado meu comentário, não sei o que aconteceu que ele sumiu rs...

De todo modo, novamente, quero deixar aqui meu agradecimento pelas lindas palavras a respeito do meu livro :)

Um beijo enorme!


Samanta 19/11/2013minha estante
Querida Léa

Que honra saber que fui a primeira autora brasileira que você leu e, mais que isso, que valeu a pena :) Espero que tenha aberto portas a outros nacionais que, garanto, são muuuuito bons também!!!

Realmente, a realidade daquela época dos mais ricos em relação aos mais pobres é chocante, não é??? :/ Pena que ainda exista gente que age assim!

Um beijo, querida!




Sonali 07/01/2016

Marcante
Muito bom o livro, emocionante, marcante a cada personagens, cada momento da leitura foi espetacular. O modo da escrita foi fascinante, foi o primeiro livro que li dessa autora brasileira Samanta Holtz e gostei muito.
A nossa heroina foi determinada para ser livre, de todo o jeito de ser libertada das garras de dominancia de seu pai e sociedade.
O nosso domador de cavalos foi que mostrou para Caroline a liberdade.
Gostei da batalha verbal dos dois, não achei que fosse se tornar o casal,mas no decorrer foi lindo, romantico, sem ser apelar pelo carnal. Fquei surpresa com a mãe dela
Chorei muito da etapa final do livro da nossa personagem ser livre
E avaliação se tivesse 10 estrelas daria a esse livro.

RECOMENDO MUITO!!!!!
Samanta 11/01/2016minha estante
Querida Sonali,

Muito obrigada pelas lindíssimas palavras sobre meu livro! :) Fico muito feliz em saber que gostou tanto da leitura!!!

Espero que também se apaixone por meus outros livros :) Quando tiver a oportunidade de ler, vou amar saber sua opinião!

Beijosssss!
Samanta :*




Mariana Mortani 25/12/2012

"Ninguém se importa em saber a verdade, quando algumas pessoas já inventaram uma explicação conveniente o bastante"

Estamos nos últimos dias do ano e eu não imaginaria que me emocionaria tanto com uma obra na altura do campeonato. O Pássaro me encantou já nas suas primeiras quarenta páginas e já fiquei impressionada com a maneira que seus personagens me encantaram.

Em seu romance de estréia, Samanta Holtz nos apresenta a Caroline Montevieu, uma jovem que sonha com a liberdade. Em pleno século XIII, a menina se sentia escrava de seu pai, o barão Enézio Montevieu, um homem que como os outros de sua época, eram arrogantes e viviam de aparência. Caroline, ao contrário de sua mãe, Antonella; sua irmã, Elizabeth e das demais mulheres da época é teimosa, perseverante e corajosa. Ela enfrenta o pai de cabeça erguida e mesmo diante das barbaridades que ele faz, ela não desiste de ter sua sonhada liberdade.

Caroline, quando criança, descobriu da forma mais bruta a realidade : nem todos tinham a mesma mordomia que ela e, ao contrário de seu pai, trabalhavam muito para sobreviver. Depois desse dia ela passou a olhar tudo com outros olhos, menos seu amigo de infância, Filip, que é um jovem tão rico quanto ela que é educado, gentil e seu melhor amigo. Filip acaba despertando um outro tipo de sentimentos em relação a menina. Sentimentos esses que não são recíprocos, mas que não os impedirá de seguir amigos.

Já com dezessete anos, Caroline vem a conhecer Bernardo, um domador de cavalos das terras de seu pai e que com o tempo descobrirá que foi ele o menino que a alertou sobre a realidade de sua vida hà muitos anos atrás. Bernardo se tornou um homem de temperamento forte, porém muito charmoso. Os dois compartilham seus desejos: Caroline quer se ver livre das ordens de seu pai e poder fazer o que quiser, já Bernardo, quer ser livre para virar um grande corredor de cavalos, como seu avô foi, e assim eles se vêem unidos pelo mesmo desejo: liberdade.

Não sei nem como começar a explicar como o livro me encantou. De primeira, o que mais me chamou a atenção do livro foi a capa. Comprei meu exemplar depois de conhecer a autora pessoalmente em outubro e só vim a lê-lo agora, em dezembro (o que me fez ficar um pouco arrependida por ter demorado tanto a conhecer essa belíssima obra). Foi o primeiro romance histórico que li e esse, com certeza, despertou meu interesse em ler outros.
Fazia bastante tempo que um livro não me encantava nas suas primeiras 40 páginas e Samanta, com sua escrita impecável, me faz passar dois dias seguidos só lendo, comendo, lendo, tomando banho, lendo, lendo e lendo. Não encontrei nenhum erro gramatical no livro e a narrativa é totalmente envolvente. Samanta merece meus calorosos aplausos por ter me impressionado tanto.

Os personagens me encantaram, e não pense que o livro gira em torno de Bernardo e Caroline. Conhecemos a cultura dos Ciganos, conhecidos até certo ponto como "Malditos", conhecemos mais sobre a vida naquela época, sobre as regras e mentiras da igreja e principalmente, sobre o verdadeiro amor.

O desenrolar da estória é tão envolvente quanto impressionante. Atualmente é raro ler um livro que você não imagine o que acontecerá no final e essa mesma coisa acontece, e acho que esse é mais um motivo que fez O Pássaro se tornar um dos meus favoritos de 2012. Chega um momento que segredos são revelados - quem já leu vai entender - e quando O SEGREDO é descoberto tive que sair do sofá, ir até a cozinha pedir atenção de minha mãe e minha avó que estavam preparando a ceia de Natal, para poder mostrar minha indignação com tal acontecimento. Eu não acreditava que o livro poderia terminar assim, mas ainda mais de 50 páginas para o término e eu me perguntava o que Samanta poderia fazer para mudar aquilo. E pela milésima vez, em um só livro, ela me surpreendeu. Admito ter relido as duas últimas páginas três vezes e chorando.


CONTINUE LENDO EM: http://magia--literaria.blogspot.com.br/2012/12/o-passaro-samanta-holtz.html
Samanta 03/01/2013minha estante
Querida!

Que bom saber que O PÁSSARO a tocou tão profundamente logo nos "45 minutos do segundo tempo" do ano de 2012 rs.........

Um beijão!




Ju 14/09/2014

Magnífico do começo ao fim
Primeiro que gostei da época histórica do conto e segundo a demonstração do amor verdadeiro.Narra a liberdade e o amor andando de mãos dadas.Leitura rápida, satisfatória e que cria muitas dúvidas, mistérios.

O final foi o melhor: emocionante. Confesso que chorei feito criança e foi a primeira vez que isso aconteceu comigo hahahahaha

Recomendo aos que ainda vão ler :)
Samanta 17/09/2014minha estante
Querida Ju,

Muito obrigada por escrever sua opinião sobre o livro aqui no Skoob! Fico feliz que a leitura tenha provocado sentimentos e emoções tão intensos :)

Beijo enorme!




Lita 30/05/2015

“Aprenda a ficar quieta! Mulheres não nasceram para falar...”

Caroline Mondevieu é filha de um poderoso barão e tem tudo o que uma dama da época poderia querer: status, riqueza e um ótimo partido para se casar. Seus sonhos, no entanto, vão muito além de vestidos caros ou um bom marido; ela quer ser dona do próprio destino. Tudo parece perdido quando ela encontra Bernardo, um charmoso e irritante domador de cavalos. Eles não conseguem se entender até perceberem que, para alcançar o sonho em comum da liberdade, deverão passar por cima das diferenças e se unirem em um arriscado plano que promete transformar suas vidas para sempre. Grandes emoções os aguardam nessa jornada: perseguição, mistérios, ciganos e o despertar de um sentimento que insiste em se manter escondido. Mas o que parece tão simples envolverá mais magia e coincidências que eles podem imaginar, além da descoberta de segredos, até então, muito bem guardados.

“Quando a tristeza cresce dentro da gente, ela precisa sair. Senão, não sobra espaço para a felicidade.”


Não nego que amo livros que se passam em séculos passados, como este, que trazem um toque diferente para a história e é sempre maravilhoso ver o que os autores conseguem criar a partir desse cenário. Um tema elaborado, sem ser monótono, com um simples tom romântico da leitura faz com que tudo se desenvolva leve e de forma calma.

Os personagens são interessantes, cada um ao seu modo, curiosamente entrelaçados na trama apesar de suas diferenças. Caroline não é uma clássica dama. É uma moça sonhadora que deseja mais do que o dinheiro poderia comprar, uma figura rebelde para a época. O mesmo com Bernardo, um simples camponês que deseja sua liberdade acima de tudo. A união dessas duas figuras se transforma numa bela trama amorosa.

A minha edição possui a segunda capa do livro “O Pássaro”. Pessoalmente a prefiro por seu ar majestoso que é exatamente o que penso da escrita da autora, ao mesmo tempo que a antiga possuía um toque puro que combina perfeito com a temática e protagonista da trama. O livro foi muito bem organizado tanto esteticamente como em seu conteúdo, com uma narrativa que te prende e te faz se apaixonar não apenas pelos protagonistas, como também aqueles maravilhosos personagens secundários que possuem seu espaço e que tornam a leitura mais completa.

Encontramos mudanças de cenário que trazem ainda mais o leitor para dentro do livro e o envolvem na trama que decorre suave, livre e delicado como o voo de um pássaro. Um livro cheio de revelação e com o toque pessoal da Samanta Holtz que deixou a história ainda mais bonita e encantadora.

“O que eu quero dizer é que, no final das contas, tanto guardar e tanto esperar não me deram a segurança que eu esperava. Deixaram apenas a saudade de tudo o que poderia ter sido, mas não foi.”

site: http://umlivroeu.blogspot.com.br/2015/04/resenha-o-passaro-samanta-holtz.html
Samanta 12/06/2015minha estante
Querida Lita,

"(...) E o envolvem na trama que decorre suave, livre e delicado como o voo de um pássaro"... que resenha linda e poética! Fico feliz em saber que O Pássaro foi uma leitura tão agradável e agradeço, de coração, por dividir sua opinião aqui no Skoob!

Beijos no coração,
Sam




Fer Kaczynski 30/01/2013

Samanta Holtz escreve muito bem, ficamos instigados a ler o que acontecerá nas páginas seguintes e no meu caso varei noites lendo esse livro lindo, eu nunca tinha lido nada do gênero de autores nacionais, e me surpreendi, a começar pela capa muito bonita e pelo miolo feito em papel creme o que torna a leitura menos cansativa.
A estória se passa em 1227, num castelo feudal, onde vive Caroline Montevidéu, uma adolescente sonhadora, risonha e falante mas, como todos ao redor, temia seu pai, Enézio, o barão de Montevideu a quem todos temiam e as mulheres da família eram submissas, muito conhecido na região por sua inflexibilidade e tirania.
Caroline desde muito cedo sempre buscou a liberdade, era à frente do seu tempo, não aceitava ordens de cabeça baixa, numa época onde mulheres eram criadas somente para cuidar da casa e procriar, ter casamentos arranjados por seus pais e acatar ordens de homens de todos os lados, ela somente queria ser dona do seu próprio destino, iniciando assim uma verdadeira guerra dentro de sua própria casa.
“As mulheres da casa não ousavam dirigir-lhe muitas palavras além das necessárias. Sua esposa Antonelle, oito anos mais jovem, por várias noites chorava a desilusão de lhe terem escolhido um marido tão frio e cruel.“ pág 13
Antonelle, a mãe de Caroline, era submissa e obediente, vivia num casamento de fachada, infeliz, sofria nãos mãos do barão, pois não conseguiu lhe dar filhos homens, então era desprezada e tratada como inútil.
As mulheres da nobreza eram praticamente obrigadas a terem filhos homens como garantia da linhagem e como únicos com direito a herança, as filhas teriam direito a “bons casamentos” arranjados por seus pais enquanto ainda eram crianças e dependiam da sorte de desposarem maridos que as respeitassem e futuramente viessem a amá-las, além de sustenta-las para o resto da vida, elas gostando ou não.
Como toda adolescente, Caroline também sonhava em encontrar um grande amor, e mesmo prometida em casamento a um rapaz nobre, Filip de La Friét, que no início gostou bastante, mas chegou à conclusão que o amava sim, mas como a um irmão, nada mais do que um bom amigo e confidente, e ela queria muito mais que isso para se entregar ao matrimônio. Começa aí a saga de uma garota que tenta se libertar das convenções sociais da época, das amarras de um pai tirano e do conformismo em ser apenas uma mulher onde os homens mandam e desmandam como bem entendem, dependendo dos interesses do momento, como convém.
“- E se de repente, você descobrisse que a porta de sua gaiola nunca esteve realmente fechada¿” pág 161
Ela só queria ser dona do seu próprio destino, e inconsequente, decide fugir de casa junto com o destemido Bernardo, o jovem domador de cavalos da família, e buscar por si própria sua felicidade.
Com muita aventura e ação, O pássaro nos convida a refletir sobre a nossa busca interior pela verdadeira liberdade e pelo que realmente vale a pena lutar.
“Deixou-lhe cair o capuz, como se ele também significasse uma de suas amarras para aquela vida artificialmente bela e segura. Naquele momento, ela se declarava livre...” pág 120

Tem promoção sobre o livro no blog, participem:

http://livrosdeelite.blogspot.com.br/2013/01/resenha-premiada-o-passaro-samanta-holtz.html
Samanta 30/01/2013minha estante
Querida Fernanda!

Obrigada por dividir aqui a sua opinião sobre meu livro :)) Fico feliz com seus elogios!!

Beijãooo!




Aline Coelho Cury 13/03/2014

O Pássaro
No inicio da história (1227) conhecemos um pouco do período feudal e da rotina do feudo da família Mondevieu. Esse período onde as relações humanas eram terríveis e injustas, principalmente por não haver mobilidade social e os servos que trabalhavam para os senhores feudais serem praticamente escravos. E as mulheres viverem uma vida de submissão primeiro ao pai e depois ao marido. Enfim nessa história conhecemos algumas mulheres que a seu modo tentaram encontrar meios que a possibilitassem levar uma vida mais livre e cheia de sentimento, principalmente de amor.

Nessa leitura pude conhecer um pai, marido e sr. feudal que não sabia ser bom, afetuoso e amoroso mas sim o pior entre os piores em autoritarismo, maldade, violência e só visava o lucro, o poder e o prestigio social (sua preocupação em manter a aparência de família feliz e perfeita era ridícula). Conheci sua esposa e duas filhas que sofriam com seus desmandos, mas Carolina (a mais nova) desde pequena já indicava que não aceitaria que seu pai decidisse o rumo de sua vida com tanta facilidade, mas sim lutaria com as "armas" que encontrasse pela vida para viver a liberdade tão sonhada por ela. Serão muitas situações que a farão amadurecer e aprender com seus erros. Além disso ao longo da história muitas serão as reviravoltas e segredos do passado dessa familia revelados. E em relação a isso dou os parabéns a autora porque ficou tudo bem amarradinho e estruturado, não deixando margem para dúvidas e questionamentos.

Adoro ciganos e achei muito interessante a parte em que eles entram na história e toda a contribuição e importância deles no desenrolar dos fatos.
As mensagens e exemplos sobre o amor e a luta por uma vida mais rica de sentimentos e verdade são tão sinceras, simples e reais que nos inspiram e motivam a continuar a ler a história. E por fim consegui perceber como um sonho e exemplo de uma pessoa pode inspirar e até mobilizar toda uma geração de mulheres a correr em busca de uma vida melhor, mesmo que para isso precisem passar por cima das convenções de sua época e deixar costumes de lado.

Enfim acredito que todos que gostam de uma boa história de superação e amores impossíveis e claro aqueles que apreciam romances de época com toques que histórico deveriam ler esse livro. Ele simplesmente é bem escrito, envolvente e cheio de reviravoltas e claro com um final emocionante. Fica a dica de leitura nacional de qualidade.
Samanta 01/05/2014minha estante
Querida Lili

Muito obrigada por dividir sua opinião a respeito de "O Pássaro" com os leitores do Skoob! Fico muito feliz em saber que sou uma referência para literatura nacional de qualidade :)

Beijos carinhosos!
Sam




Moonlight Books 19/08/2012

O Pássaro
"Europa, século XIII. Época dos vestidos pomposos, das charretes elegantes e das extensas propriedades de terra com seus castelos, onde perambulavam serviçais, condes, duques, barões e segredos.
Uma sociedade cujos extremos eram marcados por servos e senhores, respectivamente conhecidos como vassalos e suseranos, que conviviam no sistema feudal. Uma cerimônia simples, um punhado de terra despejado, mais um vassalo a servir. Este se instalava com mulher e filhos nas terras do seu senhor, nas quais viveriam a troco de trabalho, suor e tributos dos mais incabíveis.
Uma vida difícil, porém, para os menos afortunados, era a condição mais aceitável para se viver com dignidade.

Do outro lado, estavam os senhores das terras e suas famílias. Esposas caladas, filhas obedientes, homens rígidos. A imagem perfeita para se passar à sociedade – muito embora ninguém imaginasse que aventuras e amores proibidos se escondiam por trás daqueles olhos baixos, submissos a uma vida de regras, castigos, imposição do certo e proibição do errado. Uma vida resumida a aceitar sem argumentos ou contestação. Mas havia uma jovem determinada a quebrar essas convenções." (O Pássaro, página 9)

Caroline de Mondevieu, é uma jovem rica, filha de um poderoso barão, vive cercada de belos vestidos, jóias, riquezas infinitas, ou melhor dizendo, tudo o que o dinheiro pode comprar, mas não tudo o que a jovem precisa.
Em uma época onde homens diziam faça a as mulheres deveriam apenas baixar a cabeça e obedecer, a jovem Caroline trocaria todos os bens materiais que possuía, por apenas uma coisa, liberdade.
Sim,liberdade, algo que dinheiro nenhum poderia proporcionar à uma mulher, naquele contexto. Caroline queria ter o direito de decidir cada passo de seu caminho, ela não conseguia aceitar, por exemplo, que fossem os pais, quem escolhessem com quem seus filhos casariam, para ela casar deveria ser por amor, não por negócios.
Durante sua infância a garota, ria e brincava com tudo que a cercava, era a alegria, a luz, daquele lugar de tirania e servidão, não só para a mãe e a irmã, mas para todos os que viviam naquela casa, com exceção de seu pai.
O pai, um homem cruel e impiedoso, que vivia em função de mostrar, para a sociedade, que sua família era um exemplo a ser seguido, a família perfeita.
Tudo uma grande encenação, só quem vivia atrás das portas daquela casa, realmente conhecia a verdade, não havia família perfeita e unida, existia um tirano e suas servas, ou melhor dizendo sua esposa e as duas filhas.
Caroline não via diferença entre sua família e os empregados de seu pai, para ela todas as pessoas eram iguais, levavam a mesma vida que ela, mas sua doce ilusão, veio cair por terra no dia que conheceu Bernardo, um menino que era filho do cuidador de cavalos.
Bernardo, sentia extrema aversão aos senhores das terras e suas famílias, repudiava o tratamento cruel e injusto que estes reservavam aos seus empregados, e no dia que encontrou a sorridente Caroline, descarregou toda sua amargura na menina, mostrando que não havia igualdade nenhuma, entre os ricos e os pobres.
Assim a inocência de Caroline começa a deixar de existir, e em sua mente surgem as primeiras indagações sobre as maneiras de seu pai e as convenções sociais de sua vida, e com uma simples pergunta, dirigida ao pai, o mundo dela desaba, pois aquele que deveria ser seu protetor, responde sua pergunta com uma surra, que deixou não marcas na pele, mas na alma de Caroline.
Primeira lição, uma mulher não questiona, ela escuta, sorri e obedece.
Dez anos se passam, Caroline nunca mais questionou o pai, porém ao saber que sua irmã e melhor amiga, foi prometida em casamento, por decisão do pai, todas as suas perguntas e insatisfações, com sua vida vêm a tona, e ficar calada, torna -se impossível.
Há somente uma maneira de viver, que pode justificar a existência de uma pessoa, e para a moça, esta maneira é ser livre. Em sua busca por ter o direito de tomar as rédeas de sua vida nas próprias mão, Caroline decide enfrentar não somente as regras da sociedade, mas também seu pai, que viria a ser seu pior inimigo.
Na busca por seu destino, ela irá reencontrar o menino que abriu seus olhos, Bernardo, agora um homem feito, e de personalidade tão forte, quanto a da moça, que consegue irritá -la, apenas com um de seus sorrisos sedutores, mas que almeja sua liberdade, tanto quanto Caroline, e somente unidos poderão tentar vencer.

"Grandes emoções os aguardam em sua jornada; perseguição, mistérios, ciganos e o despertar de um sentimento que insiste em se manter escondido. Mas o que parece tão simples envolve muito mais magia e coincidências que eles podem imaginar, além da descoberta de segredos, até então, muito bem guardados."
(Trecho da sinopse da Obra)


O que posso dizer, uma obra única, identifiquei - me com Caroline, diversas vezes durante a leitura, não porque eu tenha uma vida cheia de regras e submissão, pelo contrário, meus pais sempre me deixaram livre para escolher meus caminhos, digo que me senti assim em relação a personagem, pois existem tantas coisas ao nosso redor, arcaicas, que precisam ser urgentemente revistas, mas por costumes e tradições ainda são mantidas.
Caroline foi uma mulher a frente de seu tempo, pode ter sido chamada de rebelde, imatura, qualquer coisa, mas ela nada mais foi que uma alma pura e destemida.
Neste livro conheci uma mulher de fibra e coragem, e também Bernardo, um homem de caráter e honestidade, que juntos me fizeram rir e me fizeram chorar, eles são capazes de mostrar o quanto vale a pena lutar pelo que queremos, e por mais que existam aqueles que dizem que estamos errados, devemos nessas horas, apenas sentir e ouvir a voz de nosso coração.
Quando faltavam exatamente 100 páginas para o final, eu fiquei pensando o que mais poderia acontecer, e então eu soube, um desfecho sem igual, e totalmente surpreendente.

Samanta, que final foi aquele?

Encerro, com o trecho do livro que achei o mais belo de todos.

"Deixou cair o capuz, como se ele também significasse uma das suas amarras para aquela vida artificialmente bela e segura. Naquele momento, ela se declarava livre."
Samanta 22/08/2012minha estante
Olá, Cida :)

Em primeiro lugar, quero dizer que adorei tê-la finalmente conhecido na Bienal!! Você é uma pessoa muito doce e querida!

E muito obrigada por ter postado sua resenha aqui no Skoob =)))) Amei cada palavra sua sobre O Pássaro!


Um grande beijo,

Samanta




Vanessa 27/03/2015

Avassalador!
O Pássaro é um romance de época, que se passa no ano de 1227, mas é um romance incomum, no meu ponto de vista.
Sempre que teimo em ler um romance de época, espero o mesmo de todos, as mocinhas indefesas, lindas, porém com a
auto-estima baixa. Ainda bem que deixei de lado o "pré-conceito" e li a história de Caroline Mondevieu, nossa protagonista.

Caroline é a filha do poderoso Barão Enézio, esse sim, típico da época, um dominador, que só pensa em poder, regras que a
sociedade impõe e certamente um homem desprezível. Já sua filha mais nova, nossa linda Caroline surpreende com sua ousadia,
rebeldia e nada submissa às ordens de seus pais. Como o casamento arranjado de sua irmã mais velha, Elizabeth. Logo ela questiona essa tradição e para sua surpresa no dia do casamento de sua irmã, é anunciado seu próprio casamento, também arranjado e contra sua vontade.

Quando se depara com essa situação até então, sem escapatória, o destino lhe reserva outro caminho. Caroline conhece Bernardo, um domador de cavalos charmoso e de personalidade tão forte quanto a sua. E logo vivem as "turras", mas dividem o mesmo sonho: a liberdade.

Assim começa as aventuras dessas personagens tão diferentes e tão iguais, cada vez mais emocionante, perigosa, intensa e reais. Cada capítulo é um baque no leitor, por isso cuidado com os corações frágeis, reviravoltas podem acontecer ao virar uma página. Mas quem ler até o final descobrirá a recompensa.

Não é spoiler, só um aviso: preparem os lenços, você irá chorar e rir também. Terá raiva da Samanta, mas depois passa.
É um livro tão envolvente, o qual te prende desde o primeiro capítulo.

Finalizando... obrigada Samanta Holtz, por escrever essa mágica aventura para seus queridos leitores, mostrar a força e o amor que uma mulher pode descobrir dentro de si.

"...No entanto, naquela mesma noite, enquanto chorava sozinha, desenhou em sua alma a personalidade e ideologia que a acompanhariam pelo resto da vida. Descobriu, da maneira mais difícil, que aquelas marcas jamais se apagariam do seu coração"
(O Pássaro - Samanta Holtz)
Samanta 02/04/2015minha estante
Querida Van,

Muito obrigada pelo depoimento tão lindoooo sobre O Pássaro!!! Adorei a parte do "você vai sentir raiva da Samanta, mas depois passa" kkkkk...

E é bem isso que você disse: tem que chegar até o final para "descobrir a recompensa" rs...

Obrigada por dividir sua opinião aqui no Skoob!!!

Beijos no coração,
Sam




Mari 26/10/2014

Resenha: O Pássaro
Grande descoberta da literatura nacional!

Quero deixar registradas aqui todas as lágrimas que soltei enquanto lia o livro! O que dizer sobre um livro simplesmente perfeito?

Narrativa perfeita, história perfeita, personagens tão bem construídos... Envolvente, apaixonante, mágico!

Tudo se passa na Europa no século XII (pausa para se contextualizar): época do feudalismo, marcada pela suserania e vassalagem. Nessa época as mulheres eram submissas á seus maridos e os casamentos eram forjados de acordo com relações econômicas... Eis que surge Caroline Mondevieu, filha de um poderoso barão, mas que não se encaixava nos costumes de sua época. Pelo contrário sempre teve o desejo deser livre, livre como um pássaro.

Cuidando dos cavalos temos Bernardo que não se conforma com os privilégios que a nobreza recebe e também tem o desejo de fugir e não ter que se submeter á nenhum senhor feudal.

E é esse desejo por liberdade que irá juntar os dois e um romance começa a nascer! ?

Mas as barreiras são imensas, não só as diferentes classes sociais, mas segredos que ambos nunca imaginariam existir.

Enfim, nunca conseguirei expressar em palavras o tanto que este livro mexeu comigo!?


Beijos e até a próxima!

site: http://insaciavelmenteapaixonada.blogspot.com.br/2014/10/resenha-o-passaro.html
Samanta 27/10/2014minha estante
Querida Mariane,

Que linda resenha!!
Muito obrigada por dividir sua opinião sobre o livro aqui no Skoob! Fico muito feliz em saber que a leitura de O Pássaro foi tão emocionante e o livro se tornou tão especial em sua vida ^^

Assim como você escreveu, eu também nunca serei capaz de expressar como meu coração se alegra toda vez que percebo que, como escritora, atingi o maior objetivo de todos dentro de mim: alcançar o coração de vocês e proporcionar leituras inesquecíveis!

Beijos no coração e, mais uma vez, obrigada!

Beijos,
Sam




spoiler visualizar
Samanta 19/11/2013minha estante
Querida Aline

Muito obrigada pelas lindas palavras! Fico muito feliz em saber que gostou da leitura de "O Pássaro" e que, agora, quer também a versão impressa para você :)

Está realmente bem difícil de encontrar, a edição está no final... os únicos lugares online em que sei que está à venda (e em estoque) são na Cia dos Livros e na Saraiva. Caso queira ver:

Saraiva: http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/produto.dll?pro_id=3824833

Cia dos Livros: http://www.ciadoslivros.com.br/passaro-o-p416885/

Um beijo!
Samanta




Ceile 17/05/2012

Resenha retirada do meu blog - www.estejali.com
Filha do temido barão Enézio Mondevieu, Caroline sempre foi uma menina diferente das outras da sua época (século XIII) - tinha o espírito livre, era determinada e era questionadora. Ao se encontrar com um menino pouco mais velho que ela, mas em condições bem diferentes das quais ela vivia, ela perguntou ao seu pai o por quê dele não trabalhar e ter tantas coisas enquanto outros que tanto trabalhavam eram pobres. Seu pai, como estava na frente de outras pessoas da mesma "classe", tentou desconversar, mas não conseguiu responder à menina e desde então Caroline ficou com isso na cabeça.
Seu pai era um homem muito cruel, frio, arrogante. Sua mãe e sua irmã eram submissas e acatavam tudo que o barão mandava, diferente de Caroline que as vezes o enfrentava e, aos olhos dele, o fazia passar vergonha na frente dos outros. Naquela época, a reputação era muito importante para um homem de posses como ele.

Tudo que Caroline sonhava era relacionado à liberdade. Ela abominava qualquer coisa que a deixasse presa. Com todas as imposições do seu pai, ela se vê na pior delas: o anúncio de um casamento arranjado, do qual ela não foi nem comunicada. Sabendo que não haveria saída, ela resolve fugir e traça seu plano contando com a ajuda de Bernardo, filho do domador de cavalos, um vassalo. Assim como ela, Bernardo também sonhava com sua liberdade. Apesar de estarem fugindo juntos, os dois não se entendiam muito bem, mas com a longa jornada que tinham juntos, aos poucos foram se entendendo e...

Já vou avisando que atrasei esta resenha, porque não consigo falar muito bem do livro. Não estou satisfeita com o que estou escrevendo, porque sei que não vou conseguir chegar nem à metade do que este livro conta, do que este livro é, do que ele proporciona.

Pegar este livro é se deixar comandar por algo maior. As páginas viram sozinhas. Você não consegue parar de ler. Não é exagero pelo menos não pra mim.

O livro é narrado em terceira pessoa, nos permitindo ver toda a situação e vários ambientes - ao contar sobre Caroline e Bernardo na floresta, também vemos o que está acontecendo nas terras dos Mondevieu.
Fui envolvida por uma história de liberdade, ideais, valores, amor incondicional, sacrifício. Esta história linda me deixou com sorriso nos lábios, nó na garganta e muitas lágrimas rolaram. É impossível não se envolver com Bernardo e Caroline. Sério, deixar o livro de lado por 8 horas (pra trabalhar hehe), já dava saudades.
E foi assim que fiquei ao terminar - além das lágrimas que não cessavam - com muitas saudades deste romance.

Um livro que deixa os sentimentos quase palpáveis - é mágico!

Samanta 17/05/2012minha estante
Olá, Ceile :)

Já comentei na resenha, em seu blog, mas vou comentar aqui mais uma vez para dizer: OBRIGADA pelas lindas palavras sobre meu livro!

(aliás, você sabe usar as palavras muito bem... parabéns!)


Fico imensamente feliz quando sei que alguém ficou apaixonada pelo livro e teve essa sensação de que "as páginas viram sozinhas" :)

Afinal, é o que mais desejo! Proporcionar uma leitura maravilhosa a todos que pegarem O Pássaro nas mãos!


Um beijo, querida!




ricardo_22 12/03/2012

Resenha para o blog OverShock
O Pássaro, Samanta Holtz, 1ª Edição, Osasco-SP: Novo Século (Novos Talentos da Literatura Brasileira), 2012, 480 páginas.

Publicitária e autora de alguns romances – ainda não publicados –, a autora Samanta Holtz estreia no mundo literário com a obra O Pássaro, lançado pela editora Novo Século. Neste livro, encontramos uma história romântica e envolvente do inicio ao fim, que mostra o potencial da autora e que ela está pronta para voar cada vez mais alto.
Nessa obra de estreia, Samanta nos conta a história de Caroline Mondevieu, uma jovem filha de um poderoso barão e que tem tudo para ser feliz, exceto a liberdade de escolha. Cansada de ser obrigada a fazer todas as vontades de seu pai, Enézio Mondevieu, a jovem Caroline percebe que precisa tomar alguma atitude antes que seja tarde demais e isso se confirma ao conhecer Bernardo, um domador de cavalos que assim como ela também possui sonhos e precisa lutar por eles. Juntos, Caroline e Bernardo enfrentam dificuldades e passam por aventuras na busca da tão sonhada liberdade.
A história se passa no século XIII e possui características únicas de um bom romance de época, com todos os detalhes necessários para uma história nesse tempo. A história se diferencia – não apenas pela história – de romances atuais, principalmente por ser algo leve e ao mesmo tempo emocionante. Ao contrário do que pensava, em O Pássaro nem tudo o que parece realmente é, e por isso o livro se torna surpreendente, superando todas as expectativas – que já eram altas.
Apesar de simples, o enredo possui reviravoltas do inicio ao fim, e quando tentamos encaixar alguns pontos, somos logos surpreendidos por mais informações sobre as personagens e as histórias que as rodeiam. Tudo isso causando emoção, alegria e em alguns momentos inclusive revolta.
Por mais inesperadas que sejam essas informações não ficam confusas e tudo ganha um sentido conforme os capítulos. Mérito da autora, que construiu tudo sem que a história se perdesse em qualquer momento do livro. Uns dos aspectos mais interessantes usados por ela foram os ciganos, algo inovador e que deu um toque novo a obra, além de que eles são importantíssimos para o desfecho. A cultura dos ciganos, exposta pela autora, é simplesmente fantástica, por diversos motivos.
Todas as personagens de O Pássaro são marcantes - por suas qualidades ou defeitos -, no entanto nenhuma é tão rica em detalhes quanto Caroline, personagem principal e uma verdadeira guerreira, que acredita em seus ideais, mas também possui seus defeitos, afinal, ninguém é perfeito. Elizabeth, irmã de Caroline, de certa forma é seu oposto, porém também é uma personagem querida. Ao contrário do pai das jovens, que tem tudo de ruim que um barão possa ter e chega a se tornar insuportável em trechos – o que não deixa de ser parte de sua personalidade e de seu status perante a sociedade. Outra personagem marcante é Bernardo, que não poderia ficar de fora. Mesmo com seus defeitos, Bernardo passa segurança à Caroline e toma atitudes arriscadas pelo bem da jovem, conquistando assim o leitor com o desenrolar da história. Contudo, a cigana Nuha é uma personagem ainda mais excepcional, por ter características simples e com uma bondade incomparável, se tornando assim minha personagem favorita.

Mais em: http://overshock.blogspot.com/2012/03/resenha-73-o-passaro.html
Samanta 13/03/2012minha estante
Ricardo, eu amei sua resenha e fiquei surpresa por eleger Nuha como sua personagem favorita!! Foi muito original, mas também muito merecido... ela é uma personagem muito determinante no destino de Caroline! :)

Um grande abraço e OBRIGADA!!!




Vanessa Meiser 07/03/2012

http://balaiodelivros.blogspot.com/
"Sentia-se como uma águia no topo de uma montanha, diante de todo um horizonte a ser conquistado, porém com as duas asas presas ao corpo.
Estendeu os braços para os lados e, com um sorriso determinado, sussurrou para si mesma:
- Sim... Eu ainda vou voar!” Págs. 38 e 39

E agora, como falar de um livro pelo qual você se apaixonou perdidamente???
Então, primeiro quero agradecer à Samanta, autora de o Pássaro, pela oportunidade de poder participar do booktour e poder conhecer esta história tão bem escrita, nem tenho palavras para dizer o quanto fico grata a ela!!!!
Bom, a história do livro se passa no ano de 1227, século XIII, Europa. Época em que os cavalos entravam na moda e que as corridas tornavam-se frequentes atraindo investidores como, por exemplo, o temido Barão Enézio de Mondevieu, pai de Caroline e Elizabeth e marido de Antonelle.
As filhas do Barão eram bastante diferentes uma da outra, enquanto Elizabeth era uma menina tranquila e resignada como a mãe, Caroline era desafiadora, ousada e muito questionadora.

"Como é teimoso, o destino!" Pág. 66

O Barão sem nada conhecer sobre cavalos aceita o conselho de Dinamene, funcionária de muitos anos da sua mão, e contrata Gerson para tratar de seus animais, o funcionário se muda então para um casebre nas imediações da mansão com seus dois filhos ainda pequenos, William e Bernardo. Este último tem o temperamento parecido com o de Caroline, é um rapaz insatisfeito com a vida de resignação que leva e que assim como ela sonha em ser dono do seu próprio destino, porém, mesmo com muitas semelhanças, os primeiros encontros entre os dois são regados a muita hostilidade e más impressões, ele a acha mimada e ela o acha arrogante....mal sabem os dois que o destino os colocou no mesmo caminho por motivos muito maiores do que eles poderiam supor...

"Cuide bem da sua história, minha filha. No final das contas, ela é sempre tudo o que nos resta." Pág. 154

Caroline estava de casamento arranjado com Filip, um jovem e bonito rapaz de bom coração e muito seu amigo, porém, ela não o ama como homem e sim como um bom amigo e não aceita a imposição a este casamento. Caroline então tem um plano de fuga que na última hora acaba coincidindo com um também plano de fuga de Bernardo. Esta fuga os leva a conhecer um amor mais forte do que qualquer laço, um amor capaz de superar tudo, até mesmo uma grande revelação que poderia por tudo a perder.
Enfim, o livro é recheado de aventura. Só o fato de ser um romance histórico já me conquistou no início da leitura, mas claro que não ficou só por aí, ele tem uma história tão envolvente que você nem percebe que todas as 477 páginas já foram lidas. Apesar de ser um livro considerado extenso, já que a maioria tem por volta de 300 páginas, é super fácil e rápido de se ler, até para mim que leio pior que uma tartaruga, apesar dos meus esforços.
Como eu já disse lá no início da resenha gostei muito deste livro, foi uma surpresa muito agradável para mim, antes de iniciar a leitura eu ficava olhando para a capa que é linda e imaginando se eu iria gostar ou não da leitura, gostei sim e muito. Resumindo, um livro mais do que recomendado, leiam O Pássaro, por favor, não irão se arrepender!

“- É claro que vai embora. Pássaros não nasceram para se prenderem a lugar nenhum. Sua estação aqui passará, e então rumará para outros hemisférios.” Pág. 265
Samanta 07/03/2012minha estante
Vâ!!!

Que lindas as suas palavras sobre meu livro!
Estou aqui, super emocionada e realizadaaa por ter feito mais uma leitora feliz! ^^

Eu que agradeço a você por ter participado do Booktour e pelas palavras tão carinhosas!


Um beijo enorme!!!




spoiler visualizar
Samanta 27/11/2012minha estante
Olá, Dayana :)

Que delíciaaaaa receber uma resenha tão positiva!!! OBRIGADA!!!!! Fico muito feliz que O Pássaro tenha sido uma surpresa positiva em suas leituras de 2012 ^^

Um grande beijo, querida, e tudo de bom!!!!




117 encontrados | exibindo 31 a 46
1 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8